PAG SEGURO PÓS DIA 10

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

domingo, fevereiro 5

Lição 06: O Avivamento no Ministério de Pedro EBD 1° Trimestre De 2023 CPAD – Adultos Subsídio em Edição Sem Revisão

Lição 06: O Avivamento no Ministério de Pedro EBD  1° Trimestre De 2023

CPAD – Adultos

Subsídio em Edição Sem Revisão

Pastor e professor Osvarela

Texto Áureo

“Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.” (At 2.14)

Prática

A vida de um crente pode ser comparada entre o antes e o depois de um avivamento.

Destaque: Pedro era um indivíduo um tanto impetuoso, e originalmente instável em algumas de suas ações e crenças. No início de sua experiência cristã, esse discípulo não teve fé suficiente para andar até o seu Mestre sobre a água (Mateus 14:30). Todavia, esse mesmo discípulo cria sem reservas e confessou abertamente que Jesus era o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mateus 16:16; João 6:69).

Leitura Bíblica

Atos 2.14-24

14 – Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.

15 – Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo esta a terceira hora do dia.

16 – Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:

17 – E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos;

18 – e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão;

19 – e farei aparecer prodígios em cima no céu e sinais embaixo na terra: sangue, fogo e vapor de fumaça.

20 – O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes de chegar o grande e glorioso Dia do Senhor;

21 – e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

22 – Varões israelitas, escutai estas pala­vras: A Jesus Nazareno, varão aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis;

23 – a este que vos Foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, tomando-o vós, o crucificastes e matastes pelas mãos de injustos;

24 – ao qual Deus ressuscitou, soltas as ânsias da morte, pois não era possível que fosse retido por ela.

Hinos Sugeridos: 24, 249, 470 da Harpa Cristã

A) Objetivos da Lição:

I) Destacar as características do apóstolo Pedro antes da experiência do Pentecostes;

II) Compreender o impacto do Batismo no Espírito Santo no caráter do apóstolo Pedro;

III) Ressaltar a importância do avivamento espiritual para a igreja dos dias atuais mediante a experiência do Batismo no Espírito Santo.

Não há nos evangelhos ninguém, após Jesus tão citado como Pedro, uma espécie de porta-voz dos Apóstolos e  intimo de Jesus, mas que não colocava sua cabeça no peito de Jesus, por motivos que a sua própria vida não o permitiu ser o acolhedor de Maria.

Teve seu nome mudado por Jesus num texto que até hoje criou polemica sobre a sua liderança entre os Apóstolos e entre a Igreja.O nome original de Pedro era Simão, mas Jesus o chamou de Cefas - Cephas, que é uma palavra aramaica que se traduz em Pedro (Petros em grego)”.

Exórdio

Era André, irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouviram aquilo de João, e o haviam seguido.

Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo).

E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro). João 1:40-42

A vida do Apóstolo Pedro, que nascera em Betsaida (João 1:44) [uma aldeia de pescadores não muito distante de Cafarnaum e que ficava na região costeira do mar da Galiléia (João 1:44). Pedro também tinha casa em Cafarnaum, na Galiléia (Marcos 1:21s). Alguns sugerem que sua residência] é uma das mais lindas narrativas bíblicas, seja nos Evangelhos quanto na sua Carta e narrativas históricas.

Desde seu encontro com Jesus, através de André, seu irmão, até seu martírio (histórico) morrendo numa cruz. Esse citado contato ocorreu antes do início do ministério público do Senhor na Galiléia. Depois disto, Pedro e André continuaram com a pescaria durante um período de tempo, até que receberam um convite consequente de Jesus enquanto estavam pescando no mar da Galiléia (Marcos 1:16s).

As faces marcantes do Apóstolo Pedro

Capaz de grandes atos de ousadia, mas também de atitudes covardes.

Ciumento e amoroso, corajoso e medroso.

O homem com visão da revelação pelo Espírito

E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Mateus 16:16

O operador de milagres

E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós. Atos 3:4

O curioso

Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será? João 21:21

Sempre admoestado por Jesus, Pedro não sabia que suas experiências seriam vitais na formação de um líder (coluna) da Igreja primitiva.

“E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus”. Mateus 14:28-31

Medroso e bipolar.

Com pouca fé ou muita fé?

Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me!

E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? Mateus 14:28-31

O obediente.

E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede. Lucas 5:5

Pedro era o exemplo do homem cuja vida material andava junto com a espiritual ele tinha profunda confiança em seu Mestre Jesus.

Um homem de família – amigo e hospedeiro de Jesus

E Jesus, entrando em casa de Pedro, viu a sogra deste acamada, e com febre. Mateus 8:14

Pedro tinha a companhia de sua esposa, não citada nominalmente em suas viagens ministeriais, como podemos inferir em 1 Coríntios 9:5.

Pedro o indouto

Responderam eles, e disseram-lhe: És tu também da Galiléia? Examina, e verás que da Galiléia nenhum profeta surgiu. João 7:52

Originário da Galiléia, região de certa forma desprezada entre as regiões da nação de Israel, Pedro sem dúvida teve a instrução normal dos judeus da épocas, embora seu pai, Jonas tivesse barcos de forma empresarial deve ter, como menino judeu frequentado a Sinagoga e com conhecimento e estudos da Lei. Pedro possuía uma educação considerada limitada (segundo os escribas e a cúpula do Sinédrio) e falava o aramaico com forte sotaque da região da Galiléia (Mateus 26:73; Marcos 14:70); idioma que também utilizava para ler e escrever.

No entanto, Pedro também falava o grego koiné, para constante contato com gentios que eram vizinhos da sua região e compradores de pescado. O grego era muito utilizado na época, sobretudo nas cidades de Decápolis (região vizinha da Galiléia, também chamada de Galiléia dos gentios ou das Nações).

A Personalidade de Pedro - emotivo, sanguíneo e autoconfiante.

Considerando todas as referências sobre o apóstolo Pedro disponíveis não apenas nos quatro Evangelhos, mas em todo Novo Testamento, os estudiosos entendem que ele foi um típico homem do campo, uma pessoa simples, direta e também impulsiva.

Ex.: se recusou a deixar que Jesus lhe lavasse os pés, mas quando foi advertido sobre a importância e a necessidade daquele ato do Senhor, ele pediu até mesmo um banho (João 13).

Parece que ele também possuía uma aptidão natural para exercer liderança, talvez por ser caloroso, vigoroso e normalmente comunicativo. Em algumas ocasiões, sobretudo no episódio que envolveu a traição de Jesus no Getsêmani, Pedro se mostrou emotivo, sanguíneo e autoconfiante.

Pedro, o pregador que converteu 3.000 de uma só vez a Cristo

Um Pedro Avivado.

Antes do revestimento Pedro viu a Cristo ressurreto que lhe apareceu pessoalmente (Lucas 24:33,34; 1 Coríntios 15:5).

O pós pentecostes mostra o preparo, com a mesma evidência de porta-vos dos apóstolos e quiçá da Igreja primitiva, com eloquência e virtude pelo recebimento do Espírito Santo.

Atos 2.14 – Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.

15 – Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo esta a terceira hora do dia.

16 – Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:

17 – E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos;

18 – e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão;

O apóstolo Pedro foi o primeiro a pregar o Evangelho no dia de Pentecostes. Cerca de 3 mil pessoas se converteram naquela ocasião (Atos 2:14). Até o capítulo 13 do livro de Atos dos Apóstolos, Pedro aparece com bastante destaque. Durante os primeiros anos ele foi o líder da igreja em Jerusalém, mas vale lembrar que o apóstolo Tiago, por sua vez, foi quem liderou o Concílio de Jerusalém onde importantes decisões foram tomadas concernentes à participação dos gentios na Igreja (Atos 15:1-21).

Pedro foi quem fez a exposição da necessidade da escolha de outro homem para o lugar deixado por Judas e Matias foi o escolhido (Atos 1). Durante o ministério do apóstolo Pedro ocorreram grandes milagres, sendo que até mesmo os doentes eram colocados de uma forma com que, ao passar, sua sombra os cobrissem (Atos 3:1-10; 5:12-16).

Foi o apóstolo Pedro quem disse as conhecidas palavras: “Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda” (Atos 3:6). Dentre esses milagres também se destaca a ressurreição de Dorcas (Atos 9:36-41).

De indouto a Dotado de conhecimento da Graça.

Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus. Atos 4:13

Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição. 2 Pedro 3:16

A morte de Pedro.

Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. João 16:2

Segundo as Escrituras, Jesus já havia dito que os discípulos seriam perseguidos e mortos (João 16:1, 2). Depois que Cristo morreu e ressuscitou, Ele se reencontrou com Pedro e, no final do diálogo, disse: “Em verdade, em verdade te digo que, quando eras mais moço, tu te cingias a ti mesmo e andavas por onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás as mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres. Disse isto para significar com que gênero de morte Pedro havia de glorificar a Deus. Depois de assim falar, acrescentou-lhe: Segue-me” (João 21:18-19).

A tradição cristã antiga relata repetidas vezes, que ele morreu em Roma durante a perseguição encabeçada por Nero, possivelmente em 65 d.C.

Hegessipo diz que Nero procurava fatos contra Pedro para condená-lo à morte. Quando o povo percebeu isso, rogaram a Pedro, com muita insistência, para que ele fugisse da cidade. Pedro no fim foi persuadido pelos importunos pedidos e preparou-se para a fuga. Porém, ao chegar ao portão da cidade, viu o Senhor Jesus Cristo vindo ao seu encontro, a quem Pedro, adorando, disse: — Senhor, para onde vais tu? — Ao que Ele respondeu dizendo: — Estou voltando para ser crucificado. — Assim Pedro, percebendo que com essas palavras o Senhor se referia ao martírio do qual ele estava fugindo, voltou para a cidade. Jerônimo diz que ele foi crucificado, com a cabeça para baixo e os pés para o alto a pedido dele mesmo porque era — disse ele — indigno de ser crucificado do mesmo modo e jeito como o fora o Senhor.” (John Foxe, O Livro dos Mártires, p. 21, 22).

Fonte:

Fonte: Guiame, Com Informações Do Overview Bible; Atualizado: Sexta-Feira, 18 De Fevereiro De 2022 11:54

1 Pedro: Introdução e Pano de Fundo; por Gordon Lyons

A História do Apóstolo Pedro; Daniel Conegero

Como morreu o Apóstolo Pedro? Equipe Biblia.com.br


sábado, janeiro 28

O Avivamento na Vida da Igreja Lição 05 CPAD – PARTE 2 1º TRIMESTRE 2023

 O Avivamento na Vida da Igreja

Lição 05 CPAD – PARTE 2

1º TRIMESTRE 2023

Subsídio Pastor e professor Osvarela

“E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (At 2.4)

Prática

Ao longo dos anos, a Igreja experimenta avivamentos por meio do batismo no Espírito Santo e da atualidade dos dons espirituais.

A) Objetivos da Lição:

I) Expor a realidade do Batismo no Espírito Santo e o público-alvo;

II) Examinar o dinamismo da Igreja Apostólica;

III) Demonstrar a importância de um ministério ungido para os dias atuais.

Jesus é o leimotiv (motivo condutor) do Avivamento!

Leitura Bíblica

Atos 2.1-13

1- Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;

2- e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

3- E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

4- E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. [ ... ] 11- e cretenses, e árabes, todos os temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus. 12- E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer? 13- E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto.

O Dinamismo da Igreja Apostólica.

A adoração Neotestamentária está e se dava dentro do “campo espiritualizado pelo Espírito Santo” e Sua presença!

A Igreja apostólica era antes de tudo uma comunidade de adoração e de adoradores, seguindo o próprio entendimento de Jesus:

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. João 4:23,24

O avivamento inicial dos judeus pela comunhão dos que eram do Caminho ou a Igreja do Senhor Jesus sem dúvida era distinto de todas as outras religiões e tinha a marca da autenticidade, era um mover sem paralelo.

Eles viviam a presença de Jesus no meio deles era o leimotiv (motivo condutor) “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18:20;Mateus 28.20

A Igreja Apostólica tinha a certeza de que o ausente estava presente e a liturgia do culto divino em todas as partes estava sobre como levar os adoradores avivados a ter consciência da Sua presença.

Esta deve ser a preocupação dos nossos dias de Avivamento na Igreja.

Somo adoradores avivados pela verdade e em nossos espíritos.

“Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade". João 4:24

E se dá pela Inspiração do Espírito Santo.

         Confissões de Seu senhoria

         Hinos louvam a pessoa de Jesus

         O culto deve lembrar a obra salvífica

         Tudo em Seu Nome

         A Sua Palavra deve ser declarada

         Crentes batizados com o/no Espírito Santo enviado por Ele

A esperança, como na Igreja Apostólica que proclamava Sua Volta –  “Marana Tha” [Nosso Senhor, vem]

Atos 2.4- E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

Assim como escrevemos acima, sobre a influência do Espírito Santo, e sua abrangente influência, se deu uma modificação avivada na Igreja, conforme podemos ver no Novo Testamento.

“..., adoramos pelo Espírito de Deus, ...” Filipenses 3:3

O Avivamento da Igreja não é fruto de nenhum esforço humano (Deus usa homens, mas D’Ele vem pelo Espírito Santo, o Avivamento).

Atos 2.11- e cretenses, e árabes, todos os temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus. 12- E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?

O Avivamento trouxe o Dinamismo à Igreja Apostólica, pois entenderam que o Espírito Santo determinava seus passos, em tudo o Espírito Santo era “consultado”. As Escrituras Neotestamentárias nos dão uma série de informações sobre a Adoração avivada da Igreja Apostólica, mas não podemos inferir que seja estas a totalidade da manifestação do avivamento naquela Igreja:

“Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não impor a vocês nada,...” Atos 15:28

“Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa, ...” Atos 6:3

E o Espírito disse a Filipe: "Aproxime-se dessa carruagem e acompanhe-a". Atos 8:29

 ,o Espírito do Senhor arrebatou Filipe repentinamente, ...” Atos 8:39

“Ela se edificava e, encorajada pelo Espírito Santo, crescia em número, vivendo no temor do Senhor.” Atos 9:31

“Enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre.” Atos 13:4

Estamos consultando o Espírito Santo para o Avivamento continuar em nossos templos e corações?

A presença eficaz do Santo Espírito molda o verdadeiro Avivamento em nossas vidas e envolve a Igreja.

Avivamento na Igreja apostólica trazia e tinha a preocupação com a edificação.

Para não serem como o sino que toca, mas não se distingue seu som. 1 Co 13

O elemento eucarístico é como uma oferta de um “Jubilate” de ação de graças que se apresenta como o Avivamento, com hinos, serviços do culto, orações, salmos e manifestações do Espírito.

“O cerne do Avivamento se dá pela manifestação pública da adoração da Igreja”

O Avivamento se dá por expressões orais, ações de graças, enlevação dos corações [sursum corda].

A importância de um ministério ungido para os dias atuais.

Sem a unção do Espírito Santo nosso ministério será um ministério morno, ou até mesmo morto.

A unidade do Espírito é o que mantém o avivamento nos nossos ministérios.

Se dá na glorificação uma nos cultos.

Na adoração como uma convergência natural pelo Espírito que em nós habita

O avivamento do ministério se verifica pela edificação que brota no seio dos nossos corações e na Igreja.

Alegrem-se sempre.

Orem continuamente.

Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.

Não apaguem o Espírito.

Não tratem com desprezo as profecias,

mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom.

Afastem-se de toda forma de mal.

Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, alma e corpo de vocês seja conservado irrepreensível na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Tessalonicenses 5:16-23

Não se pode ter avivamento sob a aplicação do que E. Schweizer ensina:

“Um corpo silencioso de ouvintes e um que fala no meio da comunidade cristã”. Compilamos a frase do autor.

Ministério avivado:

         Dá livre curso a ação do Espírito Santo, com ordem e decência.

         Comunhão (saudai a todos com beijo santo)

Louvar a Deus e cantar hinos – demonstra que o espírito Santo está suscitando a adoração e avivando os corações.

         Submissão a ação do Espírito Santo

         Exposição da Palavra

         Falar em línguas

         Cânticos espirituais

FONTE:

Adoração na Igreja Primitiva – Ralph P. Martin – Vida Nova – 2ª Edição revisada

Representantes do neopentecostalismo: Igreja Nova Vida (1960), Igreja Universal do Reino de Deus (1977), Igreja Internacional da Graça de Deus (1980), Igreja Apostólica Renascer em Cristo (1986) e Comunidade Evangélica Sara a Nossa Terra (1992).

Pentecostalismos no Brasil, Dr. Gedeon Freire Alencar - 18 de maio de 2022 - Religião e Poder em 27/01/2023, às 19:49h

As três ondas do mover pentecostal - Publicado por Os Remanescentes em 30 de janeiro de 2021

História Do Pentecostalismo Moderno - As Três Ondas, Heresias, Pentecostalismo - segunda-Feira, 22 De Setembro De 2014 em 27/01/2023 às 20:18h

sexta-feira, janeiro 27

O Avivamento na Vida da Igreja Lição 05 CPAD – PARTE 1 1º TRIMESTRE 2023

 O Avivamento na Vida da Igreja

Lição 05 CPAD – PARTE 1

1º TRIMESTRE 2023

Subsídio Pastor e professor Osvarela

“E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (At 2.4)

Prática

Ao longo dos anos, a Igreja experimenta avivamentos por meio do batismo no Espírito Santo e da atualidade dos dons espirituais.

A) Objetivos da Lição:

I) Expor a realidade do Batismo no Espírito Santo e o público-alvo;

II) Examinar o dinamismo da Igreja Apostólica;

III) Demonstrar a importância de um ministério ungido para os dias atuais.

Leia o artigo Relógio Do Apocalipse

Leitura Bíblica

Atos 2.1-13

1- Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;

2- e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

3- E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

4- E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

5- E em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas as nações que estavam debaixo do céu.

6- E, correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.

7- E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois que! Não são galileus todos esses homens que estão falando?

8- Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?

9- Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, e Judéia, e Capadócia, e Ponto, e Ásia,

10- e Frígia, e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos (tanto judeus como prosélitos),

11- e cretenses, e árabes, todos os temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.

12- E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?

13- E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto.

Hinos Sugeridos: 122, 155, 437 da Harpa Cristã

Exórdio:

A Igreja nasceu no primeiro avivamento pós-Cristo!

Atos 2. 1- Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;

2- e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

3- E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

4- E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

5- E em Jerusalém, ...

Embora, estivesse no plano divino desde a fundação dos séculos, a Igreja se forma de forma avivada se estabelece, à partir, de Jerusalém.

Esta é a figura do avivamento da Igreja.

Interpreto a visão lucana do avivamento sob a leitura do termo: “Cheios”.

O avivamento e sua origem, forma e outros dados:

Tempo de determinado

Veio do céu

De repente

Um local

Encheu – o ambiente foi: Cheio

Línguas de Fogo

Cheios

Outras línguas

         Sob críticas (lembre de Ano e o sacerdote)

O Avivamento na Vida da Igreja

A continuidade do Avivamento E amplitude.

RELEITURA DO MOVIMENTO PENTECOSTAL MODERNO

Ao longo dos anos, a Igreja experimenta avivamentos por meio do batismo no Espírito Santo e da atualidade dos dons espirituais.

Com base no texto, acima, devemos buscar ao longo da história pentecostal, o decorrer deste avivamento contínuo, por fases de necessidade e evento pentecostal e por consequência Avivamento.

A Forma Pedagógica:

A “teoria das ondas” (Freston, 1993) é um recurso pedagógico que contribui com a compreensão deste quadro no Brasil, conforme o surgimento do Avivamento ou “pentacostalidade” ou pentecostalismo aqui no Brasil.

A “primeira onda”, que se deu nas quatro primeiras décadas do século XX (anos 1900), temos o chamado “pentecostalismo clássico”;

A “segunda onda” ocorreu nas décadas de 1940 a 1980;

A “terceira onda” ocorreu a partir dos anos 1980 com a predominância do que se denominou “neopentecostalismo”.

O Pentecostalismo dos EUA foi, à partir, principalmente da Rua Azuza (tinha como característica principal as línguas estranhas e a liberdade na forma de adoração) que ocorreu em 1906, na cidade de Los Angeles [Teve início em 1901, quando a sra. Agnes Ozman, nos Estados Unidos, disse ter recebido o batismo do Espírito Santo e falado línguas. A prática foi incorporada ao movimento Holiness.]  foi responsável pelo envio de diversos missionários para os países da África e da América Latina, assim o pentecostalismo aportou no Brasil.

Em tese, em todos os países do mundo aonde o pentecostalismo tem chegado grandes sinais e prodígios tem acontecido, porém também tem se dividido em três ondas:

A primeira são os pentecostais clássicos,

A segunda os pentecostais carismáticos com dons miraculosos e

A terceira os neopentecostais.

O Movimento Pentecostal, ou o Avivamento, que vivemos ou que nossos pais viveram é amplamente conhecido ao redor do mundo e, sendo um dos movimentos cristãos que mais teve crescimento nos últimos anos.

Atos 2. 1- Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;

2- e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

3- E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

4- E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

A menção ao Pentecostes, relatado em Atos, em que os discípulos foram cheios do Espírito e falavam em línguas diferentes de maneira que era entendidos por todos que passavam por Jerusalém naquele tempo é bem clara e, constantemente, o Pentecostalismo faz questão de lembrar essa experiência que se coloca como “fundadora” desse movimento.

No Brasil, podemos detalhar o Pentecostalismo o dividindo, na forma pedagógica, supracitada, em 3 períodos, as ondas.

Primeira Onda:

Pentecostalismos clássicos (décadas de 1910 a 1950)

As duas principais igrejas pentecostais no Brasil são Congregação Cristã no Brasil (CCB), fundada em 1910, e Missão da Fé Apostólica, que deu origem as Assembleias de Deus (AD’s), fundadas em 1911.

A CCB nasceu no Sudeste (São Paulo), fundada por Louis Francescon (1866-1964). De origem presbiteriana.

As Assembleias de Deus, surgiram no Norte (Belém do Pará), fundadas por dois suecos, Gunnar Vingren (1879-1933) e Daniel Berg (1884-1963). De origem batista, abrasileirada desde o início, se espalhou acompanhando a migração interna.

Ambas têm similaridades, pois foram fundadas por migrantes europeus pobres (???) que conheceram a doutrina pentecostal nos EUA.

Contudo, ironicamente, são visceralmente distintas. São idênticas na pentecostalidade (ainda hoje), mas absolutamente diferentes modelos dos pentecostalismos (muito mais hoje).

A forma de doutrina da CCB é diferente da ensinada e crida nas AD’s, pois, além de étnica é calvinista.

As ADs, por sua vez, são arminianas.

A pentecostalidade deles teve pouca mudança. A Glossolália continua na centralidade da fé, com profecias e revelações, que mantém o Avivamento.

Houve pequena alteração na irmandade homogênea da CCB, mas há muita diversidade nos assembleianismos heterogêneos.

As AD’s sempre foram refratárias à institucionalização, assim, não formam um conjunto único de membresia não sendo uma Instituição única, assim, cresceram desordenadas, sem uma liderança unificada, e tem um nome único para diversos grupos, que se dividem em campos, ministérios, lideranças regionais.

Diferentes das AD’s no mundo, as do Brasil, além das Convenções Nacionais (distintas e divergentes) tem nas lideranças carismáticas dos pastores presidentes seus centros de poder, sendo estes, absolutos e vitalícios nas sedes dos Ministérios (conglomerado de igrejas com uma igreja sede). Nas AD’s, então, há diversos “assembleianismos” (Alencar, 2018) em ‘aggiornamento’ (Costa, 2018) com “esgarçamento ministerial” (Fajardo, 2018), lideradas por “dinastias assembleianas” (Correa, 2018).

“Pentecostalismo Étnico”

Ainda se destaca nesta primeira onda, algumas igrejas de menor destaque ou crescimento, as igrejas batistas suecas que formaram a Convenção Batista Independente (CEBI) incialmente restritas ao Sul do país, nascida em 1912. Chamadas por Samuel Valério (2022) como pertencentes ao “pentecostalismo étnico”.

Semelhante situação ocorreu com a Igreja de Cristo, no Nordeste (1932, Mossoró, RN), Igreja Evangélica do Calvário Pentecostal (1935, Catalão, GO) e com muitas outras que tiveram impacto apenas regional.

Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo (1936, São Paulo, SP) e, três anos depois, de origem americana, a Missão Evangélica Pentecostal do Brasil (1939, Manaus, AM). Novas denominações vão surgindo até 1950. A Primeira Onda Pentecostal, portanto, vai de 1910 a 1950.

Costumes:

A mensagem central é:

“A eminente vinda de Jesus, uma vida de renúncias e intensas orações, a fuga do movimento denominacional nicolaíta, a separação total do mundo e o batismo com o Espírito Santo, modéstia e pudor no falar e vestir e a aversão pela teologia”.

A Segunda Onda: Pentecostalismos de transição (décadas de 1950-1980)

Costumes:

         A eminente vinda de Jesus, uma vida de renúncias e intensas orações, a busca pelos dons de Deus em especial cura e profecias, a separação total do mundo, o batismo com o Espírito Santo, modéstia e pudor no falar e vestir e a aversão pela teologia”.

Nessas décadas o Brasil se urbanizou, industrializou e iniciou a expansão dos meios de comunicação. As três igrejas que se destacaram foram marcadas pela presença na mídia, como a Igreja Brasil para Cristo (1955), Igreja Pentecostal Deus é Amor (1962), ambas brasileiras, e a Igreja do Evangelho Quadrangular (1951, São João da Boa Vista), vinda dos EUA.

Com a chegada da Cruzada Nacional de Evangelização, trabalho que se destacava pelo uso de tendas – tenda número 1 - percorreu as cidades do estado de SP. Sempre que a tenda se mudava, deixava uma I.E.Q (Igreja Evangelho Quadrangular) no local. Desta Igreja surgiram muitas outras denominações como O Brasil para Cristo, a Igreja Pentecostal Deus é Amor, A Casa da Bênção, Igreja Cristã Pentecostal da Bíblia do Brasil, Igreja Pentecostal Unida do Brasil, Ministério Cristo Vive, Igreja Unida, Igreja de Nova Vida e diversas outras. A Segunda Onda Pentecostal vai de 1950 a 1970.

Estas igrejas, deram um maior destaque, em algum momento da suas existências, colocando o ‘evangelicalismo’, as curas e maravilhas em primeiro lugar, com menor ênfase a Glossolalia.

Na década de 60, assisti um avivamento, mesmo com ruptura de algumas chamada igreja denominacionais, [que não têm o costume e doutrina, ditas, pentecostal falar em línguas – glossolalia (ou línguas estranhas) - ], de onde surgiram num avivamento pentecostal,  um sem número de novas igrejas, em quase todas as denominações herdeiras da Reforma surgiram “grupos renovados” que possuem marcas da pentecostalidade:

Igreja Presbiteriana Renovada (1975), Igreja Metodista Wesleyana (1967), a Convenção Batista Nacional (1965) com um misto doutrinário de onde se iniciaram, podem não ser pentecostais no sentido pleno, mas com, agora, o pentecostalismo avivado (glossolalia).

Terceira onda: Neopentecostalismos (década de 1980 em diante)

Ou pentecostalismo líquido

Costumes:

“Desprendimento das doutrinas de santidade, desprendimento de ensinamentos bíblicos e apelo pela benção física pela sua teologia do; ‘Faça, dê, use isto FÍSICO que só NOSSA igreja pode lhe vender’, depois ORDENE a Deus aos demônios e ao universo, e você vai instantaneamente ter TUDO que quiser ‘determinar’, quer seja na área financeira, profissional, de saúde, de casamento, espiritual, ou qualquer outra área (Doutrina da Prosperidade).”

Muitos obreiros destas Igrejas começaram um movimento de autonomias, destacado nas AD’s sobretudo, pela forma de ascendência ministerial nas AD’s, particularmente pela não institucionalização desta Igreja, o que permitiu que obreiros de suas varias igrejas e ou campos se voltassem para abrir suas próprias igrejas (fato que ainda ocorre, de maneira constante, atualmente).

O prefixo “neo” não dá conta da complexidade que representa estas formas de pentecostalismo pois muito do que apareceu não era novo, mas:

Estas igrejas se destacaram pelo uso da mídia e novas liturgias, grandes agrupamentos convocados pela TV, além de práticas de campanhas, misticismo e sincretismo são facilmente percebidos no uso de elementos de toque (rosa ungida, copo com água, fogueira santa), não vai aqui nenhum julgamento do mérito destas práticas. Além de lideranças centralizados, com estatutos personalizados nos novas das lideranças, assim são os “donos” destas novas igrejas.

Origem: Quase todas as Neopentecostais surgiram por divergências.

Ex.: a Universal surgiu por divergência entre Edir Macedo e o Pr McAlister, fundador da Igreja de Nova Vida. As Igrejas da Graça e Mundial por divergência de R.R. Soares e Valdemiro Santiago com Edir Macedo. A Sara Nossa Terra surgiu por divergência entre os Bispos Rodovalho e Cesar Augusto, quando presidiam a Comunidade Evangélica de Goiânia.

 

 

 

 

 

 

 

FONTE:

Representantes do neopentecostalismo: Igreja Nova Vida (1960), Igreja Universal do Reino de Deus (1977), Igreja Internacional da Graça de Deus (1980), Igreja Apostólica Renascer em Cristo (1986) e Comunidade Evangélica Sara a Nossa Terra (1992).

Pentecostalismos no Brasil, Dr. Gedeon Freire Alencar - 18 de maio de 2022 - Religião e Poder em 27/01/2023, às 19:49h

As três ondas do mover pentecostal - Publicado por Os Remanescentes em 30 de janeiro de 2021

História Do Pentecostalismo Moderno - As Três Ondas, Heresias, Pentecostalismo - segunda-Feira, 22 De Setembro De 2014 em 27/01/2023 às 20:18h

terça-feira, janeiro 24

ATUALIZANDO O RELÓGIO DO APOCALIPSE - Após 13 anos - Janeiro 2010 a Janeiro 2023

 O Relógio do Apocalipse

Criado na década de 1940 pelo Boletim de Cientistas Atômicos, o Relógio do Apocalipse é um mecanismo simbólico que indica o risco de destruição total da humanidade. Quanto mais próximo o ponteiro dos minutos estiver da meia-noite, maior é o risco que o mundo está O Relógio doApocalipse.


Início 1947

2023
2010

Criado na década de 1940 pelo Boletim de Cientistas Atômicos, o Relógio do Apocalipse é um mecanismo simbólico que indica o risco de destruição total da humanidade. Quanto mais próximo o ponteiro dos minutos estiver da meia-noite, maior é o risco que o mundo está correndo. Para "ajustar o relógio", o Boletim de Cientistas Atômicos utiliza três fatores principais: arsenal nuclear, mudança climática e biossegurança.

No dia 10 de janeiro de 2012, o Relógio do Apocalipse foi adiantado em um minuto, retornado a cinco para a meia-noite, horário em que estava em 2007. Em 2010, ele tinha sido atrasado em um minuto. Em 1991 foi a oportunidade em que o ponteiro dos minutos esteve mais afastado do 12. Na época, faltavam 17 minutos para meia-noite. Já em 1953, no auge do conflito velado entre americanos e soviéticos, o relógio chegou a dois minutos para meia-noite

Confira todos os avanços e atrasos do ponteiro dos minutos do Relógio do Apocalipse correndo. 

Para "ajustar o relógio", o Boletim de Cientistas Atômicos utiliza três fatores principais: 

Arsenal nuclear, 

Mudança climática e 

Biossegurança.

No dia 10 de janeiro de 2012, o Relógio do Apocalipse foi adiantado em um minuto, retornado a cinco para a meia-noite, horário em que estava em 2007. Em 2010, ele tinha sido atrasado em um minuto. 

Em 1991 foi a oportunidade em que o ponteiro dos minutos esteve mais afastado do 12. Na época, faltavam 17 minutos para meia-noite. 

Já em 1953, no auge do conflito velado entre americanos e soviéticos, o relógio chegou a dois minutos para meia-noite

Confira todos os avanços eatrasos do ponteiro dos minutos do Relógio do Apocalipse

Releia o Texto de 2010:

Sem alarmismos e sem crendices...

Is.33.7. ...os embaixadores da paz estão chorando amargamente.

Constatando uma verdade sobre a Volta de Cristo, sem determinação de Tempo, mas observando os sinais...

Mt.24.3.E estando ele sentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Declara-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda fim do mundo.

Eu sempre assusto um pouco, algumas pessoas pegas de surpresa, ao falar sobre o fim-do-mundo.

Com base na Bíblia Sagrada, cremos que estamos próximos ao rapto da Igreja, mas longe do fim-do-mundo.

Agora surge uma coisa, que não é nova, mas é apresentada nestes tempos de graves desastres na Terra.

Há um que de surpresa e falta de energia, e incapacidade humana, em deter os desastres que vem ocorrendo no Mundo.

E No nosso querido Brasil.

Em todos os cantos do Mundo, há sinais evidentes de que há uma força muito mais poderosa do que a força humana, mesmo das Grandes Nações e das Nações emergentes como o Brasil.

As autoridades estão com um que de perplexismo, com frase místicas, como a que publicamos em texto abaixo do Presidente da França.

Muito embora, a Igreja pregue sobre o Apocalipse, os próprios cientistas criaram um medidor, que marca a proximidade ou o risco da destruição do Planeta Terra.

O medidor chamado de Relógio do Apocalipse usa como parâmetros, alguns conhecidos riscos criados pelo Homem:

-Mudanças climáticas

-Armamento Atômico das diversas nações

-Potencial de bioseguranças, através de:

- vírus de laboratórios,

-vírus contaminantes,

-doenças epidêmicas e

-riscos de novas descobertas na ára da bio-medicina.

É interessante revelar que este Relógio do Apocalipse, nascido no pós-guerra, nos anos, no início da Guerra fria, foi idealizado pelos cientistas atômicos, que editavam um Boletim, sobre os fatos recentes do poderio nuclear, recém-utilizado na Guerra encerrada em 1945,.

Com a divisão do Mundo, entre os cientistas do ocidente e os alemãs, entre as Grandes potências que emergiram da Guerra, iniciou-se uma corrida armamentista nuclear.

De 1947 até hoje 2010 o relógio andou 1 minuto de risco.

Relógio do Apocalipse é atrasado em um minuto.

14 de janeiro de 2010 13h30 atualizado às 16h04

Lawrence Krauss, cientista do Boletim de Cientistas Atômicos, segura uma imagem com o Relógio do Apocalipse já atrasado em um minuto

14 de janeiro de 2010

Boletim de Cientistas Atômicos(BAS, na sigla em inglês) atrasou em um minuto nesta quinta-feira o "Relógio do Apocalipse".

Agora, o mecanismo simbólico controlado pela organização para indicar o risco de um destruição total da humanidade está marcando seis minutos para a meia-noite.

Quanto mais próximo o ponteiro dos minutos estiver da meia-noite, maior é o risco que o mundo está correndo.

Para "ajustar o relógio", o BAS utiliza três fatores principais: arsenal nuclear, mudança climática e biossegurança.

O grupo de cientistas sustentou sua decisão baseando-se no "esperançoso status da diplomacia mundial" em relação às armas nucleares e ao aquecimento global, apesar do fracasso das negociações na conferência climática COP-15, realizada em dezembro passado, na Dinamarca.

I Ts.5.3. pois quando estiverem dizendo: Paz e segurança! então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão.

"Nós estamos equilibrando nossa decisão a partir do avanço rumo a um mundo livre de armas nucleares. Pela primeira vez desde que bombas atômicas foram usadas, em 1945, líderes de países atômicos estão cooperando vastamente para reduzir seus arsenais, afirmou a equipe durante evento em Nova York.

Em 2007 foi a última vez que o "Relógio do Apocalipse" foi ajustado. Os cientistas do BAS, diante dos testes nucleares norte-coreanos, adiantaram o mecanismo em dois minutos, de sete para cinco para meia-noite.

Em 1991, com o final da União Soviética e o final da Guerra Fria, foi a oportunidade em que o ponteiro dos minutos esteve mais afastado do 12. Na época, faltavam 17 minutos para meia-noite. Já em 1953, no auge do conflito velado entre americanos e soviéticos, o relógio chegou a dois minutos para meia-noite.

"Relógio do Apocalipse" foi criado por cientistas de Chicago que participaram do projeto Manhattan, que deu origem à bomba atômica, lançada pela primeira vez sobre Hiroshima, no Japão, em 6 de agosto de 1945.

O relógio no conceito dos cientistas já chegou a marcar 2 minutos para a Meia-Noite, isto é, para o fim-do-mundo.

Agora está marcando 6 minutos.

E para você, o Relógio da Igreja, o qual não tem nehuma relação com o dos cientistas, quanto está marcando?

Mt.24.36.Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe...

Que horas você gostaria que estivesse marcando?

Seguidores

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical

União de Blogueiros Evangélicos
Powered By Blogger