sábado, agosto 27

A EVANGELIZAÇÃO DAS CRIANÇAS Lição 9 - Agosto de 2016 2ª PARTE

A Evangelização das Crianças
Lição 9 - Agosto de 2016
Estudo subsídio Pr. Osvarela
2ª PARTE
TEXTO ÁUREO
"Assim também não é vontade de vosso Pai, que estás nos céus, que um destes pequeninos se perca." Mateus 18.14
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Mateus 18.2-6; Marcos 10.13-16
Mateus 18.2 - E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles
3 - e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus.
4 - Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus.
5 - E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta a mim me recebe.
6 - Mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.
Marcos 10.13 - E traziam-lhe crianças para que lhes tocasse, mas os discípulos repreendiam aos que lhas traziam.
14 - Jesus, porém, vendo isso, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus.
15 - Em verdade vos digo que qualquer que não receber o Reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele.
16 - E, tomando-as nos seus braços e impondo-lhes as mãos, as abençoou.
2ª PARTE
CONTINUAÇÃO.
Nosso Estudo sobre o assunto é extenso e quase inesgotável.
Passa por discurso de Jesus Cristo quanto a características e modo de agir e entrada no Reino de Deus.
Permitir a entrada neste Reino Divino a todos os homens, em todas as fases de sua Idade.
A necessidade de cumprir o IDE é um fundamento da Igreja que precisa ser exercitado diariamente, em cada segmento da sociedade, dos adultos até as crianças.
O Reino de Deus pode ser sentido desde o ventre, pelas crianças, conforme a Bíblia nos mostra:
“E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo. Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre.Lucas 1: 41,44
Os precedentes no Ministério terreno de Jesus foi motivo de exaltação na boca dos pequenos infantes no Templo causando indignação e ciúmes entre os oficiais dos cerimoniais cúlticos que ali se realizavam:
“Vendo, então, os principais dos sacerdotes e os escribas as maravilhas que fazia, e os meninos clamando no templo: Hosana ao Filho de Davi, indignaram-se, E disseram-lhe: Ouves o que estes dizem? E Jesus lhes disse: Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?Mateus 21:15,16
Ou seja, crianças também têm o direito de saber, e como se aproximar, de Jesus; que podem sentir a presença de Deus e como isto acontece em suas vidas, com a orientação do Evangelho lhe anunciado.
Elas devem saber que Deus as entreteceu, e que o que sentem quando ouvem falar. Sentir a presença de Deus é uma necessidade espiritual, que não lhes pode ser negada, principalmente por que o Evangelho lhes anuncia o Deus Verdadeiro.
“Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido ... Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.” Salmos 139:15,16
Muitos de nós nos esquecemos do numero e densidade desta faixa etária em nosso País e em outros a serem alcançados pelo Evangelho.
A cada hora nascem 321 bebês no Brasil. São 5,36 por minuto ou um a cada 11,2 segundos.
Segundo o último Censo IBGE com dados de 2010:
7,6% da população são crianças, com idade até 5 anos, número menor que os registrados pelo levantamento em 2000 (9,8%) e em 1991 (11,5%).
Grupos de idade
Nossa população também pode ser dividida em grupos de idade. Veja só:
São quase 73.000.000 de crianças.
Distribuição percentual da População por grandes grupos de idade Brasil – 2010. Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2010.
Grupos de Idade                                                                     
0 a 9 anos                                                        28.918.055
10 a 19 anos                                                     34.157.633
20 a 59 anos                                                 107.242.036
60 anos ou mais                                              20.590.597

 Faixa entre 0 a 9 anos

 Faixa entre 10 a 19 anos
Quadros de crianças por Faixa de Idade entre as crianças brasileiras mostra o Universo a ser alcançado com a Evangelização.
Considerando-se a faixa de 35% de evangélicos no Brasil [dentro de uma população nacional em cerca de 210.000.000 de pessoas], teremos ainda um grande universo infantil a ser buscado para ouvir e ter direito sobre a ação da salvação no ser humano.
Receber a Palavra de Cristo
5 - E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta a mim me recebe.
A criança é um emblema utilizado por Jesus Cristo e com certas características sublimes da infância, com ênfase da característica do discípulo perfeito:
“Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependamAtos 17:30
A Criança é capaz de receber a Cristo. Afirmação do texto:
“5 - E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta a mim me recebe.”
Criança não tem ambições mundanas;
Não tem ganância por dinheiro;
Ganância por poder;
Vêem-se como iguais, independente de cor, raça ou religião;
Mantém a inocência, independente de erros;
Não tem por isto condicionamento a se arrepender, mas em ouvir a Palavra de Deus a torna uma semente a ser cultivada sob a ação do Espírito Santo, tendo em vista que a questão da salvação da alma é pessoal:
“Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá.” Ezequiel 18:4
É mais uma Alma que toma contato com a questão da salvação, antes de ter contato com outras mensagens que a poderão desviar da Verdade.
Elas aprendem as condições de entrada no Reino dos Céus, a tempo de absorverem a Mensagem de Cristo, em seus corações. Lembrando sempre o seu direito como ser a ouvirem sobres este Reino salvífico.
4 - Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus.”
“É necessário que ele cresça e que eu diminua.” João 3:30
Nesta área da Evangelização, Jesus aponta como obrigação, e dever algumas posições, com conceitos claros sobre no comportamento pessoal, diante do próximo, com atitudes que moldam o caráter do cristão e dos que querem alcançar o Reino dos Céus, como:
Não impedi-las de entrar e ouvir do Reino;
Não sermos obstáculos, ao seu acesso, e compreensão do Reino, pois são incapazes de entender, o que não lhes for anunciado;
Nossas ações não podem fazê-las tropeçar e se perder;
Nossas ações podem ser uma barreira impeditiva a chegada deles a Jesus;
Sermos Humildes;
“... Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Senti as vossas misérias, e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.” Tiago 4:6-10
Diminuir-se: Devemos diminuir-nos para que possamos alcançar as crianças; a forma humana e do Reino Parasita do Mal [O Mundo quando citado no sentido do reino humano dominado pelo príncipe das trevas] de “agigantar-se” ou “aumentar-se” por entendimento próprio – O Axioma cristão é “Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.” Lucas 14:11
Qualquer ato feito, aos que consideramos como pequenos, entre nós, estamos fazendo à Cristo e somos passíveis de sermos condenados e castigados.
Não causar Escândalos: Não podemos causar escândalos a eles, pois seremos condenados, como era uso realizar castigo com a mó de azenha, uma pedra de cerca de 50 cm por 50 cm aplicada pelos sírios, grego e egípcios.
Mó de Azenha. Moinho de roda, movido a água; atafona.
(do latim mola) é cada uma do par de pedras duras, redondas e planas com as quais, nos moinhos, se trituram grãos de trigo, cevada, centeio e outros até se os reduzirem a farinha; ou, nos lagares, a azeitona, até ser, dela, extraído todo o óleo. Surgiu 15 mil anos antes de Cristo.
Mó é um conjunto de duas pedras.
Sabermos que seremos impedidos de entrar no reino de Deus se não agirmos desta maneira.
CONCLUSÃO
A Igreja tem a oportunidade em realizar todas as atividades para a inserção de crianças ao conhecimento de Deus e o seu Direito á Salvação.
Temos avançado nesta área, mas há muito a ser feito.
Não podemos ver as crianças como um futuro, quando a questão é Salvação e conhecer á Deus.
O momento é já, é agora, pois ao adquirirem o conhecimento da palavra da Vida, que é o próprio Cristo elas passam a pensar, viver e aspirar, em suas lamas, atingidas pelo Espírito Santo  que se sobrepõe a qualquer questão de idade, e questão de consciência ou inocência, pois há possibilidade salvífica a todo Ser Humano, independente da questão de Inocência ou consciência.
Estamos abençoando as crianças que querem se aproximar de Cristo?
Fonte:
Crianças podem ser más?  Mauro Meister, Tempora Mores
Sim, elas podem ser cruéis. Um tabu impede que se discuta a maldade infantil. Mas ela existe. E pode esconder transtornos graves. Época, Martha Mendonça, 04/2010
Bíblia online
Apontamentos do autor
Dica de Ouro para Pais com Filhos entre 1 e 3 Anos, Carlos Nadalim
Bíblia Dake

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

sexta-feira, agosto 26

A EVANGELIZAÇÃO DAS CRIANÇAS Lição 9 - Agosto de 2016

A Evangelização das Crianças
Lição 9 - Agosto de 2016
Estudo subsídio Pr. Osvarela
1ª PARTE
TEXTO ÁUREO
"Assim também não é vontade de vosso Pai, que estás nos céus, que um destes pequeninos se perca." Mateus 18.14
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Mateus 18.2-6; Marcos 10.13-16
Mateus 18.2 - E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles
3 - e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus.
4 - Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus.
5 - E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta a mim me recebe.
6 - Mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.
Marcos 10.13 - E traziam-lhe crianças para que lhes tocasse, mas os discípulos repreendiam aos que lhas traziam.
14 - Jesus, porém, vendo isso, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus.
15 - Em verdade vos digo que qualquer que não receber o Reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele.
16 - E, tomando-as nos seus braços e impondo-lhes as mãos, as abençoou.
Dica: largue seu celular de lado por um tempo e vá conversar com o seu filho. Carlos Nadalim
Pregue para suas crianças, não   esqueça que elas  também estão na Igreja, para serem ministradas” Osvarela
Etimologia
Para estudarmos sobre a criança e sua evangelização é necessário obtermos o entendimento do que é este pequeno ser e suas características e forma de condução, mesmo à época do início da igreja ou no seio da sociedade judia.
παιδαγωγος - paidagogos; n. m. tutor, i.e., um guardião e guia de meninos. Entre os gregos e os romanos, o nome era aplicado a escravos dignos de confiança que eram encarregados de supervisionar a vida e a moralidade dos meninos pertencentes à elite. Aos meninos não era nem mesmo permitido sair de casa sem a sua companhia até que alcançassem a idade viril.
Παιδαριον - paidarion; n. n. pequeno menino, mocinho
A Educação de Crianças sempre esteve no cerne de toda a sociedade com pensamento futurístico ou com visão para além de seus dias. A formação de crianças sob temas e forma religiosa de vida foi a preocupação bíblica determinada por Deus.
παιδιοθεν - paidiothen; adv. desde a infância, desde criança
παιδιον - paidion; n. n. criancinha, menino pequeno, menina pequena; infantes; de uma criança (menino) recentemente nascido; de uma criança mais avançada; de uma criança com mais idade; metáf. crianças (como crianças) no intelecto.
Como Educador, Pastor, e Pai sempre tive a consciência da importância de alcançar os pequeninos com a visão de que suas atitudes devem ser moldadas de tal forma que eles venham a alcançar degraus, na vida, que os impeçam de crescer intelectualmente, moralmente e principalmente possam ver o Evangelho como um instrumento e não uma religião que os faça receberem os benefícios de estar e andar com Deus e servirem a Sociedade por seus próprios méritos, sem a religiosidade opaca.
παιδεια - paideia; n. f. todo o treino e educação infantil (que diz respeito ao cultivo de mente e moralidade, e emprega para este propósito ora ordens e admoestações, ora repreensão e punição). Também inclui o treino e cuidado do corpo; tudo o que em adultos também cultiva a alma, esp. pela correção de erros e contenção das paixões.
Instrução que aponta para o crescimento em virtude
O termo também inclui: castigo, punição, (dos males com os quais Deus visita homens para sua correção)
παιδευτης - paideutes; n. m. instrutor, preceptor, mestre; punidor.
παιδευω - paideuo; v. treinar crianças; ser instruído ou ensinado; levar alguém a aprender; punir ou castigar com palavras, corrigir; daqueles que moldam o caráter de outros pela repreensão e admoestação.
Quando usado na ação de Deus, como Pai: purificar pela aflição de males e calamidade; de um pai que pune seu filho.
“ - criancinha, menino pequeno, menina pequena; infantes; de uma criança (menino) recentemente nascido; de uma criança mais avançada; de uma criança com mais idade” -
Como a etimologia nos permite vemos que a Evangelização das Crianças deve ser posta em prática por faixas etárias, e de forma que atinjam o coração, aqui como cérebro e alma, das crianças.
A Pediatria estabelece a faixa etária na qual podemos qualificar como criança, o mesmo, ocorre legalmente os de 0 Ano a 12 Anos incompletos, e “adolescente”, aquela entre doze anos e 18 anos de idade. Embora haja divergência em alguns Órgãos do Governo Federal, e algumas Entidades Médicas, por força de Portaria do Ministério da Saúde, quanto a diminuição para 10 anos de idade para pediatria.
O Ministério da Saúde adota o critério da Organização Mundial da Saúde - OMS/OPAS, segundo o qual a infância é o período entre zero até 10 anos completos de idade; e a adolescência compreende o período entre 10 e 19 anos de idade (Portaria nº 980/1989); o que é também aceito pela Associação Médica Brasileira, ou seja, pelas Sociedades de Especialidades, incluindo aí a Sociedade Brasileira de Pediatria.”
Existe dispositivo legal que define o limite superior da faixa etária pediátrica em 20 anos incompletos (19 anos, 11 meses e 29 dias). Contudo, sendo a Hebeatria uma área de atuação relativamente nova, ainda havendo falhas na formação específica de médicos nesse campo, diz o CREMEB
Leiamos o texto de Parecer de especialistas:
“1- A criança e o adolescente são seres em crescimento e desenvolvimento, como peculiaridades biopsicossociais próprias, determinantes da necessidade de uma compreensão científica especial, que requerem no seu atendimento uma metodologia própria, conhecedora dos que militam na especialidade sob análise.
2- Sobre o assunto, a legislação brasileira, de forma clara e precisa ao regulamentar a matéria no âmbito do território nacional, através da norma jurídica oriunda da Lei n.º 8.069/90 - Estatuto da Criança e do Adolescente, estabelece que:
Art. 2º - Considera-se criança para os efeitos desta lei a pessoa até 12 (doze) anos de idade incompletos, e adolescente aquela entre 12 (doze) e 18 (dezoito) anos de idade.” Adendo, pessoal: 12 anos, 11 meses e 29 dias.
“Pelo exposto, sendo o pediatra o profissional com formação e conhecimento do processo de crescimento e desenvolvimento deve ser o responsável pelo atendimento médico da criança e do adolescente, nos três níveis de atenção: primária, secundária e terciária.”CRMParaná - Especialidade Médica – Pediatria – Pronto Atendimento, Cons. Cons. Dr. Mauricio Marcondes Ribas, Parecerista, Aprovado em Sessão Plenária n.º 2679.ª de 22/02/2011 CAM III.
Tudo isto, acima para verificarmos a abrangência da noção de criança e adolescente.
E a importância da Igreja estar atenta a Evangelização destas pessoas nesta alongada faixa etária. Muito embora, devamos nos ater, neste estudo sobre a faixa considerada desde 0 a 12 anos, a ser atingida pelas nossas atitudes evangelizadoras como Igreja, haja vista que já se tem no seio da Igreja agrupamentos, notoriamente nas Escolas Bíblicas Dominical e nas nossas publicações, notadamente pela CPAD, que observo e expandiu o ensino pelas revistas EBD por faixas, além dos materiais visuais para crianças e adolescentes.
A instrução para as crianças é antes de tudo uma obrigação. Considerando que o evangelho permite ao evangelizado alcançar os direitos divinos da cidadania celeste e ter conhecimento da existência de Deus.
Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária. ECA
Com base nos preceitos de família e na convivência salutar a evangelização atende perfeitamente aos ditames legais, e muito mais aos ditames divinos, determinados e ensinados por Nosso Salvador Jesus Cristo:
Mateus 18.2 - E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles
4 - Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus.
5 - E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta a mim me recebe.
6 - Mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.”
“Marcos 10.13 - E traziam-lhe crianças para que lhes tocasse, mas os discípulos repreendiam aos que lhas traziam.
14 - Jesus, porém, vendo isso, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus.”
É um pedido feito, no qual encontramos, como poucas vezes, vimos Jesus indignado.
Quem não se preocupa com a evangelização de crianças, ainda continua a deixar Jesus indignado, coma falta de percepção desta chamada.
E não digo, apenas para o público externo, mas para o público interno. Quantos meninos e meninas deixaram nossas Igrejas por causa de algum tipo de restrição ou pouco caso com suas presenças nos cultos e nas nossas reuniões.
Louvo à Deus que tem crescido o número de Ministérios Infantis nas nossas Igrejas e o que é mais comovente e importante, por meio das Escolas Bíblicas Dominicais.
A atitude de Raikes, em Gloucester nos idos dos anos 1780 [revisado] permitiu uma verdadeira revolução nas crianças, que mudou a Inglaterra.
Usando a máxima da orientação bíblica Raikes entendeu o versículo, que todo aquele que recebe a instrução ou paideuo orientador sobre a vida e a relação com Deus deve utilizar:
Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” Provérbios 22:6
Mesmo assim, ainda temos vácuos de trabalhos com crianças, seja por falta de Metodologia dos que pensam que trabalhar com crianças é realizar trabalhos sem qualidade ou até mesmo com “idiotização” (num sentido menor) do que lhes é ministrado.
O professor e pastor Antonio Gilberto autor do livro Manual da Escola Dominical ensina, ao falar do ensino dos adultos:
“é um erro pensar que um adulto não pode mudar concernente a orientação religiosa dantes recebida. O adulto não é um eterno escravo da Educação religiosa recebida na infância e na adolescência, porem a sua real educação religiosa é das mais difíceis, porque não se trata de educação simplesmente, mas reeducação”. Pastor Antonio Gilberto. Silva, Antonio Gilberto Da
O autor não está referindo-se a questão do conhecimento salvifíco, mas, o ensino eficaz que conduz a criança e perdura mesmo quando ela se desviar do Caminho. 
-     Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. Pv 22:6
A visão do evangelismo as crianças, passa pela individualidade, pela qual ela deve ser vista como um ser completo: corpo, alma e espírito e que deve ser guiada em compreender o caminho completo do homem, até a morte, para obter o mesmo direito dado a Deus a todos os homens.
Todas as pessoas devem saber o que vem após a morte. A vida cristã é uma vida de ressurreição, uma vida que não pode ser contida pela morte, o tipo de vida que só é possível quando você foi à Cruz e voltou. 
A Bíblia é clara quanto ao valor das crianças. Jesus as amou, e somos ordenados a amá-las e a trazê-las aos cuidados do Senhor. Devemos imitar Deus e nos deleitar em nossos filhos”: disse a escritora e blogueira Rachel Jankovic, em artigo sobre a maternidade.
Com crianças não há como fingir, elas tem um aguçado senso de “ver” o interior dos seus ensinadores. Assim, a questão é: se você está representando o Evangelho ou não, é como você está representando diante das crianças evangelizadas ou a serem evangelizadas.
Primeira Lição:
Portanto, para evangelizar, crianças, a primeira lição é [para mães e professores infantis e nós pastores]:
Viva o evangelho nas coisas que ninguém vê. Sacrifique-se por seus filhos em situações que apenas eles saberão. Valorize-os acima de si mesma. Eduque-os no ambiente do evangelho. Seu testemunho do evangelho nos pequenos detalhes de sua vida tem mais valor do que você imagina. Se você ensiná-los sobre o evangelho, mas viver para si mesma, eles nunca acreditarão nele.” Rachel Jankovic
A Evangelização começa dentro de casa. Muitos não se dão conta disto e querem evangelizar fora do lar, esquecendo os filhos que lá ficaram.
Eu sempre uso uma frase que li e tem sentido. Sendo todo homem nascido em pecado, este vai se desenvolvendo na criança desde a simples negação de quebrar um “bibelot” da mãe ou esconder um copo quebrado, isto ainda na fase pueril. Mas, discordando da Doutrina da Depravação Total, esta manifestação é apenas um traço da inocência da criação adâmica perdida, no Éden, do que uma condenação das crianças, sem a noção exata de seus atos.
Embora, a Bíblia nos mostre exemplo de pequenos infantes que assumiram cargos, ainda que tutelados por aios, ou “paidagogos”, ou Aios.
A maldade infantil tem sido objeto de reportagens e estudos médicos. A Revista Época apresentou uma reportagem, aqui condensada, sobre a maldade infantil.
“Aos 7 anos, T. convenceu seus pais, profissionais liberais de Belo Horizonte, a demitir duas empregadas domésticas. O motivo alegado: elas batiam nele. As duas negaram as agressões, mas o menino chegou a apresentar uma marca roxa no braço. Um ano depois, nova queixa sobre outra empregada. Revoltado, o casal decidiu colocar câmeras escondidas. O que viram foi uma surpresa: T. era o agressor, com pontapés e atirando brinquedos. No fim de uma semana, perguntaram se a empregada havia batido nele novamente. Choroso, T. respondeu que havia sido surrado na cozinha – onde as imagens não mostravam nada. Diante das sucessivas mentiras, foi castigado.Poucas sessões depois, o diagnóstico foi duro: ele apresentava o chamado transtorno de conduta, nome formal para a velha “índole ruim”.
 “Não é fácil a sociedade aceitar a maldade infantil, mas ela existe”, diz Fábio Barbirato, chefe da Psiquiatria Infantil da Santa Casa, no Rio de Janeiro. Ele explica que a criança ou adolescente que tem essa patologia pode se transformar, na vida adulta, em alguém com a personalidade antissocial – o termo usado hoje em dia para o que era chamado de psicopatia. “Essas crianças não têm empatia, isto é, não se importam com os sentimentos dos outros e não apresentam sofrimento psíquico pelo que fazem. Manipulam, mentem e podem até matar sem culpa”, diz Barbirato. Por volta da década de 70 do século passado, teorias sociais e psicanalíticas tentaram vincular esse comportamento perverso à educação e à sociedade. Nos últimos anos, porém, os avanços da neurologia sugerem a existência de um fenômeno físico: imagens mostram que, nas pessoas com personalidade antissocial, o sistema límbico, parte do cérebro responsável pela empatia e pela solidariedade, está desconectado do resto... Bullying – Mentes perigosas nas escolas, com foco na maldade infantil. “É típico do jovem com transtorno de conduta saber mentir e manipular para que os outros levem a culpa”, afirma. Barbirato faz uma ressalva. “Pequenas maldades e mentiras são absolutamente comuns na infância. De cada 100, cerca de 97 têm comportamento normal e, ao amadurecer, saberão diferenciar o certo do errado e desenvolverão a empatia”, diz.”
Sem entrar no mérito médico, este é um exemplo da ação do pecado sobre todo ser humano e um dos motivos para Evangelização das Crianças, na sociedade. Elas fazem parte da sociedade, mas não sou um dos que entendem que elas serão a garantia de uma sociedade melhor, por todos os motivos bíblicos, não expressos neste Estudo. Porém, elas podem ser salvas para garantia de uma Vida espiritual melhor e uma Vida Eterna garantida a todos os homens, e delas é o Reino dos Céus.
14 - Jesus, porém, vendo isso, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus.
15 - Em verdade vos digo que qualquer que não receber o Reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele.
16 - E, tomando-as nos seus braços e impondo-lhes as mãos, as abençoou.”
A Verdade Crística expressa nas palavras de Jesus, garante a inocência, destas crianças e que D’ele devem ser aproximadas. Diferentemente do que alguns possam pensar que estas maldades narradas na Reportagem venham lhes negar o direito de serem Evangelizadas e conhecerem a moralidade cristã e forma de amor ao próximo.
No dito da própria Medicina;
Pequenas maldades e mentiras são absolutamente comuns na infância. De cada 100, cerca de 97 têm comportamento normal e, ao amadurecer, saberão diferenciar o certo do errado e desenvolverão a empatia.”
Mas, há valores que elas podem absorver ao serem evangelizadas, que influenciaram ao longo desta etapa de descoberta entre o Certo e o Errado.
            “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele”. Provérbios 22:6
A balança natural, colocada no coração, por Deus, as fará saber a diferença, mas o livre-arbítrio não lhes garante qual será o caminho após esta descoberta.
Lógico, que estamos certo que a sociedade natural é formada por uma maioria de Cidadãos de bem, dentro da moralidade da nação e das nossas famílias, mas estamos elevando o nível para o estágio da relação Homem/Deus, ou seja a escolha da relação vertical com a Divindade Única, O Deus Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, que garante filiação a todos que N’Ele crerem.
“Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus.“
Impedir crianças a chegarem a Cristo é pecaminoso e lhes tira direito divino de herdar os Céus, seu lugar natural, quando na infância pela qualidade do coração e mente.
Tal afirmação nos infere obrigações na Evangelização das Crianças. É um discurso duplo de Jesus, seja sobre a inocência, seja sobre os que nada fazem para aproximar as crianças á Ele.
Como Jesus Cristo é Deus, junto com o Pai e o Espírito Santo a benção dá àquela criança se espalhou a todas as crianças do Mundo.
Segunda Lição:
Evangelizar criança é Uma Obrigação
Precisamos abraçar as Crianças.
O que o Mundo está oferecendo às crianças?
O que vem ocorrendo no Mundo com nossas crianças?
Gosto de utilizar um versículo de Jeremias, mas atualíssimo:
“Ouvi, pois, vós, mulheres, a palavra do Senhor, e os vossos ouvidos recebam a palavra da sua boca; e ensinai o pranto a vossas filhas, e cada uma à sua vizinha a lamentação; Porque a morte subiu pelas nossas janelas, e entrou em nossos palácios, para exterminar as crianças das ruas e os jovens das praças.” Jeremias 9: 20,21
Não podemos nos permitir deixá-las fora desta ação. Ou estaremos concordando com a ação do Mundo sobre eles.
A própria ação dos “palácios”, de onde se rege a Educação infantil tem sido atingida pela “morte”, ao definir currículos que abrangem:
Ideologia de gênero
Libertária ação e falta de obediência
Sexualidade ensinada na infância, sob a égide do relativismo.
Basta ver como anda o ensino público, nas salas, do qual os professores são agredidos e impedidos de dar suas aulas, com risco de sofrerem violência. Mais uma vez, não é uma generalidade, mas há uma expansão destes fatos, a cada dia.
O ensino do Criacionismo, uma base bíblica é tido como não verdadeiro e mais um sem número de fatos e atos idênticos.
1ª PARTE

Fonte:
Crianças podem ser más?  Mauro Meister, Tempora Mores
Sim, elas podem ser cruéis. Um tabu impede que se discuta a maldade infantil. Mas ela existe. E pode esconder transtornos graves. Época, Martha Mendonça, 04/2010
Bíblia online
Apontamentos do autor

Dica de Ouro para Pais com Filhos entre 1 e 3 Anos, Carlos Nadalim

sábado, agosto 20

A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS Lição 8 - Agosto de 2016

A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
Lição 8 - Agosto de 2016
Estudo Pr. Osvarela
TEXTO ÁUREO
"Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus." João 3.5
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
João 3.1-16
1 - E havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
2 - Este foi ter de noite com Jesus e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és mestre vindo de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
3 - Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus.
4 - Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura, pode tornar a entrar no ventre de sua mãe e nascer?
5 - Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus.
6 - O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
7 - Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
8 - O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
9 - Nicodemos respondeu e disse-lhe: Como pode ser isso?
10 - Jesus respondeu e disse-lhe: Tu és mestre de Israel e não sabes isso?
11 - Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que vimos, e não aceitais o nosso testemunho.
12 - Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?
13 - Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do Homem, que está no céu.
14 - E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado,
15 - para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Introdução
Religião é derivada de “religare”.
δεισιδαιμονια - deisidaimonia; religião n. f. em um bom sentido, reverência a deus ou aos deuses, piedoso, religioso; em um mau sentido, superstição.
θρησκεια - threskeia; n. f. adoração religiosa; esp. externo, aquilo que consiste de cerimônias; disciplina religiosa, religião
Esta palavra é utilizada para determinar a atividade cúltica dos homens, a religião.
Religião vem do latim ¨religare¨, tem o significado de religação.
Religar ao homem pecador adâmico a Deus.
“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” 1 Timóteo 2:5
Essa religação se refere ao único elo de ligação que faz o homem voltar a se ligar à Deus pelo sacrifício de Jesus Cristo, O Homem.
O que nos leva a uma só conclusão: a real religião é Jesus Cristo, pois Ele é o único mediador entre Deus e os homens, não há outro.
A Bíblia assim diz, na pessoa de Jesus: “ninguém vai ao Pai senão por mim.” Todos pecaram e foram destituídos da Glória de Deus.
A religião como a etimologia aponta pode ser apenas cerimonial, sem qualquer tipo de serviço fiel á Deus.
João 3.1 - E havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
2 - Este foi ter de noite com Jesus e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és mestre vindo de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
3 - Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus.
Assim como os fariseus entendiam e observavam as cerimônias e desprezavam a adoração verdadeira.
Assim evangelizar é dar oportunidade à muitos “Nicodemos” que necessitam entender o que é o Evangelho e ficam presos em tradições e não querem aparecer em público, com medo do que possam falar deles sobre a sua condição de convertidos ao Evangelho de Jesus Cristo.
O que aconteceu ao longo dos tempos, que os homens na ânsia de achar um caminho para se religar a Deus criaram formas variadas de contemplação e adoração, adorando a ídolos e a própria Criação, tentando obter a sua justificação pelos seus próprios meios, através de religiões ou mesmo abandonando qualquer forma de crer na existência de um deus, no caso doa ateus.
αθεος - atheos; adj. sem Deus, não conhecendo e nem adorando a Deus; rejeitando aos deuses, esp. os deuses reconhecidos do estado; ateu, sem religião, ímpio; abandonado pelos deuses.
Ateus e a Religião – como serão alcançados, não crendo em um deus.
No Brasil, 15 milhões se declararam sem religião ou ateus.
Como disse, neste dia afirmei, que os ateus, apesar de se dizerem sem crença em um deus, a única forma de propagar sua crença, sim uma crença é falr de deus em todo o tempo, para reafirmar a inexistência e um deus.
O quadro mundial apresenta um sem fim numero de religiões.
Estes grupos, entre alguns que até mesmo usam os Evangelhos nas suas reuniões, como no caso dos espíritas, que têm uma versão chamada de “Evangelho Segundo o Espiritismo”, serão objeto de estudo de como serem alcançados pelo Evangelho de Jesus Cristo.
Estratégia?
Conhecimento?
O que salva e transforma até ao ateu, é a Palavra de Deus.
Mas o quadro foi totalmente mudado quando Ele se ofereceu em sacrifício em nosso lugar. O que a maior parte das pessoas toma por religião é, na verdade, denominação. Católicos, Assembleianos, Metodistas, Batistas, etc. são denominações. Jesus morreu por todos e para se ter uma religião é só se converter a Ele.
“Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho.” 1 João 2:22
Os cristãos são o maior grupo religioso do mundo.
Apesar de ser, sim, um grupo tão dominante no planeta os cristão se dividem em grupos, entre os quais estão alguns que se rendem ao misticismo anímico, e até mesmo a experiências místicas não cristãs, necessitam de ser alcançados pelo verdadeiro Evangelho, que não é de nenhuma Igreja, mas é o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.
No Brasil há uma legião de pessoas ligadas na religião espírita o Espiritismo, sendo que no Brasil, ele se estendeu e aumentou de número de filiados e seguidores, pois eles não tem um tipo como outras religiões, em que há um ser a ser adorado ou seguido, embora Alan Kardec tenha formatado o espiritismo não é objeto de maior uso de sua imagem como ídolo da religião.
“...em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorieEfésios 2:7-9
“Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito SantoTito 3:5
A dificuldade dos espíritas serem objeto de alcance do Evangelho, é como dissemos, acima, eles utilizam uma versão própria do Evangelho, como parte de suas formas de liturgia e não se utilizam de forma geral de todo conteúdo bíblico, além de utilizar-se de livros psicografados, como base de sua crença.
Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.” Hebreus 13:8
Que são livros, ao quais, eles entendem, como obtidos pela mediunidade de pessoas que os psicografam, em nome de algum morto, que lhes citam o que escrever e como escrever. Também têm Cristo como um ser iluminado, um espírito elevado, mas não O Salvador do Mundo e que veio ao Mundo como homem, em sendo Deus.
Não há reencarnação.
“E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hebreus 9:27,28
A crença dos espíritas é basal no espiritismo. Crêem na reencarnação dos mortos, e acreditam que os mortos reencarnam para serem purificados a cada reencarnação e podem se comunicar com os vivos, mandando mensagens a estes. Neste aspecto, eles apelam a uma passagem conhecida no Antigo Testamento. 1 Samuel 28:14
Sustentando toda esta crença, eles mantém sua base espiritual a ligação dos mortos. O que a Bíblia condena. Também realizam um grande trabalho filantrópico e assistencialista com alimentos e serviços de saúde, tendo como base a caridade salvífica, ou seja, a salvação pelas Obras.
“Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus1 João 4:2
Os espíritas podem ser nominais ou atuantes. Existe um grande número de adeptos de outras religiões [incluindo cristãos católicos], que freqüentam suas igrejas, mas não deixam de freqüentar as sessões espíritas. Até entre os judeus, aqui no Brasil há um grande número de judeus, alguns dos quais eu conheci pessoalmente.
4 - Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura, pode tornar a entrar no ventre de sua mãe e nascer?
5 - Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus.
6 - O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
A profissão de fé espírita não é muito comum, por isto, aqui entra este destaque, de minha inserção, pois podem ser encontrados no seio de várias religiões e sem que se digam espíritas.
Por isto, indicamos o seguinte dado mundial, como comparativo:
“Uma de cada seis pessoas (cerca de 16% da população mundial) não tem nenhum vínculo com as religiões, embora reconheça uma forma de crença espiritual.” Vatican Insider, 19-12-2012
Todo este panorama religioso os torna um dos grupos, mais difíceis de serem alcançados, muito embora, a quantidade de convertidos ao Evangelho Cristão seja muito grande, de oriundos desta religião, no seio das Igrejas evangélicas.
Somente a verdadeira Palavra de Deus tem poder de mudar e atingir estes corações.
Jesus Cristo, o Nazareno... a quem Deus ressuscitou dentre os mortos... E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” Atos 4:10-12
Quando estudamos o espectro das religiões no Brasil vemos um quadro cada dia mais ampliado de religiões, com a inserção de religiões, antes desconhecidas entre os brasileiros.
Haja vista, que o Cristianismo sempre esteve presente nas Terras Brasilis desde o seu descobrimento, pelos portugueses e na mesma época esteve presente, aqui o cristianismo reformado, amplamente atacado pelos portugueses e colocados na História do Brasil como revoltosos, invasores e outros diferentes títulos para justificar o combate ao Evangelho cristão das Igrejas, por aqui representadas, à época.
As dez maiores religiões, as que mais agregam adeptos no Mundo, seus Santuários mais importantes e algumas curiosidades:
Hoje temos budistas, Hindus, muçulmanos shintoístas. Embora as Grandes religiões sejam, segundo o levantamento, abaixo:
Mais de 8 habitantes de cada 10 (84%) do mundo fazem parte de grupos religiosos, isto é, 5,8 bilhões dos 6,9 bilhões de habitantes que havia em 2010. Do total, 2,2 bilhões são cristãos (32% da população mundial); 1,6 bilhão, muçulmanos (23%); um bilhão, hinduístas (15%); cerca de 500 milhões, budistas (7%); e 14 milhões, hebreus (0,2%).
Mais de 400 milhões de pessoas praticam outras religiões (aborígenes da Austrália, indígenas americanos, algumas minorias chinesas...). Menos de 1%, isto é, 58 milhões de pessoas, seguem religiões como o taoísmo.
Quase a totalidade dos hinduístas e dos budistas encontra-se na região Pacífico da Ásia, assim como três quartos das pessoas que não seguem nenhuma religião. Na mesma região vivem 62% dos muçulmanos, distribuídos entre a Indonésia, a Índia e o Paquistão.
Os cristãos, presentes em todo o mundo, apresentam a mesma porcentagem (24%) na Europa, na América Latina e na África subsaariana. Estados Unidos, Brasil, México contam com as maiores comunidades de cristãos no mundo.embora com distinção, quanto ao ramo cristão. Estados Unidos com maior amplitude no ramo Evangélico, advindo da Reforma e pentecostais, em grande número, e Brasil com o México, com amplitude de católicos romanos.
Difusão do Cristianismo
Em primeiro lugar no Mundo [dados de 2010]:
Cristianismo - com seus 2.106.962.000 de adeptos.
Estas tradições espirituais podem ser também combinadas em grupos maiores, ou separadas em sub-denominações menores.
Religiões Abraâmicas, de origem dos filhos de Abraão, seja Isaque ou Ismael.
O Cristianismo, Islão e Judaísmo (e as vezes a Fé Bahá'í) podem ser unidos como religiões abraâmicas.
Religiões Indianas
O Hinduísmo, Budismo, Sikhismo e Jainismo são classificados como religiões as indianas (ou dármicas).
Religiões da Ásia Oriental
A Religião da China, Confucionismo, Taoísmo e Shinto são classificados como Religiões da Ásia oriental.
Todos estes tipos são alvo de Evangelização, assim como no Dia de Pentecostes homens de todas as tribos , raças e línguas estivessem em Jerusalém.
A Assembleia de Deus e sua Importância para a Evangelização do Brasil.
Temos uma grande missão que nestas últimas décadas tem sido fundamental para quebra de barreiras e a evangelização destes grandes grupos de religiosos de outros grupos religiosos ou não religiosos.
Ao longo do seu centenário a Assembleia de Deus que sofreu, e ainda sofre preconceitos, mas tem realizado a evangelização discipular e apologética de maneira popular e de rua, alcançando muitos segmentos religiosos e da sociedade.
Seja entre, os que não professam, a Fé em Cristo, ou mesmo cristãos de outras Igrejas.
Aqueles, que não tem a Fé embasada, apenas na Morte vicária de Jesus Cristo, mas aceitam a crença em ídolos e em intermediários na ação do “religare”, e na intercessão de “santos” e acreditam em pontos como o Purgatório e a Tradição.
Estes grupos têm sido alcançados, no imenso mar de religiosos, que apenas são religiosos e na realidade não vão as suas igrejas, ou quando vão o fazem apenas em datas dispersas.
São pessoas de várias religiões que necessitam, em muitos casos, de libertação de vícios, como da bebida alcoólica, fumo, adultério, fornicação, de forma que impedem de ter uma relação com Deus e cria em suas mentes a convicção de que vivem em pecado e necessitam de um encontro com Deus.
14 - E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado,
15 - para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
O Brasil apresenta uma característica diferente do avanço do Evangelho, em relação as Igrejas tradicionais, não reformadas, as mudanças religiosas nos países sempre se deram em função de guerras ou calamidades, mas aqui ocorre de maneira natural. O que me parece ser um ponto favorável á Evangelização das Igrejas reformadas.
O impacto dessa mudança é grande para a Igreja Católica. A Rússia teve revolução e permaneceu ortodoxa. Os Estados Unidos, mesmo com a Guerra Civil, se mantiveram protestantes. Entre os países grandes, mudanças assim só ocorreram em consequência de guerras e revoluções. No Brasil, a revolução religiosa (inserção, minha) é silenciosa”.
Nas periferias, na ausência do estado e da Igreja Católica, os pentecostais atuaram como guias espirituais e como figuras centrais do assistencialismo. “As evangélicas pegaram fieis onde a Igreja Católica não tinha se preparado para arregimentar a nova população, e adaptaram a mensagem para diversos públicos” José Eustáquio Diniz, demógrafo da Escola Nacional de Estatísticas.
Em 1970 havia 91,8% de brasileiros católicos, em 2010 essa fatia passou para 64,6%.
Quem mais cresce são os evangélicos, que, nesses quarenta anos saltaram de 5,2% da população para 22,2%. O aumento desse segmento foi puxado pelos pentecostais [infira a ação das AD’s, basta comparar ao crescimento nominal destas], que se disseminaram pelo país na esteira das migrações internas.
A alegação de que os pobres são mais suscetíveis ao Evangelho é apenas uma meia-verdade tendo em vista, e também uma forma de desvalorizar a Evangelização dos que sofrem todos os males, inclusive os da falta de bens, e desconhecimento do que diz os Evangelhos:
Seja no Antigo Testamento, tanto quanto no Novo Testamento, pelos próprios lábios de Jesus Cristo:
“O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração” Lucas 4:18
“O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presosIsaías 61:1
A Assembléia de Deus é a maior denominação evangélica do Brasil, com 12,3 milhões, possui 10% do contingente de fiéis católicos brasileiros. [dados 2010]
Valores do Evangelho
Família e o crescimento da Assembleia de Deus
A preservação da família é um dos motivos que, segundo estudiosos, serve para explicar o crescimento da Assembleia de Deus no país.
De acordo com o censo de 2010, ela é o maior segmento evangélico, com 12 milhões de fiéis, e o segundo maior do Brasil, atrás da Igreja Católica.
Em comparação com a igreja Universal do Reino de Deus, por exemplo, que perdeu 228 mil fiéis nos últimos 10 anos e hoje tem 1,8 milhão de arrebanhados, a Assembleia de Deus prega valores morais mais rígidos.
1ª Parte
Fonte
IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)
Sohistoria
No corpo das citações

Strong – Dicionário

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical