sábado, agosto 4

A Doutrina do Culto Levítico Lição 6 – CPAD – 3º trimestre 2018 Atualização 05/08/2018


A Doutrina do Culto Levítico
Lição 6 – CPAD – 3º trimestre 2018
Estudo Pr. prof. Osvarela
Texto áureo
“Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.” Salmos 24:1
Leitura Bíblica:
Levítico 9:1-14
E aconteceu, ao dia oitavo, que Moisés chamou a Arão e seus filhos, e os anciãos de Israel,
E disse a Arão: Toma um bezerro, para expiação do pecado, e um carneiro para holocausto, sem defeito; e traze-os perante o Senhor.
Depois falarás aos filhos de Israel, dizendo: Tomai um bode para expiação do pecado, e um bezerro, e um cordeiro de um ano, sem defeito, para holocausto;
Também um boi e um carneiro por sacrifício pacífico, para sacrificar perante o Senhor, e oferta de alimentos, amassada com azeite; porquanto hoje o Senhor vos aparecerá.
Então trouxeram o que ordenara Moisés, diante da tenda da congregação, e chegou-se toda a congregação e se pôs perante o Senhor.
E disse Moisés: Esta é a coisa que o Senhor ordenou que fizésseis; e a glória do Senhor vos aparecerá.
E disse Moisés a Arão: Chega-te ao altar, e faze a tua expiação de pecado e o teu holocausto; e faze expiação por ti e pelo povo; depois faze a oferta do povo, e faze expiação por eles, como ordenou o Senhor.
Então Arão se chegou ao altar, e degolou o bezerro da expiação que era por si mesmo.
E os filhos de Arão trouxeram-lhe o sangue, e molhou o seu dedo no sangue, e o pôs sobre as pontas do altar; e o restante do sangue derramou à base do altar.
Mas a gordura, e os rins, e o redenho do fígado de expiação do pecado, queimou sobre o altar, como o Senhor ordenara a Moisés.
Porém a carne e o couro queimou com fogo fora do arraial.
Depois degolou o holocausto, e os filhos de Arão lhe entregaram o sangue, e espargiu-o sobre o altar em redor.
Também lhe entregaram o holocausto nos seus pedaços, com a cabeça; e queimou-o sobre o altar.
E lavou a fressura e as pernas, e as queimou sobre o holocausto no altar.
Etimologia
אמת - ’emeth - firmeza, fidelidade, verdade ;doutrina verdadeira adv.
διδασκαλια – didaskalia; ensino; aquilo que é ensinado, doutrina; ensinamentos, preceitos
διδασκαλος - didaskalos; n. m. professor;no NT, alguém que ensina a respeito das coisas de Deus, e dos deveres do homem; daqueles que, nas assembleias religiosas dos cristãos, encarregavam-se de ensinar, assistidos pelo Santo Espírito
διδασκω – didasko; ensinar; ensinar alguém; dar instrução; instilar doutrina em alguém
διδαχη – didache; ensino; aquilo que é ensinado; doutrina, ensino a respeito de algo
δικαιοσυνη - dikaiosune; n. f. num sentido amplo: estado daquele que é como deve ser, justiça, condição aceitável para Deus; doutrina que trata do modo pelo qual o homem pode alcançar um estado aprovado por Deus; integridade; virtude; pureza de vida; justiça; pensamento, sentimento e ação corretos
δογμα - dogma; n. n. doutrina, decreto
ετεροδιδασκαλεω - heterodidaskaleo; v.  ensinar outra ou diferente doutrina; desviando-se da verdade
תודה – towdah; confissão, louvor, ação de graças; dar louvor a Deus; ação de graças em cânticos de culto litúrgico, hino de louvor
ειδωλολατρης - eidololatres; n. m. adorador de deuses falsos, idólatra;) usado de qualquer pessoa, mesmo cristã, que participava de algum modo no culto dos pagãos, esp. alguém que estava presente nas suas festas sacrificiais e comia das sobras das vítimas oferecidas;
Discurso:
“Deus é Espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”
Jo 4.24
A Bíblia é nossa única regra infalível concernente à fé e prática.
Com base nesta regra de ouro devemos estudar o culto de Israel e, aplicar este pensamento no culto hodierno, o de nossos dias, não só o culto coletivo, mas o culto pessoal.
“E, vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus.” João 1:36
“Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” 1 Pedro 1:19
Tudo o que não é ordenado pela Escritura no culto a Deus é proibido.
Tudo o que a igreja realiza no culto deve ter base em um mandamento divino.
“Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus.” Romanos 14:6
“Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta” Apocalipse 1:10
Derivar-se de um exemplo histórico aprovado (e.g., a alteração do sétimo dia para o dia do Senhor para o culto comunitário).
Lembrando que Cristo é hoje o único sacrifício recomendado e válido para o culto protestante e é representado na Ceia do Senhor.
Com adoração
Com sentimento de perdão
Com sentimento de agradecimento
Com nossas ofertas
Com nossas orações e pensamento o único que devemos adorar: Deus, Em Cristo pelo espírito Santo!
O culto é um momento litúrgico especialmente devotado, em todo seu tempo e regrado por Deus, para uma liturgia de adoração e louvor e serviço ao Eterno.” Osvarela
Este pensamento primário que, tenho deve ser desenvolvido com base nas Veteroescrituras primariamente no Livro de levítico.
O culto do altar, clerical por excelência, tinha formas rígidas em seu ritual ordenado e organizado por Deus. Elas eram ações do sacerdote, reguladas pela Revelação do Altíssimo, durante o culto, não eram apenas regras humanas e formalidades cultuais, mas uma severa ordenação para presença do Eterno, no culto!
Destaque-se o caso (estudo deste autor):
Destacado no evento de Nadabe e Abiú, filhos de Arão que levam fogo estranho diante do Senhor e são consumidos pelo fogo, símbolo de purificação, até do ouro.”
O estabelecimento de regras sacrificiais, determinadas ao longo do livro ,não são outras, a não ser determinações que levavam a tipologia futura da redenção do homem, a regramento de pecados a serem confessados, não simplesmente atentando, ao oferecimento do sacrifício animal ou vegetal, ou ofertas, mas a uma conscientização que, no ato cúltico ,o homem extrai atentando, para que, a sua adoração deve se embasar na constatação que, há um Deus Eterno, que requer um adorador, uma adoração, de todo, santa, pura e agradável, que nos sacrifícios sobem na fumaça e nos cheiros do sacrifício.
No entanto, esta fumaça representa apenas a adoração no ato do culto realizado.
A liturgia, por vezes, tem sido incompreendida, gerando estéreis polêmicas, que culminam em divisões nas igrejas com algumas pessoas buscando novidades na forma de cultuar a Deus.Rev. Onezio Figueiredo
Culto: Serviço prestado a Deus pelo salvo e pela comunidade em todas as atividades vitais e existenciais. Servir é a condição essencial do servo. No primeiro caso, trata-se da atividade constante do real servidor de Deus, que o serve de dia e de noite com sua vida, testemunho, profissão e adoração. No segundo, tem-se em vista a liturgia comunitária, a adoração dos irmãos congregados, o ser e a voz da Igreja.
Todas as palavras gregas para culto significam trabalho, serviço prestado a um superior, serviço prestado a Deus. Culto, portanto, como ficou definido, é um serviço que se presta a Deus.
Conceitos errados e atuais de culto:
..., modernamente, entendem que culto é “invocação da divindade”, para que o Deus invocado se coloque a serviço dos invocadores. Outros pensam que culto é uma festa espiritual com o objetivo de alegrar os fiéis. Quanto mais festivo, mais “espiritual” é o culto, pensam os ludinistas. Os idólatras acham que culto é veneração e adoração do divino consubstanciado ou materializado em ícones, que lhes servem de símbolos e objetos de fé.”
A Igreja tem mantido em síntese a mesma direção e o fundamento basal no seu culto, com atenção ao sacrifício (agora pela vicária atuação Crística) louvor, adoração, reconhecimento dos pecados e atenção a redenção salvífica através do Cordeiro sacrificial divino – Jesus Cristo.
A essencialidade do culto de Israel preserva-se na Igreja:
Cultos pessoais
Cultos coletivos
Qual é o nosso culto e como nos devemos portar em cada situação!
Estamos prestando culto pessoal ou só vamos na liturgia coletiva, one nos escondemos no geral do culto coletivo?
A adoração;
A confissão;
O sacrifício de Cristo tipificado na Ceia;
O sacrifício do crente efetivado por sua dedicação a Deus (Rm 12.1,2);
A confissão de pecados, individual e comunitária;
O perdão recebido mediante o sacrifício do Cordeiro;
A gratidão em expressões gratulatórias e em oferendas;
O louvor.
Gratulatório; Adj.  Em que se manifesta gratidão.  Próprio para felicitar.
O culto de Israel era apresentado de formas:
Culto Festivo: das festas programadas por Deus e realizadas fora do templo. Sem o depósito de ontem não haveria a reserva de hoje. A Igreja existe por causa dos atos criadores, protetores e redentores de Deus na história da redenção. Assim, a Ceia, mistério e festa, tem o mesmo propósito das comemorações de Israel: Manter viva a lembrança do que Deus já fez; e esta lembrança é um alimento da fé.
Culto Solene: Culto efetivado no “hekal” ou lugar santo, onde costumeiramente os sacerdotes sacrificavam intercessoriamente pelos pecadores e mediavam-lhes as oferendas gratulatórias.
Culto Soleníssimo: Culto executado pelo sumo sacerdote, e somente por ele, uma vez por ano, no “debhir” ou Santos dos Santos.
Lista das ofertas sagradas
Os elementos de um culto e significados
E disse a Arão: Toma um bezerro, para expiação do pecado, e um carneiro para holocausto, sem defeito; e traze-os perante o Senhor.
Depois falarás aos filhos de Israel, dizendo: Tomai um bode para expiação do pecado, e um bezerro, e um cordeiro de um ano, sem defeito, para holocausto;
Também um boi e um carneiro por sacrifício pacífico, para sacrificar perante o Senhor, e oferta de alimentos, amassada com azeite; porquanto hoje o Senhor vos aparecerá.
Oferta queimada.
Três diferentes tipos de animais ou pássaros podiam ser oferecidos, dependendo da riqueza da pessoa que desejava trazer a oferta.
Ofertas de gado eram cortadas em pedaços e dispostos sobre o altar.
Seja um gado ou uma pequena rolinha
A flor de farinha é uma figura da vida pura
Nenhuma oferenda poderia conter qualquer fermento, geralmente uma figura do mal (pecado)
O sal, uma imagem da separação para Deus
A gordura
 “Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.” Salmos 24:1
E disse a Arão: Toma um bezerro, para expiação do pecado, e um carneiro para holocausto, sem defeito; e traze-os perante o Senhor.
Depois falarás aos filhos de Israel, dizendo: Tomai um bode para expiação do pecado, e um bezerro, e um cordeiro de um ano, sem defeito, para holocausto;
Significa que tudo é de Deus e deve ser oferecido como um entendimento que Ele é o provedor de todas as coisas,
É Ele quem nos dá e nós como ofertantes oferecemos à Ele o que é D’Ele
“Como se tira do boi do sacrifício pacífico; e o sacerdote os queimará sobre o altar do holocausto.” Levítico 4:10
“Enfim, o novilho todo levará fora do arraial a um lugar limpo, onde se lança a cinza, e o queimará com fogo sobre a lenha; onde se lança a cinza se queimará.” Levítico 4:12
O verbo "queimar" do versículo 12 é diferente do "queimar” do versículo 10, utilizado para as gorduras e os incensos, expressa a intensidade do julgamento que consumiu o nosso sacrifício perfeito (Hebreus 13:11)
Qual a relação do culto Israelita e o culto da Igreja?
Congregação E Igreja
קהל - qahal; n. m. assembleia, companhia, congregação, convocação
παρεμβολη parembole; o acampamento de Israel no deserto; da congregação sagrada ou assembleia de Israel, como tinha sido outrora reunida nos acampamentos no deserto.
עדה ‘ edah; n. f. congregação, assembleia
εκκλησια - ekklesia; n. f. reunião de cidadãos chamados para fora de seus lares para algum lugar público, assembleia; assembleia do povo reunida em lugar público com o fim de deliberar
num sentido cristão; assembleia de Cristãos reunidos para adorar em um encontro religioso; grupo de cristãos, ou daqueles que, na esperança da salvação eterna em Jesus Cristo, observam seus próprios ritos religiosos, mantêm seus próprios encontros espirituais, e administram seus próprios assuntos, de acordo com os regulamentos prescritos para o corpo por amor à ordem; aqueles que em qualquer lugar, numa cidade, vila, etc, constituem um grupo e estão unidos em um só corpo; totalidade dos cristãos dispersos por todo o mundo; assembleia dos cristãos fieis já falecidos e recebidos no céu [aqui mostra a diferença em relação ao Israel, como ekklésia, verbal, porque a Igreja – Ekkélsia é transcendente, universal e eterna, composta de vivos e mortos.]
δεκατη - dekate; adj. décima parte de algo, dízimo; dízimo dos frutos da terra e dos rebanhos, que pela lei de Moisés eram entregues aos Levitas na congregação de Israel
δεκατος - dekatos; adj. décimo
δεκατοω – dekatoo; v. cobrar ou receber a décima parte; pagar o dízimo
Uma das diferenças, determinada pela Obra da Salvação na Cruz é fundamental para nós podermos entender, o Culto levítico e, compara-lo na sua realização e na liturgia atual da Igreja, seja em santidade, adoração e atos é a morte vicária de Nosso senhor Jesus.
“..., porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra.” Apocalipse 5:9,10
“E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.” Apocalipse 1:6
“..., que penetra até ao interior do véu, Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. [...] Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço; ..., Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.” Hebreus 6:19,20; 9:9-12
Este comprou homens de tribos, línguas e nações para os fazer membros indistintamente de origem genética ou nacionalidade, e os transformar em sacerdotes, reis se príncipes.
O culto no Velho Testamento era estritamente sacerdotal. Os sacerdotes, e somente eles, tinham acesso à parte mais sagrada do templo, isto é, aquela inteiramente santificada, completamente separada do mundo e das coisas profanas. Os leigos ficavam no exterior, incluídos no profano, onde a sensorialidade se expandia e onde o espiritual se confundia com o material na liturgia das festas.”
A sensorialidade, ou êxtase, atual, é determinada pela presença do Espírito Santo, em cada membro do culto.

Antes havia a tomada individual, hoje o Espírito Santo se manifesta Inter comunitariamente, ou seja, na totalidade dos membros do culto, mas também individualmente em cada crente presente.
Ordem no Culto Levítico
E disse Moisés: Esta é a coisa que o Senhor ordenou que fizésseis; e a glória do Senhor vos aparecerá.
“E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?”
Êxodo 12:26
“Que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e as alianças, e a lei, e o culto, e as promessas; Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém.”
Romanos 9:4,5
Primeiro demonstra que o culto tem direção
Tem que ser preparado
Tem que ser ordenado, no sentido de orientação divina, seguida de orientação, com o líder (Moisés), com quem ordena o que se deve fazer
Ter obediência de que vai preparar e ministrar, os sacrifícios, adoração
Terá sucesso, com a aprovação de Deus, garantida ao líder da comunidade
Todo culto realizado com a orientação revelada por Deus terá a garantia do próprio Deus de que podemos contar com a Sua presença.
É uma das leituras que devemos realizar ao estudarmos este Tema.
Todas as situações, nas quais Deus se fez presente Ele já havia determinado, hora, local, direção, santificação, jejum e atenção, pois se faria presente.
“Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo;” Efésios 5:19,20
“Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.” 1 Coríntios 14:40
“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” Romanos 12:1
O Culto Levítico nos traz esta informação, que chegou aos nossos dias na forma de liturgia revelada nas Escrituras Neotestamentárias, assentes na Veterotestamentária, como no trecho em pauta.
1ªPARTE
BIBLIOLOGIA
Anotações do autor em: https://estudandopalavra.blogspot.com/
Dicionário Strong
Citações no corpo do texto
Lição CPAD – Adultos 3º trimestre/2018
Bíblia Dake
Bíblia on-line
Bíblia Plenitude

sábado, julho 28

Santidade ao Senhor Lição 5 – CPAD - JULHO 2018


Santidade ao Senhor
Lição 5 – CPAD
TEXTO ÁUREO
“E ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus.” (Lv 20.26)
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Levítico 20.1-10
1 – Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
2 – Também dirás aos filhos de Israel: Qualquer que, dos filhos de Israel ou dos estrangeiros que peregrinam em Israel, der da sua semente (descendência) a Moloque, certamente morrerá; o povo da terra o apedrejará com pedras.
3 – E eu porei a minha face contra esse homem e o extirparei do meio do seu povo, porquanto deu da sua semente (descendência) a Moloque, para contaminar o meu santuário e profanar o meu santo nome.
4 – E, se o povo da terra de alguma maneira esconder os olhos daquele homem que houver dado da sua semente (descendência) a Moloque e o não matar,
5 – então, eu porei a minha face contra aquele homem e contra a sua família e o extirparei do meio do seu povo, com todos os que se prostituem após ele, prostituindo-se após Moloque.
6 – Quando uma alma se virar para os adivinhadores e encantadores, para se prostituir após eles, eu porei a minha face contra aquela alma e a extirparei do meio do seu povo.
7 – Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o SENHOR, vosso Deus.
8 – E guardai os meus estatutos e cumpri-os. Eu sou o SENHOR que vos santifica.
9 – Quando um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, certamente morrerá: amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue é sobre ele.
10 – Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera.
Etimologia
מלך – Molek; grego - Μολοχ; n. pr. m. Moloque = “rei”;  o deus dos amonitas e fenícios a quem alguns israelitas sacrificaram seus filhos no vale de Hinom
ענמלך - Ànammelek; n. pr. divindade; Anameleque = “imagem do rei”; um deus falso assírio trazido a Israel durante a monarquia; cultuado com ritos semelhantes aos de Moloque; deus associado a “Adrameleque”
μαγος – magos; um mago; o nome dado pelos babilônicos (caldeus), Medos, Persas, e outros, a homens sábios, mestres, sacerdotes, médicos, astrólogos, videntes, intérpretes de sonhos, áugures, advinhadores, feitiçeiros etc.; os sábios orientais (astrólogos) que, tendo descoberto pelo surgimento de uma notável estrela que o Messias tinha nascido, vieram a Jerusalém para adorá-lo; um falso profeta e mágico.
Μαινιαν - Mainan ver Μεννα; origem hebraica מינא ; n. pr. m. Mená = “advinhador: encantado”
אשף - ’ashshaph; (provavelmente significando cecear, i.e. praticar; encantamento); n. m. necromante, conjurador; astrólogo, encantador, exorcista.
Como era o culto sacrificial à Moloque?
 “Porque os filhos de Judá fizeram o que era mau aos meus olhos, diz o Senhor; puseram as suas abominações na casa que se chama pelo meu nome, para contaminá-la.E edificaram os altos de Tofete, que está no Vale do Filho de Hinom, para queimarem no fogo a seus filhos e a suas filhas, o que nunca ordenei, nem me subiu ao coração. Portanto, eis que vêm dias, diz o Senhor, em que não se chamará mais Tofete, nem Vale do Filho de Hinom, mas o Vale da Matança, ...” Jeremias 7:30-32; E edificaram os altos de Baal, que estão no Vale do Filho de Hinom, para fazerem passar seus filhos e suas filhas pelo fogo a Moloque; o que nunca lhes ordenei, nem veio ao meu coração, que fizessem tal abominação, para fazerem pecar a Judá.” Jeremias 32:35
Historiando:
O vale de Ben-Hinom, perto de Jerusalém, se tornou um dos lugares principais onde crianças eram queimadas para Moloque. Mais tarde, o rei Josias destruiu o santuário de Moloque em Ben-Hinom, que passou a ser usado como lugar para queimar lixo (2 Reis 23:10).
No entanto, o sacrifício de crianças a Moloque não foi completamente eliminado e essa foi uma das razões por que os judeus foram castigados com o exílio.
Moloque era apenas um deus falso, criado por homens. Não existia de verdade. No entanto, toda idolatria abre as portas para a ação de demônios. O nome Moleque provavelmente está ligada à palavra hebraica para rei, “melek”.
Porém, a sua origem vem de um simples vocábulo fenício e significa simplesmente "sacrifício", mas sacrifício em que a vítima vinha consumida pelo fogo. Com o passar do tempo, sempre em ambiente pagão, esse termo passou a ser divinizado e, em Ugarit (atua Ras Shamra, na Síria), aparece como um nome de deus, numa lista com diversos deuses.
Moloque era um ídolo horrendo. Às vezes, davam-lhe a aparência de um ser híbrido (meio homem, meio boi), e estendiam-lhe desmesuradamente as mãos a fim de que nos grandes festivais e cultos, viesse a acolher pomposa e vorazmente as criancinhas de seus adoradores para serem queimados num ritual desumano e abominável. Às vezes, suas mãos encontravam-se bem rentes ao chão para facilitar o acolhimento de suas vítimas. Noutras, achavam-se elas de tal forma postadas que, tão logo recebiam as oferendas, em sua maioria crianças recém-nascidas, deixavam-nas cair numa fornalha onde eram carbonizadas.
Esculpido todo em Bronze, seus sacerdotes recheavam-no de produtos inflamáveis. Em seguida, utilizando-se de uma tecnologia que vinha sendo aperfeiçoada de geração a geração, aqueciam-no até que se fizesse infernalmente rubro.
Com o deus já todo esbraseado e sob o sádico olhar de seus sacerdotes, vinham-lhe os adoradores como que hipnotizados por todos os demônios para lhe oferecerem o que de mais precioso haviam recebido do Único e Verdadeiro Deus. E, agora, sob o rufar dos tambores, colocavam seus filhinhos nas mãos (rubras do calor do fogo), de Moloque.
Assim eram assassinadas milhares de crianças amonitas e posteriormente as dos filhos de Israel.
Moloque:
O deus dos amonitas: Moloque era o deus dos filhos de Amom. No Hebraico, o seu nome deriva da palavra rei. Era conhecido também como Moleque, Malcã e Milcon.
Os amonitas que, como se sabe, descendiam de Bem-Ami, filho de Ló (Gn 19.38), dedicavam a essa abominação todas as suas reservas morais, sociais e nacionais. Seus sacerdotes eram reputados como mais nobres do que os próprios príncipes.
“Lamenta, ó Hesbom, porque é destruída Ai; clamai, ó filhas de Rabá, cingi-vos de sacos, lamentai, e dai voltas pelos valados; porque Malcã irá em cativeiro, juntamente com seus sacerdotes e os seus príncipes.” Jeremias 49:3
O texto de Levítico 20 contém uma espécie de reafirmação, do súditos do Senhor Jeová, explicitadas em Levítico 18.
O deus da vergonha: Era Moloque um ídolo de tal forma detestável, que os israelitas piedosos chamavam-no de bosete: vergonha e opróbrio.
איש בשת  ’Iysh-Bosheth; n. pr. m. Isbosete = “homem de vergonha”; O deus do fogo: Assim também era conhecido, pois no fogo consumia Moloque as suas vítimas.
Infelizmente, nestes nossos dias, há muitos pais oferecendo seus filhos ao abominável Moloque, inconscientemente, talvez esteja você depositando seus filhos no altar do demônio, que queima as mentes de seus filhos.
Os que aceitam o Aborto.
O que aceitam a pedofilia.
Os que aceitam comportamento sem o caráter da obediência.
Crentes que deixam de levar seus filhos ao caminho do Senhor.
Pais que entregam a educação de seus filhos, as babás eletrônicas, a televisão já foi superada, agora entregasse um smartfone nas mãos dos filhos.
“Também profanou a Tofete, que está no vale dos filhos de Hinom, para que ninguém fizesse passar a seu filho, ou sua filha, pelo fogo a Moloque.” 2 Reis 23:10
A causa de comportamentos desse tipo, quando parece que crianças eram sacrificadas, que aparece em Levíticos e Deuteronômio proibições explicitas contra ações desse tipo:
“Não entregarás os teus filhos para consagrá-los a Molec, para não profanares o nome de teu Deus” Levíticos 18,21
“Todo filho de Israel, ou estrangeiro que habita em Israel, que der um de seus filhos a Molec, será morto” Levíticos 20,2
“Que em teu meio não se encontre alguém que queime seu filho ou sua filha” Deuteronômio 18,10
Deus é um Deus de exclusividade.
O Senhor não aceita vítimas humanas; sua ordem é clara e não admite dúvidas.
“E o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó: moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e hetéias[...] o seu coração não era perfeito para com o Senhor seu Deus, como o coração de Davi, seu pai, Porque Salomão seguiu a Astarote, deusa dos sidônios, e Milcom, a abominação dos amonitas. Assim fez Salomão o que parecia mal aos olhos do Senhor; e não perseverou em seguir ao Senhor, como Davi, seu pai.” 1 Reis 11: 1;4-6
Quando o povo fez a aliança sinaítica, isto, ficou explícito para todo o povo.
“Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel. E veio Moisés, e chamou os anciãos do povo, e expôs diante deles todas estas palavras, que o Senhor lhe tinha ordenado. Então todo o povo respondeu a uma voz, e disse: Tudo o que o Senhor tem falado, faremos. E relatou Moisés ao Senhor as palavras do povo.” Êxodo 19:5-8
Deus primeiro perguntou se eles queriam e eles disseram a Moisés que poderia falar com deus que eles aceitavam a aliança.
Uma vez aliançado, Deus pelo seu atributo personalístico, de Fiel, não sai do pacto, embora o povo tenha se desviado e impedido a presença de Deus entre eles.
Desta forma, é fácil entender porque haveria uma punição a quem quebrasse o pacto.
Este terrível culto a este ídolo é narrado até mesmo, na Escritura Neotestamentária:
“E naqueles dias fizeram o bezerro, e ofereceram sacrifícios ao ídolo, e se alegraram nas obras das suas mãos. Mas Deus se afastou, e os abandonou a que servissem ao exército do céu, como está escrito no livro dos profetas: Porventura me oferecestes vítimas e sacrifícios No deserto por quarenta anos, ó casa de Israel? Antes tomastes o tabernáculo de Moloque, E a estrela do vosso deus Renfã, figuras que vós fizestes para as adorar. Transportar-vos-ei, pois, para além da Babilônia.” Atos 7:41-43
Encantadores e feiticeiros.
6 – Quando uma alma se virar para os adivinhadores e encantadores, para se prostituir após eles, eu porei a minha face contra aquela alma e a extirparei do meio do seu povo.
O artificio satânico de usar e prender a atenção do homem, à respeito do sobrenatural é utilizada por satanás para, até mesmo, entre os servos de Deus serem enganados.
Quanto mais o crente se desvia de Deus, mais se aproxima do mal.
Acredita ele que outras “forças sobrenaturais” podem “ajuda-lo”, caso de Saul.
Leia o texto, abaixo:
“Então disse Saul aos seus criados: Buscai-me uma mulher que tenha o espírito de feiticeira, para que vá a ela, e consulte por ela. E os seus criados lhe disseram: Eis que em En-Dor há uma mulher que tem o espírito de adivinhar. E Saul se disfarçou, e vestiu outras roupas, e foi ele com dois homens, e de noite chegaram à mulher; e disse: Peço-te que me adivinhes pelo espírito de feiticeira, e me faças subir a quem eu te disser.” 1 Samuel 28:7,8
Santificação na família.
7 – Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o SENHOR, vosso Deus.
8 – E guardai os meus estatutos e cumpri-os. Eu sou o SENHOR que vos santifica.
9 – Quando um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, certamente morrerá: amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue é sobre ele.
10 – Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera.
A família é o local no qual o Senhor busca afirmar a santificação, na relação entre os membros da família.
Por isto, nos ditames que não são aceitos e devem ser repreendidos se houver na família algum desvio comportamental.
“Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.” Êxodo 20:12
Filhos são abençoados pelos pais e não podem amaldiçoar seus pais, ou destituí-los de
Seja nas relações de obediência ou moral.
O mandamento com promessa coloca até em cheque a longevidade dos filhos, que o cumprirem ou descumprirem.
Jesus disse que ninguém pode fazer isto com seus pais. Mesmo que sejam coisas consagradas, a Deus, estas não podem ser usadas como desculpas para desonrar aos pais.
“Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá. Mas vós dizeis: Qualquer que disser ao pai ou à mãe: É oferta ao Senhor o que poderias aproveitar de mim; esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe, E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus” Mateus 15:4-6
1ª Parte
Bibliologia
Fonte: Lições Bíblicas (Jovens e Adultos)
Editora: CPAD
Trimestre: 4º/2000
Comentarista: Claudionor Corrêa de Andrade
Consultor Doutrinário e Teológico: Antonio Gilberto
Tema Central: Não Terás Outros Deuses Diante De Mim – Quando a idolatria ameaça a Igreja de Cristo.
Dicionário Strong
Lições CPAD – EBD
Got questions

Seguidores

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical