sábado, outubro 19

Lição 3 – A Cura do Coxo e Seus Efeitos EBD JOVENS 4° Trimestre 2019


Lição 3 – A Cura do Coxo e Seus Efeitos
EBD JOVENS 4° Trimestre 2019
Subsídio Pastor Prof Osvarela
Texto Do Dia
 “E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.” Atos 3.6
Texto Bíblico
Atos 3.1-16
1   Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona.
2  E era trazido um varão que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam.
3  Ele, vendo a Pedro e a João, que iam entrando no templo, pediu que lhe dessem uma esmola.
4  E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós.
5  E olhou para eles, esperando receber alguma coisa.
6   E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.
7   E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e tornozelos se firmaram.
8    E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.
9   E todo o povo o viu andar e louvar a Deus;
10  e conheciam-no, pois era ele o que se assentava a pedir esmola à Porta Formosa do templo; e ficaram cheios de pasmo e assombro pelo que lhe acontecera.
11  E, apegando-se ele a Pedro e João, todo o povo correu atônito para junto deles no alpendre chamado de Salomão.
12  E, quando Pedro viu isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude ou santidade fizéssemos andar este homem?
13  O Deus de Abraão, e de Isaque, e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Filho Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, tendo ele determinado que fosse solto.
14  Mas vós negastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homem homicida.
15 E matastes o Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dos mortos, do que nós somos testemunhas.
Discurso
Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:8
O revestimento pelo Espírito Santo, predito por Jesus é demonstrado pela primeira vez, nesta passagem em que encontramos, as chamadas colunas: Pedro e João.
Poder, cura e salvação, é a manifestação do Espírito Santo, em ação na vida dos discípulos e apóstolos.
O significado desta passagem foi fundamental para o reconhecimento pelos discípulos de como o nome de Jesus sendo usado, pelos que receberam o batismo evidente do Espírito Santo.
Era a virtude em ação.
A atuação de Pedro e João, tem um simbolismo forte, pois eles como judeus continuavam a ir ao templo, para orar. Mas, já revestidos entendem que a virtude, estava sobre eles, de tal forma que os impulsionou a usar o Nome de Jesus, em um momento que vai ser ressaltado nas Escrituras, como o primeiro sinal de maravilhas, posterior a Descida do Espírito Santo.
Uma parceria de sucesso
1   Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona.
Podemos ver como funcionava esta união.
João e Pedro sempre tinham informações, dentre o grupo apostolar eram os que se comunicavam com frequência, demonstrada nas Escrituras.
“Ora, um de seus discípulos, aquele a quem Jesus amava, estava reclinado no seio de Jesus.
Então Simão Pedro fez sinal a este, para que perguntasse quem era aquele de quem ele falava. E, inclinando-se ele sobre o peito de Jesus, disse-lhe: Senhor, quem é?” João 13:23-25
 Assim, ao longo da NeoEscrituras os dois sempre  em ações do grupo apostólico, neste momento estão subindo juntos ao Templo.
Vistos juntos quando Lucas descreve sua ação profissional, a pesca, como sócios.
“E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.” Lucas 5:10
Foram incumbidos de tarefas conjuntas pelo Mestre:
“E mandou a Pedro e a João, dizendo: Ide, preparai-nos a páscoa, para que a comamos.” Lucas 22:8
Eram sócios no negócio de pesca - Lucas 5:10; prepararam a última Páscoa dos judeus para Jesus - Lucas 22:8;
Mesmo após a morte de Jesus e sua ressurreição, avisados pelas mulheres estiveram juntos na corrida em busca da evidência, da tumba vazia, correram para o sepulcro na manhã do primeiro domingo de Páscoa.:
“Correu, pois, e foi a Simão Pedro, e ao outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Levaram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram. Então Pedro saiu com o outro discípulo, e foram ao sepulcro.E os dois corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais apressadamente do que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro. E, abaixando-se, viu no chão os lençóis; todavia não entrou. Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro, e viu no chão os lençóis, ...” João 20:2-6
Após a ascensão de Jesus, Atos dos Apóstolos continua os mostrando atuantes em união, como colunas da Igreja, além do texto inicial, em tela.
Ministrando junto e Evangelizando samaritanos:
“Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo, ...” Atos 8:14,15
A ação conjunta de Pedro e João, demonstra que ação do revestimento de Poder, a plenitude do Espírito Santo, deu aos apóstolos um sentido de união, sem desqualificação de outros.
Assim, faziam tudo em comum.
A subida do Templo, se reunião no caminho vários enfermos e mendigos, mas Pedro nota especificamente este mendigo.
A Porta Formosa, ou a Porta dourada
2  E era trazido um varão que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam.
Esta porta ainda existente, no resto do Muro (onde haviam 9 portas), foi restaurada para espera do Messias, segundo a tradição judaica. Foi por ela que Pedro e João subiam ao Templo, certamente vindos do Monte das Oliveiras, defronte, onde estiveram noites seguidas juntos com Jesus e próximo ao local de sua angústia.
A porta era feita de bronze de Corinto e parecia de ouro; sem dúvida, um excelente lugar para um homem coxo pedir esmolas.”
Dar esmolas era uma característica do povo judeu, e os mendicantes, sabendo disto em dias de ofícios no Templo, se colocavam ou eram trazidos, para serem vistos e atendidos em suas necessidades, mas este homem, não esperava que este encontro o tiraria da mendicância e lhe daria algo muito superior a qualquer esmola, que jamais recebera.
A Ação do Espírito com Poder no Nome de Jesus:
Quem disse que que enviaria o Espírito Santo, rogando ao Pai?
Jesus, este morrera, mas ressuscitara e prometeu enviar.
Para que fossem revestidos com Poder, autoridade sobre enfermidades e curar aos enfermos.
“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.” João 14:16,17;16:7
A ação conjunta do Poder do Espírito e do Nome de Jesus realizam maravilhas e curas acontecem.
“Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar. Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, ...” João 16:23,24
“E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam.” Lucas 10:17
Pedro e João tinham experiencia em atender aos necessitados e enfermos, Jesus como Mestre os discipulara e lhes dera Poder do Espírito de maneira parcial aos lhes enviar para aldeias vizinhas, onde sob a ordem e autoridade deste Poder curaram os enfermos e se maravilharam, com o que fizeram:
“Chamou a si os doze, e começou a enviá-los a dois e dois, e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos; [...]: E, saindo eles, pregavam que se arrependessem. E expulsavam muitos demônios, e ungiam muitos enfermos com óleo, e os curavam.” Marcos 6: 7;12,13
“E, convocando os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, para curarem enfermidades. E enviou-os a pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos.” Lucas 9:1,2
Demonstração de que o crente necessita de saber e ter experiencia com o Poder do Espírito Santo. Experiencia própria e não de terceiros, por sito Pedro e João não hesitaram em envolver o Nome de Jesus e usar o Poder para atender a maior necessidade do coxo, da Porta Formosa, e o Espírito Santo os enviara por este caminho para atender e evidenciar aos judeus.
“E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus.” Marcos 16:17-19
Foi desta forma, que os judeus descobriram, que havia entre eles, um grupo de Jesus, que mesmo sem a Sua presença física tinham autoridade e Poder e usavam O Nome de Jesus e o Poder do Cenáculo, para maravilhas aos olhos de todos os homens.
5  E olhou para eles, esperando receber alguma coisa.
6   E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.
7   E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e tornozelos se firmaram.
8  E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.
9   E todo o povo o viu andar e louvar a Deus;
10  e conheciam-no, pois era ele o que se assentava a pedir esmola à Porta Formosa do templo; e ficaram cheios de pasmo e assombro pelo que lhe acontecera.
A Igreja, ou o Caminho, primeiro nome da Igreja, mantinham, após o recebimento do Batismo no Espírito Santo, uma vida de comunhão geral, tinham tudo em comum (At 2:44, 45), o dinheiro, os bens, as propriedades eram de todos, assim Pedro e João não tinham dinheiro em seus alforjes e certamente ia ao Templo, para um fim específico, no qual não havia necessidade de ofertas
5  E olhou para eles, esperando receber alguma coisa.
6   E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.
Ali eles exercitaram, e se lembraram de tudo que Jesus lhes ensinara e os autorizara fazer.
Efeitos do milagre:
O milagre manifestou-se com clareza porque o homem era conhecido de todos “Estava "fora do templo"; por mais perto da porta que fiquem, todos os pecadores encontram-se longe de Deus.” Ele ficava fora do Templo e não podia subir ao templo, após a cura ele entrou no templo saltando!”:
7   E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e tornozelos se firmaram.
8    E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus. A cura pelo Poder de Deus faz o curado saltar, andar e realizar tudo que não podia fazer.
9   E todo o povo o viu andar e louvar a Deus;
10  e conheciam-no, pois era ele o que se assentava a pedir esmola à Porta Formosa do templo; e ficaram cheios de pasmo e assombro pelo que lhe acontecera.
Quando há manifestação do Poder do Espírito Santo há comoção geral:
10  e conheciam-no, pois era ele o que se assentava a pedir esmola à Porta Formosa do templo; e ficaram cheios de pasmo e assombro pelo que lhe acontecera.
11  E, apegando-se ele a Pedro e João, todo o povo correu atônito para junto deles no alpendre chamado de Salomão.
12  E, quando Pedro viu isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude ou santidade fizéssemos andar este homem?
13  O Deus de Abraão, e de Isaque, e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Filho Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, tendo ele determinado que fosse solto.
14  Mas vós negastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homem homicida.
15 E matastes o Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dos mortos, do que nós somos testemunhas.
Primeiro naquele que recebe algo através deste poder.
8    E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.
Segundo envolve e causa admiração aos que veem, ou sabem do milagre realizado pelo Espírito Santo em Nome de Jesus.
11  E, apegando-se ele a Pedro e João, todo o povo correu atônito para junto deles no alpendre chamado de Salomão.
12  E, quando Pedro viu isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos maravilhais disto?
Deu oportunidade de Pedro e João pregarem para uma nova multidão. Agora, de quase cinco mil almas que se agregaram a Igreja, ao Caminho!
11  E, apegando-se ele a Pedro e João, todo o povo correu atônito para junto deles no alpendre chamado de Salomão.
12  E, quando Pedro viu isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude ou santidade fizéssemos andar este homem?
13  O Deus de Abraão, e de Isaque, e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Filho Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, tendo ele determinado que fosse solto.
14  Mas vós negastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homem homicida.
15 E matastes o Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dos mortos, do que nós somos testemunhas.
Se houver manifestação e milagres em nossas vidas, ficará claro que temos algo incomum, que o Mundo não pode receber, assim, o Nome de Jesus será Glorificado, para Glória de Deus Pai e muitos ouvirão a nossa pregação.
Edifica quem estava em dúvida,  pode também trazer incredulidade em corações cauterizados. E os que querem impedir a ação do Evangelho:
“E, estando eles falando ao povo, sobrevieram os sacerdotes, e o capitão do templo, e os saduceus, Doendo-se muito de que ensinassem o povo, e anunciassem em Jesus a ressurreição dentre os mortos. E lançaram mão deles, e os encerraram na prisão até ao dia seguinte, pois já era tarde. Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram, e chegou o número desses homens a quase cinco mil.” Atos 4:1-4
Não espere apenas elogios, mas fale, opere milagres em Nome de Jesus, sem esperar elogios, mas espere que haverá salvação de milhares!
Mas, o que recebe a benção estará o nosso lado saltando e dando Glórias e confessando publicamente o Nome.
O homem curado, o ex-coxo, logo se identificou-se publicamente com os apóstolos, tanto quando foram ao templo (At 3:11) quanto na ocasião em que foram presos (At 4:14). Ao ser capaz de andar, não deixou dúvidas sobre de que lado estava! Beacon, compilado, pag. 534
“Visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo, e do modo como foi curado, Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. [...]. Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus.” Atos 4:9-13
Você será reconhecido que anda com Jesus:
O Espírito Santo encheu Pedro de ousadia de modo que ele lembrasse os judeus da forma como haviam tratado Jesus. Eles o haviam negado e entregado para ser crucificado, mesmo chamados ou considerados de indoutos, conheciam a Palavra de Deus e suas promessas!
O Nome de Jesus:
Seu poder e autoridade, pela primeira vez Jesus é chamado de Senhor aos Judeus.
A fim de convencê-los de seus crimes, Pedro usou vários nomes e títulos diferentes para o Senhor: Filho de Deus, Jesus, o Santo, o justo, o Autor da vida.
A pregação, pós-milagre ressalta o Poder do Nome de Jesus:
Fonte:
Beacon
Dicionário Strong
Apontamentos do autor

A Chamada Profética de Samuel Lição 3 – CPAD – 4º Trimestre 2019 Completa após 1ª Parte

A Chamada Profética de Samuel
Lição 3 – CPAD – 4º Trimestre 2019
Estudo Pastor Prof Osvarela
Texto Áureo
"Então, veio o SENHOR, e ali esteve, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel. E disse Samuel: Fala, porque o teu servo ouve." 1 Samuel 3.10
Leitura bíblica
1 Samuel 3:1-10
1 - E o jovem Samuel servia ao SENHOR perante Eli. E a palavra do SENHOR era de muita valia naqueles dias; não havia visão manifesta.
2 - E sucedeu, naquele dia, que, estando Eli deitado no seu lugar (e os seus olhos se começavam já a escurecer, que não podia ver)
3 - e estando também Samuel já deitado, antes que a lâmpada de Deus se apagasse no templo do SENHOR, em que estava a arca de Deus,
4 - o SENHOR chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me aqui.
5 - E correu a Eli e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: Não te chamei eu, torna a deitar-te. E foi e se deitou.
6 - E o SENHOR tornou a chamar outra vez a Samuel. Samuel se levantou, e foi a Eli, e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: Não te chamei eu, filho meu, torna a deitar-te.
7 - Porém Samuel ainda não conhecia o SENHOR, e ainda não lhe tinha sido manifestada a palavra do SENHOR.
8 - O SENHOR, pois, tornou a chamar a Samuel, terceira vez, e ele se levantou, e foi a Eli, e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Então, entendeu Eli que o SENHOR chamava o jovem.
9 - Pelo que Eli disse a Samuel: Vai-te deitar, e há de ser que, se te chamar, dirás: Fala, SENHOR, porque o teu servo ouve. Então, Samuel foi e se deitou no seu lugar.
10 - Então, veio o SENHOR, e ali esteve, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel. E disse Samuel: Fala, porque o teu servo ouve.
Discurso:
1 - E o jovem Samuel servia ao SENHOR perante Eli. E a palavra do SENHOR era de muita valia naqueles dias; não havia visão manifesta.
Samuel nasce num período no qual Deus havia cessado em se manifestar ao povo através de visão. Os profetas agiam de forma individual, como veremos no corpo deste texto. A sua chamada profética se dá em um ambiente conturbado, seu chamado é especial, pois Deus, após avisar Eli da destituição de sua família do sacerdócio, da maneira mais trágica possível – com a morte de seus filhos – e além de tudo com a tomada da Arca, que causou o nascimento simbólico de Icabode e o desfalecimento de sua mãe. Tudo isto o relato bíblico de forma tipológica coloca Eli como um sacerdote alheio, assentado, sem visão, espiritual e física: “E era Eli da idade de noventa e oito anos; e estavam os seus olhos tão escurecidos, que já não podia ver.” 1 Samuel 4:15
“E chamou ao menino Icabode, dizendo: De Israel se foi a glória! Porque a arca de Deus foi tomada, e por causa de seu sogro e de seu marido. E disse: De Israel a glória é levada presa; pois é tomada a arca de Deus.” 1 Samuel 4:21,22
Sem a arca, sem sacerdote, assim Samuel vai iniciar seu Ministério profético.
Neste ambiente em que não havia uma voz profética em Israel, para agir, como veremos, a seguir, corrigir, proclamar a vontade de Deus e seus oráculos, e apontar erro e juízo divino.
Assim, Deus levanta Samuel, que esteve no ventre de Ana e Elcana, para ser nascido no momento de Deus, para ser o Seu instrumento de reedificação espiritual de Israel.
A primeira lição sobre o profetismo e a função atuação de um profeta.
O início da caminhada do profeta Samuel mostra que o profeta antes de profetizar necessita conhecer a voz de Deus:
Este era o panorama profético em Israel, quando nasce Samuel e quando ele inicia sua caminhada, ainda criança, junto a Eli o sacerdote, a família de Elcana visitava o santuário de Siló, local onde ficava a Arca, e para onde o povo ia, a oferecer ofertas pacificas, ou não e buscar a presença de Deus para suas necessidades, como ocorrera com apropria mãe de Samuel – Ana :
Deus fala com Samuel e o inicia na sua atividade profética, mas como reconhecer a voz de Deus?
Passo a passo de um novo profeta:
1 - Crescimento “E o jovem Samuel ia crescendo, e fazia-se agradável, assim para com o Senhor, como também para com os homens.” 1 Samuel 2:26
2 - Suscitado e escolhido por Deus “E eu suscitarei para mim um sacerdote fiel, que procederá segundo o meu coração e a minha alma, e eu lhe edificarei uma casa firme, e andará sempre diante do meu ungido.1 Samuel 2:35
3 – Conhecendo a voz de Deus, para poder entender e falar “ o SENHOR chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me aqui. E correu a Eli e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: Não te chamei eu, torna a deitar-te. E foi e se deitou. Porém Samuel ainda não conhecia o SENHOR, e ainda não lhe tinha sido manifestada a palavra do SENHOR.”
Reconhecendo a voz do SENHOR “E disse Samuel: Fala, porque o teu servo ouve." 1 Samuel 3.10
Mesmo abatido em seu ministério Eli conhecia a voz de Deus, mesmo seus filhos são chamados nas Escrituras sacerdotes de Deus.
2 - E sucedeu, naquele dia, que, estando Eli deitado no seu lugar (e os seus olhos se começavam já a escurecer, que não podia ver)
3 - e estando também Samuel já deitado, antes que a lâmpada de Deus se apagasse no templo do SENHOR, em que estava a arca de Deus,
4 - o SENHOR chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me aqui.
Como um sinal, do que iria acontecer, Deus usa um profeta anônimo, para anunciar a Eli o que Ele faria em Israel e como levantaria um profeta para julgar o povo.
Os escândalos e impropriedades sexuais do sacerdócio de Siló se depararam com uma dura palavra de denúncia por um anônimo homem de Deus (I Samuel 2.v.27,36).
O profeta anônimo entregou um fulminante julgamento sobre a casa de Eli, que culminou com o anúncio de que a linhagem de Eli chegaria a um final abrupto.
Do ponto de vista literário e narrativo, a inclusão desta seção é designada a preparar o leitor para a eventual queda da linhagem sacerdotal de Eli. Isto não só fornece uma justificativa teológica para a erradicação sacerdócio da casa de Eli, mas também prepara o caminho para o surgimento do principal sacerdote/profeta de Israel. Esta foi uma demonstração de que tipo de homem de Deus (O termo homem de Deus é essencialmente sinônimo de “profeta” (2 Rs 1.9); Ish Elohim – איש האלוהים –homem de Deus) era necessário para despertar e desenvolver, sim desenvolver de tribos federadas até uma Nação.
O Profetismo – Uma História de longo tempo: antes de/e entre 800 e 450 a.C.
O chamado Profetismo, na forma como o entendemos, tem como pai o grande profeta Samuel.
O livro de Samuel em sua primeira parte, já demonstra que não faltavam homens com dons proféticos, mas a carnalidade da casa de Eli
Terminologia
Quando falamos de ‘profetismo’ ou de ‘profetas’, estamos tratando da existência de pessoas que sentiam, se apresentavam e falavam perante a comunidade como portadoras de mensagens divinas. Tais pessoas recebem designações diferentes nas suas respectivas culturas e línguas.
Singularidade da palavra na questão etimológica:
naba (borbulhar, ferver),
nabaa (anunciar),
nabu (chamada, chamar) e uma origem semítica indeterminada que significa mensageiro, porta-voz. (ligada a origem das línguas da mesma raiz, não necessariamente estamos falando apenas e só do hebraico)
Na questão dos profetas a origem do nabi ou navi’ hebraico vem dos estudos das línguas semíticas onde encontramos etimologicamente a raiz da palavra usada no hebraico.
Em Mari, usava-se o termo muhhum e apilum;
Na Babilônia, o termo baru;
Em Israel cunhou-se o termo nabi’ como termo genérico para tais personagens ou figuras.
O termo nabi’, embora seja designação genérica dos profetas hebraicos, parece ser mais indicativo daqueles profetas inseridos em corporações ou escolas proféticas (como Elias e Eliseu) ou ligados ao espaço do templo e da corte (p. ex. NatãII Sm. 7.2,4. Disse o rei ao profeta Natã: Eis que eu moro em casa de cedro, e a arca de Deus mora dentro de cortinas. Porém sucedeu naquela mesma noite, que a palavra do Senhor veio a Natã, dizendo:).
Por isso costumam ser designados também como profetas ‘cúlticos’ ou ‘institucionais’.
Estes parecem ter constituído a matriz mais comum do fenômeno profético.
Nota: o termo vidente não deve ser estigmatizado como é entendido e usado nos dias de hoje, era uma forma usada na própria Bíblia para identificar o profeta.
A atividade na nossa língua é denominada pelo uso do termo ‘profeta’.
O Movimento profético é um fator diferenciado na vida do povo de Deus – Israel [Os Hebreus – povo semita].
A atuação dos profetas, dito, menores, é eficaz, como voz de alerta de Javé a seu povo.
A Profecia E Sua Anunciação:
-Pregação. Na. 3  O SENHOR é tardio em irar-se, mas grande em poder, e ao culpado não tem por inocente; o SENHOR tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés.
-Ensino. Hb. 2.2.  Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo.  Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará. Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá.
-Exortação. Ag. 1.4.  Porventura é para vós tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica deserta?5  Ora, pois, assim diz o SENHOR dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos.
-Anuncio do Juízo. Sf.1. 2-6  Hei de consumir por completo tudo de sobre a terra, diz o SENHOR. Consumirei os homens e os animais, consumirei as aves do céu, e os peixes do mar, e os tropeços juntamente com os ímpios; e exterminarei os homens de sobre a terra, diz o SENHOR. E estenderei a minha mão contra Judá, e contra todos os habitantes de Jerusalém, e exterminarei deste lugar o restante de Baal, e o nome dos sacerdotes dos ídolos, juntamente com os sacerdotes; E os que sobre os telhados adoram o exército do céu; e os que se inclinam jurando ao SENHOR, e juram por Milcom; E os que deixam de andar em seguimento do SENHOR, e os que não buscam ao SENHOR, nem perguntam por ele.
Iniciando ainda num período de produtividade e benção e incluindo, num período de exílio e derrota, tanto cultural, espiritual e material e econômica.
O profeta é chamado de Nabi, expressão que vem do Acádico [ou acadiano] ‘Nabu’:
-proclamar, gritar, mensageiro (por analogia).
Todas estas traduções estão no sentido ativo, mas no passivo pode ter o sentido de chamado de Deus.
No grego a palavra correlata foi ‘profetes’ que significa mensageiro dos deuses, aquele que prediz, que anuncia antes de acontecer.
A LXX traduz três termos vendo-os numa direção, para a atividade profética, em relação ao que tem o Dom!
-navi;
-ro’eh, - veja que há palavra que substitui esta: ראה ro’eh - n. m. 1) vidente, profeta; 2) visão (profética)
ראה - Ro’eh - Palavra que pode ser usada no lugar de ro’eh - n. pr. m. - Haroé = “visão”
-hozeh por prophetês,
O sentido é “falar por alguém”.
É o termo que o Novo Testamento utiliza quase cento e cinqüenta vezes.
Também são usados, comumente, mas menos vezes mais três termos hebraicos:
-sophi’im;
-atalaia (Jr 6.17; Ez 3.17; 33.2,6,7);
-shomer, significando atalaia, sentinela, guarda (Is 21.11,12; 62.2);
raah, significando pastor (Jr 23.4; Ez 34.2-10; Zc 11.5,16).
Não têm, no entanto, a repetição e a singularidade dos termos anteriores.
O termo deve ser entendido, ou pode ser entendido, conforme citado nas Escrituras.
Navi ou Nabi:
Aparece 300 vezes no AT, sendo que quase um terço das ocorrências está em Jeremias.
O sentido do termo é disputado, mas parece vir do verbo nivva, que teria vindo do acadiano navvu, que significa chamar, nomear.
O verbo nivva significaria, então, o ato de designar alguém como arauto.
Neste sentido, o primeiro significado bíblico para profeta, no Antigo Testamento, seria o de proclamar, o de anunciar, fazendo assim o papel de um arauto. Seu uso acontece um pouco mais que trezentas vezes, sendo que quase um terço das ocorrências está em Jeremias.
Também são usados, comumente, mas menos vezes mais três termos hebraicos: sophi’im, significando atalaia (Jr 6.17; Ez 3.17; 33.2,6,7); shomer, significando atalaia, sentinela, guarda (Is 21.11,12; 62.2) e raah, significando pastor (Jr 23.4; Ez 34.2-10; Zc 11.5,16). Não têm, no entanto, a repetição e a singularidade dos termos anteriores.
O verbo pro-phemi, significa: “falar diante de”, “falar em nome de”.
Enfim, a atividade do “prophete” ou do profeta ou do nabi está fundamentada na mediação da revelação dada aos mesmos pela divindade, e estes falam então “em nome” desta divindade, como comunicadores ou mediadores da vontade, juízo e promessas da divindade ao povo.
Os profetas tenham tido ambientes tão diversificados — audiência, estilo data, etc.
A Escola de Profetas – Multiplicadora da Visão dada a Israel – Revelação continuada.
A Primeira Escola De Profetas.
“... Falei aos profetas, e multipliquei a visão”;
Nm. 11:20-29. ...Então o SENHOR desceu na nuvem, e lhe falou; e, tirando do espírito, que estava sobre ele, o pôs sobre aqueles setenta anciãos; e aconteceu que, quando o espírito repousou sobre eles, profetizaram; mas depois nunca mais. Porém, Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Quem dera que todo o povo do SENHOR fosse profeta, e que o SENHOR pusesse o seu espírito sobre ele!
Podemos dizer que aí nasceu a Escola de Profetas em Israel, no deserto, o lugar ideal para ensinar a viver numa vida de total dependência de Deus!
Sua Importância.
I Rs 19: 10;18. E ele disse...SENHOR Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada... Também deixei ficar em Israel sete mil.
A- O vidente, aquele que vê coisas escondidas, como Samuel, por exemplo. Ele sabia onde estava a jumenta extraviada de Saul (1Sm 9.9).
μαντευομαι - manteuomai. Significando um profeta, de quem se espera que fale por inspiração;
1) agir como um vidente - Dn.6
1a) pronunciar um oráculo, profecia divina;
B- O profeta individual, clássico;
C- E o que estamos estudando nesta Lição.
Os profetas de corporações, produto das chamadas escolas de profetas. Os profetas oriundos ou agrupados e vivenciando o mundo profético divino celestial, em sua plenitude sob a direção de um Profeta, digamos de Nível Nacional, ou regional.
Geralmente tinham um chefe ao redor do qual se agrupavam.
Viviam em um נוית Naviyth - n pr loc. Naiote = “habitações”
A- O vidente, aquele que vê coisas escondidas, como Samuel, por exemplo. Ele sabia onde estava a jumenta extraviada de Saul (1Sm 9.9).
Os profetas de corporações, produto das chamadas escolas de profetas. Os profetas oriundos ou agrupados e vivenciando o mundo profético divino celestial, em sua plenitude sob a direção de um Profeta, digamos de Nível Nacional, ou regional.
Geralmente tinham um chefe ao redor do qual se agrupavam.
Viviam em um נוית Naviyth - n pr loc. Naiote = “habitações”
1)    um lugar de habitação dos profetas na época de Samuel;
Elias foi chefe de uma escola (2Rs2.3);
Eliseu, que tinha também discípulos, como Geazi, e uma escola (2Rs 4.1).
A profecia no Antigo Israel tem relações com a profecia em seu entorno social e cultural tanto na Palestina como no Crescente fértil [qv].
Vamos encontrar os Profetas divididos em Profetas Pós-Exílicos e Pré-Exílicos:
Esta profecia de Israel pode ser dividida em profecia:
-clássica ou pré-exílica, exílica e pós-exílica.
Podemos anda dividi-la em: profecia, escatologia e apocalíptica.
Esta profecia tem várias funções dentro da literatura: anúncio, denúncia, visão, etc.
Os profetas escritores começam a escrever suas visões, parábolas, denúncias no século VIII a.C. Eles pregaram por escrito.
A atividade Profética e o Seu Objetivo:
Os profetas eram reformadores sociais.
Denuncia
-corrupção,
-o abuso das forças dos reis,
-do roubo e dos juízes subornados,
-denunciaram as injustiças sociais e econômicas.
Por isso, não falaram, mas escreveram.
As acusações dos profetas não foram apenas para os reis, sacerdotes, juízes e oficiais do templo.
A principal denúncia:
Sendo o povo hebreu, um povo escolhido por Jeová, - O Senhor Deus de Israel – אדני יהוה אלוהי ישראל - o povo deveria andar segundo o conselho e ensino da sua Lei.
Entretanto, nas diversas quadras da História hebraica encontramos o povo vacilante e seguindo a outros deuses, mesmo que indo após seus diversos reis e capitães, em caminho de desvio espiritual.
Por isto, a denúncia é principalmente contra o povo.
O povo é idolatra, adora outros deuses, vai atrás de deuses dos povos vizinhos e provocam o zelo, ciúme de YHWH.
Para melhor entendermos esta questão da Escola de Profetas necessitamos entender o profetismo em Israel.
Perpassa certo ar de não entendimento, quando falamos Escola de Profeta, aliás, há igrejas que mantém este termo, em algum departamento ligado a formação de obreiros.
Profecia – Profetas e profetas
Para melhor entendermos esta questão da Escola de Profetas necessitamos entender o profetismo em Israel.
Perpassa certo ar de não entendimento, quando falamos Escola de Profeta, aliás, há igrejas que mantém este termo, em algum departamento ligado a formação de obreiros.
Samuel um profeta de verdade.
A profecia quando lida nas páginas bíblicas é normalmente um case de estudo especial.
Por força do profeta – Samuel
“E crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra.” 1 Samuel 3:19
Por força do que foi profetizado
“Disse mais Jeosafá ao rei de Israel: Peço-te, consulta hoje a palavra do Senhor.[...] Então o rei de Israel reuniu os profetas até quase quatrocentos homens, e disse-lhes: Irei à peleja contra Ramote de Gileade, ou deixarei de ir? E eles disseram: Sobe, porque o Senhor a entregará na mão do rei.” 1 Reis 22:5,6
Por força da palavra dita que não contenta quem a ouve
“Disse, porém, Jeosafá: Não há aqui ainda algum profeta do Senhor, ao qual possamos consultar?
Então disse o rei de Israel a Jeosafá: Ainda há um homem por quem podemos consultar ao Senhor; porém eu o odeio, porque nunca profetiza de mim o que é bom, mas só o mal; este é Micaías, filho de Inlá, ...” 1 Reis 22:7,8
Por força do lado para quem é entregue a profecia – Micaías e os 400 profetas de Acabe
“E todos os profetas profetizaram assim, dizendo: Sobe a Ramote de Gileade, e triunfarás, porque o Senhor a entregará na mão do rei.
E o mensageiro que foi chamar a Micaías falou-lhe, dizendo: Vês aqui que as palavras dos profetas a uma voz predizem coisas boas para o rei; seja, pois, a tua palavra como a palavra de um deles, e fala bem.
Porém Micaías disse: Vive o Senhor que o que o Senhor me disser isso falarei.” 1 Reis 22:12-14
Por força, literalmente força, de quem ouviu a profecia e não aceita –
“Então o rei de Israel disse a Jeosafá: Não te disse eu, que nunca profetizará de mim o que é bom, senão só o que é mal? Então ele disse: Ouve, pois, a palavra do Senhor: Vi ao Senhor assentado sobre o seu trono, e todo o exército do céu estava junto a ele, à sua mão direita e à sua esquerda. E disse o Senhor: Quem induzirá Acabe, para que suba, e caia em Ramote de Gileade? E um dizia desta maneira e outro de outra. [...] e disse: Eu o induzirei. E o Senhor lhe disse: Com quê? E disse ele: Eu sairei, e serei um espírito de mentira na boca de todos os seus profetas. [...] eis que o Senhor pôs o espírito de mentira na boca de todos estes teus profetas, e o Senhor falou o mal contra ti. Então Zedequias, ..., chegou, e feriu a Micaías no queixo, e disse: Por onde saiu de mim o Espírito do Senhor para falar a ti?[...] Então disse o rei de Israel: Tomai a Micaías, e tornai a levá-lo a Amom, [...] diz o rei: Colocai este homem na casa do cárcere, e sustentai-o com o pão de angústia, e com água de amargura, até que eu venha em paz.” 1 Reis 22:18-27
Por força da origem do profeta – Balaão
“Vem, amaldiçoa-me a Jacó; e vem, denuncia a Israel. Como amaldiçoarei o que Deus não amaldiçoa? E como denunciarei, quando o Senhor não denuncia? Porque do cume das penhas o vejo, e dos outeiros o contemplo; eis que este povo habitará só, e entre as nações não será contado. Quem contará o pó de Jacó e o número da quarta parte de Israel? Que a minha alma morra da morte dos justos, e seja o meu fim como o seu. Então disse Balaque a Balaão: Que me fizeste? Chamei-te para amaldiçoar os meus inimigos, mas eis que inteiramente os abençoaste. E ele respondeu, e disse: Porventura não terei cuidado de falar o que o Senhor pôs na minha boca?” Números 23:7-12
Por força da idade do profeta – profeta jovem e profeta velho
Por força da condição do profeta – Saul
Duas condições:
1-    “E aconteceu no outro dia, que o mau espírito da parte de Deus se apoderou de Saul, e profetizava no meio da casa; e Davi tocava a harpa com a sua mão, como nos outros dias; Saul, porém, tinha na mão uma lança.” 1 Samuel 18:10
2-    E aconteceu que, como todos os que antes o conheciam viram que ele profetizava com os profetas, então disse o povo, cada um ao seu companheiro: Que é o que sucedeu ao filho de Quis? Está também Saul entre os profetas?” 1 Samuel 10:11
Por causa da inveja do que ouve alguém profetizar –
“Então Zedequias, filho de Quenaaná, chegou, e feriu a Micaías no queixo, e disse: Por onde saiu de mim o Espírito do Senhor para falar a ti?” 1 Reis 22:24
“Porém no arraial ficaram dois homens; o nome de um era Eldade, e do outro Medade; e repousou sobre eles o espírito (porquanto estavam entre os inscritos, ainda que não saíram à tenda), e profetizavam no arraial. Então correu um moço e anunciou a Moisés e disse: Eldade e Medade profetizam no arraial.E Josué, filho de Num, servidor de Moisés, um dos seus jovens escolhidos, respondeu e disse: Moisés, meu senhor, proíbe-lho. Porém, Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Quem dera que todo o povo do Senhor fosse profeta, e que o Senhor pusesse o seu espírito sobre ele!” Números 11:26-29
Na realidade de Israel a profecia sempre despertou certos entendimentos e sensações diferentes, mas sempre foi a forma de Deus falar com Seu Povo.
Mas, o profeta legítimo é confirmado pelo Senhor – Samuel:
“E todo o Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado por profeta do Senhor. E continuou o Senhor a aparecer em Siló; porquanto o Senhor se manifestava a Samuel em Siló pela palavra do Senhor.” 1 Samuel 3:20,21
O Dom de profecia
“E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.” 1 Coríntios 14:32
Nos dias atuais a profecia é exarada pelo Dom concedido pelo Espírito Santo, a quem quer e com a finalidade ou finalidade necessária ao crescimento da Igreja.
“De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé;” Romanos 12:6
Dever e cuidado com as Profecias:
Obedecendo a regra como as profecias bíblicas, as tomando como o paradigma “Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.” 2 Pedro 1:20
É neste ponto que precisamos saber que, a profecia é emitida da boca humana, após ser informada a mente do que tem o Dom.
Desta forma, é que pode ser julgada.
E falem dois ou três profetas, e os outros julguem.” 1 Coríntios 14:29
O que profetiza é responsável direto do que fala, em nome de Deus, não pode aumentar nem diminuir o que Deus lhe falou!
E saber que as profecias acabarão!
“O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;” 1 Coríntios 13:8
O importante é seguir aos conselhos do Apóstolo Paulo:
“E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.” 1 Coríntios 13:2
Ouvir e atentar às profecias, é ainda uma receita para Igreja atual:

“Não desprezeis as profecias.” 1 Tessalonicenses 5:20
Fonte:
Apontamentos do autor no site estudandopalavra.blogspot.com.br
Beacon
Bíblia online
Dicionário Strong

Seguidores

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical