sábado, setembro 16

Lição 12 - O Mundo Vindouro CPAD - 3º Trimestre 2017 - 1ª Parte

Lição 12 - O Mundo Vindouro
CPAD - 3º Trimestre 2017
Estudo Pr. Prof. Osvarela
Texto Áureo
"E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe." (Ap. 21.1)
Leitura Bíblica Em Classe
Apocalipse 21.1-5
1 E VI um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.
2 E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.
3 E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.
4 E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.
5 E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.
Introdução
A questão do que ocorrerá no final do Mundo é crucial para todo ser humano. Seja crente, cristão, ateu ou cético.
Mas, para nós os cristãos que cremos no Arrebatamento e em um programa divino, pós-arrebatamento. Neste programa celestial há etapas que ocorrerão que precisam de entendimento e sabedoria revelacional divina, para esclarecimento espiritual. Sim! Há uma necessidade em entendermos estas etapas descritas nas Escrituras, sejam Veterotestamentárias, ou Neotestamentárias.
Eventos:
Arrebatamento
Tribunal de Cristo
Bodas do Cordeiro - Ceia com a Igreja – 7 anos
Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.
E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.
E disse-me: Escreve: Bemaventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.” Apocalipse 19:7-9
Período de Tribulação:
            “Joel 2.1 Tocai a trombeta em Sião, e clamai em alta voz no meu santo monte; tremam todos os moradores da terra, porque o Dia do Senhor vem, já está perto; 2 Dia de trevas e de escuridão; dia de nuvens e densas trevas, como a alva espalhada sobre os montes; povo grande e poderoso, qual nunca houve desde o tempo antigo, nem depois dele haverá pelos anos adiante, de geração em geração.”
1ª Fase – Governo Mundial de Paz. Aliança com Israel
2ª Fase – Manifestação da Besta, Anti-Cristo e ação do Mal. A Grande   Tribulação
A Manifestação do Anticristo.
3ª Fase – Israel Acuado e a Manifestação de Jesus para ser crido pelo Seu Povo.  “A cidade de Jerusalém será ainda tomada por pouco tempo, pois, no final da Grande Tribulação, o Senhor Jesus descerá para livrar o seu povo.”
Milênio
Volta de Jesus visualmente, por todos, com sua Igreja – governo milenial Cristocêntrico
Capítulo XXII. Sobre A Segunda Vinda De Cristo
CREMOS, professamos e ensinamos que a Segunda Vinda de Cristo é um evento a ser realizado em duas fases. A primeira é o arrebatamento da Igreja antes da Grande Tribulação.
O Tribunal de Cristo e as Bodas do Cordeiro. Após o arrebatamento da Igreja, receberemos as boas-vindas de Jesus. Nessa ocasião, será estabelecido o Tribunal de Cristo: “todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo” (Rm 14.10); “todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal” (2 Co 5.10). Esse evento será realizado no Céu e diz respeito à recompensa de nossas obras em favor da causa de Cristo na terra. Depois disso, os fiéis glorificados participarão das Bodas do Cordeiro: “Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro” (Ap 19.9).
Trata-se do grande banquete que celebra a união de Cristo com a sua Igreja, a “Esposa do Cordeiro”, onde será culminado o plano da redenção, num momento de gozo e de alegria. Todas essas coisas ocorrerão antes do retorno de Cristo a Terra, com a sua Igreja glorificada.
A Grande Tribulação. A Grande Tribulação durará sete anos; trata-se de um período de transição entre a dispensação da Igreja e o Milênio.
Porque está perto o dia, sim, está perto o Dia do Senhor; dia nublado; será o tempo dos gentios.” Ezequiel 30:3
Esse período é também conhecido como “Dia do Senhor” no Antigo e também no Novo Testamento e terá seu início somente depois que a Igreja for arrebatada da terra.
A definição “Dia do Senhor” precisa ser entendida no contexto bíblico, conforme o compêndio ou tomo, no qual está escrito.
Assim, no AT temos “O Dia do Senhor” com relação a Justiça e renovação de Israel.
Mas, em ambos Israel estar incluído como foco da ação de Deus. Pois, haverá um cumprimento de Salvação, ou resgate de Israel, na figura do Remanescente. Esta visão da redenção de Israel é visível desde os antigos profetas, com destaque ao Profeta Messiânico, Isaías.
Mas tu és nosso Pai, ainda que Abraão não nos conhece, e Israel não nos reconhece; tu, ó Senhor, és nosso Pai; nosso Redentor desde a antiguidade é o teu nome.” Isaías 63.16
            Isto nos remete, para além da Ira, apesar de ser tempo de julgamento, também vai ser um tempo de salvação.
Deus vai livrar o restante de Israel, cumprindo Sua promessa de que “todo o Israel será salvo” (Romanos 11:26), perdoando-lhes de seus pecados e restaurando o Seu povo escolhido à terra prometida a Abraão (Isaías 10:27; Jeremias 30:19-31,40; Miquéias 4; Zacarias 13).
Informação Estatística:
A exata frase "o dia de Cristo" aparece somente 3 vezes no Novo Testamento.
“Ai daqueles que desejam o Dia do Senhor! Para que quereis vós este Dia do Senhor? Será de trevas e não de luz. É como se um homem fugisse de diante do leão, e se encontrasse com ele o urso; ou como se entrando numa casa, a sua mão encostasse à parede, e fosse mordido por uma cobra. Não será, pois, o Dia do Senhor trevas e não luz, e escuridão, sem que haja resplendor? ” Amós 5:18-20
Sua primeira ocorrência em Amós 5:18, não se refere ao fim do mundo.
    Obs.: “...embora alguns coloquem Obadias 15 e Joel como anterior a Amós”
No Antigo Testamento, a expressão “dia do Senhor” ocorre 18 (dezoito vezes) na literatura profética, na maioria das vezes nos livros de Joel e Sofonias. Não é encontrada em Daniel. Uma expressão similar que chega mais próximo a ela é “naquele dia”, que ocorre 208 vezes no Antigo Testamento, cuja metade das ocorrências está nos profetas.
Em alguns momentos O Dia do Senhor é uma visão, para Israel de socorro, ou uma Intervenção divina favorável, a Seu Povo. Assim, Israel prevê que para eles a vinda de Deus iria realizar as perspectivas favoráveis, que seria um dia de luz.
Muito embora, a inicial voz profética de Amós seja de outra magnitude, é um Evento de correção com danos aos que viverem ou viveram este Dia: “Amós anuncia que, dado o grande mal de Israel, a vinda de Deus vai sinalizar para eles desilusão e calamidade, um dia de escuridão. ”
O Novo Testamento chama esse dia de um dia de “ira”, um dia de “batalha”, e o “grande Dia do Deus Todo-Poderoso” - Apocalipse 16:14;
No NT o Dia do Senhor pode ser encontrado de forma a remeter ao Rei deste Aeon – Cristo, como o "Dia de Cristo" é encontrado somente nas epístolas de Paulo.
Filipenses 1:10 (...sem escândalo algum até ao Dia de Cristo...), 2:16 (...Retendo a palavra da vida, para que no Dia de Cristo...)
II Tessalonicenses 2:2 (Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de Cristo estivesse já perto.)
I Coríntios 1:8
Filipenses 1:6
I Coríntios 5:5
II Coríntios 1:14
Inferente a descrição do Evento, por Paulo, seja em I Coríntios 15:49-58; E I Tessalonicenses 4:13-18.
Israel é parte do Dia do Senhor ainda, quando os Eventos são escatológicos e envolvem um Pós-Arrebatamento, com visão e introdução de uma Entidade mista, divino-humano, a Igreja, que é resultado do afastamento, ou réus de Israel de receber o que veio para eles, O Messias, na figura de Jesus, O Cristo de Deus!
Assim, O Dia do Senhor, se refere a um cumprimento ainda futuro quando a ira de Deus é derramada sobre uma incrédula Israel (Isaías 22: Jeremias 30:1-17; Joel 1-2; Amós 5; Sofonias 1). A noção de intervenção divina, de um Deus “que vem” é evidente. ”
A expectação envolve todos os homens que viveram antes, durante e após o Arrebatamento e não se convenceram do Plano disposta para a Regeneração da Humanidade [entendamos, que a Humanidade anda terá oportunidades salvíficas, pós arrebatamento, mas de forma diferenciada a época do Reino Crístico, atual (veja I Co 15. 24-28] e o mundo incrédulo (Ezequiel 38–39; Zacarias 14).
A velocidade cósmica da Vinda do Dia do Senhor:
As Escrituras indicam que o “Dia do Senhor” vai vir rapidamente, como um ladrão na noite (Sofonias 1:14-15; 2 Tessalonicenses 2:2) e, portanto, nós como Cristãos devemos estar vigilantes e prontos para a vinda de Cristo a qualquer momento.
A Paurosia:
Se o dia é a Parousia, ou o clímax da história, e de todas as coisas, como no “Dia de Deus”, quando a dissolução dos céus ocorre (2 Pedro 3:12), “O Dia” será caracterizado pela inquestionável e inequívoca presença do Deus Todo-Poderoso. Lógico, é, que neste Estudo este Dia do Senhor tem como manifestação de Deus, em Jesus Cristo, o atual, volto afirmar, Rei, como Filipenses 2.9,11 até o Juízo Final e a restauração, após a Morte ser vencida, sendo entregue o Governo ao Pai. 
Para Paulo é um Evento Cristológico, que nos remete ao tema deste estudo – “O Mundo Vindouro” – ou uma das fases, como Cremos da Vinda de Jesus Cristo.
- ...a aparição de Deus é mais distintamente a vinda de Cristo, especificamente o retorno de Cristo, a Sua segunda vinda. A menção de Paulo do Dia “do nosso Senhor Jesus Cristo1 Coríntios 1:8 é provavelmente o dia da “vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e nossa união junto a ele2 Tessalonicenses 2:1.
No NT, principalmente Paulo colocam a expressão “O Dia do Senhor”, como final escatológico da plenitude do Plano divino para com o Mundo encerrando uma Era de domínio do pecado e início de um Dia de ajuste de contas com todos os homens. Mas, em ambos Israel estar incluído como foco da ação de Deus.
Dia do Senhor” geralmente identifica eventos que acontecem no final da história (Isaías 7:18-25) e é frequentemente associado com a frase “aquele dia”.
No Velho Testamento onde o “Dia do Senhor” é usado para descrever julgamentos históricos que já foram cumpridos em pelo menos uma forma (Isaías 13:6-22; Ezequiel 30:2-19; Joel 1:15; 3:14; Amós 5:18-20; Sofonias 1:14-18), enquanto outras vezes se refere a julgamentos divinos que vão acontecer no fim dos tempos (Joel 2:30-32; Zacarias 14:1; Malaquias 4:1,5).
“O Dia do Senhor é usada dezenove vezes no Velho Testamento (Isaías 2:12; 13:6, 9; Ezequiel 13:5, 30:3; Joel 1:15, 2:1,11,31; 3:14; Amós 5:18,20; Obadias 15; Sofonias 1:7,14; Zacarias 14:1; Malaquias 4:5) e quatro vezes no Novo Testamento (Atos 2:20; 2 Tessalonicenses 2:2; 2 Pedro 3:10).
O Novo Testamento também alude a tal frase em outras passagens - Apocalipse 6:17; 16:14.
Textos usuais no AT:
“Uivai, pois está perto o Dia do Senhor” - Isaías 13:6;
“Porque está perto o dia, sim, está perto o Dia do Senhor” - Ezequiel 30:3;
“Ah! Que dia! Porque o Dia do Senhor está perto”
“Tocai a trombeta em Sião e dai voz de rebate no meu santo monte; perturbem-se todos os moradores da terra, porque o Dia do Senhor vem, já está próximo”
“Multidões, multidões no vale da Decisão! Porque o Dia do Senhor está perto, no vale da Decisão” Joel 1:15; Joel 2:1; Joel 3:14.
“Porque o Dia do Senhor está prestes a vir sobre todas as nações” - Obadias 15;
“Cala-te diante do SENHOR Deus, porque o Dia do Senhor está perto” - Sofonias 1:7;
“Está perto o grande Dia do Senhor; está perto e muito se apressa” - Sofonias 1:14.
Um ponto chave para entender essas frases é perceber que elas sempre identificam um período de tempo no qual Deus vai pessoalmente intervir na história, diretamente ou indiretamente, para cumprir um aspecto específico de Seu plano.
Tempo de Sentença. Positiva ou Negativa.
Sentença nem sempre é negativa. A própria Salvação pela Justificação nos imputou absolvição total perante Deus em Jesus.
Sentenças serão proferida.
Deus vai julgar os povos. O julgamento divino será executado.
Sua decisão de algumas nações, como Tiro, Sidon, Moab, Filístia, e Assíria, será castigo (Joel 3:4-13; cf. Sf 2:6-15). Ainda que não existentes atualmente, poderão ser executadas, ou confirmadas pela própria História Mundial de nações que desapareceram.
Dia do Senhor já pode ter sido executado, só para nosso entendimento etimológico, como: a queda de Jerusalém em 587 a.C, foi descrita como um “dia do Senhor” (Lam 2:21).
Nesse dia, será tomada uma decisão proferida contra todo orgulhoso (Isaías 2:12-18).
Calendário e Fatos.
Primeiro:
É futurístico
Mas, se iniciou nas eras mais antigas da Humanidade.
O Mundo vindouro sem dúvida, está projetado pelo Nosso Deus, com uma Agenda encoberta, ou secreta.
É uma Agenda de atomicidade e obrigação de atenção a fatores mundiais, universais e cósmicos que apontam para O Dia do início do Mundo Vindouro, sem que haja um aviso, possível de preparação para todos os homens e o próprio mundo angelical, bons ou maus.
Alguns termos e posições geográficas serão literais e marcadas, quando estudamos o final do Milênio e o anterior final do Período da Grande Tribulação. Além de Eventos, pré e pós mileniais que, envolverão agentes ainda não manifestos, e outros que serão presos, como satanás e outros que serão líberos para agirem.
Deus age com a expedição, como Ele julga as nações no vale de Josafá - Joel 3:2,12-13. A decisão para os outros terá uma dimensão de salvação, pela promessa de Deus de bênção que será ativada e percebida - Joel 3:18-21.
Num salto e deixando um hiato de outros fatos.
Tempo de Coisas Novas
CAPÍTULO XXIII. Sobre O Mundo Vindouro
CREMOS, professamos e ensinamos que existe um mundo vindouro para os salvos e para os condenados e que, depois do Milênio, virá o Juízo Final, conhecido como o Grande Trono Branco: “E vi um grande trono branco” (Ap 20.11).
Após esse julgamento, virão o novo céu e a nova terra e a Nova Jerusalém.
1 E VI um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.
5 E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.
O período que, estudaremos é a fase posterior a Eventos que, formam uma cadeia de Eventos sucessivos nas Eras posteriores ao Arrebatamento.
Trata-se de um tempo esperado pela própria Criação: “Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.” Romanos 8:20-23
Embora, seja um tempo escatológico, as Veteroescrituras já profetizaram sobre este tempo de novidade e de transformação.
Haverá uma transformação, a partir da extinção do pecado e da maldade.
Haverá uma renovação de instintos até dos animais livres da peçonha, ferocidade.
Haverá uma renovação do conjunto da Criação atingindo as fontes de águas, alimentos, e de todo o relacionamento.
“Porque, como os novos céus, e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante da minha face, diz o Senhor, assim também há de estar a vossa posteridade e o vosso nome. E será que desde uma lua nova até à outra, e desde um sábado até ao outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor.”
Isaías 66:22,23
1ª Parte
Bibliologia:
Got Question - O que é o dia do Senhor?
Baker's Evangelical Dictionary of Biblical Theology. Editado por Walter A. Elwell.
Bíblia on line

Apontamentos do autor
Dicionário Strong

sábado, setembro 9

A Segunda Vinda de Cristo Lição 11 – CPAD – Lição 11 - 3º Trimestre 2017- Atualização 1ª Parte

A Segunda Vinda de Cristo
Lição 11 – CPAD – Lição 11 - 3º Trimestre 2017
Estudo:Pr Prof. Osvarela
De minha lavra, pelo Espírito Santo:
                        “O Apóstolo Paulo conforta os de Tessalônica sobre o futuro, após a morte, uma preocupação que deve ser continuada, em servir de conforto [‘confortai-vos com estas palavras’] era o que ele dizia e precisamos não deixar de falar.
“Arrebatamento é a condição para ser livre da morte física.” Osvarela
Texto Áureo
"Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem." Mt 24.27
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
l Tessalonicenses 4.13-18; Lucas 21.25-27
l Tessalonicenses 4. 13 Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.
14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele.
15 Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.
16 Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.
17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.
18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.
Lucas 21.25 E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas.
26 Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas.
27 E então verão vir o Filho do homem numa nuvem, com poder e grande glória.
Introdução
A Vinda de Jesus é sem dúvidas o ponto alto do Cristianismo, pós Vitória da Cruz, Ressurreição.
Sobre isto já escrevemos há anos atrás:
“As Assembleias de Deus são doutrinariamente e dentro do seu catecismo – Credo
– Pré-Tribulacionista;
– Pré-Milenista
Ou seja, tendo nesta área o seu mitte de entendimento dos acontecimentos das últimas coisas o Arrebatamento, antes da Grande Tribulação e do Milênio.
Melhor explicando:
1-Todos os crentes serão arrebatados antes da Grande Tribulação;
2- A Tribulação e o Milenio são períodos de 7 anos [a igreja estará, nas  bodas com  Cristo –  2 Tss.2.8;1Co.15.52.ss] e de 1.000 anos, O Milênio.
O Milênio será um período de Paz, com a retenção do Mal, na figura de Satanás preso. Porém não significa o Fim do Mundo.
Eu sempre assusto alguns, ao afirmar, hoje: “O fim do mundo não acontecerá nem daqui a Mil anos!
Palavra que já utilizamos em outros estudos e da qual apontamos o étimo.
Nós somos pré-tribulacionistas dogmáticos, segundo O Credo Assembleiano (já neste ano de 2017 revisado e aprovado no transcurso da 43ª Convenção da CGADB) e demais resoluções Convencionais.
A nossa crença é de que o Arrebatamento, não só como Fé declaratória, mas sobre tudo sobre fundamento da Palavra de Deus:
16 - Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de DEUS; e os que morreram em CRISTO ressuscitarão primeiro;
17 - depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.
Mas, a questão do arrebatamento é crucial para o entendimento da vida futura e o fechamento da era da Igreja na Terra.
Há os que não aceitam a questão do arrebatamento, tendo como único viés de encontro com Cristo, uma única fase da Volta.
 A volta de Jesus foi anunciada pelos anjos, logo após a Ascenção de Jesus Cristo aos céus, como relata Lucas, O evangelista.
E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.” Atos 1:9-11
Isto dito, temos que entender o que se seguiu, após o início da caminhada da Igreja (O Caminho) ao longo dos anos, com a expectativa do cumprimento do retorno de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Uma das doutrinas desta Vinda é o assunto principal deste estudo.
Segundo o entendimento pós Reforma e protestante há variadas versões do momento e da forma da Vinda.
Nossa crença sobre este Evento fundamental se compõe da seguinte visão bíblica:
Na segunda vinda de Cristo, em duas fases distintas.
A Primeira — antes da Grande Tribulação.
Para o Arrebatamento da Igreja. 1 Ts 4.16,17
Invisível ao mundo
Atômica - Em fração de segundos. "Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem." Mt 24.27
Ao som da trombeta – “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.” 1 Coríntios 15:52,53
Evento de transformação dos salvos de todas as épocas e Eras: “os santos do Antigo Testamento serão ressuscitados primeiro, seguindo-se a transformação dos salvos vivos e o simultâneo encontro de ambos os grupos com o Senhor nos ares.”
A Segunda – depois da Grande Tribulação.
Precedida por sinais violentos e atormentadores, aos que ficaram, aqui após a primeira fase (Arrebatamento): “E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas.” Lucas 21.25,26
É a sua vinda em glória
Visível aos olhos humanos
Corporal
Acompanhado com a sua Igreja glorificada. Com os santos (vivos  e mortos ressurretos em um novo corpo incorruptível) arrebatados da terra 1 Ts 3.13
Como Rei do Milênio que se seguirá a esta segunda fase.
Texto apoio:
Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele...2 Tessalonicenses 2.1
Cremos - 13. Na segunda vinda de Cristo, em duas fases distintas: a primeira — invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja antes da Grande Tribulação; a segunda — visível e corporal, com a sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1 Ts 4.16, 17; 1 Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 1.14);
Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou” (Ap 19.7).
Nosso Credo Diz:
CAPÍTULO XXII. SOBRE A SEGUNDA VINDA DE CRISTO
CREMOS, professamos e ensinamos que a Segunda Vinda de Cristo é um evento a ser realizado em duas fases. A primeira é o arrebatamento da Igreja antes da Grande Tribulação, momento este em que “nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados” (1 Ts 4.17); a segunda fase é a sua vinda em glória depois da Grande Tribulação e visível aos olhos humanos: “Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim! Amém!” (Ap 1.7). Nessa vinda gloriosa, Jesus retornará com os santos arrebatados da terra: “na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, com todos os seus santos” (1 Ts 3.13).
1. O Arrebatamento da Igreja. É o termo que nós usamos para designar o rapto dos santos da face da terra para o encontro com o Senhor nos ares: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor” (1 Ts 4.16,17). Nesse evento, os mortos em Cristo e os santos do Antigo Testamento serão ressuscitados primeiro, seguindo-se a transformação dos salvos vivos e o simultâneo encontro de ambos os grupos com o Senhor nos ares. Esse advento será invisível aos olhos do mundo, porém seus efeitos serão perceptíveis. Isso ocorrerá em fração de segundos, e nosso corpo será transformado num corpo glorioso, que estará revestido de incorruptibilidade e imortalidade por ocasião do rapto da Igreja.
Será um evento repentino e secreto, precedido pelos sinais gerais da apostasia, guerras, fomes, catástrofes naturais, perseguições, de maneira que esse evento não pode ser visualizado antecipadamente nem datado por esses ou por nenhum outro sinal. A condição para fazer parte desse glorioso evento é estar em Cristo.
Essa é a primeira fase da Segunda Vinda de Cristo que precederá a Grande Tribulação, período em que a ira de Deus será derramada sobre os moradores da terra.
Primeira Fase
Desta fase só participam os salvos, sejam os mortos, sejam os vivos no átimo desta primeira fase da Vinda de Jesus.
Haverá um ajuntamento dos mortos e vivos, em corpo glorificado para um Encontro com jesus, nos ares.
Pontos importantes da Segunda Vinda de Jesus
1 – Em duas fases
2 – Secreto
3 - Repentino
4 – Invisível
5 – Perceptível
6 – Precedida de sinais: “apostasia, guerras, fomes, catástrofes naturais, perseguições”. “...como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição...” 2 Tessalonicenses 2:2,3
7 – Atômica
8 – Haverá transformação do corpo dos membros da Igreja de Cristo; “corpo será transformado num corpo glorioso, que estará revestido de incorruptibilidade e imortalidade”
9 – Haverá ressurreição dos mortos
10 – Haverá um encontro dos mortos com os transformados nas Regiões celestiais
11 – Haverá um encontro com Jesus Cristo nesta Região Celestial, que Paulo chama “nos ares”
12 - Precederá a Grande Tribulação, período em que a ira de Deus será derramada sobre os moradores da terra
O relacionamento estreito entre Escatologia, Espírito Santo e a Missão da Igreja.
A proclamação e a visão do Reino de Deus através da Igreja é intimamente relacionada com a Iminência, ou seja, o Arrebatamento, que nos leva a pensar sobre a Escatologia.
Os dias finais da Igreja neste Mundo, a ser tomada sobre a cabeça dos homens, de forma invisível.
A Igreja é o ente que atua neste mundo sob as regras do reino de Deus.
A Igreja tem a autoridade do Cristo redivivo.
A base de sua autoridade é a Palavra do Cristo de Deus
Ela é vencedora pela ação do Cristo nas regiões celestiais – as portas do inferno não prevalecerão contra ela...
Tem autoridade no Mundo espiritual
Atua como um corpo, sob a cabeça: Cristo!
Vive em comunhão
Vive em todas as partes do Mundo
Proclama a Iminência
Aguarda o Arrebatamento para se assunta aos céus
Não está confinada em um local físico, mas está livre nas Regiões celestiais em Cristo e com Cristo
É um ente do Projeto divinal, chamado de Plano de Redenção desde as eras eternais, nascido no coração do Pai, realizado pela Obra do Filho e Ajudada a viver em um meio, que lhe é agressivo e opositor, com a presença doce do Espírito Santo, O Consolador, Parakleto.
Esta era a visão deste escritor sobre alguns pontos do arrebatamento nos idos de 2011 [“O REINO DE DEUS ATRAVÉS DA IGREJA” - 31/07/2011], sobre o Kerigma.
Que inclui a questão do Arrebatamento, como um dos pilares do Cristianismo que mantém a Igreja na sua caminhada contínua, sob Promessa em destaque no Texto, supra.
É uma função da proclamação: “Função precípua da Igreja, anunciar o Evangelho é algo secular, iniciado pelos Céus, pelo próprio Deus, o que transforma esta ação e obrigação da Igreja em algo especialmente a ser realizado, no Reino de Deus.... Avisar e servir, aos homens, a Palavra de Deus, o Reino de Deus através da Igreja, a qual age como Atalaia do futuro reservado, aos que não recebem a Cristo – Fundamento da Mensagem = Salvação. Ankündigung [alemão] – "anuncio de um acontecimento a se realizar.
O Arrebatamento infere necessariamente a visão sobre o futuro dos homens. Ele atende as nossas necessidades de conhecer as posições futuras de salvação para continuarmos nossa caminhada além túmulo ou após o arrebatamento como igreja, alcançando a Eterna Salvação em Jesus Cristo.
15 - Dizemos-vos, pois, isto pela palavra do Senhor...
A Suprema Esperança Pós-mortem
Para todos, os que morreram, ou que morrerão antes da Volta de Jesus devem ser consolados e ensinados sobre o Arrebatamento.
O mesmo verbo laqah (=tomar), usado para indicar o arrebatamento de Elias, expressa em outros lugares a intervenção de Deus na morte serena do justo (Gn 5,24; Salmo 49,16; Is 53,8).
- לקח - laqach; v. tomar, pegar, buscar, segurar, apanhar, receber, adquirir, comprar, trazer, casar, tomar esposa, arrebatar, tirar; tomar, pegar na mão; tomar e levar embora; tomar de, tirar de, pegar, carregar embora, tirar; tomar para ou por uma pessoa, procurar, pegar, tomar posse de, selecionar, escolher, tomar em casamento, receber, aceitar; tomar sobre si, colocar sobre
Morte física com futura transformação, para os que morrerem em Cristo, antes do arrebatamento. Pelo arrebatamento, sofreremos a transformação do corpo corruptível. É o revestimento citado por Paulo no versículo 4: não porque queremos ser despidos, mas revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida.
Por conseguinte, a transformação do arrebatamento transformará o corpo mortal em um novo corpo, permitindo que o homem que a receber, morra somente espiritualmente para o pecado, pois Cristo em si mesmo, é bastante para promover a redenção do corpo exterior corruptível em um novo corpo sem pecado.
"De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida." Romanos. 6.4.
http://estudandopalavra.blogspot.com/2010/02/normal-0-21-false-false-false.html
Arrebatamento não é uma novidade Neotestamentária:
Vejamos o exemplo de Enoque, usando a figura de “tomar”:
                         “E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou.Genesis 5.24
“Sucedeu que, quando o SENHOR estava para elevar a Elias num redemoinho ao céu, Elias partiu de Gilgal com Eliseu. E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.” 2 Reis 2:1;11
1ª PARTE



Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical