sábado, abril 14

Ética Cristã e Direitos Humanos Lição 3 – CPAD 2º TRIMESTRE 2018


Ética Cristã e Direitos Humanos
Lição 3 – CPAD 2º TRIMESTRE 2018
Estudo Pastor Prof. Universitário Osvarela
TEXTO ÁUREO
"O estrangeiro não afligirás, nem o oprimirás; pois estrangeiros fostes na terra do Egito." (Êx 22.21)
Verdade Extraída Para Prática Diária
Os direitos do ser humano revelados na Palavra de Deus têm como fundamento o Amor.
LEITURA BÍBLICA
Isaías 58.6-12
6 Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo?
7 Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne?
8 Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda.
9 Então clamarás, e o SENHOR te responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falar iniquamente;
10 E se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia.
11 E o SENHOR te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam.
12 E os que de ti procederem edificarão as antigas ruínas; e levantarás os fundamentos de geração em geração; e chamar-te-ão reparador das roturas, e restaurador de veredas para morar.
“O maior preservador dos Direitos Humanos é o próprio Deus. Pelo seu Amor Ele preservou os direitos perdidos do Homem, para uma Shalom, e deu seu Filho para regenerar o Homem e manteve o Sol e as Estrelas, a chuva e os mantimentos fruto da Terra, a disposição de todos os homens, independente de são certos ou errados garantindo-lhes uma vida digna.” Osvarela
A Legalidade E Definição de Direitos Humanos
http://www.unidosparaosdireitoshumanos.com.pt/what-are-human-rights/universal-declaration-of-human-rights/articles-01-10.html
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM
Artigo 1.º
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.
Artigo 2.º
Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou outra, origem nacional ou social, fortuna, nascimento ou outro estatuto.
Além disso, não será feita nenhuma distinção fundada no estatuto político, jurídico ou internacional do país ou do território da naturalidade da pessoa, seja esse país ou território independente, sob tutela, autónomo ou sujeito a alguma limitação de soberania.
Artigo 3.º
Todas as pessoas têm direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.
Direitos Humanos:
Direitos Humanos são os todos os direitos relacionados à garantia de uma vida digna a todas as pessoas. Os direitos humanos são direitos que são garantidos à pessoa pelo simples fato de ser humana.
Assim, os direitos humanos são todos direitos e liberdades básicas, considerados fundamentais para dignidade. Eles devem ser garantidos a todos os cidadãos, de qualquer parte do mundo e sem qualquer tipo de discriminação, como cor, religião, nacionalidade, gênero, orientação sexual e política.
Os Direitos Humanos são direitos inerentes a todos os seres humanos, independentemente de raça, sexo, nacionalidade, etnia, idioma, religião ou qualquer outra condição. Os direitos humanos incluem o direito à vida e à liberdade, à liberdade de opinião e de expressão, o direito ao trabalho e à educação, entre e muitos outros. Todos merecem estes direitos, sem discriminação.
O Direito Internacional dos Direitos Humanos estabelece as obrigações dos governos de agirem de determinadas maneiras ou de se absterem de certos atos, a fim de promover e proteger os direitos humanos e as liberdades de grupos ou indivíduos.
Direitos Humanos é o conjunto de garantias e valores universais que tem como objetivo garantir a dignidade, que pode ser definida com um conjunto mínimo de condições de uma vida digna.
De acordo com a ONU - Organização das Nações Unidas os direitos humanos são garantias de proteção das pessoas contra ações ou falta de ações dos governos que possam colocar em risco a dignidade humana.
São direitos humanos básicos: direito à vida, à liberdade de expressão de opinião e de religião, direito à saúde, à educação e ao trabalho.
"O estrangeiro não afligirás, nem o oprimirás; pois estrangeiros fostes na terra do Egito." Êx 22.21
A noção de direitos e amplamente bíblica.
O texto supra se manifesta sobre o cuidado, de Deus com a sua coroa da Criação.
Desde o início Deus se preocupou com a questão da liberdade humana. De tal forma, que Ele criou o homem, com livre-arbítrio. Com regramento de Direitos e Deveres, como veremos abaixo, neste Estudo.
7 Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne?
Quando em tempos contemporâneos vemos leva de migrantes, principalmente na Ásia, para a Europa e de países da América Central, para outras américas, como Haitianos, Venezuelanos, etc.
Gente que migra sem documentos apropriados e se reduzem a multidões de exilados na precariedade. Se colocando em situações de risco, em travessias de barcos ou embarcações improvisadas, com risco de vida, para si mesmos e para crianças, filhos do desespero.
Assim, a Bíblia se antecipa a esta vulnerabilidade, dos estrangeiros, quando os Direitos Humanos, são a única forma de preservar ou lhes dar direito a um mínimo de dignidade.
Há em alguns países, para onde migram repúdio, racismo e fobia a estrangeiros.
Por isto, a Bíblia se antecipou a qualquer Organismo Internacional e determinou a proteção destes povos, tanto nos dias Veterotestamentários, quanto a estes dias contemporâneos.
Na História Humana
O primeiro registro histórico de Direitos Humanos é de aproximadamente 500 a.C, quando Ciro, rei da Pérsia, declarou a liberdade de escravos e alguns outros direitos de igualdade humana.
Esses direitos foram gravados em uma peça chamada Cilindro de Ciro.
Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor Deus dos céus me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que está em Judá. Quem há entre vós, de todo o seu povo, seja seu Deus com ele, e suba a Jerusalém, que está em Judá, e edifique a casa do Senhor Deus de Israel (ele é o Deus) que está em Jerusalém. E todo aquele que ficar atrás em algum lugar em que andar peregrinando, os homens do seu lugar o ajudarão com prata, com ouro, com bens, e com gados, além das dádivas voluntárias para a casa de Deus, que está em Jerusalém.” Esdras 1:2-4
Também foi estabelecido na Mesopotâmia ao famoso Código de Hamurabi (Khammu-rabi, rei da Babilônia no 18º século a.C)
 Código de Hamurábi (embora abrangesse também antigas leis).
Muitas das provisões do código referem-se às três classes sociais:
- a do "awelum" (filho do homem”, ou seja, a classe mais alta, dos homens livres, que era merecedora de maiores compensações por injúrias - retaliações - mas que por outro lado arcava com as multas mais pesadas por ofensas);
- No estágio imediatamente inferior, a classe do "mushkenum", cidadão livre mas de menor ststus e obrigações mais leves;
- Por último, a classe do "wardum", escravo marcado que no entanto, podia ter propriedade.
O código referia-se também:
- Ao comércio (no qual o caixeiro viajante ocupava lugar importante),
- À família (inclusive o divórcio, o pátrio poder, a adoção, o adultério, o incesto),
- Ao trabalho (precursor do salário mínimo, das categorias profissionais, das leis trabalhistas), à propriedade.
Quanto às leis criminais, vigorava a "lex talionis":
- Uma vida por uma vida; a pena de morte era largamente aplicada, seja na fogueira, na forca, seja por afogamento ou empalação. A mutilação era infligida de acordo com a natureza da ofensa. A noção de "uma vida por uma vida" atingia aos filhos dos causadores de danos aos filhos dos ofendidos.
No Prólogo temos definições de Direitos Humanos (Direito Internacional dos Direitos Humanos estabelece as obrigações dos governos):
"As justas leis que Hamurabi, o sábio rei, estabeleceu e (com as quais) deu base estável ao governo ... Eu sou o governador guardião ... Em meu seio trago o povo das terras de Sumer e Acad; ... em minha sabedoria eu os refreio, para que o forte não oprima o fraco e para que seja feita justiça à viúva e ao órfão ... Que cada homem oprimido compareça diante de mim, como rei que sou da justiça. Deixai-o ler a inscrição do meu monumento. Deixai-o atentar nas minhas ponderadas palavras. E possa o meu monumento iluminá-lo quanto à causa que traz, e possa ele compreender o seu caso. Possa ele folgar o coração (exclamando) "Hamurabi é na verdade como um pai para o seu povo; ... estabeleceu a prosperidade para sempre e deu um governo puro à terra. Quando Anu e Enlil (os deuses de Uruk e Nippur) deram-me a governar as terras de Sumer e Acad, e confiaram a mim este cetro, eu abri o canal. Hammurabi-nukhush-nish (Hamurabi-a-abundância-do-povo) que traz água copiosa para as terras de Sumer e Acad. Suas margens de ambos os lados eu as transformei em campos de cultura; amontoei montes de grãos, provi todas as terras de água que não falha ... O povo disperso se reuniu; dei-lhe pastagens em abundância e o estabeleci em pacíficas moradias".
10 E se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia.
Trata de direitos básicos do povo:
Terra
Água
Trabalho
Justiça
Alimento
“Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá. Ezequiel 18:4
É necessário recorrermos as Escrituras para compreendermos o valor do ser humano.
Ele é algo pertencente ao Criador e não pode ser desprezado, humilhado por ninguém, embora Satanás tenha aprisionado o Adam pelo pecado, houve um momento na Plenitude dos Tempos, que Deus cumpriu sua promessa de Genesis 3.15 e Seu Filho Amado Jesus Cristo pagou o preço por todas as almas com seu próprio sangue:
E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; Apocalipse 5:9
Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” Colossenses 2:14
Características mais importantes dos Direitos Humanos são:
Os Direitos Humanos são fundados sobre o respeito pela dignidade e o valor de cada pessoa;
Os Direitos Humanos são universais, o que quer dizer que são aplicados de forma igual e sem discriminação a todas as pessoas;
Os Direitos Humanos são inalienáveis, e ninguém pode ser privado de seus direitos humanos; eles podem ser limitados em situações específicas. Por exemplo, o direito à liberdade pode ser restringido se uma pessoa é considerada culpada de um crime diante de um tribunal e com o devido processo legal;
Os Direitos Humanos são indivisíveis, inter-relacionados e interdependentes, já que é insuficiente respeitar alguns Direitos Humanos e outros não.
Na prática, a violação de um direito vai afetar o respeito por muitos outros;
Todos os direitos humanos devem, portanto, ser vistos como de igual importância, sendo igualmente essencial respeitar a dignidade e o valor de cada pessoa. ONU/Br
A Bíblia e A Narrativa da Criação do Adam
Regência e Co-Regencia
Deus e o Homem
As duas narrativas míticas sobre a Criação que encontramos na Bíblia provêm de tradições orais diferentes, mas ambas afirmam a dignidade da pessoa humana que, colocada no centro do ato criador de Deus, se torna parceiro de Deus no cuidado de toda a Criação.
Isto é, Deus entrega ao Ser Humano o poder sobre toda a Criação, para que o ser humano cuide dela.
Estabelece o parâmetro de Dignidade dado por Deus, O Criador, na regência do cosmo terreal, colocando o Adam como Gerente de toda a Criação. Estabeleceu, Deus um estado de que tudo estava à disposição do Adam e ele poderia usufruir de tudo à sua maneira.
Regras? Sim! Mas, todo Tratado de Direitos Humanos as possui, desde os mais antigos até aos mais modernos. Não há Sociedade Livre sem regramento, moral, cultural ou religioso.
Então o Adam se submeteria, como regramento, as Ordens divinas, que lhe garantiria uma vida tranquila e sossegada. Mesmo, caído Deus não subverteu a co-regencia humana a outro patamar, mas permitiu o crescimento humano e seu controle conforme seu Livre-Arbítrio, e por isto mesmo este passa ser responsável pelas consequências.
Quando lemos o Código de Hamurabi, ou as Regras de Direitos dos Homens de Ciro da Babilônia entrevemos que a razão superior, dentro do coração do homem, estabelece um parâmetro mínimo da convivência social e traz no bojo de seu conteúdo as penalidades em contradito aos direitos a serem observados diante da sua Sociedade, por todos os Homens.
“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento. E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.” Gênesis 1:26-30
“E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar. ..., E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. Havendo, pois, o Senhor Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome. E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo o animal do campo; mas para o homem não se achava ajudadora idônea. Gênesis 2:15,16-20
Trabalho
Alimento
Paz social
Paz e comando de toda a alimária
O Poder e a Dissolução na Narrativa Bíblica dos Direitos Humanos
A Bíblia narra a história de como o mundo ordenado, belo e justo criado por Deus perde parte de sua beleza, harmonia e ordem por causa do pecado humano, e é reordenado e restabelecido nas bases da justiça, da paz e da comunhão com o Criador. Logo após as narrativas da Criação, vem a narração (da tradição Javista) da Queda do Homem. E aqui a Bíblia coloca já de início a questão do poder e do seu abuso.
Ao contrário do que ensinam os moralistas histéricos, e geralmente hipócritas, a famosa narrativa do fruto proibido nada tem a ver com a sexualidade. Pelo contrário, têm a ver com o conceito de poder absoluto.
O Drama e a Mitigação
O drama mítico atinge então o ápice logo em seguida: o ser humano se percebe nu, isto é, se percebe frágil e precisa esconder-se. O tiro saiu pela culatra: ao invés de ficarem iguais a Deus, ficaram, sim, conscientes de sua fragilidade e de sua limitação. A presença de Deus, que vinha passear pela tarde no Jardim e gozar da companhia do ser humano, se torna ameaça e o ser humano, diante da Presença, precisa esconder-se.
Mitigados Para Manter a Vida
Mais ainda, a percepção da nudez e o sentimento de vergonha impede que o ser humano se mostre como é diante do seu semelhante, e por isso Deus lhes faz as vestes, para cobrir sua nudez, o símbolo de sua fragilidade, a denúncia de sua vontade de poder frustrada.
Quando também fizerdes a colheita da vossa terra, o canto do teu campo não segarás totalmente, nem as espigas caídas colherás da tua sega. Semelhantemente não rabiscarás a tua vinha, nem colherás os bagos caídos da tua vinha; deixá-los-ás ao pobre e ao estrangeiro. Eu sou o Senhor vosso Deus.” Levítico 19:9,10
Na Lei a Valorização do Direito e Proteção
Dos Judeus
Dos Estrangeiros
A LEI
No Pentateuco, ou os chamados Cinco Livros da Lei de Moisés, se percebe claramente o caráter social da ética dos hebreus. Vamos encon­trar nestes cinco livros, exemplos claros de que o critério hebreu para o convívio humano se pauta pelo reconhecimento de direitos que eram re­portados como Lei de Deus.
O Código Legal que se deduz da leitura desses cinco livros é realmente desafiador para o mundo contemporâneo, em que a massificação e os aparatos de controle político e econômico violentam as pessoas, especialmente aqueles que não se enquadram no modelo: os excluídos.
O Código Mosaico (de Moisés) parte do pressuposto de que a Vontade de Deus é soberana e norteia toda a ação e o convívio humano. E sua maior preocupação é sempre com os que correm o risco maior de exclusão: o pobre, o órfão, a viúva, o leproso, o estrangeiro, o endividado... Regula o uso e a distribuição da terra e dos alimentos, prevê o sustento dos pobres, define os poderes das autoridades, estabelece padrões reguladores para a vida econômica, e estabelece também as penas para aqueles que não cumprem a lei ou que abusam do poder.
Seria por demais extenso e cansativo relacionar todas as referências de conteúdo ético social, político e econômico do Pentateuco. Espero que o leitor mais cuidadoso e interessado possa dispor de tempo para fazer, ele mesmo, sua pesquisa e aprofundar as ideias que aqui lanço apenas de passagem.
No seu dia lhe pagarás a sua diária, e o sol não se porá sobre isso; porquanto pobre é, e sua vida depende disso; para que não clame contra ti ao Senhor, e haja em ti pecado. Os pais não morrerão pelos filhos, nem os filhos pelos pais; cada um morrerá pelo seu pecado. Não perverterás o direito do estrangeiro e do órfão; nem tomarás em penhor a roupa da viúva.” Deuteronômio 24:15-17
“Falou mais o SENHOR a Moisés no monte Sinai, dizendo: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando tiverdes entrado na terra, que eu vos dou, então a terra descansará um sábado ao Senhor. Seis anos semearás a tua terra, e seis anos podarás a tua vinha, e colherás os seus frutos; Porém ao sétimo ano haverá sábado de descanso para a terra, um sábado ao Senhor; não semearás o teu campo nem podarás a tua vinha. O que nascer de si mesmo da tua sega, não colherás, e as uvas da tua separação não vindimarás; ano de descanso será para a terra. Mas os frutos do sábado da terra vos serão por alimento, a ti, e ao teu servo, e à tua serva, e ao teu diarista, e ao estrangeiro que peregrina contigo; E ao teu gado, e aos teus animais, que estão na tua terra, todo o seu produto será por mantimento. Também contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos. Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra, E santificareis o ano qüinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família. O ano qüinquagésimo vos será jubileu; não semeareis nem colhereis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das separações, Porque jubileu é, santo será para vós; a novidade do campo comereis. Neste ano do jubileu tornareis cada um à sua possessão. E quando venderdes alguma coisa ao vosso próximo, ou a comprardes da mão do vosso próximo, ninguém engane a seu irmão; Levítico 25:1-14
ESCRITURA NEOTESTAMENTÁRIA
O Direito natural é regido pelo Amor ao Próximo!
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.” Marcos 12:31
Paulo e A Cidadania
Defesa dos Direitos
Poderíamos hoje dizer que Paulo defenderia o que chamamos de Estado de Direito, no contexto de sua existência no mundo helenista do Império Romano no Oriente e de sua formação como fariseu. Mas jamais o Apóstolo estaria defendendo a obediência cega e não crítica à autoridade, O mesmo Paulo afirmava que Jesus é o Senhor, em clara desobediência ao Imperador e aos estatutos do Império Romano.
O próprio Paulo se valeu, contudo, de sua condição de cidadão romano (de sua cidadania!) para reivindicar o direito de receber julgamento justo (cf. Atos 22- 27). Ou seja, modernamente falando, podemos dizer que o Apóstolo Paulo defende - na limitação de seu contexto histórico e sócio-político - os valores de cidadania e de direitos da pessoa humana.
“E, quando iam a introduzir Paulo na fortaleza, disse Paulo ao tribuno: É-me permitido dizer-te alguma coisa? E ele disse: Sabes o grego? E, ouvindo isto, o centurião foi, e anunciou ao tribuno, dizendo: Vê o que vais fazer, porque este homem é romano. E, vindo o tribuno, disse-lhe: Dize-me, és tu romano? E ele disse: Sim. E respondeu o tribuno: Eu com grande soma de dinheiro alcancei este direito de cidadão. Paulo disse: Mas eu o sou de nascimento. E logo dele se apartaram os que o haviam de examinar; e até o tribuno teve temor, quando soube que era romano, visto que o tinha ligado.” Atos 21:37;22:26-29
“E escreveu uma carta, que continha isto: Cláudio Lísias, a Félix, potentíssimo presidente, saúde. Esse homem foi preso pelos judeus; e, estando já a ponto de ser morto por eles, sobrevim eu com a soldadesca, e o livrei, informado de que era romano.” Atos 23:25-27
A cidadania reconhecida livra muitos da morte. Como em nossos dias, ser reconhecido pela sua etnia pode ser letal ou ser favorável, à vida.
"O estrangeiro não afligirás, nem o oprimirás; pois estrangeiros fostes na terra do Egito." (Êx 22.21)
Todos os anos, milhares de migrantes e refugiados tentam chegar à Europa. Alguns são movidos pela necessidade de escapar da miséria; outros estão fugindo da violência e perseguição. Suas jornadas são cheias de perigos. Estima-se que pelo menos 23 mil pessoas tenham perdido suas vidas tentando chegar à Europa desde 2000. E aqueles que conseguiram atingir as fronteiras da União Europeia (UE) descobrem que a segurança permanece fora do seu alcance.
O diretor do Escritório das Nações Unidas em Genebra, Michael Møller, alertou que a Europa deve se preparar para a chegada de milhões de migrantes da África, Ásia e Oriente Médio. O contingente de migrantes que estão a caminho da Europa está novamente com tendência de alta. Dos 30.465 migrantes que chegaram à Europa no primeiro trimestre de 2017, 24.292 (80%) aportaram na Itália, 4.407 na Grécia, 1.510 na Espanha e 256 na Bulgária, de acordo com a Organização Internacional de Migração (OIM).Que o digam os migrantes da África ou do Oriente que vão para a União Europeia. "O que estamos testemunhando é uma das maiores migrações humanas da história. E ela só vai acelerar: os jovens têm celulares e veem o que está acontecendo em outras partes do mundo e isso age como um ímã".
Segundo a OIM, os migrantes que chegaram à Itália nos primeiros três meses de 2017 são, em ordem decrescente, da Guiné, Nigéria, Bangladesh, Costa do Marfim, Gâmbia, Senegal, Marrocos, Mali, Somália e Eritreia.
A Itália também está se preparando para o pior. Chega a um milhão o número de pessoas, principalmente de Bangladesh, Egito, Mali, Níger, Nigéria, Sudão e Síria que estão na Líbia esperando para atravessar o Mar Mediterrâneo de acordo com a OIM. Soeren Kern é Colaborador Sênior do Gatestone Institute de Nova Iorque.

quarta-feira, abril 11

Ética Cristã e Ideologia de Gênero Lição 2 – CPAD 2º Trimestre 2018 2ª PARTE Continuação


Ética Cristã e Ideologia de Gênero
Lição 2 – CPAD 2º Trimestre 2018
2ª PARTE
Continuação
Estudo Pastor Prof. Docente Univ Osvarela
TEXTO ÁUREO
"E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou." (Gn 1.27)
LEITURA BÍBLICA
Isaías 5.18-24
18 Ai dos que puxam a iniquidade com cordas de vaidade, e o pecado com tirantes de carro!
19 E dizem: Avie-se, e acabe a sua obra, para que a vejamos; e aproxime-se e venha o conselho do Santo de Israel, para que o conheçamos.
20 Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!
21 Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!
22 Ai dos que são poderosos para beber vinho, e homens de poder para misturar bebida forte;
23 Dos que justificam ao ímpio por suborno, e aos justos negam a justiça!
24 Por isso, como a língua de fogo consome a palha, e o restolho se desfaz pela chama, assim será a sua raiz como podridão, e a sua flor se esvaecerá como pó; porquanto rejeitaram a lei do SENHOR dos Exércitos, e desprezaram a palavra do Santo de Israel.
Etimologia
אסון - ’acown; n. m. mal, dano, prejuízo
רע  - ra’ adj. ruim, mau; ruim, desagradável, maligno - ruim, desagradável, maligno (que causa dor, infelicidade, miséria)
Ψευδης - pseudes; adj. mentiroso, enganador, falso
חכם - chakam; adj. sábio (homem) - astuto, perspicaz, esperto, habilidoso, sutil; instruído, perspicaz (classe de homens);prudente; sábio (no sentido ético e religioso)
רשע - rasha; adj. perverso, criminoso; perverso, alguém culpado de crime (substantivo); perverso (hostil a Deus);perverso, culpado de pecado (contra Deus ou homem)
שתי – sh^ethiy; n. m. uma bebida, uma bebedeira Ec 10.17
Μεθη-  methe; n. f. intoxicação; embriaguez
μεθυω - methuo; v. estar bêbado
Definições

“ ..., para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.” 1 Timóteo 2:2-4
Humanismo:
Humanismo, no sentido amplo, significa valorizar o ser humano e a condição humana acima de tudo. Está relacionado com generosidade, compaixão e preocupação em valorizar os atributos e realizações humanas. O teocentrismo (Deus como centro de tudo) cede lugar ao antropocentrismo, passando o homem a ser o centro de interesse. O humanismo procura o melhor nos seres humanos e para os seres humanos sem se servir da religião. A filosofia humanista oferecia novas formas de reflexão sobre as artes, as ciências e a política, revolucionando o campo cultural.
Teocêntrico; adj. que tem Deus como o ponto de convergência de tudo.
Teocentrismo é a doutrina que considera Deus o centro de todo o Universo e responsável pela criação de tudo o que há nele. Tem como base os preceitos da Bíblia.
Humanismo - subs masc.; movimento intelectual difundido na Europa durante a Renascença e inspirado na civilização greco-romana, que valorizava um saber crítico voltado para um maior conhecimento do homem e uma cultura capaz de desenvolver as potencialidades da condição humana. p.ext. fil conjunto de doutrinas fundamentadas de maneira precípua nos interesses, potencialidades e faculdades do ser humano, sublinhando sua capacidade para a criação e transformação da realidade natural e social, e seu livre-arbítrio diante de pretensos poderes transcendentes, ou de condicionamentos naturais e históricos.
O antropocentrismo (do grego anthropos, "humano"; e, kentron, "centro") é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do entendimento dos humanos, isto é, o universo deve ser avaliado de acordo com a sua relação com o ser humano, sendo que as demais espécies, bem como tudo mais, existem para servi-los. O antropocentrismo coloca o ser humano no centro do universo, postulando que tudo o que existe foi concebido e desenvolvido para a satisfação humana
Relativismo:
Relativismo é uma corrente de pensamento que questiona as verdades universais do homem, tornando o conhecimento subjetivo.
O ato de relativizar é levar em consideração questões cognitivas, morais e culturais sobre o que se considera verdade. Ou seja, o meio que se vive é determinante para construir essas concepções.
“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” João 14:6
A relativização é a desconstrução das verdades pré-determinadas, buscando o ponto de vista do outro. Aquele que relativiza suas opiniões é aquele que acredita que existam outros tipos de verdade, de perspectivas para as mesmas coisas, e que não há necessariamente um certo ou errado.
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32
Uma das linhas é:
Relativismo Sofista
O chamado Relativismo Sofista é uma linha de pensamento da filosofia grega que defende a subjetividade da verdade. O que o homem acredita e defende, seja enquanto moral ou conhecimento, é conforme ele vê e experimenta, conforme seu contexto.
Veja o significado da frase do sofista grego Protágoras "O homem é a medida de todas as coisas".
Retira do relacionamento humano a centralidade de Deus em tudo que faz a Humanidade.

Comentário Introdutório:
Diz o comentário do livro de Isaías que mostra a posição da Bíblia neste instante, alcança a toda a Humanidade, como no contexto de Isaías, é Cristológica e Messiânica a qual, achei de boa lavra e que reproduzo:
“A relação de Deus com a Sua Igreja é frequentemente descrita como um casamento pelos profetas, e trata-se da base das metáforas em que a idolatria é chamada de adultério. Materialmente, a terra pertence a Javé. A profecia de Isaías, porém, dá conta de uma posse moral; a partir daquele momento, Ele não só seria Deus dos judeus, mas também dos gentios.” Não encontrei nome do autor
Discurso:
Ao estudar, ou melhor, continuando o nosso pensamento sobre a iniquidade latente nos discursos relativistas sobre o Gênero Humano, chegamos ao ponto que devemos analisar corretamente o texto bíblico.
Trata-se dos Ais que a Bíblia ou a profecia bíblica coloca como noção de Juízo de Deus para estas ações
Tratar o bem como mal
Tratar o errado como certo
Tratar a luz como trevas
Ser sábio a seus próprios olhos
Isaías 5:18—19: AS MENTIRAS, A FORÇA E A LOUCURA DO PECADO  - Alexandros Meimaridis
Tudo isto, é julgado diante do Todo Poderoso como o homem que sob sua própria consciência cauterizada pelo pecado, contudo entregues a suas próprias paixões desprezam o interior humano, no qual, como demonstrado com Adão e Eva, há um elemento divino do Imago Dei (como atributo divino) desprezado na sanha dos que assim querem viver, desprezando o Criador e criando suas próprias regras, que se esvaíram em desejos humanos incontroláveis.
Quando digo isto, não apenas falamos sobre a sexualidade, mas na própria relativização de um modo de Viver longe de Deus.
Meu Corpo, Minhas Regras” (lógico que não se pode apropriar do corpo de ninguém, a não ser nas relações co-habitacionais legitimadas pelo casamento, sem que um ou outro seja um dominador, a não ser dar e amar, ao cônjuge) uma das máximas do feminismo que, mostra o quanto o humanismo relativista quer fazer com que o homem se sinta dono do que lhe foi dado e não construído por seu próprio braço, ou forças.
Deus é o autor da vida:
Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir. Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.” Salmos 139: 6,7;14-16
A palavra “puxar”. Ela indica um ato deliberado da vontade.
O povo de Israel naqueles dias estava:
Se desviando para o pecado.
Se motivando para o pecado.
Se preparando para pecado.
Indo deliberadamente à busca do pecado.
Puxar indica a necessidade de vencer alguma resistência.
Que resistência?
Aos ensinos da palavra de Deus.
A presença do Espírito Santo cuidando e guiando.
A formação ética como povo de Deus.
Romanos 2:15...testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se”.
Romanos 1:21—23 “..., porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis”.
Romanos 13:14 dizendo: “Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências.”
As pessoas estão apegadas ao pecado.
Tudo é maliciado.
Tudo tem duplo sentido.
As coisas só são engraçadas se forem pornográficas. Roberto Carlos, o cantor, admitiu bem este sentimento ao perguntar, em uma de suas canções: “será que tudo que eu gosto é ilegal, imoral ou engorda?".
O engano, a mentira — traduzido aqui como injustiça. O fato de que a vida no pecado não vale nada, mas nos é apresentada como fantástica.
Os Ais são a ponta de um grande Iceberg do pecado que relativiza os danos do Mal e do Erro.
Com frases como estas:
Frases típicas usadas pelo pecado:
Você não pode ficar de fora. Você não pode perder.
Todo mundo faz ou todo mundo tem.
Não há nenhum mal nisso.
Não seja radical. Você está atrasado no tempo.
O pecado nos diz:
Vai ser ótimo.
Vai ser maravilhoso.
Vai ser o máximo.
O pecado nunca nos diz o que vamos perder, mas acena com um possível liberdade e estado de prazer da SARX, contra a angústia do PNEUMA.:
Adão e Eva – Lhes foi dada uma ideia de que eles seriam como Deus. Sobre eles pesou a sentença de Deus: “Gn. 3.19 ..., tu és o pó e ao pó voltarás”.
Além da condenação pela desobediência, que os levou à morte, passagem desconhecida pelo Adam.
Embora, mitigada por Deus, levou o Homem a morte espiritual deixando o casal edênico vivo, mas prezo ao ato da sua desobediência (imediatamente, conforme Genesis 3.10,11) ao único a quem deveriam obedecer.
A escolha do Adam pelo pecado é anunciada de forma notória nas Escrituras: “Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, ...Gênesis 3:22
Sabendo o bem e o mal!
O conhecimento do bem e do mal é determinante para sabermos que a livre escolha do homem o leva a sentir-se dono do seu próprio destino, corpo, alma e espírito.
Aí vem o Juízo:
Paz, paz; quando não há paz. Porventura envergonham-se de cometer abominação? Pelo contrário, de maneira nenhuma se envergonham, nem tampouco sabem que coisa é envergonhar-se; portanto cairão entre os que caem; no tempo em que eu os visitar, tropeçarão, diz o Senhor.” Jeremias 6:14,15
Como vemos, no texto deste Estudo, os seis Ais:
18 Ai dos que puxam a iniquidade – escarnecem de Deus: Avie-se, e acabe a sua obra, para que a vejamos
O Iníquo, soberbo confiante em suas próprias forças, escarnece de Deus, com se pudesse contender com o Eterno.
Assim, apontam que tem força, saúde, que o Mal não lhes atingirá, não sabendo do seu fim e de que o juízo está, às portas:
“24 Por isso, como a língua de fogo consome a palha, e o restolho se desfaz pela chama, assim será a sua raiz como podridão, e a sua flor se esvaecerá como pó; porquanto rejeitaram a lei do SENHOR dos Exércitos, e desprezaram a palavra do Santo de Israel.”
20 Ai dos que ao mal chamam Bem, e ao Bem Mal – os imorais, deste tempo, como os de Sodoma e Gomorra, condenados também, por Jesus (“já o reino de Deus é chegado a vós. E digo-vos que mais tolerância haverá naquele dia para Sodoma do que para aquela cidade.” Lucas 10:11,12)
Estes são os que usam e buscam as ações da Imoralidade, como os que usam o sexo de maneira libertina, e querem impor sua mentalidade concupiscente a todos e os acusam de “homofóbicos”, ou termos irmãos, desprezando a opinião daqueles que seguem o dito divino, até sem conhecer as Escrituras, mas o fazem pela balança do Bem e não do Mal. Que querem usar a grande Mídia para atacar aqueles que servem a Deus e seguem as Escrituras, que dizem do Gênero Humano:
Macho e Fêmea, os fez: “Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.” Romanos 1:24-27
Tudo que este chama de forma contrária a determinação divina é perdem, ou não tem senso ou sobriedade e perdem a consciência do que é certo ou errado, o que no final, ou com brevidade, os levará à Morte!
Ensandecidos, mentalmente cauterizados, tudo o que tem vontade, o fazem, é aparentemente, um desejo irrefreável e sem freios, de fazerem o que lhes parece certo, aos seus olhos, as suas trevas, aparentemente iluminam seus corações e mentes tomados pela loucura:
Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!” Mateus 6:23
A bebedice os leva a noite inteira a se tornarem juízes do Mal, confundidos pela mente, distorcem o direito e apregoam, seus juízos distorcidos de verdade, mas abastecidos pelo suborno.
21 Ai dos que são sábios a seus próprios olhos
As Escrituras, dizem que o homem nada sabe e que a Sofia só vem de Deus, no entanto, muitos se achem sábios a seus próprios olhos, mesmo sem poder determinar a queda de uma folha, ou dos pelos da sua cabeça:
22 Ai dos que são poderosos para beber vinho, que é anteriormente citado na perícope do texto do capítulo de Isaías 5.11:
Ai dos que se levantam pela manhã, e seguem a bebedice; e continuam até à noite, até que o vinho os esquente! Isaías 5:11
A bebedice tira a sobriedade de qualquer um, e os leva a situações que beiram ao ridículo, a pensar de que são invencíveis, a pronunciar palavras que em estado sóbrio não diriam e se acharem com forças que não possuem.
Cito um caso, que em minhas andanças a trabalho, por vários Estados e até no Exterior, vivi de perto:
Um dos muitos operários, de umas das grandes obras que participei, após beber por várias horas, na noite, foi para a linha férrea que passava, junto ao Canteiro de Obras e ali se colocou-se, com uma assistência de outros bêbedos e desta platéia ensandecida, postou-se na frente de um trem dizendo que iria pará-lo, lógico teve um fim trágico. Assim, há muitos casos desta monta, que acontecem diariamente, como os motoristas bêbedos que, matam e ferem, por perderem o controle mental, pela bebida forte.” Osvarela
A insensibilidade pela bebida os faz, se tornarem-se loucos e contra o Criador:
“..., vinho há nos seus banquetes; e não olham para a obra do Senhor, nem consideram as obras das suas mãos.” Isaías 5:12
“Deus é juiz justo, um Deus que se ira todos os dias. Se o homem não se converter, Deus afiará a sua espada; já tem armado o seu arco, e está aparelhado. E já para ele preparou armas mortais; e porá em ação as suas setas inflamadas contra os perseguidores. Eis que ele está com dores de perversidade; concebeu trabalhos, e produziu mentiras.” Salmos 7:11-14

23 Dos que justificam ao ímpio por suborno

Estes As decretaram o juízo e destruição de um povo, o reino de Judá e continua sendo atuante, corroborada pelas Escrituras Neotestamentárias: Epístola Aos Romanos, Epístolas aos Coríntios, Epístola a Tito.
Destes pecados e atitudes, vêm a destruição, no tempo da exaração (proclamação) da profecia, e nos dias atuais, numa lista de erros, que levam a destruição:
Cobiça
Bebedice
Prazeres do pecado
Falta de respeito a Palavra de Deus
Falta de consideração com a ordem divina e as causas de Deus (perigo latente, dentro das Igrejas)
Soberba e arrogância
Pecados multiplicados e levados continuamente, sem expressão de culpa ou arrependimento, consciência cauterizada e insensível
Juízes bêbedos que justificam ao ímpio e condenam o justo, em suas causas
Desprezo pelas Leis de Deus
Desprezo pela Palavra de Deus
É neste tempo e desta forma que o Humanismo e o Relativismo têm entrado com força na Sociedade, seja na Educação, inclusive Infantil, nas relações sociais, seja em relação as regras, e Leis que regem as Constituições, Códigos Penais ou Civis.
Que ao se insinuarem como detentores das regras morais, desconsideram a realidade social da maioria da Sociedade.
A quebra de regramento social é a causa da Violência e da Desobediência Civil, quando levada as últimas consequências, pois há uma errônea noção de liberdade ou mesmo libertinagem.
O ordenamento da Sociedade desde a Antiguidade, é determinada para crescimento geral ordenação das relações e da Justiça, que determina Direitos e Deveres.
Isto vemos, desde o Código de Hamurabi que regrava as relações da sociedade da Mesopotâmia.
A quebra deste regramento cria destempero e nascimento de uma sociedade que se esvairá com consequência impensável, até e destruição dos povos, que assim vivem!
Vivamos os valores Cristãos não nos deixemos enganar!
Bibliologia:
Isaías 5:18—19: AS MENTIRAS, A FORÇA E A LOUCURA DO PECADO
Bíblia Plenitude
Bíblia Dake
Bíblia on line
Bíblia Explicada – S.E.MacNair
Apontamentos do Autor
Site: http://estudandopalavra.blogspot.com.br deste Autor

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical