PAG SEGURO PÓS DIA 10

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

sábado, julho 11

Despertamento Espiritual – Um Milagre Lição 02 CPAD 3º Trimestre 2020


Despertamento Espiritual – Um Milagre
Lição 02 CPAD 3º Trimestre 2020
Estudo Subsídio Pastor e Professor Universitário Osvarela
Texto Áureo
Leitura Bíblica
Ed 1.1-7; Ne 1.1-4
Ed 1.
1 – No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se cumprisse a palavra do Senhor, por boca de Jeremias) despertou o Senhor o espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu reino, como também por escrito, dizendo:
2 – Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor Deus dos céus me deu todos os reinos da terra; e ele me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que é em Judá.
3 – Quem há entre vós, de todo o seu povo, seja seu Deus com ele, e suba a Jerusalém, que é em Judá, e edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém.
4 – E todo aquele que ficar em alguns lugares em que andar peregrinando, os homens do seu lugar o ajudarão com prata, e com ouro, e com fazenda, e com gados, afora as dádivas voluntárias para a casa do Senhor, que habita em Jerusalém.
5 – Então se levantaram os chefes dos pais de Judá e Benjamim, e os sacerdotes e os levitas, com todos aqueles cujo espírito Deus despertou, para subirem a edificar a casa do Senhor, que está em Jerusalém.
6 – E todos os que habitavam nos arredores lhes confortaram as mãos com vasos de prata, com ouro, com fazenda, e com gados, e com coisas preciosas, afora tudo o que voluntariamente se deu.
7 – Também o rei Ciro, tirou os vasos da casa do Senhor, que Nabucodonosor tinha trazido de Jerusalém, e que tinha posto na casa de seus deuses.
Ne 1.
1 – As palavras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu no mês de Quisleu, no ano vigésimo, estando eu em Susā, a fortaleza,
2 – Que veio Hanani, um de meus irmãos, ele e alguns de Judá; e perguntei lhes pelos judeus que escaparam, e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém.
3 – E disseram-me: Os restantes, que restaram do cativeiro, lá na província estão em grande miséria e desprezo, e o muro de Jerusalém fendido, e as suas portas queimadas a fogo.
4 – E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus
“Reavivamento é renovada convicção de pecado e arrependimento, seguida de um intenso desejo de viver em obediência a Deus. É a entrega da vontade a ele em profunda humildade.” Finney
Cito Finney, novamente, falando de Reavivamento ou como ele também usa, Despertamento:
Quando existe falta do amor fraternal e confiança entre os crente», faz-se necessário um reavivamento. Há, nesse momento, um forte clamor para que Deus reavive a sua obra. Espere por um reavivamento quando existirem dissensões, ciúmes e rumores maldosos entre os crentes. Essas coisas mostram que os cristãos se afastaram de Deus e que é hora de pensar seriamente em um reavivamento. O reavivamento é necessário quando há um espírito mundano na igreja- Ela se afunda num estado de apostasia quando se veem os cristãos conformes com o mundo em vestimenta, festas, buscas de diversões mundanas e leituras de romances imorais. Quando a igreja encontrar seus membros caindo em pecados escandalosos e indecentes é tempo de despertai* o clamar a Deus por um reavivamento.” Charles G. Finney, Reavivamento como Experimentá-lo, Capítulo 2, pag.5
EXÓRDIO:
Vivemos a Terceira Onda do Pentecostalismo (Iniciada por Parham, em Topeka e Seymour em Los Angeles). A importância desta vivência deve ser entendida pela Igreja, como a forma de manutenção da Promessa de Atos 1.
Conheci e tive o prazer de receber em casa (casa de meu Pai Primeiro Pastor Presidente da AD Bonsucesso – Rio de Janeiro, que recebeu o novo campo das mãos do saudoso Pastor Alcebíades Pereira de Vasconcelos, na Rua Londres 204-A (local alugado), Hoje a Igreja, após passar pelo templo erguido sob a liderança do pastor Varella, pela Rua Pesqueira, 45 (Sede própria e existente até hoje, situa-se na Rua Frei Jaboatão, na realidade uma extensão da Rua Pesqueira) o Autor desta Lição escrita em 1993, o estimado Missionário Eurico Bergstén, que morou por anos na vizinhança de nossa família, no Rio de Janeiro. Frequentador assíduo de nossos cultos, á convite, de meu saudoso pai, Pastor José Bezerra Varella.
                                     Pastor Eurico Bergstén, acima, e abaixo com a família
Não só ele, mas também, entre tantos conhecidos, à época, como o saudoso Missionário Nels J. Nelson, Pastor Alcebíades Pereira de Vasconcelos, o pastor Antônio Gilberto, o Pastor Lisâneas Dias Maciel, o Pastor Ivan Espíndola D’Avila, o cantor e pastor Feliciano do Amaral, o Pastor Vitorino Silva, o Pastor e Missionário Pastor Natanael da Silveira Beuttenmuller (1921-1994). 
Pastor e antigo líder da Assembleia de Deus em Campina Grande (PB) e Rio Comprido (Rio de Janeiro), que assumiu em 7 de novembro de 1968, assumiu o pastorado da Assembleia de Deus de Rio Comprido. Onde permaneceu na liderança da AD de Rio Comprido até 6 de janeiro de 1970, quando passou a direção para o pastor Antônio Augusto Rocha (Pastor do Gerente da CPAD-SP Pastor Jefferson). A partir desta data, ele passou a trabalhar na Casa Publicadora das Assembleias de Deus, atuando como revisor da revista A Seara.
Lars-Erik Ole (Eurico) Bergstén Foi missionário finlandês enviado pela Missão Sueca para trabalhar no Brasil, pastor, ensinador, escritor, comentarista de revistas de Escola Dominical e professor de escolas bíblicas das Assembleias de Deus. Mais conhecido no Brasil como Eurico Bergstén. Foi renomado ensinador das Assembleias de Deus no Brasil. Nasceu em Helsinque, capital da Finlândia, em 13 de agosto de 1913. Era o terceiro dos seis filhos do casal Nils August e Else Aurora. Autor de inúmeras e importantes obras editadas pela nossa CPAD, entre elas compêndios de Teologia Sistemática, que são utilizados até aos dias de hoje como orientador das Doutrinas Cristãs em muitas Igrejas, entre elas as Nossas Assembleias de Deus.
.  Teologia Sistemática (vários volumes)
. Compêndios sobre A Santa Trindade (Teontologia)
. As Últimas coisas (Escatologia)
. Missiologia Estudo Sobre a Obra Missionaria
. Missões, o Desafio Final
. Introdução À Teologia Sistemática
A Experiencia do Avivamento do Escritor Eurico Bergstén:
Seus pais eram luteranos e ensinaram aos seus filhos a Palavra de Deus. Apesar disso, Eurico passou parte de sua adolescência andando segundo o seu coração.
Aos 17 anos, sentiu forte convicção de pecado quando participava de um acampamento evangélico para jovens e, no dia 6 de julho de 1931, no culto à noite, após o convite, decidiu-se a Cristo. Naquele instante, clamou ao Senhor por misericórdia e foi invadido pelo Espírito Santo, numa experiência que definiu como “um impacto”, que resultou na transformação radical de sua vida.
Em outubro de 1933, aos 20 anos, foi consagrado ao ministério. Pastoreou algumas igrejas no interior da Finlândia. Em 2 de dezembro de 1936, casou-se com Ester Lindfors, que trabalhava no campo como evangelista e também ganhava muitas pessoas para Cristo. Deste matrimônio nasceram cinco filhos: Nils Göran, Ulla,Gitta, Else e Ruy.
Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, foi convidado a pastorear a igreja de Helsinque. O período á frente da igreja em Helsinque foi muito difícil, pois, além de o país estar em guerra, era inverno e a igreja no início só tinha 200 crentes. Apesar das circunstâncias adversas, Deus mandou um grande despertamento à igreja em Helsinque. Muitos desviados retornaram à igreja.
A sua preocupação com os crentes de sua igreja levou a certa vez a passar por um período intenso de oração em sua casa, chegando a desmaiar por três vezes. Depois, Deus acalmou seu coração e concedeu-lhe capacidade para pastorear. Conta-se que era impossível alguém enganá-lo. Quando algo de errado acontecia com algum membro de sua igreja, Deus lhe falava. Quando estava diante de um impasse, Deus orientava-o quanto à decisão certa a tomar. E a igreja continuava crescendo.
Mas, quando o Avivamento estava no auge, Deus lhe ordenou que convidasse um pastor para assumir a igreja. Eurico passaria a ser o vice-líder. Ele obedeceu e passou a cooperar com o novo pastor. Como ele mesmo diria, era uma escola capacitando-o para o chamado seguinte para servir a Deus no Brasil.
Em 2 de setembro de 1948, Eurico e sua família desembarcaram no Rio de Janeiro. Passaram o primeiro ano de adaptação em Belo Horizonte, com o pastor Anselmo Silvestre da Silva, conhecendo como funcionava o trabalho no Brasil, comparando-o com o da Finlândia e o da Suécia, que já conheciam. Em seguida, serviu a Deus em Salvador, de 1949 a 1956, em Recife de 1956 a 1961, em São Paulo de 1961 a 1967 e no Rio de 1967 a 1973. Posteriormente, passou períodos curtos em Belo Horizonte, Recife e Salvador, e em 1978, fixou residência em São Paulo.
Participou do fortalecimento do ministério em São Cristóvão, no Rio. Nesta época, foi tocado por Deus para usar contatos na Suécia para beneficiar a CPAD, conseguindo uma impressora rotativa e outras máquinas, e participou da construção do prédio da CPAD em Vicente de Carvalho.
Também dedicou-se ao ensino da Palavra de Deus. Escreveu 35 comentários para a revista da Escola Dominical e cinco livros de ensino teológico, reunidos pela CPAD em 1999 numa obra única sob o título Teologia Sistemática. Além disso, participou regularmente de escolas bíblicas para obreiros de São Paulo ao Ceará. Pastor Eurico várias vezes declarou a sua paixão pela Palavra de Deus.
Outro aspecto de seu ministério era a obra social. Em 1967, no Rio, sua esposa, Ester, foi tocada pela enorme carência de pessoas residentes em uma favela próxima de sua casa. Ela pediu a Eurico que através de seus contatos na Suécia e na Finlândia conseguisse auxílio de entidades filantrópicas. Assim, teve início a distribuição de sopa na favela do Jacarezinho, no Rio.
O trabalho cresceu e surgiu a Associação de Ação Social Ester Bergstén (Aseb), que repassa recursos para que cerca de 4 mil crianças de até 12 anos recebam diariamente um prato de sopa, em torno de 100 crianças recebam leite e várias famílias carentes, suas cestas básicas. Ele também conseguiu recursos para construir a Escola de Primeiro Grau Missionário Eurico Bergstén, em Fortaleza, onde são custeadas a merenda, o material escolar e a higiene dentária; a Escola Profissionalizante em Caucaia, Ceará, onde também os materiais e as manutenções são custeadas; o Orfanato da Feira de Santana, com 67 crianças, e o Desafio Jovem de Santo André – SP (Do qual tive a honra de conhecer, através de diversos líderes, entre eles, Pastor Davi Monteiro e o atual Pastor Joel Silva, que coopera com o Pastor Joel Freire nos USA).
Avivado até na Hora da Partida:
No fim de 1998, foi avisado por Deus da aproximação da sua morte. No dia em que isso aconteceu, repetiu várias vezes e com muita euforia. Poucos dias depois partiria para o Senhor. Em razão de um edema pulmonar, faleceu às 20h30 do dia 6 de março de 1999. Estava com 85 anos, dos quais 65 de ministério. Ele completaria, no dia 2 de setembro, 51 anos de trabalho missionário no solo brasileiro. O velório foi realizado no Cemitério da Paz, no bairro paulistano Morumbi. Pastor José Wellington, em nome da Assembleia de Deus no Brasil, destacou a humildade e generosidade do “irmão Eurico”, e citou 2 Samuel 3.38: “Não sabeis que, hoje caiu em Israel um príncipe e um grande?”
Após sua partida, foram reunidos todos os sermões que escreveu. Ao todo, quase mil sermões, a maioria em finlandês, para formar um livro. A CPAD já o está traduzindo, para lançar um livro. Será uma riqueza à disposição de todos os servos de Deus. Eurico Bergstén foi um exemplo de dedicação e ensino. Ele influenciou gerações de assembleianos.
“Ele era um genuíno pastor de ovelhas. Amava as almas e vivia por elas. Orava constantemente pelos pecadores. Viajava só para conquistar uma alma para Cristo. Tinha uma vida de oração ininterrupta. O maior homem que já conheci”, definiu sua filha Ulla, que passou os doze últimos anos dedicando-se inteira e exclusivamente ao seu pai. Transcrito e Compilado da página de Rayfran Batista da Silva e escrito por Deusimar Barbosa
Etimologia:
αναξωπυρεω - anazopureo; v. acender, por fogo, inflamar a mente, reavivar, (ser) fervor(oso)
κονιορτος – koniortos e ornumi ("despertar”); n. m. (levantar a) poeira, poeira pairando no ar
παραβασις – parabasis; n. f. reprimenda; metáf. desconsideração, violação - da lei mosaica - quebra de uma lei definida, promulgada, ratificada - criar transgressões, i.e., para que pecados possam tomar caráter de transgressão e desta forma intensificar a consciência do pecado e despertar o desejo pela redenção
παραμυθια - paramuthia; n. f. discurso, com o propósito de persuadir, ou de despertar e estimular, ou de acalmar e consolar; consolação, conforto.
Usando a língua do AT:
עור ùwr - a idéia de abrir os olhos; v. agitar, despertar, acordar, incitar
- (Qal) despertar, acordar
- (Nifal) ser despertado
- (Polel) agitar, despertar, incitar; (Hitpolel) estar entusiasmado, estar triunfante; (Hifil)  despertar, agitar; agir como quem está acordado, acordar
קוץ – quwts - a idéia de despertar subitamente do sono; v. acordar, despertar; despertar, acordar, sair do sono, levantar.
αφυπνοω - aphupnoo; v. despertar-se;adormecer, cair no sono
διεγειρω - diegeiro; v. levantar, acordar, despertar (do sono) - do mar, que começa a ser agitado, subir - metáf. despertar a mente; incitar, fazer ativo
εγειρω – egeiro; (pela idéia de estar em controle das próprias faculdades); v. despertar, fazer levantar - despertar do sono, acordar - despertar do sono da morte, chamar de volta da morte para a vida
Discurso:
Escrevendo em sua obra Teologia Sistemática onde aborda a Trindade Bergstén, diz(sobre, e apontando, para o Avivamento Azusa):
É uma coisa digna de observar que, exatamente quando o Espírito Santo, no início deste Século (Século XX, a obra foi publicada em 1979) começou a operar o cumprimento sobre a restauração nacional de Israel, Ezquias 37.4-8, deu-se início ao maior derramamento do Espírito da história da Igreja. Como resultado deste derramamento, existem hoje várias dezenas de milhões de crentes pentecostais, espalhados pelo mundo inteiro.” Eurico Bergstén, Teologia Sistemática, pag. 10,11
O Avivamento se dá quando há união de interesses, mesmo a distância, como lemos “o ano de 1905, enquanto Frank Bartleman se correspondia com Evan Roberts do País de Gales, e os dois se uniam em oração, o Sr. Bartleman e outros, divulgavam em Los Angeles, a mensagem do Avivamento de Gales exortando o povo a orar.” John Walker, Los Angeles, Califórnia, Janeiro de 1962
Haverá um Despertamento Espiritual em todos os crentes, mas a centelha se inicia, por vezes, (embora, hoje vivamos sob aquela centelha) quando há interesse de apenas um ou dois crentes pelo Despertamento na sua Comunidade, ou observando o que está acontecendo em Igrejas próximas, ou distantes. A poeira, as cinzas de certos altares, incluindo os nossos pessoais, precisam ser assopradas, para despertarmos do sono da queda em uma situação de confortável.
Precisamos tomar consciência do que está ocorrendo, termos a sensação de que estamos tomando uma reprimenda de Deus, pelo Seu Santo Espírito.
A Intercessão e o Despertamento Espiritual:
São precisos intercessores.
É preciso um espírito humano que dê ouvidos ao Espírito Santo e entenda a Voz do Deus Altíssimo!
Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita [...] Eu o despertei em justiça, e todos os seus caminhos endireitarei; ele edificará a minha cidade, e soltará os meus cativos, não por preço nem por presente, diz o Senhor dos Exércitos.” Isaías 45: 1;13
É preciso um homem ser despertado por Deus, um Seu Ungido:
1 – No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se cumprisse a palavra do Senhor, por boca de Jeremias) despertou o Senhor o espírito de Ciro, rei da Pérsia
"Maravilhou-se de que não houvesse um intercessor" Isaías 59:16.
"Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei." Ezequiel 22:30
A mensagem destes profetas ainda busca atingir nossos corações, em meio a Pandemia, em meio a crises foi que a Obra de Deus se soergueu, seja no AT ou na Era Pós-Apostólica, como nos dias da Rua Azuza.
É necessário sabermos o tempo  de Deus para cumprir suas promessas.
Assim, Paulo diz, “E isto digo, conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé” Romanos 13.11
A Igreja necessita conhecer, não só as estações do ano cronológico, como o ano de Deus.
Já estamos na Consumação dos Tempos?
Creio que sim!
“Conhecemos o tempo (11; ton kairon) em que vivemos. A palavra grega significa “tempo divino”, como uma diferenciação de chronos, que é o tempo expresso pelo calendário.
Kairos é um momento divinamente determinado no processo do tempo, e é usado tecnicamente no Novo Testamento como referência ao tempo anterior à Parousia de Cristo (1 Co 7.29). Conhecendo o tempo, nós não nos comportamos como aqueles que não sabem que o final está próximo. Nós percebemos que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé. Nós vivemos esperando o dia da salvação que está raiando.”
Paulo nos fala, nesta Epístola acerca do tempo antigo como o tempo do pecado e da morte que se encontra sob a ira de Deus. Agora ele o compara com a noite. A noite é passada, e o dia é chegado (12). Raiou a Luz e ela não pode se apagar, é tempo de Despertamento Espiritual.


Qual de nós está pronto a fazer a Oração de Habacuque?
“Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia.” Habacuque 3:2
É neste tempo de dificuldades que, a Igreja necessita passar por um novo Despertamento Espiritual.
Como já anunciava Eurico Bergstén, em sua lição de 1993.
1 – As palavras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu no mês de Quisleu, no ano vigésimo, estando eu em Susā, a fortaleza,
2 – Que veio Hanani, um de meus irmãos, ele e alguns de Judá; e perguntei lhes pelos judeus que escaparam, e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém.
3 – E disseram-me: Os restantes, que restaram do cativeiro, lá na província estão em grande miséria e desprezo, e o muro de Jerusalém fendido, e as suas portas queimadas a fogo.
4 – E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus
Neemias foi um que se impactou com as notícias que anunciavam o que havia ocorrido com sua cidade, mesmo de longe ele, mantinha interesse nas condições de sua pátria.
É, como disse, na hora da pior situação que, vem o Intercessor e promove restauração, aí Deus vai prover o necessário, e hoje o necessário para o Despertamento já foi concedido:
“Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” João 14:26,27
Mesmo de longe, devemos nos manter atentos as condições da nossa Igreja (aqui como Um só Corpo, não importa região ou lugar).
“Na verdade, na verdade vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria. A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já não se lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um homem no mundo. Assim também vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará.” João 16:20-22
Neemias se coloca em intercessão, aquele que sabia que era “O Deus dos Céus”.
Onde estão os Neemias, de hoje?
“..., conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé” Romanos 13.11
Antes da Pandemia, que vejo como um período de reflexão para os crentes, quiçá, de nós pastores, para examinar a situação da Igreja:
- A entrada do Hebraísmo, em nossas liturgias (Arca da Aliança, Altar de fogo. etc.;
A entrada do pior do Neopentecostalismo [já temos AD’s, antes tradicionais, vendendo espaço em seus programas de TV’s para contar o Testemunho de compra de carros, apartamentos, crentes que se tornam “milionários” do dia para a noite (perto de nós), se o fundador pudesse ver expulsaria todos da Igreja]; isto não é Despertamento, é desculpem a “neo” palavra e o filologismo errôneo: “Enganamento
- A entrada do pior da Pregação da Prosperidade;
- A entrada em nossos púlpitos dos Comerciantes da Palavra (interessante que, nas redes sociais, já distendendo as normas de distanciamento, surgem febris, pregadores vendendo suas pregações querendo compensar o que “perderam”);
- A entrada de venda de shows gospel em nossas Igrejas;
- A venda de espaço para Movimentos ilegítimos de “Avivamento/Movimento””
- A venda de Ministérios;
- A consagração por mérito social, ou financeiro.
É por isto que, o tempo é de Despertamento Espiritual!
É notório que, as profecias sempre falaram do desejo de Deus em restaurar seu povo, não foi e não é diferente com a Igreja, seja nas épocas da obscuridade, seja, na época das perseguições romanas, seja na Idade Medieval, sempre houve um clamor dos Céus para o Despertamento. Nós estamos vivendo uma hora única, a qual, Deus preparou para cumprir suas promessas proféticas, neste presente momento mundial.
A Igreja está com portas fechadas, algo nunca visto, por conta da “Pandemia”, coloco aspas, não por não crer na doença, em si (é fato real e assustador), mas ela tem sido um argumento forte para fechamento das Igrejas e locais de culto, pois a Igreja está funcionando, nas casas, nos cultos online, nas redes sociais.
Mas, as portas dos templos, foram fechadas, enquanto hipermercados, bares, restaurantes, foram abertos, e outros locais de aglomeração, como as conduções coletivas (tem e metrô) que, possuem potencial forma de disseminação da doença funcionam (destaco que, o direito do trabalho, da obtenção do provento e o direito de ir e vir, tem que ser mantido, sob condições sanitárias).
Continuando: a Igreja tem alimento para atingir o centro emocional humano, a “ânima” (alma) que é a Palavra de Deus, com Oração.
Deus que cumprir, em meio a isto a suas promessas.
"A profundidade de qualquer avivamento será determinada precisamente pela profundidade do espírito de arrependimento que o produziu."
Despertamento Espiritual – Arrependimento:
Arrependimento traz dor, isto é, o verdadeiro arrependimento, as dores são constantes enquanto o homem não está satisfeito consigo mesmo - ou seja, até que vá para a eternidade e trazem dor ao coração de Deus, pois, Ele quer cumprir suas Promessas em nós.
Antes do Despertamento, Deus sempre pediu arrependimento, para cumprir Suas Promessas:
Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal. Quem sabe se não se voltará e se arrependerá, e deixará após si uma bênção, em oferta de alimentos e libação para o Senhor vosso Deus? Tocai a trombeta em Sião, santificai um jejum, convocai uma assembléia solene. Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai as crianças, e os que mamam, ...” Joel 2:12-16
Para que a Promessa se cumpra. E é tempo de Despertamento com Arrependimento:
“E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça.” Joel 2:28-30
O Novo Testamento, desprezada a ordem cronológica de sua escritura, inicia com uma mensagem para chegada do Novo, da Plenitude, com a pregação ao Arrependimento por João O Baptista, às margens do Jordão, para onde ocorriam toda a multidão, independentemente do nível social, profissão ou confissão de fé, nas Veteroescrituras.
Como está escrito nos profetas: Eis que eu envio o meu anjo ante a tua face, o qual preparará o teu caminho diante de ti. Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, Endireitai as suas veredas. Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados. E toda a província da Judéia e os de Jerusalém iam ter com ele; e todos eram batizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados.” Marcos 1:2-5
Para que pudesse Jesus se apresentar e Ministrar o perdão dos pecados, de forma definitiva, e o Apóstolo Pedro poder afirmar no Dia do Pentecostes:
“Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne, ...” Atos 2:16,17
O Pensamento de Deus:
“E isto digo, conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé” Romanos 13.11
É despertar a Igreja do sono da indolência e conforto espiritual.
Derramar a Sua Promessa.
Finalizo com Finney, como iniciei e alinhei o pensamento sobre Despertamento Espiritual:
“Uma igreja assim decadente não pode continuar a existir sem reavivamento. Se ela receber novos membros, eles serão nu sua maioria ímpios. Sem reavivamento não haverá, sequer, tantas pessoas convertidas quanto as que morrem em um ano. Existem igrejas onde todos os membros morreram espiritualmente, e visto que não houve reavivamentos para converter a outros que tomem seus lugares, a igreja morreu e a organização dissolveu-se.
Sem reavivamento, os pecadores tornar-se-ão cada vez mais insensíveis, apesar das pregações. Seus filhos e amigos permanecerão sem salvação se não houver reavivamento para convertê-los. Seria melhor para eles que não houvesse meios de graça, santuário, Bíblia e pregações, do que viver e morrer onde não há reavivamento.
Não há outro caminho para a igreja se santificar, crescer na graça e preparar-se para o céu. O que vem a ser crescer na graça? É ouvir sermões e ter algumas idéias novas a respeito de religião? Não, de modo algum. Os cristãos que só fizerem isso, tornar-se-ão cada vez piores, cada vez mais endurecidos. Será, finalmente, quase impossível despertá-los.
Somente com O Espírito de oração, pode-se esperar um reavivamento quando os cristãos possuírem o espírito de oração para o reavivamento. (compilado e adaptado, em pequenos trechos.” Charles G. Finney, Reavivamento como Experimentá-lo, Capítulo 2, pag.6
Bibliologia:
Citações no corpo do estudo
Teologia Sistemática – Eurico Bergstén Edição 1979 – CPAD
A História do Avivamento, Azusa, Frank Bartleman, Editora D'Sena / Worship
Apontamentos do autor, no site e link:
http://estudandopalavra.blogspot.com/2011/06/licao-n-13-cpadaviva-o-senhor-tua-obra.html
Dicionário Strong
Lições CPAD
Site EBD
Comentário Bíblico Beacon - ROMANOS e 1 e 2 CORÍNTIOS

sexta-feira, julho 10

Assembleia de Deus no Mato Grosso-COMADEMAT e Cuiabá Novas lideranças

COMADEMAT tem Novo Presidente, Pastor João Agripino de França e o  Pastor Silas Paulo de Souza( que dirigia Campo a 242 km, Tangará da Serra) assumiu por decisão da Reunião Extraordinária da Convenção do Mato Grosso a presidência do Ministério de Cuiabá. 
Pastor Sebastião Rodrigues (in memoriam)com Novo Presidente Pastor João Agripino de França 
Pastor Silas Souza - Novo Presidente Cuiabá 
Pastores Sebastião e Rubens Siro (In memoriam)
Pastor Silas era um dos vices presidentes do seu saudoso pai o Decano Pastor Sebastião Rodrigues. Pastor João Agripino que era 2°vice-presidente da COMADEMAT Assumiu a presidência da Convenção. Cuiabá deverá ser sede da próxima Convenção Geral Ordinária da CGADB presidida pelo Pastor Wellington Jr e tem como Presidente de honra nosso Pastor José Wellington Bezerra da Costa. Deus abençoe aos novos líderes das Assembleias de Deus no Mato Grosso.
O 1°vice-presidente era o pastor Rubens de Várzea que faleceu na semana passada antes do Presidente Pastor Sebastião Rodrigues

sábado, junho 27

Lição 13: A Batalha Espiritual E As Armas Do Crente CPAD — 28/06/2020

Lição 13: A Batalha Espiritual E As Armas Do Crente

CPAD — 28/06/2020

Estudo Pastor Professor Universitário Osvarela

Texto Áureo

“Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as  astutas ciladas do diabo” Efésios 6.11.

Leitura Bíblica

Efésios 6.10-20

10 – No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.

11 – Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo;

12 – porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

13 – Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

14 – Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça,

15 – e calçados os pés na preparação do evangelho da paz;

16 – tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.

17 – Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus,

18 – orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos

19 – e por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com  confiança, para fazer notório o mistério do evangelho,

20 – pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar.

Texto Apoio:

“Pois vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs o capacete da salvação na sua cabeça, e por vestidura pôs sobre si vestes de vingança, e cobriu-se de zelo, como de um manto.” Isaías 59:17

Objetivo Geral

Mostrar que o uso da armadura de Deus assegura a vitória no campo da batalha espiritual.

Objetivos Específicos

Demonstrar qual deve ser o preparo espiritual do crente para a batalha;

Apresentar o campo da batalha espiritual;

Saber quais são as armas espirituais indispensáveis ao crente.


Discurso:

Paulo um judeu, cidadão romano de nascimento, de Tarso, foi o escritor bíblico inspirado para descrever e escrever uma série de Doutrinas, que a Igreja absorveu até hoje. Seu estilo único é tomado de figuras, de linguagem e de manifestações do Espírito, para ensinar a igreja de maneira que todos possam entender, o que ele ensinava.

Desta maneira, ao longo da Epístola aos Efésios ele usa figuras variadas de linguagem, fruto da mente de um homem que observou o panorama geopolítico, histórico e cultural da sua época.

Sábio em ensinar com figuras e introduzir-se em assuntos de forma tal, que seus ouvintes e leitores se transportam, até hoje para a ambiência cultural e real da sua época.

Como no Areópago, como ao descrever a sua própria conversão no Caminho de Damasco, como ao descrever cenas espirituais, como os Dons do Espírito, ao compará-los com frutos.

Sua literatura é cheia de figuras:

Frutos

Edifícios

Casamento

Noivo

Marido

Lutadores

Boxeadores

Corredores

Olimpíadas

11 – Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo;

Dados da vida comum, agora neste capítulo ele utiliza-se da figura de guerra, de soldados em batalha e seus apetrechos de luta, que era travada no corpo-a-corpo do campo de batalha, adredemente preparado, para enfrentar uma luta contra um forte inimigo.

O campo de batalha, não é o campo físico, o que torna esta luta uma luta que atinge o homem total e interior, mente, corpo e espírito.

Tomando as palavras do Evangelho de Cristo, Paulo menciona que é o Inimigo: Diabo, Satanás, a antiga serpente, que tento o próprio Jesus Cristo.

10 – No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.

Paulo, no entanto, introduz a seção final, com uma forma gramatical de finalização da Epístola:

No grego temos as palavras “to loipom”, que significam “finalmente”, uma expressão comum, usada para encerrar uma seção ou discurso, com orientações finais.

Aliás, Paulo já introduzira o conceito desta guerra, e separação do mundo físico e do mundo místico ou sobrenatural, das regiões cósmicas, onde há poderes que incitam o homem ao erro.

“Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência;” Efésios 2:2

Como a dizer: “além de tudo que vos falei, existe”, porém,  a necessidade de um revestimento espiritual, para poderdes observar e cumprir, estas orientações, pois há alguém, um ser não físico, mas que atua no físico, mesmo operando no ar, nas regiões onde atuam as potestades, poderes cósmicos (vide Daniel 10;12), e para lutar, não basta estar determinado a realizar tudo que vos tenho dito, necessário é: Ser Revestido de poder celestial! Lembrando que a Igreja está assentada, em Cristo, nas Regiões Celestiais”!

“E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.” Lucas 24:49

Ele ressalta que tipo de luta estamos travando e quem é o Inimigo. Não é por acaso, que Paulo usa o termo "luta", pois ele que indicar que estamos envolvidos em um confronto direto e que, portanto, não somos apenas expectadores de um jogo. Satanás deseja usar nosso inimigo externo, o mundo, bem como nosso inimigo interno, a carne, para nos derrotar. Suas armas e seu plano de batalha são terríveis.

“..., fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, .... Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” Efésios 6:10,11, 12

Paulo discrimina:

Quem dá Fortalece: fortalecei-vos no Senhor;

Força de Deus: força do seu poder.

Revestimento: Revesti-vos

Equipamento de guerra: armadura de Deus,

Motivo: .... Porque:

Tipo de Luta: Não temos que lutar contra a carne e o sangue

Aos ajudantes de Satanás, Paulo chama de "principados e potestades [...] dominadores [...] forças espirituais do mal, nas regiões celestes" (Efésios 6:12).

A releitura do versículo, proposta por Charles B. Williams:
"Pois nossa peleja não é somente contra inimigos humanos, mas contra os governantes, autoridades e poderes cósmicos deste mundo tenebroso; ou seja, contra os exércitos de espíritos do mal que nos desafiam na luta celestial".

Inimigos:

Principados,

Potestades,

Príncipes das trevas

Hostes espirituais da maldade

Local da guerra: lugares celestiais

A obtenção mística (sobrenatural) é necessária pois, o Inimigo, com suas hostes atua no ambiente invisível.

Paulo utiliza o termo “endunamoo”, que significa “fortalecer”, “tornar-se forte”. Temos aqui a convocação dos crentes a buscarem o poder espiritual, tão plenamente ilustrado em Efésios 1:19-23. É somente através do poder de Deus, que ressuscitou e exaltou a Cristo, assim conquistando todos os seus adversários (Colossenses 2:15), que podemos esperar obter uma vitória similar. Esse poder nos é conferido misticamente, através da influência e operação do Espírito de Deus.

ενδυναμοω - endunamoo; v. ser forte, revestir-se com força, fortalecer; receber força, ser fortalecido, crescer em força; num sentido negativo - ser arrogante, obstinado

εξουσια – exousia; poder físico e mental; habilidade ou força com a qual alguém é dotado, que ele possui ou exercita; o poder de reger ou governar (o poder de alguém de quem a vontade e as ordens devem ser obedecidas pelos outros); o principal e mais poderoso entre os seres criados, superior ao homem, potestades espirituais. Obs.: Os anjos foram criados em forma superior aos homens.

Paulo informa aos crentes de Éfeso que estas hostes e potestades tem um líder - Satanás.

Este nosso inimigo e de Deus tem vários nomes.

Diabo significa "acusador", pois ele acusa o povo de Deus dia e noite diante do trono de Deus (Ap 12:7-11).

Satanás significa "adversário", pois ele é inimigo de Deus . Também é chamado de "tentador" (Mt 4:3), "homicida" e "mentiroso" (Jo 8:44).

A quem é comparado, em forma de linguagem literária:

A um leão (1 Pe 5:8),

A uma serpente (Gn 3:1; Ap 12:9)

A um anjo de luz (2 Co 11:13-15),

Também denominado "o deus deste século" (2 Co 4:4).

O apóstolo passa a informar que mesmo este Inimigo poderoso, pela sua atuação parasitária, no homem, só pode ser combatido, com um tipo especial de Armadura.

Deus coloca a disposição do homem, sem intervir, mas disponibilizando a cada crente da Igreja redimida, que a toma pela fé.

13 – Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

Não diz: Deus vai vos revestir, mas devemos tomar, de Deus para resistir, é a ação do livre-arbítrio e da ação da Fé, na pós-ruptura na nossa conversão, da qual, Paulo está orientando aos efésios tratando-os com revelações, apresentando mistérios e por fim (“No demais”), coo o crente deve se apropriar destas armas que estão disponibilizadas, a Igreja.

13 – Portanto, tomai toda a armadura de Deus

Gostaria de destacar, alguns aspectos deste ensino paulino.

Devemos – tomar, ou seja, está disponível;

Eficácia: para resistir, só estas armaduras, em sua totalidade pode nos fazer resistir, a estas potestades; não devemos deixar parte alguma de fora.

13 - “..., para que possais resistir no dia mau, ...”

Momento: há um momento que não sabemos qual será, quando necessitaremos estar armados e revestidos, desta armadura, então não há como deixar de utilizar e estar revestido de toda a armadura, como também só utilizarmos uma das peças desta armadura.

Aprenda: “O dia é mau e o inimigo é mau, mas "se Deus é por nós, quem será contra nós?" Romanos 8:31.

Dia mau – Paulo já ensinara o que é o dia mau, as Escrituras advertem que desde a juventude nos devemos preparar para os ias Maus, “ antes que venha o dia mau, e digas: não tenho nele prazer”, assim o crente tem que estar preparado para o dia mau, e revestido de toda armadura de Deus.

Remindo o tempo; porquanto os dias são maus.” Efésios 5:16

14 – Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça,

15 – e calçados os pés na preparação do evangelho da paz;

16 – tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.

17 – Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus,

18 – orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos

Messianismo de Isaías é a base de inspiração deste ensino Paulino:

“Pois vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs o capacete da salvação na sua cabeça, e por vestidura pôs sobre si vestes de vingança, e cobriu-se de zelo, como de um manto.” Isaías 59:17

Como dissemos no início deste estudo:

Paulo pensava na constituição das antigas armaduras.

Formadas, basicamente dos seguintes elementos, (uns de defesa e outros de ataque) escudo, espada, lança, capacete, e armadura das pernas (que cobria as coxas até aos joelhos), conforme nos informa Políbio e outros escritores antigos. (Thuc. iii, 14; Isocr. 352 D; Herod. i.60; Platão, Leis, vii., pág. 796 B; Políbio vi. 23,2).

Como Paulo convivia na época do Exército romano, sem dúvida, o soldado romano  e sua armadura está em vista neste trecho.

Paulo inicia dando a posição e cada elemento e onde deverá estar posicionado, tal qual no corpo humano, no corpo espiritual do crente, para esta guerra.

οσφυς - osphus; n. f. quadril (lombo); cingir, cercar, os lombos; lombo, (dois) quadris - o lugar onde os hebreus achavam que o poder generativo residia (sêmen).

Etimologia: Deambular é um termos técnicos de enfermagem muito utilizado e significa simplesmente andar, caminhar. Sou Enfermagem Em: 27/07/2018

A deambulação, ou o modo de caminhar do homem, principalmente numa posição de guerra depende do equilíbrio ao caminhar determinado pelos quadris. Muitas vezes colocamos lombos, como a parte dos ombros, mas na realidade, lombos é a região dos quadris, onde a mãe apoia as penas da criança e anda quilômetros, onde o que puxa um peso coloca uma faixa para reforçar seu esqueleto e músculos.

14 –firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e

“...Estai...firmes...” refletem novamente o verbo grego “istemi”, que significa “permanecer”,

Nas línguas da Escritura do Antigo Testamento encontramos definições da etimologia usada para definir algumas palavras, com maior compreensão:

chagowr ou חגר - chagor e (fem.) חגורה - chagowrah ou חגרה – chagorah; n. pr. m. cinturão, cinto; cinturão, cobertura para os lombos, cinto, tecido para os lombos, armadura.

חלץ - chalats ou (plural) חלצים; n. f. pl. lombos; como lugar de virilidade; cingidos - como lugar de dor (sofrimento da mulher).

ירך - yarek; n. f. coxa, lado, lombo, base – coxa, fora da coxa (onde a espada era usada), lombos (como o lugar do poder de procriação);  lado.

fora da coxa (onde a espada era usada)” – sem o lombo estar preparado ou cingido, onde se colocaria a espada?

Entendo que Paulo, pensou nestes termos ao escrever este trecho da epístola.

πανοπλια - panoplia; n. f. armadura inteira e completa; inclue escudo, espada, lança, capacete, grevas, e peitoral

O cinto é o que liga a armadura para ela não ficar solta e alguns elementos sem poderem ser utilizados.

O cinto mantinha unidas as outras partes da armadura, e a verdade é o elemento de integração na vida do cristão vitorioso.

A vida do crente e da Igreja é formada de união, há uma ligação, que é Cristo, A Verdade na vida da Igreja Redimida.

περιζωννυμι - perizonnumi; v. prender as vestes com uma cinta ou cinto; cingir-se; metáf. cinturão da verdade - equipar-se com o conhecimento da verdade

“E  a justiça será o cinto dos seus lombos,

e a fidelidade o cinto dos seus rins.” Isaías 11:5

A justiça de Deus é a revelação de Paulo, se andarmos dentro dela seremos vitoriosos, em nossas batalhas, e o inimigo nada terá para nos acusar.

..., vestida a couraça da justiça,

Esta é a parte da armadura, formada de placas ou de cadeias de metal, cobria a parte posterior e anterior do corpo desde o pescoço até a cintura. Simboliza a justificação do cristão em Cristo (2 Coríntios 5:21) e sua vida justa no Senhor (Efésios 4:24). Ela além de proteger o soldado, protegia a centúria, o batalhão, como exemplo pelo qual se todos estão em justiça  a Igreja Redimida vence as suas lutas. Existia uma formação do exército romano que ao ser executada, os soldados se protegiam, por cima, com os escudos, pelos lados idem e as couraças eram determinantes na hora da formação para ataque e defesa. O soldado o segurava diante de si para protegê-lo de lanças, flechas e "dardos inflamados". As beiradas do escudo tinham um formato que permitia a uma linha inteira de soldados encaixar um escudo no outro e marchar sobre o inimigo como uma parede sólida.

15 – e calçados os pés na preparação do evangelho da paz;

Assim como os quadris, os lombos determinam a estabilidade do homem, principalmente na guerra, os pés bem calçados determinam maior conforto e causam menos dores aquém está lutando calçado. Como hoje alguns calçados de esportes usam cravos, naqueles dias as sandálias de guerra dos soldados romanos continham cravos para manter a posição, principalmente numa luta homem-a-homem, espada com espada, mantendo-os mais firmes nesta hora.

Toda a preparação que produz a prontidão para enfrentar o inimigo, para obter a vitória espiritual e conferi-la a outros, o que se encontra no recebimento correto do evangelho e no seu uso correto.

Algo que tem sido pedra de tropeço para muitos, o mau uso do Evangelho, transformando-o em “arma” para conquistar massas, mas de forma que o Homem seja o centro da Mensagem, e não Jesus Cristo. Assim, como não há Evangelho sem Cruz, não há pregação sem Cristo da Cruz!”

Toda a Mensagem do Evangelho que nos faz caminhar é forjada e baseada sobre Jesus Cristo a Rocha! Osvarela

O crente tem que ter seus calçados firmas nas palavras do Evangelho que nos garantem a estabilidade espiritual, permanecendo firmes no Evangelho da Verdade.

O Evangelho que usamos para manter a nossa mente firmada em Cristo e nas Suas Promessas, também é o Evangelho que usamos par a Guerra com as potestades e apara manter a Paz entre a Igreja Redimida.

“A fim de estabelecer a paz de Deus no universo, que é o nosso desígnio final, precisamos combater contra o mal espiritual que perturba essa paz”. (Beare, in loc.).

Exemplo:

Jesus venceu Satanás pelo poder da Palavra:

“Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito:

Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.” Mateus 4:10

Justiça se consegue com Paz:

“Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.” Tiago 3:18

Paz é fundamento da Koinonia na Igreja:

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem ... ninguém verá o Senhor;” Hebreus 12:14

16 – tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.

As lutas daqueles tempos eram encarniçadas e um dos armamentos mais usados eram os dardo inflamados, que os arqueiros do inimigo lançavam flechas que com fogo que caiam sobre os inimigos ateando-lhes fogo. Assim, a nossa mente é atingida, como alvo preferencial do Inimigo para ser atingidas pelos dardos do maligno para causar: dúvida, ira, desejos da carne, pensamentos de erro.

Proteja sua mente pensando em Jesus e nas Suas palavras, na Bíblia Sagrada.

17 – Tomai também o capacete da salvação e

περικεφαλαια - perikephalaia; n. f. capacete; metáf. proteção da alma que consiste na (esperança de) salvação

O “capacete”, proteção para a cabeça, um alvo do inimigo. Paulo deveria estar e ter em lembrança as plumas vermelhas em crista dos capacetes romanos, sobre o metal que reluzia ao sol da Palestina e que era temido , aonde chegasse. Paulo faz o capacete representar a “salvação”. A salvação nos cobre pelo sangue de Jesus Cristo e é vista de longe pelo inimigo.

Defesa e ataque:

17 (b) a espada do Espírito, que é a palavra de Deus,

Políbio descreve, assim a armadura romana:

“A panóplia romana consiste primeiramente de um escudo de superfície convexa, de 0,75 cm de altura; na beirada, sua espessura é da largura de u’a mão... Juntamente com o escudo há a espada; e esta o soldado leva em sua coxa direita, chamada ‘espada espanhola’. Permite um golpe poderoso e profundo com ambos os fios, pois a lâmina é forte e firme. Além disso, o soldado leva dois dardos, um capacete de bronze e grevas...A maioria dos soldados também usa uma chapa de bronze, da largura de um palmo para cada lado, e que colocam sobre o peito—chamam-na de ‘protetor do coração’; e aqueles que valem mais de dez mil dracmas, ao invés do protetor do coração usam uma cota de malhas». (Políbio, História, Vi. 23).

“Thoraks”, o “peitoral”, que consistia de duas partes, chamadas “asas”. Uma delas cobria a região inteira do peito, a parte frontal do tórax, protegendo os órgãos principais da vida, ali contidos. E a outra parte cobria uma parte das costas. Paulo faz isso representar a «justiça» ou «retidão». (v.14).

4. “Knemidés”, as “grevas”, que serviam para proteger as canelas, isto é, do joelho para baixo, e com frequência com uma extensão de couro que também protegia o pé.

5. “Cheirides”, uma espécie de «luvas» que serviam para defender as mãos, bem como o antebraço, até ao cotovelo.

Tipos de escudo:

Com base no que estamos estudando, neste texto, cremos que Paulo usa como símbolo da “fé” (v. 16).

Escudo: Era o “aspis” ou o “chiled”.

Naqueles dias havia várias formas, feitas de diferentes metais.

Na Mitologia grega: O escudo de Aquiles, que teria sido feito por Vulcano, seria circular, composto de cinco chapas de metal, sendo duas de bronze, duas de estanho e uma de ouro. Descrito na Híada, Upsilon, v. 270:

Cinco chapas de vários metais, vários moldes, compunham o escudo; de bronze cada um se dobrava para fora. De estanho, cada um para dentro; e o do meio, de ouro.

“Gerron”, ou “guerra”, um pequeno escudo quadrado, que a princípio foi usado pelos persas.

«Laiseion», o escudo de forma oblonga, coberto com couros ásperos, ainda com os pêlos.

O escudo amazônico. “Peite”, o “escudo leve”, na forma de uma lua crescente, com um pequeno ornamento similar às pétalas recurvas de uma flor de luce, no centro de uma linha diagonal reta, que passava perto de uma das beiradas. Esse era

“Thureos”, o “scutum” ou “escudo oblongo”, feito de madeira e recoberto de couro, mas já sem os pêlos. Tinha o formato do “laiseion” (descrito acima), embora fosse muito maior. Seu nome se deriva da palavra “thura”, que significa “porta”», visto que se assemelhava a portas de tamanho comum, quanto à sua forma.

Nos dias de Paulo, o “aspis” e o ‘thureos” eram os escudos mais usados. O primeiro se destinava a soldados levemente armados, e o último para soldados pesadamente armados.

18 – orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos

A oração, é como a hidratação de quem está em luta, seja um boxeador, seja um corredor em disputa, eles precisam de energia e hidratação para se manterem na luta. Sem a oração “em todo o tempo” e vigilantes, posição de um soldado no campo de guerra, não há vitória possível para um soldado, um lutador, porque o inimigo é estatuto e aguarda um momento de desatenção para nos atacar:

Não há versículo tão esclarecedor deste ensino de Paulo do que a expressão petrina:

“ Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;” 1 Pedro 5:8

Orar a todo tempo = "Orar sem cessar" (1 Tessalonicenses 5:17) significa estar sempre em comunhão com o Senhor, estar conectado com ele a todo tempo.

“Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual;” Colossenses 1:9

Estejamos pois atentos a estes estudos da Epístola Aos Efésios, pois são de maior valia, neste tempo de dificuldades que a Igreja Redimida enfrenta, mas temos o Espírito Santo, nos ajudando a todo momento e agora cobertos pela panóplia espiritual, que devemos tomar. Volto a dizer:

Deus nos orientou e disponibiliza as armas, mas cada um tome a sua panóplia individualmente e quando o Inimigo, me atacar e a Igreja formamos um esquadrão celestial para defesa pessoal e coletiva.

Bibliografia:

Comentário Bíblico Expositivo, Novo Testamento, Volume II, Warren W. Wiersbe

O Novo Testamento Interpretado, Versículo Por Versículo, Russell Norman Champlin, Ph. D. Volume 4

Dicionário Bíblico Strong, Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong, © 2002 Sociedade Bíblica do Brasil

Apontamentos do autor

Lições Bíblicas da EBD – CPAD 2º Trimestre 2020

Bíblia online

Seguidores

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical