sábado, agosto 13

A BELEZA DO SERVIÇO CRISTÃO.- Lição 07-CPAD-

Lição 07
A BELEZA DO SERVIÇO CRISTÃO.
Autor : Osvarela
Igreja – Agente Transformador da Sociedade.
Texto áureo:João 13.14.Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros.
Gl.2.10. recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres; o que também procurei fazer com diligência.
Serviço - s. m. Ação ou efeito de servir.
Desempenho de funções obrigatórias; trabalho.
Produto da atividade do homem destinado à satisfação de necessidades humanas.
A máxima da caridade é pôr as leis do amor a serviço do combate da injustiça”. Osvarela
Definição: Serviço Cristão é satisfazer na plenitude as necessidades e desejos dos que nada tem. Na mente de cada pessoa há uma consciência de necessidades e desejos, as vezes não estão completamente claros, mas existem.
A Beleza do Serviço Cristão é conseguir, com a mente de Cristo atender aqueles que necessitam de maneira totalmente voluntária e naturalmente exercida sob a égide do caráter cristão em nós, imitando a Cristo!
Leitura Bíblica:
João 13. 12 Ora, depois de lhes ter lavado os pés, tomou o manto, tornou a reclinar-se à mesa e perguntou-lhes: Entendeis o que vos tenho feito?13 Vós me chamais Mestre e Senhor; e dizeis bem, porque eu o sou.14 Ora, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros.15 Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.16 Em verdade, em verdade vos digo: Não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou.17 Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.
Atos 2.42. ...e perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.43 Em cada alma havia temor, e muitos prodígios e sinais eram feitos pelos apóstolos.
44 Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum.45 E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um.46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração,47 louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.
I- NO ESTUDO DA ECLESIOLOGIA encontramos alguns aspectos da Missão Integral da Igreja.
Entre eles aspectos formadores da Igreja como ente divino aqui neste Mundo.
Estamos estudando nesta lição alguns destes aspectos.
Entendo que todos os aspectos da Igreja são de caráter espiritual.
Doutrinariamente devemos entender isto, para que seja possível estudar de maneira espiritual o Tema desta Lição.
Parece obvio que devamos estudar de maneira espiritual, mas o que ressalto é que todas as ações da Igreja são dominadas pelo pensamento cristológico, por aqueles que têm a mente de Cristo.
Cl. 3.17. E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. 23. E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor...
Rm. 12.8. Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.
Serviço servitium; obsequium; servitio; militiae
διακονια diakonia
1) serviço, ministério, esp. daqueles que executam os pedidos de outros
2) daqueles que pelo pedido de Deus proclamam e promovem religião entre os homens
2b) do ofício dos apóstolos e sua administração
3) serviço daqueles que brindam aos outros os ofícios da afeição cristã esp. aqueles que ajudam a atender necessidades, seja pelo recolhimento ou pela distribuição de caridades
4) ofício do diácono na igreja
5) serviço daqueles que preparam e ofertam alimento
Tg. 1.27. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.
A pobreza advinda da espoliação dos romanos, mais a ganância dos publicanos – vide Zaqueu – e do Sinédrio, mais dos Sacerdotes, que comiam do altar, haviam deixado a sociedade empobrecida e sem meios, quase algum de sobrevivência.
1-Assim, nasce um meio de atender aos pobres:
Primeiro pela ação comunitária do repartir do pão, que se aliou a uma questão espiritual sacramental a Ceia do Senhor, que também tipifica a Páscoa, quando o sentimento de repartir além de espiritual e de caridade.
Ex. 12.3. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. 4 Mas se a família for pequena para um cordeiro, então tome um só com seu vizinho perto de sua casa, conforme o número das almas; cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro.
ATOS 6.1-2. Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas daqueles estavam sendo esquecidas na distribuição diária.E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas.
A questão da sociedade do nascedouro da Igreja em Jerusalém motivou o nascimento da atividade da Igreja II- Organização.
Ponto em que devemos nos deter para explicar que: uma sem a outra não podem co-existir, pois a chamada aos gentios, aos gregos, aos hebreus de forma conjunta traz a tona a diferença de cuidados necessários, a cada família conforme sua característica cultural.
Se o hebreu necessitava de alimentar-se de maneira mais frugal ao dia, já o grego tinha necessidade de mais refeições diárias.
Quando Pedro vê o lençol atado nas quatro pontas, e contendo todo o tipo de comestível animal, podemos entender o seu espanto quanto a isto, mas também podemos entender que ali estava estampada a diferença cultural a ser enfrentada pela Igreja primitiva.
Devemos Rever A Necessidade Através dos Textos Paulinos:
III- O Que Acontece Com A Igreja Organismo É O Corpo Místico de Cristo.
É o ajuntamento dos salvos, invisível sob a ótica mística, mas visível sob a ótica da Organização presente em seus membros.
A Igreja Organização é o ajuntamento dos cristãos.
A Igreja Organização, sob a ótica bíblica é o ajuntamento de cristãos, ajuntamento que adora a Cristo.
Sendo assim, a Igreja exercita a espiritualmente a sua vocação de serviço, como Missão de Igreja.
A Igreja mística e a Igreja instituição se fundem em realizações para que uma possa ser plena em obediência a Palavra de Deus em tudo que realiza.
1 Tm.5. 10 aprovada com testemunho de boas obras, se criou filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os atribulados, se praticou toda sorte de boas obras.
Não existe o Exercício de Servir, sem atender a Palavra de Deus.
Rm.12. 13 ...acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade;
Hb.13. 2 Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, sem o saberem, hospedaram anjos.
Rm.12. 4-8 Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma função, assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com zelo; o que usa de misericórdia, com alegria.
Ou nós realizamos isto como a Igreja primeva realizou, ou estamos em dissonância com os ensinos bíblicos.
2 Tm.4.8 Pois o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, visto que tem a promessa da vida presente e da que há de vir.
Deixemos de laborar com esforço que é aparente para laborar na seara do mestre com entendimento e atendimento necessário ao irmão.
A pretensa dicotomia entre Efésios e Tiago deve servir de base para nossa atuação e entendimento desta Lição.
Igreja organismo místico e vivo e igreja organização jamais serão igreja se não entenderem esta área:
Tg.2. 14-18. Que proveito há, meus irmãos se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo? Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito há nisso? Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
A frase abaixo revela um pouco do meu pensamento no exercício e beleza do serviço cristão.
Assim como Neemias erguia o muro, e mandou seus homens estarem com a lança e com a ferramenta as mãos, assim deve ser o exercício do serviço da Igreja cristã.
Não pode faltar a espada – Bíblia – e não pode faltar a quem tem a espada a ferramenta de servir aos outros.
Fundamento que gerou uma atividade – serviço – na igreja primitiva, que foi evoluindo das ofertas, para a hospitalidade, para a ajuda para o incentivo ao animo do outro, até se consolidar como uma característica cristã.
Nenhuma tarefa pode ser realizada sem luta. O cristão precisa tanto de sua espada quanto de sua colher de pedreiro. William Gurnall
Servir por servir, faz de você apenas membro da igreja organização, saiba que muitos que a ela pertencem não serão salvos [pois são apenas membros da organização] ou serão reprovados.
Mas, se você quiser fazer parte da Igreja Corpo, deve fazer a sua parte na Igreja Organização, pois o Espírito te impelira a servir e a executar o serviço cristão com animo e alegria.
O ministério que nada custa, nada realiza. J. H. Jowett
Quando Paulo fala: não importa que o evangelho seja pregado por ciúmes, porfia ou disputa, ele nos ensina que podemos realizar e as vezes o fazemos com dificuldades, mas apenas para dar validade a nossa presença na Igreja, mas não importa, e aqui quero que você entenda, o texto [leia todo – Mt.25.] “quando te vimos nu ou com fome...” ele na realidade dito por Jesus explicita a necessidade de entender qual a realidade do verdadeiro entendimento do que estamos fazendo.
IV- O EXEMPLO DE CRISTO:
João 13. 14. Ora, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros.
Jesus ensinou os discípulos com a didática mais poderosa do ensino: Exemplo!
As Escrituras nos revelam que Jesus andou fazendo o bem “concernente a Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder; o qual andou por toda parte, [fazendo o bem]” At..10.38.
Este deve ser o pensamento que gerencia as nossas atitudes quanto ao Exercício do Serviço Cristão:
Fazer O Bem!
1 Co. 11.1 Sede meus imitadores, como também eu o sou de Cristo.
A Divindade Eterna nos ensinou em corpo humano, que o pensamento do cristão deve ser guiado pelo pensamento divino: Fazer O Bem a todos os necessitados.
A preocupação, com a necessidade, dos que nos cercam, sempre foi uma motivação de ensino de Jesus aos seus discípulos, pois Ele sabia a futura necessidade da ação da Igreja do Exercício do Serviço Cristão:
Assim temos exemplo com:
A Multiplicação dos pães.
6 Mas dizia isto para o experimentar; pois ele bem sabia o que ia fazer.
Leia o texto e entenda a didática de Jesus ao criar a expectativa da Obrigação de dar pão aos que o seguiam ser uma obrigação dos discípulos.
No texto há a expectativa;
-A surpresa;
-A noção de despreparo;
-O sentimento de quem nada tem a oferecer;
-O medo em atender a uma multidão;
-Assim é o pensamento da Igreja em alguns momentos:
-Não somos suficientemente ricos e abastados para atender aos necessitados. Havemos de ir comprar duzentos denários de pão e dar-lhes de comer?
Mas, creia: Deus prove o necessário, mas precisamos exercitar a fé, pois Jesus deve ter espaço em nossa vida para realizar a multiplicação ao iniciarmos, sob a sua ordem o Servir aos necessitados, não importe quantos sejam.
JOÃO 6.1-6. Depois disto partiu Jesus para o outro lado do mar da Galiléia, também chamado de Tiberíades. E seguia-o uma grande multidão, porque via os sinais que operava sobre os enfermos. Subiu, pois, Jesus ao monte e sentou-se ali com seus discípulos. Ora, a páscoa, a festa dos judeus, estava próxima. Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Felipe: Onde compraremos pão, para estes comerem? Mas dizia isto para o experimentar; pois ele bem sabia o que ia fazer.
Para exercer o Serviço Cristão, é com o pouco que o realizamos;
A Igreja aprendeu através dos Apóstolos esta referencia, e nós podemos exercer o serviço Cristão com o pouco que temos em nossas mãos.
Devemos ser imitadores de Cristo para poder exercer a similaridade com Cristo:
Atos 14.17. Contudo não deixou de dar testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos chuvas do céu e estações frutíferas, enchendo-vos de mantimento, e de alegria os vossos corações.
O segredo da beleza do Exercício Cristão é não exercê-lo com diferenciação de quem vamos atender.
V- A Igreja tem Obrigação no Serviço Cristão:
Dai-lhes vós de comer.
O exemplo de Jerusalém continua sendo válido se queremos ser a Igreja Organismo divino ou mesmo Igreja Organização sob direção divina, conjunto e acampamento dos Santos.
A Obrigação Em Atender Aos necessitados, é Nossa:
Mc.6.37. Ele, porém, lhes respondeu: Dai-lhes vós de comer. Então eles lhe perguntaram: Havemos de ir comprar duzentos denários de pão e dar-lhes de comer?
Jesus nos ensina a ter compaixão e atende a multidão independente do local onde elas o encontrem:
Mt.14.14 E ele, ao desembarcar, viu uma grande multidão; e, compadecendo-se dela
Certamente você realizará o propósito de Deus, não importa como esteja agindo, mas faz diferença se você serve como Judas ou como João. C. S. Lewis
Estamos no Corpo ou na Organização?
Devemos estar em ambos.
Qual é o teu propósito em realizar?
Fp.1. 3-5. Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós, fazendo sempre, em todas as minhas orações, súplicas por todos vós com alegria pela vossa cooperação a favor do evangelho desde o primeiro dia até agora;
VI- A Estrutura social e o Cristianismo.
Apóstolo Paulo teve em seu ministério a oportunidade de relacionar-se coma smaiores autoridades de seu tempo, seja no seio hebreu ou seja no seio da sociedade romana e grega.
Assim ele demonstra em suas viagens, encontro com Lídia e com as mulheres da beira do rio em Listra.
No areópago com os maiores filósofos da Grécia de seus dias.
Ou na corte com reis ou ainda com os príncipes do templo e os das sinagogas.
Mas, ele teve por companhia Áquila e Priscila fazedores de tenda.
Visitou e sonhou com a pobre igreja da Macedônia.
A questão que quero entender nesta Lição, é que sem pretensões anti-escravagistas [a não ser a escravidão do pecado], sem pretensões sociais, a Igreja se tornou por Deus um agente de serviços, desde Jerusalém onde os cidadãos Jerosolomitanos.
A constituição da igreja primitiva permitiu que se cria-se uma rede de atendimento baseada no conhecimento das necessidades de cada família.
Mesmo a Jerusalém pedante, aos olhos dos menos possuidores, se curvou a esta realidade, pois os tempos de dominação reservaram uma maior identificação do mais rico cristão com o mais pobre deles, incluindo-se a vida dos Apóstolos.
VIII- Os Ensinos da Igreja de Jerusalém e Os Ensinos Paulinos:
O texto desta Lição nos ensina o exemplo da Igreja de Jerusalém.
A Igreja Jerosolomitana era uma Igreja debaixo do jugo romano, da perseguição do Sinédrio, mas usou tudo isto para se fortalecer, sob o ensino apostólico para criar meios de atendimento aos seus necessitados.
Assim quem tinha muito não sobejou e quem não tinha nada, não teve falta.
“Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração,...”.
Analisando a questão do possuir verificamos que ao longo do século a Igreja sofreu após a fase patrística algumas dissidências de opinião sobre a questão de ter, dividir e cuidar.
Sendo assim algumas facções se mostraram apegadas a uma posição dissonante a da Igreja primitiva.
Encontramos alguns parâmetros neste texto, que servem de alicerce ao Serviço Cristão:

Crer num só Cristo;
Ter União;
Ter comunhão em tudo;
Não ter nada como seu:
Repartir o que temos, com quem não tem;
Sentir a necessidade de cada um membro;
Perseverar em unanimidade;
Como escrevemos neste texto, o culto nas casas foi uma forma absoluta de criar esta união e sentir a necessidade alheia e deixar naquela casa um pouco do que todos comiam;
Partindo o pão em casa;
Comer com alegria: só podemos comer com alegria quando sabemos que o missionário está comendo, que o mais pobre da Igreja tem em sua mesa o mínimo para sua alimentação diária,que o solitário tem amor de nossa parte para sentir-se abraçado,que a viúva estranha ao nosso costume também direito de comer com alegria o seu pão!
Prontidão: 2 Co.2.9. porque bem sei a vossa prontidão, pela qual me glorio de vós perante os macedônios, dizendo que a Acaia está pronta desde o ano passado; e o vosso zelo tem estimulado muitos.
Zelo - 2 Co.9.2...e o vosso zelo tem estimulado muitos.
IX- A HORA DE AGIR:
FATORES INDIVIDUAIS:
A) QUANDO EXISTE FALTA DE TRABALHO;
B) QUANDO NÃO SE CONTA COM O PESSOAL CAPACITADO PARA ATENDER AOS NECESSITADOS. aTOS 6.
C) QUANDO HÁ MORTE EM FAMÍLIAS – VIUVEZ; ÓRFÃOS; FILHOS PEQUENOS E PAIS SEM CONDIÇÕES. Atos 6.2. ...e uns homens piedosos sepultaram a ESTEVÃO, e fizeram grande pranto sobre ele.
Tg. 1.27. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.
D) QUANDO HÁ DESORDEM SOCIAL. DESEMPREGO, eCONOMIA EM RECESSÃO, ETC...
E) Pobreza Institucionalizada em Uma Região Ex. MACEDÔNIA - II CORINTIOS 9.1,2. ...pois quanto à ministração que se faz a favor dos santos, não necessito escrever-vos; porque bem sei a vossa prontidão, pela qual me glorio de vós perante os macedônios, dizendo que a Acaia está pronta desde o ano passado; e o vosso zelo tem estimulado muitos.
FATORES ORGANIZACIONAIS:
A) ESTRUTURAR E ORGANIZAR. 2 co.5 ...portanto, julguei necessário exortar estes irmãos que fossem adiante ter convosco, e preparassem de antemão a vossa beneficência, já há tempos prometida, para que a mesma esteja pronta como beneficência e não como por extorsão.
2 co. 9.6,7. mas digo isto: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará, cada um contribua segundo propôs no seu coração;
Gl.2.10. recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres; o que também procurei fazer com diligência.
B) LIDERANÇA. aTOS 6.
D) COMUNICAÇÃO.
E) INCENTIVOS E MOTIVAÇÃO.
D) SEGURANÇA.
E) INSTALAÇÕES FÍSICAS (LOCAL, MOBILIÁRIO E EQUIPE).
FATORES EXTERNOS:
A) MEIO SÓCIO-POLÍTICO.
B) SITUAÇÃO ECONÔMICA. 2 Co.9. 9 conforme está escrito: espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre.
C) pERSEGUIÇÃO À IGREJA.Atos 8.
D) oBRA mISSIONÁRIA. Atos 16. 9 De noite apareceu a Paulo esta visão: estava ali em pé um homem da Macedônia, que lhe rogava: Passa à Macedônia e ajuda-nos.
conclusão:
Vemos nesta lição, que há necessidade de termos amor, compromisso, humildade, sobre tudo para podermos executar esta meritória obra de deus.
E isto se obtém observando-se e imitando a vida ministerial de Jesus e seus apóstolos incluindo a vida ministerial do apóstolo Paulo.
A diakonia é um serviço único para a igreja realizar.
Devemos entender que este tipo de serviço é uma ordenação e ensino de Jesus Cristo – vide o texto- que ele é um serviço ordenado pelo próprio Espírito eterno à Igreja.
É uma forma de demonstrar Amor ao Próximo em forma plena da sua presença , na Igreja e em nossas vidas.é uma demonstração da continua ação do Espírito Santo na vida da Igreja primitiva sendo realizada nos nossos dias.
Atos 16. 4,5. Quando iam passando pelas cidades, entregavam aos irmãos, para serem observadas, as decisões que haviam sido tomadas pelos apóstolos e anciãos em Jerusalém. Assim as igrejas eram confirmadas na fé, e dia a dia cresciam em número.
Deus nos abençoe e que sirvamos a Deus em totalidade.
Menno Simmons -
É triste, uma hipocrisia intolerável, que esses infelizes se gabem de ter a Palavra de Deus, de ser a verdadeira igreja cristã e nunca se lembrem que perderam por completo a marca do verdadeiro cristianismo. Muitos possuem muito de tudo, andam em seda e veludo, ouro e prata e todo tipo de pompa e esplendor; enfeitam a casa com móveis caros; têm o cofre cheio e vivem em luxo e esplendor. Mesmo assim, impelem os membros pobres e aflitos, a pedirem esmolas e os carentes, famintos, idosos, aleijados, cegos e doentes a mendigar o pão em suas portas (Menno Simmons).
Para Simmons, o evangelho implicava em uma obrigação radical de cuidar dos pobres: “Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus?” (1 João 3:17).
fonte:
PROF. Arnoldo araya - consultor e prof. do portal latino
Bíblia Chamada
Bíblia digital – cortesia Tio sam
Apóstolo Paulo – Vida Obra e TTeologia – J.Becker
Uso e Costumes dos Tempos Bíblicos – Ralph Gower
Pastoreia as minhas ovelhas: o ministério cristão em perspectiva histórica - Alderi Souza de Matos
Monergismo
O CRISTIANISMO PRIMITIVO
Christianity Today
Dicionário Strong
Outras fontes

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical