sábado, maio 26

Ética Cristã e Planejamento Família Lição 9 CPAD – 2º Trimestre 2018


Ética Cristã e Planejamento Família
Lição 9 CPAD – 2º Trimestre 2018
Estudo E Subsídio Prof. Doc Univ Pastor Osvarela
TEXTO ÁUREO
“Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre, o seu galardão.” (SI 127.3)
       
“Se o término da capacidade reprodutiva do Homem não pode ser controlada, humanamente, sem ação cirúrgica ou médica, o princípio da capacidade de procriar poderá ser determinado, pelo homem?” Osvarela
Leitura Bíblica : Gênesis 1.24 – 31
24 E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi.
25 E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
27 E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
29 E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.
30 E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.
31 E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto.
Objetivos Específicos
– Apresentar o conceito geral de planejamento familiar;
– Compreender o que as Escrituras Sagradas dizem a respeito do planejamento familiar;
– Discutir a ética cristã e o limite do número de filhos.
Leis e Decretos:
Dispositivo da lei do planejamento familiar (Lei nº. 9.263/96), determina, como competência dos profissionais de saúde, assistir em concepção e contracepção, empenhando-se em informar os indivíduos sobre as opções para as duas finalidades, destacando a oferta dos métodos anticoncepcionais autorizados e disponíveis no Brasil Billings, tabela, temperatura, sintotérmico, camisinha masculina e feminina, diafragma, espermicida, dispositivo intra-uterino (DIU), hormonais orais e injetáveis, laqueadura e vasectomia .
CAPÍTULO I
DO PLANEJAMENTO FAMILIAR
        Art. 1º O planejamento familiar é direito de todo cidadão, observado o disposto nesta Lei.
        Art. 2º Para fins desta Lei, entende-se planejamento familiar como o conjunto de ações de regulação da fecundidade que garanta direitos iguais de constituição, limitação ou aumento da prole pela mulher, pelo homem ou pelo casal.
        Parágrafo único - É proibida a utilização das ações a que se refere o caput para qualquer tipo de controle demográfico.
Valor Ético
“O Homem não inventa a lei moral, simplesmente aplica. A liberdade do homem limita-se à escolha dos meios que estejam de acordo com os fins estabelecidos por Deus.” Giovanni Battista Enrico Antonio Maria Montin
A Escritura Veterotestamentária presenta o início, e a forma de multiplicação da família desde Adão e Eva, como projeto para encher a Terra de viventes.
Eis uma questão sempre presente na vida das famílias, ser mononuclear ou multinuclear.
27 E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra
Encher a Terra era parte do Plano divino para habitar todo o espaço recriado do Globo.
O Método escolhido foi a procriação.
Porque cito este Método?
Porque Deus Criador, poderia multiplicar o ambiente terrestre apenas, pelo poder da Palavra com fez com as espécies animais.
Poderia ter criado milhões de seres humanos e preencher a Terra com eles, como fez com Adão.
Mas, Deus criou o homem com propósito de compartilhar, a este, ou com este, um de seus atributos, dar a vida a ser humano. Diferente da Criação dos anjos, que não casam e nem se dão em casamento.
“..., quando ressuscitarem dentre os mortos, nem casarão, nem se darão em casamento, mas serão como os anjos que estão nos céus.” Marcos 12:25
Esta introdução d[ov1] a um panorama resumido sobre a questão do Planejamento familiar.
“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.” Gênesis 1:26
1 – Planejamento de Deus
2 – Planejamento de família
“E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.” Gênesis 2:15
3 – Planejamento com crescimento necessário a atividades humanas -
4 – Planejamento para sociabilização - desenvolvimento demográfico
5 – Planejamento para domínio
6 – Planejamento para gerenciamento humano da Terra, suas alimárias, bens, produção e exploração –
7 – Atender a demanda disponível de alimento na Terra para multidões. - “população mundial crescer mais rapidamente do que os recursos à sua disposição, com crescente angústia de tantas famílias e de povos em vias de desenvolvimento
“..., e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra,...” Gênesis 1:28,29
A tarefa dependeria do crescimento da Humanidade e, isto se deu de maneira física no relacionamento do homem e mulher, ou de como foram criados: macho e fêmea!
Quando falamos de planejamento familiar, não estamos falando de métodos de impedir a procriação humana, tais como:
Aborto
Esterilização de população
A efetiva separação entre sexo e procriação talvez seja uma das mais importantes marcas definidoras da nossa era.
E uma das mais deploráveis. Esta percepção está se alastrando entre os evangélicos americanos e promete provocar uma verdadeira explosão.
A ICAR – Igreja Católica Apostólica Romana não deixa, mesmo que tenha errada, em alguns momentos, de proclamar que procriação é o lema da habitação sexual no casamento e é contra métodos contraceptivos usados por casais para Planejamento Familiar.
Nós, os Cristãos protestantes pentecostais, devemos buscar métodos naturais para contracepção?
Eia, uma questão a se debruçar.
Muitos artigos, muitos pastores de várias Igreja Reformadas, já se manifestaram, contra o uso de métodos industriais, da farmacopeia alopática.
Seja, por motivos Éticos, seja por motivos médicos!
             “..., Não é uma pílula que se compra movido por uma publicidade bem feita e se ingere com um gole de água. Desde o início, é preciso que o casal aprenda a reconhecer e interpretar sua fertilidade”. Amoris Latetitia - doutor em saúde pública, com 50 anos de experiência no acompanhamento de casais; Jokin de Irala é um médico que presidente a Associação Espanhola de Professores de Planejamento Familiar Natural.
Eu após anos, penso, ainda, que o melhor é o conjunto de entendimento do melhor uso para o casal, levando-se em conta a Saúde, em primeiro lugar.
Contudo, poderemos entender melhor, este processo ao fim deste estudo, ainda que ele não tenha pretensões escatológicas finais sobre o assunto, mas ser subsídio.
Nós Cristão Protestantes abraçamos com todas as forças os métodos contraceptivos, dito legais.
Mas, seria isto mesmo o que Deus quer para nós?
“A efetiva separação entre sexo e procriação talvez seja uma das mais importantes marcas definidoras da nossa era. E uma das mais deploráveis. Esta percepção está se alastrando entre os evangélicos americanos e promete provocar uma verdadeira explosão.” “Cristãos Podem Usar Controle de Natalidade?” por Albert Mohler
A Não Ética Pode conduzir a Nossa Forma de Vida Cristã contra a Contracepção
Na realidade capitalista, sem moral e ética cristã, as grandes empresas farmacêuticas fazem terrível lobby para crescimento de do dito “Planejamento Familiar”, com objetivos escusos e sem nenhum tipo de ética, investem alto não só entre as populações relativistas, eivadas de conceitos feministas, mas também investem em matança de inocentes e esterilização de grupos etnológicos empobrecidos, em qualquer, parte do mundo.
Não só em métodos contraceptivos, que podem ser usados, para casais postergaram o nascimento de filhos ou o número de filhos, mas que podem ser danosos a saúde da mulher, em sua maioria.
Mesmo a pílula o mais usual dos métodos, que ao retardar os “costumes das mulheres”, a menstruação pode ser usada, para impedir a concepção de filhos, mas também pode ser uma bomba relógio na saúde das que a utilizam mês a mês.
“..., combater devido ao seu apoio à regulação natural da fertilidade é o câncer de mama, que a cada ano afeta milhões de mulheres.
 ““O melhor estudo epidemiológico existente até hoje sobre a relação pílula-câncer de mama, publicado em dezembro de 2017 em The New England Journal of Medicine, avaliou prospectivamente quase 1,8 milhões de mulheres de toda a Dinamarca. Sem nenhuma dúvida, os contraceptivos mais recentes, como os antigos, elevam o risco de câncer de mama de uma forma epidêmica”.
“os anticoncepcionais reduzem alguns tipos de cânceres, mas este possível benefício não é compatível com o risco de produzir câncer de mama, de fígado e de colo do útero. Por outra parte, os contraceptivos atuais elevam em 60% o risco de infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral””
Método Contraceptivo Natural
“Levando em consideração as melhores e mais atuais evidências científicas, ao considerar conjuntamente o câncer de mama, o de colo do útero e a doença cardiovascular, pode-se afirmar a partir da saúde pública, sem nenhuma conotação moral” que o Planejamento Familiar Natural que a Igreja deveria promover, “é preferível aos contraceptivos”.
Efeitos graves para a saúde – Métodos Contraceptivos Não Naturais
Nos últimos dois anos, foram publicados dois estudos com qualidade científica nas revistas científicas ‘JAMA Psychiatry’ e ‘American Journal of Psychiatry’ (realizado meio milhão de mulheres, durante 8 anos), que constatam um aumento do risco de depressão e de suicídio e tentativas de suicídio em relação ao uso de contraceptivos”.
Recorro a compilação para tratar assuntos, da área médica, que possam ser usados e contrapor o entendimento médico a Valores Éticos Cristão, que propugnamos.
É neste contexto que teremos que entender o processo iniciado há décadas, com a expansão de práticas abortivas.
Mesmo, na sociedade não protestante o controle contraceptivo era o Método natural, de combinar os dias de menstruação da mulher.
Visão da Igreja e da sociedade naqueles idos.
“Os filhos?
Virão até quando Deus mandar!”
Naqueles idos dos anos passados, há poucos anos atrás, iniciou-se a discussão (ainda, não cessada) que a vida humana deve ser reconhecida e protegida desde o momento da concepção.
Neste meio tempo, nós, os Evangélicos crescentemente passamos a reconhecer, mesmo sem orientação púlpitica, os Dispositivos Intra-uterinos [DIU] como abortivos e rejeitaram qualquer controle de natalidade com qualquer objetivo ou resultado abortivo.
No seio da sociedade brasileira, métodos contraceptivos e planejamento familiar, passavam longe dos lares e camas dos casais, cristão ou não. As famílias eram formadas ano após anos, sem qualquer tipo de Planejamento Familiar, ou controle quanto ao número de filhos, assim víamos formarem-se famílias com 17, 20, 25 filhos de um único útero. Eu mesmo filho de um casal, que teve 11 filhos.
Enquanto a Igreja começava a entender este processo, os católicos recebiam do Papa Paulo VI a Encíclica Humanae Vitae (25 de julho 1968), sobre o uso de métodos contraceptivos não naturais, da qual ao longo deste Estudo.
“A transmissão da vida
1. O gravíssimo dever de transmitir a vida humana, pelo qual os esposos são os colaboradores livres e responsáveis de Deus Criador, foi sempre para eles fonte de grandes alegrias, se bem que, algumas vezes, acompanhadas de não poucas dificuldades e angústias.
Em todos os tempos o cumprimento deste dever pôs à consciência dos cônjuges sérios problemas; mas, mais recentemente, com o desenvolver-se da sociedade, produziram-se modificações tais, que fazem aparecer questões novas que a Igreja não podia ignorar, tratando-se de matéria que tão de perto diz respeito à vida e à felicidade dos homens. [...] A competência do Magistério: Tais problemas exigiam do Magistério da Igreja (ICAR) uma reflexão nova e aprofundada sobre os princípios da doutrina moral do matrimônio: doutrina fundada sobre a lei natural, iluminada e enriquecida pela Revelação divina. Nenhum fiel quererá negar que compete ao Magistério da Igreja interpretar também a lei moral natural.”
Na nossa Declaração de Fé das AD’s recém lançada temos às folhas 113 um breve entendimento sobre a procriação:
Deus criou o ser humano à sua imagem e semelhança1 e fê-los macho e fêmea: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn 1.27), demonstrando a sua conformação heterossexual. A diferenciação dos sexos visa à complementaridade mútua na união conjugal: “Todavia, nem o varão é sem a mulher, nem a mulher, sem o varão, no Senhor” (1 Co 11.11); essa complementaridade mútua é necessária à formação do casal e à procriação.
[...] O casamento tem por propósitos: a instituição da família matrimonial; compensação mútua do casal; a procriação; o auxílio mútuo e continência e satisfação sexual. Entendemos que o homem é unido sexualmente à sua esposa, como resultado do amor conjugal, não só para procriar, mas também para uma vivência afetuosa, agradável e prazerosa: ... dentro dos limites do uso natural do corpo e da pureza e da santidade
Entendemos então, que não se pode entender que a AD veja qualquer problema quanto ao uso, ou tenha orientação, doutrinária, de métodos contraceptivos não naturais.
A proposta viável e doutrinária deve seguir alguns passos:
“Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre, o seu galardão.” (SI 127.3)
1º Passo:
Deus é o autor da Vida
“Se o término da capacidade reprodutiva do Homem não pode ser controlado, humanamente, sem ação cirúrgica ou médica, o princípio da capacidade de procriar poderá ser determinado, pelo homem?” Osvarela
Visão quanto a gravidez: mentalidade anticoncepcional que vê gravidez e, filhos como imposições a serem evitadas em vez de presentes a serem recebidos, amados e nutridos. Este tipo de visão é contraditória à Soberania divina em trazer ao Mundo um Jeremias, um Isaías, ou um Billy Graham.
“..., Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas, ...” Salmos 139:15,16
Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta.” Jeremias 1:5
O Dom da Procriação não pode ser entendido como um estorvo à vida conjugal e familiar, dado por Deus na criação e ao dom da procriação dado pelo Criador ao casal casado, como exarado no - Capítulo XXIV. Sobre A Família - da Declaração de Fé das AD’s.
28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, ...
2º Passo:
Declaração de Fé AD’s: “O casamento tem por propósitos: a instituição da família matrimonial; compensação mútua do casal; a procriação; o auxílio mútuo e continência e satisfação sexual. Entendemos que o homem é unido sexualmente à sua esposa, como resultado do amor conjugal, não só para procriar, mas também para uma vivência afetuosa, agradável e prazerosa”
O que Deus nos deu, entre os atributos humanos foi a procriação. Para isto, ele nos deu o dom do sexo com finalidades específicas (incluindo prazer sexual, vínculo emocional, apoio mútuo, procriação e paternidade), e que estão no texto de entendimento bíblico na nossa Declaração de Fé e entre o prazer e o amor conjugal se completa com o dom da procriação.
Então, voltamos a perguntar:
Como poderíamos desconectar o prazer e os benefícios da nossa sexualidade, e escolher apenas o primeiro, item, desprezando o primevo princípio da Criação “frutificai, multiplicai, ...”, mas temos que pensar que se Deus nos deu um órgão reprodutor, nos deu com ele o direito de desfrutar .
O Casamento é uma rede de apoio e construção social e da sociedade, para mantença do ser humano como principal agente e Gerente divino da Terra e suas necessidades, demandas e produções.
Assim, todo casal deve estar aberto à procriação multiplicativa, seja por um, por dois, sempre com uma característica planejadora de sua vida futura.
Porém, a assertiva da Encíclica papal que ensina ao católico romano a única obrigação procriadora, não cabe na ótica protestante. Assim, a Declaração Assembleiana é muito mais próxima daquilo que Deus propôs quando criou o Homem.
Discurso Católico: O foco em “cada ato conjugal” dentro de um matrimônio fiel que está aberto à dádiva de filhos vai além da exigência bíblica.
A nossa orientação é que, nós, Evangélicos, podemos pensar sobre o tema, raciocinando a partir das Escrituras em uma cuidadosa consideração, buscando acertar entre a distinção entre métodos “naturais” e “artificiais” de controle de natalidade sem ferir a Soberania e Querer divinos para procriação com vistas, à multiplicação e consequentemente ao Planejamento Familiar. Neste aspecto, temos uma liberdade doutrinária, que não nos impede de usá-los.
Embora, a inicial habilidade de conceber e dar à luz filhos não deva estar ausente, quanto ao desejo de ter filhos.
3º Passo:
Inconsequências Morais Advindas do sexo conjugal, com a contracepção masculina ou feminina.
Cuidado quanto ao uso de contraceptivos, na vida conjugal, até mesmo a operação feminina para contracepção definitiva e a operação masculina dentro com igual objetivo, não pode superar a Ética Moral, quanto a infidelidade matrimonial e imoralidade sexual desenfreada.
Isto pode se dar quando: “o ato sexual for separado da probabilidade de gravidez, a estrutura tradicional de moralidade sexual.”
4º Passo:
28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos
Casais cristão, segundo a Bíblia não são limitados a número de procriação e multiplicação.
“E era Abraão da idade de cem anos, quando lhe nasceu Isaque seu filho. E disse Sara: Deus me tem feito riso; todo aquele que o ouvir se rirá comigo. Disse mais: Quem diria a Abraão que Sara daria de mamar a filhos? Pois lhe dei um filho na sua velhice.” Gênesis 21:5-7
“Pela fé também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber, e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido. Por isso também de um, e esse já amortecido, descenderam tantos, em multidão, como as estrelas do céu, e como a areia inumerável que está na praia do mar.” Hebreus 11:11,12
Não há uma expectativa bíblica do número de filhos que, um casal deva ter, ou que eles devem só realizar o ato sexual só para fins procriativos.
Sim! Porque, O Criador deu tempo determinado a todas funções humanas, incluindo a sexual e reprodutiva, sabia ele o tempo determinado para tudo na vida do Adam.
É notório o conhecimento que, as maiores famílias e santas mulheres tiveram problemas de procriação, advindos de má formação, para que o nome de Deus fosse glorificado através delas.
Assim Sara, Rebeca, Mical, Ana e outras tiveram problemas para planejar suas famílias.
“Dado nosso estado geral de saúde em sociedades avançadas, um casal que se casa com vinte e poucos anos e tem uma vida sexual saudável e regular poderia produzir tranqüilamente mais de quinze descendentes antes da esposa chegar aos quarenta e poucos anos. Tais famílias deveriam ser corretamente honradas, mas este nível de reprodução certamente não é ordenado pela Bíblia.” Texto compilado
5º Passo
A qualidade de vida.
Como dissemos ao longo deste estudo, há métodos que podem causar danos físicos entre o casal, seja às mulheres, tanto quanto aos homens, ou mesmo a ambos.
Além do fato, que a vida física sofre danos diversos e o nosso estado geral de saúde nestes tempos de crise, stress, poluição e muito trabalho, faz com que a vida em sociedade, traga danos a uma vida prazeroso e estável ao casal, ou família.
Planejamento e Não Contra a Vida.
O casal cristão deve buscar e assegurar-se quanto aos métodos escolhidos para sua vida sexual, para que não se encontra usando métodos que tiram a vida do embrião, inconscientemente, só porque foi orientado por um médico.
Verificar qual tipo de Método contraceptivo Usar:
Se eles são realmente anticoncepcionais em seus efeitos, e não abortivos.
Se o controle de natalidade é apenas, contraceptivo, já que algumas tecnologias e métodos não impedem o espermatozoide de fertilizar o óvulo, mas impedem o ovo fertilizado de implantar-se com sucesso na parede do útero, estes métodos não envolvem nada menos que um aborto extremamente prematuro.
Apenas ser estudado este assunto, mostra o quanto devemos e ainda podemos extrair das Escrituras, sobre a sexualidade e a procriação e Planejamento familiar.
Leia um artigo acadêmico sobre o assunto, o qual em sua Introdução dá a dimensão da questão Ética do Planejamento Familiar.
“Teve por objetivos identificar a dinâmica do atendimento em planejamento familiar e verificar barreiras voltadas ao atendimento e entrega dos métodos anticoncepcionais, na perspectiva de uma rede apropriada de serviços. Identificaram-se cinco dinâmicas de atendimentos, porém nenhuma seguia uma rotina formal, o que ocasiona dilema legal e ético sobre a prescrição de métodos anticoncepcionais pelos enfermeiros; a entrega de métodos exige retorno mensal das usuárias, por determinações técnicas excedentes e desnecessárias que são barreiras ao acesso dos usuários aos métodos; e inexiste uma rede apropriada de serviços, com atendimento centralizado no enfermeiro e no médico, inexistindo parceria com serviços outros de saúde reprodutiva ou espaços comunitários. Estudos futuros devem ser formatados com vistas a identificar dinâmicas distintas no PSF que inovem a atenção ao planejamento familiar, bem como definir o aspecto legal e ético da prescrição de métodos pelos enfermeiros.” Dinâmica do atendimento em planejamento familiar no Programa Saúde da Família no Brasil; Autoras: Escolástica Rejane Ferreira MouraI; Raimunda Magalhães da SilvaII; Marli Teresinha Gimeniz GalvãoI; IFaculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil ; IICentro de Ciências da Saúde, Universidade de Fortaleza, Fortaleza, Brasil
Bibliologia:
https://www.acidigital.com/noticias/por-que-a-humanae-vitae-e-essencial-para-a-saude-publica-87496
“Cristãos Podem Usar Controle de Natalidade?” por Albert Mohler, Dr. R. Albert Mohler Jr, é presidente do Southern Baptist Theological Seminary
Anotações do Autor
Textos e citações indicadas no corpo do Estudo
Bíblia on line

Nenhum comentário:

Seguidores

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical