terça-feira, março 4

A INCREDULIDADE LATENTE EM ISRAEL! MAIS UMA VEZ, OLHE PARA FIGUEIRA?

Moisés usava alucinógenos, diz estudioso israelense
Professor israelense afirma que Moisés agiu sob efeito de alucinógenos
04/03/2008 - 12h56 - Atualizado em 04/03/2008 - 13h40 -Compilado: Osvarela
Maior profeta da religião judaica teria compartilhado vegetais psicotrópicos com seu povo.
IMAGEM:Moisés com os Dez Mandamentos- Rembrandt France Presse
Experiências sensoriais relatadas na Bíblia poderiam ser explicadas por esse consumo.
O profeta Moisés estava sob efeito de poderosos alucinógenos quando desceu o monte Sinai e apresentou ao povo judeu os Dez Mandamentos, afirma Benny Shanon, professor do Departamento de Psicologia Cognitiva da Universidade Hebraica de Jerusalém.
O profeta Moisés estava sob efeito de poderosos alucinógenos quando desceu o monte Sinai e apresentou ao povo judeu os Dez Mandamentos, afirma Benny Shanon, professor do Departamento de Psicologia Cognitiva da Universidade Hebraica de Jerusalém.
Em um artigo provocador publicado nesta semana no "Time and Mind", uma revista científica dedicada à filosofia, Shanon considera que o consumo de psicotrópicos fazia parte dos rituais religiosos dos judeus mencionados pelo livro do Êxodo na Bíblia.
"Em relação a Moisés no monte Sinai, trata-se de um acontecimento cósmico sobrenatural no qual não acredito, ou de uma lenda na qual também não creio, ou, e isso é muito provável, de um acontecimento que uniu Moisés e o povo de Israel sob o efeito de alucinógenos", afirmou o professor à rádio pública israelense.
Sinestesia
"A Bíblia afirma nesse sentido que 'o povo vê sons' e esse é um fenômeno muito clássico, por exemplo na tradição da América Latina, onde se pode 'ver' a música", acrescentou. Ele também mencionou os exemplos da sarça ardente e da Árvore do Conhecimento no Jardim do Éden, indicando que, nos desertos do Sinai egípcio e do Neguev israelense, há ervas e plantas alucinógenas
Segundo o pesquisador, os efeitos psicodélicos das bebidas são comparáveis aos produzidos pelas bebidas fabricadas com o córtex da acácia. A Bíblia menciona essa árvore freqüentemente, e sua madeira é parecida com a que foi utilizada para talhar a Arca da Aliança.Leia mais...
TÍTULO ORIGINAL E PARTE EM INGLÊS: (clique no título em inglês e leia a matéria original)
English Text:

Tuesday, March 04, 2008
What was Moses smokin'? Burning bush and divine sounds linked to psychedelics
Like many modern Israelis, Moses may have been stoned while he wandered in the Sinai way back when. At least one Israeli academic, who sampled strong hallucinogenic potions during his own South American fieldwork in the early 1990s, asserts that similar psychedelics derived from the desert acacia or the Bedouin stimulant rue may have fueled the patriarch's religious visions shared with his tribe in the wilderness. Benny Shanon, a cognitive psychology professor at Hebrew U, has no explicit proof, but revived a venerable controversy in a recent scientific article, Ofri Ilani reports in Haaretz.
Veja os dados do Professor descrente:
Benny Shanon

Department of Psychology The Hebrew University Jerusalem, Israel Telephone - (02) 5883405 Home Address - 21 Ephrata Street Talpiyot, Jerusalem Telephone - (02) 6711667 msshanon@mscc.huji.ac.il
Sua formação acadêmica:
Academic Education
1967-1970 Tel Aviv University (during active military service), B.A. Cum Laude in Philosophy and Linguistics. 1969-1970 Tel Aviv University, undergraduate studies in Psychology and Mathematics. 1969-1971 Tel Aviv University, M.A. studies in Philosophy 1970-1971 Hebrew University, graduate studies in Psychology 1970-1979 Hebrew University Medical School, pre-clinical studies 1971-1974 Stanford University, Ph.D. in Psychology, M.A. in Linguistics. Thesis: “Places--a study of human long-term memory under natural and artificial conditions”
Suas Publicações-Monografias:
Published Works
Monographs
Shanon, B. The representational and the presentational: An essay on cognition and the study of mind. London and New York: Harvester-Wheatsheaf and Prentice Hall, 1993. General description
Shanon, B. The Antipodes of the Mind: Charting the phenomenology of the Ayahuasca experience. Oxford and New York: Oxford University Press, 2002.General description
Scientific Consultant: Dictionary of Psychology by Arthur S. Reber, Hebrew edition, Keter publication house, Jerusalem, 1992.
Clique no nome Benny e vá direto ao seu curriculum na Internet.
Quero destacar a incredulidade deste professor hebreu.
Não quero coloca-lo em destaque, mas o destaque, já está dado pela Imprensa Internacional, pois, como sabemos que Israel, sendo o relógio de Deus, tudo o que acontece em seus termos, se torna notícia internacional.
Quero, isto sim, alertar a Igreja de Cristo sobre:
I Tm.1.7:
querendo ser doutores da lei, embora não entendam nem o que dizem nem o que com tanta confiança afirmam; I Tm. 4.1.ss: Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada
Paulo avisa: II Tm 4.1.ss: Conjuro-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos...virá tempo em que não suportarão a sã doutrina...tendo grande desejo de ouvir coisas ... ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos... mas se voltarão às fábulas..
Parece-me que o professor esqueceu tudo o que seus pais lhe ensinaram em casa, como preceito da Lei Mosaica.
Jr. 35.17: por isso assim diz o Senhor, o Deus dos Exércitos, o Deus de Israel: Eis que trarei sobre Judá, e sobre todos os moradores de Jerusalém, todo o mal que pronunciei contra eles; pois lhes tenho falado, e não ouviram; e clamei a eles, e não responderam.
Claro, que a incredulidade contra as Escrituras (Tanach), vem ocorrendo em Israel desde os tempos do próprio Moisés e ao longo dos séculos, o que levou a Israel atingir no presente século, o atual estado de beligerância e ódio contra seu povo e suas crenças.
As Escrituras, nos mostram com límpida clareza, que Israel, foi levantado por Deus como um Estado Teocrático, mas preferiu ser um Estado de domínio Antropos, quando escolheu um rei para ser seu governante; ou agora, uma Democracia Parlamentarista.
Paulo diz que Israel tem uma vantagem, sobre todos os povos:
Rm 3.1: ss: Que vantagem, pois, tem o judeu? ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em todo sentido; primeiramente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus.
O que agora o professor Benny, coloca como coisa criada, não pelo Poder de YHWH, mas por uma substância qualquer, comparando uma atuação divina do Poder D’us, a atuação de qualquer alucinógeno.
Precisamos saber , o que o Professor anda tomando, pois ele mesmo admitiu, conhece-los, isto deve tê-lo afetado.
VEJAMOS O QUE DIZ A BÍBLIA:
Sobre o encontro de Moisés com a Presença de Deus.
Ex.3.1ss: Ora, Moisés estava apascentando o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Midiã; e levou o rebanho para trás do deserto, e chegou a Horebe, o monte de Deus. E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça. Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia; pelo que disse: Agora me virarei para lá e verei esta maravilha, e por que a sarça não se queima. E vendo o Senhor que ele se virara para ver, chamou-o do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés! Respondeu ele: Eis-me aqui. Prosseguiu Deus: Não te chegues para cá; tira os sapatos dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.
Primeiro:Moisés, encontrava-se trabalhando, ou seja sóbrio, cônscio de suas responsabilidades de pastor das ovelhas de seu sábio sogro Jetro;
Segundo:A Bíblia é clara ao narra o evento místico, visto por Moisés. Moisés, mostra curiosidade em ver o fato e procurar ver o que estava acontecendo.
Terceiro:Moisés reconhece num fato comum, “sarça queimar no deserto escaldante”, que algo além do mundo que ele conhecia, estava acontecendo.
Poderia ir longe, contra outras tantas contradições, do Professor Benny, mas para mim o bastante é que a história de Israel, reconhece que Moisés, foi o grande legislador de Israel, e um dos maiores legisladores do Mundo.
Tanto, é fato que, em quase todas as Nações do Mundo, as Leis estabelecidas, obedecem de certa forma as Tábuas dos Dez Mandamentos, em sua estrutura legal.
Contra fatos não há argumentos.
Dt.33.1.ss: Esta é a bênção com que Moisés, homem de Deus, abençoou os filhos de Israel antes da sua morte. Disse ele: O Senhor veio do Sinai, e de Seir raiou sobre nós; resplandeceu desde o monte Parã, e veio das miríades de santos; à sua direita havia para eles o fogo da lei. Na verdade ama o seu povo; todos os seus santos estão na sua mão; postos serão no meio, entre os teus pés, e cada um receberá das tuas palavras. Moisés nos prescreveu uma lei.
Realmente as experiências do Prof. Benny, notoriamente mostram algo além da racionalidade da Ciência, como Ciência, vai um pouco além e o Professor, não se deu conta, que a existência do Estado de Israel, em si já é um fato comprobatório de:
Poder de Javé;
Da racionalidade espiritual de Moisés, como legislador;
Da forma como o próprio professor afirma, ele é um descrente da própria existência do seu País;
Da História do Nascimento de seu povo;
Da preservação do seu povo ao longo dos séculos, inclusive predita por Moisés;
E por fim, da Existência do seu próprio Povo.

Afinal, até nas guerras, Israel usou ditames das Escrituras de Moisés.
Só nos resta fazer como o salmista:
Orai pela Paz de Jerusalém.
Nisto incluímos todos povos que nela habitam.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical