sexta-feira, março 28

JESUS O REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.

Lição 13- CPAD - 30/03/2008
Autor:Osvarela
Finalizando nosso trimestre, temos uma lição que coroa o ensino Cristológico.
Tema recorrente na Igreja, O Reino, tem a sua figura central em Jesus Cristo.
Mantendo o foco na questão homem-divino, da figura de Jesus Cristo, que durante todo trimestre conseguimos entender suas ações, demonstrações de divindade, e de sua totalidade como homem.
O Reinado de Jesus Cristo nas Eras Eternais:
Gênesis 1.1: No princípio criou Deus os céus e a terra.
João.1.1:No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.Ele estava no princípio com Deus.Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.
Este trecho das escrituras sagradas contém, muito da trajetória de Jesus Cristo, desde o eterno passado, passando pela sua vida terreal, pelos nossos dias e chegando ao futuro, próximo e continuando pelo futuro eterno.
Este é um fato notório a todo que N’Ele crê.
Porém, nestas palavras do escritor aos Hebreus, estão incluídas as fases da vida de Jesus Cristo, Deus – Homem, que nós queremos levar ao entendimento do leitor, até chegarmos na Lição deste domingo:
No princípio:
Sempre Deus:
Repare na expressão “eu sou”, idêntica a do Pai para Moisés.
Jo. 8.58: Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.
Cl.1.15: o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;
João consegue explicar de maneira plena a existência de Jesus, desde o princípio, e a sua contínua ação em toda a obra do Pai, Jesus mesmo disse: Meu Pai trabalha até agora e eu também!
JOÃO 1.1.ss: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.
Cl.1.15.ss: o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele subsistem todas as coisas;
A sua Glória é desde os tempos eternais:
Co-possuidor da Glória divina, como Deus:
O entendimento destes versículos, nos mostra, o quanto Jesus sofreu e se humilhou para possuir o Reino para nós.
Jo. 17.5: Agora, pois, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse; vs. 24: Pai, desejo que onde eu estou, estejam comigo também aqueles que me tens dado, para verem a minha glória, a qual me deste; pois que me amaste antes da fundação do mundo.
Cl.1.15.ss: o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;
A sua ação na Criação, como o Haja de Deus e a sua posição ao lado do Pai:
Qual foi a sua atividade neste intervalo eternal da existência?
Jesus Cristo, não estava na Glória (aqui como lugar Santíssimo, onde Deus habita), sem nenhuma atividade, esperando apenas ser enviado pelo Pai à Terra para sua missão, ele estava em contínua, e febril, atividade criadora, com Deus Pai e Deus Espírito Santo
JOÃO 1.3: Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Cl.1.15.ss:....porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele.
No conselho divino do Plano de salvação da humanidade decaída pelo pecado;
Ele era participante do secreto conselho de Deus, que é inferido pela vinda do Consolador, prometido por Jesus aos seus discípulos:
Por Ele somos pré-eleitos por Deus, como homens pecadores, para que por ele aceitando o Seu nome nos tornássemos possuidores dos direitos exarados no decreto divino: Rm. 8.28: E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu Decreto.
Participando da nossa eleição para filhos de Deus, com o pressuposto de Evangelho de João capítulo primeiro: aos que crêem em seu nome;
Ef.1.4.ss: como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado;
Rm. 5. 8: Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.
Jó 15. 8: Ou ouviste o secreto conselho de Deus? E a ti só reservas a sabedoria?
Is.14. 26: Este é o conselho que foi determinado sobre toda a terra; e esta é a mão que está estendida sobre todas as nações.
Atributos idênticos ao Pai: “Eu e o pai somos um!”
Jesus no seu curto espaço de vida aqui na terra, como homem, tem a oportunidade de exarar esta premissa, fundamental para o entendimento do conceito basal desta lição do trimestre, ou seja, ser Deus, tanto quanto o Pai:
Jo. 14. 6.ss: Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto. Disse-lhe Felipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras. Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim;
Cl.1.15.ss: o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;
Rm.1.20: Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis;
A decisão do Pai aceita por Jesus, Filho de seu amor (Cl.1.13: e que nos tirou do poder das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu Amor).
Jesus Cristo tomou para si a mais difícil campanha, ou empreendimento, decidido no Conselho divino, para resgatar algo caro para Deus e alvo de seu Eterno Amor: A Salvação do Homem pecador.
Jo.3.16: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Para tanto Jesus teve que encarnar-se e vir a esta terra como homem, em sua totalidade física, intelectual, espiritual, psicológica, enfim com todos os atributos de personalidade e caráter humano, passível de todas as tentações da carne.
Acompanhe-nos nesta narrativa, para que ao final dela você possa compreender porque Jesus é Rei.
Entramos na mais difícil fase deste processo, para nós é bem verdade, quase incompreensível, mas para Jesus objeto de Sua Compaixão e Amor pelo Homem:
O esvaziamento de Sua Glória:
A chamada kenosis, ou esvaziamento da Glória de Jesus, a qual Ele mesmo afirmou possuir junto ao Pai, foi a maior demonstração da razão, pela qual Deus pode exaltar a Jesus O Filho, soberanamente.
Veja bem, no processo da kenosis, Jesus passou por algumas terríveis fases :
1- A Tentação:
Mt. 4.1.ss: Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome. Chegando, então, o tentador.......
2- Julgamento sem culpa:
Mt.26.59.ss: Ora, os principais sacerdotes e todo o sinédrio buscavam falso testemunho contra Jesus, para poderem entregá-lo à morte; e não achavam, apesar de se apresentarem muitas testemunhas falsas. Mas por fim compareceram duas, e disseram: Este disse: Posso destruir o santuário de Deus, e reedificá-lo em três dias. Levantou-se então o sumo sacerdote e perguntou-lhe: Nada respondes? Que é que estes depõem contra ti? Jesus, porém, guardava silêncio. E o sumo sacerdote disse-lhe: Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho do Deus. Respondeu-lhe Jesus: É como disseste; contudo vos digo que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu. Então o sumo sacerdote rasgou as suas vestes, dizendo: Blasfemou; para que precisamos ainda de testemunhas? Eis que agora acabais de ouvir a sua blasfêmia. Que vos parece? Responderam eles: É réu de morte
3- Flagelo e sofrimento, durante o seu julgamento:
Mt.26.59.ss: Ora, os principais sacerdotes e todo o sinédrio...Então uns lhe cuspiram no rosto e lhe deram socos; e outros o esbofetearam, dizendo: Profetiza-nos, ó Cristo, quem foi que te bateu?
4- O horror pelas trevas da morte, mas, a obediência a vontade do Pai:
Lc.22.40.ss: Quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e pondo-se de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres afasta de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. Então lhe apareceu um anjo do céu, que o confortava. E, posto em agonia, orava mais intensamente; e o seu suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que caíam sobre o chão.
Mt. 26.36.ss: Então...Getsêmani...levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Então lhes disse: A minha alma está triste até a morte; ficai aqui e vigiai comigo. E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.
Ninguém velou com Ele na agonia antevista da Morte:
Jesus enfrentou as várias etapas para ser coroado, sozinho, ninguém pode ajuda-lo, quando Lucas cita o anjo, está dizendo:
te conforto,pelo sangue do suor, mas, só até aqui eu posso ajudá-lo.
É como um filho entrando para uma cirurgia, o Pai pode ir com ele até a ante-sala do centro cirúrgico, mas, depois não pode mais nada fazer, o filho está entregue, às consequências daquele fato e o suportará com suas próprias forças físicas, orgânicas, mentais e espirituais.
Mt.26.36.ss: Voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Assim nem uma hora pudestes vigiar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. Retirando-se mais uma vez, orou, dizendo: Pai meu, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, faça-se a tua vontade.
5- Solidão da Cruz:
Deus que não suporta o pecado e pela sua qualidade intrínseca de justiça, pois, sempre cumpre sua palavra, voltou-se (figurativamente) para o lado oposto em que estava o seu Filho, sofrendo a maldição da Cruz e dos nossos pecados.
Mas, de forma audível e visível, demonstrou com sinais, da Criação, tais como: a terra tremeu, mortos ressuscitaram, o sol escondeu o seu brilho e Deus o Pai, mostrou o seu sentimento, fazendo com que o povo que assistia ao espetáculo da Cruz, temesse e tremesse, e reconhecessem aquele a quem haviam acabado de flagelar e matar, como Filho de Deus.
Mt.27.46: Cerca da hora nona, bradou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactani; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?
Sózinho na Cruz:

Lc.23.35: E o povo estava ali a olhar. E as próprias autoridades zombavam dele, dizendo: Aos outros salvou; salve-se a si mesmo, se é o Cristo, o escolhido de Deus. Os soldados também o escarneciam, chegando-se a ele, oferecendo-lhe vinagre, e dizendo: Se tu és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo. Por cima dele estava esta inscrição em letras gregas, romanas e hebraicas:
ESTE É O REI DOS JUDEUS.
Paradoxalmente eles já estavam reconhecendo, o reinado de Cristo, chamando-o de Rei em três línguas.
A EXALTAÇÃO DO REI:
Toda esta verdadeira saga de sofrimentos, obediência, humildade, amor, a própria humanidade assumida, qualificadores de Jesus Cristo, por ter ido até ao fim, no Plano de Deus, e tocaram o coração eterno de Deus, levando-o a que, exaltasse Jesus como Soberano, Rei dos Reis, Rei da Glória, como foi recebido nos céus, leia Salmos 24.
Após vencer a batalha da morte:
Ap.1.17:E eu, quando vi, caí a seus pés como morto; e ele... dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último;E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.
E tomar em suas mãos as chaves do Inferno (invadindo a casa do Valente:Lucas 11:22:Mas, sobrevindo outro mais valente do que ele, e vencendo-o, tira-lhe toda a sua armadura em que confiava, e reparte os seus despojos.Salmos 45:3: Cinge a tua espada à coxa, ó valente, com a tua glória e a tua majestade.), e já na cruz cravando a cédula que nos era contrária, resgatando o homem do poder de Satanás, após ter passado pela região da sombra da morte, e regiões sobrenaturais entre os Céus e a Terra, onde estão as potestades malignas, Jesus apresenta-se como vitorioso, no Céu onde o Pai habita e está entronizado, e traz em seu corpo glorificado as marcas da realização do Plano de Deus, desta forma Ele é reconhecido pelas Legiões celestiais e Poderes celestiais: anjos arcanjos e querubins, como aquele que deveria ser anunciado, como o Nome sobre todos os Nomes, e o salmista, inspiradamente, consegue transmitir um pouco da glória deste momento.
Salmos . 24.7.ss:Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória.Quem é este Rei da Glória?
O SENHOR forte e poderoso, o SENHOR poderoso na guerra.Levantai, ó portas, as vossas cabeças, levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O SENHOR dos Exércitos, ele é o Rei da Glória.
Não apenas o Rei, mas o Rei dos Reis, o Suserano de todo o Universo.
Todos os reis, todas as potestades, todos os poderes, governos e obra da criação cósmica de Deus, têem que se submeter, à partir, deste glorioso momento Ao Senhorio Real de Jesus Cristo.
Pois, Ele venceu todos estes obstáculos e tentações, como cordeiro mudo, não abriu a sua boca, e pode ser a alegria do Pai e dos Céus e a Vitória de todo aquele que o tem por Senhor e Soberano em sua vida.
Fp. 2.6.ss: o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;
Soberanamente, do texto de Filipenses, já nos remete as questões de soberania, que eu prefiro chamar de Suserania
Suserano: Soberano de soberanos.
Chefe de Estado que recebe vassalagem de outros Estados aparentemente autônomos.
Suserano; que exerce suserania.
Ele é o Rei dos Reis:
Ap.1.5:E...Jesus Cristo...o primogênito(o primeiro) dentre os mortos e o príncipe(o Principal) dos reis da terra.
E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça.
CONCLUSÃO:
Não há como concluir este texto, sem outro texto, nossas palavras, não teriam o poder da palavra de deus, neste tema, um dos, ou/o mais importante de toda a Bíblia Sagrada:
Jesus Cristo, Rei dos reis!
Ap.19.12.ss: E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo.E estava vestido de uma veste salpicada de sangue; e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus.E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro.E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as naçöes; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso.E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores.
FONTE:
Boyer
Buckland
Bíblia Plenitude
Bíblia digital Tio Sam
Bíbliaweb
Apontamentos do autor
Lição 13 – CPAD -1ºtrimestre/2008
Não perca o próximo trimestre da Escola Dominical em sua Igreja.
Que Deus em Cristo, Rei dos Reis e de nossas vidas nos abençoe, a mim e a todos os leitores, que de maneira gentil leram, opinaram e republicaram, os nossos artigos.
Nossos agradecimentos aos editores dos sites que publicam estes subsídios.
Deus os faça abundar em toda sorte por Cristo Jesus, Salvador nosso e Rei nosso!

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical