sexta-feira, fevereiro 27

O SENHOR PELEJA PELO SEU POVO - LIÇÃO 09 - 02/03/2009

O Senhor Peleja pelo Seu Povo.

Lição 09 - 01/03/2009 Autor: Osvarela

Texto Áureo:

Ex.14.14: “O Senhor pelejará por vós, e vos calareis”.

Leitura Bíblica em Classe:

Js. 10. 6-8; 12-14.

Texto para devocional.
Isaías 40.25. .ss:
A quem, pois, me comparareis, para que eu lhe seja semelhante? diz o Santo. Levantai ao alto os vossos olhos, e vede: quem criou estas coisas? Foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por ser ele grande em força, e forte em poder, nenhuma faltará. Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos confins da terra, não se cansa nem se fatiga? E inescrutável o seu entendimento.

Jz. 5. 20: Desde os céus pelejaram as estrelas; desde as suas órbitas pelejaram contra Sísera.

Milagre: É inexplicável, e só Deus tem poder para fazê-lo.

I - Conhecendo as Palavras:

Pequeno glossário.

Livro de Jasar [Jasher] - um relato antigo das guerras de Israel (“O Reto” ou “O Justo” – Js 10,13 - 2 Samuel 1:18).

MAQUEDA/Maquede/Maceda - hebraico: lugar dos pastores.

AZECA - hebraico: campo cavado com enxada.

Confederar – unir-se em confederação.

Confederação – reunião de Estados que, embora conservando a respectiva autonomia, formam um só.No caso a confederação era para uma única ocasião: lutar contra os hebreus.

Rei de Jerusalém -ADONI- ZEDEQUE - hebraico: Senhor de retidão

Rei de Hebrom - HOÃO – hebraico: ruído de uma multidão

HEBROM – hebraico: união, aliança, confederação.

JARMUTE – hebraico: altura

Rei de Laquis - JAFIA – hebraico: brilhando

LAQUIS – hebraico: difícil de tomar ou tenaz

Rei de Eglom - DEBIR - hebraico: um oráculo

EGLOM – hebraico: vitela

BETE-HOROM - hebraico: casa da abertura

CADES - hebraico: consagrado

CADES-BARNEIA - hebraico: consagrado

II – Introdução:

O Avanço e a Lógica da Introdução dos Hebreus na Terra Prometida:

Estamos estudando uma complexa unidade da histórica hebraico-divina, com pontos destacados da atuação de Deus sobre um povo, e os povos que tiveram contato, com este peculiar povo: os hebreus.

a- A escolha e a confirmação, para possuir uma Terra:

1. Deus é o criador de toda a raça humana, e dela formou para si um povo.

2. Deus escolheu Abraão e seus descendentes, e lhes prometeu dar a terra de Canaã.

3. Israel foi para o Egito, e caiu na escravidão, da qual o Senhor os livrou.

4. Deus conduziu Israel a Canaã conforme prometeu.

5. Deus introduziu Israel em Canaã, à despeito de inúmeros obstáculos:povos ferozes, anaquins e confederações

Deus, ao ordenar aos hebreus que adentrassem na Terra Prometida estava estabelecendo uma estratégia singular que só um Deus de Guerras poderia estabelecer.

III - Entendendo a Região em disputa:

A Geografia bíblica nos dá uma noção peculiar sobre da Terra Prometida a Israel, pelo posicionamento geo-político que, Deus determinou.

Isto nos ajuda a entender, porque estas batalhas foram necessárias.

A Terra [Canaã ou Palestina] é um testemunho vivo de que a Bíblia não é um mero livro "inventado" ou um livro de "faça isso", "não faça aquilo"; antes, ela é o testemunho de que Deus se revelou em situações vivenciais nas quais os seres humanos, geograficamente localizados, foram uma realidade concreta e compreensível em cada etapa do processo.

A Palestina e seus arredores é o principal espaço geográfico a ser considerado.

Ela é o elo entre três continentes — a Europa, a Ásia e a África —, constituindo-se em importante roteiro para mercadores e em ponto estratégico para exércitos.

Ela, de modo especial, é um ponto estratégico para Deus, Ele foi quem colocou Jerusalém "no meio das nações
e terras que estão ao redor delas
" (Ezequiel cap. 5, verso5; veja ainda Deuteonômio cap. 8, verso7 e Salmos 106, verso 24).

a- Descrição geográfica bíblica da Terra Prometida:

O texto bíblico, com freqüência, faz alusão às diferentes regiões nas quais a Palestina está dividida:

"Além do Jordão, na terra de Moabe, encarregou-se Moisés de explicar esta lei, dizendo: O SENHOR, nosso Deus, nos falou em Horebe, dizendo: Tempo bastante haveis estado neste monte. Voltai-vos e parti; ide à região montanhosa dos amorreus, e a todos os seus vizinhos, na Arabá, e à região montanhosa, e à baixada, e ao Neguebe, e à costa marítima, terra dos cananeus, e ao Líbano, até ao grande rio Eufrates. Eis aqui a terra que eu pus diante de vós; entrai e possuí a terra que o SENHOR, com juramento, deu a vossos pais, Abraão, Isaque e Jacó, a eles e à sua descendência depois deles" ( Deuteronômio, cap. 1, versos 5-8 ).

b- Geografia natural:

O "Arabá" é a região da falha geológica do Vale do Jordão, que tem sua maior depressão no Mar Morto e vai até o Golfo de Ácaba.

A região montanhosa se refere às montanhas da Judéia; a "baixada" se refere ao distrito de Sefelá.

O "Neguebe", que significa "seco", é a grande região desértica do sul também chamada de Zim ou simplesmente as terras do sul. A "costa marítima" é a região ao longo do Mediterrâneo.

Impressionante. A incrível topografia, como a grande falha tectônica.

Falha tectônica é uma deformação do relevo de uma região. Causa: dilúvio e outras deformações anti-naturais.

A formação geológica do vale do Jordão é extremamente peculiar.

A região atravessada pelo Rio Jordão, de tantas histórias, que parte do lago de Quinerete – Mar da Galiléia, 205 metros abaixo do nível do mar até ao Mar Morto, 387 metros abaixo do nível do mar.

Ele constitui parte da grande falha tectônica que se estende da Síria, no norte, até o sul do mar Morto. Supõe-se que outrora esse vale era coberto de água, formando um lago de 322 km de comprimento desde o norte da Galiléia até 80 km para o sul do mar Morto.

A sua localização, privilegiada, sendo elo entre três continentes - Europa, Ásia e África, antiga rota de mercadores e ponto estratégico para exércitos, que se viam obrigados a utilizá-la como ponto de passagem e até mesmo ponto de lutas na planície aos pés do Carmelo.

Isto é notado, quando se viaja por lá, você vai ao monte Sião - Jerusalém, desce escarpas para chegar a Nazaré, sobe de Haifa, até ao cume do Carmelo de onde avista toda planície (Jezreel), passa por montes até chegar a Cesaréia marítima, é um sobe e desce, passa pelo Mar Morto indo pelo vale do Jordão até a Galiléia, para subir de novo até Cafarnaum.

Como viajante da região, posso corroborar a descrição, acima.

A Terra em questão, ainda é o palco de grandes transformações e reviravoltas político-religiosas, como se pudéssemos ainda ver os irmãos [por Abraão e por Jesus Cristo, que palmilhou esta região] do passado, brigando pelos motivos registrados na Escritura mais antiga.

IV - Instalando um novo Reinado:

a-Reino divino.

Além da questão geográfica, temos também o ponto divino da declaração inerente à lição 09, sobre o poder e soberania do Deus de Israel, Deus queria infundir o tamanho e grandeza do seu poder sobre os povos da região e Israel foi instrumento usado para isto.

Aceitando a Estratégia de Deus:

Dividir para conquistar:

Entrar por Jericó, uma cidade forte e murada foi um símbolo da força dos hebreus.

Entrar na direção de Jericó estabeleceu uma linha divisória direta entre o norte e o sul de Canaã

Entrar por Jericó seccionou um dos acessos entre as rotas de subsistências dos reinos do norte e a comercialização entre norte e sul [descartando-se a rota marítima].

Entrar por Canaã foi como colocar uma cunha entre o Norte e o Sul.

V -Primeira parte da campanha militar:

1-Canaã Central – Js. 6-8

Seria bom o professor ter um mapa destacando estas áreas.

2-Ao sul de Canaã – Js. 9-10.

3-Finalmente ao norte de Canaã – Js. 11-12

Os vales de Jezrael [Deus semeia] e Betsã são os maiores vales interiores do país.

A rota internacional entre a Síria e o Egito passava através desses vales, e assim eles eram de uma importância estratégica especial.

a- Dados cronológicos:

Datação:

Para melhor conhecimento dos professores e alunos, destaquei as datas proeminentes, fruto de pesquisa:

1– Mês: março-abril, 1405 aC

Morte de Moisés

Travessia do Jordão em abril

2 – sete anos – abril

Js. 14.7-10.

Calebe – testemunho de Cades - 40 anos.

Calebe - requerendo sua parte – 85 anos.

Nesta lição estamos no limiar dos primeiros 7 anos de conquista da Terra.

clique no quadro para ampliar.

VI - Uma batalha necessária?

Olhando a cena desta batalha que, será travada pelo povo hebreu, nota-se que é uma cena inusitada, pelo aspecto duvidoso de sua necessidade, por tudo quanto estudamos na lição passada, advinda de um pacto entre os hebreus e o povo gibeonita.

Veja nosso comentário da lição 08, sobre, como Deus agiu ao permitir em sua soberania a aliança com os gibeonitas.

Mas, por outro lado, nos leva ao entendimento de que:

O povo hebreu guiado por Josué era um povo de palavra.

Lição sobre obedecer ao Pacto com todos os ônus e direitos do pacto.

Sl. 15. 4: aquele a cujos olhos o réprobo é desprezado, mas que honra os que temem ao Senhor; aquele que, embora jure com dano seu, não muda;

Houvera um desígnio divino que levou o povo a lutar uma guerra, que aparentemente não era sua.

a- Voltando a batalha.

O que estamos estudando nestas lições, sob o ponto de vista de Deus era uma condição de infundir pavor aos habitantes da Terra para que o seu povo aprendesse que só o Senhor é Deus e foi nesta ótica que eles enfrentaram a guerra confederada e necessitaram da ação milagrosa e indiscutível, para nós, ortodoxos bíblicos e crentes no Deus do Impossível, para tão somente abaterem e perseguirem os exércitos desbaratados por Jeová.

b- Não se deixe enganar pelos pensadores de plantão que estão, por aí, lançando dúvidas em questões como esta:

O Sol Parou?

Por isto, iniciei este texto com a citação de alguns versículos sobre o poder de Deus.

Leia bem o texto : “Js.10.12: Então Josué falou ao Senhor...e disse na presença de Israel: Sol, detém-se sobre Gibeom, e tu, lua, sobre o vale de Aijalom.

Com quem Josué está falando?

Com o Criador de todas as coisas.

Gn.1. 14.ss: E disse Deus: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite; sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos; e sirvam de luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra. E assim foi. Deus, pois, fez os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; fez também as estrelas. E Deus os pôs no firmamento do céu para alumiar a terra, para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.

Ora, Josué pediu a pessoa divina certa e obteve resposta.

A cosmogonia hebraica e a existente, à época, era a compreendida no pedido de Josué, contudo, note que ele vendo a necessidade de exterminar os seus inimigos, ele pede a Deus que lhe desse mais tempo de luminosidade do Sol.

E sob a ação da fé, e da unção que possuía, ele ordenou que o Sol e a Lua se detivessem, até ele completar aquilo que Deus lhe ordenara fazer.

Certo do que aprendera, sob a tutela de Moisés, Josué fez um pedido simples, dentro do contexto da relação do Líder com Deus, e confiava naquilo que Deus lhe falara [Js.3. 7: Então disse o Senhor a Josué: Hoje começarei a engrandecer-te perante...todo o Israel, ...assim como fui com Moisés, serei contigo].

Ele com seus próprios olhos presenciara, no Monte Sinai, ao subir com Moisés, em várias oportunidades, ou mesmo ao atravessar o Mar Vermelho e poucos dias atrás, ao ver o Rio Jordão se abrir, por quase 13 km e suas águas formarem um muro.

c- Ele não tinha dúvidas e sequer tempo para te-las.

Dt.34. 9: Ora, Josué...foi cheio do espírito de sabedoria, porquanto Moisés lhe tinha imposto as mãos...

Js.3. 7: Então disse o Senhor a Josué: Hoje começarei a engrandecer-te perante...todo o Israel, ...assim como fui com Moisés, serei contigo.

Haveria no que duvidar, com toda esta experiência?

Não.

Ao que Deus respondeu, parando toda a dinâmica celeste; não discutir milagres de Deus, sob as questões da física e astronomia é um dos papeis principais, desta lição.

Esta é uma lição para destacar a fé em Deus.

É uma Lição para se entender o caráter histórico-divino da Bíblia Sagrada, no tocante a: “História do desenvolvimento da nação de Israel, suas falhas e a misericórdia de Deus”.

E o que isto produz em mim em você e nos alunos?

Aumenta-nos a fé no Deus do Impossível.

d- A Ação de Deus:

A Bíblia Sagrada nos mostra Deus agindo das mais variadas formas, nesta batalha ele lança pedras da saraiva, grandes pedras como diz o vs. 11 do cap.10 de Josué.

É a mão de Deus providenciando ajuda, desde os céus, é Deus usando seus exércitos.

Deus tem vários exércitos, além dos anjos, ele tem os exércitos das formigas, até as estrelas e nuvens, exército das alimárias e exército cósmico, tudo está sob seu controle e à sua disposição para ele usar em favor de seu povo.

Israel experimentou isto, no dia que se aconselhou com ELE.

Deus para Israel é JEOVÁ-SABÃOTE, hebraico: o Senhor dos exércitos.

Ele foi o "poderoso guerreiro" (Jr. 20:11a). A palavra no hebraico aí é gibbor.

Gn. 6:4. Significa: "poderoso; por implicação, guerreiro; campeão, chefe, gigante, homem valoroso, valente, forte".

O Dicionário Expositório de Vine comenta:

"No contexto de batalha, a palavra é melhor entendida para referir-se à categoria de guerreiros. O gibbor é um guerreiro provado; especialmente quando usado em combinação com chayil ("força")".

A versão revisada da JUERP traduz por "homens valorosos" (Js. 1:14), enquanto a da SBB por "homem valente" e a Bíblia de Jerusalém por "homens de guerra".

Salmo 24 é: "O Senhor forte e poderoso, o Senhor, poderoso nas batalhas" (v. 8).

487 referências no Velho Testamento a exército, sendo que cerca de 270 retratam um dos nomes de Deus, Jeová Sabaoth, o Senhor dos Exércitos.

Para prejuízo dos inimigos dos hebreus Ele não dormita nem descansa e naquele dia, em especial, Ele encontrou o povo na posição de luta, aí não teve jeito, Ele entrou na Batalha, como prometera a Josué:

Js. 10. 7.ss: Josué, pois, subiu de Gilgal com toda a gente de guerra e todos os homens valorosos. E o Senhor disse a Josué: Não os temas, porque os entreguei na tua mão; nenhum deles te poderá resistir. E Josué deu de repente sobre eles, tendo marchado a noite toda, subindo de Gilgal; e o Senhor os pôs em desordem diante de Israel, que os desbaratou com grande matança em Gibeom, e os perseguiu pelo caminho que sobe a Bete-Horom, ferindo-os até Azeca e Maqueda.

e- Deixando Deus agir:

Js. 10. 10 e o Senhor os pôs em desordem diante de Israel, que os desbaratou com grande matança em Gibeom, e os perseguiu pelo caminho que sobe a Bete-Horom, ferindo-os até Azeca e Maqueda.

O povo de Deus não queria deixar nada para manhã. Mt.6.34: Basta a cada dia o seu mal.

Js. 10. 12.ss: Então Josué falou ao Senhor, no dia em que o Senhor entregou os amorreus na mão dos filhos de Israel, e disse na presença de Israel: Sol, detém-se sobre Gibeom, e tu, lua, sobre o vale de Aijalom. E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Não está isto escrito no livro de Jasar? O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro. E não houve dia semelhante a esse, nem antes nem depois dele, atendendo o Senhor assim à voz dum homem; pois o Senhor pelejava por Israel.O povo de Deus não queria apressar a posse da terra, nem por algumas horas.

Eles usaram o que diz o texto de Ec.8.8: Nenhum homem há que tenha domínio sobre o espírito, para o reter; nem que tenha poder sobre o dia da morte; nem há licença em tempo de guerra;

f-É tempo de guerra: guerreemos!

Deus já nos entregou os nossos inimigos em nossas mãos, mas só obtermos vitória quando nos dispusermos subir e alcançar os nossos inimigos, nem que para isto Deus tenha que intervir com um milagre que altere, aquilo que a física ou a astronomia dizem ser impossível, Ele é o Deus do impossível!

Isaías profetizou que o braço forte do Senhor guerreia por nós, por sua misericórdia:

Is. 33.2.ss: Ó Senhor tem misericórdia de nós; por ti temos esperado. Sê tu o nosso braço cada manhã, como também a nossa salvação no tempo da tribulação.

Is. 37. 26: Não ouviste que já há muito tempo eu fiz isso, e que já desde os dias antigos o tinha determinado? Agora, porém o executei, para que fosses tu o que reduzisses as cidades fortificadas a montões de ruínas.

Is. 49. 8: Assim diz o Senhor: No tempo aceitável te ouvi, e no dia da salvação te ajudei; e te guardarei, e te darei por pacto do povo, para restaurares a terra, e lhe dares em herança as herdades assoladas;
VII - Ponto de vista dos
Problemas e a posição perante Deus.

Deus tem a solução.

Antigos:

Na posse da terra:

Expulsão dos antigos moradores da terra;

Novos:

A Aliança com os gibeonitas.

Ex. Jericó - Js. 2, com profundo significado pela genealogia messiânica, nesta lição - com a Peleja do Senhor e sua ação detendo o sol.

Luta com vizinhos:

Domínio – Js. 1-13

Subjugação aos vizinhos

Pavor à Israel dado pelos vizinhos; Js. 10.1-5.

Não podendo contra os hebreus querem destruir os que fizeram aliança com eles – Gibeom.

Lutando pelos vizinhos aliançados:

Js. 10. 6,7: Enviaram, pois, os homens de Gibeom a Josué, ao arraial em Gilgal, a dizer-lhe: Não retires de teus servos a tua mão; sobe apressadamente a nós, e livra-nos, e ajuda-nos, porquanto se ajuntaram contra nós todos os reis dos amorreus, que habitam na região montanhosa. Josué, pois, subiu de Gilgal com toda a gente de guerra e todos os homens valorosos.

Solução:

Ouvir a voz de Deus.

Js. 10. 8,9: E o Senhor disse a Josué: Não os temas, porque os entreguei na tua mão; nenhum deles te poderá resistir. E Josué deu de repente sobre eles, tendo marchado a noite toda, subindo de Gilgal;

O povo hebreu estava agora se aconselhando com Deus

VIII - Aprendemos uma lição:

Quando Deus peleja por nós e entrega o inimigo em nossas mãos é necessário um esforço maior [veja o pedido de Josué, mais tempo], e superior, com a ajuda dos céus para vencermos o inimigo.

Sl. 119. 126: É tempo de agires, ó Senhor...

Ec. 3. tempo de guerra, e tempo de paz.

Esta lição e a história dos hebreus determina, alguns outros aspectos importantes para a vida do cristão, em termos de prática espiritual com Deus, sob dois pontos de vista bíblico-temáticos:

Josué 11. 15: Como o Senhor ordenara a Moisés, seu servo, assim Moisés ordenou a Josué, e assim Josué o fez; não deixou de fazer coisa alguma de tudo o que o Senhor ordenara a Moisés. Assim Josué tomou toda aquela terra, a região montanhosa, todo o Negebe, e toda a terra de Gósem e a baixada, e a Arabá, e a região montanhosa de Israel com a sua baixada, desde o monte Halaque, que sobe a Seir, até Baal-Gade, no vale do Líbano, ao pé do monte Hermom; também tomou todos os seus reis, e os feriu e os matou. Por muito tempo Josué fez guerra contra todos esses reis. Não houve cidade que fizesse paz com os filhos de Israel, senão os heveus, moradores de Gibeão; a todas tomaram à força de armas. Porquanto do Senhor veio o endurecimento dos seus corações para saírem à guerra contra Israel, a fim de que fossem destruídos totalmente, e não achassem piedade alguma, mas fossem exterminados, como o Senhor tinha ordenado a Moisés. Naquele tempo veio Josué, e exterminou os anaquins da região montanhosa de Hebrom, de Debir, de Anabe, de toda a região montanhosa de Judá, e de toda a região montanhosa de Israel; Josué os destruiu totalmente com as suas cidades. Não foi deixado nem sequer um dos anaquins na terra dos filhos de Israel; somente ficaram alguns em Gaza, em Gate, e em Asdode. Assim Josué tomou toda esta terra conforme tudo o que o Senhor tinha dito a Moisés; e Josué a deu em herança a Israel, pelas suas divisões, segundo as suas tribos; e a terra repousou da guerra.

IX - Veja esta questão como uma unidade temática especial de realização:

1. Em Gn vemos a origem do universo e a aliança com Israel.

2. Em Êx vemos a escravidão e libertação de Israel.

3. Em Lv vemos a santificação de Israel.

4. Em Nm vemos a recontagem do povo de Israel.

5. Em Dt vemos a renovação da aliança com a nova geração de Israel

6. Em Josué Deus coloca o povo na Terra.

a- O povo hebreu está passando por uma transição quase que final:

Em Gênesis – o povo é escolhido

Em Êxodo – o povo é redimido

Em Levítico – o povo é instruído - G.L. Archer escreve que “estes seriam os alicerces morais e religiosos nos quais a sua nação haveria de cumprir o seu destino”. Quando Deus deu a Moisés a Lei, Ele forneceu o princípio regulador que nortearia toda uma nação.

Em Números – o povo é reprovado no assentamento de cades-Barnéia pelo laço de Balaão

Em Deuteronômio – uma nova geração é levantada e novamente instruída [deutero – segunda vez]

Em Josué – esta nova geração é testada e entra em atividade e posse do que era prospecto, ou seja, eram instruções, agora é palpável e realizável, é como ler uma bula ou instruções para usar um aparelho e montar e usa-lo de maneira correta, e dizer: “deu tudo certo”, melhor ainda, quando você já fez uma vez errado, sem ler as instruções, foi o que ocorreu com Israel;

b- Nesta Lição ela é aprovada por confiar que o Senhor guerrearia por eles.

-Da visão e da fé.

-Para a ação e para aventura [aqui como luta real].

Consoante a tudo isto eles criam na Palavra de Deus [LOGOS THEOU] escrita como determinara o velho patriarca-libertador Moisés.

Js. 10.21: todo o povo voltou em paz a Josué, ao arraial em Maqueda. Não havia ninguém que movesse a sua língua contra os filhos de Israel.

X - Uma lição sobre o destemor e a coragem dos filhos de Deus:

Js. 10.24: Quando os trouxeram a Josué, este chamou todos os homens de Israel, e disse aos comandantes dos homens de guerra que o haviam acompanhado: Chegai-vos, ponde os pés sobre os pescoços destes reis. E eles se chegaram e puseram os pés sobre os pescoços deles.25 Então Josué lhes disse: Não temais, nem vos atemorizeis; esforçai-vos e tende bom ânimo, porque assim fará o Senhor a todos os vossos inimigos, contra os quais haveis de pelejar.

Ef. 6. 12: pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes.

a- De forma legítima:

II Tm.2. 5: E também se um atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente.

Trazendo esta mensagem para nossos dias sabemos que hoje os nossos inimigos são de cunho espiritual e desta forma é que devemos contextualizar esta Lição, para que o nome de Deus seja honrado e alcancemos vitória sob suas ordens e sob a sua ajuda: “Mt.28.20:Eis que estou convosco, todos os dias até a consumação dos séculos.”

Conclusão:

A Lição 09 nos leva a pensar no que foi Escrito no Livro de Josué, para apresentar o Deus que libertou o povo de Israel. De modo que o povo pudesse adorar e obedecer a Deus, sabendo que Ele é verdadeiramente o único Deus e que é poderoso, santo e glorioso.

É tempo de alçar a nossa voz como Igreja e pedir ao Senhor que nos dê tempo para lutar a sua Guerra, não mais contra a carne e o sangue, mas contra as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais.

Fonte:

Bruce Wilkinson&Kenneth Boa

Terra de Deus, cap. 10

Pr. Ismar Vieira Malta

Rev. Ewerton Barcelos Tokashiki

Sepal

Pra. Valnice Milhomens Coelho

Apontamentos do autor

Dicionário Vine

Bíblia JFA – ERC – IBB – 1993

Paulo de Aragão Lins

3 comentários:

Danilo Sergio Pallar Lemos disse...

Excelente e completo comentário para esta lição da E.B.D, nossos professores precisam de bons comentários para um melhor desenvolvimento do ensino Biblico e teolócico.
Acesse meu blog:www.vivendoteologia.blogspot.com

Danilo Sergio Pallar Lemos disse...

Excelente e completo comentário para esta lição da E.B.D, nossos professores precisam de bons comentários para um melhor desenvolvimento do ensino Biblico e teolócico.
Acesse meu blog:www.vivendoteologia.blogspot.com

Danilo Sergio Pallar Lemos disse...

Excelente e completo comentário para esta lição da E.B.D, nossos professores precisam de bons comentários para um melhor desenvolvimento do ensino Biblico e teolócico.
Acesse meu blog:www.vivendoteologia.blogspot.com

Seguidores

Share it

Entrevista com Daniel Berg -

Daniel Berg E Gunnar Vingren
Entrevista em Santa Catarina
Parte 1 Parte 2

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical

Notícias

Loading...

Níver-fim-de-ano e outras