sábado, setembro 12

O AMOR A DEUS E AOPRÓXIMO

LIÇÃO 11 – CPAD
O AMOR A DEUS E AO PRÓXIMO
Autor: Osvarela
Deferência especial:
DIA NACIONAL DE MISSÕES:
A Maior prova de amor da Igreja é realizar Missões!
Enviar um missionário é ser como Deus que, enviou o Seu Filho para anunciar o Amor Pleno do próprio Deus.
I João 4.7.Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
8 Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.
9 Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos.
10 Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.
11 Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros.
12 Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor.
13Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito.
14 E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo.
15 Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele, e ele em Deus.
16 E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.
Texto devocional: Mt.22.35-39. E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei?E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
I - Pautados pelo Amor.
A- Mandato Social Adâmico – Relacionamento, com base no amor ao próximo desconhecido:
É interessante pensar desta maneira.
Próximo não precisa ser alguém que, nós conheçamos.
Próximo é todo aquele que, com cenho cerrado, ou com um semblante calmo, ou triste ou amargurado, ou feliz, passa por nós sem que, nós sequer saibamos seu nome, origem ou destino.
Mas, uma vez nos relacionando com ele ou ela, em qualquer condição criada pela via diária, de trabalho ou no lazer ou em situação adversa, este é o nosso próximo.
João 13.34. Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros.
"Amar ao próximo como a si mesmo" não é somente participar de eventos beneficentes, dar esmolas etc., antes é tratar os outros exatamente como você gostaria de ser tratado.
Isto parece ser uma verdade, mas para mim é incompleto.
Ser bem tratado é uma questão apenas de educação ou de amor?
Quando estudamos o relacionamento social, vemos que, o ‘ser bem tratado’ pode esconder várias coisas, como interesse, como cortesia, como ironia, como dissimulação.
Mas, quando entramos no mérito da questão posta nesta Lição, temos:
Amar ao Próximo.
Veremos que tudo isto pode ser incluído no Amar, mas o será complementar.
A -Atrelados pela situação:
Se nós formos analisar as nossas experiências pessoais nos relacionamentos humanos diários veremos que, na maioria das vezes somos vítimas conscientes ou inconscientes de nossas próprias formas de relacionarmos com o próximo.
E isto pode ser observado pela forma que nos retro-projetamos a forma de falar do próximo conosco.
O que eu quero dizer é que:
Assim, pode parecer que, como na ciência chamada física: à toda ação pessoal no relacionamento entre eu e o meu próximo, existe uma reação...ou não!
Eu aprendi a chamar isto de, pautar o meu comportamento pelo do próximo, ou de quem estou me relacionando.
Assim, se eu quiser ser dominado num relacionamento eu responderei no mesmo tom que, o meu interlocutor, e vice-versa, à partir deste momento, eu ou o interlocutor, estaremos sendo dominador da situação ou dominados um pelo outro, quem tiver mais argumentação será o agente dominador da interlocução, certo?
Errado! O dominador de uma conversa é o que não se deixar ser pautado numa conversa.
Rom 6:16 - Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?
Isto é tão importante que, uma conversa que se inicia com agressividade, poderá ser dominada por mim ou por você, quando um dos interlocutores souber responder com frieza, mais do que frieza, amor ao próximo em ação, à agressão, tirando o foco agressivo do tom dado pelo outro interlocutor.
Vejamos como entender, de forma prática:
Prov. 15. 1.A RESPOSTA branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.
B - Assim, como no exemplo abaixo:
Suponhamos que você está numa fila de banco (estresse), cheio de contas para pagar (mais estresse ainda); quando finalmente chega sua vez, você joga os papéis juntamente com o dinheiro no balcão e diz "vamos logo que eu estou com pressa"; a moça do outro lado do balcão (seu próximo) não tem culpa pelo seu estresse, mas você não deixa de tratá-la como culpada; e quando ela pergunta "é o valor todo ou pagamento mínimo?", você diz "VOCÊ NÃO CONTOU QUANTO EU COLOQUEI AÍ? PAGUE MINHAS CONTAS E ME DÊ O TROCO, E NADA MAIS DE PERGUNTAS!!!", e em resposta tem um trêmulo "sim senhor... (bruto)".
Supondo que eu sou o cliente, estarei fadado a ser apontado como agressivo.
Se eu respondesse de outra forma, teria mais sucesso no relacionamento:
Exemplo de resposta:
“Sim senhorita, desculpe, mas na pressa eu não separei os documentos, se puder fazer a gentileza eu ficaria grato”.
Ou outro exemplo:
“Sai da frente seu ...não atrapalha o trânsito!”
Se eu responder:
“Tá com pressa? Acorda mais cedo....”
Pronto! Bastou esta resposta para eu ter o meu comportamento pautado pela agressividade do outro interlocutor e perder a minha solidez emocional.
Se eu responder, ou melhor, apenas der passagem ao outro motorista, mesmo que ele passe me xingando, eu terei dominado a mim e a situação de forma bíblica.
Demonstrei Amor!
O meu relacionamento com o meu próximo, mesmo que eu erre precisa ser uma forma de nos conduzir a reflexão da Palavra de Deus que estudamos nesta semana.
Eu preciso exercitar isto, e você?
Eu preciso desta ação de Deus em minha vida e você?
II - A Ação do Amor ao próximo, nas relações inter-pessoais:
Com este tipo de situações hipotéticas, mas com certeza já vivida por algum de nós, é que aprendemos que isto, só é possível com a experiência conversora do amar ao próximo.
Este amor que Jesus colocou ao mesmo nível que a excelência do Amor a Deus.
Como?
Pode alguém perguntar!
Mas, leia o texto bíblico:
Lc.12.30,31. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.
Por similaridade Jesus indica que, não pode haver um sem o outro, pois, ambos são semelhantes.
Como amar a Deus e não amar ao próximo?
Mt.22.35-39. E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Só podemos entender o processo do Amor, quando passamos a Amar a Deus sobre todas as coisas, ou seja, a excelência do Amor em nós, parte deste princípio Amar a quem nos amou incondicionalmente, sem mérito algum nosso.
I João 4.10. Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós. Assim, podemos amar aos outros por semelhança a este Amor divino que não olhou para nossas falhas.
Assim, está estabelecido o vínculo da semelhança entre o Amor ao próximo e o Amor a Deus, que é o Primeiro, como diz Lucas e o Primeiro e Grande mandamento: Amar a Deus!
Jesus estende a validade de graduação ao relacionamento Adam-Deus ao relacionamento ser humano-ser humano.
Rom 6:16 - Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?
Rom 13:8 - A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.
A - A questão dos Atributos divinos comunicáveis e transmitidos por Deus aos homens:
O homem nascido de mulher é nascido com capacidade de amar naturalmente, [como afeto]:
As pessoas
A família
A sociedade
Até mesmo ao desconhecido
Porém, este amor é um atributo natural humano.
I João 4.8. Aquele que não ama não conhece a Deus;
O Amor com qualidade superior que, só pode ser obtido através da Regeneração é o Amor Atributo Comunicável de Deus, e que nos é dado ou transmitido pela ação desta regeneração, nos fazendo um novo homem, através deste atributo.
B - A Bíblia nos diz:
Deus é Amor. Se o princípio de onde emana vida é amor, nós que somos criação e ainda agora, filhos, temos que dar provas irrefutáveis deste Atributo de Deus.
10 Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.
E ele está passível por este amor de redistribuí-lo aos homens que se achegam a Ele em busca do ‘religare’ através do sacrifício de Seu Filho Jesus.
João 13.34-35. ...assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros.Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros.
Assim nos é autorgada uma nova dimensão do Amor, como atributo comunicável da Divindade, para que possamos, através dele, manter nossa relação com Deus em primeiro lugar, e com todos os demais homens e seres criados por Deus, sob a tutela deste Amor.
III – Conhecedor e Conhecido pelo Amor:
Satanás conhece a Deus de ter falado com Ele e o servido.
Job 1. 6-7. Ora, chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.O Senhor perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela.
Ez.28. 12-15. ...Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa...a esmeralda e o ouro. ...; no dia em que foste criado foram preparados. Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade.
João 17.25. Pai justo, o mundo não te conheceu.
Assim, imaginemos a situação do homem – Adam – criatura pouco menor do que os anjos [Sl.8].
Conheceu a Deus, mas deixou-se impregnar da mesma iniqüidade que atingiu o coração de Satanás.
Isto lhe tirou o brilho do amor divino que, era compartilhado com o próprio Deus.
Eu sou assíduo leitor desta passagem do Apóstolo Paulo:
Rm.1.19-21. Porquanto, o que de Deus se pode conhecer, neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Há um hiato de amor divino na vida de todos os homens e mulheres que, não passaram pelo processo da regeneração.
Cl. 2. 14. e havendo riscado o cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz;
Todos nós fomos atingidos, em algum aspecto, pela cédula que nos era contrária e foi rasgada na cruz do Meio, onde estava o Filho do Amor de Deus.
Assim é que, atingidos por ela, somos devedores em amor:
Primeiro: a Deus [Uno]
Segundo: aos nossos semelhantes, ou seja, próximos.
Rm.13.8. A ninguém devais coisa alguma, senão o amor recíproco [o amor com que vos ameis uns ao outros]; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei.
Se agirmos, segundo estas palavras, seremos conhecidos como crentes em Deus, que conhecem o verdadeiro Deus e tem o Seu Amor internado nas entranhas do ser humano [divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas].
Assim estaremos enquadrados neste contexto da Lição. I João 4. 13. Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós...
IV - Apresentando Deus ao Mundo:
I João 4. 12. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor.
Na profundidade desta lição extraímos o que, o Espírito Santo nos revelou:
Deus pode ser visto andando nas ruas.
Como?
Sim! Deus pode ser visto andando nas ruas, através da uma das ações, que demonstrem o Seu Amor, externado por nós.
A cada ação, ou propósito que, determinamos fazer, com as nossas vidas, em obediência estrita ao contexto exarado nesta Lição!
Se amarmos a Ele, amaremos ao nosso Próximo, se não amarmos ao Nosso Próximo, demonstramos que, Não amamos a Ele. [13. Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito.]
João 17.25.26. Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheço; conheceram que tu me enviaste; e eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer ainda; para que haja neles aquele amor com que me amaste, e também eu neles esteja.
Nós através do Amor a Deus e ao próximo somos portadores e proclamadores de:
1- Conhecimento de Deus.
2- Conhecidos como conhecedores de Deus.
3- Devemos reconhecer que, exercitando esta lição estaremos sendo melhores Conhecedores desta nossa particular situação, entre os homens, no mundo.
Como somos filhos de Deus e herdeiros com seu Filho Jesus Cristo, o mais natural para nós deveria ser o exercício das Palavras de Jesus:
A -Na Unidade:
1-Na Unidade Cristocêntrica-Paternal:
Filho-Pai.
João 17.21. para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.
João 17.22. E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um;
2-Na Unidade Pneumato-divina:
Espírito-Filho-Pai.
João 16.13-15. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido...Ele me glorificará, porque receberá do que é meu...Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso eu vos disse que ele, recebendo do que é meu, vo-lo anunciará.
3-Na Unidade Eclesial-divina:
Igreja-Deus.
João 17.23. eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim.
Assim a unidade é fundamental para que nós possamos dizer que, amamos a Deus e por conseguinte, amamos ao nosso irmão.
Conclusão:
Esta Lição é:
-Uma exortação fundamental na nossa vida cristã.
-É uma Lição de cunho doutrinário entre a Igreja, mas voltada a particularidade de cada coração temente a Deus, que após estudar este assunto sem dúvida, terá muito a crescer na fé.
-É uma Lição que nos leva ao ‘examine-se o homem a si mesmo’ que Paulo fala em I Co.11.
-Certamente que, todos seremos compungidos a um exame de nossas ações perante Deus e perante os homens e mulheres que lidamos, além do nosso comportamento inter-eclesial.
-Há uma declaração clamando forte para a Igreja: Deus é Amor.
-Os verdadeiros adoradores adorarão ao Pai em espírito e em Verdade.
Fonte:
Isaac Marinho
bíblia digital cortesia Tio Sam
Lição cpad
apontamentos do autor

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical