sábado, agosto 24

A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE Lição 08 – 3º Trimestre - 2013 - CPAD

A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE
Lição 08 – 3º Trimestre - CPAD
Estudo Em Edição – Pr. Osiel Varela
Fp 3.14 Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
Ser como Jesus é Alvo.
O maior e mais aguardado evento para todos os crentes é o recebimento, do premio tão esperado, em toda a Esperança cristã, em todos os séculos, em Cristo Jesus:
- A Vida eterna e a Ressurreição para esta nova vida!
Uma das aspirações do Apóstolo: 11 Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos.
Fp 3.12-17. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará. Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo. Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.
Aspiração - (latim aspiratio, - onis): Movimento por um ideal: ter aspirações elevadas.
1. Fig. Desejo. Ter desejo veemente ou pretensão.
2. Fig. Desejo intenso (de atingir um objetivo) [+ a, de, para, por: aspiração por algo melhor.]
A filosofia grega, que é a própria filosofia em si, entendida como aspiração ao conhecimento racional, lógico e sistemático da realidade natural e humana, da origem e causas do mundo e de suas transformações, da origem e causas das ações humanas e do próprio pensamento, é um fato tipicamente grego.
Paulo que conhecia esta filosofia, a descartara, nesta Epístola e neste mesmo capítulo:
3.7 Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.
Pois, ele sabia que o verdadeiro conhecimento não estava na filosofia.
O que conhecera muito bem, mas no Conhecimento da Verdade: Jesus Cristo, o Kyrios de Deus, o Senhor, como Paulo cita inúmeras vezes, ao escrever esta carta aos de Filipos.
Citação:
Na comunidade helenista kyrios tornou-se uma afirmação da divindade de Jesus, como afirmou Paulo: “para nós há um só Senhor, Jesus Cristo” (1 Co 8.6). Paulo enfatiza que da assertiva “Jesus é Senhor” decorre que ele e os cristãos eram escravos desse Senhor (1 Co 7.22; Cl 3.24; etc.), eles foram comprados pelo preço da vida deste Senhor (1 Co 3.23,6.20, 7.23). Para Paulo o Kyrios não é simplesmente o Todo-poderoso, Pantokrator, mas é um advogado que está a direita e intercede por nós (Rm 5.1, 8.34). Jesus é o Kyrios que a Igreja aguarda na Parusia (1 Ts 4.13ss), por isso ela clama: Maranata! Thiago A. Silveira - Estudioso da Bíblia, com ênfase em Novo Testamento e assuntos afins. Graduando em Teologia pela Escola Superior de Teologia de São Leopoldo, Faculdades EST.
Em I Co 8 Paulo fala sobre o conhecimento (trazendo ao contexto desta lição):
1 Coríntios 8:2-7 Quem pensa conhecer alguma coisa, ainda não conhece como deveria. Mas quem ama a Deus, este é conhecido por Deus. Portanto, em relação ao alimento sacrificado aos ídolos, sabemos que o ídolo não significa nada no mundo e que só existe um Deus. Pois mesmo que haja os chamados deuses, quer no céu, quer na terra, (como de fato há muitos "deuses" e muitos "senhores"), para nós, porém, há um único Deus, o Pai, de quem vêm todas as coisas e para quem vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, por meio de quem vieram todas as coisas e por meio de quem vivemos.
CONTUDO, NEM TODOS TÊM ESSE CONHECIMENTO.
Mt 11:27 - Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
Ef 3:19 - E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.
Paulo tivera esta revelação do próprio Cristo, conforme podemos ler em Atos dos Apóstolos, capítulo 9.
OBJETIVO PAULINO:
“... pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor”.   
10,11. Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos.
Conhecimento que Paulo já exara na Epístola aos Romanos.
Rm 6:4 - De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.
Rm 8:32 - Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?
Tais coisas são as que Paulo evidencia aos Filipenses.
Coisas inerentes a salvação, que são superiores ao conhecimento humano, ao conhecimento dos bancos escolares, mais elevados, que só Jesus concede.
1Jo 3:2a - Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser.
Alvo do Apóstolo Paulo:
3:2b Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos.
- O QUE PAULO BUSCAVA?
20,21 Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.
Este versículo contém a proposição de Paulo neste texto aos Filipenses:
A Espera do Salvador, o Senhor Jesus Cristo!
A transformação do “nosso corpo” abatido (corruptível) na esperança certa, de que seremos como Ele é, pelo seu eficaz poder.
- O QUE PAULO QUERIA OBTER?
Rm 8 11-13. E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.
- “ten exanastasin ten ek nekron” – “uma ressurreição dos mortos”.
Mas, além da última ressurreição, a regeneração do homem, que morre para o pecado e vive para o Senhor!
Conhecimento da plenitude que aguarda todos os salvos; conhecer a Plenitude do poder que há Em Jesus Cristo, com a Ressurreição dentre os mortos.
- O que nós pensamos ou buscamos, nesta vida?
Paulo tem um alvo. Nós temos um alvo?
O alvo atual tem sido desvirtuado, nestes últimos dias, por “bênçãos” de outra monta, que não o alvo que Paulo explica e orienta aos Filipenses, pois ao escrever esta carta da alegria, Paulo no contexto próximo na Epístola usa a sua própria vida; “Fp 1.19-20 Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo, Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido”;
Não há confusão, falta de esperança, incertezas, que tirem de Paulo o Objetivo, ou Alvo:
Jesus Cristo!
Através do conhecimento continuado do Senhor, pelo objetivo final da Vida Eterna.
Paulo quer Cristo Jesus, a sua vocação é o Reino de Deus. Paulo tem um chamado: Jesus Cristo de Nazaré.
O raciocínio deste capítulo 3, desenvolvido por Paulo é quanto à questão de alcançarmos, na vida espiritual, a perfeição final, tal qual o Senhor.
E este processo só se dará pela ressurreição, ou pelos vivos no arrebatamento, a transformação do corruptível, do imortal, pelo incorruptível, pelo imortal.
O alvo é algo superior a nossa vida natural, mas vivenciada como salvos, tendo como paradigma a alcançar a Perfeição.
O leitor do texto pode notar:
Paulo escreve sobre a perfeição, primeiro como não a tendo alcançado e de maneira, aparentemente contraditória, explicita que “nós que somos perfeitos”, como algo já existente na vida do salvo.
- Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito;
- Por isso todos quantos já somos perfeitos,
O entendimento se dá, pela interpretação espiritual do texto, enquanto nesta carne somos imperfeitos, cheios de falhas, pois vivemos na carne;
Fp 1. 1 PAULO e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus, que estão em Filipos, com os bispos e diáconos:
Mas, quando vivenciamos, no nosso interior a vida espiritual, pela presença do Espírito Santo, e pela marca de Cristo, o Seu Sangue, que nos limpa de todo o pecado, vemos pelo espírito que somos diante de Deus, imputados como salvos, isto é como justos e santos.
Paulo Busca Algo Superior:
Fp 1 19-21 Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo, Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.
Assim, o alvo de Paulo é Jesus Cristo, O Senhor.
Paulo quer o rumo, o alvo da vocação celestial que no grego significa: chamada para o alto.
Onde está o alvo está o objetivo do salvo.
Alvo – gr. skopos (marcador de alvo);
Paulo usa mais uma vez a analogia em seus escritos.
Nesta, ele utiliza mais uma vez o atletismo, no qual o alvo é o objetivo a ser alcançado.
O alvo era um poste, um demarcador do final da pista. Não se podia tirar os olhos do skopos, para não perder o foco em alcança-lo.
I Co 23,24 E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele. Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.
Tudo deveria ficar para trás;
mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim...”
-o esforço;
- as dores do corpo;
- os inimigos;
- a própria plateia que os assistia, deveria ser esquecida;
- todos e tudo deveriam ficar para trás nesta corrida, nada poderia impedir de olhar o alvo; só que corria na frente poderia ver onde estava o marcador da chegada;
2Co 5:17 - Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
- o passado deve ficar para traz;
Significa, a vida espiritual é uma corrida, sob o aspecto pessoal, que não competimos com os salvos, mas conosco mesmo, a ser corrida só, na maneira como Paulo descreve nesta mesma Epístola: Fp 2.12 De sorte que, meus amados, ... assim também operai a vossa salvação com temor e tremor;
Não perca o alvo, nunca!
Vocação é um termo derivado do verbo no latim `vocare` que significa `chamar`.
Como Paulo, fomos chamados pelo nosso nome, na eleição dos santos e demos ouvidos e resposta a esta santa vocação.
A nossa vocação, o que nos chama é Deus em Cristo Jesus.
Continuação...

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical