domingo, abril 19

Lição 3 - A Infância de Jesus Lição CPAD 2 º Trimestre 2015

Lição 3 - A Infância de Jesus
Lição CPAD 2 º Trimestre 2015
Estudo e edição:  Pr Osvarela
Texto Áureo
“E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.” Lucas 2:52
Leitura Bíblica Em Classe
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os. E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas. E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos. E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai? Lucas 2:46-49
E aconteceu que, como todo o povo se batizava, sendo batizado também Jesus, orando ele, o céu se abriu; E o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo. Lucas 3:21-22
Exórdio
A infância de Jesus é citada por leigos e por pessoas místicas, como uma infância de ações, quase brincadeiras de um menino-deus.
Alguns inferem que o infante Jesus se divertia em dar vida a pássaros ou criar meios de evidenciar sua divindade e poder.
Meras ilações, sem base bíblica e desprovidas de nenhuma base bíblica, pior, os que tais “fatos” relatam, sem discernimento, desprezam o valor da vida de Jesus, sua justiça e sua responsabilidade, evidenciada no texto bíblico, pois ele só manifestaria seu ministério de realizações, após seus 30 anos.
Aqui, no relato abaixo, vemos um momento típico menino de uma família típica daquela época.
Quando ele, levado por seus pais, José e Maria para realizar o ato, pós infância,  e introdutório como iniciação na leitura e participação obrigatória de todo adolescente judeu, aos 12 anos, quando os meninos judeus comemoravam a sua passagem à idade adulta, e com isto, comemorar a Sua primeira festa em preparação ao seu bar mitzvá aos 13 anos, ele se detém entre os sábios inquiridores dos meninos de sua idade, apenas porque ao responder as perguntas do ato, mostrou sabedoria e conhecimento impar e superior, surpreendendo os professores do templo, mas neste momento Ele também mostra a criação que recebera de seus pais e a forma absolutamente respeitosa, ao escutar as perguntas dos anciãos mostrando quem era, Ele assume com posição inteiramente normal e esperada de um infante judeu, diante dos Mestres do Templo,  papel de um estudante, assim como era apropriado para uma criança da Sua idade.
Ele não se ensoberbece, nem sua posição é de superioridade aos mestres, mas a qualidade de suas respostas os leva a querer, ouvir mais do menino que estava diante deles.
Assim, a permanência de Jesus no Templo, não era nem maliciosa, no sentido de desafio ou orgulho, nem desobediente, mas um resultado natural de saber, como Filho, que tinha a tarefa de cuidar dos interesses do Pai.
“E, quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré. E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele. Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa; E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa”. Lucas 2:39-42
Discurso
Lucas, o escritor do Evangelho nos diz:
“...voltou para Galiléia, para Nazaré, sua cidade. E o menino crescia, tornava-se robusto, enchia-se de sabedoria, e a graça de Deus estava com ele” Lc 2.39-40
É interessante, entender através da Geografia bíblica alguns dos termos usuais, que ligam Jesus, a região onde foi criado e onde estendeu seu Ministério:
Jesus de Nazaré
Jesus o Galileu
Nazaré faz parte da região geográfica da Galiléia.Nazaré é conhecida como a flor da Galileia, como afirmou São Jerônimo. Localizada sobre uma colina a 350 metros em relação ao Mar Mediterrâneo, a cidade é rodeada por outros montes mais altos. Ao sul da cidade está a planície de Esdrelon, que fica na parte sul da Baixa Galileia.
O vilarejo de Nazaré era, no tempo de Jesus, um pequeno povoado de não mais de 30.000 metros quadrados (200 metros de comprimento por 150 de largura). As casas eram compostas geralmente por uma única sala, ligadas a uma gruta escavada à mão devido à fragilidade das rochas do local. Recentemente foi encontrada uma casa desse período com vários cômodos.
Obs.: O nome Nazareno é ligado, segundo alguns estudiosos a professia de Zacarias, onde a palavra Renovo, tem sua etimologia ligada ao étimo: hb. “nezer”. Significando – renovo, vara, sugerindo a aplicação do termo, “nazareno”, ou de Nazaré. Zacarias 6:12 “E fala-lhe, dizendo: Eis aqui o homem cujo nome é RENOVO; ele brotará do seu lugar...”
Jesus foi brilhante em sua ida e estada ao Templo, para si e para sua família um momento especial, mas a volta de seus pais para casa, após os sacrifícios e da Festa teve alguma turbulência. Fora ali para se tornar um “filho da Lei”
Simplesmente eles não notaram que o menino não estava no meio, uma ilação, do editor, da turba barulhenta das crianças de várias famílias que se iam pelo caminho de retorno a Nazaré, e após longo trecho da caminhada (procuraram-no por três dias), em descida procuraram o menino Jesus e ele não foi encontrado, fazendo com que o coração de Maria disparasse, sabedora que era da responsabilidade de cuidar de Jesus. Assim, tiveram que voltar a Jerusalém, uma subida, e encontraram Jesus no meio dos sábios do Templo.
Era comum nestas Festas, os peregrinos irem em caravanas de familiares, vizinhos e próximos, com as mulheres e crianças na frente.  No final, cada parente de Jesus achava que Ele estava com outro e assim não se deram conta, da ausência do Menino.
“E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os. E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas. E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos. E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai? E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia. E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito.” Lucas 2:46-51
Diferentemente do que se pode inferir, Lucas pode revelar, que o menino era obediente a seus pais, estes é que não cuidaram do que Deus lhes dera. Aprendamos a cuidar das bênçãos que Deus coloca em nossas vidas e mãos e as vezes, mesmo indo ao Templo, as deixamos ali, onde a recebemos e consagramos!
Mesmo sendo Filho de Deus, há um exemplo nesta passagem, uma lição: Deus colocou Jesus um menino, aos cuidados de seus pais terrenos, para educa-lo e fazê-lo preparado para sua vida adulta.
Seu filho te foi colocado sob seu regaço, como benção de Deus, para você cuidar e prepara-lo para uma vida ao serviço de Deus!
Apresentamos algumas características, da personalidade do menino Jesus, em sua infância e de seu caráter, incluídas ao longo deste texto, mas compiladas aqui:
Respeito pelos anciãos –
Respeito aos seus pais -
Um espírito de indagação (adquirir conhecimento) –
Inquirido, podia responder com sabedoria as perguntas –
Habitual obediência aos seus pais –
Desejo em agradar ao Pai –
Um menino ocupado em cumprir ordens do Pai -
Crescimento em três níveis, que é desejável, aos pais observarem, se isto está ocorrendo com seus filhos –
Espiritual (em espírito, com relação ao Senhor Deus) – servindo ao Senhor no Templo.
Mental (conhecimento e sabedoria)
Corporal (crescimento em estatura, indica uma saúde perfeita). apud Goodman
Jesus – Uma Criança de Infância Difícil e em Exílio
“Assim era o Jesus de Nazaré - um homem de verdade no corpo, na alma e no espírito, ao mesmo tempo em que diferia de todos os homens; uma personalidade única e original desde a mais tenra infância até a plena maturidade, agindo em comunhão permanente com Deus, transbordando de amor para com os homens, livre de todo e qualquer pecado e erro, inocente e santo, consagrado aos mais nobres objetivos, ensinando e praticando todas as virtudes numa perfeita harmonia, selando a vida mais pura com a morte mais sublime, e reconhecido desde então como o único modelo perfeito de bondade e santidade". Do Livro Evidencias que exigem um Veredicto. Josh McDowell
A sanha maligna do adversário de Deus e dos homens, se voltou contra a infância de Jesus, ao perpetrar com a mente megalomaníaca de Herodes, contra o infante divino. Segundo a narrativa dos Evangelhos temos um perfil da perseguição contra o menino, o que Satanás não acreditava, serviu para cumprimento profético através da boca do profeta Oséias 11.1.
"Mais de mil e novecentos anos atrás houve um Homem que nasceu de modo contrário às leis da vida. Esse homem viveu na pobreza e cresceu desconhecido das pessoas. Não viajou muito. Só uma vez atravessou a fronteira do país em que viveu; isso durante a infância por ocasião do Seu exílio". "The Incomparable Christ" (O Cristo Incomparável) 
Esta é uma característica especial e única da infância de Jesus. Sua diáspora familiar, não sei se acompanhada por outras famílias, mas divinamente orientada, sem dúvida formata um período de sua infância.
Viajante para terra distante, onde seus patriarcas foram libertados, mostra desde de sua infância, que Jesus é internacional e além de fronteiras humanas, marcada ainda, mais pelo seu nome, uma referência a José - Zafenate-Panéia  - Salvador do Mundo, sendo ele mesmo filho de um José, que negou a sua própria vontade para cria-lo e fugir com ele ao Egito e trazê-lo de volta a Nazaré, preocupado com a vida do precioso filho.
“E Faraó chamou a José de Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por toda a terra do Egito.” Gênesis 41:45 
“Então Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera. E, enviando-os a Belém ... E, sendo por divina revelação avisados num sonho para que não voltassem para junto de Herodes, partiram para a sua terra por outro caminho. E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José num sonho, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho”. Mateus 1:20-25
“Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias, que diz: Em Ramá se ouviu uma voz, Lamentação, choro e grande pranto ... Morto, porém, Herodes, eis que o anjo do Senhor apareceu num sonho a José no Egito, Dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e vai para a terra de Israel; porque já estão mortos os que procuravam a morte do menino. Então ele se levantou, e tomou o menino e sua mãe, e foi para a terra de Israel. E, ouvindo que Arquelau reinava na Judéia em lugar de Herodes, seu pai, receou ir para lá; mas avisado num sonho, por divina revelação, foi para as partes da Galiléia”. Mateus 2:1-22
Por estas referências e narrativas bíblicas, vemos que Jesus voltou do Egito com idade inferior a 12 anos, de tal forma que pode ir a várias festas do calendário judeu, conforme se infere da narrativa lucana.
“... voltou para Galiléia, para Nazaré, sua cidade. E o menino crescia, tornava-se robusto, enchia-se de sabedoria, e a graça de Deus estava com ele” Lc,39-40
Lucas, ao historiar a vida de Jesus ressalta seu crescimento e formação, com destaque a sua sabedoria, a sua saúde, com crescimento natural e em especial a presença da: “a graça de Deus estava com ele”.
Por esta descrição havia entre os pesquisados por Lucas, sobre a Vida de Jesus entre os Apóstolos e discípulos mostra, que este perfil da infância de Jesus foi notado pelos seus vizinhos e pelos de Nazaré, uma cidade pequena e com poucos habitantes. Onde sem dúvida, alguma, uma família belemita deve ter despertado a curiosidade principalmente por seu modo de chegar por aquelas terras, em busca de serviço e moradia, com uma criança de idade equivalente a outras crianças que morreram na sanha assassina de Herodes. Aquela criança, sem dúvida, merecia a atenção de algumas pessoas por esta característica.
"Não possuiu riquezas nem recebeu influências. Seus parentes eram pessoas sem qualquer projeção e não recebeu instrução nem educação formal. Ainda bem pequenino despertou os temores de um rei; na infância confundiu os doutores; na idade adulta controlou o curso da natureza, andou sobre as ondas como alguém anda na calçada e fez o mar sossegar. Curou as multidões sem qualquer remédio e não cobrou nada por esse favor."
Jesus e outras figuras que se salvaram da morte na infância.
Cristo comparado a Moisés:
- Escapou de uma morte violenta na infância.
Nas Escrituras temos o caso mais conhecido de um redentor, que da mesma forma, por tipologia preconiza Jesus: Moisés.
Sofrendo o mesmo tipo de perseguição sobre os bebes, com pena de morte, para todos meninos hebreus, Moises escapou das águas, onde fora lançado por sua mãe Joquebede, no Egito, para se tornar o “Redentor” dos seus irmãos hebreus, assim também Cristo, do Egito é resgatado, após uma perseguição de Herodes, contra os meninos hebreus e do Egito volta para Resgatar a Humanidade, antítipo perfeito, como Salvador da Humanidade.
Historiando
Herodes Arquelau  - 23 a.C. — 18 a.C. governou a Judeia, se etnarca da Samaria, Judeia e Edom de 4 a 6 d.C., e foi considerado incompetente pelo imperador romano Augusto, que tornou o outro filho de Herodes, Herodes Antipas, soberano da Galileia (de 6 a 39 d.C.). Ele foi filho e sucessor de Herodes.1 O menos estimado dos filhos de Herodes, foi cruel e despótico. As queixas dos judeus contra ele finalmente o levaram ao exílio.
Na Bíblia é citado apenas uma vez, em Mateus 2, com referência à morte de seu pai, Herodes, o Grande.
Herodes morreu quando eram feitos, em Jerusalém, os preparativos para a festa da Páscoa do ano 5 a.C. (5). Isto nos dá ama preciosa informação, considerando-se o nascimento de Jesus entre  4 a.C e 6 a.C que a afirmação de Lucas e Mateus se completam, pela sinoicidade dos seus Evangelhos, sobre o período da infância, incluindo o período no exilio involuntário no Egito e a volta, após e durante a Ascenção de Arquelau, filho do rei assassino e cruel, autorizada por divina revelação a sei José, que se mostrou um homem crente e confiante no que Deus lhe propusera para ser o pai humano do menino e cuidar de sua infância. Isto mostra a importância, muitas vezes esquecida por teólogos, sobre a fé, obediência, coragem e hombridade de José, O carpinteiro.
Desta forma, Jesus podia realizar o que o escritor bíblico informa: “... todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa...”
Herodes (em hebraico: הוֹרְדוֹס, transl. Hordos; em grego: ρδης, Hērōidēs), também conhecido como Herodes I ou Herodes, o Grande (ca. 73 a.C. — Jericó, 4 d.C. ou 1 a.C.1 ), foi um edomita judeu romano, rei cliente de Israel entre 37 a.C. e 4 a.C.
Descrito como "um louco que assassinou sua própria família e inúmeros rabinos", Herodes é conhecido por seus colossais projetos de construção em Jerusalém e outras partes do mundo antigo, em especial a reconstrução que patrocinou do Segundo Templo, naquela cidade, por vezes chamado de Templo de Herodes. Alguns detalhes de sua biografia são conhecidos pelas obras do historiador romano-judaico Flávio Josefo.
Seu filho, Herodes Arquelau, tornou-se etnarca da Samaria, Judeia e Edom de 4 a 6 d.C., e foi considerado incompetente pelo imperador romano Augusto, que tornou o outro filho de Herodes, Herodes Antipas, soberano da Galileia (de 6 a 39 d.C.).
Profecias e Acontecimentos da Uma Infância
“E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” Miquéias 5:2
A Infância de Jesus é um dos tantos cumprimentos proféticos declarados para sua vinda como Messias e Filho de Deus.
Jesus Cumpriu as Profecias, concernentes ao Messias e que estavam totalmente fora do controle humano de Jesus, tais como:
- Lugar de nascimento - Miquéias 5:2. E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele. E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. E eles lhe disseram: Em Belém de Judéia; porque assim está escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo Israel. Mateus 2:3-6
- Época do nascimento. Daniel 9:25 “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.”
Gênesis 49:10-11 “O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos. Ele amarrará o seu jumentinho à vide, e o filho da sua jumenta à cepa mais excelente; ele lavará a sua roupa no vinho, e a sua capa em sangue de uvas.”
- Modo de nascimento. Isaías 7:14 “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel”
- Fuga e retorno do/para o Egito. Mateus 2:17-18 “Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias, que diz: Em Ramá se ouviu uma voz, Lamentação, choro e grande pranto: Raquel chorando os seus filhos, E não quer ser consolada, porque já não existem.”
Oséias 11:1 “Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei a meu filho.”
Obs.: Ramá ficava a cerca de 6 km de Jerusalém, era uma região de fronteira onde estava estabelecida uma cidade fortaleza. Ex.: Davi fugiu da ira de Saul indo para Ramá. Davi não foi apenas para um lugar geograficamente alto. Lugar de proteção.
1) RAMÁ [Lugar Alto] Cidade-fortaleza (1Rs 15.17; Jr 31.15; 40.1; Mt 2.18). Ramá, a cidade que o rei Baasa abandonou. (I Reis 15:20-22; II Crônicas 16:4-6)

CONTINUA
Fonte:
Dicionário de J. F. de Almeida
- Retorno para Nazaré.
Herodes - Julio Cesar de Mello e Souza (Malba Taham)
Os Três Herodes
Evidencia que exigem Um Veredicto – Josh McDowell
Livro Evidencias que exigem um Veredicto. Josh McDowell
Bíblia Explicada – CPAD – S.E.McNair; apud Goodman
Apontamentos do autor e editor

Bíblia Plenitude

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical