sexta-feira, setembro 25

A MANIFESTAÇÃO DA GRAÇA DA SALVAÇÃO Lição 13 3º Trimestre 2015

A MANIFESTAÇÃO DA GRAÇA DA SALVAÇÃO
Lição 13 3º Trimestre 2015
Estudo subsídio: Pr Osvarela
TITO 2.11 “11 Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens” ARA
“Porque a graça salvadora de Deus se há manifestado a todos os homens” ARCFIEL
Leitura Bíblica
Tito 2:11-14 Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens,
Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente,
Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo;
O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.
Tito 3:4-6
Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens,
Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,
Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador;
“Διοτι εφανερωθη η χαρις του Θεου η σωτηριος εις παντας ανθρωπους,
Tito 2:11
Manifestar
φανεροω - phaneroo; v. tornar manifesto ou visível ou conhecido o que estava escondido ou era desconhecido, manifestar, seja por palavras, ou ações, ou de qualquer outro modo; tornar atual e visível, perceptível; tornar conhecido pelo ensino; tornar manifesto, ser feito conhecido: de uma pessoa, expor à visão, tornar manifesto, mostrar-se, aparecer, tornar-se conhecido, ser claramente identificado, totalmente entendido, quem e o que alguém é.
εμφανιζω - emphanizo; v. manifestar, exibir, tornar visível; mostrar-se, vir para ver, aparecer, ser manifesto; indicar, divulgar, declarar, tornar conhecido; tornar evidente à mente, tal como revelação com caráter de exibição ou inferência proposta; - manifestar à visão, tornar visível.
ανιστημι- anistemi; v. fazer levantar, erguer-se; levantar-se do repouso;  levantar, ficar de pé;de pessoas em posição horizontal, de pessoas deitadas no chão; de pessoas sentadas; daquelas que deixam um lugar para ir a outro; daqueles que se preparam para uma jornada; quando referindo-se aos mortos;surgir, aparecer, manifestar-se; de reis, profetas, sacerdotes, líderes de rebeldes; daqueles que estão a ponto de iniciar uma conversa ou disputa com alguém, ou empreender algum negócio, ou tentar alguma coisa contra outros; levantar-se contra alguém.
- checed - grego βηθεσδα Bethesda; n m. bondade, benignidade,fidelidade.
A idéia de manifestar na etimologia phaneroo é importante quanto a anunciação da Plenitude, agora disponível a todos no Mundo, seja do judeus, gregos, citas ou servos, gentios. Há a disposição do homem a Graça Salvadora antes anunciada, mas agora manifesta liberalmente pela Misericórdia divina e sua benignidade.
ελεος - eleos; n n. misericórdia: bondade e boa vontade ao miserável e ao aflito, associada ao desejo de ajudá-los; de pessoa para pessoa: exercitar a virtude da misericórdia, mostrar-se misericordioso; de Deus para os homens: em geral, providência; a misericórdia e clemência de Deus em prover e oferecer aos homens salvação em Cristo; a misericórdia de Cristo, pela qual, em seu retorno para julgamento, Ele abençoará os verdadeiros cristãos com a vida eterna
Todos podem desfrutar e ver com seus próprios olhos, coração e mente a benignidade de Deus através de Seu Filho Jesus Cristo, que a todos pode e quer salvar, os retornando ao Pai, na Obra da Salvação.
Efeito da Graça
Na Igreja, que é a nova fonte de Bethesda, Casa de Misericórdia.
Tito 3:1-3 “Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.”
Esta maior manifestação do Amor de Deus produz alguns efeitos, que Paulo demonstra a Tito ao ensiná-lo a escolher e impor sobre a Igreja pastores, presbíteros que conhecessem e tivessem manifestado algumas da mudanças, e conhecimento de como a Graça salvífica se manifestara, e que esta Graça produz regeneração, na vida dos que experimentaram, com certeza sua manifestação, que produz Vida abundante.
Ensina:
Renúncia à impiedade
Renúncia às concupiscências mundanas – “servindo a várias concupiscências e deleites...”
Novidade de vida - vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente.
À Obediência – “Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam...”
Buscar a preparação para a vida nova – “e estejam preparados para toda a boa obra”
Mudança do falar e no convívio:
“...nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros....”
Não difamem - “Que a ninguém infamem...”
Não sejam dados a discussões – “nem sejam contenciosos...”
Tito 3:9 “Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs.”
Demonstrem uma vida modesta - “mas modestos...”
Sejam mansos e sem malícia -  “...mostrando toda a mansidão para com todos os homens.”; “vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.“
Parece-me, que neste momento da Igreja, muitos se esqueceram destes Mandamentos de Paulo a Tito, com a importância da Mensagem principal do Evangelho – Salvação de Graça.
Como Lutero descobriu e lutou contra a venda de indulgencias, há um momento quase idêntico, agora dentro da própria Igreja Evangélica, com venda de bênçãos e unção.
Não se pode falar de Graça, sem usar Lutero, ou ao menos citá-lo, ao longo de um Estudo sobre Graça. Lutero ensinava que a salvação não se consegue apenas com boas ações, mas é um livre presente de Deus, recebida apenas pela graça, através da fé em Jesus como único redentor do pecador.
Segundo Lutero, ensinando sobre Graça e Indulgências, e condenando a prática, do pagamento de perdão de pecados, que em nada podem substituir a Graça, com Perdão e até mesmo correções divinas,ensina Lutero, que há variadas formas de servir à Deus, pela Graça dispensada, como ele mesmo diz, no “Sermão sobre a indulgencia e a Graça... Afirmo (entretanto), continua a dizer, que não se pode provar, a partir da Escritura, que a justiça divina deseja ou exige do pecador castigos ou satisfação que vão além de sua contrição ou conversão sincera e verdadeira, com o propósito de carregar doravante a cruz de Cristo e de praticar as obras acima mencionadas (mesmo que não estejam prescritas por ninguém). Pois assim fala Deus, através de Ezequiel: “Se o pecador se converter e proceder bem, não mais me lembrarei do seu pecado” (Ez 18.21s, 14ss)”.
Lutero chegava mesmo a ensinar:
 “Se és um pregador da graça, então pregue uma graça verdadeira, e não uma falsa; se a graça existe, então deves cometer um pecado real, não fictício. Deus não salva falsos pecadores. Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”.
Ou seja, a Graça nada requer, mas inspira o crente a ativar sua, dizia ele, satisfação em se comunicar com Deus, que aqui, chamo de gratidão e inspiração com renuncia, como Paulo ensina a Tito:
“Orar” compreende todas as obras próprias da alma, como ler, pensar, ouvir a palavra de Deus, pregar, ensinar e similares; “jejuar” inclui todas as obras de mortificação da carne, como vigílias, trabalho, leito duro, vestes grosseiras, etc; “dar esmolas” abrange todas as obras elo amor e da misericórdia para com o próximo. Martinho Lutero; Martin Luther, (Eisleben, 10 de novembro de 1483 – Eisleben, 18 de fevereiro de 1546).
É este o ensino que Paulo quer aplicar e disseminar, entre os presbíteros de Creta para que sejam em tudo, homens devotados ao pleno exercício da Fé e exemplo com vida devotada a Deus.
Paulo a Tito:
A Doutrina da Justificação somente pela fé em Cristo foi o “mitte” ("centro") da divisão  e cisma da Igreja Católica Romana, de onde surgiu o Protestantismo.
A questão da Justificação – Efésios 2.8Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.”
Lutero, considerava que essa não era, apenas, mais uma doutrina, e sim o “resumo da toda doutrina cristã”. Um dos cinco (5) pontos centrais de sua formatação do protestantismo:
Cinco solas, conjunto de afirmações em Latim, que definem princípios fundamentais da Reforma Protestante.
A palavra latina "sola" significa "somente" em português.
Os Cinco Solas sintetizam os credos teológicos básicos dos reformadores, pilares os quais creram ser essenciais da vida e prática cristã. Todos os cinco implicitamente rejeitam ou se contrapõem aos ensinamentos da então dominante Igreja Romana, a qual tinha, na mente dos reformadores, usurpado atributos divinos ou qualidades para a Igreja e sua hierarquia, especialmente seu superior, o Papa.
Os cinco solas:
Sola fide (somente a fé)
Sola scriptura (somente a Escritura)
Solus Christus (somente Cristo)
Sola gratia (somente a graça) - a Doutrina da Salvação existente, ao tempo da Reforma, seria uma mistura de confiança na graça de Deus e confiança no mérito de suas próprias obras, aliada a compra de perdão, por indulgências vendidas pelo Papa.
Um comportamento chamado pelos protestantes de sinergismo.
A posição Reformada é a de que a Salvação é inteiramente condicionada a ação da graça de Deus, ou seja, só a Graça através da obra redentora de Jesus Cristo.
Soli Deo gloria (glória somente a Deus)
Porém, ele estava ciente de que essa doutrina era rara de ser mantida e que poucas pessoas estavam aptas a ensiná-la fielmente.
Graça era algo conhecido e ensinado pelo próprio Kurios ao Apóstolo Paulo:
2 Coríntios 12:9 “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.
Diante de fraquezas inevitáveis, ao “anthropos”, é indiscutível que a Graça, aqui, e agora, Salvífica seja algo marcante na vida do crente, e o esforça para mantença da Salvação em sua vida, diante da forma gratuita da Salvação a qual, Tito, é instado a preservar na Doutrina eficaz do Evangelho, através do contentamento do salvo, em Jesus Cristo, pelo qual somos exortados a tudo quanto se fizer necessário para manifestação da Graça salvadora.
CONTINUA NA 2ª PARTE
Fonte
Um Sermão sobre a Indulgência e a Graça - Martinho Lutero; “Ein Sermon von Ablass un Gnade. 1517”
Sola Fide na perspectiva de Martinho Lutero
Apud Fragmento do ebook "A Graça, a Fé, as Obras e a Salvação" de autoria de Alessandro Lima at “A Doutrina Luterana da Salvação”
Apontamentos do autor
Bíblia Plenitude
Bíblia on line


E compilações apontadas no corpo do texto.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical