sábado, abril 15

Melquisedeque, o Rei de Justiça Lição: 3- CPAD - Trimestre: 2° de 2017

Melquisedeque, o Rei de Justiça
Lição: 3-  CPAD - Trimestre: 2° de 2017
Estudo Pr Osvarela
16 de Abril de 2017
Texto Áureo
"Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque." Hebreus 7.17
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Gênesis 14.18-20
18 E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo.
19 E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra;
20 E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo.
Hebreus 7.1-17,17
1 PORQUE este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;
2 A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
3 Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.
4 Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos.
5 E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão.
6 Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas.
7 Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior.
17 Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.
Etimologia Introdutória
Entendendo o Nome do Personagem
מלכי צדק - Malkiy-Tsedeq; grego: Μελχισεδεκ; n. pr. m. Melquisedeque = “meu rei é Sedeque”. Em hebraico o nome é pronunciado com duas palavras: "malki zedek".
O Sacerdote de El Elion – Sacerdote de Deus Altíssimo
מלכיאל - Malkiy’el; n. pr. m. Malquiel = “meu rei é Deus”
צדק - tsedeq; n. m. justiça – justo; justiça (no governo)
- rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo a quem Abrão deu o dízimo depois da batalha que teve para libertar Ló; ‘a ordem de Melquisedeque’ a ordem do sacerdócio à qual Cristo pertence
שלם – Shalem; grego - σαλεμ; n. pr. loc. Salém = “paz”
- o lugar onde Melquisedeque era rei: - a maioria dos comentaristas judeus afirma que é o mesmo que Jerusalém. Localizada em um monte sobre o qual a parte mais antiga de Jerusalém foi construída, o monte σιων – Sion de ציון; Sião = “lugar árido”. Como o templo estava lá localizado, Jerusalém foi chamada de lugar da habitação de Deus;
Ιεροσολυμα – Hierosoluma; hebr. ירושלימה; Ιερουσαλημ – Hierousalem de origem hebraica
- ירושלימה; n. pr. loc.Jerusalém = “habita em você, paz”;
- denota tanto a cidade em si como os seus habitantes; “a Jerusalém que agora é”, com suas atuais instituições religiosas, i.e. o sistema mosaico, assim designada a partir de sua localização externa inicial.
Ιεροσολυμα grego e Ιερουσαλημ; n. pr. loc. Jerusalém = “ensino de paz”; a cidade principal da Palestina e capital do reino unido e, depois da divisão, capital de Judá. A cidade principal da Palestina e capital do reino unido e, depois da divisão, capital de Judá.
כהן – kohen;; n. m. sacerdote, oficiante principal ou governante principal: rei-sacerdote (Melquisedeque, Messias)
לחם - lechem; n. m. pão, alimento, cereal; alimento (em geral)
לחם - l ^echem (aramaico); n. m. banquete, pão
תירוש - tiyrowsh ou תירש - iyrosh no sentido de expulsão; n. m. vinho, vinho fresco ou novo, mosto, vinho recém espremido.
οινος - oinos (talvez de origem hebraica); n. m. vinho
Refains - Uma raça de gigantes - Genesis 145 – 15.20. O vale de Refaim, hoje se chama El-Bukeia, planalto rochoso inclinado próximo ao vale de Hinom.
Porque só Ogue, rei de Basã, ficou de resto dos refains; eis que o seu leito, um leito de ferro, não está porventura em Rabá dos amonitas? O seu comprimento é de nove côvados [4 metros], e de quatro côvados [1,78 metros] a sua largura, segundo o côvado em uso." Deuteronômio 3.11
Fértil planície, fechada de todos os lados por cordilheiras, e que progressivamente se estende de Jerusalém para o sudoeste no espaço de quase dois quilômetros, estreitando-se depois de modo a formar o Wady-el-Werd. Esse vale servia de limite às tribos de Judá e Benjamim - Js 15.8 – e 18.16, e foi teatro de conflitos entre Davi e os filisteus - 2 Sm 5.18,22 – 23.13 – 1 Cr 11.15 – 14.9,13
זוזים - Zuwziym; n .patr m. pl. Zuzins = “criaturas andarilhas”; um povo antigo de origem incerta, talvez habitantes da antiga Amom ao leste do Jordão
Horeus - Habitantes da caverna. os primitivos habitantes do monte Seir, aliados dos emins e refains. Tinham os seus príncipes, e eram poderosos antes de Esaú ter conquistado o seu país. os horeus e os edomitas parece terem sido mais tarde um só povo  - Deuteronômio 2.12,22 – Juízes 5.4.
As cavernas da sua habitação ainda hoje se vêem nas colinas arenosas, e nas montanhas de Edom.
Estudando esta matéria encontramos uma certa coincidência textual, quando falamos de cavernas, em Qumran, na gruta 11, foi encontrado um texto que fala de Melquisede (1Q13 - 11QMelch).
רתו - towr ou תר tor; n. m. diadema;sucessão, ordem
Discurso
Melquisedeque
- meu rei é Sedeque - foi um rei-sacerdote, que alguns o colocam como (entendo como válida a ligação nome-lugar), rei de Salém, a Jerusalém [veja etimologia], uma figura messiânica apresentada no início da jornada abraãmica, com tripla, ou diversas, dificuldades de interpretação:
- Tipológica
- Redentiva
- O primeiro de uma Ordem de sacerdotes de EL Elion
Alguém que poderia receber dízimo de tudo, em uma guerra vencida pelo patriarca dos patriarcas, Abraão.
1 PORQUE este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;
2 A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
3 Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.
Este rei é uma figura que aparece de forma fugaz em Genesis e desaparece da mesma forma, após ser alvo de uma forma de reverencia da parte de Abraão.
Caráter e Atributos de Melquisedeque
Repare que as Escrituras apresentam-no [Melquisedeque] como alguém que é rei bem como sacerdote. A combinação destas duas funções viria a ser uma característica distinta do Messias” Novo Comentário Bíblico Revisado [The New Bible Commentary: Revised] pág. 1203, 1970.
A importância do caráter e das características deste personagem remontam a análie, que este promoveu, pelo escritor bíblico da Epístola aos Hebreus, que necessitou de um capítulo inteiro para explicar o significado de apenas, e tão somente três versículos do livro de Gênesis.
Assim, o autor diz que Jesus se tornara “eternamente sumo-sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque”, como o Rei Davi profetizara há muito tempo em Salmos 110.
Desta forma, no Novo Testamento, o escritor da Epístola aos Hebreus, no capítulo base de nosso estudo volta a destacar que a inferência teológica, durante séculos, o qualifica como um rei e sacerdote com caráter único e que ajudou no momento de paz, e de realização de Justiça, por Abraão, após uma série de guerras e batalhas.
O segundo rei a sair ao encontro de Abrão depois de derrotar Quedorlaomer foi Melquisedeque, rei de Salém. Ele saudou Abrão como um herói, um guerreiro voltando em triunfo da batalha.
No momento em que se consolidou a Justiça, pelas mãos de Abraão e a Paz ele se apresenta para abençoar com sua benção duradoura e para tanto traz elementos simbólicos:
Pão
Vinho
Um caráter atingido pelo poder e fé no Deus - El Elion, por ser ele, mesmo mostrado nas Escrituras Veterotestamentárias e Neotestamentárias, como:
           - rei de Justiça        
- rei de Paz
- “rei da retidão”
- de origem desconhecida
- sem genealogia
- porém reconhecido como: Permanente sacerdote para sempre
- dono de uma superioridade sacerdotal superior e reconhecida por Abraão
- tipológico no reconhecimento do escritor aos Hebreus, quanto a sua Ordem sacerdotal
- sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre
- um provedor num momento de dificuldades e cansaço de uma batalha: “18 E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo.”
- um abençoador aceito e reconhecido pela sua forma de agir, o que demonstra que a sua personalidade era reconhecida. E seu caráter era bom, senão Abraão teria recusado a benção e não lhe teria pagado o dízimo de tudo que conquistara na penta peleja.
- caráter crente em Deus
- caráter de um adorador
- caráter de quem reconhece a Soberania de Deus - EL Elion
“...disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos.”
O Que nos Ensina Melquisedeque
Quando entendemos o título Rei de Justiça, inferimos que devemos aprovar a Justiça em qualquer situação e estar ao lado daquele que promove a justiça e recupera valores, aqui como valores morais, mesmo que tenha que lutar contra os poderosos “Quedorlaomer e aos reis” - Gênesis 14:17 - que se juntam a ele, tendo em vista que este quarteto vencera até os refains, os gigantes. Mas, Abraão serve a Deus que derrota quem derrota gigantes e se acha poderoso.
NOTA: A linhagem de Melquisedeque é tida, por alguns estudiosos por outro ponto de vista:
Melquisedeque seria um título usado para Sem, filho de Noé, de onde descendem todos semitas, que se ainda estivesse vivo na época, teria chegado a 600 anos, quando saiu ao encontro de seu descendente Abrão.
De acordo com essa linha de raciocínio, a “ordem” sacerdotal à qual Melquisedeque pertence se estendeu de Sem, passando por Judá, até Cristo. Uma hipótese que vai de encontro a chamada de Abrão, como alguém chamado em Ur por um Deus de certa forma desconhecido, entre sua família.
Ordem, do latim ordo. Série de pessoas ou coisas que se sucedem ou se dispõem umas após as outras; sucessão. Instituição honorífica instaurada por um governo ou soberano. Grau de classificação imediatamente superior ao das famílias. Mandado.
רתו - towr ou תר tor; n. m. diadema;sucessão, ordem
Continuando.
Voltando a questão tipológica em relação ao caráter e personalidade de Melquisedeque, tenho o entendimento, que o uso destacado pelos escritores bíblicos levam em consideração a caráter messiânico deste personagem, que associam ao caráter do Messias, com o uso de dois títulos, que o associam ao Messias e, de modo específico, a Jesus.
Devemos apontar a símile “Melquisedeque”, ele recebeu Abraão com pão e vinho, elementos físicos que se tornaram essenciais, na lembrança do messias crístico, símbolos do sacrifício da Páscoa de Cristo em representação do Seu corpo e do Seu sangue.
Melquisedeque também se dirige a Deus e O trata como “o Possuidor dos céus e da terra”. Depois, passados uns dois mil anos, Jesus Cristo também se dirigiria ao Pai chamando-Lhe “Senhor dos céus e da terra”.
A expressão “segundo a ordem de Melquisedeque” significa que o sacerdócio de Jesus é do mesmo tipo, ou até mesmo a perfeição antítipo do sacerdócio de Melquisedeque anunciando Jesus.
Davi profetizou, mil anos antes do nascimento de Jesus, que o Messias seria “sacerdote para sempre segundo a ordem de Melquisedeque” Salmo 110:4
“Porque um menino ... se chamará o seu nome: ... Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre...” Isaías 9:6,7
“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu...” João 6:56-58
O texto nos dá informações rudimentares que havia conhecimento da necessidade de expiação, com símbolos.
Ou seja, resgatando-se vidas que haviam lutado e vencido, elas necessitavam de pão para renovar forças, mas também vinho pela alegria da vitória, como elemento alimentar, mas que representava (como em outros texto tipológicos, nas Escrituras), trazida pela alegria pela vitória.
Ainda, que sejamos literais, a simbologia no texto remete, sem dúvida, por ser texto tipológico, inferente, ao ato Redentivo de Jesus Cristo, derramamento seu sangue [vinho] e tendo sua carne dilacerada [pão] usava-se o pão e o vinho.
Simbolicamente, um tipo do Plano Redentivo e Expiatório da Cruz do Calvário, a Cruz do Meio, De Jesus O Rei dos Judeus, O Rei dos reis!
18 E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo.
19 E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra;
20 E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo.
Uma oração de agradecimento.
Melquisedeque é o sacerdote que faz, se fizermos uma leitura minuciosa, sobre o texto ele realiza a primeira oração ao Altíssimo.
Devemos aprender com Melquisedeque que a presença do pão e vinho e uma oração a Deus El Elion, faz parte do caráter de gratidão e reconhecimento que Deus é quem nos concede nossas vitórias.
A Justiça No Caráter do crente [Abraão – o crente Abraão]
2 A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
Fundamento da ideia da Justiça: é a de estrito apego à lei.
Entre os homens ela pressupõe que há uma lei à qual eles devem ajustar-se.
Justiça - Prática e exercício do que é de direito. Conformidade com o direito.
- de justiça:  justo; merecido.
- fazer justiça:  obrar ou julgar segundo o que é justo.
"Justiça significa dar a cada um o que merece."
A Justiça de Deus.
É um atributo relacionado com o da santidade de Deus.
Shedd:  A justiça de Deus é “um modo de Sua santidade”.
Deus, não pode ser sujeito a qualquer lei, porque não há lei à qual Ele esteja sujeito, d’ele emana atributivamente a Justiça, ou qualquer padrão de Justiça, a justiça de Melquisedeque, e esta, que o chama “rei da justiça”, constitui o mais elevado padrão possível, pelo qual todas as outras leis neste mundo são julgadas.
A justiça absoluta de Deus é a retidão da natureza divina, em virtude da qual Deus é infinitamente reto em Si mesmo
A Sua Justiça relativa, é a perfeição de Deus pela qual Ele se mantém contra toda violação da Sua santidade e mostra, em tudo e por tudo, que Ele é Santo.
É a nesta retidão que podemos usar o termo “justiça”.
A ação humana aciona a justiça e se manifesta especialmente em dar a cada homem o que lhe é devido, em trata-lo de acordo com os seus merecimentos. Veja textos neste estudo.
Os termos hebraicos para “justo” e “justiça” são tsaddik, tsedhek e tsedhakah, e os termos gregos correspondentes são dikaios e dikaiosyne, todos os quais contêm a ideia de conformidade a um padrão. Esta perfeição é repetidamente atribuída a Deus na Escritura.
Ah! Senhor Deus de Israel, justo és, pois ficamos qual um remanescente que escapou, como hoje se vê; eis que estamos diante de ti, na nossa culpa, porque ninguém há que possa estar na tua presença, por causa disto.” Esdras 9.15
Leia, os textos: “...e confirmaste as tuas palavras, porquanto és justo.”Neemias 9:8
“Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.” 2 Timóteo 4:7,8
“Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele.” 1 João 2:29
“E ouvi o anjo das águas, que dizia: Justo és tu, ó Senhor, que és, e que eras, e hás de ser, porque julgaste estas coisas.” Apocalipse 16.5
A justiça de Deus é a retidão de sua natureza, aquilo pelo qual faz o que é reto e de igual medida.
“O que anda em justiça, e o que fala com retidão; o que rejeita o ganho da opressão, o que sacode das suas mãos todo o presente; o que tapa os seus ouvidos para não ouvir falar de derramamento de sangue e fecha os seus olhos para não ver o mal.” Isaías 33:15
O caráter do crente deve ser exercido prioritariamente sob a égide da Justiça divina.
Para isto, o crente precisa conhecer os atributos da Justiça de Deus:
Ela é Santa
Ela é o padrão de toda a ação de Justiça.
Provavelmente, alguém pode questionar, pois Deus é eterno e o homem, seja crente ou ímpio, humano. Mas, Deus nos fez imago Dei para podermos ter em nosso interior este senso de justiça, ainda que sejamos falhos.
D’ele flui a justiça.
“Também suborno não tomarás; porque o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos.” Êxodo 23:8
Nós os homens podemos agir injustamente, pois somos passíveis de sermos forçados ou subornados, mas Deus não aceita peita, nem tem o culpado por inocente.
            Porém seus filhos não andaram pelos caminhos dele, antes se inclinaram à avareza, e aceitaram suborno, e perverteram o direito. 1 Samuel 8:3
Maldito aquele que aceitar suborno para ferir uma pessoa inocente. E todo o povo dirá: Amém. Deuteronômio 27:25
O ímpio toma presentes em secreto para perverter as veredas da justiça. Provérbios 17:23
A Justiça de Deus é perfeita.
“...que perdoa a iniquidade, e a transgressão e o pecado; que ao culpado não tem por inocente; ...” Êxodo 34:7
A Justiça de Deus é definitiva
Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo iniquidade, morrerá por ela; na iniquidade, que cometeu, morrerá. Ezequiel 18:26
Justiça e Recompensa.
Embora, seja obrigação sermos justos e somos justos em Jesus, Deus encontra prazer em nos agraciar, quando agimos de forma Justa.
Quando seguimos o padrão da Justiça de Deus temos recompensa.
"Na verdade, há recompensa para o justo". SaImos 58.11
"Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que evidenciastes para com o seu nome". Hebreus 6.10
A Justiça de Deus só pune de forma, que permita, ao justo e mesmo ao ímpio, dar-lhe chance de mudar seu comportamento. A Justiça de Deus considera cada alma, cada homem, individualmente, os atos do pai não justificam os erros do filho.
Justiça Rectoral – Reto é o Senhor.
A retidão que Deus manifesta pela sua Soberania em exercer domínio tanto sobre o bem como sobre o mal. Em virtude de Sua justiça rectoral, Deus instituiu um governo moral no mundo, e impôs ao homem uma lei justa, com promessas de recompensa ao obediente e ameaças de punição ao transgressor.
“Seu pai, porque praticou a extorsão, roubou os bens do irmão, e fez o que não era bom no meio de seu povo, eis que ele morrerá pela sua iniqüidade. Mas dizeis: Por que não levará o filho a iniquidade do pai? Porque o filho procedeu com retidão e justiça, e guardou todos os meus estatutos, e os praticou, por isso certamente viverá. A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele. Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá.” Ezequiel 18:18-21
Justo pratica Justiça – se errar o tempo em que viveu na Justiça, Deus permanece na Sua justiça.
“Mas, desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniqüidade, fazendo conforme todas as abominações que faz o ímpio, porventura viverá? De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá.” Ezequiel 18:24.
O texto não é incongruente com Hebreus 6, mas demonstra a necessidade de fidelidade, para sermos alcançados pela Justiça divina.
Viver em Justiça!
Importantes debates sobre a Justiça de Deus e a Justificação nos remete a verificar:
            Ser operador da Justiça é ser: “moralmente justo, renovado, santo, então a declaração de Deus não assegura isso imediatamente, mas apenas inicia o processo contínuo e que dura a vida inteira.
“Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.” Romanos 8:13
C. K. Barrett (in memoriam) alega em suas obras que, justificar não significa tornar justo, mas que " 'justo' significa, não 'virtuoso', mas 'correto', 'limpo', 'inocentado' na corte de Deus" é a absolvição forense no tribunal divino.
Se lermos os textos supra veremos que há certo equilíbrio neste ato. Não podemos deixar de praticar a justiça, e agir com injustiça, pois, seremos certamente punidos por Deus e se não nos arrependermos de nossa injustiça antes de partirmos desta vida, haverá um julgamento pelas nossas Obras: “
A Justiça de Deus não envolve dificuldades para a vida natural do ímpio, ou do justo, quando todos estão em igualdades, como parte da Criação.
“Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.” Mateus 5:45
Quando estudamos sobre a Justiça de Melquisedeque, estamos apontando para a manifestação da Justiça de Deus, transcendente a Lei.
"Mas agora se manifestou uma justiça que provém de Deus, independente da lei..." Romanos 3.21
O encontro de Abraão com o Rei de Salém é uma prefiguração da a revelação da justiça de Deus na cruz de Cristo, e base dos alicerces para o evangelho da justificação - Romanos 3.21-26.
Ilustrando através da vida de Abraão, que foi, ele mesmo, justificado pela fé, tornando-se assim o pai espiritual de todos os que crêem - Romanos 4.1-25 -, o texto nos ilumina sobre a luta em manter-nos justos, guerreando nossas guerras, e sendo agraciados com a visita do Rei da Justiça.
Fonte:
Melquisedeque – Rev. Herman Hoeksema
ADEYEMO. Tokunboh (editor geral), Comentário Bíblico Africano. São Paulo: Mundo Cristão. 2010. P. 33-34; 1537-1538.   MELQUISEDEQUE, SEGUNDO O COMENTÁRIO BÍBLICO AFRICANO
Strong
Bíblia Dake
Bíblia online
Imagem – Eu aprendi
O que é a Justiça de Deus? Josemar Bessa
A Revelação da Justiça de Deus - John Stott - Comentário Sobre Romanos 3:21-26
Os Atributos Morais de Deus - Dr. Louis Berkhof
Dicionário Aurélio online

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical