quinta-feira, janeiro 3

Jesus, o Verbo de Deus - Lição 01 - CPAD - 06/01/08


Lição 01 – CPAD 06/12/2008
Texto Áureo:
Jo. 1.14: E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.
– Leitura Bíblica em Classe: Jo. 1.1-10,14

JOÃO 1.1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.2 Ele estava no princípio com Deus.3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez...ss
Verbetes:
Encarnação – mistério pelo qual Deus se fez homem; ato em que Deus se fez homem, unindo a natureza humana à divina. Pequena Enciclopédia Bíblica O S Boyer.
Encarnar – ser a personificação, o modelo de (homem); nascer como ser humano (Jesus – filho do homem, filho de Maria) – Dicionário Aurélio
LOGOS THEOU (grego) - “Palavra de Deus”. Uma expressão sagrada para A Palavra de Deus que é viva e exerce poder conforme nos é dito “no início era A Palavra, e a Palavra estava com Deus e a Palavra era Deus” (João 1:1). Ela também se expressa no contexto no livro de Hebreus (4:12) do Novo Testamento para mostrar a ponte entre a alma e o espírito.
Demiurgo - criatura intermediária entre a natureza divina e a humana. Um deus inferior, que emanou do próprio Deus.
Morphe: -forma
Logos: Fílon (pensador de Alexandria – judeu; segundo Fröhlich, foi um judeu helenista, filósofo da religião.) dá ao seu logos um papel distinto na criação: é a causa.
EXÓRDIO:
O comentarista deste trimestre Pr. Ezequias Soares, é um dos teólogos mais importantes das Assembléias de Deus e do Cristianismo brasileiro, portanto, comentar, ou melhor discorrer sobre seus ensinamentos, não será tarefa fácil, e a nossa única pretensão, ao tecer comentários da lição, é apenas colaborar, o quanto isto é possível, contando com a ajuda do Espírito Santo.
INTRODUÇÃO:
Eis uma questão que secularmente tem sido causa de discussões plenas de ardor e de decepções, para aqueles que sobre ela se debruçaram, sem ter a Revelação do Espírito Santo ou sem considerar substancialmente a Fé, como ancora para obter, o crer nesta verdade.
I JOÃO 1.1-3: O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida (pois a vida foi manifestada, e nós a temos visto, e dela testificamos, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e a nós foi manifestada); sim, o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que vós também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo.
VEJA OS CONCEITOS DESDE A IGREJA PRIMITIVA SOBRE O LOGOS:
NEGAVAM A DEIDADE:
Ebionitas (Jesus foi escolhido por causa de sua piedade legal e por ocasião do batismo recebeu a filiação – adocionismo),
Adocionismo de Hermas (Jesus homem, por sua dignidade, foi escolhido pelo Logos e, na ressurreição constituído Filho);
monarquianos dinâmicos (defendiam que Jesus foi um homem deificado pelo Logos)
NEGAVAM A PLENA HUMANIDADE
Apolinarianismo (O Logos – Espírito - estaria no lugar da alma humana, de modo que Jesus não era plenamente homem. Se Cristo assim fosse, teria pecaminosidade)
(Cristo não tinha espírito humano, mas O Logos, manipulava um corpo humano)
NEGAVAM A PLENA DEIDADE
Arianismo (O Logos foi criado por Deus em determinado tempo da eternidade. Ele foi apenas o primeiro a ser criado, e, embora especialmente escolhido por Deus para a obra criadora que posteriormente haveria de ocorrer, o Logos não era Deus, mas um deus). ( Logos Encarnado [Jesus Cristo], é assim inferior a Deus, embora seja objeto próprio da adoção, estando acima de todas as demais criações
A REVELAÇÃO:
Quando João escreve este primeiro capítulo do seu Evangelho, todos os que lêem o Novo Testamento, notam de imediato, que há uma Revelação Nova desabrochando, além da Biografia do Livro, sem a qual ele não seria um Evangelho.
Porém, podemos notar que, João escreve com uma visão descortinada, desde o Eterno Princípio e do Eterno Conselho para Salvação, em que o Filho, há de, pela kenosis, (Fp. 2.5-9;Gl.4.4) encarnar-se para cumprimento do “gospel edênico” ou Proto-Evangelho de Gn. 3.15: Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a sua descendência; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.
Para mim, neste texto, o significativo ou a Grande Revelação, encontra-se no fato de que o Verbo do Eterno Princípio, passa a ter Poder Salvítico ou Salvífico quando, como Logos é encarnado como Homem e passa a ser carne (uma hipérbole), como eu e você, [Jo.1.14: E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.] e, à partir de então, realiza a Obra proclamada por Deus, no Livro da Gênesis, para Salvação do Homem!
DEUS EM CARNE:
I JOÃO 4.1-3: Amados, não creiais a todo espírito...Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus;
Este texto de João é capaz de simplificar todo o entendimento necessário para o Evangelho, ao juntarmos este ao texto em tela, nesta lição.
João revela a identidade de Jesus, na passagem desta lição, ao esclarecer onde estava o Logos, no Princípio Eternal, o que ocorreu para que Ele fosse nivelado e conduzido voluntariamente, a forma humana : “E o Verbo se fez carne, No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.”
Na leitura de Gn. 1. 1: No princípio criou Deus os céus e a terra, encontramos Elohim, palavra que significa deuses, e este versículo é usado por João, numa Exegese Revelada, em seu Evangelho, no capítulo 1.1-2: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus, como uma confirmação da Própria Palavra de Deus, na Regra de que a Bíblia explica a própria Bíblia.
João consegue estabelecer o axioma que aparentemente, estava sem resolução: para ser um Salvador Perfeito, Cristo deveria ser plenamente Deus (porque só Deus poderia nos salvar) e plenamente homem (porque o pecador inteiro necessita ser renovado). Esta é a grande revelação que precisamos guardar em nossos corações.
Parece uma aparente precipitação do autor do presente comentário, mas, não o é, tendo em vista que, em sua experiência como ensinador cristão, já encontrei muito crente novo ou antigo, que tinha dúvida sobre como Cristo pôde suportar as tentações e até mesmo o flagelo da cruz, confundindo todo um preceito divino, redentivo, remidor e salvífico, da necessidade de que, um homem, (lembre de Gn. 3.15), nascido de mulher, fosse a resposta de Deus a Satanás, para desfazer a obra deste último: a maldição na Criação; Deus usa então, daquilo que Satanás pensava ter dominado para sempre, para vencer a astúcia, do mesmo Adversário, com a vinda de Jesus, o Verbo, o Logos Encarnado.
A CONFIRMAÇÃO:

A Bíblia tem inúmeras citações sobre a questão do Logos, e nos quais a deidade Cristo, nos são reveladas, com clareza; muito embora a Teologia, desta área seja realmente difícil, temos uma saída para a aparente dificuldade teológica, a arma mais forte do crente em Cristo, a Fé, pois há em nós o Espírito Santo, que nos leva a alcançar, o entendimento real da necessidade desta Encarnação de Jesus Cristo, O Logos – A Palavra, sem a perda de sua divindade, para Salvação de toda a Humanidade.
Outros textos:
Mateus 8. 27: E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?
Mateus 9. 6: Ora, para que saibais que o Filho do homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados (disse então ao paralítico): Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa.
Estes textos, para mim não deixam dúvida da consciência de Jesus, de sua atuação pelo poder do Logos, A Palavra dita, pela Palavra Encarnada:
como O Cristo,
como Homem,
e Como Deus,
Com poder para realizar aquilo que:
Um homem pode fazer, cheio do Espírito Santo: curar um enfermo;
Aquilo que só Deus pode fazer: perdoar a humanidade, representada ali pelo paralítico.
Aquilo que o Filho pode fazer, pois tudo foi feito por Ele e para Ele: ordenar pela Palavra, a Criação.
A FORMA DA HABITAÇÃO DO VERBO:
Habitou – significa literalmente: “tabernaculou”.
Faça a analogia com o Tabernáculo de Deus entre o povo hebreu; onde a Glória de Deus se manifestou? Ali.
Jesus , o Verbo Encarnado, veio identificar-se com o homem, com a humanidade, pelo processo divino e único da Encarnação do Logos.
A Santa habitação de Deus entre os homens, agora entre todos, não mais no deserto, mas nas cidades, vilas e povoados, fora e dentro de Israel.
No Lugar Santíssimo, estava a Arca e na Arca estava por cima “O Glória”, símbolo da presença de Deus. Este era o Logos presente nas terras da Palestinas daqueles dias.
CONCLUSÃO:
Não se pode deixar de lado a questão do Jesus, O Verbo, pois sua compreensão é fundamental, para estabelecimento da Teologia da sua Humanidade ou Divindade.
Para mim, não resta dúvida quanto a isto, pois é uma questão dogmática colocada por João em:
I JOÃO 1.1-2: O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida; (pois a vida foi manifestada, e nós a temos visto, e dela testificamos, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e a nós foi manifestada);I JOÃO 4.1-3: Amados, não creiais a todo espírito...Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus!
Poderíamos falar mais, porém é bom ouvir e ler de outros comentaristas.
Excelente e difícil tema, é hora de crescermos com o Conhecimento.
Parabéns a CPAD, após o excelente currículo das EBD-2007, nos preparou mais um excelente Trimestre.
Fonte:
Pequena Enciclopédia O S Boyer;
Heresiologia – SETAD-SP – Oráculo;
Dicionário Aurélio
Pequeno Dicionário Universal – Bucland;
Bíblia de Estdo Aplicação Pessoal – CPAD;
Bíblia Plenitude – SBB; - veja pág. 1070;
Apontamentos do autor;
Site Speculum.
Autor: Osiel Varela – Ministro das Assembléias de Deus – Missão.
Consagrado no Belém em 26/09/1996. Membro em Santo André V. Curuçá. SP.
Pr. Nivaldo Rodrigues. Ligado ao Belém. Professor de Teologia; Pós – graduado em Bíblia.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical