sexta-feira, julho 18

VIVENDO SEM MEDO-Lição 03 -CPAD - 3ºTrim. 2008

LIÇÃO 03 - 3º Trim. Autor: Osvarela

TEXTO ÁUREO: I JO. 4.18 a: NA CARIDADE, NÃO HÁ TEMOR; ANTES, A PERFEITA CARIDADE LANÇA FORA O TEMOR.
"O medo é um dos sintomas mais relevantes demonstrados pelo homem, nos dias de hoje. Muito embora, a sua presença tenha nascido junto com o pecado de Adão e Eva, no Éden.". O Editor.
O trompete soa ao longe...As tropas alinham-se, os arqueiros preparam as flechas...a batalha vai começar.O medo apodera-se de muitos...As faces espelham o terror, espelham a dor e o medo de morrer, o medo de perder o que de mais importante têm.O céu torna-se agora sombrio...Um manto negro cobre o azul celeste...a escuridão apodera-se do mundo.

A situação dos nossos dias:
Estamos vivendo um momento de desconstrução e esgarçamento do tecido social. Este estado, além de atingir aos sem fé, está atingindo a própria vida da Igreja.Crentes sem conhecimento do que é a sua fé e com falta de convicção da sua vida com Cristo, vivem quase em romaria em saber o que lhes acontecerá nos dias a vir, desconhecendo o que disse Jesus: "basta a cada dia o seu mal".
O Medo como componente do ambiente social:
Quando era menino, andava nas ruas de minha cidade, a qualquer hora do dia ou da noite, principalmente a noite, quando vínhamos, num grupo de irmãos e seus filhos, à frente correndo pelas calçadas do bairro até chegar em casa, entre eles, eu, e ao longo do trajeto, o grupo ia se reduzindo, até a minha família, ser a última a seguir sozinha, pela noite, mas, sem nenhum temor, esta é a minha imagem daquela época.Outras vezes, seguíamos por ruas de terra, e entre o negrume da noite até uma pequena igreja localizada junto a um cerrado de árvores, onde se realizavam as reuniões de vigília, chegávamos lá por volta das 21:00 hs e saíamos em grupos por volta das 4:00 hs da madrugada, do dia seguinte, cheios de sono, nós as crianças e os adultos cheios de poder, e muita das vezes, nós as crianças que já tínhamos entendimento, saímos também, cheios do poder de Deus.
Descrevo estas situações para sem exemplificar a total diferença de comportamento da sociedade de minha infância e a sociedade dos dias de hoje, em que o medo tomou conta de todos.
Os medos que nos atingiram neste século:
O homem deste século se deparou com novos e graves problemas, muitos criados por ele mesmo, outros pela extrema corrupção de nossos dias, que enchem o cálice da ira de Deus.De nada adianta recearmos ou ficarmos atemorizados com questões como a nova versão do vírus da gripe das aves, que é fatal e contagioso para o ser humano. De nada nos adianta ficar em pânico pelo risco da pandemia da gripe aviária ou da febre amarela ou da SIDA. Se para umas doenças o homem consegue achar a cura, outras tantas se alastram sem cura, câncer e outras que surgem lá no mais remoto ponto do mundo e se espalha com velocidade da Internet.Resta-nos confiar em Deus.
Devemos viver biblicamente, cada dia de sua vez!
Mas, estas ameaças que pairam no ar, nos fazem pensar no mais importante da vida:
Amar, sorrir, rir, brincar, abraçar, beijar, perdoar, reconciliar, dar e ajudar, compreender e não julgar.
Somos todos iguais.Feitos da mesma "massa", sujeitos aos mesmos perigos e paixões, anseios e desilusões. Que possamos usar estes flagelos, que nos causam medo, para refletir sobre o que é importante na vida!
Sobre o que é viver sem Cristo e com Cristo!
Medos:
As situações descritas acima, servem para demonstrar o medo entre a sociedade em relação a crimes, roubos, seqüestros, doenças epidemias, e outras manchetes de jornais nas páginas policiais.Mas, a questão do medo pode ser também encontrada em outras situações da vida do homem, seja cristão ou descrente.
MEDO:
Um exemplo simples, de medo, que todos conhecem, mas pode ser medo para uns e não para todos:Supondo alguém que tenha medo de baratas, pois sabemos baratas fazem parte dos temores conscientes e inconscientes de muita gente; mas também sabemos que em determinadas culturas, pessoas idolatram a barata como objetos de fetiches, enquanto outros, a tem como uma fina iguaria em sua culinária. E assim podemos perguntar; por que a barata não assusta a todos? Porque o medo natural é vivenciado por temores pessoais.
Tenho um irmão que já foi pára-quedista do Exército, saltou e deu treinamento, mas, tem medo de dirigir automóveis, tem uma causa por detrás deste medo (ele vai me ligar, depois desta...).
"Não existe medo sem causa, assim, a causa do medo já é o próprio medo."
Mas o que é o medo afinal de contas, um estado emocional, um mecanismo de origem natural do qual foram dotados todos os seres vivos, ou algo exclusivamente humano?
Ter medo é uma condição essencialmente racional e emocional, pois só podemos temer aquilo que conscientemente seja capaz de nos fazer algum tipo de mal, algo conhecido. Sabemos o que sentimos quando a sensação de medo toma conta de nós, e é quase certo que também sabemos o porque, pois não podemos imaginar um receio sem motivo. Uma coisa é certa, como não existe medo sem causa, a causa de qualquer medo é o próprio medo.
Que temos inúmeros receios todos sabemos afinal, isso é algo comum, todos têm seus próprios temores. São temores pessoais, coletivos, inconscientes, e há um sem fim número de qualificações e explicações para todos os nossos medos. Mas saber as causas dos nossos receios, novos e velhos, não resolve o problema do medo, não elimina, nem erradica a condição medo do nosso ser. Fácil é enumerar nossos receios e temores, os receios dos nossos amigos, os receios de toda humanidade, mas o simples fato de enumerá-los não significa que os estamos transcendendo. *Autora: Anne Marie Lucille-
Prefiro apontar os medos relativos a questões que envolvem o homem no seu relacionamento com Deus, adotando a mesma postura quanto ao desconhecimento científico e acadêmico desta vertente produtora de Doenças.
Segundo os especialistas há uma causa ou coisa através da qual o medo se manifesta em nós, que não é propriamente o estado medo, e sim apenas uma causa que o desperta. O objeto causador do medo, não é o medo, mas a causa, o veículo através do qual o medo se apossará de nós. Através desse objeto, ele irá emergir das profundezas homem.
Como descrevemos acima, então esta causa que não pode ser estudada pelos homens e foi transferida como uma carga hereditária adâmica que esta instalada em todos os homens.
O homem nasceu para dominar toda e qualquer situação no seio da criação de Deus, isto implicava em autoridade sobre tudo que Deus criou.
Para tanto, Deus nomeia o homem como dominador, o que implica em essência, a ausência de medo de qualquer elemento que ele vislumbrasse, durante aquele estado de total inocência, em que foi criado. Este estado de bem-estar, que pressupõe a ausência de doença, era o único estado conhecido do homem, nem morte, nem doenças lhes eram conhecidos.
Esse princípio da geração dos homens era prazeroso, mormente pelo contato direto com Deus, na viração do dia. Este prazer foi conscurpado pelo evento edênico entre Eva e a serpente. Pois, à partir, deste momento, o pecado atinge o homem e este passa a ser escravo do pecado por esta porta aberta, no coração do homem e o pega sem a cobertura divina que afasta todo o medo.
Veja a expressão do homem para Deus, durante estes acontecimentos:
Gn.3.7.ss: Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; pelo que coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. E, ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim à tardinha, esconderam-se o homem e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e perguntou-lhe: Onde estás? Respondeu-lhe o homem: Ouvi a tua voz no jardim e tive medo, porque estava nu; e escondi-me.
Medo natural da Criação:
Como já dissemos, ao homem foi dada autoridade para dominar a Criação, mas o medo do desconhecido tornou-se uma coisa notória na vida humana, pelos motivos aqui preconizados. Até mesmo aquilo que Deus criou para abençoar o homem, como os ventos que nos trazem o frescor e a conduzem a chuva em sua andança pelos quatro cantos do mundo, para que a terra frutifique, o mar que nos da alimento para muitos em toda a terra e serve de trabalho para muitos de nós, desperta com sua braveza o medo daquilo que o homem já não pode controlar.Só um homem, chamado Jesus pôde vencer este medo que há em nós em relação as forças da criação.
Mt. 8. 26: Ele lhes respondeu: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se grande bonança.Mas, até a autoridade de Jesus sobre a sua Criação trouxe temor ou medo aos seus discípulos, que vivenciavam todos os dias milagres após milagres.
Mc.4.41: Encheram-se de grande temor, e diziam uns aos outros: Quem, porventura, é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?
Mt.14. 26: Os discípulos, porém, ao vê-lo andando sobre o mar, assustaram-se e disseram: É um fantasma. E gritaram de medo.
Isto representa para nós que até os milagres, ou ação de Jesus sobre a sua Criação, ou o que Deus faz em nossa vida, pode se transformar em medo, medo daquilo que nos é sobrenatural, por isto, é necessário ter confiança real na nossa fé em Cristo uma vida de real conversão, o verdadeiro renascimento espiritual, para saber que Ele tem todo o Poder e nos delegou este poder, como novo homem espiritual, não mais adâmico, mas cristãos.
O Medo e A Escolha:
Deus concedeu o livre-arbítrio ao homem e por este atributo personalístico, o homem fez uma má escolha, preferiu ouvir a voz da serpente a obedecer a voz de Deus.
O ato da escolha já gerou um conflito no homem: Obedecer a Deus ou ouvir a voz da serpente?
Portanto a escolha que cria feridas no coração do homem pode transformar, o próprio ato da escolha em medo, tais como:
Escolher que caminho tomar;
Escolher uma profissão em plena adolescência;
Escolher um marido;
Escolher uma esposa;
Escolher a quem adorar: "Escolhei hoje a quem sirvais..."
Escolher se afastar de Deus;
Escolher aproximar-se de Deus;
Escolher entre os prazeres do mundo e uma vida com Deus, e aí voltamos a inicial.
Escolho porque tenho as opções, escolho porque sou livre para fazer o que quiser;
Escolho porque desejo para mim o melhor dentre os disponíveis.
Desejo enfim, garantia de satisfação.
Homem vive numa busca de garantias daquilo que escolhe:
Diz um especialista:"Se todos estados emocionais do homem demandam um motivo para existir, estes motivos foram criados pelo próprio homem."
Se a profissão vai lhe dar segurança.
Se a quem serve como deus lhe dará segurança de vida eterna.
Tudo quanto o homem tem que decidir pode gerar a insegurança, gerar o medo.
Medo de não conseguir, o que ainda não temos.
Medo de não ser aquilo que ainda não somos.
Se buscamos garantia em alguma coisa, é porque há a possibilidade de que aquilo não se concretize, ou não perdure o tempo que julgamos necessário à nossa plenitude.
Vencendo o medo em Cristo:
I Jo.5.14:E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.
A Bíblia nos fala da Plenitude de Deus, e onde podemos encontrá-la e nos enchermos da mesma até alcançarmos a estatura plena de Cristo.
Ef. 3. 19: e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios até a inteira plenitude de Deus.
Ef. 4. 13: até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo;
A plenitude de vida em Cristo nos transmitida por sua própria ordem:
Tudo o que pedirdes em meu nome recebereis!
É uma virtude transformadora da mentalidade, deixamos de pensar como terrenos e discernimos tudo como espirituais, e como espirituais, desprezamos e vencemos todo o medo.Porque a plenitude do amor [No amor não há medo antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor.] é uma arma contra o medo?
Pois temos os nossos corações animados, há um só Espírito agindo em nós; e unidos em Deus nós somos mais que vencedores, por aquele que nos amou: Jesus Cristo!
Cl.2.1.ss: Pois quero que saibais quão grande luta tenho por vós, e pelos que estão em Laodicéia, e por quantos não viram a minha pessoa; para que os seus corações sejam animados, estando unidos em amor, e enriquecidos da plenitude do entendimento para o pleno conhecimento do mistério de Deus-Cristo, no qual estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência.
Um homem que atinge este estágio em sua vida espiritual pode ultrapassar todos os medos da vida moderna e deste século.
Seja o medo de perder.
Seja o medo de sofrer.
Seja o medo da concorrência em todos os setores da vida:
Profissional, física, espiritual ou na Vida Ministerial.
Jamais claudicará em pensamentos de timidez ou medo.Ele vive na plenitude de Cristo e isto representa ser firmado em amor e o amor lança fora todo o medo!
A ótica do Mundo é: Ou você, se sujeita as condições, que ele impõe ou você será derrotado!Mas, nada pode nos conter, com a pretensão de nos causar aprisionamento de mente ou espiritual, seja o que ocorre no Mundo seja o que ocorre em nossa vida secular ou espiritual.
Mas, graças a Deus que nos dá vitória por Nosso Senhor Jesus Cristo que nos libertou todos os medos inclusive o mais terrível o medo da morte e da Eternidade.
Jo.5. 24: Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida.
Qual a tua escolha?
Se nos submetemos ao medo é que já nos tornamos escravos.Nós já estamos livres de todo o temor por Cristo, se nos submetermos as sombras do medo, já não somos dignos de sermos servos de Deus e sim servos do medo.
A Lição dos versículos seguintes, é que nós temos que deixar fora todo o medo, que vem sobre nós ou ficaremos escravos do mesmo.
Rm.6.16: Não sabeis que daquele a quem vos apresentais como servos para lhe obedecer, sois servos desse mesmo a quem obedeceis, seja do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?
Cl.2.8.ss: Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade, e tendes a vossa plenitude nele, que é a cabeça de todo principado e potestade.
Resposta para estas posições, só pode ser encontrada, na presença de Deus, através de seu Filho Jesus Cristo.
Os medos do Apóstolo Paulo e o oportunismo do pecado em lançar medo em nossos corações:
Paulo sofreu medo da própria Lei, achando que ela era um instrumento da morte, na verdade quem o queria atacar malignamente era o pecado até que o Apóstolo descobre a solução em:Rm. 7. 7.ss: Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Contudo, eu não conheci o pecado senão pela lei...Mas o pecado, tomando ocasião, pelo mandamento operou em mim toda espécie de concupiscência; porquanto onde não há lei está morto o pecado. E outrora eu vivia sem a lei; mas assim que veio o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri; e o mandamento que era para vida, esse achei que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião, pelo mandamento me enganou, e por ele me matou... Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo (escravo). Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei guerreando (ansiedade de ser livre e fazer o bem) contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo (pensa Paulo: me levou à escravidão!) à lei do pecado, que está nos meus membros.Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? [Ansioso por libertar-se das guerras da lei do pecado – agora ele entende toda a sua ansiedade e medo de praticar o mal] Graças a Deus, por Jesus Cristo nosso Senhor! De modo que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado [SOLUCIONADO O PROBLEMA].
Este é o medo de perder o que já temos: vida livre do pecar e do pensamento vicioso, do "schematio mundi", transformados pela renovação de nosso entendimento pelo Espírito Santo.
Medo da morte:
"O medo de morrer impede-nos de viver!"
Hb.2.15: e livrasse todos aqueles que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à escravidão.
Mt.10.28: E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.
Nascido desde o momento em que o homem se descobriu sem a oportunidade de não mais, comer da árvore da vida no Éden. Quando o homem encontra-se à beira de perder a vida ou ao saber de alguma doença que o pode levar à morte, ele procura de todas as maneiras uma solução para o seu caso.
CONCLUSÃO:
Escondidos em Cristo estamos livre de todo o medo tal qual os heróis da fé de Hb. 11.33.ss: Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, Apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos.
E há uma vitória que nos é garantida pela fé em Cristo.
I Jo.5. 4,5: Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?
Rom 8:31: Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
Fonte:
Bíblia Chamada
*Dra. Anne Marie Lucille - A autora é pesquisadora em psico-pedagogia e escritora.
Lição CPAD
Apontamentos do autor

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical