sábado, julho 24

PROFECIA E MISTICISMO-Lição 04 – CPAD - 3º trimestre 2010

PROFECIA E MISTICISMO
              Lição 04 – CPAD - 3º trimestre 2010                                                        Autor: Osvarela
 Profecias bíblicas se cumprem sempre, sem exceção. Por isso podemos ter absoluta confiança nelas. Mas quem confia em adivinhações está perdido! Norbert Lieth
Porque assim diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel:Não vos enganem os vossos profetas que estão no meio de vós, nem os vossos adivinhos, nem deis ouvidos aos vossos sonhos que sonhais.Jr. 29.8
“As experiências místicas não se alinham com a verdade bíblica, elas afastam as pessoas da verdade de Cristo. As pessoas começam a buscar experiências paranormais, fenômenos sobrenaturais e revelações especiais – como se nossos recursos em Cristo não fossem o bastante” (...) “Os sentimentos se tornam mais importantes do que a própria Bíblia”.
O profeta que tem um sonho conte o sonho! Jeremias.
A base de todo misticismo é a credulidade do povo e a ganância do profeta. Osvarela
Jd. - Ai deles! Porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.
Glossário.
Mancia - Sufixo indicando que a palavra é um domínio de um método de adivinhação do futuro, por exemplo, hidromancia (hidro, que significa água, e mancia, método de adivinhação.) é um método de adivinhação a partir da água.
-Esoterismo – a interiorização da iniciação dos conhecimentos subjetivos da entidade reveladora, ligado ao iniciado ou portador das ‘visões’, o ‘chamado’ - ligado ao exoterismo – a exteriorização da seita para outros participantes ou adeptos, o arcabouço religioso exterior da seita.
-Teosofismo – s.m. Caráter das especulações teosóficas. Forma sincrética de religião, ciência e filosofia, com bases no budismo, hinduísmo e espiritualismo. (O mesmo que teosofia.) Dicionário on-line – Português.

TERAFINS - Deuses domésticos ou pessoais. Eram conhecidos como protetor do lar ou da pessoa 

Ídolos - que vem do grego eidólon que significa imagem. É pois uma representação. As palavras mais freqüentes na Bíblia para significar um ídolo ou imagem.
Tselem - imagem; Pesel - escultura; Massekah - imagem de fundição; 

I-  INTRODUÇÃO.

O que é Misticismo.

A palavra "místico" era empregada pela primeira vez no Mundo Ocidental, nos escritos atribuídos a "Pseudo-Dionísio, o Arejkjk jopagita [Dionysius, o Aeropagite]", que apareceu no final do século V. autor do conjunto literário Corpus Areopagiticum.
Dionysius empregou a palavra para expressar um tipo de "Teologia", mais do que uma experiência.
Para ele e para muitos intérpretes, desde então, o misticismo se baseava em uma teoria ou sistema religioso que concebe Deus como absolutamente transcendente, além da Razão, do pensamento, do intelecto e de todos os processos mentais.
A palavra, desde então, tem sido usada para os tipos de "conhecimento" esotérico e teosófico, não suscetiveis de verificação. A essência do misiticismo é a experiência da comunicação direta com Deus.
A palavra misticismo tem origem no idioma Grego.
μυστικός = "iniciado"
μυστήρια = "mistérios"
Mito e Misticismo – Uma relação importante.
Para entender misticismo precisamos entender que havia toda uma história entre os povos pagãos sobre a existência e conseqüente crença da ação destes ‘deuses’.
Assim, Israel ao entrar na Terra da Promessa, foi se afeiçoando a estes deuses, e até achar que eram deuses possíveis de alguma ação positiva na vida da Nação.
A despeito da condenação pela Torah desta prática, Israel curvou-se por muitos anos e períodos ao misticismo de seus vizinhos.
Reis importantes da Nação aceitaram esta prática, outros como o primeiro concenou-a, mas no final da vida sem a direção do Senhor e desesperado pela perda do Reino procura uma necromante, a qual estava condenada a não praticar mais suas adivinhações e consulta aos mortos.
No Antigo Testamento encontramos vários desses mitos.
Há a crença dos cananeus de que existiam deuses chamados Astarote, Renfã, Dagom, Adrameleque, Nibaz, Asima, Nergal, Tartaque, Milcom, Astarote, Renfã e Baal. 
Sobre este último, há o mito de que podia responder com fogo ao ser invocado por seus sacerdotes. 
Há também o mito egípcio de que o Nilo, o sol e o próprio Faraó eram divinos; 
-o mito filisteu do rei-peixe Dagom; e que o Deus de Israel precisava de uma oferta de hemorróidas e ratos de ouro para ser apaziguado. 
Para não falar do mito cananeu da Rainha dos Céus, que exigia incenso e libações (bolos) dos adoradores (Jeremias 44.17-25).
Outro mito na Bíblia é que o sol, a lua e as estrelas eram deuses, mito esse que sempre foi popular entre os judeus e radicalmente combatido pelos profetas (II Reis 23.5,11; Ezequiel 8.16). Augustus Nicodemus – HÁ MITOS NA BÍBLIA? –
Descrição do Autor.
Entendimento.
1- O Misticismo também pode ser entendido, na sua expressão a outros, como algo transmitido após uma revelação, que não encontra descrição racional, a qual seria inadequada a Experiência Mística.
Revelação: ‘E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus;’
Ralph L. Smith – Teologia do AT-
Os estudiosos das Escrituras, ainda que ela não precise desta confirmação, atestam que “há congruência entre os verdadeiros fatos da História de Israel reconstruídos pela crítica teológica ou científica e o modo místico [inserção do autor] pelo qual são lembrados nas tradições sagradas”.
Isto nos remete a consciência cristã de que o místico bíblico é verdadeiro e tem um ‘mitte’ de convicção padronizado nas/ou com Escrituras.
A exteriorização da Revelação através da voz mística é necessária conter a autoridade da revelação e não subjetividade revelacional.
Há que haver um relacionamento [Moisés, Isaías, Jeremias] se ter intimidade e noção de que a forma histórica nos conduz a entender.
A voz real audível, sob a luz do místico necessita de um núcleo de convicção dos ouvintes, o que Deus promoveu por Moisés perante Faraó.
A voz que soou a Paulo, no caminho de Damasco dá a noção de uma relação evidente do ser humano com o próprio identificado- Jesus ‘a quem tu persegues’...
Talvez, por esta característica, o místico possa ser entendido nas Escrituras Paulinas pelos textos.
1 Co.2.12. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.
A- Místico.
A partir do entendimento do que significa Místico.
Mistico (do grego μυστικός, transl. mystikos, um iniciado em uma religião de mistérios).
O entendimento da palavra místico pode ser utilizado de várias formas.
2- Na Filosofia e nos estudos das Teses Religiosas:
Está profundamente ligada ao entendimento filosófico-religioso contemporâneo a experiência da Interpretação das Revelações e sua relação com a divindade.
3-O Entendimento base para o conceitual da Lição.
O misticismo só pode [ou deveria] ocorrer no arcabouço da religiosidade desconexa da Verdade Divinamente inspirada.
3.1- Caráter Geral.
Divino – O Senhor.
A relação da Profecia, no místico, se dá pelo pressuposto epistemológico, da intermediação [Profeta – porta-voz] do ser humano com Deus, ou com a eventualmente, crida, divindade, ou seja, obtenção de conhecimentos [revelação] divinos, não revelados a qualquer um dos seres, mas especificamente ao Profeta.
‘Até que o Senhor tirou a Israel de diante da sua presença, como falara pelo ministério de todos os seus servos, os profetas; assim foi Israel expulso da sua terra à Assíria até ao dia de hoje’.2 Rs.17.23.
E não obedecemos à voz do Senhor, nosso Deus, para andarmos nas suas leis, que nos deu por intermédio de seus servos, os profetas..Dn.9.10.
Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.  Am.3.7.
3.1-a - Compreendendo.
Os homens buscam tentar fazer possível, [o que não é verdade] entrelaçar [veja a palavra que uso] como uma unidade as diversas manifestações, conhecimentos e experiências da Humanidade, sob um só Tema, o que eu chamo de Ecumenismo Místico.
Isto é inviável, para nós da Igreja de Jesus Cristo, no caso as Assembléias de Deus.
3.1-b-Definindo.
- Religiosidade transformada em culto ou adoração a divindade, com um estado de interação ou êxtase com a divindade ou potestade.
Estado contemplativo em relação a uma divindade ou algum elemento da criação, com objetivo de culto ou serviço ou adoração, transcendendo o natural.
3.1.-c-Para a Igreja.
Visão ou Revelação ou Interação do Corpo da Igreja, individualmente ou coletivamente com O Senhor, Nosso Deus. ‘Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros’. Rm.12.5.
E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Ef. 2.6.
1Jo 4:13 - Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito.
1Jo 3:24 - E aquele que guarda os seus mandamentos nele está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem dado.
3.2-Há a forma conceitual etimológica que descreve a origem, à partir, da palavra místico.
Tal palavra se reveste de sombras para alguns, pelo inadequado uso ao longo dos tempos, pelas seitas, ditas espiritualizadas ou esotéricas;
- uso pela bruxaria [aqui como seus adeptos a chamam];
- mas também a palavra, místico tem o sentido de coisas que não são vistas no âmbito do físico, do palpável ou do corpóreo, aquilo que transcende a esta densidade humanamente perceptível.
3.1-d-- Místico infere – mistérios, segredos e revelações.
Místico - o misticismo, em seu mais simples e essencial significado, é um tipo de religião que enfatiza a atenção imediata da relação direta e íntima com Deus, ou com a espiritualidade, com a consciência da Divina Presença.
É a religião em seu mais apurado e intenso estágio de vida.
O iniciado que alcançou o "segredo" [Ex. mestres gnósticos] é chamado de místico.
Os antigos cristãos empregavam a palavra "contemplação" para designar a experiência mística [substantivo].
4- Misticismo e Mantras.
No budismo o místico está ligado a experiências de iluminação através de canto de ‘mantras’.
Eis um assunto atual.
A Igreja de Cristo, não precisa de canções que venham produzir por repetição de cânticos ou hinos, que vão levar-nos ao êxtase ou a um processo mental evolutivo, até atingir o centro das emoções, onde á partir daí o crente passa a entrar num ‘estado’ espiritual para que possa sentir a presença de Deus.
Este é um modo do misticismo religioso: produzir pela emoção um estado no limiar da emoção, com o espiritual, de tal forma, que não se saiba distinguir o que é verdadeiramente divino e o que é emocional.
Muitos têm se aproveitado disto ultimamente, para levar o Auditório e as platéias a este estado.
Não! O crente para sentir a presença mística verdadeira e real do Espírito Santo deve estar cônscio de que Deus está em sua vida e ele em Deus e que sua palavra nos garante: “onde estiverem dois ou três, reunidos em Meu Nome, aí eu estou, no meio deles...
O nosso culto é racional. ‘ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional’. Rm. 12.1.
O místico divino e verdadeiro é evidente nos nossos cultos, mas de forma disciplinada pelo Espírito Santo, e conhecida pelo verdadeiro crente em Cristo, ensinado em toda a boa Obra e Doutrina.
Col 3:16 -  A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.
Como se diz: não é uma questão de pele e arrepios, a real presença de Deus nos faz transbordar sem necessidade de emocionalismo, a Glória e o Aleluia fluem naturalmente de nossos lábios e os olhos marejam, até sem uma palavra. At.4.31.E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus.
Efe 5:19 Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Não se transforma em leão ou leoa, ou outro qualquer tipo de ação desta ordem, nas Escrituras o único homem que teve sua mente tornada como de um animal o foi pela sua forma de absoluto ego em detrimento de dar Glória a Deus, o que lhe foi possível após voltar a si e reconhecer o seu estado humano e Glorificar ao Deus dos Deuses.
5-Uso do conceito, para a palavra misticismo na Lição.
5.1-Definição.
"O místico é aquele que aspira a uma união pessoal ou a unidade com o Absoluto, que ele pode chamar de Deus, Cósmico, Mente Universal, Ser Supremo, etc”. (Lewis, Ralph M).
Uma das características da evidencia do uso da palavra místico e, por conseguinte da sua correlata misticismo, é a forma como a divindade é chamada.
Alguns a chama de:
-Realidade Suprema
-Entidades Superiores
-Um
-Ser
-O Si
-O Puro ser
-Absoluto
-Mente Universal
-Mais popularmente alguns dizem. “O homem lá de cima”, se referindo a Deus.
5.2-Contradição.
Contradizendo as palavras das Escrituras, que nos dão outros nomes para o Eterno, O Pai das Luzes, nomes ao qual o misticismo quer aproximar em pronuncia e uso, ecumenizar, para que outros deuses, aos quais eles tomam por deuses ou divindades possa parecer Deus, O Senhor dos Exércitos de Israel, ou o “Eu Sou”.
Alguns dizem: “Que bom! O importante é você crer em alguma coisa, não importa o nome”.
5.3-Finalidade – Engano.
O que o misticismo dito ‘iluminado’ quer é colocar como verdade o seguinte Tema:
O misticismo de todas as religiões é igual, pois crêem em deus’.
Além de colocar o misticismo, [na ótica da Lição, algo negativo] como uma coisa boa e aceitável e idêntico e igualador, para todos os credos, seja o cristianismo, o islamismo, o catolicismo, o esoterismo ou outros.
Ou: “todos os caminhos levam ao topo[a deus]”; uma falácia a Revelação profética só leva ao homem quando ele serve ao Deus, Único e Verdadeiro e o aceita através de Seu Filho Jesus Cristo, pelo sacrifício da cruz.
Mas, o conceito da Inefabilidade decreta a realidade mística do verdadeiro Cristianismo, segundo o Apóstolo Paulo, que experimentou esta relação mística.
Inefável é o limite da linguagem humana na descrição do sobrenatural divino, visto e ouvido na experiência do Arrebatamento até ao Terceiro Céu, pelo Apóstolo Paulo. Reflete-se em um silêncio de palavras humanas, por isto Paulo se cala sobre esta sua experiência. Leia o texto bíblico.
1 Co.12.1.EM verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe). Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.
Uso do Misticismo – a Prática [‘praxis’].
Eze 21:21-23. -Pois o rei de Babilônia está parado na encruzilhada, no princípio dos dois caminhos, para fazer adivinhações; ele sacode as flechas, consulta os terafins, atenta para o fígado
.A partir, desta visão devemos estudar a Lição descartando estas seitas, tais como,
- Cristianismo esotérico – Neo-Espiritualismo, que usa o NT para suas palestras
-Bruxaria
-Feitiçaria
-Satanismo
-Adivinhação
-Esoterismo
-Racionalismos
-Cientologia e outros ramos
-Astrologia
-Agouro
-Benzimentos
-Mágicas
-Operações mediúnicas
-Escrita por transe mediúnico
-E incluo o Ateísmo
-E outra série de seitas desvirtuadas da Revelação Profética, original concedida por Deus.
Veja lista reduzida de Mancias – abaixo.
Os que atuam nestas áreas se dão o nome de Iniciados.
A Lição nos alerta para o uso de elementos da natureza em liturgias, mesmo em Igrejas dito cristãs.
1. Influência de elementos paganizados do catolicismo romano;
2. Influência de elementos litúrgicos afro-indígenas;
-Com uso de elementos da natureza.
-Milagreiros
-Rosa ungida
-Sal grosso
-copo d’água ungido
-Portal de passagem, físico ou místico.

Lista de Mancias.

De A até Z existe uma lista enorme de mancias, ou seja, métodos de advinhação por várias forma, elementos e instrumentos.

Mas, todas se colocam contra as Escrituras.

Há uma diferença entre o uso, ainda não revelado com certeza das pedras santas Urim e Tumim - (do hebraico אורים ותמים luzes e perfeições), descritas nas Escrituras como instrumentos da Revelação do Senhor a Israel, o uso destes é destacado da mancia pela utilização dos mesmos para a demonstração da vontade de Deus e não do uso de uma forma de advinhação, do passado, presente ou futuro, mas do juízo deos filhos de Israel, como eles se encontravam.

Destaque:
Por meio do Urim e Tumim, o sumo sacerdote consultava a vontade de Deus em casos difíceis.
Este processo não era aplicável a casos particulares, nem a interesses privados, e somente sobre negócios de interesse público.
Por isso mesmo, o lugar do Urim e Tumim era no Racional do Juízo, onde se achavam gravados os nomes das doze tribos de Israel sobre pedras preciosas.
Por meio do Urim e Tumim, se consultava a vontade de Deusa acerca de assuntos judiciais e de negócios públicos (Nm 27.21; cp. Js 9.14; Jz 1.1; 20. 18,23,27,28; 1Sm 10. 22; 14.36-42; 22.10,13; 23. 9-12; 28. 6; 30.7,8; 2Sm 2.1; 5.19, 23,24.

Misticismo e o uso de Urim e Tumim, uma forma de engano concorrente as Pedras engastadas do éfode sacerdotal.

O espírito de engano em uso no meio do Povo de Israel.

Os. 3: 1-5. Disse-me o Senhor: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, e adúltera, como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles se desviem para outros deuses, e amem passas de uvas.Porque os filhos de Israel ficaram por muitos dias sem rei, sem príncipe, sem sacrifício, sem coluna, sem éfode ou terafim”; Depois tornarão os filhos de Israel, e buscarão ao Senhor, seu Deus, e a Davi, seu rei; e com temor chegarão nos últimos dias ao Senhor, e à sua bondade.

Os terafins concorriam com os sagrados Urim e Tumim, contido na estola sacerdotal (éfode), no qual o sacerdote consultava a Deus.

Pode-se referenciar a sua utilização, sob a mesma ótica etimológica da língua semítico-hebraica, e de cosmovisão israelita, do versículo de 1 Samuel. 9.9. (Antigamente em Israel, indo alguém consultar a Deus, dizia assim: Vinde, e vamos ao vidente; porque ao profeta de hoje, antigamente se chamava vidente).

1Cr 25:5 – Todos estes foram filhos de Hemã, o vidente do rei nas palavras de Deus, para exaltar o seu poder;
Formas de obter a vidência:
-Visões;
-Sonhos;
-Revelações.
Um exemplar do vidente é encontrado em situação nada boa, mas exemplifica o exercício da vidência citada no AT.

Podia-se também consultar ao Senhor por Urim e Tumim.

Neste caso é um exercício Sacerdotal, vai além do Dom da vidência ou do exercício do vidente, está situado no âmbito da Liturgia sacerdotal, da qual poderia, ou não, o vidente fazer parte.

Pedras que Deus concedeu ao povo no deserto, para que Arão consulta-se ao Senhor Jeová.

http://www.ensinodominical.com.br/o-poder-da-verdadeira-profecia-5/

Misticismo no Mundo Contemporâneo dos Profetas.
O Misticismo em Israel.
Condenação e Juízo.
Deus havia determinado em sua Aliança Sinaítica a não utilização, ou aprendizado de abominações, a existência entre seu povo deste misticismo maligno, que é acionador de potestades malignas do engano e que tentam imitam a ação do Reino divino.
Os Profetas como Ezequiel também condenaram o uso do misticismo.
Ez.21.23. Isso será como adivinhação vã aos olhos daqueles que lhes fizerem juramentos; mas ele se lembrará da iniqüidade, para que sejam apanhados.
-Imitam as profecias, com emissão de adivinhações;
-Imitam as maravilhas com ações de imitação em atos de ‘curas’, aparecimento de coisas da criação;
-Imitavam sacrifícios, mas como o Maligno engana aos que se deixam levar por sua ação e assim, muitos em Israel, inclusive reis levaram seus filhos ao sacrifício nas mãos incendiadas de moloch.
Ídolos -
MOLOCH.
Era o deus do fogo dos amonitas, como Camos era dos moabitas. Sacrifícios humanos e provas de fogo eram alguns dos meios que se empregavam para tornar propícia aquela divindade. Os israelitas foram avisados contra este culto com ameaças de terríveis castigos. Aquele que oferecesse o seu filho a Moloque devia ser morto por apedrejamento (Lv 18.21; 20.2 a 5). Sendo já velho o rei Salomão, foram consagrados lugares altos a Moloque num dos cumes do Olivete (1 Rs 11.7). Fazer passar o filho ou a filha pelo fogo, em adoração de Moleque (2 Rs 23.10,13), era matar a criança e depois oferecê-la em holocausto à maneira de Mesa. O sacrifício de crianças era não somente expiatório, mas também purificatório; por ele se supunha que as vítimas eram assim purificadas da imundícia do corpo, alcançando então a união com as forças divinas. Está averiguado que a imagem de Moloque era na forma de um bezerro, com as mãos estendidas para diante, como querendo receber qualquer coisa. No caso de haver ídolo semelhante em outro país, as mãos eram postas na direção do chão de tal maneira que a criança, quando colocada sobre elas, era lançada numa cova de fogo. Os sacerdotes de Moleque tomavam a precedência com respeito aos príncipes de Amom (Jr 49.3). Fonte: Dicionário Bíblico
Outros Reis e logicamente outros do povo, consultavam aos Mortosa Necromancia -
As oito práticas anatematizadas para determinação do futuro.
1. do adivinhador – os métodos são apresentados em Ez 21.21;
2. do prognosticador – possivelmente referindo-se à feitiçaria ou astrologia;
3. do agoureiro – aquele que usa prognósticos;
4. do feiticeiro – aquele que faz uso da magia, de fórmulas ou encantamentos;
5. dos encantadores – Sl 58.4-5;
6. de quem consulta um espírito adivinhante – veja o número 7;
7. do mágico, geralmente usado com o número 6 – Is 8.19 descreve a prática;
8. do necromante – aquele que procura interrogar os mortos.
Dt.18.9 -14. Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações.Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro;Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos;Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti.Perfeito serás, como o Senhor teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o Senhor teu Deus não permitiu tal coisa.
Eze 21:21-23. -Pois o rei de Babilônia está parado na encruzilhada, no princípio dos dois caminhos, para fazer adivinhações; ele sacode as flechas, consulta os terafins, atenta para o fígado. Na sua mão direita estava a adivinhação sobre Jerusalém, para dispor os aríetes, para abrir a boca, ordenando a matança, para levantar a voz com júbilo, para pôr os aríetes contra as portas, para levantar tranqueiras, para edificar baluartes.Isso será como adivinhação vã aos olhos daqueles que lhes fizerem juramentos; mas ele se lembrará da iniqüidade, para que sejam apanhados.
Terafins, Ídolos, abominações!
2Re 23:24 -  Além disso, os adivinhos, os feiticeiros, os terafins, os ídolos e todas abominações que se viam na terra de Judá e em Jerusalém, Josias os extirpou, para confirmar as palavras da lei, que estavam escritas no livro que o sacerdote Hilquias achara na casa do Senhor.
No Período dos Profetas.
Is. 8.19. Quando, pois, vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram: Porventura não consultará o povo a seu Deus? A favor dos vivos consultar-se-á aos mortos?
Misticismo no tempo dos profetas.
Necromancia invade o Reino de Rei.
A ação mística de adivinhadores, necromantes era condenada, ou melhor, é condenada pelas Escrituras, até aos dias de hoje.
Ap.21. 8. Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte.
Ap.22. 15. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.
A Igreja precisa, a despeito de muitas restrições atuais, proclamar a verdade da ação destas práticas, não contra a crença democrática, mas com base na Bíblia sagrada que condena este tipo de ação e qual é a sua relação mística na vida dos que precisam ser livres do engano e condenação à perda da Salvação.
2 Reis.23.24.E também os adivinhos, os feiticeiros, os terafins, os ídolos, e todas as abominações que se viam na terra de Judá e em Jerusalém, os extirpou Josias, para confirmar as palavras da lei, que estavam escritas no livro que o sacerdote Hilquias achara na casa do Senhor.
1Sa 28:3 -  E Samuel já estava morto, e todo o Israel o tinha chorado, e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; e Saul tinha desterrado os adivinhos e os encantadores.
1Sa 28:9 -  Então a mulher lhe disse: Eis aqui tu sabes o que Saul fez, como tem destruído da terra os adivinhos e os encantadores; por que, pois, me armas um laço à minha vida, para me fazeres morrer?
E no período profético iniciado por Samuel foi praticamente extirpada do seio da nação, por Saul, mas alguns necromantes e adivinhos restaram no meio do povo e o próprio Rei Saul  acabou por desfazer o bem que houvera feito ao Povo indo consultar a uma necromante.
2 Reis 21.6. E até fez passar a seu filho pelo fogo, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro e ordenou adivinhos e feiticeiros; e prosseguiu em fazer o que era mau aos olhos do Senhor, para o provocar à ira.
Reis se tornaram agoureiros ou advinhos e abrigaram a feiticeiros entre o povo de Israel.
1 Sm. 28.3.E Samuel já estava morto, e todo o Israel o tinha chorado, e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; e Saul tinha desterrado os adivinhos e os encantadores.
Alguns Reis de Israel procuraram o auxílio destes adivinhos e se tornaram casos clássicos e discutidos na Teologia, com a exploração, da canonicidade do relato em si, ainda que o ato seja condenável pela próprias Escrituras, alguns, até aos nossos dias querem manipular estes textos para apoiarem suas crenças sobre adivinhações, reencarnação, vidência [sem o sentido bíblico mais antigo] procurando enganar o povo que não conhece a Bíblia Sagrada, como um conjunto de dogmas e ensinos geral, sem a visão do qual não se pode argumentar textos e fatos isoladamente.
Os.4.12. O meu povo consulta ao seu pau, e a sua vara lhe dá respostas, porque o espírito de luxúria os enganou, e eles, prostituindo-se, abandonam o seu Deus.
Deus aqui não está falando da vara de Moisés, mas da consulta a Astarote ou Azera, ídolos-poste.
Leia os textos.
Zc.10.2.Porque os ídolos têm falado vaidade, e os adivinhos têm visto mentira, e contam sonhos falsos; com vaidade consolam, por isso seguem o seu caminho como ovelhas; estão aflitos, porque não há pastor.
A ação mística em países aliados ou vassalos de Israel.
Dn.2.27.Respondeu Daniel na presença do rei, dizendo: O segredo que o rei requer, nem sábios, nem astrólogos, nem magos, nem adivinhos o podem declarar ao rei;
A palavra hebraica traduzida como "prognosticadores" aqui é מְעֹונֵן (Número de Strong H6049), e significa "observadores de nuvens" ou "ajuntadores de nuvens" ("nuveiro") (A mesma palavra é usada em Levíticos 19:26).
Adivinhação na Época dos Profetas.
Jr.14.14. E disse-me o Senhor: Os profetas profetizam mentiras em meu nome; não os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei. Visão falsa, adivinhação, vaidade e o engano do seu coração é o que eles vos profetizam.
Formas de Adivinhações.
Misticismo usual.
·   Aeromancia - Método de adivinhação através dos ventos e das nuvens. Ou Austromancia - Método de adivinhação através de nuvens ou do vento.  Não confundir com a passagem em que Jesus declara:E, pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não conheceis os sinais dos tempos?Mt.16.3.
·   Austromancia - Método de adivinhação através de nuvens ou do vento. 2 Rs.21.6. E até fez passar a seu filho pelo fogo, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro e ordenou adivinhos e feiticeiros; e prosseguiu em fazer o que era mau aos olhos do Senhor, para o provocar à ira.
·   Agalmatomancia - Método de advinhação através da inspiração mediante a estátuas de deuses.
·   Aspidomancia - Método de adivinhação através de um demônio.
Atos.16.16-18. E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo.E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu.
Ez.21.21. Porque o rei de Babilônia parará na encruzilhada, no cimo dos dois caminhos, para fazer adivinhações; aguçará as suas flechas, consultará as imagens...
·   Aquileomancia - Método de adivinhação através de varetas de aquilégia [uma flor].
-O Exemplo em Israel.
Os.4.12. O meu povo consulta ao seu pau, e a sua vara lhe dá respostas, porque o espírito de luxúria os enganou, e eles, prostituindo-se, abandonam o seu Deus.
-O Certo em Israel.
Não comparar com o uso da vara de Moisés. Ex. 4.2-8.E o Senhor disse-lhe: Que é isso na tua mão? E ele disse: Uma vara.E ele disse: Lança-a na terra. Ele a lançou na terra, e tornou-se em cobra; e Moisés fugia dela.Então disse o Senhor a Moisés: Estende a tua mão e pega-lhe pela cauda. E estendeu sua mão, e pegou-lhe pela cauda, e tornou-se em vara na sua mão; Para que creiam que te apareceu o Senhor Deus de seus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó.E disse-lhe mais o Senhor: Põe agora a tua mão no teu seio. E, tirando-a, eis que a sua mão estava leprosa, branca como a neve.E disse: Torna a por a tua mão no teu seio. E tornou a colocar sua mão no seu seio; depois tirou-a do seu seio, e eis que se tornara como a sua carne.E acontecerá que, se eles não te crerem, nem ouvirem a voz do primeiro sinal, crerão à voz do derradeiro sinal [morte dos primogênitos- Só Deus controla a vida];
Janes e Jambres.
"Então, Moisés e Arão entraram a Faraó e fizeram assim como o SENHOR ordenara; e lançou Arão a sua vara diante de Faraó, e diante dos seus servos, e tornou-se em serpente. E Faraó também chamou os sábios e encantadores; e os magos do Egito fizeram também o mesmo com os seus encantamentos. Porque cada um lançou sua vara, e tornaram-se em serpentes; mas a vara de Arão tragou as varas deles". Êxodo 7:10-12
"Assim como Janes Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem a verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto a fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesta a sua insensatez, como também o foi a daqueles". 2 Tm.3:89.
Estes dois expoentes, entre os tantos mágicos de Faraó podem ser o tipo do místico, que quer confrontar o Profeta de Deus com habilidades esotéricas para confundir aqueles que assistem a ambos em ação; o Profeta de deus e o profeta do imaginário místico – do reino parasita do mal – parasitário na criação divina, de onde tenta retirar o alimento para contaminar toda a árvore da criação antropológica pela sua ação mística maligna.
O Caminho do Oeste.
O caminho do Oeste americano formou uma rota conhecida na outra América como Rota dos Missionários, por estes caminhos muitos levaram a palavra do Senhor ao lado mais ‘wild’, ou selvagem da América, mas pelo mesmo caminho muitos embusteiros levaram suas tendas, para com falsos sinais e milagres ganharem dinheiro fácil, do povo ansioso de uma palavra de cura ou de libertação em meio aos tiros e duelos de pistoleiros famosos.
Parece ser um assunto distante de nós, porém em nossos dias de violência, fome e desemprego e miséria, muitos tem adentrado pelo caminho fácil de ganhar dinheiro ás custas do povo pobre e desvalido de conhecimento da verdadeira Palavra de Deus, com campanhas milagreiras e de prosperidade, em que induzidos são espoliados por ‘pastores’ mercenários que não se deixam emocionar com a pobreza espiritual de um povo necessitado.
Hoje há um novo caminho sendo trilhado.
-Pela internet
-Pela televisão
-Pela mídia digital
-Pela liturgia cheia de elementos místicos.
Água; flores; sal; galhos; azeite de Israel; porta da benção – um arco de madeira, pelo qual todos devem passar; chave [literal, eu peguei uma].
Nos dias mais antigos de nossa curta existência víamos algumas pessoas que eram consideradas místicas, usando galhos de arruda, ou outro material qualquer para rezar por crianças, sob o famigerado ‘mau olhado’ ou ‘olho gordo’, e não é que ouvindo ou vendo programas de TV’s ou de rádio verificamos que há pastores chamando o povo para ‘uma oração forte’ para tirar o ‘olho gordo’?
O misticismo barato é uma antiga forma de reter sob a ‘autoridade’ do dito profeta todo um povo.
Judas 4;11. Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus,Ai deles! Porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.
Não há suporte bíblico para estes procedimentos de ação mística, no sentido danoso do tema.
A adivinhação interpreta algum tipo de sinal. A profecia bíblica não depende da nossa interpretação, mas se sustenta exclusivamente em sua própria realização.
O Misticismo em Israel.
Condenação e Juízo.
Dt.18.9 -14.Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações.Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro;    Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos;   Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti.Perfeito serás, como o Senhor teu Deus.Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o Senhor teu Deus não permitiu tal coisa.
Palavras Novas?
Uma etimologia pouco usual no seio da Igreja, são palavras, que muitos místicos utilizam em suas práticas.
O escritor deste trimestre introduz algumas palavras pouco usuais, senão tanto pela inunsualidade, mas pelo uso em outras áreas ditas espiritualizadas, como arcano, misticismo e outras, ais quais acho importante o professor da EBD observar, e subsidiar seu conhecimento sobre estas palavras e seu uso, muitas das vezes adulterado em seu uso principalmente por seitas esotéricas e ouras fontes com fortes cores de uma espiritualidade diversa à Palavra de Deus, com ênfase ao paganismo, sem nenhum ataque de valor quanto a crença pessoal, dos envolvidos nelas, embora não possamos de deixar de realizar um combate lealmente apologético, com base na Bíblia Sagrada e sua condenação a certos cultos, animistas, esotéricos; e mais, para que o aluno da EBD-IEAD possa saber diferenciar aquilo que se aplica a nossa Regra de fé e Salvação e Credo dogmático Assembleiano.
Arcano.
O que são Arcanos.
Arcano
s. m.1. Mistério, segredo. Mistério - mistério (latim mysterium, -ii, culto secreto)
s. m. 1. Hist. relig. Culto secreto (no politeísmo).
2. Hist. relig. Dogma religioso que a razão humana não pode compreender.
3. Tudo o que tem causa oculta, ou nos parece inexplicável.
4. Segredo.
2. Altos juízos.
3. Remédio secreto.
adj. 4. Misterioso, secreto.
Oráculos.
Esta é uma palavra muito utilizada pelos esotéricos, que não é tema de nossa lição nesta semana.
Pelos chamados místicos, gente, que se relaciona com o sobrenatural.
Sendo que o uso da palavra místico [o sobrenatural divino; ou o transcendente a tudo que é físico, no plano espiritual] nas lides cristãs tem a conotação como na frase: “A Igreja é o corpo místico do Senhor”; simbolizando o mistério que Paulo fala sobre a relação entre Cristo e Sua Igreja.
Efe 5:32 - Grande é este mistério, mas eu falo em referência a Cristo e à igreja.
Mas, SE trata de uma palavra bíblica utilizada pelo Apóstolo Paulo para indicar o recebimento das Revelações do Senhor pelos judeus, antes de todas as outras civilizações.
Rm.3.1,2. Que vantagem, pois, tem o judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão?Muita, em todo sentido; primeiramente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus.
Esta tipologia mística divinal faz parte do repertório da Igreja, mas o mundo quer tomá-la para si, como a questão colocada pelo Pr. Ezequias Soares no Item III – A necessidade da profecia Bíblica – 2.
Arcano nos dicionário significa – mistério, do qual Pedro diz em suas epístolas.
2 Pe.1.19. E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.
Efésios 1:9. Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo,
Efésios 3:4. Por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo,
Efésios 3:9. E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo;
Daniel 2:22. Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.
Jó 11:6. E te fizesse saber os segredos da sabedoria, que é multíplice em eficácia; sabe, pois, que Deus exige de ti menos do que merece a tua iniqüidade.
A Profecia Enganosa e o envolvimento do Misticismo.
"O Diabo também sabe profetizar – e mente ao fazê-lo". Martinho Lutero.
O período profético em Israel e a atividade profética entre os povos do Crescente Fértil, devem ser um dos balizamentos do Professor[a] sobre a questão do Misticismo e a Profecia.
Ez.13.6.Viram vaidade e adivinhação mentirosa os que dizem: O Senhor disse; quando o Senhor não os enviou; e fazem que se espere o cumprimento da palavra.
O misticismo ou idolatria era algo usual no Oriente mais distante, temos um exemplo claro, nos primórdios da vida do Patriarca Jacó.
Os terafins são espíritos familiares “...quando vos disserem: consultai os que têm espíritos familiares... não recorrerá um povo ao seu Deus?.” Is. 8:19. 
“E havendo Labão ido a tosquiar as suas ovelhas, furtou Raquel os ídolos (em hebraico terafins) que seu pai tinha” Gn. 31:19. Acreditava-se que àquele que possuísse o terafim da família, estava garantido uma herança maior na morte do líder. Raquel, apesar de ser esposa de Jacó, embora veja o amor e a busca do seu esposo pelo Deus vivo, no entanto, ela não compreendia as coisas espirituais o suficiente, por isso não conseguiu se ver livre da crença do terafim”.
Jz.17. Um fanático espiritual por nome Mica que chegou a possuir uma casa deles (v.5), até consagrou um levita (sacerdote mercenário) que aceitou a oferecer oferendas aos terafins.
Os terafins tinham-se agarrado à alma do povo de maneira que, em toda jornada de Israel no deserto, em plena manifestação do poder de Deus a Moisés e a Arão, o povo não se apartou desse espírito enganador.
A Importância da Ação Profética no seio da Nação.
Misticismo e engano.
No plano divino e dentre as atividades usuais do contato do homem com a divindade, seja qual for a Nação, não há nada mais forte para conter e controlar o povo do que ser titulado como Porta-voz da divindade.
Assim, a profecia é o campo mais fértil para o avanço do místico, no sentido inferior da palavra, ou uso deste  misticismo, seja entre o povo de Israel, seja entre todos os povos da Região em análise.
Mesmo em nossos dias a profecia, como Dom, pode e é usada como:
2 Pe.1.21. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
Controlador
Rebeldes.
Insuflador.
Nm.16.1-9. E CORÉ, [...] E levantaram-se perante Moisés com duzentos e cinqüenta homens dos filhos de Israel, príncipes da congregação, chamados à assembléia, homens de posição[...]contra Moisés e contra Arão, e...disseram: Basta-vos, pois que toda a congregação é santa, todos são santos[...]vos elevais sobre a congregação do Senhor?[...]Moisés...E falou a Coré e dizendo: Amanhã pela manhã o Senhor fará saber quem é seu, e quem é o santo que ele fará chegar a si; ...Tomai vós incensários, Coré e todo seu grupo[...]deitai incenso perante o Senhor; e ...o homem...Senhor escolher...será o santo;...Disse mais Moisés a Coré: ...pouco para vós é que o Deus de Israel vos tenha separado da congregação de Israel, para vos fazer chegar a si, e administrar o ministério do tabernáculo do Senhor e estar perante a congregação para ministrar-lhe;
18-33.  Tomaram...o seu incensário, e puseram fogo, e deitaram incenso, e perante a porta da tenda da congregação com Moisés e Arão. E Coré fez ajuntar contra eles todo o povo...;a glória do Senhor apareceu a toda a congregação.[...]disse Moisés: ...o Senhor me enviou a fazer todos estes feitos, que de meu coração não procedem[...] e a terra que estava debaixo deles se fendeu.E a terra abriu a sua boca, e os tragou com as suas casas, como também a todos os homens que pertenciam a Coré, e a todos os seus bens.E eles e tudo o que era seu desceram vivos ao abismo, e a terra os cobriu, e pereceram do meio da congregação.
Restritora:
-da ação sacerdotal;
-da vida familiar;
-da vida pessoal;
-da ação da Igreja, seja, na liturgia do culto, ou como, condutora da movimentação cúltica.
Como desígnio das futuras ações da Igreja local ou não
Jr.28.9. O profeta que profetizar de paz, quando se cumprir a palavra desse profeta, será conhecido como aquele a quem o Senhor na verdade enviou.
É por isto, que a Bíblia e os profetas na ação canônica se importaram em inserir em seus textos condições para controlar a atividade profética, não por sua lavra, mas por meio da própria voz da qual eles eram ‘navi’ – O Senhor de Israel.
Mesmo nas escrituras neotestamentária O Apóstolo Paulo se preocupou com este procedimento:
1 Co.14.6. E agora, irmãos, se eu for ter convosco falando em línguas, que vos aproveitaria, se não vos falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina?
Ne.6.12. E percebi que não era Deus quem o enviara; mas esta profecia falou contra mim, porquanto Tobias e Sambalate o subornaram.
A atuação de Balaão poderia ser incluída sob uma forma mística de profecia, muito embora, ele tenha falado em nome de Deus e se arvorado como o “homem de olhos abertos”.
A profecia acaba se envolvendo com o misticismo na sua forma mais inatural pela ganância, pelo fanatismo, pela necessidade de agradar ao rei, ou ao que quer ouvir algo do Senhor, favorável a sua própria atuação espiritual fora dos padrões divinos.
Assim, da mesma forma como escrevemos em outros textos sob o assunto temos que as profecias de Mari, ou acadianas se tornam preceitos com cunho místico, como a atuação de vidência de Janes e Jambres no Egito.
Mesmo nestes dias da atividade dos profetas em Israel a disputa pelo poder era insuflada pelo adultério espiritual de alguns reis.
Exemplo.
Salomão-
Manassés- 2 Rs. 5-7. Também edificou altares a todo o exército do céu em ambos os átrios da casa do Senhor. E até fez passar seu filho pelo fogo, e usou de augúrios e de encantamentos, e instituiu adivinhos e feiticeiros; fez muito mal aos olhos do Senhor, provocando-o à ira. Também pôs a imagem esculpida de Asera, que tinha feito, na casa de que o Senhor dissera a Davi
Acabe -
Casado com a rainha Jezabel este rei foi um dos que deram lugar ao misticismo em Israel, sob seu reinado.
Jezabel fustigou, perseguiu, dominou o sacerdócio e os profetas de Israel até se encontrar com um Verdadeiro profeta – Elias.
O misticismo profético era suportado em premissas falsas.
Fertilidade pela divindade Baal e sua esposa Aserá.
Domínio dos céus – para chuva e sol – pelas mesmas divindades.
‘DEUSES’.
BAAL, hebraico: Senhor possuidor.
BAAL- ZEFOM, hebraico: senhor de Zefom, ou da vigilância
Deu 4:3 - Os vossos olhos têm visto o que o Senhor fez por causa de Baal-Peor; pois a todo o homem que seguiu a Baal-Peor o Senhor teu Deus consumiu do meio de ti.
BAAL- PEOR, hebraico: senhor de Peor
BAALINS, plural de Baal
POSTE-íDOLO OU POSTES SAGRADOS
2 Rs.17.10-12. Levantaram para si colunas e aserins em todos os altos outeiros, e debaixo de todas as árvores frondosas; queimaram incenso em todos os altos, como as nações que o Senhor expulsara de diante deles; cometeram ações iníquas, provocando à ira o Senhor, e serviram os ídolos, dos quais o Senhor lhes dissera: Não fareis isso.
Postes de madeira, talvez entalhados com a imagem de Aserá, deusa cananéia do amor e da guerra, erigidos (erguidos) para homenageá-la e colocados perto dos altares do culto cananeu
Astarte (grego Αστάρτη) (hebraico עשתרת) - personagem do panteão fenício e na tradição biblico-hebraica conhecida como deusa dos Sidónios (I Reis 11:2) . Era a mais importante deusa dos fenícios. Filha de Baal e irmã de Camos. Deusa da lua, da fertilidade, da sexualidade e da guerra, adorada principalmente em Sidom, Tiro e Biblos.
Esta divindade bíblica é uma herança mitologica da história dos povos da suméria (biblica sinear) e dos acádios (Gn. 10:10), onde Asterate era chamada de Ishtar ou Inanna. Mais tarde para os gregos esta divindade foi chamada de Afrodite e Hera, enquanto que para os egipcios era recordada como Isis ou, como outros defendem, Hator. Esta apareceu pela primeira vez nesta mitologia depois da 18º dinastia, no relato da batalha entre Horus e Seth em que a sua identidade poderia ser equiparada com Anat.
Segundo a mitologia suméria e acádia Ishtar (Asterate) era irmã de Shamash, ao qual a Bíblia se refere como Camoesh, Camos ou Quemós. Em mais que um versiculo na Bíblia estes dois nomes aparecem juntos. (I Reis 11:36) (II Reis 23:13);
O Místico Balaão.
Nm.24.1. VENDO Balaão que bem parecia aos olhos do Senhor que abençoasse a Israel, não se foi esta vez como antes ao encontro dos encantamentos; mas voltou o seu rosto para o deserto.
O Nome Asterate também aparece associado a Baal em (Juízes 2:13) (Juízes 2:13) (I Reis 18:19). Baal para os sumérios seria o deus Nana, ou Sin para os Acádios, que também era pai de Ishtar/Inanna. Em Biblos Astarte era conhecida como Baalate (forma feminina para Baal).
Assim temos vários textos sobre a relação mística de Israel e seus reis, inclusive Salomão com esta deusa. (1 Reis 11:5)
Jui 2:13 - Porquanto deixaram ao Senhor, e serviram a Baal e a Astarote.
Jui 8:33  E sucedeu que, como Gideão faleceu, os filhos de Israel tornaram a se prostituir após os baalins; e puseram a Baal-Berite por deus.
1Re 16:31-32. -E sucedeu que (como se fora pouco andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate) ainda tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi e serviu a Baal, e o adorou.E levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria.
1Re 18:19-40;19.18. -Agora, pois, manda reunir-se a mim todo o Israel no monte Carmelo; como também os quatrocentos e cinqüenta profetas de Baal, e os quatrocentos profetas de Asera, que comem da mesa de Jezabel. Então disse Elias ao povo: Só eu fiquei por profeta do Senhor, e os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta homens. E disse Elias aos profetas de Baal: Escolhei para vós um dos bezerros, e preparai-o primeiro, porque sois muitos, e invocai o nome do vosso deus, e não lhe ponhais fogo.E tomaram o bezerro que lhes dera, e o prepararam; e invocaram o nome de Baal, desde a manhã até ao meio dia, dizendo: Ah! Baal, responde-nos! Porém nem havia voz, nem quem respondesse; e saltavam sobre o altar que tinham feito.E Elias lhes disse: Lançai mão dos profetas de Baal, que nenhum deles escape. E lançaram mão deles; e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, e ali os matou.Também deixei ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou.
Neste episódio vemos como a profecia mística havia influenciado o povo de Israel.
Quantas foram?
Não há relato disto, mas foram suficientes para levar o povo a querer ver, pra provar quem era deus, entre Baal, Asera e o Senhor de Israel.
1Re 18:19.ss. Então Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu[duvida].
O caráter do misticismo e da Profecia.
A Profecia é uma ação divina da revelação da Vontade do Senhor a todos os homens, através de seus servos os profetas.
Tem um caráter amplo e universal e não há instrução vaga, mesmo aquelas que são interpretadas ao lume das escrituras e parecem extrapolar algum momento da História Geral da Humanidade, será revelada em alguma dispensação [sem caráter de doutrina da dispensação], no decorrer do Plano Geral de Deus para o Universo, como Cosmos amplo e criado.
Tudo isto porque a Profecia verdadeira é a narração atemporal sob a ótica do Senhor, que está escrita antes dos acontecimentos.
Adivinhação, misticismo, mancias não conseguem chegar ao plano atemporal para sua posterior avaliação, você pode citar Nostradamus ou outros prognosticadores, mas a exatidão de seus ditos místicos, levam a enganos históricos ou repetições de falhas assertivas de fatos.
Adivinhação cria confusão mental, turva a visão para a verdade bíblica e bloqueia a disposição das pessoas de crerem no Evangelho de Jesus Cristo. Ela embota seus sentidos, prendê-as a falsos ensinos e torna-as inseguras em suas decisões. A profecia divina, entretanto, liberta e dá segurança. Por isso todos deveriam seguir o conselho de Deus: "Eu o disse, eu também o cumprirei; tomei este propósito, também o executarei. Ouvi-me vós..." (Is 46.11b-12a).
Precisamos lembrar que a profecia mística procura amarrar datas, mas a verdadeira profecia não teve a preocupação da temporalidade total.
Mesmo quando ela informa datas ou espaços de tempo, permite, pela eternidade da mesma, a sua utilização em variados fatos ou acontecimentos.
Fontes.
Rafael Shoji – Condições de Significado da Linguagem Mística – Revista Estudos da Religião.
O que é Misticismo – William Storddat
revista Chamada da Meia-Noite, junho de 2004.
Norbert Lieth -Um dos preletores do 12º Congresso Internacional Sobre a Palavra
Fanatismo e Êxtase, da Ignorância ao Misticismo - por Raniere Menezes
Há mitos na Bíblia? – Augustus Nicodemus
Apontamentos do autor
Bíblia digital – cortesia Tio Sam
Dicionário Bíblico
Teologia do AT - Raph L Smith

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical