sexta-feira, março 25

Paulo Testifica em Roma. Lição 13-CPAD – 1º trimestre 2011-1ª parte


Lição 13-CPAD – 1º trimestre 2011                                   Autor:Osvarela
Texto Áureo.
At.23.11. E na noite seguinte, apresentando-se-lhe o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo; porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifiques também em Roma
Leitura Bíblica em Classe:
At.27.18-25. E, andando nós agitados por uma veemente tempestade, no dia seguinte aliviaram o navio.19 E ao terceiro dia nós mesmos, com as nossas próprias mãos, lançamos ao mar a armação do navio.20 E, não aparecendo, havia já muitos dias, nem sol nem estrelas, e caindo sobre nós uma não pequena tempestade, fugiu-nos toda a esperança de nos salvarmos.21 E, havendo já muito que não se comia, então Paulo, pondo-se em pé no meio deles, disse: Fora, na verdade, razoável, ó senhores, ter-me ouvido a mim e não partir de Creta, e assim evitariam este incômodo e esta perda.22 Mas agora vos admoesto a que tenhais bom ânimo, porque não se perderá a vida de nenhum de vós, mas somente o navio.23 Porque esta mesma noite o anjo de Deus, de quem eu sou, e a quem sirvo, esteve comigo,24 Dizendo: Paulo, não temas; importa que sejas apresentado a César, e eis que Deus te deu todos quantos navegam contigo.25 Portanto, ó senhores, tende bom ânimo; porque creio em Deus, que há de acontecer assim como a mim me foi dito.
Verbetes e definições:
O termo “governador“, significa “líder” e era usado para todos os tipos de líderes (imperadores, reis, procuradores).
No Novo Testamento é usado para Pilatos (Mateus 27:2), Félix, (Atos 23:24,26,33; 24:1), e para Festo (Atos 26:30).
I- Introdução:
Como isto iria acontecer?
Sob condição ‘Sine qua non’.
‘Ita quod vocatione sua’, isto é, sob as mesmas condições, pelas quais, ele, Paulo fora chamado no caminho de Damasco.
Ou seja, ...eu lhe mostrarei o quanto há de padecer pelo Meu Nome...
Paulo já antevia, o que seria, a sua jornada até chegar a anunciar o Evangelho em Roma.
Condicional - adj. Que depende de certas condições: promessa condicional.
Na Psicologia se diz: ‘Estímulo condicional, qualquer sinal, como um toque de sino ou [trombeta] corneta, uma luz, que, depois de ter sido associado à apresentação de um estímulo incondicional, provoca por si mesmo uma reação (reflexo condicionado) no sujeito’.
II- Condições:
Preso – At.21
Sujeito a ordem dos romanos
Sob navegação turbulenta
Sob naufrágio
Sob enjôo
Sob desconfiança e descrédito
Sob contestação
Sob ameaça de morte
Sob flagelos da criação
Tudo quanto Paulo vivenciara em seu longo, próspero, tumultuado Apostolado, estava presente nesta última narrativa, da última viagem, ao martírio do Apóstolo.
III- Mas, o que o levava a Roma:
1-A ordem do Seu Senhor, Jesus, voz conhecida por ele, desde a queda e conversão, voz que junto ao Espírito Santo, lhe propusera todas as empreitadas e viagens:
“...o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo; porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifiques também em Roma...”
Paulo fora vocacionado, pelo Senhor para ser, o Evangelista, o que hoje muitos exercem sendo chamados de Itinerantes.
Lembro-me de uma fala do saudoso Dr.Pr. Bernard Johnson.”..eu não sou um pastor, eu sou um Evangelista”.
Era a sua marca, como é a marca do Ministério de Billy Graham.
2-Paulo foi enviado a Roma, por ser um instrumento do Senhor.
a-Primeiro pela vontade vocativa do Senhor, para seu ministério apostólico.
b-Segundo para confirmação de uma profecia de Ágabo, em Cesaréia.
A vida de Paulo era guiada por visões, profecias, e pelo próprio Jesus Cristo.
Será que a minha, ou a nossa tem sido assim?
Atos.21.10 E, demorando-nos ali por muitos dias, chegou da Judéia um profeta, por nome Ágabo;11 E, vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo, e ligando-se os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim ligarão os judeus em Jerusalém o homem de quem é esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios [Romanos].12 E, ouvindo nós isto, rogamos-lhe, tanto nós como os que eram daquele lugar, que não subisse a Jerusalém.13 Mas Paulo respondeu: Que fazeis vós, chorando e magoando-me o coração? Porque eu estou pronto não só a ser ligado, mas ainda a morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus.14 E, como não podíamos convencê-lo, nos aquietamos, dizendo: Faça-se a vontade do Senhor.15 E depois daqueles dias, havendo feito os nossos preparativos, subimos a Jerusalém.
c-Terceiro pela visão durante a própria viagem de martírio.
24 Dizendo: Paulo, não temas; importa que sejas apresentado a César...Atos 9. 15-16. Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome perante os gentios, e os reis, e os filhos de Israel; pois eu lhe mostrarei quanto lhe cumpre padecer pelo meu nome.
d-Quarto: A seu próprio pedido.
Paulo após ser mal-tratado pelos romanos, pede audiência com César.
Tudo isto foi plano de Deus, o entendo assim, pois a vida de Paulo, não nos é relatado, o final no presente compendio canônico deste trimestre.
e-Quinto: Segundo seu entendimento, de que, o Senhor o levaria longe.
At.22.20,21. E quando o sangue de Estêvão, tua testemunha, se derramava, também eu estava presente, e consentia na sua morte, e guardava as capas dos que o matavam. E disse-me: Vai, porque hei de enviar-te aos gentios de longe.
Quando leio a narrativa de Lucas, sobre as cadeias de Paulo, que terminarão, na narrativa desta Lição, com seu fim em Roma, vejo como Deus tem traçado nossos caminhos, para o bem de sua Obra.
Os que entendem como Paulo a sua posição, como agentes da Salvação, podem descansar, sem medo da morte, tortura ou desprezo, sabem que são agentes em ação espiritual.
Assim, aconteceu com Paulo, de um aparente enfado de um discurso simples em sua defesa em Jerusalém, inicialmente entre os príncipes do Sinédrio [Sumo Sacerdote Ananias, a quem Paulo respondeu e depois se justificou, pois, não o sabia Sumo Sacerdote – Atos 23], por conta de uma sedição de seus irmãos [40] hebreus, Paulo vai ser encaminhado a César.
IV - Livre da morte pela sedição:
De Jerusalém a Antipátride - Cesaréia.
At.23.31. Tomando, pois, os soldados a Paulo, como lhe fora mandado, o trouxeram de noite a Antipátride [1Sm.4.1- Antiga Afec – local do acampamento dos filisteus na batalha que conseguiram capturar a Arca dos hebreus]. Enciclopédia da Bíblia.
Devido a ira, dos que até com jejuns o juraram matar, a narrativa lucana cita, uma irmã e um sobrinho de Paulo [família estava presente, acompanhando sua situação], que com a confiança do centurião romano é levado a presença do tribuno, para lhe falar do plano urdido para morte de Paulo.
Obs. De alguma forma ele teve conhecimento da conspiração e foi até a fortaleza contar tudo a Paulo.
Deus sempre tem alguém para nos livrar da morte, usa até o que não é dos nossos para isto, neste caso o centurião se afeiçoou a Paulo e lhe deu ouvidos, talvez por saber de sua índole e das suas inúmeras prisões, e ainda de sua cidadania romana. At.23.
Ou mesmo pelo medo de ser acusado num tribunal romano de ter deixado matar um romano sob a sua guarda, pois o comandante estaria em maus lençóis para explicar aos seus superiores como um cidadão romano podia ser assassinado enquanto estava sob sua custódia – teria que responder perante um tribunal.
V- Paulo usou os privilégios da cidadania romana de que dispunha.
Paulo poderia ter confiado apenas em Deus, e dizer ao seu sobrinho para descansar, mas nos da um exemplo de que podemos e devemos, dentro de nosso direito, lutarmos pela justiça em atendê-los;
O termo “governador“, significa “líder” e era usado para todos os tipos de líderes (imperadores, reis, procuradores).
No Novo Testamento é usado para Pilatos (Mateus 27:2), Félix, (Atos 23:24,26,33; 24:1), e para Festo (Atos 26:30).
A sua condição, de cidadão romano, o que para muitos era especial, e comprada, a muito custo, com ouro, seria agora utilizado por Deus, para que ele pudesse chegar aos mais altos escalões, até chegar a Roma.
A Força militar romana em defesa de Paulo.
Paulo que podia ser guardado por anjos do Senhor teve uma proteção de um importante cidadão romano.
-Duzentos soldados – duas centúrias;
-Setenta de cavalaria;
-Duzentos archeiros, ou lanceiros, com lanças usadas em suas mãos direitas;
Alguns manuscritos latinos explicam a precaução extrema de Claudio Lísias, pelo perigo das estradas no período noturno e da intenção juramentada dos 40 – verdadeiros terroristas radicais – que poderia resultar, numa possível acusação  de suborno diante de Félix.
Ordenou também que tivessem montarias para o uso de Paulo, que serviriam para uso alternado (pois a distância era de mais de 120 quilômetros), para carregar bagagem e para o uso de um acompanhante (que seria Lucas).
At.23.23. E, chamando dois centuriões, lhes disse: Aprontai para as três horas da noite duzentos soldados, e setenta de cavalaria, e duzentos archeiros para irem até Cesaréia;Durante a noite esse pequeno exército percorreu os sessenta quilômetros até a cidade de 24 E aparelhai cavalgaduras, para que, pondo nelas a Paulo, o levem salvo ao presidente Félix.25  E escreveu uma carta, que continha isto:
VI- Indo ao Presidente
O ritual da hierarquia romana e da sua justiça, modelar de eras, obrigava que Lísias mandasse à autoridade superior com todos os detalhes, uma elogium, provavelmente escrita em latim [uma declaração do caso].
A norma se obedecida, pois Paulo era romano, deve ter dado a Paulo uma cópia da carta, depois do seu apelo a César.
26  Cláudio Lísias, a Félix, potentíssimo presidente, saúde.27  Esse homem foi preso pelos judeus; e, estando já a ponto de ser morto por eles, sobrevim eu com a soldadesca, e o livrei, informado de que era romano.
VI-a-Noto uma coisa:
Em cada defesa Paulo não perde a oportunidade de falar do seu Senhor.
Afinal, ele entende que fora este fato, a sua fé em Jesus Cristo, que o levara a este ponto inflexível na sua vida: Viver era Cristo, morrer era ganho, lucro...Fp..1.21
Penseando nestas palavras, qual será a minha reação, ao sentir que para pregar preciso vivenciar e andar sob o agulhão da morte, mas graças a Deus que nos dá vitória em Cristo, pois se morremos para o Senhor morremos, mas se vivemos para o Senhor vivemos, pois somos do Senhor - Rm.14...Paulo de Tarso!
Numa série de audiências, com tribunos, governadores, reis e outras autoridades da época.
A prisão não importava para Paulo, ele sabia que estaria cumprindo o desígnio divino, em proclamar o Nome de Jesus Cristo e o poder do Evangelho, atingindo o coração do Grande Império Romano.
At.22.24. O tribuno mandou que o levassem para a fortaleza, dizendo que o examinassem com açoites, para saber por que causa assim clamavam contra ele.25 E, quando o estavam atando com correias, disse Paulo ao centurião que ali estava: É-vos lícito açoitar um romano, sem ser condenado?26 E, ouvindo isto, o centurião foi, e anunciou ao tribuno, dizendo: Vê o que vais fazer, porque este homem é romano.
Este último versículo é importante na narrativa.
Quando Félix recebe a carta precatória de Lísias, ele precisava saber de qual província Paulo era nascido, para não cometer um erro político, que acabasse ou denegri-se sua carreira política.
Intrometer-se com alguém sem a devida autoridade e qual era a hierarquia da Carta.
Quem estudou as Epístolas na matéria: “Novo testamento”, deve conhecer a importância da saudação, ...sem mias delongas, se tiver dúvida releia sua matéria de Introdução ao NT.
Havia a necessidade de saber se a precatória era senatória ou imperial, pois de acordo com a mesma estaria sob sua jurisdição, ou não.
continua...

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical