sábado, março 26

Paulo Testifica em Roma. Lição 13-CPAD – 1º trimestre 2011-2ª Parte-Final

Lição 13-CPAD – 1º trimestre 2011                                   Autor:Osvarela
SEGUNDA PARTE.

"Apelaste para César; para César irás".
A naturalidade de Paulo diria a Cláudia Lísias a quem ele o enviaria para continuar sua saga em direção a Roma.
Veja o trabalhar de Deus, os homens pensam que tem poder sobre a vida de Paulo, mas só são instrumento do Senhor de Paulo.
Dados informativos e culturais:
Obs. Cesaréia -Era a uma cidade portuária, estivemos lá em vigem.Era a sede do Governador hegemenon – gr., um governante subordinado.
Adramitino era um porto marítimo da província romana na Ásia  - atual Turquia –
A narrativa lucana nos faz atender, que Lucas estava nesta viagem, ele era um passageiro da agonia.
Agripa - O nome completo deste rei era, Marco Julio Agripa II, bisneto de Herodes O Grande, criado em Roma.foi também rei de Cálcis um pequeno reino, em 56 d.C. Nero o nomeou para o Reino da Judéia.
Antonias Félix nascido escravo, na casa de Antonia, mãe do Imperador Cláudio, que o nomeou governador da Judéia em 48d.C.
Casado com três mulheres, sendo uma dela Drusila, mulher judia, que abandonou o marido, e era filha caçula do Rei Agripa, para casar-se com Félix.
Berenice chamava-se Berenice Verônica, e casada com seu tio o Rei herodes de Cálcis, casou-se também com o rei Polemo da Cilícia, terra natal de Paulo.
I- Introdução de:
Defesas de Paulo...

Paulo havia utilizado um direito de todo cidadão romano:
A sua apelação a César era um instrumento legal sob o nome de - “provocatio ad Caesarem”
Quando vejo Paulo agindo desta forma sinto, que há um mover pessoal dirigido por Deus, com consciência, ainda que subjetiva do Apóstolo, o conduzindo na direção de Roma, como o Senhor lhe convocara, para ir pregar a sua palavra.
Estava em sua consciência de plantador de Igreja, de evangelista, no relato de Lucas, o que  ele propusera em seu espírito, estando em Éfeso,.
At. 19.21. Cumpridas estas coisas, Paulo propôs, em seu espírito, ir a Jerusalém, passando pela Macedônia e pela Acaia, porque dizia: Depois de haver estado ali, é-me necessário ver também Roma.
Observe que esta afirmação, ou desejo é anterior segundo a narrativa de Lucas, a profecia de Ágabo em Cesaréia, já a 96 km de Tiro e de Jerusalém.
O homem espiritual interior sabia o que lhe aguardava, qual seria a sua ultima estação da vida, no final do combate combatido com fé viva em seu Senhor Jesus Cristo.
A seqüência da defesa de Paulo, após sua prisão em Jerusalém.
II- O início de uma viagem a Roma.
Como tudo na vida ministerial de Paulo, sofrimento é sua marca, excessos contra ele confirmação da vontade do Senhor na sua vida, prisões o levam ao destino de suas pregações, para que outros possam ouvir a mensagem do Evangelho.
A- Fases desta viagem:
Paulo chegando a Jerusalém foi à casa do líder apostólico Tiago [At.21.18], onde esteve com todos anciãos, detalhou tudo o que o Senhor houvera realizado em seu Ministério.
1-Prisão no Templo.
Acusação: ensinar aos judeus entre os gentios, que se apartassem de Moisés, não circundar os seus filhos, nem andar nos costumes da Lei. At. 21.21.   
Paulo cumpre a Lei, com quatro varões que fizeram voto, santificou-se na forma da Lei por sete [7] dias no Templo, mas uns da Ásia o viram e incitaram ao povo contra ele, sob alegação de ter introduzido Trófimo – grego –no Templo, profanando o local.
Criou-se uma confusão em Jerusalém, Paulo volta a sofrer danos físicos, sendo salvo pelo tribuno.
III- As Defesas de Paulo:
A saga em direção a Roma.
1-Defesa diante do povo. At.22
Isto é usado na narrativa de Lucas, dando a Lucas a possibilidade, de narrar:
Sua conversão
A missão de Ananias, junto a Paulo
E uma novidade: a visão que Paulo teve no Templo;
A primeira apelação:
Quando pelo estava sendo atado com correias ele apela: At.22.25. Quando o haviam atado com as correias, disse Paulo ao centurião que ali estava: É-vos lícito açoitar um cidadão romano, sem ser ele condenado?
2-A Defesa Diante do Sinédrio.
Um Ananias ruim aparece na vida de Paulo.
At.23.1-2. Fitando Paulo os olhos no sinédrio, disse: Varões irmãos, até o dia de hoje tenho andado diante de Deus com toda a boa consciência. Mas o sumo sacerdote, Ananias, mandou aos que estavam junto dele que o ferissem na boca.
a-Dividindo o Sinédrio:
Uma estratégia de Paulo.
Dividir os acusadores, com base nas suas convicções.
Dividiu os fariseus e saduceus.
At.22. 6-10. Sabendo Paulo que uma parte era de saduceus e outra de fariseus, clamou no sinédrio: Varões irmãos, eu sou fariseu, filho de fariseus; é por causa da esperança da ressurreição dos mortos que estou sendo julgado.Ora, dizendo ele isto, surgiu dissensão entre os fariseus e saduceus; e a multidão se dividiu.Porque os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjo, nem espírito; mas os fariseus reconhecem uma e outra coisa.Daí procedeu grande clamor; e levantando-se alguns da parte dos fariseus, altercavam, dizendo: Não achamos nenhum mal neste homem. E se algum espírito ou anjo lhe falou, não resistamos a Deus. E avolumando-se a dissenção, o comandante, temendo que Paulo fosse por eles despedaçado, mandou que os soldados descessem e o tirassem do meio deles e o levassem para a fortaleza.
Mais uma vez a soldadesca defende Paulo e é levado para fortaleza.
Observação: Paulo ao retrucar o Sumo sacerdote imaginava que estava falando com o sagan, um representante do sumo sacerdote ou outro membro do Sinédrio.
A história dos sumos sacerdotes ensina que, neste período em que Paulo havia viajado e chegara a Jerusalém, embora distante ele sabia do que havia acontecido:
Ele havia sido deposto pelos romanos e fora sucedido por Jônatas, que foi assassinado por Féstus, neste período de vacância Ananias, filho de Nebadeu, usurpara o lugar vago.
É neste momento que o Senhor lhe aparece e fala:
‘E na noite seguinte, apresentando-se-lhe o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo; porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifiques também em Roma’.
Para esta fase seguinte até Félix, leia a Primeira parte, à partir do Item IV.
3-A Defesa de Paulo diante de Félix:
Um acusador feroz: Tértulo, segundo CBNT, era um homem de lisonja.
A justiça no Império Romano funcionava, com os cidadãos romanos.
Paulo ouviu a acusação, mas Félix lhe faz um sinal para falar em sua própria defesa.At.24.10.
a-Pregador não espera uma hora favorável para falar de Jesus.A tempo e fora de tempo...
Drusila e Paulo.
b-O Evangelho na casa do Governador.
2Tm. 4.2. prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino.
Um corrupto governador e uma mulher sedenta de Cristo.
At.24.23-27. E ordenou ao centurião que Paulo ficasse detido, mas fosse tratado com brandura e que a nenhum dos seus proibisse servi-lo. Alguns dias depois, vindo Félix com sua mulher Drusila, que era judia, mandou chamar a Paulo, e ouviu-o acerca da fé em Cristo Jesus. E discorrendo ele sobre a justiça, o domínio próprio e o juízo vindouro, Félix ficou atemorizado e respondeu: Por ora vai-te, e quando tiver ocasião favorável, eu te chamarei.
c-Esperando suborno.
26.Esperava ao mesmo tempo que Paulo lhe desse dinheiro, pelo que o mandava chamar mais freqüentemente e conversava com ele.
d-Uma longa espera:
27.Mas passados dois anos, teve Félix por sucessor a Pórcio Festo; e querendo Félix agradar aos judeus, deixou a Paulo preso.
A- Apelo final a César.
“Mas Paulo disse: Estou perante o tribunal de César, onde devo ser julgado; nenhum mal fiz aos judeus, como muito bem sabes. Se, pois, sou malfeitor e tenho cometido alguma coisa digna de morte, não recuso morrer; mas se nada há daquilo de que estes me acusam, ninguém me pode entregar a eles; apelo para César”.
O coração de Paulo, primeiro defende a sua verdade e posição de inocência diante do seu Ministério, voltar a Sinédrio significaria, desprezar tudo que pregara a respeito de Jesus.
Seria ser conivente com a posição judaizante.
Ele se lembra das comunidades, que evangelizara e do trauma, que isto causaria na fé daqueles, que se tornaram cristãos, ou melhor judeus-cristãos.
O seu discurso cristológico de Paulo o ensina nesta hora, que fé, amor e esperança são manifestações possíveis nas horas mais difíceis sob a mortificação das nossas vontades “está crucificado com Cristo..”Quem vive não sou eu, preso do Senhor, “mas Cristo vive em mim”.
B- A Ida a Roma se consumando.
Da visita a Corinto, por causa da última coleta – último acontecimento da vida livre em direção a Roma, passando por Jerusalém, temos este quadro aqui relatado, em um pequeno resumo.
Lucas contém todos os detalhes desta ida ao martírio final, do grande Apóstolo – Mártir do Evagelho a que fora chamado pelo próprio Senhor!Aleluia!
ATOS 25.1-12. Tendo, pois, entrado Festo na província, depois de três dias subiu de Cesaréia a Jerusalém.
2 E os principais sacerdotes e os mais eminentes judeus fizeram-lhe queixa contra Paulo e, em detrimento deste,
3 lhe rogavam o favor de o mandar a Jerusalém, armando ciladas para o matarem no caminho.
4 Mas Festo respondeu que Paulo estava detido em Cesaréia, e que ele mesmo brevemente partiria para lá.[...].8 Paulo, porém, respondeu em sua defesa: Nem contra a lei dos judeus, nem contra o templo, nem contra César, tenho pecado em coisa alguma.9 Todavia Festo, querendo agradar aos judeus, respondendo a Paulo, disse: Queres subir a Jerusalém e ali ser julgado perante mim acerca destas coisas?
10 Mas Paulo disse: Estou perante o tribunal de César, onde devo ser julgado; nenhum mal fiz aos judeus, como muito bem sabes.
11 Se, pois, sou malfeitor e tenho cometido alguma coisa digna de morte, não recuso morrer; mas se nada há daquilo de que estes me acusam, ninguém me pode entregar a eles; apelo para César.

12 Então Festo, tendo falado com o conselho, respondeu: Apelaste para César; para César irás.

A preocupação do Sinédrio era desmontar o grande edifício, de que Paulo fundara sobre a Rocha – Cristo – como arquiteto ou construtor.
Era uma preocupação do esvaziamento das sinagogas na Ásia e outras regiões.
Por isto Paulo já fora aconselhado a santificar junto com os quatro jovens santificados para os exercícios no Templo, o que ele o fez.
1 Co.3.10. Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei eu como sábio construtor, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele.
4- Defesa de Paulo diante de Agripa.
Deus cumpre de maneira impar e inesperada a sua Palavra.
22 Então Agripa disse a Festo: Eu bem quisera ouvir esse homem. Respondeu-lhe ele: Amanhã o ouvirás.
23 No dia seguinte vindo Agripa e Berenice, com muito aparato, entraram no auditório com os chefes militares e homens principais da cidade; então, por ordem de Festo, Paulo foi trazido.
Sua irmã Berenice chamava-se Berenice Verônica, e casada com seu tio o Rei herodes de Cálcis, casou-se também com o rei Polemo da Cilícia, terra natal de Paulo.

ATOS 26.1-3. Depois Agripa disse a Paulo: É-te permitido fazer a tua defesa. Então Paulo, estendendo a mão, começou a sua defesa: Sinto-me feliz, ó rei Agripa, em poder defender-me hoje perante ti de todas as coisas de que sou acusado pelos judeus; mormente porque és versado em todos os costumes e questões que há entre os judeus...
Paulo se torna um pregador de governantes, como fora determinado por Deus a ele.
Na sua defesa é interrompido pela famosa frase bíblica: “Estás louco, Paulo; as muitas letras te fazem delirar.”
a-O medo se tornar cristão é demonstrado por Agripa.
A palavra de Deus é poderosa, a Verdade predomina sobre a autoridade real: “Disse Agripa a Paulo: Por pouco me persuades a fazer-me cristão. Respondeu Paulo: Prouvera a Deus que, ou por pouco ou por muito, não somente tu, mas também todos quantos hoje me ouvem, se tornassem tais qual eu sou, menos estas cadeias”.
Outros nobres acatarm de bom grado a palavra.
At. 17.7-12. ...os quais Jáson acolheu; e todos eles procedem contra os decretos de César, dizendo haver outro rei, que é Jesus.[...] os irmãos enviaram Paulo e Silas para Beréia; tendo eles ali chegado, foram à sinagoga dos judeus.Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda avidez, examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim.De sorte que muitos deles creram, bem como bom número de mulheres gregas de alta posição e não poucos homens.
IV- Indo para Roma.
Caminho Final.
ATOS 26.27-32. Crês tu nos profetas, ó rei Agripa? Sei que crês.
Disse Agripa a Paulo: [...] E levantou-se o rei, e o governador, e Berenice, e os que com eles estavam sentados, e retirando-se falavam uns com os outros, dizendo: Este homem não fez nada digno de morte ou prisão. Então Agripa disse a Festo: Este homem bem podia ser solto, se não tivesse apelado para César.
1-De Cesaréia para Roma.
Passando por Mirra [ou Mira].
Mirra é uma cidade do sul da Ásia Menor – Turquia atual.
O envio cumpre a Palavra de Deus.
V- A Viagem Final.
Navegando num navio adramitino, sendo tratado humanamente.
Adramitino era um porto marítimo da província romana na Ásia  - atual Turquia –
A narrativa lucana nos faz atender, que Lucas estava nesta viagem, ele era um passageiro da agonia.

At.24.4 Partindo dali, fomos navegando a sotavento de Chipre, porque os ventos eram contrários.
At.27.18-25. E, andando nós agitados por uma veemente tempestade, no dia seguinte aliviaram o navio.E ao terceiro dia nós mesmos, com as nossas próprias mãos, lançamos ao mar a armação do navio.
Este é o texto de nossa Leitura Bíblica deste Domingo.
Mudando de navio em Alexandria [capital romana do Egito, talvez um navio de carga de trigo].
Paulo e todos da Coorte Romana fizeram a chamada baldeação para um navio alexandrino, o qual é o navio do desatre.
At.27.5-6. Tendo atravessado o mar ao longo da Cilícia e Panfília, chegamos a Mirra, na Lícia. Ali o centurião achou um navio de Alexandria que navegava para a Itália, e nos fez embarcar nele.
Eu sempre digo e tem anotado, em minha Bíblia de uso diário:
"Um homem de Deus sendo conduzido à prisão continua sendo um homem de Deus, suas palavras devem ser ouvidas", e uso o versículo 11. Mas o centurião dava mais crédito ao piloto e ao dono do navio do que às coisas que Paulo dizia.
Esforços humanos, não podem superar uma visita de um anjo de Deus, sobre o destino de todos na navegação.
23-25. ...me apareceu um anjo do Deus de quem eu sou e a quem sirvo, dizendo: Não temas, Paulo, importa que compareças perante César, e eis que Deus te deu todos os que navegam contigo.Portanto, senhores, tende bom ânimo; pois creio em Deus que há de suceder assim como me foi dito.
Paulo recebe em suas mãos como um pastor a vida de todos no navio, pois seriam necessários, para sua ida a Roma.
Seriam alvos das maravilhas de Deus na vida de Paulo.
Em toda a situação de turbulência o homem de Deus tem uma palavra de animo, mesmo estando na mesma situação, daqueles que o cercam, pois ele ouve a voz de Deus e sabe como será o final da viagem.Osvarela
Conclusão:
Lembre-se:
Deus tem seus caminhos na tormenta e ele nos usará para realizar a sua obra de navio, de peixe ou da maneira que ele quiser, contudo que a sua Palavra se cumpre e nós entendamos que é de sua vontade, tudo o que ocorre conosco, em nosso Ministério.
Podemos pregar aos pobres da Macedônia ou ser tão fortes mesmo presos, como Paulo que um governante queira te ouvir, sua esposa lhe assistir.O governante ser impactado pela Palavra de Deus.
Mesmo que os teu te achem acintoso contra os costumes e liturgia usual.
Vamos até Roma?

Inserção: 
“A Cilícia estava na Síria, que tinha seu próprio administrador, e se o caso de Paulo fosse de insurreição, ele deveria ser julgado pela autoridade de lá”.
Mas, por enquanto, como fora preso em Jerusalém e não era por insurreição, o julgamento teria que ser feito por Félix. Ele adiou o julgamento até que viessem os seus acusadores de Jerusalém, e pôs Paulo sob custódia “no pretório de Herodes”. A palavra grega é “praito¯rio¯i” que pode designar o quartel de um general, ou o palácio do governador, que é o caso aqui. Havia acomodações próprias para os presos nestes lugares. Texto de outrem, inserido de fonte citada no final.

Fonte:

R David Jones

Bíblia Dake
Bíblia Chamada
Comentário Histórico-Cultural do NT
Apóstolo Paulo – J.Becker-Academia Cristã
Apontamentos do autor
Outras fontes citadas no corpo do estudo.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical