domingo, julho 21

Descoberto Palácio do Rei Davi Na Cidade Onde Lutou e Venceu o Gigante Golias. Atualizado em 22/07- 18:00hs(6:00PM)

Arqueólogos descobrem palácio do rei Davi na cidade onde ele teria lutado e vencido o gigante Golias.
Na última quinta-feira (18), foi anunciada descoberta dos dois edifícios que seriam, segundo os pesquisadores, “a melhor prova, encontrada até agora, da existência da cidade-fortaleza do rei Davi”.


— Até então não havia sido encontrado nenhum palácio que pudesse claramente ser atribuído ao início do século 10 a.C.
O que parece ser, para nós comum, na realidade é parte de intensas discussões sobre a vida de Davi, um rei para muitos, mas um ponto de interrogação, para causar confusão para a Ciência arqueológica.
Parece irrelevante e só mais uma descoberta, mas consolida e põe a Ciência em cheque, sobre as Escrituras Veterotestamentárias.
20/7/2013 às 00h28 (Atualizado em 20/7/2013 às 16h28)
I Samuel 17:48-52 E sucedeu que, levantando-se o filisteu, e indo encontrar-se com Davi, apressou-se Davi, e correu ao combate, a encontrar-se com o filisteu.
E Davi pôs a mão no alforje, e tomou dali uma pedra e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa, e a pedra se lhe encravou na testa, e caiu sobre o seu rosto em terra.
Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou; sem que Davi tivesse uma espada na mão.
Por isso correu Davi, e pôs-se em pé sobre o filisteu, e tomou a sua espada, e tirou-a da bainha, e o matou, e lhe cortou com ela a cabeça; vendo então os filisteus, que o seu herói era morto, fugiram.

Então os homens de Israel e Judá se levantaram, e jubilaram, e seguiram os filisteus, até chegar ao vale, e até às portas de Ecrom; e caíram os feridos dos filisteus pelo caminho de Saaraim até Gate e até Ecrom.
A cidade bíblica de Shaarayim fica a aproximadamente 30 Km a sudoeste de Jerusalém, segundo informações do tabloide britânico Daily Mail.
Dois edifícios do reino de Judá, datados do século 10 a.C., foram descobertos por pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém e da Autoridade de Antiguidades de Israel, em Khirbet Qeiyafa.   
Os pesquisadores israelenses trabalharam nas escavações durante sete anos.
Um dos edifícios foi identificado como o palácio real e o outro seria um gigantesco depósito, de acordo com os professores Yossi Garfinkel, da Universidade Hebraica, e Saar Ganor, da Autoridade de Antiguidades de Israel.
O palácio, encontrado após sete anos de escavações, está localizado no centro do terreno e possui uma visão privilegiada de todas as casas da cidade.
Os moradores do palácio tinham uma vista incrível para admirar. É possível avistar o Mar Mediterrâneo, as montanhas de Hebrom e parte de Jerusalém.
Nas ruínas do palácio, os pesquisadores descobriram várias instalações foram encontrados - evidências de uma indústria de metal, vasos de cerâmica especiais e fragmentos de vasos de alabastro que foram importadas do Egito.
 “Infelizmente, grande parte deste palácio foi destruído c. 1400 anos mais tarde, quando uma fazenda fortificada foi construída ali, no período bizantino”, disseram os arqueólogos.
De acordo com os arqueólogos, 'Khirbet Qeiyafa' - provavelmente foi destruída em uma batalha contra os filisteus em 980 a.C. - é a primeira cidade da Judéia antiga a se datada por volta dos anos  14 a.C.
Esta é uma localização estratégica, chave no reino bíblico de Judá, na estrada principal de Filístia e a Planície Costeira a Jerusalém e Hebron, na região montanhosa.
A cidade foi construída sobre a rocha, com 2,3 hectares de área, cercada por fortificações maciças de pedras megalíticas. 
Os arqueólogos acreditam que as ruínas pertencem à cidade bíblica de Shaarayim, na qual o rei Davi teria lutado e vencido o gigante Golias.
A descoberta anunciada dos dois edifícios que seriam, segundo os pesquisadores, é “a melhor prova, encontrada até agora, da existência da cidade-fortaleza do rei Davi”.
A parte sul do enorme palácio foi revelada no topo da cidade. O muro que envolve o edifício tem 30 m de comprimento e duas entradas gigantescas.
Exposição.
A exposição da cidade bíblica e a importância dos achados descobertos no local levaram a Autoridade de Antiguidades de Israel, em conjunto com outras instituições, a solicitar que a área seja transformada em um parque nacional, e que os moradores sejam realocados em outros bairros próximos.
"Esta é uma prova inequívoca da existência de um reino que soube estabelecer centros administrativos em pontos estratégicos", dizem os arqueólogos.
Os arqueólogos também recolheram centenas de artefatos, incluindo objetos religiosos, selos, cerâmicas e ferramentas típicas da época nos arredores do palácio.  
 Artefatos
Cinco temporadas de escavação foram realizadas em 2007-2011, cinco áreas do sito arqueológico (Áreas AE) foram examinadas, e quase 20% da cidade foram descobertos.
A expedição escavou ao longo de 200 m da muralha da cidade, e encontrou dois portões, um edifício principal sobre pilar e 10 casas.
Conjuntos muito ricos de cerâmica, ferramentas de pedra e objetos de metal foram encontrados, assim como muitos objetos cultuais, escaravelhos, focas e os mais famosos Khirbet Qeiyafa ostracon, uma inscrição escrita com tinta em um caco de cerâmica.
Khirbet Qeiyafa contribui para uma melhor compreensão de aspectos importantes relacionados com o início do século 10 aC, no tempo do rei David:
Pesquisas e Reconstrução dos padrões do Assentamento.
Cronologia da Idade do Ferro E a transição da Idade de Ferro I pata a Idade de Ferro IIA.
-A Organização Social de Ferro IIA em Judá.
-Planejamento Urbano na Idade do Ferro.
-O repertório Olaria do início do Ferro IIA.
-Preparação e consumo de alimentos.
-Arqueologia doméstica.
-Escrita.
-História Geografia: Khirbet Qeiyafa é Sha'arayim bíblico. ISm.17.52
-O Reino de Judá precoce.
-Arqueologia e da narrativa bíblica.
A construção maciça de Khirbet Qeiyafa e seu planejamento urbano indicam claramente autoridade central em Judá no início do século 10 aC, no tempo do rei David.
  Khirbet Qeiyafa ostracon
(desenho técnico por Ada Yardeni)
 As escavações recentes também revelaram fragmentos de uma pedra de alabastro especial importado do Egito.

Além disso, o site revelou um fragmento de cerâmica inscritos com cinco linhas de texto que representam a mais antiga inscrição em hebraico já encontrado, datando do início do século 10 a.C., no tempo do rei David. 
 
Yosef Garfinkel
Dr. Yosef Garfinkel dirigiu a escavação de inúmeros sites de todo Israel, incluindo o famoso sítio Calcolítico de Sh'ar Hagolan e, mais recentemente, Tel TSAF. Desde 1994, ele atuou como curador do Museu Arqueológico no Kibutz Sha'ar Hagolan.
Dr. Garfinkel já escreveu mais de setenta artigos e noventa livros, incluindo Dancing at the Dawn of Agriculture (Univ. of Texas Press, 2003) e A Deusa da Sha'ar Hagolan (Israel Exploration Society, 2004). http://digs.bib-arch.org/digs/khirbet-qeiyafa.asp
Mundo da Harpa
Universidade Hebraica de Jerusalém oferece bolsa para estagiar no Sítio Arqueológico, dando crédito em Graduações e Mestrado.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical