sábado, fevereiro 7

Santificarás O Sábado - Lição 06 CPAD – 1º Trimestre 2015 - 1ª Parte

Santificarás O Sábado
Lição 07 CPAD – 1º Trimestre 2015 - 1ª Parte
Autor do Estudo subsídio: Pr Osvarela
Texto Áureo
“E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” Marcos 2:27
Leitura Bíblica em Classe
Texto 1
Êxodo 20:8-11
Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.
Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.
Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.
Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou.
Texto 2
Êxodo 31:12-17
Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo:
Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifica.
Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo.
Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso, santo ao Senhor; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente morrerá.
Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o nas suas gerações por aliança perpétua.
Entre mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre; porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou, e restaurou-se.
Exórdio
O texto bíblico na dação dos Dez Mandamentos acentua a relação divina com a Obra da Criação.
É um Mandato de Ordem Social, de Ordem Moral, Espiritual, dentre os mandatos divinos que Deus deu ao Gerente da Criação – O Homem!
Deuteronômio 5:12-14 Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o Senhor teu Deus. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhum trabalho nele, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro que está dentro de tuas portas; para que o teu servo e a tua serva descansem como tu;
- é um mandato de Ordem Social
- é um mandato de Ordem Espiritual, como descrevo, abaixo.
- é um mandato de Ordem Moral, como descrevo, abaixo.
É uma Lei moral que se mantem pela sua própria natureza, o homem precisa de descanso.
Importante ressaltar que Deus ordena o sábado com um viés de descanso, mas sem acepção, este mandamento pode atingir os mandatos, tanto o de ordem social, quanto o de ordem moral e por consequência de ordem espiritual.
Ele abomina o trabalho escravo e se o dono da propriedade descansa, o servo também deve descansar.
- “não farás nenhum trabalho nele, nem tu, nem teu filho... para que o teu servo e a tua serva descansem como tu;” Deus dá uma noção de moralidade que Ele quer que atinjamos, quando também queremos nos mostrar fiéis e obedientes a seu Mandamentos. Civilidade e Direitos iguais a todos, se o que domina descansa, o que serve também merece o descanso, assim todos se beneficiam dos mandamentos divinos, eles são abrangentes, e permitem assim, que os que o estão sob a ordenação destes mandamentos, sejam igualmente santificados e abençoados pelo cumprimento, naquela casa e família e na nação, este era o fundamento espiritual se cumprindo entre os hebreus e que também se cumpre quando cumprimos os seus Mandamentos.
1 João 5:1-3 Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados.
O cumprimento deste Quarto Mandamento se torna uma Adoração e um dia de Santificação.
É um dia de Descanso, mas um Dia de Adoração e serviço à Deus.portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:11
Ou seja, há um parâmetro da “imago Dei” com o Criador, o Eu Sou.
Gênesis 2:1-4 “Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados. E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera. Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus...
Social - Há uma inferência há a ação divina relacionada há necessidade de se ter um período de trabalho e após este um dia para se descansar, após analisar o que se fez;
O caráter social é que há uma ação de trabalho a ser cumprida em um jornal, ou jornada semanal. Após esta tarefa antropológica o homem necessita de um momento seu com seu Deus. Além disto, conforme visto acima temos um momento da família estar junto para celebrarem juntos em descanso e adoração.
Você deve lembrar da visitação diária de Deus a Adão, após o seu turno de trabalho, no Éden?
Gênesis 3:8 E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia;
Era Deus observando e obtendo o relato de Adão, mas significava muito mais: Era um momento de Adão receber a presença de Deus, agora Deus (pós Avon; na anomia) concede ao homem um dia inteiro, para pós jornada semanal (apenas levando em consideração a existência de um dia de descanso, sem determinar, aqui qual seja este dia da semana, nesta exposição). Ele nos dá um “sábado’ completo para desfrutarmos de Sua presença.
“Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou;”
Espiritual - Há uma orientação divina para a questão da santificação de um dia da semana (no caso a semana divina) determinado pelo próprio Eterno.
Moral – no sentido, de dar à vida do homem um sentido de reflexão, descanso e pensamento sobre o seu lado místico, da alma e espírito.
O entendimento deste Mandamento, de parada de nossas atividades diárias, de santificação ao Senhor passa obrigatoriamente pelas definições, de algumas palavras, no próprio Texto.
Era uma forma de deter o envolvimento do curso da Vida externa dos homens, e leva-los a um período de reflexão do que haviam (ou fazem) feito num determinado período, um período de intensa reflexão, mas que eles tivessem também um período de elevar seus pensamentos, aquele Provedor Eterno de tudo quanto conseguiram realizar, O Eterno. Era pois um período propício para santifica, orar e buscar, com rogos, agradecimento e orientação do Eu Sou, o Deus Único, deixando os pensamentos buscar algo além do material, e alcançar o sobrenatural de Deus.
Trabalho e Descanso.
Gênesis 2:15 E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.
Era um Momento de recuperação de forças, pois o homem estava sob uma ordem culpativa e que onerava as suas forças, pois ele tinha obrigações de trabalho e guarda do/e no Éden, sem porem perder sua força, mas agora deveria continuar a lavrar, mas sob cansaço: “O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra;Gênesis 3:19;23
Hora de culto a Deus, instruir ao povo sobre a Lei, e Mandamentos.
“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.”
Sabbath - descanso
Santificação -
A palavra hebraica Sabbath, que quer dizer descanso.
A releitura, após estudo etimológico fica, assim: "... lembra-te do dia de descanso para o santificar".
É correto, portanto, entendermos que este Mandamento se assenta sobre, a necessidade de lembrar-nos de Deus, durante o período sabático, ou seja: “durante o nosso descanso, para santificar e adorar ao Senhor”.
O "Dia De Descanso" no Antigo Testamento era o Sétimo dia no Antigo Testamento, ou seja, o nosso "sábado".
No Novo Testamento, os judeus celebravam o Sabbath no que era geralmente reconhecido como o sétimo dia da semana (Mt. 28:1; Marcos 16:1-2; Lucas 23:56-24:1), e Jesus reconheceu a escolha dos dias por eles (e.g. Mt. 12:1-13; Lucas 13:14-16). Contudo, nem Jesus ou algum escritor do Novo Testamento indicaram que o dia do Sabbath tinha que cair no sétimo dia da semana, como determinado por algum calendário regular.
Há diversidade de entendimento, por parte de muitos quanto ao Sétimo dia.
Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.
Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus;
Na leitura dos Livros Neotestamentários, como Atos dos Apóstolos, Epístolas e mesmo nos trechos que descrevem a Ressurreição de Jesus e Seu Aparecimento aos Seus Discípulos, podemos entender que a com base nesse pensamento, a igreja Primitiva, sob a condução apostolar, teve a liberdade, ao despir-se do hebraísmo e se tornar Cristã, mesmo com a condução de Apóstolos Judeus, sentiu-se livre para mudar a observância deste dia. O padrão de contagem e observação de dias foi mantido segundo o Mandamento: “seis-dias-mais-um”, mas houve a mudança do Dia semanal.
Assim o Sabbath foi mudado (veja-se as referências bíblicas) para o primeiro dia da semana do calendário secular.
É razoável admitir-se que provavelmente os cristãos escolheram esse dia porque era o dia no qual Jesus tinha ressurgido dentre os mortos (Mt. 28:1; Marcos 16:2; Lucas 25:1; João 20:1).
João 20:1;19 “E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro.”; Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco.”
Marcos 2:27-28 “E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Assim o Filho do homem até do sábado é Senhor.”
Se o próprio Jesus Cristo - Ressurreto lhes apareceu no primeiro dia da semana para se manifestar aos seus discípulos quando estes estavam reunidos (João 20:19,26), além de toda a sua instrução sobre o Sabbath durante os três anos de seu Ministério.
Em todo caso, parece que o primeiro dia da semana provavelmente veio a ser conhecido como o “Dia do Senhor” (Ap. 1:10), e parece ter sido o dia no qual a igreja se reunia com a aprovação dos Apóstolos (Atos 20:7). Não parece haver alguma evidência no Novo Testamento que a igreja primitiva sentiu-se compelida a observar o sétimo dia da semana como o Sabbath, e há certa possível evidência que Paulo ensinou que os cristãos não estavam obrigados a observar esse dia particular (Cl. 2:16).
A nossa experiência litúrgica, religiosa e cúltica nos orienta que para a Igreja há uma regra fundamental, para adoção do Dia De Descanso, diferentemente dos Hebreus, nós nos valemos da Nova Aliança de Sangue Eterna, através de Jesus, com base na sua Morte e ressurreição, e não no dia, mas no princípio que este Mandamento determina: Descanso e Santificação, assim, a igreja tem entendido a questão da mesma maneira, ou seja: não é a especificação "do sétimo", que está envolvida no Mandamento, mas o princípio do Descanso e Santificação.
João, no Apocalipse de Nosso Senhor Jesus Cristo, cita este Dia, como o Dia do Senhor: Apocalipse 1:10 “Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta...”
1 Coríntios 16:2 “No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar”.
Atos 20:7 E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite.
Podemos inferir alguma previa conclusiva (ainda que seja uma forma pouco ortodoxa):
- a prática da observância do Sabbath no Domingo é baseada primeiramente no entendimento que a Bíblia não ordena a observância no sétimo dia do calendário semanal, e em segundo lugar na tradição da igreja estabelecida sob a aprovação dos Apóstolos.
Há ainda uma forma de entendimento sobre o sábado, ou Sabbath, a ser revisitada, aqui por nós. Trata-se de entendimento que o Sétimo Dia, pode ser entendido, não pelo dia da semana, mas pela preservação de uma data marcante, desta forma, temos o exemplo do dia do Senhor visitando o Egito, e atingindo a todos os primogênitos com a Morte, à partir, deste dia se forma uma semana, e um sétimo dia, sem vínculo de dias semanais, usualmente entendido (o texto é longo):
Êxodo 12:12-16 “E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o Senhor. E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito. E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo. Sete dias comereis pães ázimos; ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado, desde o primeiro até ao sétimo dia, aquela alma será cortada de Israel. E ao primeiro dia haverá santa convocação; também ao sétimo dia tereis santa convocação; nenhuma obra se fará neles, senão o que cada alma houver de comer; isso somente aprontareis para vós.
A outra vertente de ensino, que devemos observar, é a relação Pactual de Eu Sou com os Hebreus, como Povo de sua escolha, como Nação particular e Eleita, sob um proposito, o que a marcaria como diferenciada entre todo os Povos. Há clareza no ensino bíblico Veterotestamentário sobre esta posição peculiar de Israel:
Êxodo 31:13-14Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifica. Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós;
Ou seja, é uma relação única de Deus e um Povo Seu.
Continua na 2ª Parte
Bibliologia
O Sabbath é Sábado ou Domingo? - McLaughlin - Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto
O Quarto Mandamento - Solano Portela
Apontamentos do autor do Estudo

Quarto Mandamento – Charles Hodge

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical