quarta-feira, junho 10

Continuação - 2ª Parte - Jesus e O Dinheiro Texto Áureo

Continuação - 2ª Parte
Jesus e O Dinheiro
Texto Áureo
E, vendo Jesus que ele ficara muito triste, disse: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!
Lucas 18:24
Medite: “Quem ama o dinheiro jamais terá o suficiente; quem ama as riquezas jamais ficará satisfeito com os seus rendimentos”.
Eclesiastes 5:10
A questão do dinheiro, quando dita na boca de muitos, como se fossem palavras bíblicas é sempre eivada de erro de exegeses e até mesmo da literalidade textual:
As Pessoas dizem: (usualmente, sem ler) “O dinheiro é a raiz de todo o mal. ”
A Bíblia diz: “O amor ao dinheiro” — não o dinheiro em si — é o que causa “coisas prejudiciais”.
As Escrituras Veterotestamentárias, do rico Rei Salomão nos apresentam, no mínimo três (3) coisas que trazem prejuízo as pessoas que amam o dinheiro.
Ansiedade:A fartura do rico não o deixa dormir. ” Eclesiastes 5:12
Frustração: “O mero amante da prata não se fartará de prata, nem o amante da opulência, da renda. ” Eclesiastes 5:10
Tentação: que os levam a violar a lei: “Aquele que se precipita para enriquecer não ficará inocente. ” — Provérbios 28:20
A riqueza ou o dinheiro é algo enganoso, o que se mostra no texto inicial. Ele pode ser como uma venda aos olhos do homem, quanto a vida eterna e o objetivo final do homem, a restauração, à perfeição.
“Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera”. Marcos 4.19
Engano
Ambição
Ansiedade
Frustração
Preocupação
Tristeza – “...ficou muito triste, porque era muito rico. E, vendo Jesus que ele ficara muito triste...”
Tudo isto se mostra neste texto, que descreve a conversa do jovem rico e Jesus:
E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me. Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico. E, vendo Jesus que ele ficara muito triste, disse: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!”
Algumas pessoas têm dificuldades em se relacionar com dinheiro, acham que se ficarem sem dinheiro não sobreviverão, muito embora, ele seja quase que vital no mundo, não deve, contudo, ser visto ou entendido como algo impeditivo nas relações humanas e principalmente nas relações com o Divino.
A Salvação é Anunciada
Sim! A salvação é oferecida ainda nas Veterotestamentárias Escrituras como algo que se adquire sem preço humano, ou material.
É oferecida a todos os homens, sem distinção de poder material, ou riqueza ampliada.
Esta oferta, foi, em algum momento da História da Igreja, conspurcada, pela venda de Indulgências na Idade Média.
É tempo de lembrarmos disto, para que a Igreja não seja mais atingida, por outras formas de “Indulgências”, seja na forma de “pedras de toque”, como:
Rosas
Óleo
Peças de casa
Suor de alguém
Panos do corpo de líderes
"Venham, todos vocês que estão com sede, venham às águas; e vocês que não possuem dinheiro algum, venham, comprem e comam! Venham, comprem vinho e leite sem dinheiro e sem custo”.
Isaías 55:1
Jesus ao ler o texto na Sinagoga em Cafarnaum explica que o tempo da Salvação de Graça havia chegado, por Ele:

E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me. Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico”.
O Uso Social do Dinheiro
Jesus ao colocar para o jovem rico, a necessidade de uma retomada de sua visão quanto a vida eterna, inserindo a visão de que a Salvação não é por mérito, mas por regeneração da mente, coloca a visão social do uso do dinheiro.
O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor. E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos.Lucas 4: 18-21
O rico jovem não compreendia que a salvação está além do poder do dinheiro e que todo seu dinheiro poderia ser utilizado de maneira benéfica por pessoas desfavorecidas, como os pobres.
Era uma ordem deuteronômica, que os pobres fossem lembrados pelos que possuíam além do necessário para seu sustento e de sua família.
A Escritura deuteronômica, infere, que não libertar-se do desejo de usura, para com seus bens é Pecado.
Jesus como Mestre dá uma verdadeira aula, sobre a Lei e o Pecado (Doutrina), ao jovem rico, pressuroso em mostrar-se sábio, cumpridor da Lei, e de certa forma questionando a Jesus. Como, se nada mais ele necessitasse, para alcançar a Vida Eterna.
Quando entre ti houver algum pobre, de teus irmãos, em alguma das tuas portas, na terra que o Senhor teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás a tua mão a teu irmão que for pobre; Antes lhe abrirás de todo a tua mão, e livremente lhe emprestarás o que lhe falta, quanto baste para a sua necessidade. Guarda-te, que não haja palavra perversa no teu coração, dizendo: Vai-se aproximando o sétimo ano, o ano da remissão; e que o teu olho seja maligno para com teu irmão pobre, e não lhe dês nada; e que ele clame contra ti ao Senhor, e que haja em ti pecado”.
Deuteronômio 15:7-9
Sequer, o jovem, entusiasmado pela fortuna, e pela necessidade de alcançar a Salvação, pensou que a poderia primeiro atentar para suas falhas e lançar um olhar de misericórdia ao seu próximo, o Pobre, antes de pensar conquistar a Salvação.
“Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico”.
Ele poderia minimizar a desgraça de muitas pessoas com o valor de sua fortuna, mas ele se entristeceu com esta necessidade e preferiu demonstrá-la ao se retirar pesaroso, pois sua fortuna aqui o prendeu ao miserável mundo dos que se apegam a ela e não podem entender, que nos céus não há fortuna perecível, a de lá é Eterna e construída pelo Sangue da Cruz.
Ele enseja um confronto da realidade das palavras de Jesus sobre “onde está o tesouro do homem, aí está seu coração”:
Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração... 
Mateus 6:19-21
Ele vem a Jesus em busca de uma orientação e Jesus o confronta, com sua religiosidade e com base nas suas pretensa Obras e cumprimento da Lei.
E logo, nisto, no que ele se julgava conhecedor foi condenado por Jesus.
Foi uma dura lição. Mas, necessária e real para mostrar ao jovem que há necessidade de desprender-se do dinheiro, dos bens para pensar na Vida Eterna, como, Salvo.
Ninguém pode conquistar nada no terreno da Vida Eterna, por meio do nomismo, pois a Lei é difícil de ser cumprida e mesmo assim, os que se acham plenos em seu cumprimento (uma impossibilidade humana), sofrem revés ao serem cotejados pelo texto da mesma.
É necessário despojar-se de tudo para a conquista da Salvação. Ela é única, é prima, é fator da Graça em Jesus Cristo que nos concedeu pelo Amor do Pai.
Livremente lhe darás, e que o teu coração não seja maligno, quando lhe deres; pois por esta causa te abençoará o Senhor teu Deus em toda a tua obra, e em tudo o que puseres a tua mão. Pois nunca deixará de haver pobre na terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra”.
Deuteronômio 15:10,11
Dissemos, acima e listamos algumas idiossincrasias que o dinheiro pode levar o homem a ser acometido por elas.
Mas, a esperança da vida eterna, ao contrário, do dinheiro leva a descansar nas promessas divinas:
“Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal”.
Mateus 6:30-34
Hermes C. Fernandes – Perfume de Mulher
Quem é Mamom? Murillo Leal
Bíblia online

Apontamentos do autor

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical