sábado, julho 25

Pastores e Diáconos Lição 4- CPAD 3º TRIMESTRE 2015

Pastores e Diáconos
Lição 4- CPAD 3º TRIMESTRE 2015
Estudo Pr Osvarela
Aproveito para uma homenagem póstuma, em nome da sua família, ao Pastor José Antonio dos Santos, o pastor José Neco da Assembleia de Deus no bairro Farol, em AL-Maceió, que está sendo velado neste sábado, com uma frase de um de seus auxiliares, estando ele ainda em vida:
“Pastor José Neco não precisa falar para nos ensinar!”
TEXTO ÁUREO
"Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar." (1 Tm 3.2)
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1 Timóteo 3.1-4,8-13
Esta é uma palavra fiel: Se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.
Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;
não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento;
que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia
Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância,
guardando o mistério da fé em uma pura consciência.
E também estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis.
Da mesma sorte as mulheres sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo.
Os diáconos sejam maridos de uma mulher e governem bem seus filhos e suas próprias casas.
Porque os que servirem bem como diáconos adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.
Introdução
O Estudo sobre Pastores e Diáconos trata sobre as atividades que são relacionadas nas Escrituras Sagradas  que devem ser entendidas e analisadas, como obrigatórias para os pastores ou epíscopos, ou presbíteros, ou bispos e diáconos, os oficiais da Igreja, como determinam os Textos bíblicos, em destaque, aqui 1,2  Epístolas de Paulo Timóteo e a Epístola à Tito
São deveras retratados em quase todos os Currículos de Escolas Teológicas, mas estas atividades vão além do simples estudo acadêmico, necessitam ser vividos e estudados sob a Luz da Inspiração do Espírito Santo. É sobre isto que trata este sucinto estudo.
- Ensino;
- Doutrina;
- Aconselhamento;
Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra.” Atos 6:3,4
- Ministração Bíblia e Reflexão da palavra durante as celebrações;
- Estudar e ler as Escrituras. “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.” 1 Timóteo 4.13 
- Autoridade espiritual para ministrar; Gálatas 2
Se algum crente ou alguma crente tem viúvas, socorra-as, e não se sobrecarregue a igreja, para que se possam sustentar as que deveras são viúvas. Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina;” 1 Timóteo 5:16,17
- Realização de visitas em lares, prisões, e outros lugares onde estejam pessoas sem condições de se dirigir a igreja e que queiram receber orações e ouvir sobre as Escrituras; “Procura vir ter comigo depressa, Porque Demas me desamparou, amando o presente século, ...Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério.” 2 Timóteo 4:9-11
“NÃO repreendas asperamente o ancião, mas admoesta-o como a pai; aos moços como a irmãos; As mulheres idosas, como a mães, às moças, como a irmãs, em toda a pureza.” 1 Timóteo 5:1,2
- Orações de cura e libertação; “E, pensando Pedro naquela visão, disse-lhe o Espírito: Eis que três homens te buscam. Levanta-te pois, desce, e vai com eles, não duvidando; porque eu os enviei.” Atos 10:19,20
- Ministração de cultos nos lares; Modelo do culto da Igreja Primitiva. Uma faceta da Hospitalidade. “Mas dado à hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante; Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes. Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão, Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância.Tito 1:8-11
- A Hospitalidade também se dá quando se pode ir a casa de outrem e ser bem recebido, pela empatia demonstrada em uma visita pastoral! “Acompanha com muito cuidado Zenas, doutor da lei, e Apolo, para que nada lhes falte. E os nossos aprendam também a aplicar-se às boas obras, nas coisas necessárias, para que não sejam infrutuosos.” Tito 3:13,14
- O pastor também é o responsável por coordenar as atividades de administração e funcionamento da igreja.
É o pastor quem tem autoridade para atribuir ou destituir um cargo na igreja. “Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei:” Tito 1.5
No entretanto, quem dá pastores á Igreja é o Senhor,como poderemos estudar nas Escrituras.
“Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor: Vivo eu, diz o Senhor Deus, que, porquanto as minhas ovelhas foram entregues à rapina, e as minhas ovelhas vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores não procuraram as minhas ovelhas; e os pastores apascentaram a si mesmos, e não apascentaram as minhas ovelhas; Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu estou contra os pastores; das suas mãos demandarei as minhas ovelhas, e eles deixarão de apascentar as ovelhas; os pastores não se apascentarão mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e não lhes servirão mais de pasto. Porque assim diz o Senhor Deus: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei” Ez 34, 7:11
A atividade pastoral se realiza num ambiente místico, no sentido sobrenatural divino. Se realiza numa atmosfera abstrata, baseada na fé e no que há no coração do homem - um terreno que somente Deus pode sondar - esse contexto acaba abrindo precedente para o engano, e a existência de alguns pastores sem unção divina. Sobre isso, o próprio Deus teria alertado aos profetas de que haveria falsos pastores, e estes prestarão contas a Ele.
Assim, muitos tem se aproveitado desta atmosfera para se esconder, junto com seus sombrios pensamentos e erros, para atacar um seleto grupo, a Igreja Universal, que Cristo resgatou, com seu sangue, felizmente a Escritura aponta para os dias do Juízo, com o acerto final. Embora, fique para aqueles que sofreram, ou sofrem danos imediatos, certa frustração, certo sabor amargo e até mesmo danos, morais, materiais e financeiros, por causa de muitos que se aboletaram do direito eclesiástico para fazer deste exercício do ministério uma forma de poder, de barganha e de autoritarismo, manipulação de mentes, coletividades, a seu favor e benefício e dos seus, e e se aboletam de casas, como falam a Neo-Escrituras, através de Judas e Pedro.
Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré. Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas; Ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas.” Judas 1:11-13
No ministério eclesiástico, o que a igreja espera de seu pastor é que ele cumpra com aquilo que fora chamado a fazer.
 “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.” 2 Pedro 2:1-3
I - A Família do Pastor e A igreja
Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)1 Timóteo 3:4,5
εθνος – ethnos; n.n.  multidão (seja de homens ou de animais) associados ou vivendo em conjunto; companhia, tropa, multidão; multidão de indivíduos da mesma natureza ou gênero; a família humana; tribo, nação, grupo de pessoas; no AT, nações estrangeiras que não adoravam o Deus verdadeiro, pagãos, gentis; Paulo usa o termo para cristãos gentis.
οικια - oiki; n. f. casa; edifício habitado, moradia; habitantes de uma casa, família; propriedade, riqueza, bens.
Sinônimos ver verbete 5867
οικιακοςoikiakos ; n.m. alguém que pertence à casa; alguém sob o controle do chefe de uma casa, seja um filho ou um servo;
οικοδεσποτεω oikodespoteo; v. ser o chefe (ou cabeça) de uma casa; governar um lar, administrar os afazeres familiares.
οικοδεσποτης  - oikodespotes; n. m. o dono da casa, chefe da família.
Incluindo-se na mesma árvore etimológica de oikia
οικονομος – oikonomos – n. m. o administrador do lar ou dos afazeres do lar; esp. um administrador, gerente, superintendente (seja nascido livre ou, como era geralmente o caso, um liberto ou um escravo) para quem o chefe da casa ou proprietário tinha confiado a administração dos seus afazeres, o cuidado das receitas e despesas, e o dever de repartir a porção própria para cada servo e até mesmo para as crianças pequenas; o administrador de um fazenda ou propriedade territorial, um supervisor; o superintendente das finanças da cidade, o tesoureiro da cidade ( ou do tesoureiro ou gestor de reis); metáf. os apóstolos e outros mestres, bispos e supervisores cristãos.
O uso do termo família, sem dúvida, foi concedido a Paulo como alicerce para construção do conteúdo deste trecho bíblico, afinal a Igreja também é uma família a família de Deus e o étimo é da mesma origem em algum sentido.
Além da igreja local, uma das grandes dificuldades e que tem acabado com grandes ministérios está próximo ao pastor, a sua família ou casa, como a chama Paulo. É função do ministro cuidar com zelo de sua família, que na maioria dos casos é parte do seu rebanho também. Alguns detalhes em sua casa e igreja exigem maior cuidado para que um problema no ministério não seja a destruição do seu lar. Excesso de dedicação ao ministério em detrimento a tempo com a família, a falta de presença como pai, deixando a administração da casa sob o legado único da esposa, longas e exaustivas viagens.
É preciso separar o que é da igreja, o que é de casa e o que é de ambos.
Onde se realiza e se materializa o Ministério do Pastor
Em que ambiente?
Mesmo com o chamado e o vocacionamento de Deus, os pastores têm problemas. O ministério de pessoas íntegras tem suas dificuldades, pois apesar do pastor ser separado por Deus ele é homem, é humano, tem suas limitações e dificuldades pessoais. Além disso, o ministério pastoral se realiza na terra e não no céu. A igreja é constituída de pessoas. Ainda que salvas, têm seus temperamentos, suas personalidades, suas culturas e seus hábitos que podem trazer dificuldades ao trabalho pastoral.
A igreja atua e o ministério se realiza num mundo hostil que jaz no maligno, que procura criar todo embaraço ao pastor e à comunidade em sua missão na sociedade humana.
 “Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora...” 1 Timóteo 3.7
A Escritura afirma que o presbítero deve ter também uma boa reputação na comunidade. As pessoas em volta observam o procedimento dos cristãos, principalmente de seus líderes. Portanto, aquele que almeja ser líder deve ser bem visto pelas pessoas, de sua comunidade, na podendo ser visto, como alguém sem sociabilidade, sem afeto, com o qual não se pode contar no dia a dia de todos, mesmo quando a Igreja sofre perseguição religiosa deve continuar a pensar em servir.
Isso aplica-se a questões morais (fidelidade conjugal, cuidar bem dos filhos, ser educado, etc.) e a questões éticas (fiel em seus compromissos financeiros, bom vizinho, honesto, honra sua palavra, etc). As pessoas podem até discordar daquilo que o pastor ensina, mas não terão outros motivos para considerá-lo infiel.
II - Ministério Pastoral E Pessoas
A Escolha E A Chamada
Nem todos podem ser escolhidos como Pastores
Eu sempre digo, que a chamada é potencial, a sua realidade é fruto de dedicação, estudo, desejo de realizá-la, oração, vida de consagração, santidade, vida íntegra e da imposição de mãos pela Igreja, através do Ministério. Ninguém poderá realizar a Chamada sem a Igreja confirmá-la. Pense antes de entender com base no contexto geral sobre o assunto, nas Neo-Escrituras. 
O dom é dado por Cristo e o ministro também é escolhido por Ele. Não se pode escolher seguir a profissão de ministro da palavra simplesmente por causa de um dom de falar bem. A palavra dom vem de charisma.
Crabtree afirma que “se o ministro não recebe de Cristo o Charisma, ou seja, o Dom, a graça, ele não é qualificado para o Ministério da Palavra, seja qual for a sua capacidade intelectual”.
Etimologia
 “Pastor” diz o Dicionário da língua portuguesa, o seguinte significado:  “Guardador de rebanho, zagal: as ovelhas e seu pastor. Ministro da religião protestante. Bom pastor, Jesus Cristo. Adj. Campestre: os pobres pastores.”.
Ela vem de pastor, do Latim PASTOR, “o que guia ovelhas”, por extensão “o que guia almas”, de PASCERE, “levar ao pasto”.
ποιμνιον poimnion; n.n. rebanho (esp.) de ovelha
- grupo de discípulos de Cristo
- grupos de cristãos (igrejas) presididas por presbíteros
αρχιποιμην - archipoimen; n.m. o pastor-chefe; de Cristo, o cabeça da Igreja.
ποιμην – poimen; n.m. vaqueiro, esp. Pastor; na parábola, aquele a cujo cuidado e controle outros se submeteram e cujos preceitos eles seguem; metáf. oficial que preside, gerente, diretor, de qualquer assembléia: descreve a Cristo, o Cabeça da igreja; dos supervisores das assembléias cristãs.
 Dentre as qualificações etimológicas que regem a palavra no grego existem uma série delas que servem como excelência para identificação com a atividade pastoral cristã:
As tarefas do pastor no Oriente Próximo eram:
- ficar atentos aos inimigos que tentavam atacar o rebanho
- defender o rebanho dos agressores
- curar a ovelha ferida e doente
- achar e salvar a ovelha perdida ou presa em armadilha
- amar o rebanho, compartilhando sua vida e desta forma ganhando a sua confiança
Todo o ministério pastoral é centrado na vida do ser antropológico, com todas as suas vicissitudes genéticas, ou não.
Seja para melhora do mesmo, seja para resgate, tudo visando a Vida Eterna. O pastor precisa estar atento a esta visão bíblica da ação, atitude e vida ministerial, com vivencia, intra-familiar, intra-pessoal, inter-pessoal, coletiva e em alguns momentos com amplitude nacional.
O pastor terá sem dúvida alguma uma serie de enfrentamentos ao longo do seu pastorado, pois desde o percurso em ganhar uma alma, até ao momento de despedi-la para o seu encontro eterno, com Deus terá todo o tipo de relacionamento moral, psicológico e mental, com os que ele pastoreou, pastoreia.
Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.” Hebreus 13:17
Jesus Cristo teve estes encontros pessoais e individuais com estas pessoas.
 “Boa parte do meu ministério tem sido consagrada a pessoas que não querem crescer, ministrar, ou ser assistidas. Penso que eu teria avançado muito mais, se tivesse incentivado aqueles que tinham interesse em crescer e servir, dando-lhes então oportunidades de compartilhar o que Deus estava fazendo em suas vidas... Tais pessoas precisam de umas palavras de encorajamento para fazer provavelmente mais pela renovação da vida espiritual do que muitos e muitos sermões.” Drescher
Dúvidas - “assim é todo aquele que é nascido do Espírito. Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso? Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?” João 3.8,9;12
Desejos e comportamentos - “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Pela dureza dos vossos corações vos deixou ele escrito esse mandamento; Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea.” Marcos 10:5,6
E assim, poderíamos elencar uma serie de outras diferentes atitudes a serem discutidas de forma individual, familiar no relacionamento dos pastores.
Enfrentamos, então, o desejo de alguns em mudar e o desejo de alguns em não mudar.
Duas situações:
“Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta. Veio uma mulher de Samaria tirar água... Porque os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida. Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido, e vem cá... A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido; Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta... E nisto vieram os seus discípulos, e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher; todavia nenhum lhe disse: Que perguntas? ou: Por que falas com ela?  Indo, pois, ter com ele os samaritanos, rogaram-lhe que ficasse com eles; e ficou ali dois dias. João 4: 6-8;16-21  26,27;40
Como cremos no Livre-Arbítrio podemos entender, alguns casos nos quais inquiridores e atendidos por Jesus se foram sem mudar seus comportamentos, mesmo ao ouvir seus ensinamentos.
“Ele, porém, respondendo, lhe disse: Mestre, tudo isso guardei desde a minha mocidade. E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: ... vem, toma a cruz, e segue-me. ... retirou-se triste; porque possuía muitas propriedades. Então Jesus, olhando em redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!.... E eles se admiravam ainda mais, dizendo entre si: Quem poderá, pois, salvar-se?” Marcos 10:20-26
Isto é basal na vida humana e só com a ajuda de oração, e do Espírito Santo teremos armas adequadas para esta faina diária de mudar vidas.
Não ganharemos todas as batalhas, nem todos que encontrarmos no caminho, mas devemos sempre falar da Verdade.
Assim, temos como entender, à luz das Escrituras, como podemos nos relacionar com Homens, com o ser humano, sendo humanos pastores e pastores humanos.
III - Os Níveis a serem alcançados
“Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade.” 1 Timóteo 3.15
Só podem ser alcançados, os níveis apontados nas Neo Escrituras quando há uma empatia do pastor com a sua comunidade, ou Igreja e sejam claras as evidencias das qualificações determinadas no paulinismo de Timóteo e Tito.
A - Isto é determinado por uma palavra:
Convém - concorde; condiga; condiz; condize; condizes; serve; serves; sirva; Ser conveniente, útil, proveitoso; Ficar bem; ser adequado; condizer com: V.i. Ser conveniente, útil, adequado: convém ouvir a voz da razão.
Convir - Conjugar verbo intransitivo - Ser conveniente, útil, proveitoso, decente.; Concordar; ser do parecer de outrem. Corresponder, ser conforme. Combinar mutuamente.
Só se dará o nivelamento pastoral adequado à causa da igreja quando todos os Ministros alcançarem a proposição das Escrituras atendendo de maneira conveniente a estes ditames:
Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;”   
A-1 Etimologia
νεοφυτος – neophutos – adj. recentemente plantada; recém convertido, neófito (alguém que tenha recentemente se tornado um Cristão); Neófito – rel. pagão recém-convertido ao cristianismo; cristão-novo. Rel. pessoa que vai receber o batismo ou Recém-batizado. Principiante, novato, recém admitido.
διδασκαλος  - didaskalos; n. m. professor; no NT, alguém que ensina a respeito das coisas de Deus, e dos deveres do homem; alguém que é qualificado para ensinar, ou que pensa desta maneira; daqueles que pelo seu imenso poder como mestres atraem multidões, i.e., João Batista, Jesus; pela sua autoridade, usado por Jesus para referir-se a si mesmo como aquele que mostrou aos homens o caminho da salvação; dos apóstolos e de Paulo; daqueles que, nas assembléias religiosas dos cristãos, encarregavam-se de ensinar, assistidos pelo Santo Espírito; de falsos mestres entre os cristãos.
δει – dei - v. é necessário, há necessidade de, convém, é correto e próprio; necessidade encontrada na natureza do caso; necessidade provocada pelas circunstâncias ou pela conduta de outros em relação a nós; necessidade com referência ao que é requerido para atingir algum fim; uma necessidade de lei e mandamento, de dever, justiça; necessidade estabelecida pelo conselho e decreto de Deus, especialmente por aquele propósito seu que se relaciona com a salvação dos homens pela intervenção de Cristo e que é revelado nas profecias do Antigo Testamento; relativo ao que Cristo teve que finalmente sofrer, seus sofrimentos, morte, ressurreição, ascensão.
Poderíamos ler todos os demais versículos utilizando, uma regra da língua portuguesa inserindo como preposição da construção da frase as palavras, que foi o pensamento redacional lingüístico utilizado por Paulo ao escrever a Epístola: “convém que o bispo (interagindo com o ofício do diácono) seja...;
Teríamos assim (proposta de leitura para entendimento, não alteração do texto bíblico):
- “convém que o bispo seja...” não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento;
- “convém que o bispo” governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia
- Da mesma sorte  - “convém que ” os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância, guardando o mistério da fé em uma pura consciência.
- E também “convém que ...”  estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis.
- “convém que ...”  Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo.
- Da mesma sorte “convém que...” as mulheres sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo.
- “convém que...” Os diáconos sejam maridos de uma mulher e governem bem seus filhos e suas próprias casas.
É conveniente, mantendo-me dentro da palavra-chave no texto base, do Estudo – Convém – então termos ou sermos (palavras irmãs neste projeto de Deus):
- Respeito pela Chamada -
- Obediência ao Senhor -
- Zelo pela Causa –
- Experiência -
- Fiel à palavra - criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido; Esta palavra é fiel e digna de toda a aceitação...
Não esperemos nada dos homens - Porque para isto trabalhamos e somos injuriados, pois esperamos no Deus vivo...
B - Obediente a Hierarquia da Igreja - Em I Tessalonicenses 5:12, as palavras "os que presidem sobre vós" certamente Paulo as usa ao referir-se a estrutura organizacional daquela época na Igreja primitiva, o que se pode inferir pelo uso de termos símiles em Gálatas 2. 9 “e quando conheceram a graça que me fora dada, Tiago, Cefas e João, que pareciam ser as colunas.”
C - Cuidado da Doutrina – “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina”.
Ensino e Doutrina
Como alguém pode ser “Ensinador” sendo um “neo” ou novo converso, sem conhecimento da doutrina que vai ensinar. 
A ajuda da etimologia é importante neste momento, ao obtermos a definição da palavra.
Entendo que o próprio Paulo deve ter usado seu exemplo, pois antes de ensinar esteve por três (3) anos aprendendo com ensinadores, doutores e profetas, e com O Senhor. E após 14 (quatorze) anos subiu a Jerusalém para ver se havia perdido a autenticidade de seu Evangelho, como ele mesmo diz em Gálatas 2.
Mostrando a necessidade de atualização doutrinária, de todos nós, ao longo do Ministério.
“... deve ser um professor habilidoso. Esta é a única qualificação que o diferencia dos diáconos e do resto da congregação”. MacArthur (pág. 131)
Portanto: Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;”   
C-1 Etimologia
διδασκαλια - didaskalia; n. f. ensino, instrução; ensino; aquilo que é ensinado, doutrina;) ensinamentos, preceitos
אמת - ’emeth; usar com/no sentido de doutrina verdadeira; n. f. firmeza, fidelidade, verdade; certeza, credibilidade; estabilidade, constância; fidelidade, confiabilidade; verdade; referindo-se ao que foi dito; referindo-se a testemunho e julgamento; referindo-se a instrução divina; verdade como um corpo de conhecimento ético ou religioso; doutrina verdadeira; adv. em verdade, verdadeiramente.
αιρετικος - hairetikos; adj. preparado ou capaz de tomar ou escolher algo; cismático, faccioso, seguidor de um doutrina falsa; herético.
D - Medita e que seja manifesto o que meditas como exemplo - Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos.
E - Mostrando como se deve fazer - Ser estudioso para continuamente poder ensinar - Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.
E - Mas de nada aproveita ao Pastor se não prestar a devida atenção ao dom ...
“Não desprezes o dom que há em ti...”. seja por timidez, por desmazelo, por imprudência, nada pode impedir o uso do dom concedido, por Deus, á Igreja e por Ela para ser usado N’Ela e para Ela.
Paulo relembra a seus filhos de ministério, em especial a Timóteo a importância do “dom” que lhe foi dado através da “profecia”.
Uma dotação especial de ministrar concedida como um carisma do Espírito quando colocaram as mãos sobre ele.
Por isto, um “bom testemunho” (Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo. 1 Timóteo 3:7) também inclui o líder ser “cheio do Espírito Santo”, tal como exigido na nomeação de líderes (At 6.3).
Tudo isto tem uma utilidade para nós, pessoalmente, como para os que servimos: “Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem...
Manter-se dentro daquilo que a Bíblia Sagrada autentica como padrão para Ministração e aplicação das Doutrinas, a favor da construção e erguimento do edifício espiritual, a Igreja e o templo – I Coríntios 14.12; 1 Coríntios 3:16,17 (Assim também vós, ...  procurai abundar neles para a edificação da igreja.; Não sabeis vós que sois... o templo de Deus, que sois vós, é santo.)  o homem, que Deus tenha colocado em nosso Ministério, seja ele pessoal, coletivo, familiar ou regional.
“Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido. Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas, e exercita-te a ti mesmo em piedade; Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir. Esta palavra é fiel e digna de toda a aceitação; Porque para isto trabalhamos e somos injuriados, pois esperamos no Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, principalmente dos fiéis. Manda estas coisas e ensina-as.” 1 Timóteo 4:6-11
O pensamento paulino é que embora sejamos obrigados a sermos convenientemente preparados, há a necessidade de entendermos, que somos apenas cooperadores de Deus nesta Obra da Salvação e o que fazemos e como a Obra do lavrador, que planta uma boa semente, mas depende dos Céus mandarem a chuva serôdia, sobre a qual o lavrador não tem nenhum poder ou controle, ou ainda, o projeto tem uma base Celestial Imutável – Jesus Cristo, e não podemos ser como um Arquiteto que mude a base determinada por Deus, não podemos modificá-la, pois o edifício é de Deus:
Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.” 1 Coríntios 3:9-11
IV - Então o que temos é que necessitamos de pastores que tenham contensão. Como em estudo anterior.
Com conveniente comportamento e concentração na realização da Chamada.
Contensão - s.f. Atenção; uso concentrado e reflexivo da inteligência; excesso de concentração: contensão da mente. (Etm. con + tensão);
A Igreja tem sido um local de dificuldades doutrinarias e onde as lideranças sofrem com as mudanças de costumes, ao longo dos séculos.
Local de formação doutrinaria, de regeneração de costumes, antes vivenciados por todos que nela viveram ou vivem.
Líderes são dados a Igreja, líderes precisam conhecer a Igreja.
Líderes precisam conhecer o que é a Doutrina dos apóstolos.
Líderes precisam conhecer os Costumes de um povo, onde lideram.
Líderes precisam ter contensão moral e familiar.
Líderes necessitam saber diferenciar Doutrina de Deus, de Anti-Doutrinas.
 “...para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade.” 1 Timóteo 3:15
1ª Parte - Continua...
Fonte
Pastor evangélico - Alaine Silva
apud DRESCHER, John M. Se Eu Começasse Meu Ministério De Novo. Campinas: Cristã Unida, 1997.106p.
CRABTREE, Asa Routh. A Doutrina Do Ministério. Rio de Janeiro: Juerp, 1981. 148p.
O Pastor e suas Atividades Eclesiásticas.
Silvio Teixeira Moreira foi desembargador do TJ/RJ, ex-promotor de Justiça do MP/SP, ex-professor de Latim e advogado criminal.
Infoescola

Dicionário Strong

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical