sexta-feira, julho 8

Deus, o Primeiro Evangelista Lição 2 CPAD - Julho de 2016 2ª PARTE

Deus, o Primeiro Evangelista
Lição 2 CPAD - Julho de 2016 2ª PARTE
Estudo Subsídio: Pr Osvarela
TEXTO ÁUREO
"Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti." Gálatas 3.8 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Gênesis 12.1-8
1 - Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.
2 - E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção.
3 - E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.
4 - Assim, partiu Abrão, como o Senhor lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã.
5 - E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e toda a sua fazenda, que haviam adquirido, e as almas que lhe acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e vieram à terra de Canaã.
6 - E passou Abrão por aquela terra até ao lugar de Siquém, até ao carvalho de Moré; e estavam, então, os cananeus na terra.
7 - E apareceu o Senhor a Abrão e disse: À tua semente darei esta terra. E edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera.
8 - E moveu-se dali para a montanha à banda do oriente de Betel e armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR.
2ª Parte – Continuação
A Saga que Abraão executou desde a saída de sua Terra, a terra de Ur dos Caldeus sob o anuncio do Evangelho divino foi uma jornada com inúmeros lugares alcançados pelo Patriarca da Fé.
O texto base do estudo mostra quantas cidades ele percorreu:
- era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã.
- as almas que lhe acresceram em Harã;
- e saíram para irem à terra de Canaã;
- e vieram à terra de Canaã.
- até ao lugar deSiquém, até ao carvalho de Moré;
- e estavam, então, os cananeus na terra.
­À tua semente darei esta terra. E edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera.
- dali para a montanha à banda do oriente de Betel
- armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR.
Nomes das cidades:
Observação Importante:
Precisamos compreender totalmente a importância do chamado de Abrão, e isso está registrado na Bíblia para nós. É Estevão quem esclarece a época em que Abrão recebeu o primeiro chamado de Deus. Não foi em Harã, como uma leitura casual de Gênesis pode nos levar a crer, mas em Ur.
Estêvão respondeu: Varões, irmãos e pais, ouvi. O Deus da glória apareceu à Abraão, nosso pai, quando estava na Mesopotâmia, antes de habitar em Harã, e lhe disse: Sai da tua terra e da tua parentela e vem para a terra que eu te mostrarei.”  Atos 7:2-3
Conhecendo a etimologia, que determinou o Nome destes lugares. Incluímos a cidade de Ur, pela importância da mesma na Jornada abraãmica.
Ur -
אור- ’Uwr; n. pr.loc. Ur = “labareda”; cidade ao sul da Babilônia, cidade dos caldeus, centro de adoração à lua, casa do pai deAbraão, Terá, e ponto de partida da migração de Abraão para a Mesopotâmia e Canaã.
Sobre a cidade que Abrão recebeu ordens para deixar. Nas palavras de Vos:
“Independentemente de quando Abraão saiu de Ur, ele deu as costas a uma grande metrópole, iniciando sua jornada de fé para uma terra sobre a qual pouco ou nada sabia e que, provavelmente, tinha muito pouco a lhe oferecer do ponto de vista material.”
Conheça a Ur dos Caldeus:
“Então, disse Josué a todo o povo: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Antigamente, vossos pais, Terá, pai de Abraão e de Naor, habitaram d’além do Eufrates e serviram a outros deuses.” Josué 24:2
Ur, a semelhança de Uruk e Eridu, teve suas origens no Período Ubaid, logo no começo dos assentamentos permanentes na baixa Mesopotâmia. Era também um importante centro cerimonial e religioso, e durante os períodos historicamente documentados alojou, sem a menor dúvida, o santuário do deus-lua, chamado Nannar em sumeriano e Sin em acadiano. As comunicações favoráveis também asseguraram prosperidade econômica, e a cidade, em particular durante o terceiro milênio, gozou de considerável poder político, primeiro como cidade independente, depois como a capital de um estado centralizado durante a Terceira Dinastia de Ur. Como sede de governo, beneficiou-se de maciços programas de construção, desde substanciais muralhas citadinas até vastos recintos religiosos. Ur jamais caiu, como Eridu, num estado de desolação e abandono ao longo dos milênios de civilização mesopotâmica. Junto como outras antigas cidades do sul, Ur foi esplendorosamente restaurada por Nabucodonosor II (6O5-só2). A cidade só morreu quando a função cerimonial deixou de harmonizar-se com um clima político mudado, como ocorreu quando a Mesopotâmia foi incorporada ao império aquemênida (55O-33O). Mesmo antes desse tempo, porém, o culto do deus-lua já se deslocara ainda mais para oeste, para a síria Harran.
Arqueologia - E. Taylor, cônsul britânico em Bassora. O Museu Britânico tinha encomendado uma pesquisa das ruínas meridionais e Taylor escolhera Tell al-Muqayyar como seu quartel-general. A antiga identidade da cidade não tardou em ser revelada pelas inscrições de inúmeras plaquetas, e, embora isso provasse que se tratava da “Ur dos caldeus”, bem conhecida através da Bíblia como a terra de origem de Abraão. Pesquisas posteriores acabaram por revelar o imenso prestígio religioso e constataram a localização de Ur. 
Harã –
Ξαρραν –Charrhande origem hebraica חרן; n. pr.Loc. Harã = “alpinista ou montanhês”; cidade da Mesopotâmia, de grande antigüidade e tornada famosa pela derrota de Crasso.
הרן- Haran- Harã = “montanhês”; nome do lugar para o qual Abraão migrou de Ur dos caldeus e onde os descendentes doseu irmão Naor se estabeleceram; provavelmente localizada na Mesopotâmia, em Padã-Arã, o distrito cultivado ao pé dos montes entre o Khabour e o Eufrates abaixo do Monte Masius.
Harã, em assírio (harranu) significava “estrada principal”. Waltke, anotações de aula, p. 14.
Canaã -
ארץ- ’erets - terra de Canaã, Israel
כנען -Kênaàn- grego -Ξανααν; Canaã = “terras baixas” [mercador, comerciante]
כנעני-Kênaàniy; Cananeu ou Cananéia = veja Caná “zeloso” adj. descendente ou habitante de Canaã; descendente ou habitante de Canaã
מגדון-Mêgiddown (Zc 12.11) ou מגדו- Mêgiddow; grego -Αρμαγεδων; n. pr.loc. Megido = “lugar de multidões”
-a antiga cidade de Canaã designada a Manassés e localizada na borda do sul da planíciede Esdrelom, a 10 km (6 milhas) do monte Carmelo e 18 km (11 milhas) de Nazaré;
Moré -
מורה-Mowreh ou מרהMoreh; n. m. Moré = “professor”
-o carvalho em Siquém onde Abraão parou quando entrou pela primeira vez em Canaã;perto das montanhas de Ebal e Gerizim
-o monte no vale de Jezreel no qual os midianitas estavam acampados quando Gideão osatacou
עיבל -‘Èybal; provavelmente significando ser calvo;Ebal = “pedra” ou “montanha sem vegetação
-montanha de maldição, ao norte de Siquém e oposta ao Monte Gerizim
Siquém –
שכם -Shêkem[Shekem], grego  συχεμ; Siquém = “costas” ou “ombro”; literalmente, ato de levantar cedo; n. pr. m. uma cidade em Manassés; localizada em um vale entre o monte Ebal e monte Gerizim, 54 km (34 milhas) ao norte de Jerusalém e 10,5 km (7 milhas) a sudeste de Samaria.
συχαρSuchar ou συχεμ - Suchem;סוכר ; n. pr.loc. Sicar = “bêbado”; provavelmente outro nome para a cidade de Siquém, uma cidade na Samaria, próxima aopoço de Jacó.
ברית-Bêriyth; n. pr.m. El-Berite = “aliança”; uma divindade estrangeira adorada em Siquém com o nome de Baal-Berite.
גרזים -G^eriziym; n. pr.loc. Gerizim = “cortes”; uma montanha do norte de Israel, em Efraim, próxima a Siquém, da qual foram lidas asbênçãos para os israelitas ao entrarem em Canaã; local do templo samaritano construídodepois do cativeiro.
Betel –
ביתאל -Beyth-’El; n. pr.loc. Betel = “casa de Deus”; lugar antigo e centro de adoração;
לוז -Luwz; n. pr.loc. Luz = “amendoeira”; o nome primitivo de Betel e provavelmente o nome da cidade que fica próxima àlocalização atual do altar e da coluna de Jacó; o nome de uma cidade na terra dos heteus; localização desconhecida.
עי -‘Ày ou (fem.);עיא- ‘Àya’ (Neemias 11.31) ou עיתÀyath (Isaías 10.28); n. pr.loc. Ai ou Aia ou Aiate = “monte de ruínas”; uma cidade ao oriente de Betel e junto a Bete-Áven, próxima a Jericó e a segunda cidadetomada na invasão de Canaã.
Evangelho divino,Muda o Nosso Destino
אברם - ’Abram; n. pr.m. Abrão = “pai exaltado” - nome original de Abraão
אברהם - ’Abraham (provavelmente significandoser populoso), grego- Αβρααμ; n. pr.m. Abraão = “pai de uma multidão” ou “chefe de multidão”.
Continuação – Introdução e Discurso
Abraão é um homem, que tem seu destino mudado, seu nome mudado, sua atividade mudada, ofício paterno, comum na época de ser seguido pelos filhos, foi mudado, sua adoração familiar mudada. Até a sua morada e localização de seu espaço natural para assentamento de sua família foi mudado.
Tudo isto, ocorreu por causa da anunciação do Evangelho divino, que passou a ser o Evangelho pregado por este homem mesopotâmico.
Uma das perspectivas da pregação do Evangelho é o cumprimento do Mandato Social pelos homens, mas não na hipótese de Babel, mas na qualidade moral e adorativa ao Eterno Deus, pela evangelização podemos nos tornar membros desta gigantesca família, com mudança de nossosdestinos e até mesmo morada e lugar, como no exemplo de nosso Pai Abraão.
Dentro da visão do Desafio do Evangelismo Abraão cumpre plenamente o papel do que se lança nesta tarefa da anunciação das Boas Novas recebidas.
Primeiro desafio - foi dentro de sua parentela, numa época em que o Patriarca dificilmente seria desafiado, mormente pelo fato de sua condição de ser o dono de todas as coisas e seus filhos usufrutuários dos bens familiares.
Pela perspectiva religiosa - membro de uma família de fazedores de ídolos e como morador desta cidade localizada ao sul da Babilônia, uma cidade dos caldeus, centro de adoração ao deus-luaNannar ou Sin, onde estava a casa do pai deAbraão, a qual foi ponto de partida da migração de Abraão para a Mesopotâmia e Canaã.
Segundo desafio – Peregrinar. Ao modo do evangelismo da Igreja, Abraão teve que andar proclamando, desde a sua família, passando por terras que não conhecia seu Deus e entre nações o Nome do Senhor, que lhe designara como porta-voz da mensagem. E onde ele estivesse proclamava o Nome.
Podemos ver que Abraão, durante sua jornada, alguns momentos de proclamação do anuncio que lhe fora dado.
Como ele fazia esta tarefa?
4 - Assim, partiu Abrão, como o Senhor lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã.
7 - E apareceu o Senhor a Abrão e disse: À tua semente darei esta terra. E edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera.
8 - E moveu-se dali para a montanha à banda do oriente de Betel e armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR.
Interessante a forma encontrada por Abraão.
Ele proclama o Nome e usa de uma Doutrina que fala deste Nome.
“Fora da Terra, Abraão só pôde ouvir a voz divina (v. 1); mas aqui, na terra destinada a ser dedicada especialmente ao serviço do Senhor, a ele foi concedido também o privilégio de uma visão divina". U. Cassuto, A Commentary on the Book of Genesis (Jerusalem: The Magnes Press, 1964), II, p. 328.
Ele exalta este Nome e sob este Nome ele designa local e ensina que tudo depende deste Nome. Assim, fatos e ocasiões, locais e ocorrências em sua vida passam a serem relacionados com o Nome.
“E, não os achando, trouxeram Jasom e alguns irmãos à presença dos magistrados da cidade, clamando: Estes que têm alvoroçado o mundo, chegaram também aqui; Os quais Jasom recolheu; e todos estes procedem contra os decretos de César, dizendo que há outro rei, Jesus. E alvoroçaram a multidão e os principais da cidade, que ouviram estas coisas.” Atos 17:6-8
Tal qual, nos idos da Evangelização primitiva da Igreja, que relacionava tudo ao santo Nome de Jesus Cristo.
“E fez as suas jornadas do sul até Betel, até ao lugar onde a princípio estivera a sua tenda, entre Betel e Ai; Até ao lugar do altar que outrora ali tinha feito; e Abrão invocou ali o nome do Senhor.” Gênesis 13:3,4
Levanta-te, percorre essa terra, no seu comprimento e na sua largura; porque a ti a darei. E Abrão mudou as suas tendas, e foi, e habitou nos carvalhais de Manre, que estão junto a Hebrom; e edificou ali um altar ao Senhor.” Gênesis 13:17,18
Cada vez que Abraão edificava um Altar ele estava deixando a marca do Evangelho de Deus, naquele lugar. Fazia o trabalho de Evangelista, pois este Nome era desconhecido. Como no caso de Atos dos Apóstolos 17:
“Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens... “Atos 17:23,24
A ordem para Abraão sempre foi: levantar e andar. Isto pode prefigurar o Ide de Jesus aos discípulos, em irem por todo o Mundo pregando as Boas Novas e proclamando seu Nome.
Assim, ocorreu com Abraão. Assim ocorreu com os Apóstolos, com Paulo e Silas. Todos que ouviram do Evangelho do Reino, seja pelo pai, como Abraão, seja pelo Filho, como a Igreja primitiva não se acomodaram, mas aonde iam enchiam o lugar desta Doutrina de Boas-Novas.
“E percorria as cidades e as aldeias, ensinando, e caminhando para Jerusalém.” Lucas 13:22
Abraão por vários meios, mesmo os menos dignos, não deixou de anunciar ao Deus que se lhe revelara. Um Deus que os povos de então não conheciam. E por isto foi abençoado. Esta benção de Abraão está presente na sua Família de Fé, para todos que anunciam o Evangelho do Reino.
“Tendo eles, pois, testificado e falado a palavra do Senhor, voltaram para Jerusalém e em muitas aldeias dos samaritanos anunciaram o evangelho. E o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te, e vai para o lado do sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, que está deserta.” Atos 8:25,26
Abraão ensina Doutrina, em sua Jornada:
Falando com Reis. O encontro com o Rei da Salém provou que Abraão encontrou neste rei, alguém que não perdera a Fé no Deus Altíssimo e comprovou a Abraão a sua existência entre as nações, pois como Paulo disse, na Epístola aos Romanos capítulo 1: “O que de Deus se pode conhecer...
“E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo. E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. Abrão, porém, disse ao rei de Sodoma: Levantei minha mão ao Senhor, o Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terraGênesis 14:18-20;22
Característica do Evangelista

"A missão de Abraão foi uma missão muito difícil. Convencer as pessoas de que o verdadeiro Deus não era um Deus de barro...Abraão anunciou a crença em um só Deus verdadeiro (monoteísmo) em meio a uma geração que acreditava em muitos deuses (politeísmo)."MACKENZIE John L 1984
“Mas os que andavam dispersos iam por toda a parte, anunciando a palavra.” Atos 8:4
“E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém.” Marcos 16:20
A jornada cristã é uma peregrinação. Abraão viveu como peregrino, esperando a cidade de Deus:
“Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra.” Hebreus 11:9-10;13
É por isto, que podemos entender porque Deus enviou Seu filho Jesus Cristo, Aquele esperado por Abrão no futuro, para morrer na cruz e sofrer o castigo pelo pecado humano. Aquele que Abraão esperava é Ele quem pode dar ao homem a justificação necessária para a vida eterna.
Nosso lar permanente não se encontra neste mundo, mas naquele por vir, na presença de nosso Senhor - cf. João 14:1-3. Esta é a mensagem do Novo Testamento - cf. Efésios 2:19, I Pedro 1:17, 2:11.
“E a palavra de Deus crescia e se multiplicava. E Barnabé e Saulo, havendo terminado aquele serviço, voltaram de Jerusalém, levando também consigo a João, que tinha por sobrenome Marcos”. Atos 12:24,25
A tenda é o símbolo do peregrino. A caminhada sem parada em anunciar o Evangelho e assim foi com os que iniciaram a Evangelização, caso de Felipe e dos que se dispuseram, a Evangelizar, como Paulo não tiveram parada certa, mesmo tendo lar e família.
A Importância de Abraão no Novo Testamento.
O Novo Testamento também não diminui a importância da vida e do caráter de Abraão.
Há cerca de 75 referências a ele no Novo Testamento.
1-      Paulo o escolheu como o melhor exemplo de um homem que é justificado diante de Deus pela fé e não pelas obras Romanos 4.
2-     Em Gálatas, capítulo 3, Paulo escreve que os cristãos são “filhos de Abraão” pela fé, e por isso, herdeiros legítimos das bênçãos prometidas a ele Gálatas 3:7-9.
3-     Tiago se refere a ele como um homem que demonstrou sua fé diante dos homens por suas obras Tiago 2:21-23.
4-     O escritor aos Hebreus o cita como exemplo de alguém que andou pela fé, dedicando mais espaço a ele do que a qualquer outro indivíduo no capítulo onze Hebreus 11:8-19.
“Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.” Mateus 1:1
Quando lemos a Genealogia de Jesus no Novo Testamento podemos encontrar a importância do Ide dado a Abraão:
Seqüencialmente podemos notar que ele, Abrão, estava destinado a se tornar bênção para pessoas de todas as nações.
A bênção viria por meio dele de várias formas.
Entendemos, que todos que reconhecessem a mão de Deus sobre ele e seus descendentes, seriam abençoados, pelo contato com eles.
Assim foi com Faraó, ele foi abençoado por exaltar José, com comida em tempo de crise e pela revelação do Senhor a sua Nação, crendo que José falava em nome de um Deus poderoso, o Deus de Abraão.
Pessoas de todas as nações foram e ainda são abençoadas pelas Escrituras que, em grande parte, vieram pela instrumentalidade, e primeiramente do povo judeu [Romanos 3].
Por fim, o Mundo todo [As Nações] seria abençoado pela vinda do Messias, O qual veio salvar pessoas de todas as Nações, não só os judeus:
“Eis aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu eleito, em quem se apraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele; ele trará justiça aos gentios...Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus, ... que dá a respiração ao povo que nela está, e o espírito aos que andam nela. Eu, o Senhor, te chamei em justiça, ... te darei por aliança do povo, e para luz dos gentios. Para abrir os olhos dos cegos, para tirar da prisão os presos, e do cárcere os que jazem em trevas. Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura.” Isaías 42:1-8
Abraão deu uma demonstração de total e irrestrita obediência ao seu Ide.
“Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. Ora, tendo, a Escritura, previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho a Abraão: Em ti, serão abençoados todos os povos. De modo que os da fé são abençoados com o crente Abraão... Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa.” Gálatas 3:7-9;25-29
Ele deixou tudo para trás, ciente, que em obediência deveria buscar o alvo de sua promessa entre as nações, para que fosse encontrado em sua jornada fazendo o que Deus lhe ordenara.
Teologicamente, até a esterilidade de sua esposa Sara foi a indicação do nascimento de um filho primogênito com característica da maravilha de Deus em realizar algo que lhe daria o alcance do poder deste Deus. Em encontrar alguém que fosse derivado da sua semente contrariando toda a impossibilidade física e cronológica. Embora esta semente fosse inicialmente física e da legítima, como diz Paulo, A Sara, e nós fazemos parte dela. Como?
“Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito. Irmãos, como homem falo; se a aliança de um homem for confirmada, ninguém a anula nem a acrescenta. Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência. Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua descendência, que é Cristo.” Gálatas 3:14-16
Sendo Cristo o herdeiro de tudo, não sobrou nada para ninguém?
É onde entra a parte de Abraão, como Pai das Nações e abençoador dos que o abençoam. Pela medida de sua Fé, Deus pelo cumprimento da Sua promessa e Evangelho proclamado a Abraão, proveu um modo de conceder aos homens (a qualquer homem) parte nessa herança, cuja condição sine qua non para ser co-herdeiro é crer em Cristo como seu único e suficiente Salvador, tornando-se assim um filho de Abraão - Gálatas 3:7, porque todos os que quiseram se autoproclamar filho de Abraão, foram reprovados pelo Senhor Jesus, conforme João 8:39,40
Conforme dissemos, tornamos a repetir: É condição indispensável para ser filho de Abraão crer em Jesus Cristo.
Em Cristo são quebradas as barreiras étnicas embora, pois Jesus sendo filho de Abraão se tornou o Primogênito dos Salvos e formando a família da Fé, dos que, como Abraão, creram em suas Palavras.
“Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio” Efésios 2:14
“Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra.” Êxodo 19:5
“E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão e herdeiros conforme a promessa.” Gálatas 3:29
Pedro corrobora esta visão, quando anuncia a escolha de uma geração eleita para anunciação do Evangelho, que podemos inferir da mesma espécie e tipo da chamada e eleição de Abraão:
“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” 1 Pedro 2:9
Se Abraão não tivesse crido, a história religiosa da humanidade teria tido outro curso?
A fé de Abraão foi – evidentemente não no sentido absoluto, mas dentro dos limites da liberdade humana respeitada por Deus – uma conditio sine qua non para que houvesse uma história da salvação, com seus inícios em Israel e com seu complemento histórico em Jesus de Nazaré.
O cumprimento da promessa de Deus, no Proto-Evangelho de Gênesis 3:15 se tornou cada vez mais seletivo. O Redentor devia vir do descendente da mulher -Gênesis 3:15 -, depois dos descendentes de Sete, de Noé e então de Abraão -Gênesis 12:2-3.
Fonte:
O Chamado de Abrão (Gênesis 11:31 - 19:9) – Biblia Org; Tradução e revisão: Mariza Regina de Souza; FROM THE SERIES: GÊNESIS: DO PARADISE AOS PATRIARCHS; Robert L. (Bob) Deffinbaugh graduated from Dallas Theological Seminary with his Th.M. in 1971. Bob is a pastor/teacher and elder at Community Bible Chapel in Richardson.
Bíblia Explicada
Bíblia Dake
Texto Complementar – Abraão – Curso de Teologia pastoral
Apontamentos do Autor
Citações no corpo do Estudo
Algumas fotos obtidas no site da AD Pernambuco

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical