sábado, agosto 9

OS PERIGOS DA AMBIÇÃO - LIÇÃO 06-CPAD


OS PERIGOS DA AMBIÇÃO

Lição 06 –CPAD – 10/08/2008 Autor: Osvarela
http://estudandandopalavra.blogspot.com

Texto Áureo: Rm. 12.16: Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes;não sejais sábios em vós mesmos.

Defina sua ética quanto antes possível. A ambição não pode

antecedê-la, é ela que tem de preceder à sua ambição.

Stephen Kanitz

Glossário:

am.bi.tio: 1. (originalmente) o ato de andar pedindo votos; e, por extensão: 2. ambição;3. vaidade;4. pretensão

A expressão hebraica objeto de nossa análise é re'ût rûach,composta de dois substantivos ligados numa relação de genitivo.

O primeiro, re'ût, significa "ambição, esforço", enquanto o segundo, rûach, tem vários sentidos, dentre os quais "ar, brisa,fôlego, espírito". Sobre a etimologia de re'ût, temos o comentário de HC, quando diz que a ele "subjaz (...) um verbo ra'a: 'pastar', 'nutrir-se de pasto', 'alimentar-se', numa primeira acepção; complementarmente, por associação a uma raiz aramaica, 'ir atrás', 'esforçar-se por', 'anelar'" (Campos, 1991,p. 37, itálico como no original). "sofreguidão, avidez, ambição", o que viria ao encontro do vocábulo hebraico re'ût. "Vento", além de sua acepção concreta, significa "coisa vã, vazia ou fugaz", semelhante a seu sentido hebraico.

Ambição é um termo semelhante a ganância. Ambição é um desejo ganancioso específico que a pessoa ambiciosa tem por algo grande e planeja conquistar, muitas vezes não se importando em prejudicar os outros. ...Ambição e

Ambição é um termo semelhante a ganância. Ambição é um desejo ganancioso específico que a pessoa ambiciosa tem por algo grande e planeja conquistar, muitas vezes não se importando em prejudicar os outros. Enquanto ganância é o desejo genérico de coisas grandiosas, como fortuna, glória, honrarias e poder, não tendo algo planejado, mas quer coisas demais.

Ganância é um sentimento humano negativo que se caracteriza pela vontade de possuir somente para si próprio tudo o que existe. É um egoísmo excessivo direcionada principalmente à riqueza material, nos dias de hoje pelo dinheiro. Contudo é associada também a outras formas de poder, tal qual influencia às pessoas de tal maneira que seus praticantes chegam ao cúmulo de corromper terceiros e se deixar corromper, manipular e enganar chegando ao extremo de tirar a vida de seus desafetos.

No cristianismo, é o pecado capital a avareza.

"Ambição é o caminho para o sucesso.

Persistência é o veículo no qual se chega lá."

Haveria "Ambição na medida certa"?

- Ambição na medida certa[Nota do editor:ótica do homem natural sem Cristo]

Experimente parar um pouco para pensar nas características que um profissional deve ter para ter sucesso no mercado de trabalho. É provável que a sua lista seja bem parecida como esta:

· capacidade para gerar resultados

· coragem para assumir riscos

· persistência

· determinação

· disposição para aprender

· competitividade

· liderança

Ou, em outras palavras, AMBIÇÃO.

A mitologia grega já deixava isso claro na história de Dédalo e seu filho Ícaro? Dédalo sonhava em voar como um pássaro. Não apenas sonhou, como produziu asas feitas de cera e cobertas por penas. Com elas, ele e o filho ganharam os céus. O que aconteceu em seguida é a parte mais conhecida da história: Ícaro, exultante com o vôo e querendo subir cada vez mais alto, ignorou a recomendação do pai para não se afastar. Voou para muito perto do sol e encontrou a morte quando suas asas derreteram por causa do calor.

O mito de Ícaro é uma metáfora de como sua ambição pode levar você ao fracasso. No entanto, assim como no mito, se você souber dosá-la sua ambição pode levá-lo aos céus[NOTA DO EDITOR:PENSAMENTO DO MUNDO NATURAL].

Achei o texto, abaixo de autoria de Stephen Kanitz, renomado palestrante e consultor de mercado, articulista, e achei-o excelente, não quanto a definição de ambição, mas, quanto as considerações sobre a qualidade da ambição, mesmo sendo um autor secular, ele coloca a ambição ao dinheiro como a mais pobre, se isto é possível, das ambições.Diz ainda que encontrou entre os ricos e poderosos os ávidos pelo poder e com ampliada ganância, as pessoas mais infelizes com as quais conviveu.

Coloca a questão ética que é um ponto quase central na discussão e entendimento sobre a ganância, inclusive entre nós os evangélicos.

Quantos entre nós que estão só esperando um deslize de um irmão ou pastor ou dirigente do coral, para apontar o dedo e condena-lo, com uma única finalidade apossar-se da sua posição.

Quantos evangélicos que, maliciosamente, atuaram por detrás dos bastidores de uma convenção, de uma votação em Igrejas, para cabalar, votos suficientes, para ser eleito membro de um conselho ou de uma comissão de destaque.

Lembra-se da primeira definição da palavra ambição:

Andar pedindo votos simboliza, andar atrás de algo que lhe leve ao poder é o mesmo que andar atrás de uma conquista difícil, ainda que isto, lhe arranhe a alma moralmente, e neste ponto tenho que concordar com Sthephen, o pudor e a ética tem andado muitas vezes longe de certos ambiente cristãos.

Mais leia o artigo, à seguir


Ética

Ambição é tudo o que você pretende fazer na vida. São seus objetivos, seus sonhos, suas resoluções para o novo milênio. As pessoas costumam ter como ambição ganhar muito dinheiro, casar com uma moça ou um moço bonito ou viajar pelo mundo afora. A mais pobre das ambições é querer ganhar muito dinheiro, porque dinheiro por si só não é objetivo: é um meio para alcançar sua verdadeira ambição, como viajar pelo mundo. No fim da viagem você estará de volta à estaca zero quanto ao dinheiro, mas terá cumprido sua ambição.

As pessoas mais infelizes que eu conheço são as mais ricas.

Quanto mais rico, mais infeliz.

Nunca me esqueço de um comentário de uma copeira, na casa de um empresário arquimilionário, que cochichava para a cozinheira: "Todas as festas de rico são tão chatas como esta?" "Sim, todas, sem exceção", foi a resposta da cozinheira.

De fato, ninguém estava cantando em volta de um violão. Os homens estavam em pé numa roda falando de dinheiro, e as mulheres numa outra roda conversavam sobre não sei o que, porque eu sempre fico preso na roda dos homens falando de dinheiro.

Não há nada de errado em ser ambicioso na vida, muito menos em ter "grandes" ambições.

As pessoas mais ambiciosas que conheço não são os "pontocom" que querem fazer um IPO (sigla de oferta pública inicial de ações) em Nova York.

São os líderes de entidades beneficentes do Brasil, que querem "acabar com a pobreza do mundo" ou "eliminar a corrupção do Brasil". Esses, sim, são projetos ambiciosos.

Já ética são os limites que você se impõe na busca de sua ambição.

É tudo que você não quer fazer na luta para conseguir realizar seus objetivos.

Como não roubar, mentir ou pisar nos outros para atingir sua ambição. A maioria dos pais se preocupa bastante quando os filhos não mostram ambição, mas nem todos se preocupam quando os filhos quebram a ética. Se o filho colou na prova, não importa, desde que tenha passado de ano, o objetivo maior.

Algumas escolas estão ensinando a nossos filhos que ética é ajudar os outros.

Isso, porém, não é ética, é ambição. Ajudar os outros deveria ser um objetivo de vida, a ambição de todos, ou pelo menos da maioria. Aprendemos a não falar em sala de aula, a não perturbar a classe, mas pouco sobre ética. Não conheço ninguém que tenha sido expulso da faculdade por ter colado do colega. "Ajudar" os outros, e nossos colegas, faz parte de nossa "ética". Não colar dos outros, infelizmente, não faz.

O problema do mundo é que normalmente decidimos nossa ambição antes de nossa ética, quando o certo seria o contrário.

Por quê? Dependendo da ambição, torna-se difícil impor uma ética que frustrará nossos objetivos. Quando percebemos que não conseguiremos alcançar nossos objetivos, a tendência é reduzir o rigor ético, e não reduzir a ambição.

Monica Levinski, uma insignificante estagiária na Casa Branca, colocou a ambição na frente da ética, e tirou o Partido Democrata do poder, numa eleição praticamente ganha, pelo enorme sucesso da economia na sua gestão.

Definir cedo o comportamento ético pode ser a tarefa mais importante da vida, especialmente se você pretende ser um estagiário.

Nunca me esqueço de um almoço, há 25 anos, com um importante empresário do setor eletrônico. Ele começou a chorar no meio do almoço, algo incomum entre empresários, e eu não conseguia imaginar o que eu havia dito de errado.

O caso, na realidade, era pessoal: sua filha se casaria no dia seguinte, e ele se dera conta de que não a conhecia, praticamente. Aquele choro me marcou profundamente e se tornou logo cedo parte da ética na minha vida: nunca colocar minha ambição na frente da minha família.

Defina sua ética quanto antes possível. A ambição não pode antecedê-la, é ela que tem de preceder à sua ambição.

Publicado na Revista Veja edição 1684 ano 34 no 3 de 24 de janeiro de 2001.

http://www.kanitz.com.br/veja/ambicao_e_etica.asp

I - Afinal devemos buscar ou não coisas melhores.

No aspecto contido nos Evangelhos sobre a carreira ministerial o Apóstolo Paulo dedica trecho de suas cartas para incentivar ao Obreiro, no caso os diáconos, e aos crentes buscarem:

Quem almeja o Episcopado, boa coisa almeja.

Buscai os melhores dons

Parece uma forma contraditória de incentivo ao cristão.

Em nossos dias o que mais vemos e é criticado por muitos, ou quase todos, obreiros buscando uma melhor posição e sendo tachados de ambiciosos.

Afinal quem está certo?

Este é um tópico que tem sido relevante na Igreja.

A questão de ascensão no ministério tem sido um dos grandes obstáculos para muitos de nós, obreiros.

Para alguns que se dedicam fielmente é natural, o crescimento e ascensão, pois, como eu sempre digo, a própria Igreja "vê" a atuação e dedicação do Obreiro e o qualifica para posições melhores.

Ao próprio Obreiro biblicamente lhe é permitido pensar em coisas melhores em seu ministério. Porque Paulo coloca entre orientações pontuais e comportamentais esta expressão?

I Tm. 3. 3,13: ESTA é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.

Porém, o que vemos nos dias de hoje, é um quadro que tem trazido, ao meio evangélico, uma posição, que nos remete ao pensamento da lição, "O perigo da Ambição".

I- a - Ambição episcopal aliada à ambição financeira.

O obreiro começa, muito bem, a sua carreira no ministério, e aos poucos passa a ser um pregador conhecido além das fronteiras de sua Igreja, bairro, município, e neste tempo humildemente recebe, ofertas voluntárias ou custo da gasolina, das Igrejas, por onde passa. Progride, até ser convidado para pregar em algum congresso conhecido em nível nacional e depois disto, muitos, já se acham no direito de cobrar das Igrejas, que lhe convidam, verdadeiros cachês, incluindo:

- hotel, avião, mesa farta; soube (por meio de meu sobrinho, membro ativo do louvor da Igreja, onde ocorreu o fato) que um destes "famosos" que teve a ousadia, de, sem permissão do pastor, d'onde pregava, pedir durante o movimento de sua pregação, que todos os presentes ofertassem, ao seu ministério e levou toda a oferta recolhida, além da que acertara com o pastor local.

Isto é ambição, no seu estado mais pernicioso, pois o obreiro que, deveria ensinar exatamente contra a ambição, se deixou levar por ela.

Fp. 1.15.ss : Verdade é que alguns pregam a Cristo até por inveja e contenda, mas outros o fazem de boa mente; estes por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho; mas aqueles por contenda anunciam a Cristo, não sinceramente...

Paulo ensina-nos, à cerca disto em nosso tempo:

I Tm.6.5.ss: disputas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade é fonte de lucro; e, de fato, é grande fonte de lucro a piedade com o contentamento. Porque nada trouxe para este mundo, e nada podemos daqui levar; tendo, porém, alimento e vestuário, estaremos com isso contentes. Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição. Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas...

I – b - Onde acabam estes homens?

Muitos simplesmente desaparecem ou entram em outras searas do mundo evangélico ou do mundo de negócios, esquecendo-se daquilo para que foram chamados (quando escrevo isto, não estou generalizando, mas, apenas fazendo uma constatação, porque sempre há, graças a Deus, muitas exceções e boas exceções).

Mc. 4. 19: Mas os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e a cobiça d'outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.

Lembro-me de ter lido o depoimento de uma pregadora que iniciou, como um furacão e caiu neste modo de viver, e depois em situação muito pior. Ela própria declarou que, tinha um automóvel BMW, conta bancária alta, tudo, produto da venda de DVD's, Cd's, participações, e não tinha nem mais tempo para orar e preparar mensagem, daí para a queda, foi um pulo, queda como fruto de ambição.

Estes exemplos valem para os chamados "levitas", lembro-me de uma "famosa" cantora de SP, que esteve em um dos Congressos de nossa Igreja e se recusou a comer na casa de uma de nossas membros, se recusou a usar a nossa hospedagem, fora outras exigências, tudo era espaço "inferior" a sua "fama". Está contaminada pela fama e pela Ambição, e já não é mais uma adoradora e sim uma cantora famosa.

No fundo nós somos responsáveis, pela "idolatria", à estes homens e mulheres que assim agem, colaborando para que aconteça como aconteceu com Gideão.

JUÍZES 8. 22.ss: Então os homens de Israel disseram a Gideão: Domina sobre nós, assim tu, como teu filho, e o filho de teu filho; Gideão, porém, lhes respondeu: Nem eu dominarei sobre vós, nem meu filho, mas o Senhor sobre vós dominará[uma aparente humildade, quando no coração, ambiciosamente ele "sentia necessidade" de demonstrar sua qualidade e ser lembrado como alguém especial]. Disse-lhes mais Gideão: uma petição vos farei: dá-me, cada um de vós, as arrecadas do despojo....Ao que disseram eles: De boa vontade as daremos. E estenderam uma capa, na qual cada um deles deitou as arrecadas do seu despojo. E foi o peso das arrecadas de ouro que ele pediu, mil e setecentos siclos de ouro, afora os crescentes, as cadeias e as vestes de púrpura que os reis de Midiã trajavam, afora as correntes que os camelos traziam ao pescoço. Disso fez Gideão um éfode, e o pôs na sua cidade, em Ofra; e todo o Israel se prostituiu ali após ele; e foi um laço para Gideão e para sua casa.

Quantos Gideões estão por este Brasil, afora, pedindo "humildemente" ao povo, o reconhecimento de "seu" trabalho?

I – c - O poder e o ministério:

Sou filho de um saudoso, pastor-presidente e primeiro pastor de uma Igreja no Rio de Janeiro (consagrado e empossado pelo, também, saudoso pastor Alcebíades Pereira de Vasconcelos), hoje um grande ministério e sei como é duro deixar um ministério como jubilado ou ser transferido de ministério, ou até mesmo de uma Congregação, que você dirigiu com zelo por anos ou períodos longos, o povo te conhece, gosta de você, de um grande para um pequeno, o que também já passei e senti na minha, própria vida ministerial.

Porém, muitos têm se arraigado em Igrejas, com transferência hereditária,, da direção da Igreja, sendo jubilados com altos salários, pois se tornaram escravos do estilo de vida, adotado durante seu ministério [estou longe, de criticar aqueles que servem a Deus, e reconheço, que devem, sim, ser muito bem cuidados, pela Igreja, por causa de uma vida dedicada ao Altar e à Igreja, afinal, são anos à fio de dedicação e muitos sofreram antes de chegar a esta posição, e não devem ser jogados em um catre, após servirem honestamente à Deus, ou sua família, ou viúva esquecida, em um canto escuro de alguma rua de chão batido], mas, muitos acabam deixando a sensação do poder, das fotos fácil, das aparições concorridas em convenções e assembléias, do acesso a autoridades de estado (digo isto, após ter participado da vida pública, no Executivo, de meu município, e visto isto ocorrer e sei que o poder é algo contaminador e deformador de personalidades e até caráter em alguns casos) tomar conta de suas vidas.

Outros por ambição criam, verdadeiras arapucas para seus pares, a fim de conseguir a liderança ou status de grande líder.

I Co.11. 19: E até importa que haja entre vós facções, para que os aprovados se tornem manifestos entre vós.

Muitos o fazem até por achar que sem eles a Obra de Deus vai cair, é algo quase, messiânico, que eles vêem em suas vidas, como Elias, "só eu fiquei, Senhor", "eu fui escolhido para esta Obra", ou uns até de boa mente: "a minha saída vai prejudicar o irmão fulano, a irmã tal, quem vai cuidar deles..." e não percebem que estão diante do perigo eminente da Ambição, atuando por detrás desta posição e a Obra de Deus, que poderia crescer, estagna ou não cresce aquilo que deveria crescer.

É quase um a síndrome de Elias;

I Rs.19. 13.ss: ...Que fazes aqui, Elias? Respondeu ele: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor Deus dos exércitos; porque os filhos de Israel deixaram o teu pacto, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada; e eu, somente eu, fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem.

Que Deus nos livre desta ambição do Poder, em detrimento da causa que abraçamos, todo poder pertence, à Deus e a Ele Glória.

Lembro-me que há décadas atrás, a Igreja sofreu muitíssimo, com muita ambição de conquista do Episcopado. Muitos se arvoraram líderes com pretensões maiores do que a capacidade pessoal, e ministerial, algumas foram ações construídas sobre o peso da vida pessoal e financeira, de tal forma, que até a Casa Publicadora, quase veio a falir, aliás, esteve falida, só não fechou as portas porque alguns verdadeiros homens de Deus colocaram os braços na Obra.

I - d - O poder pode levar a destruição:

Ap. 18.14: Também os frutos que a tua alma cobiçava foram-se de ti; e todas as coisas delicadas e suntuosas se foram de ti, e nunca mais se acharão.

No momento atual vemos disputas internas que, parecem mais movidas à ambição e falta de desapego ao status e poder e que mais uma vez causam danos na Comunhão das Igrejas.

I - e - Reconhecendo o senhorio de Cristo, em tudo:

I CORINTIOS 3.3.ss: porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; não sois apenas homens? Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um? Eu plantei; Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. De modo que, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, uma só coisa é o que planta e o que rega; e cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho. Porque nós somos cooperadores de Deus.

Iniciei este texto utilizando o pensamento que orienta o Mundo nestes dias e que não pode, de maneira alguma, ser aceito pela Igreja.

Romanos 12.1,2: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

II – Como combater a Ambição do mundo que entra na Igreja:

O versículo acima serve para o contexto superior deste discurso, como para ete posterior.

Ou somos sarados pela Palavra de Deus ou nos conformamos com este Mundo:

O pensamento destacado hoje no mundo secular jamais será parâmetro para nós Igreja.

O mundo pensa e age, sob a máxima que, não vale para a Igreja:

"Ambição é o caminho para o sucesso.

Persistência é o veículo no qual se chega lá."

(Bill Eardley)

Para ser um bom líder é preciso ter muita ambição
Se você não tiver ambição será um fracassado ou se você não tiver ambição está descartado do mercado de trabalho.
Preza-se mais, a ambição do que objetivo, ou confunde-se ambos como uma só coisa, conclui o pensador.

Isto tem afetado, nossos jovens membros que, entram no mercado de trabalho e se vêem sob esta falível proposta, do mundo empresarial, que através da Ambição alcançarão, o sucesso e posições, o pior, é que inexoravelmente, isto tem avançado sobre a Igreja e sendo colocado em prática, na formação de algumas Igrejas, com administrações empresarias em busca de resultados: ou você consegue resultado que, faça a sua Igreja crescer ou o pastor coloca outro em teu lugar, você tem que conseguir pagar, aluguel, luz...da congregação, não será tão importante, quantas almas se entregaram a Jesus. Infelizmente, isto tem ocorrido em muitas igrejas.

Porém, lembre-se que: há ainda, boas e grandes Igrejas, e ainda são maioria movidas pelo Espírito Santo, glória a Deus.

II – a -Por quê ocorre a Ambição?

A resposta que só encontramos na Bíblia.

Primeiro:

Prov. 11.28: Aquele que confia nas suas riquezas cairá; mas os justos reverdecerão como a folhagem.

Prov. 11. 25: O cobiçoso levanta contendas; mas o que confia no senhor prosperará.

O pensamento do mundo está dominado e calcado, pelo pensamento do príncipe deste mundo:

EFÉSIOS 2.1.ss: Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência, entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos;

Subir mais alto que puder, se possível passar o que foi mais alto e assentar-se na cadeira dele.

Pensamento maligno.

Falta-lhes o pensamento teológico em suas vidas, ao qual ninguém está disposto a se submeter, com receio que as palavras de Jesus em Mateus capítulo 5, sejam-lhes um entrave na sua ambição de conquista.

Is. 14. 13,14: E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; subirei acima das alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.

Jr. 17.5: Assim diz o Senhor: Maldito o varão que confia no homem, e faz da carne o seu braço...

II – b -Vencendo a Ambição:

Pensamento teológico, calcado na presença de Deus em nossas vidas.

Salmos 21.7: Pois o rei confia no Senhor; e pela bondade do Altíssimo permanecerá inabalável.

Salmos 21.5: Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará.

Ef.5.3: Mas a prostituição, e toda sorte de impureza ou cobiça, nem sequer se nomeie entre vós, como convém a santos.

Deixemos a Bíblia falar:

I Co. 10. 3,6-23: e todos comeram do mesmo alimento espiritual; beberam todos da mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os acompanhava; e a pedra era Cristo.Mas Deus não se agradou da maior parte deles; pelo que foram prostrados no deserto. Ora, estas coisas nos foram feitas para exemplo, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Aquele, pois, que pensa estar em pé, olhe não caia. Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resisti. Todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas edificam. Ninguém busque o proveito próprio, antes cada um o de outrem.

II – c - Os próprios discípulos não entenderam que a Ambição era um mal:

Marcos 9 . 33.ss: E chegou a Cafarnaum e, entrando em casa, perguntou-lhes: Que estáveis vós discutindo pelo caminho?Mas eles calaram-se; porque pelo caminho tinham disputado entre si qual era o maior. E ele, assentando-se, chamou os doze, e disse-lhes: Se alguém quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o servo de todos.

A ambição dos discípulos era a cupidez reinante entre os judeus, tanto mais que se encontravam premidos sob a bota romana. Todos os judeus esperavam um messias triunfador político. Além disso, os apóstolos não haviam sido testados pelo fogo do Espírito Santo e muitas das coisas que Jesus dizia, os deixava confusos. Quando não compreendem, não perguntam por medo, e quando Jesus os interroga, esquivam-se a responder por vergonha da conversa havida no caminho.

II – c - A falta de desapego a fortuna e ao dinheiro é marca da Ambição velada no coração:

Mt.5.3: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;

I Tm.6.10: Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. O mesmo ocorreu com aquele homem que procurou Jesus, não conseguiu desprender-se da sua fortuna porque elas eram fruto de sua ambição.

Lucas 18.18.ss: E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?... Jesus lhe disse: Por que me chamas bom?...E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me. Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico. E, vendo Jesus que ele ficara muito triste, disse: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!

E os que ouviram isto disseram: Logo quem pode salvar-se? Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus. E disse Pedro: Eis que nós deixamos tudo e te seguimos. E ele lhes disse: Na verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou pais, ou irmãos, ou mulher, ou filhos, pelo reino de Deus, Que não haja de receber muito mais neste mundo, e na idade vindoura a vida eterna.

Observe como a posição do jovem era, certa forma, já à época de Cristo, uma posição que mesmo os discípulos, entendiam que isto era natural na vida do homem, ter ambição, como o jovem: alguém que tinha tudo pelo poder da conquista, posição, dinheiro, bens materiais e outros tantos.

Is.26. 3: Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.

Isto fica claro, quando o moço se afasta triste e Jesus se volta para seus discípulos, com as palavras seguintes, do texto.

Por inferência, notamos que eles ainda tinham aspirações da conquista, se não própria, mas, pela ação do próprio Mestre, em suas vidas, ou por andarem com Ele, como um doador de bens materiais, um conquistador. Mesmo andando com Cristo, o pensamento deles – discípulos - ainda era guiado pelo pensamento do bem material e não do bem espiritual, de tal forma, que a expressão deles foi de terror ao constatarem que o seu modelo, ali representado pelo príncipe da sinagoga, fora condenado pelo Senhor Jesus.

Você já deve ter notado que este paralelo está estabelecido em nosso meio. Cada dia mais, tomando forma surpreendente, que sufoca a Igreja, desde o púlpito até a membresia, criando "doutrinas" e comportamentos sobre este mal: Ambição.

Conclusão:

Deixemos toda a ambição e entendamos que, perseverar é bíblico, mas, nem tudo que conquistamos, será fruto de nossas próprias forças, e mais, a justiça folga com a verdade.

O mundo cristão necessita do entendimento teológico, e não do entendimento prático da disputa do poder humano.

Inferimos pelo texto áureo:

Justiça, juízo, verdade, comunhão, providência divina devem andar juntos com nossos projetos, pessoais, familiares, e ministeriais, afim que o nome de Deus seja glorificado em nossas vidas.

Fonte:

Bíblia tio Sam – digital;

Bíblia ACRFiel

Lição CPAD

Bill Eardley)

REVISTA Veja – edição 11684 n.º34/2001

Doutor Stephen Charles Kanitz, paulista, é um consultor de empresas e conferencista brasileiro, mestre em Administração de Empresas da Harvard Business School e bacharel em Contabilidade pela Universidade de São Paulo.

Catho.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical