sexta-feira, março 20

PRESERVANDO A PALAVRA DO SENHOR-LIÇÃO 12-CPAD

PRESERVANDO A PALAVRA DO SENHOR

Lição 12 – CPAD – Autor: Osvarela

Texto Áureo:

Josué 24.14: “Agora, pois, temei ao Senhor e servi-o com sinceridade e com verdade...”

Leitura Bíblica em classe:

Josué 23.1-6

Texto devocional:

Jr. 1. 12: Então me disse o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir.

Preservar:

Livrar-se de algum mal, ou dano.

Resguardar-se

Defender.

Preservar é:

Manter

Conservar

Manter sem adulteração teológica.

A-Base devocional:

Rm 3.1,2: Que vantagem, pois, tem o judeu? ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em todo sentido; primeiramente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus.

I-Preservação Histórica:

A Palavra de Deus por ser Eterna é por si mesmo conservada, mas a sua Preservação como doutrina no Mundo e no nosso interior [Sl.119. 11: Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.]é fundamental para nossas vidas e para o próprio Mundo, pela ação conservadora de sua Proclamação.

Como estudioso da Bíblia Sagrada temos procurado, buscar, ao longo destes anos, um melhor descortínio sobre a preservação da Bíblia ao longo dos séculos.

Muitos sem conhecimento bíblico, crentes ou descrentes têm sido envolvidos na questão histórica da preservação das Escrituras.

Para que o leitor entenda o nosso pensamento, como estudioso da Bíblia Sagrada, somos participantes da corrente conservadora, ou seja, adotamos a ortodoxia como nossa forma de entender a palavra de Deus.

Assim sendo, considere esta posição como a daqueles que crêem na Bíblia, como:

Primeiro:

Ela é a fonte ou principium cognoscendi externum da Revelação Especial são as Escrituras.

Inspirada e, por conseguinte, autoritativa.

Inerrante

infalível

Suficiente

A Revelação está “incorporada na Escritura”, como diz L. Berkhof (Introduccion a la Teologia Sistematica, Grand Rapids: The Evangelical Literature League, 1973, p. 146)

A Bíblia é a Palavra de Deus.

A Bíblia interpreta a própria Bíblia

Não há mitos na Bíblia.

Não aceitamos a discussão temporal ou da escrituração deuteuronomista.

Todos que militam com a Teologia cristã, sabem do desconhecimento sobre a localização dos originais, os chamados Autógrafos.

Com base neste ponto, algumas correntes, principalmente a esquerda teológica, termo utilizado pelo Prof. Dr. Pr. Augustus Nicodemus tem tentado, bombardear as Escrituras, no aspecto “cronos” de sua localização temporal.

Este ataque atinge pontualmente as Escrituras utilizadas como base, no Tema deste 1 º trimestre de 2009, bem como, o seu contexto mais distante, anterior ou posterior de conteúdo deuteuronomista.

Sob esta ótica liberal, alguns ensinadores cristãos, colocam em dúvida:

A existência de Jericó, à época dos eventos que estudamos

A própria escrituração dos livros estudados neste trimestre, ainda que indiretamente, como contextuais.

A saída de uma multidão de hebreus do Egito

E por aí afora vai a incredulidade latente destes teólogos, a ponto de um catedrático de certa Universidade denominacional afirmar que, não está mais propenso a ensinar sobre o Pentateuco, quanto ao trecho da história dos hebreus.

Não pode haver dúvidas de que, ao longo de sua história, a Igreja do Senhor Jesus Cristo foi comissionada a manter um ponto de vista sobre a inspiração que, para a maioria dos cristãos, implicava em inerrância, mesmo quando o termo não era usado.

II-A Preservação ao longo dos séculos:

É fundamental acreditarmos nisto:

Todos possuirmos um texto exato e fidedigno das Escrituras Sagradas.

Estou fazendo questão de ressaltar esta posição para que você que vai ensinar no domingo saiba, que o Livro que temos é um livro digno de toda aceitação e credibilidade.

A questão de Preservação:

A lição desta semana nos dá uma orientação segura, de como, devemos preservar os ditames bíblicos, de maneira que os recebemos pelos nossos antepassados, digo isto em relação à Igreja.

A própria definição da palavra, nos orienta sobre o encargo que Josué colocou diante dos hebreus:

Seriam eles os defensores das Escrituras, para que esta não sofresse dano.

Por conseguinte a preservação dos Mandamentos resultaria em livra-los de todo o mal que sobreviesse sobre eles tanto como confederação [tribos], nação e individualmente.

Extraímos uma lição deste trecho, a preservação é uma obrigação individual, coletiva e cada indivíduo per si, é responsável por ela.

Preservar a Palavra para viver:

É uma obrigação vital para a Igreja guardar a Palavra de Deus, isto nos garante vida, nas palavras santas do Salvador, Jesus Cristo.

Queremos viver?

Guardemos ou preservemos as suas Santas Palavras.

João 8.51: Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte.

Preservar a Palavra é amar a Deus:

João 14.15.ss: Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada...

Por isto, Elias clamou:

I Rs.19. 10: Respondeu ele: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor Deus dos exércitos; porque os filhos de Israel deixaram o teu pacto, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada; e eu, somente eu, fiquei...

Ou Neemias declara:

Ne. 9. 26: Não obstante foram desobedientes, e se rebelaram contra ti; lançaram a tua lei para trás das costas, e mataram os teus profetas...

O Evangelista Marcos declara as Palavras de Jesus, no texto abaixo, numa crítica atualíssima, algumas Igrejas ditas cristãs têm colocado a Tradição ao mesmo nível das Escrituras....

Mc.7. 7. ss: mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. Vós deixais o mandamento de Deus, e vos apegais à tradição dos homens.Disse-lhes ainda: Bem sabeis rejeitar o mandamento de Deus, para guardardes a vossa tradição.

“Preservar os Mandamentos de Deus, entre o povo representava preservar a Própria Nação”.

Osvarela

Este é o ponto fulcral desta Lição 12:

a-Não há outra saída:

Ou preservamos a Palavra de Deus, sem mutilações, e assim preservamos nossas vidas, ou não a preservamos pura e estaremos condenados a morrer espiritualmente, definhando a cada dia!

Quando a Bíblia nos diz no Salmo 119.105: Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho, o salmista está transcrevendo de forma matafórica e ao mesmo tempo real, o que ocorre com aqueles que preservam a Palavra de Deus, no seu interior [Dt.30. 14 .ss:Mas a palavra está mui perto de ti, na tua boca, e no teu coração, para a cumprires. Vê que hoje te pus diante de ti a vida e o bem, a morte e o mal. Se guardares o mandamento que eu hoje te ordeno de amar ao Senhor teu Deus, de andar nos seus caminhos, e de guardar os seus mandamentos, os seus estatutos e os seus preceitos, então viverás, e te multiplicarás, e o Senhor teu Deus te abençoará na terra em que estás entrando para a possuíres.], ou seja, eles também são preservados.

Este era o uso que os hebreus deveriam dar ao conteúdo do conjunto das Leis de Deus.

Ele seria o guia que descortinaria o invisível no dia-a-dia da nação hebréia.

Seria a luz no mais profundo negrume [Dn.2. 22: Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.];

Na hora que não sabemos o que nos espera a Palavra de Deus, preservada por nós em nossos corações, nos guiará qual um farol no mar tenebroso da vida.

Era desta forma que Deus queria que a nação de Israel entendesse a necessidade da preservação da Sua Palavra!

Ele já havia dado mostra suficiente do poder de suas palavras.

b-Pela sua Palavra:

Js.24. 11: E quando vós, passando o Jordão, viestes a Jericó, pelejaram contra vós os homens de Jericó...; porém os entreguei na vossa mão...E eu vos dei uma terra em que não trabalhastes, e cidades que não edificastes, e habitais nelas; e comeis de vinhas e de olivais que não plantastes. Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade;

Israel saqueou o Egito;

Pela sua Palavra foram preservados no deserto [Nm.20.8: Toma a vara, e ajunta a congregação, tu e Arão, teu irmão, e falai à rocha perante os seus olhos, que ela dê as suas águas. Assim lhes tirarás água da rocha, e darás a beber à congregação e aos seus animais.];

Pela poder da palavra, eles viram os muros de Jericó, ruírem;

Pelo poder da Palavra despojaram a Ai;

Pelo poder da Palavra se apossaram do que não construíram, não edificaram, não plantaram.

Js.25. 3: e vós tendes visto tudo quanto o Senhor vosso Deus fez...porque é o Senhor vosso Deus que tem pelejado por vós.Vede que vos reparti por sorte estas nações que restam, para serem herança das vossas tribos...desde o Jordão até o grande mar para o pôr do sol. E o Senhor vosso Deus as impelirá, e as expulsará de diante de vós; e vós possuireis a sua terra, como vos disse o Senhor vosso Deus.

Se continuassem preservando e obedecendo a Palavra de Deus teriam extinguido seus inimigos, os expulsados e jamais os veriam, mas...aí já é outro assunto.

III-Preservação das Escrituras por Deus:

Os versículos citados como devocionais demonstram a importância de cunho histórico-divina que, os hebreus tinham em relação a Palavra ou Mandamentos, ou ainda, como diz o Apóstolo Paulo, os Oráculos divinos, que à eles fora confiado como guardiões destes mandamentos divinos.

Tal responsabilidade era de tal ordem que, os dois primeiros líderes se mantiveram na mesma linha de ação quanto a necessidade da preservação destes oráculos.

Moisés, bem como, Josué entenderam a vital importância da conservação da Palavra das Escrituras, como:

Agente vivificador,

Agente condutor,

Agente conservador,

Agente da liberdade seja espiritual, ou como nação, entre povos inimigos,

Como agente da preservação da nação,

Como agente da garantia do futuro de Israel como nação,

E por fim:

Como agente da proclamação da ação de Jeová sobre a Terra.

Neste aspecto o Apóstolo Paulo é divinamente inspirado para, nos levar ao entendimento profundo desta obrigação divino-constitucional ímpar a qualquer nação do Mundo, para com Israel.

Nós como Igreja herdamos este dever Preservacionista dos Oráculos de Deus, agora incluídos ás outras Escrituras, e temos que ter muito cuidado, quanto á esta atividade essencial para a vida da Igreja, e em sendo desta maneira, somos os Proclamadores, sem tirar o direito, inicial de Israel, que nunca lhes será tirado, atuais do Godspel Divino para todos os moradores da Terá e na Igreja de Cristo [não estamos falando de denominações], devemos transparecer as grandes realizações de Deus.

Rm 11.1.ss: Pergunto, pois: Acaso rejeitou Deus ao seu povo? De modo nenhum; por que eu também sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim. Deus não rejeitou ao seu povo que antes conheceu. Logo, pergunto: Porventura tropeçaram de modo que caíssem?...De maneira nenhuma, antes pelo seu tropeço veio a salvação aos gentios, para os incitar à emulação. Ora se o tropeço deles é a riqueza do mundo, e a sua diminuição a riqueza dos gentios, quanto mais a sua plenitude! E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado no lugar deles e feito participante da raiz e da seiva da oliveira, não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti. Dirás então: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu pela tua fé estás firme...; porque, se Deus não poupou os ramos naturais...para com os que caíram, severidade; para contigo, a bondade de Deus, se permaneceres nessa bondade; do contrário também tu serás cortado...porque poderoso é Deus para os enxertar novamente...tu foste cortado do natural zambujeiro, e contra a natureza enxertado em oliveira legítima, quanto mais não serão enxertados na sua própria oliveira esses que são ramos naturais!

Seja pela obra eterna da Salvação de pecadores, seja pelos milagres, seja pelos dons, seja pela edificação do Corpo de Cristo, seja pela presença do Paracleto espírito santo agindo no seio da noiva de Cristo Jesus.

Ef.4. 8: Por isso foi dito: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens.

I Tm.4. 9.ss: Fiel é esta palavra e digna de toda aceitação. Pois para isto é que trabalhamos e lutamos, porque temos posto a nossa esperança no Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, especialmente dos que crêem. Manda estas coisas e ensina-as.

II Tm.2. 12.ss: se perseveramos, com ele também reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo. Lembra-lhes estas coisas, conjurando-os diante de Deus que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam, senão para subverter os ouvintes. Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. ..Todavia o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os seus

IV-A Preservação da doutrina sem adulteração ou manipulação, através da liberalidade teológica:

Os livros estudados nesta lição nos mostram, a evidente atuação de Deus destarte, a incredulidade liberal.

Embora o ponto contextual da lição seja Preservação no sentido de manter-se viva a Palavra dita por Deus, aos hebreus, como ponto fundamental para a permanente benção e sua presença, é importante ressaltar que, para esta obediência acontecer, Deus deve ser visto como o Deus zeloso, aquele que preserva e zela por Seu poder, pela Sua Palavra!

Se assim não fora, não haveria a atuação da Palavra, pois ela não conteria com o passar dos anos as suas características canônicas de poder e atuação na vida do povo hebreu com o cumprimento do que Jeová falara através de seus profetas, Moisés e Josué.

Leia mais sobre o assunto, em nosso texto, sob o link:

http://estudandopalavra.blogspot.com/2008/11/inerrncia-da-bblia-lio-09-cpad-30112008.html

É por isto que Josué fala ao povo hebreu, da mesma forma que Moisés, também o fez, para que o povo obedecesse e se firmasse e nunca se esquecesse do que Jeová falara.

Ora, isto nos mostra que Deus, não por seu interesse, mas pela incredulidade humana, sempre zelou pela sua Palavra para vê-la cumprir-se e produzir o efeito, para o qual foi exarada por Sua boca.

Deus preservando sua Palavra:

Prometeu libertar seu povo

Prometeu um libertador

Prometeu multiplicar a semente de Abraão

Prometeu colocar o povo na Terra de Canaã

Prometeu ajuda-los contra seus inimigos

Prometeu uma porção da Terra Prometida para cada tribo, na figura dos 12 patriarcas.

E todas esta promessas se cumpriram!

Para os céticos liberais-históricos, só nos resta utilizar a própria Bíblia quando diz:

Is. 66. 8: Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra num só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas logo que Sião esteve de parto, deu à luz seus filhos.

Basta olhar para o recente cinqüentenário de Israel moderna como nação, que nasceu em um dia!Aleluia!

E a Palavra de Deus mais uma vez é preservada no meio e em razão do seu povo, o povo hebreu.

V-Preservação da Palavra para o bem-estar da Nação:

Desde o edito do Monte Ebal e Monte Gerizim, a nação de Israel foi estimulada, por Deus à preservação da Palavra de Deus:

1-como regra de vida;

2-como modo de vida;

3-como modelo de nação

4-como exemplo das nações

5-como segurança de suas atividades

Através de Moisés, Deus começou a cumprir as promessas do Pacto Abraâmico, fazendo do povo de Israel uma nação, dando-lhe a terra de Canaã e a lei escrita. Moisés foi constituído sobre toda a Casa de Deus: Nm 12.7; Hb 3.1-5.

Recebeu o poder de operar muitos milagres, nunca dado, a outro antes dele: Dt 34.10-12.

Teve os ofícios (cristológicos) de profeta, sacerdote e rei.

c) Teve o respeito do povo como se fosse o próprio Cristo, a Quem prefigurava: 1Co 10.1-3.

Moisés conclamou, todos os hebreus a uma contínua vida pautada na Palavra.

Assim Moisés o fez, pois recebera de Deus, tal ensinamento, e sabia que enquanto o povo vivesse sob a égide da Palavra, nenhum mal lhe sucederia e ainda que o mal lhe sobreviesse Jeová estaria pronto a ajuda-los em qualquer situação, enquanto Israel preservasse a sua Palavra.

Se sobreviesse a pragana plantação, viesse a seca a guerra, Jeová estaria ali ao seu lado, zelando pela sua Palavra.

Moisés sabia que o mal atinge a todos sob o sol, contudo, para os hebreus haveria sempre uma nuvem e uma coluna de fogo, ainda que, agora, invisíveis, a protege-los, agora por aliança e suportada na preservação das Escrituras, como preceitos de vida do povo hebreu.

Salmos 57. 1: Compadece-te de mim, ó Deus, compadece-te de mim, pois em ti se refugia a minha alma; à sombra das tuas asas me refugiarei, até que passem as calamidades.

Mesmo em casos de adultério da nação Deus com seu amor incondicional por Israel alimentou a nação, e cuidou dela.

Js. 23. 15.ss: E assim como vos sobrevieram todas estas boas coisas de que o Senhor vosso Deus vos falou, assim trará o Senhor sobre vós todas aquelas más coisas, até vos destruir de sobre esta boa terra que ele vos deu. Quando transgredirdes o pacto do Senhor vosso Deus, que ele vos ordenou, e fordes servir a outros deuses, inclinando-vos a eles, a ira do Senhor se acenderá contra vós, e depressa perecereis de sobre a boa terra que ele vos deu.

Veja o que, Deus diz pelo profeta Oséias, de maneira metafórica, sobre a infiel nação de Israel, a quem Ele amou:

Capítulo 2. 7: Ela irá em seguimento de seus amantes, mas não os alcançará...então dirá: Irei, e voltarei a meu primeiro marido, porque melhor me ia então do que agora. Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração. E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor por porta de esperança...ela me chamará meu marido...os farei deitar em segurança. E desposar-te-ei comigo para sempre; sim, desposar-te-ei comigo em justiça, e em juízo, e em amorável benignidade, e em misericórdias; e desposar-te-ei comigo em fidelidade, e conhecerás ao Senhor. Naquele dia responderei...aos céus, e estes responderão a terra; a terra responderá ao trigo, e ao vinho, e ao azeite, e estes responderão a Jizreel. E semeá-lo-ei para mim na terra, e compadecer-me-ei de Lo-Ruama; e a e Lo-Ami direi: Tu és meu povo; e ele dirá: Tu és o meu Deus.

Mas, mesmo assim há um preço a ser pago, até a redenção, seja com:

Os cativeiros passados, perseguições, diásporas e anti-semitismo, até mesmo nos dias atuais.

Com o passar dos anos a Palavra continua a agir como os homens de Deus entenderam que, Ela tinha poder restaurador e de ação, mesmo quando houvesse o adultério ou prevaricação às Escrituras, ou seja, as Palavras e promessas de Deus ao seu Povo.

VI-O líder e a preservação dos Mandamentos divinos:

A liderança é o exemplo, em obedecer e andar segundo os Mandamentos da lei e preserva-la:

Israel foi sempre admoestado, seja por Moisés ou por Josué a preservar e caminhar sob a Lei de Deus.

Dt. 6. 4.ss: Ouve, ó Israel...E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás por sinal na tua mão e te serão por frontais entre os teus olhos; e as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas. Quando, pois, o Senhor teu Deus te introduzir na terra que com juramento prometeu a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó, que te daria...não te esqueças do Senhor, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão.Temerás ao Senhor teu Deus e o servirás, e pelo seu nome jurarás...porque o Senhor teu Deus é um Deus zeloso no meio de ti; para que a ira do Senhor teu Deus não se acenda contra ti, e ele te destrua de sobre a face da terra...Diligentemente guardarás os mandamentos do Senhor teu Deus, como também os seus testemunhos, e seus estatutos, que te ordenou.

Era uma preocupação absoluta de Moisés a preservação dos mandamentos divino que preservaria o povo, se o povo zelasse pela preservação dos Mandamentos.

Esta foi a base rudimentar para que Israel se estabelecesse na Terra Prometida.

a-O poder da Palavra de Deus e o futuro da Nação de Israel:

É interessante notar certas peculiaridades nas Escrituras, ainda antes de Israel ser uma nação Deus já houvera falado sobre a preservação da Sua Palavra junto ao trono de Israel, que seria estabelecido séculos após.

Dt.17. 14.ss: Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, e a possuíres e, nela habitando, disseres: Porei sobre mim um rei, como o fazem todas as nações que estão em redor de mim; porás certamente sobre ti como rei aquele que o Senhor teu Deus escolher. Porás um dentre teus irmãos como rei sobre ti; não poderás pôr sobre ti um estrangeiro, homem que não seja de teus irmãos...Será também que, quando se assentar sobre o trono do seu reino, escreverá para si, num livro, uma cópia desta lei, do exemplar que está diante dos levitas sacerdotes. E o terá consigo, e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, e a guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos...e não se aparte do mandamento...a fim de que prolongue os seus dias no seu reino, ele e seus filhos, no meio de Israel.

Da mesma maneira a liderança de Israel sempre foi exortada por Deus para observar aos seus Mandamentos, isto conferia aos lideres, uma responsabilidade vital na condução do povo hebreu, assim também ocorreu com Josué.

Js. 1.8: Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.

Js. 23. 6: Esforçai-vos, pois, para guardar e cumprir tudo quanto está escrito no livro da lei de Moisés, para que dela não vos desvieis nem para a direita nem para a esquerda;

Eis que vou hoje pelo caminho de toda a terra; e vós sabeis em vossos corações e em vossas almas que não tem falhado uma só palavra de todas as boas coisas que a vosso respeito falou o Senhor vosso Deus; nenhuma delas falhou, mas todas se cumpriram. El-Kana.

Preservar significa:

Manter a sinceridade

Ser verdadeiro

Ser fiel

Ser honesto

Ser autentico

Ser corajoso

Ser temente

Ser crente

Tudo isto representa a posição do povo hebreu ao ser orientado, tanto por Moisés tanto quanto, por Josué.

Eles deveriam suportar todas as situações contrárias, as situações que lhes trouxesse algum dano ou desprezo de todos os povos ao seu redor, preservando os Mandamentos.

O resultado desta preservação representava a própria manutenção de Israel como nação autônoma e auto-suficiente.

A auto-suficiência era determinada por uma posição divina, através da Preservação dos Mandamentos.

A não preservação dos mandamentos e daquilo que herdaram de Moisés e Josué levou-os ao caos e a destruição de 10 de suas tribos e posteriormente ao longo cativeiro babilônico de 70 anos, onde mais uma vez a Palavra de Deus preservada por seus profetas mesmo no cativeiro os pode fazer retornar, pois ali estava escrito os desígnios e oráculos de Deus, à respeito e à despeito de todas as situações erradas e caminhos que os levara ao cativeiro, incluindo os povos e reis que os afligira e os deixara voltar á Jerusalém, aí já é outra história bíblica.

Esta situação é uma lição para a Igreja hodierna, a preservação da doutrina bíblica dentro de parâmetros divinos será sempre a causa do crescimento da Igreja ou a causa da queda da Igreja.

É necessário, à partir deste raciocínio entendermos que, igreja aqui deve entendido como parte da Igreja Universal, mas logicamente formada por salvos.

Quantas Igrejas que, se desviaram da base sólida da palavra de Deus e entraram pelo caminhos dos modismo.

Hoje vemos uma verdadeira multidão de igrejas com prática á partir da “visão” de um homem, que não preservaram, a essência da Palavra de Deus e fizeram da Bíblia um meio de vida ou se não agiram assim criaram doutrinas desviadas da verdade santa.

Aliás, este é um modo não atual, se nós olharmos para o passado veremos: Marcião e outros que se desviaram da Palavra, ou rejeitaram parte da palavra.

Ainda hoje existem estes que são os “Marciões” do século XXI.

Adulteram em vez de preservar a Palavra de Deus.

Outros sequer estão preocupados em preservar, mas sim em usar, no sentido mais ruim do verbo.

Usar em proveito próprio.

Usar para enganar

Usar para conquistar multidões para si.

Conclusão:

No entanto, o que realmente nos dá a certeza de que a Bíblia contêm o pensamento inspirado por Deus a homens escolhidos para esse fim, é o poder que suas verdades possuem.

Por isto, a sua preservação é uma doce obrigação do povo de Deus, sem o que não alcançaremos o objetivo de nossas vidas: A Vida Eterna na Canaã celestial.

É impossível ler a Bíblia com sinceridade e oração sem ser tocado pela força de suas palavras.

A maneira miraculosa como essas verdades atravessaram os séculos e chegaram até nós, transformando vidas, modificando costumes, abrandando corações e trazendo conforto, felicidade e paz de espírito a quem as lê nos dão a certeza de que Deus nos fala através de suas páginas.

Fonte:

João Alves dos Santos.

http://tempora-mores.blogspot.com/

Entrevista com Augustus Nicodemus - Revista Seu Mundo - Editora Mundo Cristão.

Como a Bíblia Chegou Até Nós? Baseado em A Survey of Bible Doctrine, de Charles C. Ryrie.

http://jbbiblia.blogspot.com/2006/07/inerrncia-e-infalibilidade-da-bblia.html

Josemar Bessa – Pr. Da Igreja Evangélica Congregacional em Jd. Luz _-RJ.Brasil.

Ver “Canon of the Old Testament” in The International Standard Bible Encyclopaedia, James Orr, ed. (Grand Rapids: W. B. Eerdmans Publishing Co., sem data), vol. I, p. 555. O Cânon de Josefo também continha os mesmos 24 livros, mas com arranjo ou divisão diferente, totalizando 22 (cf. Ibid, p. 560).

Subsídio teológico:
A divisão do Cânon do AT

O AT hebraico, de longa data, é dividido em três partes: A Lei (Torah), Os Profetas (Nebhim) e os Escritos (Kethubhim). A Lei compreendia os cinco livros de Moisés (o Pentateuco). Os Profetas incluíam tanto os quatro que chamamos de históricos: Josué, Juizes, 1 e 2 Samuel, e 1 e 2 Reis (cada um desses dois grupos é contado como um só livro), como também mais quatro - três dos que chamamos de Profetas Maiores: Isaías, Jeremias e Ezequiel e os doze Profetas Menores, que eram contados como um só livro. Os Escritos, em número de onze, incluíam Salmos, Provérbios e Jó, mais os cinco que eram chamados de “rolos” (Meghilloth): Cântico dos Cânticos, Rute, Lamentações, Eclesiastes e Ester, mais Daniel e Esdras-Neemias, estes dois contados como um só livro, e 1 e 2 Crônicas, também contados como um só livro, totalizando 24 livros.

A Bíblia Hebraica traz essa divisão até hoje, a qual remonta ao quinto século a.D. (vem da Mishnah - seção Baba Bathra). Outros testemunhos históricos têm sido invocados em seu benefício. O prólogo do livro apócrifo de Siraque (c. 132 a.C), Filo (época de Cristo) e Josefo (século I, pouco depois de Cristo) trazem menções que dão a entender a divisão tríplice.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical