sexta-feira, setembro 3

O MINISTÉRIO PROFÉTICO NO NOVO TESTAMENTO. Lição 10-3º Trimestre-2010 – CPAD


O MINISTÉRIO PROFÉTICO NO NOVO TESTAMENTO.
Lição 10-3º Trimestre-2010 – CPAD AUTOR. Osvarela

TEXTO ÁUREO. “O qual, noutros séculos, não foi manifestado aos filhos dos homens, como, agora, tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas” (Ef 3.5).
VERDADE PRÁTICA
Os apóstolos de Jesus Cristo exerceram na Igreja, autoridade semelhante, a dos profetas do Antigo Testamento.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE.
1 Coríntios 2.9-13. Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem,são as que Deus preparou para os que o amam.10 Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.11 Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. 12. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. 13 As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.
Kerix - mensageiro, aquele que traz a boa notícia, que traz a boa nova.
Kerysso - ação de proclamar, de pregar, de anunciar. No grego encontramos a palavra KERYSSO, que em sua forma prática significa “anunciar as boas novas da parte de Deus”. Teologicamente significa falar o que Deus falou.
Kerígma é uma palavra grega que diz respeito ao conteúdo do anúncio do Evangelho, tendo como pano de fundo a pessoa e a obra de Jesus.
Em sua definição, kerigma significa “proclamação”, “anúncio”, “pregação”.
Como derivação do termo ‘kerysso’, que indica uma proclamação autoritativa, que exige obediência.
Kerigma é o fenômeno de uma chamada que sai e impõe suas reivindicações sobre os ouvintes: corresponde à
vida e atividade dos profetas.
Destaque:
10. Mas, Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.
Palavra Destaque.
REVELAÇÃO.
O NT tem um vocabulário rico para descrever a Revelação de Deus;
Eis os seguintes termos chaves.
Que são virtualmente sinônimos:
- γνωρίζω (gnorízo) = “dar a conhecer,”.
- δηλόω (dilóo) = “tornar claro,”.
- φανερόω (faneróo) = “mostrar,”
- ἀποκαλύπτω (apokalípto) = “revelar,”
- ἀποκάλυψις (apokálipsis) = “revelação.”
Os estudiosos da etimologia acham, contudo, que não se pode entender explicitar a Revelação no NT, apenas através de apokálipsis.
Note-se que o estudo joanino é envolto pelo conceito de revelação, sem, contudo, utilizar-se o termo ποκάλυψις (apokálipsis) = “revelação.”
Vamos encontrá-lo no Evangelho de João, com o uso do verbo ποκαλύπτω (apokalípto) = “revelar”, no capítulo 12:38. “Para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor?”. Numa citação de Isaías 53:1.
De modo geral, a concepção de Revelação no NT não é apenas coerente com a do AT, ela também vai além da concepção Veterotestamentária.
Sob o conceito de Paulo – ao usar o termo – AIO – [Gl.3.24. De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo] podemos inferir que a Revelação de Cristo no NT, é o pleroma da História, no conceito histórico-redentivo relatada na história de Israel no Antigo Testamento, que Paulo entende como plenitude dos tempos em Gl.4.4. e João diz que a Revelação foi recebida pelos santos homens de Deus. João.1.16.E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça por graça.
Paulo, um dos autores do NT, entende que a Revelação nos foi concedida peloAIO [Gl.3.24. De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados.] – Lei [AT], para Revelação do evento Cristo. Conforme Brox.
Pelo Novo Testamento todo, através do Ministério Profético nos traz a consciência de que as Revelações Proféticas de forma continuada, ao longo do Quadro profético do AT, chega a sua plenitude de Revelação, na manifestação de Cristo e no desvendar, do novo, de forma definitiva e forma escatológica no “fim dos tempos” (1 Cor 10:11-Ora, tudo isto lhes acontecia como exemplo, e foi escrito para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.) em seu servo Jesus, que é o seu Filho e agora Cristo Exaltado, o ápice da história da Revelação de Deus.
Mas, este momento ‘pleromático’ é desvendado com as revelações do próprio Cristo aos seus Apóstolos, e discípulos que nos Revelam, agora neste tempo, o que de Cristo é Revelado pelo Espírito Santo de Deus.
É esta Revelação que pode nos situar na manifestação de um Ministério profético, conforme o Escritor aos hebreus anuncia.
CONSIDERAÇÕES TEOLÓGICAS.
“Na teologia histórica cristã a morte de Cristo é o ponto central da história; para aí todas as estradas do passado convergem; e daí saem todas as estradas do futuro”. Stephen Neill
O estado anormal da consciência do profeta, ao ser chamado e ao receber sua visão, é teologicamente importante. Nesta experiência anormal, o profeta é levantado à própria presença de Deus, tornando-se um participante da história divina.
“O coração e mente de Deus passam para dentro dos do profeta, a tal ponto, que o profeta se torna uma corporificação (embodiment) de Deus” (Fretheim, 1984, p. 150). Em outras palavras, Deus resolve desvendar seu íntimo, seu lado afetivo, dentro da “alma” do profeta. Von Rad percebe isto com muita clareza ao afirmar que quando se encontra neste estado de visão-audição, o profeta é libertado de seus sentimentos pessoais de prazer e desprazer, e é introduzido no pathos [nas emoções] de Deus.
O NT é muito rico na sua fala sobre a manifestação de Deus e de seu querer em relação ao homem.
O estudo teológico nos coloca alguns pressupostos neotestamentários.
Precisamos entender e estudar com sistematização a questão da apresentação Teológica do Novo Testamento.
Sem dúvida há uma teologia neotestamentária.
Há que se ressaltar o esboço do NT conforme o nosso pensamento, que é o pensamento de alguns teólogos contemporâneos.
Por Personagens Principais.
Jesus
Apóstolos
Paulo
Igreja primitiva [Congregação Primitiva]
Por Seções.
Evangelhos.
Sinóticos
João
Atos – Igreja
Escritos Apostólicos
Paulinos
Escritos Posteriores.
K.H.Schelkle.
Ou, por idéias e temas na Revelação e Proclamação – infere profecia – abrangendo várias áreas – dogmas, fé, e ‘modus vivendi’ novo.
Entre eles, que Jesus como centro do NT, é parte e continuidade profética do AT.
Dentro deste ponto de vista, alguns se debateram, como Marcião e outros ao querer definir O Cristo – Deus, como outro Deus, que não do AT.
“Toda a Teologia do Novo Testamento tem que ser uma Teologia de Jesus – ou não é absolutamente nada”. Stephen Neil.
I- O MOVIMENTO PROFÉTICO DO NOVO TESTAMENTO.
PROFECIA NO NOVO TESTAMENTO.
Sob esta ótica podemos iniciar o pensamento desta Lição – Profecia no Novo Testamento.
Considerando-se as palavras de Moisés em Deuteronômio 18. Eis que lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.
At.7.37. Este é o Moisés que disse aos filhos de Israel: Deus vos suscitará dentre vossos irmãos um profeta como eu. – o Novo Testamento é iniciado pela atuação profética de dois dos maiores expoentes nascidos de mulher, como os demais profetas Veterotestamentário.
Assim, temos João como o introdutor de Jesus – O Profeta.
E Jesus – O Verbo Encarnado – nascido de mulher, O Profeta dito por Moisés, nele se realiza a plenitude dita pelos antigos profetas e ele vem como O Profeta, que preenche todos os requisitos proféticos e com poder e autoridade de conceder dons aos homens.
I-a- A MANIFESTAÇÃO PROFÉTICA NO NOVO TESTAMENTO.
Ele, o Profeta Revelado, e inserido nas Escrituras mosaicas, ordena e autoriza e invoca sobre a vida dos Apóstolos a presença do Espírito Santo – que conhece a profundeza de Deus – e doa, onde vai entrar em nosso discurso, a palavra carisma, autoridade carismática, à partir do Dia de Pentecostes, no Cenáculo, inicialmente aos quase 120 irmãos, que aguardavam a descida do Espírito Santo[Atos 1].
É por isto, que podemos entender Hb.1.1-2. Havendo Deus, antigamente, falado,muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.
Inicia-se após O Cristo Revelado e assunto aos céus um novo período, à partir do dia de pentecostes, quando há a manifestação da plenitude, no sentido de preencher os homens, do Espírito Santo.
Desde então, se manifesta a profecia do Novo testamento, ainda que sob o contexto conhecido pelo Antigo Testamento, na nominação, mas de forma autorizada, concedida, doada, pela vocação dos Ministros da ocasião e pela dação do Espírito Santo.
I-b- CARACTERIZANDO OS PROFETAS DO NT.
Há que se entender, que para caracterizar alguém como Profeta, no Novo Testamento, tendo por parâmetro os profetas do AT, necessita-se de diretrizes firmes e bíblicas, as quais vão apontar para este comissionamento, dado por Deus, tal qual, no Antigo Testamento.
Alguns parâmetros do Novo Testamento só poderiam ser concedidos no seio da Igreja Primitiva com a autorização do próprio Cristo, e pelos próprios Profetas que falaram em nome do Senhor no Antigo Pacto profético, Pedro utiliza Joel para dar evidencias proféticas, deste continuado derramar, à época de seu recebimento, assim temos, à seguir alguns destes parâmetros divinais.
1- Pelas Próprias Ordens do Cristo, Antes E Após A Sua Morte E Ressurreição.
Mt.28. 18. E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.
19 Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
20 ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!
At.1.1. Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.
Como Jesus continuou falando conosco.
-Pela Igreja;
-Pelos Apóstolos;
-Pela Sua Palavra – profecia.
-Iniciando com Pentecostes.
2- Profetizado nas Escrituras, pelo Quadro Profético.
É um sinal evidente, de que as profecias eram legítimas, e havia vidência inspirada, nas palavras dos que profetizaram deste Evento.
At.2.14-18. Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras. Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo esta a terceira hora do dia. Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos; e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão;
II - APOSTOLICIDADE E PROFECIA.
O termo “profeta” aparece várias vezes no Novo Testamento, não só em referência aos profetas do Antigo Testamento mas também em referência a cristãos que possuíam o dom da profecia.
C. H. PEISKER diz que na igreja cristã primitiva os profetas estavam lado a lado com apóstolos e mestres, tendo como tarefa a exortação, o consolo e a edificação da comunidade (1 Co 14:3), bem como a comunicação de conhecimentos e mistérios (1 Co 13:2).
Karl Hermann SCHELKLE diz que enquanto a palavra está confiada à Igreja, também está instituída nela a profecia como comunicação da palavra.
II-1-Para continuar nosso estudo é necessário reconhecer:
A continuidade deste Ministério, que pode confundir o leitor do NT, desconhecedor da Cronologia Escriturística do cânon neotestamentário, é revelado, à posteriori, pelos ‘neo’ profetas de Deus ao expor a Revelação Amplificada do Plano Integral Divino, na Plenitude de Jesus Cristo.
2 Pe.3.2. para que vos lembreis das palavras que dantes foram ditas pelos santos profetas, e do mandamento do Senhor e Salvador, dado mediante os vossos apóstolos;
Faz-se necessário para entendimento do aluno, que mesmo que chamemos nossos irmãos, e irmãs, dotados do ‘charisma’ profético, que o CÂNON PROFÉTICO BÍBLICO está fechado, com os Livros do AT e do NT, através dos homens neles inscritos.
É-nos necessário, por um pouco de tempo, ante a Iminência, que a Igreja ouça as profecias audivelmente, mas requer-se que tomemos ciência exata desta característica atual, de que as profecias, após o cânon são passíveis de julgamento, diferentemente daquelas.
Ef.4. 5;11. ...o qual em outras gerações não foi manifestado aos filhos dos homens, como se revelou agora no Espírito aos seus santos apóstolos e profetas ... E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres,Tenho contudo, para mim, que as pessoas chamadas de profetas, e mesmo quando Paulo elenca este título o faz, sob a ótica contemporânea em que vivia sob a Escritura vigente, sem contudo desmerecer o título.
II-a- NOMINADOS COMO PROFETAS NO NOVO TESTAMENTO.
At.11.27. Naqueles dias desceram profetas de Jerusalém para Antioquia;
At.13. 1 Ora, na igreja em Antioquia havia profetas e mestres, a saber: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes o tetrarca, e Saulo.
At.15.32. Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram os irmãos com muitas palavras e os fortaleceram.
At.21. 8-10. Partindo no dia seguinte, fomos a Cesaréia; e entrando em casa de Felipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. Tinha este quatro filhas virgens que profetizavam. Demorando-nos ali por muitos dias, desceu da Judéia um profeta, de nome Ágabo; e vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo e, ligando os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo:Assim os judeus ligarão em Jerusalém o homem a quem pertence esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios.
III - A VISÃO NO NOVO TESTAMENTO DO MOVIMENTO PROFÉTICO.
Gostaríamos, nesta seção, descrever ou demonstrar, a ótica deste Movimento, pelas Escrituras do Novo Testamento.
Partindo do princípio do texto sagrado de Paulo a Timóteo.
2 Tm.3.16. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
Todos os escritores bíblicos são em síntese Profetas. Sejam os do quadro do Veterotestamentário, ou do Quadro Neotestamentário.
Isto posto, podemos introduzir o aluno ao assunto.
Poderíamos utilizar o Movimento Pentecostal Propagador do Evangelho por todo o Mundo, com o Movimento Profético do AT.
A autoridade profética do grupo de Apóstolos, que obtiveram êxito divino, em serem incorporados ao ‘kanon’ sagrado é uma comparação possível de ser inserida no contexto doutrinário.
Em primeiro lugar, o Círculo Íntimo de Jesus.
Tiago
Pedro
João
Depois.
Mateus
Judas.
Paulo – Apóstolo abortivo. 1 Co.15.8. E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo
Da mesma forma, podemos formar outro quadro de profetas apostólicos, com os apóstolos não escritores, aos quais poderíamos chamá-los, comparativamente, de acanônicos.
Estudando os Escritos Paulinos, entendo que há uma posição especial para Paulo no ‘kanon’ Neotestamentário.
Há uma nítida divisão no ‘kanon’ do NT, após o aparecimento do Apóstolo Paulo no Capítulo 9, do livro dos Atos dos Apóstolos.
Saulo – O Apóstolo Paulo surge em meio a uma visão ou teofania, fato principal de sua conversão ao Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, a partir desta data, os demais apóstolos, incluindo Pedro, Tiago e João se mantêm em cena até o Capítulo 10, com hiatos, com relação a Saulo, do Capítulo 11, ao Capítulo 15, do livro do referido Livro e Paulo toma quase que inteiramente a cena do Livro de atos dos Apóstolos e do Conjunto canônico do Novo Testamento.
Extensão dos Livros e Quantidade.
Paulo é o maior escritor dentre os Profetas do NT.
13 Livros Consagrados à Reflexão.
Ensino.
Explicações.
Definições.
Sistematização do Cristianismo.
Doutrina.
Apologética.
Cristologia Paulina
Escatologia Paulina
Eclesiologia Paulina
Pneumatologia Paulina
Exegese Doutrinária.
IV- QUADRO PROFÉTICO DO NOVO TESTAMENTO.
Desta forma poderíamos realizar a montagem do conjunto do NT como ao conjunto do AT.
Assim para mim formaria um conjunto com.
Apóstolos Naturais
Apóstolo Paulo
Históricos e Evangelistas.
· Tiago
· 1 Pedro
· 2 Pedro
· João
· 1 João
· 2 João
· 3 João
· Apocalipse
· Judas
· Mateus
· Romanos
· 1 Coríntios
· 2 Coríntios
· Filipenses
· Colossenses
· 1 Tessalonicenses
· 2 Tessalonicenses
· 1 Timóteo
· 2 Timóteo
· Tito
· Gálatas
· Efésios
· Atos dos Apóstolos
· Marcos
· Lucas
· Filemon
· Hebreus

Este quadro seria uma síntese dos Escritos Proféticos do NT.
V- A CANONICIDADE DA PALAVRA PROFÉTICA NO NOVO TESTAMENTO.
A- Quanto a Inspiração.
Quando o Apóstolo Pedro distingue os escritos paulinos como difíceis de entender, ele o faz comparativamente, apontando apara o uso distorcido as Outras Escrituras, elevando os Escritos do Apóstolo São Paulo ao mesmo patamar de inspiração profética dos escritores das Escrituras, então o único cânon reconhecido entre os judeus. Seja, sobre a inspiração de suas Palavras, seja porque ele infere no texto, o mesmo poder das Palavras e Escritos Apostólicos, o mesmo poder profético, que é manifesto nas Profecias dos antecessores, Os Profetas do Antigo Testamento.
Com isto, Pedro qualifica a todos os escritos oriundos, da pena dos escritores do NT, apontando para a canonicidade neotestamentária como um Quadro Profético Uno.
2 Tm.3.16. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
2 Pe.3.16. Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.
2 Pe.1.21. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
Demonstra Que A Sua Fala É Inspirada.
Não era algo de mente humana [como fábulas compostas, assim como Paulo, fala a Timóteo...]. 16 Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas;
1-Primeiro, pela visão e inspiração de Sua Majestade. ; mas nós mesmos vimos a sua majestade.
2-Segundo, ouviram a Voz audível que lhe falar. 18 E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo; Compare com Is.6.
Ora, quem ouve e fala e é convocado, após ouvir a Voz do próprio Deus, já está caracterizado como Profeta de Deus.
Quando nos deparamos com as narrativas dos textos bíblicos do cânon do NT, entendemos a singularidade da inspiração dos mesmos.
1-Primeiro.
a-Escolhidos por Jesus. Mat 4:18,19. E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores; - disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.
b-Chamada –
O fator decisivo na vida do profeta era sua chamada, junto com a visão e participação do concílio do Senhor que acompanharam sua vocação (1 Rs 22:19ss; Am 3:3-8; 7:1ss; Os 1, 3; Is 6; Jr 1; Ez1-3).
Do mesmo modo, havia um círculo, ou Concílio entre os Apóstolos, antes ao redor de Jesus e após entre si, como Igreja na direção do Espírito Santo.
Convocados por Jesus. Lc.6.13. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos:
b-1- Profetas e Chamada.
Mt.4.18-22. E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores;E disse-lhes:Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.Então eles, deixando logo as redes, seguiram-no.E, adiantando-se dali, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, num barco com seu pai, Zebedeu, consertando as redes;E chamou-os; eles, deixando imediatamente o barco e seu pai, seguiram-no.
c- Enviados as Nações.
Mt. 23.34. Portanto, eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas; a uns deles matareis e crucificareis; e a outros deles açoitareis nas vossas sinagogas e os perseguireis de cidade em cidade;
Mt.28. 19. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações
d- Poder e autoridade para pregar a sua Palavra.
d-1- Pregar. Mc. 16.15. E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
e-Exortar. Mt. 28. 18. E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.19. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;20 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. At.14.22.Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.
f-Ser Atalaia.
g- Estiveram com Jesus – O Deus Entre os Homens.
Além disto, o próprio Filho disse; “Eu e o Pai somos um”. Este, o viéis mais importante, na visão do NT, para caracterização dos escritores ou não escritores do NT, como profetas, receber a mensagem do hálito divino, por Jesus Cristo.
At.4.13. Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus.
2 Pe.1.16. Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade.
17 Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido.
18 E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo;
19 E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.
20 Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
21 Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
Aqui neste texto, o Apóstolo Pedro perto de sua morte [15 Mas também eu procurarei em toda a ocasião que depois da minha morte tenhais lembrança destas coisas.], fala aos seus leitores, que deixaria algo, para que a lembrança de tudo que ensinara aos seus ouvintes, e contemporâneos cristãos, não se desfizesse, mas fosse alvo de contínua aplicação e leitura.
Terceiro - a profecia verdadeira, jamais pode ser produzida por homem algum, pelo simples fato da necessidade da inspiração do Espírito Santo, e demais condicionantes, do Ensino Geral das Escrituras sobre o assunto.
CONCLUSÃO.
O assunto em tela esta semana, na realidade abre um viés, ainda pouco explorado no meio assembleiano.
Profecia na Teologia Pentecostal Assembleiana.
A Profecia-
Como algo do passado ou do presente, na forma de sua elocução atual.
Quanto ao quadro dos profetas, introduz uma visão qualificadora neste Quadro com a introdução dos nossos Apóstolos e discípulos de Jesus.
Mas, é necessário alertar aos alunos sobre o fato de que o conjunto Profético bíblico é distinto e fechado e único e jamais será acrescido, por profecias, ainda que de Deus, que podem ser julgadas pela Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Isto é necessário explicar à classe, pois alguns têm por Profetas, da mesma qualificação e até mesmo aceitando suas palavras na mesma qualificação profética do cânon sagrado [reforço de linguagem].
A que se atentar para as funções eclesiásticas – ministros – com as atividades Charismaticas entre os líderes da Igreja Primitiva, de um ângulo pelo qual, nós atentamos para ilustrar o quadro profético constituído dentre estas lides na Igreja Primitiva, onde podemos verificar que mesmo alguns escritores não foram obrigatoriamente Apóstolos, mas num estudo Teológico mais aprofundado veremos que havia a ‘charis’ dominante do Corpo Apostólico dando sua aprovação, autoritativa recebida do próprio Cristo.
Observação. Compilação...
Se para os profetas do século IX, como Eliseu, a presença do “Espírito de Iahweh” era absolutamente constitutiva, para os profetas clássicos, a partir de Amós, o Espírito cessava de ser o elemento fundamental, sendo eles entregues à autoridade de sua vocação por uma palavra pessoal de Deus, sem intermediário, leia-se o emblemático caso de Elias em 1 Rs.17. [1-2.ENTÃO Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Vive o Senhor Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra.Depois veio a ele a palavra do Senhor, dizendo ...] .3 3-“Com efeito, curiosamente, depois de Amós, os profetas não se concebiam como portadores do Espírito, mas como proclamadores da palavra de Javé” (Von Rad, 1974, II: 56-7).
Fonte.
Hassel – Teologia do At e do NT
Bíblia on line
Bíblia digital – cortesia Tio Sam
Karl Hermann Schelkle

Ricardo Luis de Moraes
Bíblia de estudo pentecostal
Lição CPAD
Apontamentos do autor
UPmackenzie – Prof. Tarcísio
Outros diversos autores e livros consultados.

Nenhum comentário:

Seguidores

Share it

Entrevista com Daniel Berg -

Daniel Berg E Gunnar Vingren
Entrevista em Santa Catarina
Parte 1 Parte 2

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical

Notícias

Loading...

Níver-fim-de-ano e outras