sábado, outubro 23

A ORAÇÃO EM O NOVO TESTAMENTO. Lição 04- 4º trim. 2010– CPAD


Lição 04- 4º trim. 2010– CPAD                                                             Autor . Osvarela
Texto Áureo.
1 Ts. 5.16,17. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar.
Leitura Bíblica em Classe.
Lc.46,49,52,53. E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos,         E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém.E estavam sempre no templo, louvando e bendizendo a Deus. Amém.
At.4.5,12,14.E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes.Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado.Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria mãe de Jesus, e com seus irmãos.
I-CONTEXTO.

O compendio canônico do Novo Testamento foi escrito em grego, e com alguns trechos em aramaico e algum latinismo, por informações, para os seus leitores, ou destinatários, como ‘o excelentíssimo’ Teófilo, a quem o escritor do evangelho de Lucas escreve de forma detalhada sobre os eventos e formas de liturgia, adoração, incluindo a Oração, sob determinação e orientação, de Jesus Cristo.
Mt 6:9 -    Portanto, vós orareis assim:
Assim sob esta panorâmica neotestamentária, sob acuidade dos apóstolos, seus discípulos, e demais discípulos de Jesus, que escreveram ou não, se tem uma nova percepção da questão desta Lição:
1-Oração.
Eu tenho uma visão sobre o subsídio das lições da EBD – CPAD, a qual Espírito Santo, condicionou o meu ministério de ensino: agregar conhecimento.
Entender a Oração sob a visão sinótica, joanina, paulina, petrina e dos demais apóstolos e escritores do Novo Testamento.
Poderíamos até expandir para: Visão da oração na Nova Aliança Crística.
2-Oração na visão sinótica:
Sabendo que a visão dos livros de Mateus [expandido desde a visão de Marcos], Marcos [primeiro Evangelho] e Lucas [expandido sobre Marcos, mas sob objeto da informação detalhista dos acontecimentos do Ministério de Cristo] - Lc.1.3. Pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio;
II-Em Mateus encontramos.
- O uso do título “Filho de Deus” por Mateus mostra de forma clara a divindade de Jesus (1.23; 2.15; 3.17; 16.16.’ Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.’).
Isto é um destaque da Visão do reino, pelo qual a Oração, tem destaque, como acesso ao Reino, pelo Rei [Jesus] ao Pai.
Pelo Rei - Filho, o crente em e por Jesus tem acesso direto e sem mediação, mas com intermediação, com o Pai (Numa Oração de Jesus - 11.26-27. Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, [...] Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece plenamente o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece plenamente o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.).
1-Em Mateus, o Rei é Jesus o Senhor e Mestre da igreja.
Ali encontramos uma nova entidade relacional, com Deus – O Pai, além da comunidade israelita:
A Igreja, a qual vivera sob vai viver, sob uma nova ética do Reino.
Jesus Cristo declara: “a igreja”, é a “Minha Igreja” tem este acesso garantido e poder decisório de tomar decisões a serem referendadas pelos Céus. Mt.16.18; 18.15-20.
Há garantia da [Mt28.12-20- Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.], da presença de Jesus, junto à Ela - Igreja.
Encontramos a visão inicial, nos sinóticos, com muitos resquícios da visão da Oração do Antigo Testamento, mas já sob uma visão redentiva e da constatação da Plenitude dos Tempos, pois Mateus escreve sob a ótica do Reino messiânico, tão aguardado.
Exemplificando encontramos a oração do sacerdote Simeão e de Zacarias, pai do precursor do elo da Nova aliança - [Lc.2.10. E toda a multidão do povo estava fora, orando, à hora do incenso[visão do AT].E um anjo do Senhor lhe apareceu, [...] Zacarias, vendo-o, turbou-se ... o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida ...porás o nome de João.].
Mt. 5. 17,18.Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.Porque em verdade vos digo que, até [destaque sobre o tempo de realização do cumprimento da lei] que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.
A visão do Reino é ressaltada no Sermão da Montanha, que trará novos motivos a quem se propõe a Orar.
A visão é:
-Mudança de coração
-Mudança de comportamento
-Mudança que ocorre de dentro para fora – a boca fala do que está cheio o coração ....
Já no capítulo 6, de Mateus temos a introdução da nova visão da Oração.
2-A Oração do Pai Nosso. Veja nos subsídios lições anteriores.
Mas, devemos ressaltar o pedido dos discípulos.
Todos eles homens judeus, debaixo da Lei, mas que ao ouvirem as palavras do Sermão da Montanha, entenderam a necessidade de mudar a forma de orar.
A oração do AT não tinha mais poder ou força para eles, mesmo mantendo todos os compromissos, assim como Jesus, agora eles vislumbravam através do Sermão a incompetência para orar.
Embora estejamos falando de Mateus, a pergunta está em Lucas, por isto são sinóticos:
"Senhor, Ensina-nos a Orar" - "De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um dos seus discípulos pediu; Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos" (Lucas 11:1).
Mas, podemos ver o nascer de um novo entendimento sob as regras áureas do capítulo 5.
3-Orar a quem?
A Deus e não aos homens. Orações devem ser dirigidas a Deus, não aos homens.
4-De que forma Orar?
De pé, de joelhos, com rosto em terra:
É pecado orar em pé?
Não é o ensino de Cristo no NT, mas a forma do coração, na Oração.
-Quem desceu justificado?
-O fariseu, ou o publicano?
Humilhação é a base da boa Oração neotestamentária, pois é justificadora, o que se pode inferir, na relação da oração e unção que cura o doente.
Lucas 18: 13-14.O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.
Foi justificado, o publicano, que reconheceu seus pecados, contudo orou em pé.
Mateus. 7:7-12.
A oração neotestamentária retira alguns embaraços, em relação ao acesso a Deus, sem a necessidade de intermediação humana, além de nos assegurar que Deus ouve as nossas orações.
Ele ouve e responde, porém conforme seu poder e querer.
Mas, sempre nos dá o que precisamos, muitas das vezes, sem termos pedido, mas pelo que Ele encontra em nossos corações pela nova relação aberta na Cruz.
5-Mateus ressalta:
O valor da Oração como comunicação com Deus pelo Rei.
Para comunicar bem com Deus, devemos aprender das orientações dadas por Jesus, aquele que havia comunicado com o Pai desde eternidade’. Dennis Allan (2000) - Estudo do Livro de Mateus.
Dentro do Reino, o que importa é o estado do coração, mais do que a ‘empostação’ da voz ou as declarações próprias.
Jesus mostra que no conceito do Reino a Oração, não tem outros propósitos relevantes, como posição, como alteração de voz, como balançar do corpo [cuidado com certos movimentos de vigílias, que de vigília só tem o período do relógio, mas não passam – com exceção – de ‘balançar’ dos corpos...], e outras demonstração visuais. (compare João 11:41-42).
6-Advertências de Jesus Cristo:
Mt. 6.5. E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
- (1) a tendência de alguns judeus de fazer orações na rua para serem vistos dos homens;
- (2) a prática de alguns gentios (ainda hoje isto acontece) de usar muitas vãs repetições nas orações.
**Obs.: Algumas pessoas, determinadas a fazer regras onde Jesus faz apelos aos corações, têm distorcido a mensagem do versículo 5. Inventam regras dizendo que é pecado orar em pé, mas isso não é o ponto de Jesus. Em Lucas 18:13-14 [O publicano, porém, estando em pé, de longe, ... Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; ... qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.], o homem justificado orou em pé.
III-Mateus e a Oração na Liturgia da Ceia do Senhor.
1-Oração e Louvor.
As nossas orações eclesiais são realizadas sob esta ótica.
Cultos começam e terminam com cânticos, mesmo os chamados, cultos de Oração.
Jesus demonstra como realizar o memorial da Ceia, em sua lembrança, ou seja, em lembrança da sua Morte vicária.
(Mateus 26:26-29. E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos;Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.E digo-vos que, desde agora, não beberei deste fruto da vide, até aquele dia em que o beba novo convosco no reino de meu Pai.; Marcos 14:22-25; Lucas 19:19-20;)
Jesus realizou uma oração agradecendo pelo pão (que representa o corpo de Jesus), todos participam do pão.
Então, há mais uma oração agradecendo pelo cálice (fruto da videira representando o sangue de Jesus) e todos bebem do cálice. Devemos observar a Ceia de acordo com este exemplo de Jesus, pois nenhum homem tem autoridade para mudar o que Jesus fez.
Depois da Ceia, Jesus e os apóstolos cantaram um hino e foram até o monte das Oliveiras.
IV-Marcos
É para mim, após estudos bibliológicos, o ‘mitte’ dos sinóticos e a pedra dos demais evangelhos sinóticos.
Seu conteúdo, sem maior pragmatismo é o mais imediato e ‘fast’ no sentido de passar de um a outro ponto do Ministério de Jesus, lhe da a mobilidade e facilidade de entendimento do querer de Deus em relação a Jesus Cristo, o ‘religare’, que serve ao homem.
É destaque a palavra grega “euteos” [ 42 vezes], que costuma ser traduzia por “imediatamente”.
Assim a visão da Oração de Marcos é subsidiada por esta ‘facilidade’, anunciada por Jesus, sempre pronto a atender, como servo [veja Fp.2] aos pedidos dos homens, em Oração.
É a noção do imediato poder da oração na visão crística da Nova Aliança.
1-Uma das vertentes de Marcos é a Cruz de Cristo.
A esperança pelo sofrimento, o que nos remete a questão da Oração neotestamentária, com base naquela Cruz.
Muitas cruzes, talvez, tenham sido vistas pelos olhos do escritor [não era apóstolo, mas discípulo de Pedro – interprete – e amado de Paulo], mas nenhuma teve o poder da Cruz de Cristo, pois pela Cruz do meio temos acesso ao Pai nas Orações, em o nome do servo Jesus Cristo, revestido de novo de sua Glória, que lhe era própria, desde as eras eternais.
V-Lucas
A-O Evangelho.
Primeiro Tratado.
At 1.1 Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo quanto Jesus começou a fazer e ensinar..
Inclusive a Orar, em consonância com os demais Evangelhos.
É o escrito canônico do homem que quer por em ordem, ou seja, deixar claro, os fatos, pela convivência junto aos seus aios espirituais [apóstolos], principalmente através de Pedro.
Um literário empreendimento espiritual.
Quais?
Lc. 1.1-4. Visto que muitos têm empreendido fazer uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, segundo no-los transmitiram os que desde o princípio foram testemunhas oculares e ministros da palavra, também a mim, depois de haver investido tudo cuidadosamente desde o começo, pareceu-me bem, ó excelentíssimo Teófilo, escrever-te uma narração em ordem, para que conheças plenamente a verdade das coisas em que foste instruído. [acima, neste texto de subsídio, a vogal – o – foi usado como artigo, mesmo.]
B-Uma das palavras chaves de Lucas é exatamente - Oração.
O Salvador do Mundo é a pessoa pela qual podemos Orar, esta é uma das vertentes e tripés do Evangelho de Lucas.
Como acima comentamos, sobre a Oração em o Novo testamento, vemos que Lucas, deixa algumas coisas de caráter judaico, fora de sua pesquisa canônica.
Pois, o seu empreendimento literário é concentrado, em esclarecer, e mostrar,  o que Jesus ensinou ou realizou.
É como uma certificação aos seus leitores e crentes em Jesus.
Assim Lucas, completa os sinóticos, em relação a Oração, localizando em seu Evangelho, alguns momentos especiais de Oração de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Lc.3. 21. Quando todo o povo fora batizado, tendo sido Jesus também batizado, e estando ele a orar, o céu se abriu;
A Oração abre os céus para nós, assim o batismo e a oração é momento especial na vida de todo crente.
É a hora em que Deus fala diretamente conosco, esta é a tipologia.
1-O poder da Oração.
Lc.5. 15-17. A sua fama, porém, se divulgava cada vez mais, e grandes multidões se ajuntavam para ouvi-lo e serem curadas das suas enfermidades.Mas ele se retirava para os desertos, e ali orava. [...] fariseus e doutores da lei, que tinham vindo de todas as aldeias da Galiléia e da Judéia, e de Jerusalém; e o poder do Senhor estava com ele para curar.
2-O período de Oração e a oração para resolver situações, como a instalação do Colégio Apostólico.
Tal Colégio, incluía Judas, mas em tudo, que Jesus realizava, ele sabia, que precisava orar, consultar, aos céus [Pai], pois havia prioridade ao propósito do Pai em primeiro lugar.
Com quem você ora, a sua oração devocional ou de petição, ou de proteção e livramento?
Lc. 9.18;28,29. Enquanto ele estava orando à parte achavam-se com ele somente seus discípulos; Cerca de oito dias depois de ter proferido essas palavras, tomou Jesus consigo a Pedro, a João e a Tiago, e subiu ao monte para orar.Enquanto ele orava, mudou-se a aparência do seu rosto, e a sua roupa tornou-se branca e resplandecente.
A oração nos eleva as regiões celestiais.
A oração do perdão, pelos ignorantes [faltos de conhecimento, do erro] das coisas de Deus, que se fazem nossos inimigos e até mesmo nos trituram com dentes de aço e nos fazem sofrer agruras atrozes.
Na Cruz, Jesus demonstrou isto, na sua Oração ao Pai.
Lc.23. 34. Jesus, porém, dizia: Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem.
O Evangelho de Lucas ainda nos traz outros ensinamentos sobre a Oração.
3-A oração ensinada por parábolas.
Amigo importuno – 11.5-10; Aqui Lucas, completa o quadro com um exemplo em parábola.
Orar sempre, desfalecer na oração?
Jamais!
A petição ensinada através da parábola do juiz iníquo Lc. 18.1-8Orar sempre, e nunca desfalecer na oração.
O amor do Pai.
4-Abrindo a dispensa pela Oração.
9 Pelo que eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á;
10 pois todo o que pede, recebe; e quem busca acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á.
Tenho visto crentes, que desconhecem ou se esqueceram da Oração nas horas de dificuldades, estes crentes oram, mas precisam estudar esta Lição- Lc. 18.1 Contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer.
O fariseu e publicano – citada neste texto.
Além das orações de Gratidão e adoração, Lucas complementa os sinóticos com este verdadeiro compêndio de Orações.
Leia e veja em
– 1.46-56, [Sacerdote Zacarias] 68-79; 2. 28, 29-38 [Simeão e Ana – a viúva] ;
VI-Atos dos Apóstolos.
O Evangelho da Igreja.
Quando lemos as linhas deste livro vemos o quanto a oração foi determinante na vida da Igreja primitiva.
1-Primazia e Novidade.
Em relação a presença do Espírito Santo.
Poder buscar o Batismo de fogo, anunciado por João o Baptista e prometido por Jesus Cristo.
At.1. 14. Todos estes perseveravam unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.
Esta é uma das maiores ‘charis’ neotestamentária, a busca de poder através da Oração.
A Oração que trás poder a quem pede, em nome de Jesus.
2-A primeira ordenação neotestamentária.
Na oração os discípulos buscaram direção do Espírito Santo, para poder escolher o novo membro do Colégio Apostólico.
2-1- Matias.
At. 1. 24. E orando, disseram: Tu, Senhor, que conheces os corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhido
Um ensinamento mantido entre nós.Glórias a Deus!
3-A Oração constante da Igreja.
Uma das passagens prediletas da vida da Igreja, eu encontro em Atos dos Apóstolos 12. 5. Pedro, pois, estava guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus.
Mesmo após terem recebido o Espírito Santo, como batismo de fogo, a Igreja não se acomoda, e continua em oração, pois agora haviam entendido, a nova relação com Deus, bastava orar e o que eles pediam o Senhor lhe concedia.
Assim, cada crente tinha tudo em comum, mas o bem mais real na vida cristã, ou dos membros do Caminho era a oração, como um amálgama entre todos eles.
At.2.42. ... e perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.
Parece-me, que Lucas quer ressaltar no final da frase o principal – oração.
VII-CONCEITOS DE Oração neotestamentária.
1- Nas ações paulinas.
At.16.13. No sábado saímos portas afora para a beira do rio, onde julgávamos haver um lugar de oração e, sentados, falávamos às mulheres ali reunidas.
Após a Convenção de Jerusalém, Paulo levava, em comissão do Concílio, a todos os crentes de vários lugares, novas aos gentios sobre a Doutrina a ser observada [At.16].
Paulo em sua segunda viagem missionária chega a Filipos, onde procurou algum local onde houvesse oração.
Imaginava, que a beira do rio seria um lugar tranqüilo para orar.
Esta é uma importante nota neotestamentária, pois trata-se do primeiro local onde Paulo se instala para orar a Deus, na Europa.
Deveria haver no local uma pequena colônia judaica, indicada pela ausência de uma sinagoga [formada por, no mínimo, 10 homens, maiores de 12 anos].
Neste mesmo local vamos encontrar Paulo e seu companheiro de viagem orando e cantando.
Embora, em circunstâncias duras, mas tornamos a ver a vivacidade de um coração sob a presença da Cruz de Cristo, ou como Paulo diria: “Jesus é a minha única razão de pregação”.
VIII-Oração Neotestamentária
Continuando...
A-O exemplo do Mestre.
Leia a Oração sacerdotal.
A Oração do Senhor!
João 17.
O importante nesta relação homem-Deus no Novo Testamento é o ensino demonstrativo de Jesus.
Ele em sendo Deus, como Filho, manifesta a forma de orar.
-Em cada situação um exemplo
-Em cada lugar uma forma
-Em cada momento uma forma verbal
-E a todos ensina uma oração perfeita.
B-Fundamentos
-Amor
-Perdão
-Humilhação
1. Quando Jesus orou?
Em horas de grandes provações - oração no Getsêmani, poucas horas antes de sua morte.
Tempo de uma oração.
Quanto tempo você pode estar junto à deus, em oração?
1-1- Aprenda com Jesus e os discípulos.
Aprenda a dificuldade de orar, a oração espontânea na forma neotestamentária, sem um livro de oração, agora a oração é fruto do coração livre, sem salmário ou outros livros de oração.
No jardim de Getsêmani, Pedro, Tiago e João, ouviram o pedido de Jesus, que aguardassem enquanto ele foi orar e o pedido para ajudá-los em vigília enquanto orava.
As orações dessa noite mostram a angústia que Jesus sentiu enquanto tomava os últimos passos na sua missão. Ele não queria morrer, mas reconheceu a importância de fazer a vontade do Pai, e não a sua própria vontade.
Esta oração do Jardim nos mostra a obediência à vontade suprema e a realização, até ao final desta vontade divina.
Ele orou momentos antes de grandes decisões. Na escolha dos doze homens aos quais seria dada a responsabilidade de levar o evangelho ao mundo. Lucas 6:12-16. "Retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus" (Lucas 6:12).
1-2- Orou antes de grandes feitos.
Pela extensidade do texto, vamos dar apenas uma introdução comparativa de João e os sinóticos.
João tem o seu ‘mitte’ geográfico e ministerial em Jerusalém e não na Galiléia;
João tem seu centro na Divindade de Jesus, em revelar-se como Deus e revelar Deus aos homens, no meio dos homens.
Era o Deus palpável – João.1.18. Ninguém jamais viu a Deus. O Deus unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer. 38 Voltando-se Jesus e vendo que o seguiam, perguntou-lhes: Que buscais? Disseram-lhe eles: rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras [pousas]?39 Respondeu-lhes: Vinde, e vereis. Foram, pois, e viram onde morava [pousava]; e ficaram com ele aquele dia; era já quase a hora décima.
Nas palavras de João em I João 1.1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida
Na ressurreição de Lázaro dentre os mortos - orou ao seu Pai (João 11:41-43).
Ele orou quando sua obra terminou (João 17:4.Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer.).
Você já orou pelo que Deus realizou, através de sua vida?
Pois, Jesus nos ensina a sermos servos prestadores de conta de nossa mordomia. – Lembre da parábola dos talentos.
1-3- Onde Jesus orou?
Este é um ponto, a ser discutido nesta lição, porque a oração Neotestamentária se diferencia ou não das orações Veterotestamentárias, em condições e lugares.
Sabemos que no AT os sacrifícios eram realizados nos ‘altos’.
Mas, vemos Jonas orando [sem discutir a tipologia] dentro da baleia, ou grande peixe.
Hoje há um movimento para subir aos montes, com base na forma que Jesus, muito se utilizou – vide texto acima - , mas eu encontro um respaldo para Jesus orar, nos montes, sem nenhuma singularidade com o modelo do AT – altos – mas, por uma questão de “o filho do homem, não tem onde reclinar a cabeça”.
1-4- Ele orou no jardim, e marca-nos, por escolher, a noite ou o amanhecer.
Aprenda – Orar de madrugada é bom e eficaz, como ação e exercício da concentração do pensamento, naquilo que de melhor podemos fazer na nossa relação com Deus – Orar à Ele.
Devido a muita atividade diária, em seu Ministério, quando encontramos, até nesta parte do dia judeu, os discípulos aproveitando destes horários para tirar as dúvidas, após um dia estafante do Mestre, assim eles aprendiam, até sobre as parábolas, ou outras dúvidas, e mesmo sobre a oração.
Jesus nos ensina com isto, uma questão importante.
1-5- Ter hábito de orar.
Isto levou até o Mestre, o seu próprio traidor, ele conhecia os horários de Jesus orar.
Imagine um fariseu orando em via pública [v], é o oposto do que o Novo testamento nos ensina através de Jesus – “fecha a porta do teu quarto...” ; um lugar adequado, é do ensino neotestamentário - haveria menos distração com o mundo apressado -
Tais hábitos eram tão típicos da vida de Cristo, que Judas sabia exatamente onde encontrá-lo.(Jo. 18:1-3).
1-6- Por que Jesus orou?
Para nos ensinar, que ao homem há recursos superiores divinos, só encontrados no Pai.
Para mostrar obediência a vontade do Pai.
Para nos ensinar submissão em nossas tarefas espirituais e de toda as fases e etapas da via
Por fim, para nos ensinar que há socorro vindo dos Céus em resposta as nossas Orações.
Portanto, aprenda a Oração em o Novo Testamento é uma etapa de novidade, mas pode realizar proezas como aconteceram, no Antigo Testamento.
CONCLUSÃO.
Exemplificando o Poder da Oração.
Deus continua ouvindo a Oração de seus servos,  ao pedir [NT] no nome Poderoso de Jesus Cristo.
Exemplo.
-A Oração de Salomão moveu os umbrais do Templo.
-A Oração de Pedro e João moveram o edifício do Sinédrio, as cadeias, onde estava, Pedro, Paulo, Silas.
-A Oração em concordância se mostra verdadeiramente eficaz e poderosa.
Quando alguém pedir para você orar – ‘vamos orar’- seja crente o suficiente, para entender, o que pode acontecer.
Deus estende a sua mão para curar.
Concede intrepidez.
Acontecem sinais e prodígios.
At.4.24-31. Ao ouvirem isto, levantaram unanimemente a voz a Deus e disseram: Senhor, tu que fizeste o céu, a terra, o mar, e tudo o que neles há; que pelo Espírito Santo, por boca de nosso pai Davi, teu servo, disseste: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs? Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se à uma, contra o Senhor e contra o seu Ungido.Porque verdadeiramente se ajuntaram, nesta cidade, contra o teu santo Servo Jesus, ao qual ungiste, não só Herodes, mas também Pôncio Pilatos com os gentios e os povos de Israel; para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho predeterminaram que se fizesse. Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Servo Jesus. E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos;
A oração nos faz andar com Deus, além de falar com Deus – Orai sem cessar – [modo contínuo].
Jesus nos ensinou, como homem, qual é o privilégio de a Deus.
Só ora a Deus, quem anda com Ele [mas, Ele espera a tua oração, se você quiser, começar a andar com Ele, Hoje!].
Portanto, o momento mais íntimo do crente, ou do homem que quer se aproximar de Deus é a Oração!
Escolha entre o sono e a oração, faça como Jesus, e tenha momentos preciosos com o Pai.
Oração é o privilégio de quem quer ser chamados de filhos de Deus.
Fonte.
"Senhor, Ensina-nos a Orar" - por Dennis Allan
Estudo do Livro de Mateus - por Dennis Allan
Vivos
Bíblia Plenitude
Bíblia digital – cortesia Tio Sam
Lição – CPAD - EBD

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical