sábado, outubro 9

A Oração no Antigo Testamento. Lição 02-CPAD-4º Trimestre/2010

A Oração no Antigo Testamento.
Lição 02-CPAD-4º Trimestre/2010                                      Autor. Osvarela
Texto Áureo.Então os sacerdotes e os levitas se levantaram e abençoaram o povo; e a sua voz foi ouvida; porque a sua oração chegou até à sua santa habitação de Deus, até aos céus.”. 2 Cr.30.27.

Reflexão:
Sl.54.2. Ó Deus, ouve a minha oração, dá ouvidos às palavras a minha boca.
Leitura Bíblica em Classe.
1 Cr. 18.31-39.
36 Sucedeu que, no momento de ser oferecido o sacrifício da tarde, o profeta Elias se aproximou, e disse: Ó Senhor Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme à tua palavra fiz todas estas coisas.Responde-me, Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu és o Senhor Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração.
I-Pequena Exegese:
-Encontramos neste texto uma das mais curtas Orações do Antigo Testamento.
יצחק ישראל, שיהיה ידוע היום כי אתה אלוהים בישראל, כי אני עבדך, וכי על פי דברך עשיתי את כל הדברים האלה. תענה לי, הו אלוהים, ענה לי, כי העם הזה יודע כי האתה יהוה אלהים, וכי דברת לחזור ללב שלך.
Ó Senhor Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme à tua palavra fiz todas estas coisas. Responde-me, Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu és o Senhor Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração.
II-Antiguidade da Oração:
Mi Kamôcha quem é como tu entre os deuses? .
Hino de mais de 3000 anos, proclamado pelos israelitas quando da abertura do Mar Vermelho (vide Ex 15:11. Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas?).
III-Transliteração - Exôdo 15.1.ss.
KA MI-MO-CHA?
(Quem é como Tu)
Mi Ka-mo-cha b'e-lim, Adonai? Mi Ka-mo-cha b'e lim, Adonai?
Mi Ka-mo-cha? Ka Mi-cha-mo?
Ne-dar ba-ko-desh. Ne-dar-ba-ko-Desh.
No-ra t'hi'lot, o-seh fe-leh, o-seh fe-leh. T'hi'lot ra-Não, o fe-seh leh-o-seh fe leh.
Quem é como Tu, ó Senhor,
Entre os deuses?
Quem é como Tu? Senhor.
Não há ninguém mais,
Admirável em louvor,
Operando maravilhas, ó Senhor.
Quem é como Tu, Senhor?
(Êxodo 15:11) Paul Wilbur
IV- Glossário.
imprecar (im-pre-car) v.t.
Expressar o desejo de que recaiam sobre alguém males (ou bens).
Pedir, rogar com insistência.
v.i. Rogar pragas, soltar pragas.
V-Intercessão.
Intercessão "consiste no pedir em favor d'outro. Ela conforma-nos e une-nos à Jesus que intercede junto de Deus Pai por todos os que N'Ele creêm. A intercessão deve estender-se também aos inimigos".
1-O Que É A Intercessão?
É estar na brecha por outro, a estar brecha é impedir, que vaze sobre outro, males, dores, ou mesmo colocar-se no local onde o outro não pode resistir ou tem um ponto crítico, que lhe é fatal ou lhe causa dores. É preencher o espaço entre o que está na nossa intercessão, e a sua necessidade.
-É pedir algo a favor de alguém.
-É solicitar ajuda para um outro.
É a obra de alguém que se coloca entre um que tem uma necessidade e aquele que pode supri-la. Algo que ignoramos às vezes é que não é necessário que aquele que tem a necessidade esteja ciente que o outro está intercedendo. Talvez seja uma obra maior, justamente a intercessão feita em prol daqueles que ignoram o perigo que correm e não sentem nenhuma necessidade de ajuda.
VI- Detalhando.
Na lição anterior repassamos uma informação sobre a atividade e uso da oração entre os hebreus.
Notadamente no período do At.
Gn.20.17. E orou Abraão a Deus, e sarou Deus a Abimeleque, e à sua mulher, e às suas servas, de maneira que tiveram filhos;
Neste comentário gostaria de dividir o assunto dentro do AT no período antes da lei e depois da lei.
Assim, podemos encontrar duas modalidades desta relação do homem com Deus.
Uma na fala direta, que também é oração, mas é suscitada no AT pelo relacionamento direto iniciado pelo próprio Deus.
Aí temos, oração como conversar ou dialogar com Deus.
A Bíblia diz que Moisés falava com Deus cara a cara.
Fala de Abraão, que falava com Deus como um amigo fala com outro amigo.
Gn.15.1-5.DEPOIS destas coisas veio a palavra do Senhor a Abrão em visão, dizendo: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão.Então disse Abrão: Senhor Deus, que me hás de dar, pois ando sem filhos, e o mordomo da minha casa é o damasceno Eliézer? Disse mais Abrão: Eis que não me tens dado filhos, e eis que um nascido na minha casa será o meu herdeiro. E eis que veio a palavra do Senhor a ele dizendo: Este não será o teu herdeiro; mas aquele que de tuas entranhas sair, este será o teu herdeiro. Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência.
1-Relacionamento verbal.
Gn.16.8.ss. E disse: Agar, serva de Sarai, donde vens, e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai minha senhora. Então lhe disse o anjo do Senhor: Torna-te para tua senhora, e humilha-te debaixo de suas mãos. Disse-lhe mais o anjo do Senhor: Multiplicarei sobremaneira a tua descendência, [...] E ele será homem feroz, e a sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos. E ela chamou o nome do Senhor, que com ela falava: Tu és Deus que me vê; porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê?
São espécies de relacionamentos verbais, passíveis de serem catalogados como Oração.
1 Cr.30.27..Então os sacerdotes e os levitas se levantaram e abençoaram o povo; e a sua voz foi ouvida; porque a sua oração chegou até à santa habitação de Deus, até aos céus.
Em sua grande maioria se enquadram como tal, dentro da modalidade:
-Um pedido
-Um rogo.
-Uma súplica.
-Uma Adoração
-Um Hino
2-A Oração no AT - é uma proposta divina de Deus para com o homem para reatar, sob o manto da imputabilidade do justo, através da Santidade, a relação destruída no Éden pelo pecado.
Parece ser algo impensável, mas requer reconhecimento, de que para isto, Deus chamou a Abrão, para sair de sua Terra e parentela, e pelo processo pactual, Ele estabelecer uma relação de amigo, com Abrão, mudando-lhe até mesmo, o nome.
Tg.2.23. E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus.
Esta imputação, termo legal, em dar crédito de justificado a Abrão, agora Abraão, se torna o fiel deste relacionamento.
-Pelo lado divino inquebrável, ou seja, aliança eterna.
-Pelo lado humano, de Abraão, mais do que uma promessa é a porta para a Oração, ou orações, que lhe se abria, a qualquer instante.
Muito embora, pelo imenso amor de Deus, Abraão passa a ser mais procurado, por Deus em momentos de dificuldades, e de desencanto, de sua vida e daqueles com os quais vive e convive.
Sara

Melquizedeque
Seus pastores
Agar e seu filho - Ismael
Rei do Egito
Gn.18.16.17. E levantaram-se aqueles homens dali, e olharam para o lado de Sodoma; e Abraão ia com eles, acompanhando-os.E disse o Senhor: Ocultarei eu a Abraão o que faço,
Esta ótica relacional pela Oração, manifesta o desejo de Deus ter sempre um canal para falar com a sua Criação terrena, mais importante: O Homem!
Esta forma de oração só seria resgatada, após o sacrifício de Cristo no Calvário, conforme diz o escritor da Epístola aos Hebreus.
Hb. 10. 19,20. Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne
3-Orar No Amtigo Testamento.
Antes da Lei – comunicação direta;
Muito embora, Abraão conhecesse e utilizava esta forma de pedido a Deus.
Vemos isto de forma clara no livro do Gênesis, em vários capítulos.
Na aula passada, comentamos “A palavra no hebraico pode ser definida por vários termos um deles é tephilla, que significa ‘súplica a Deus”.
Temos então o exemplo da súplica de Abraão pelos justos moradores em Sodoma.
VII-Intercessão – SÚPLICA POR ALGUÉM -
Gn.18.16,18. E levantaram-se aqueles homens dali, e olharam para o lado de Sodoma; e Abraão ia com eles, acompanhando-os. E disse o Senhor: Ocultarei eu a Abraão o que faço, Visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra?
22,23. Então viraram aqueles homens os rostos dali, e foram-se para Sodoma; mas Abraão ficou ainda em pé diante da face do Senhor.E chegou-se Abraão, dizendo: Destruirás também o justo com o ímpio?
Isaías 1.15: “Quando vocês erguem para mim as mãos, eu desvio o meu olhar; ainda que multipliquem as orações (tephillah), eu não escutarei”.
Ex. 33.11. E falava o Senhor a Moisés face a face, como qualquer fala com o seu amigo; depois tornava-se ao arraial; mas o seu servidor, o jovem Josué, filho de Num, nunca se apartava do meio da tenda.
Nós como Igreja temos o mesmo direito que estes Pais de Israel.
João 15.15. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.
Depois da Lei – sacerdotes, profetas e especiais...
VIII- - Classes de Oração.
A-Oração Incentivada por Deus para Conversão.
Se nós atentarmos para as Escrituras do AT veremos que há uma incitação a Oração, pelo próprio Deus de Israel.
Esta é uma vertente a ser explorada na lição como incentivo a Oração e ao entendimento desta relação com Deus, por sua nação – seu povo - Israel.
Deus vê a necessidade da nação, em pedir a Ele, que conhece todas as coisas, a cura da terra, o afastar dos conflitos com as nações vizinhas, tudo isto demonstra:
Deus conhecia a aflição do povo.
Deus sabia do afastamento do povo para com Ele - Isaías 1,15:Quando vocês erguem para mim as mãos, eu desvio o meu olhar; ainda que multipliquem as orações (tephillah), eu não escutarei.
Deus dá a solução para que o povo reconheça a soberania de Jeová para suprir sua necessidade.
-Com arrependimento
-Com humilhação
-E com a Oração – aqui, orar significa reconhecimento da Nação, ao poderio da Divindade verdadeira, que poderia curá-la de todos os males.
B-Para Benefício da Nação.
A oração não pode tornar o que ora maior do que a Oração.
Mesmo os maiores profetas e homens de Deus se mostraram frágeis, no contexto bíblico, mas oraram e o Senhor se manifestou, cerrou os céus, pecaram, se arrependeram, e o Senhor cumpriu os seus pedidos em Oração.
A exemplo de Moisés, de Davi e de Elias.
Tg.5.17. Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra.
O próprio Deus ensina ao povo o caminho da oração, com arrependimento, afim de que desta forma o povo saiba, que há solução no poder da oração, para sarar a terra e trazer o perdão nacional e as conseqüentes bênçãos.
A Oração é uma busca da face de Deus.
Aprendamos com o Senhor como busca-lo e como alcançar o seu bom favor.
1-Arrependimento - se converter dos seus maus caminhos;
2-Humilhação;
Orar é mais - “e orar, e buscar a minha face”.
Leia o texto bíblico:
2 Cr.7.14.E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.
C-- Orações Intercessórias – Oração de Abraão Por Justos Em Sodoma – Ló;
1 Rs.18.33. Quando o teu povo Israel for ferido diante do inimigo, por ter pecado contra ti, e se converterem a ti, e confessarem o teu nome, e orarem e suplicarem a ti nesta casa,
34-39. Ouve tu então nos céus, e perdoa o pecado do teu povo Israel, e torna-o a levar à terra que tens dado a seus pais. Ouve tu então nos céus, e perdoa o pecado de teus servos e do teu povo Israel, ensinando-lhes o bom caminho em que andem, e dá chuva na tua terra que deste ao teu povo em herança.Toda a oração, toda a súplica, que qualquer homem de todo o teu povo Israel fizer, conhecendo cada um a chaga do seu coração, e estendendo as suas mãos para esta casa,Ouve tu então nos céus, assento da tua habitação, e perdoa, e age, e dá a cada um conforme a todos os seus caminhos, e segundo vires o seu coração, porque só tu conheces o coração de todos os filhos dos homens.
A oração de Salomão traz um mover divino especial:
A ação de Deus, à partir da Oração: “39. Ouve tu então nos céus, assento da tua habitação, e perdoa, e age...”
A Oração tem este poder, mover as mãos de Deus em favor daquele que ora, sempre haverá oração quando Deus é invocado na Oração, após humilhação – significa entender Deus como o único a resolver as situações impossíveis -
D- Orações vocativas – Oração de Salomã.
2 Cr.7.40,42. Agora, pois, ó meu Deus, estejam os teus olhos abertos, e os teus ouvidos atentos à oração deste lugar. Ó Senhor Deus, não faças virar o rosto do teu ungido; lembra-te das misericórdias de Davi teu servo.
-Oração de Consagração de local – Oração de Salomão -
– Consagração do Templo de Salomão;
Na realidade este tipo de Oração no AT, é uma oração de que o povo, apresenta a Deus, um local para que Deus possa estar de contínuo no meio da Congregação, seja no antigo Tabernáculo, como no Templo novo.
Assim, temos uma lição como está o templo do Espírito Santo, que somos nós?
Podemos oferecê-lo a Deus?
Consagra-lo?
Deus pode enchê-lo com Sua glória?
Nosso coração é Shekinah para Deus?
2 Cr.7.1-2. E ACABANDO Salomão de orar, desceu o fogo do céu, e consumiu o holocausto e os sacrifícios; e a glória do Senhor encheu a casa. E os sacerdotes não podiam entrar na casa do Senhor, porque a glória do Senhor tinha enchido a casa do Senhor.
E-Orações imprecatórias – Oração de Davi -
F-Orações de agradecimento –
-Oração de Ana – agradecimento com adoração – 1 Sm.1.1.2. ENTÃO orou Ana, e disse: O meu coração exulta ao Senhor, o meu poder está exaltado no Senhor; a minha boca se dilatou sobre os meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação. Não há santo como o Senhor; porque não há outro fora de ti; e rocha nenhuma há como o nosso Deus; 6-8. O Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela.O Senhor empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do Senhor são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo.
IX-Os Propósitos E Benefícios da Oração
A oração no AT nos leva a meditar sobre os propósitos e benefícios advindos desta relação comunicativa do homem que crê em Deus, ou da nação – este é para mim o principal viés da Oração no AT -
1-Serve para ter comunhão com Deus, mas também para alcançar bênçãos.
2-Serve especialmente para termos comunhão com Deus, pois Ele já sabe tudo que precisamos. Não se incentiva pedir bênçãos a Deus, pois Ele já determinou todas as coisas que vão acontecer. A oração é um meio da graça.
3-Serve para ter comunhão com Deus, mas também para alcançar bênçãos. Se não orarmos deixaremos de receber muitas bênçãos.
X-Perspectivas da Oração no Antigo Testamento.
A- Oração no Israel Nacional.
Precisamos entender que a Oração Nacional em Israel era uma liturgia de grande pompa e com toda uma forma ordenada, baseada nos louvores, pela qual o séqüito de Deus enchia o Templo.
Havia uma Ordem de levitas conforme a sabedoria que Deus deu ao Rei Davi, para instituí-la.
2Cr 5:12 - E os levitas, que eram cantores, todos eles, de Asafe, de Hemã, de Jedutum, de seus filhos e de seus irmãos, vestidos de linho fino, com címbalos, com saltérios e com harpas, estavam em pé para o oriente do altar; e com eles até cento e vinte sacerdotes, que tocavam as trombetas).
A Arca garantia a presença de Deus, mas as Orações garantia a sua manifestação.
Havia grupo de condutores das liturgias e Orações, e a Bíblia relata até a vidência – manifestação de visões e profecias - nestas atividades.
Grande parte das Orações do AT é encontrada no Livro dos Salmos.
Há uma lógica divina em orar e adorar.
Assim, as grandes orações bíblicas são conhecidas em cânticos mundialmente reconhecidos.
Ali encontramos orações magníficas, com certas perspectivas, mas a maioria delas é de caráter messiânico ou caráter rogativo, súplicas e adoração, mas também encontramos as chamadas orações imprecatórias.
Por esta causa revendo as condições destas orações podemos colocar as orações do AT, sob certas perspectivas.
Sl.18.6. Na minha angústia invoquei o Senhor, sim, clamei ao meu Deus; do seu templo ouviu ele a minha voz; o clamor que eu lhe fiz chegou aos seus ouvidos.
1. Perspectiva Cristológica.
A perspectiva cristológica é evidente em todo o AT.
Assim, quando alguns de seus personagens oram, eles invocam a redenção messiânica.
No livro de Gênesis,, nos encontramos a primeira oração em forma de cântico, que foi proferida por nossa mãe Eva, no nascimento de Caim.
Gn.4.1. E CONHECEU Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do Senhor um homem.
2. Perspectiva Soteriológica.
No AT a oração messiânica é tipológica, é o prenuncio da vinda do Messias – Isaías, Zacarias, Salmos, Moisés, e outros escreveram sob esta ótica.
Na realidade a Oração no AT é prenuncial para a chegada do Messias e libertadora, antes da lei, como soteriológica e messiânica após a Lei.
3. Perspectiva Eclesiástica.
A oração no AT, sob esta ótica é Congregacional, vide as canções poéticas dos salmos, e outros cânticos congregacionais, usados como oração.Sob a direção Sacerdotal.
Congregação como reunião dos escolhidos e santos de Deus em um só arraial.
Dentro da perspectiva eclesiástica podemos encontrar no próprio Novo testamento a perspectiva da Oração.
Há característica própria para Orar.
3-1.Orar em cânticos
a-Líder das Orações: Ter um que ‘esforça’ – comanda – o cântico ou podemos ler as Orações..
1 Cr. 15.21,22. E Matitias, Elifeleu, Micnéias, Obede-Edom, Jeiel, e Azazias, com harpas, sobre Seminite, para sobressairem. E Quenanias, chefe dos levitas, tinha o encargo de dirigir o canto; ensinava-os a entoá-lo, porque era entendido.
1 Cr. 16.4,5.E pôs alguns dos levitas por ministros perante a arca do Senhor; isto para recordarem, e louvarem, e celebrarem ao Senhor Deus de Israel. Era Asafe, o chefe, e Zacarias o segundo depois dele; Jeiel, e Semiramote, e Jeiel, e Matitias, e Eliabe, e Benaia, e Obede-Edom, e Jeiel, com alaúdes e com harpas; e Asafe se fazia ouvir com címbalos;
1Cr 16:7 - Então naquele mesmo dia Davi, em primeiro lugar, deu o seguinte salmo para que, pelo ministério de Asafe e de seus irmãos, louvassem ao Senhor;
2Cr 29:30 - Então o rei Ezequias e os príncipes disseram aos levitas que louvassem ao Senhor com as palavras de Davi, e de Asafe, o vidente. E o louvaram com alegria e se inclinaram e adoraram.
b-Oração com Poder:
2Cr 20:14 - Então veio o Espírito do Senhor, no meio da congregação, sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Benaia, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita, dos filhos de Asafe,
2Cr 35:15 - E os cantores, filhos de Asafe, estavam no seu posto, segundo o mandado de Davi, e de Asafe, e de Hemã, e de Jedutum, vidente do rei, como também os porteiros a cada porta; não necessitaram de se desviarem do seu ministério; porquanto seus irmãos, os levitas, preparavam o necessário para eles.
c-Oração Conjunta – em grupo.
Em Mateus 26:30 e Marcos 14:26, é dito que Jesus e Seus discípulos “cantaram um hino” depois de terminarem sua ceia da Páscoa.
Trata-se de um contexto religioso-cultural judaico, pertencente ao procedimento do Sidur judaico da Páscoa, o qual era sempre encerrado com o cântico [última parte] do “Hallel” (Salmos 113-118) ou o Salmo 136.
Devemos entender que Jesus foi um judeu cumpridor de todas as Escrituras, incluindo a Lei, assim ele foi um exemplo de toda a Tradição religiosa a ser cumprida, sem a religiosidade farisaica, mas a autentica, neste plano inclui-se a Oração.
d-Cultura do hebraica do Antigo Testamento.
Na cultura religiosa do AT era parte da adoração e realizado em forma de Oração, tal como aparece em I Coríntios 14: 15, 26 e Efésios 5:19 e Colossenses 3:16, era e ainda é a prática litúrgica mais comum na adoração judaica. A seqüência “salmos, hinos e cânticos”, que aparece em ambas as passagens, também é encontrada nos escritos de Flávio Josefo (The Antiquities of the Jews 7.12.3; 12.7.7), um escritor judaico contemporâneo de Paulo.
A Adoração na realidade se torna uma oração no sentido de orar com agradecimento à Deus.
Ex.12.3. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. 47. Toda a congregação de Israel o fará.
Quando lemos Tiago, notamos que há uma relação entre a oração e o cântico dos Salmos (Tiago 5:13- Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.), refletindo desta maneira, o entendimento judaico comum de que a prática destes caracteriza a vida do homem piedoso
Quando falamos deste item, temos que entender que a voz da Congregação é demonstrada na oração dos sacerdotes, ao orarem a Deus.
São a voz oficial, que ora pelo perdão, pelas bênçãos, pela remissão sacrificial de todo a Congregação.
Sob a perspectiva da Aliança do Sinai – Ex.19. -
4. Perspectiva Escatológica.
A perspectiva da escatologia em Israel é advinda da noção do juízo de Deus, pelos erros do povo.
Assim a perspectiva da oração dos sacerdotes, dos profetas, do libertador, é no sentido da preservação da nação como um todo, um povo só – o ovo de Deus.
Usando passagens bíblicas do NT, sob a perspectiva judaica podemos estudar esta divisão como uma perspectiva plausível na Oração do AT.
Apocalipse 7:9-12; 14:1-3; e 15:2-4
Nos textos supra, temos uma visão escatológica do grupo dos que foram redimidos.
É um que demonstra a Esperança judaica da salvação futura e da redenção escatológica final, sob a ótica do Dia do Senhor, que é o formato da escatologia do Antigo Testamento.
Nas orações diárias da Sinagoga – lembre do exílio, lendo Jeremias - (Shirah Hadashah) eram realizadas antes da Amidah (a “Grande Oração Silenciosa” central da adoração da sinagoga) que diz: “Um novo cântico será entoado pelos redimidos, em louvor ao Teu reino para sempre.
5. Perspectiva Sociológica.
A perspectiva sociológica da Oração em Israel era pela benção de Deus sobre seu povo.
-Mantença da geração dos hebreus
-Mantença da benção sobre a população israelita, estrangeiros e seu gado.
-Pelo desviar de pragas, seja no povo, nas culturas de sobrevivência, nas guerras, na criação.
-Pelo juízo do desvio adúltero de toda uma Nação – ver Lição sobre Jeremias – com conseqüente empobrecimento, espoliação dos ricos, sem afeto natural e divino, pelos pobres;
Situação geo-política e a Oração:
A situação social é terrível, antes e durante cercos e dominações estrangeiras, com total perda dos valores de Israel; jovens e crianças estão pelas ruas, até as madrugadas e não respeitam aos anciãos e aos pais.
O profeta ora a Deus por esta situação.
Jr. 9.21. Porque a morte subiu pelas nossas janelas, e entrou em nossos palácios, para exterminar as crianças das ruas e os jovens das praças.
As perspectivas das orações em Israel, base do AT eram sob o ponto de vista da Cosmovisão nacional pelo conceito de povo – povo de Jeová.
XI-Outra visão desta perspectiva é a regularidade de horários da Oração.
Jo 11:9 - Não são doze as horas do dia?
O Dia Judaico (24 horas)
18:00 h. cair da tarde Mt.20:8; Mt.14:23
18:00 h. pôr do sol Gn.28:11; Mc.1:32
Cada período, dividido em quatro partes de três horas cada, denominados:
Primeira hora Iniciava-se no levante do Sol
Terceira hora Iniciava-se as 9 horas
Sexta hora Iniciava-se ao meio dia
Nona hora Iniciava-se as 3 da tarde
Períodos do Dia e as Orações.
Horas regulares de Oração.
Sl.119.147. Antecipo-me à alva da manhã e clamo;
Orações fixas para cada ocasião.
Três orações fixas.
A terceira: 9:00 horas;
A sexta: meio dia;
A nona: 15:00 horas.
XII- ORAÇÕES NO MUNDO JUDAICO.
Tefiylah, Neum, Hattafah, Mishpat. [Substantivo Feminino.]
1-ORAÇÕES DIÁRIAS.
Aleinu - oração que conclui cada uma das orações diárias.
Amidá ou Shemonê Esrê - Lit. “em pé” ou “dezoito”; prece silenciosa recitada em pé (por isso se chama Amidá), três vezes ao dia. Originalmente continha 18 bênçãos (por isso se chama Shemonê Esrê); depois foi acrescentada uma 19ª bênção, mas o nome original continua.
Sl.139.4 Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces.
Talvez assim possamos interpretar com maior qualidade este verso do Salmo 139
Chazan - cantor litúrgico ou aquele que lidera a congregação nas orações.
XIII-A Tradição e as formas de Orar.
A tradição estabeleceu que certa oração devesse pronunciar-se de pé, outras enquanto se estava sentado, caminhando, montado em burro, sentado ou deitado em cama.

Já no Talmud e na Halachá, Lei Judaica encontramos muitas vezes dia e noite divididos em 24 horas;
a) o Shemá matinal deve ser recitado até o final da terceira hora do dia;
b) na véspera de Pêssach só pode-se ingerir chamêts, alimentos levedados, até o final da quarta hora do dia. Assim também no que diz respeito aos horários das orações, do Shabat e das Festas Judaicas.
Estas, porém, não são horas comuns de 60 minutos; cada hora é 1/12 do tempo que compreende do nascer ao pôr-do-sol, enquanto o horário noturno é compreendido do pôr ao nascer do sol.
Estas horas são momentos que devem ser entendidos como uma relação a interpretação e uso e costumes judaicos, não sendo uma referencia bíblica.
A-Serviço Sinagogal.
Sabemos que no exílio por não ter um lugar para culto os judeus criaram as Sinagogas, local para Oração ao eterno e para ensino e discussão de sua religião – Lei.
Portanto no contexto do Antigo Testamento.
XIV-O Serviço Sinagogal Diário foi divido em três períodos:
Determinados pela Lei.
Estas palavras as inculcarás aos teus filhos e delas falarás …ao deitar-te e ao levantar-te ( Dt 6, 7).-Shacharit (Serviço da manhã) - recita-se o Shemá
-Minchá (Serviço da Tarde)
- Arvit (Serviço da Noite). - torna a recitar-se o Shemá.
ou
Tefilat-sakarit
[oração da manhã] - sachar - luz da manhã.Tefilat- Minká [oração da tarde]Tefilat-Arvit [oração da noite].Para estabelecer uma ligação com as práticas hebraicas antigas, os rabinos contam a hagadá (narração da história), de como tais horários de oração foram estabelecidos pelos Patriarcas.
O Talmude registra as seguintes palavras de Rabi Yose Ben Hanina (fim do 3ºséc. E.C.): Os Patriarcas instituíram as (três diárias) orações”.
Referindo-se aos patriarcas filhos de Israel – Jacó.
1-O Shacharit (heb.: oração do amanhecer) teria sido estabelecido por Avraham, com base em interpretação do texto de Bereshit [princípio] (Gn) 19:27: “Avraham [Abraão] levantou-se de madrugada, e foi ao lugar onde estivera em pé na presença do Senhor”.
2-O Minchá (heb.: sacrifício, oferta de manjares) - derivada da farinha que acompanha o sacrifício - tem sua origem atribuída a Itschák [Isaque], sobre base interpretativa de Bereshit 24:63: “Saiu Isaque a meditar no campo, à tarde e, levantando os olhos, viu que vinham camelos”. Atos 3:1 relata a ida de Kêfa [Pedro] e Yochanan [João]ao Templo para participarem deste serviço ao Eterno.
3-O Arvit (heb. oração noturna) também chamado de Maariv a partir do século XVI, pelos judeus ashkenazim (originários do leste europeu), tem origem atribuída a Yáakov [Jacó], a partir de uma interpretação de Bereshit 28:11: “Chegou a um lugar onde passou a noite, porque o sol já se havia posto. Tomando uma das pedras daquele lugar e fazendo-a de travesseiro,deitou-se ali para dormir”.
A-Buscando novamente uma referencia no Antigo e no Novo Testamento vamos encontrar os homens de Deus como Daniel e os discípulos cumprindo o horário da Oração.
Dn.6.8.10. Agora, pois, ó rei, confirma a proibição, e assina o edito, para que não seja mudado, conforme a lei dos medos e dos persas, que não se pode revogar.Por esta razão o rei Dario assinou o edito e a proibição.Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.
Dn. 9:21 - Estando eu, digo, ainda falando na oração, o homem Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio, voando rapidamente, e tocou-me, à hora do sacrifício da tarde.
No entendimento dos rabinos judaicos:
Em Atos 3:1 vemos o relato de Kêfa (Pedro) e Yochanan (João) indo ao BêtHaMikdásh para participarem do Serviço da tarde, conhecido como Minchá.
Atos 3:1 - E PEDRO e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona.
Apóstolo Paulo. At.22.17. E aconteceu que, tornando eu para Jerusalém, quando orava no templo, fui arrebatado para fora de mim.
XV-Liturgia da Sinagoga:
1-Classes de Orações.
A) Adoração: Considera-se o poder, a majestade, a grandeza e o mistério de Deus. Deus não necessita da nossa adoração, mas nós necessitamos adorá-lo. As orações de adoração protegem o homem, evitando que se apegue ao que é falso e degradante; o propósito da oração é encontrar nossa relação com o Deus vivo. Essa oração é expressa em palavras que entoam louvores a Deus. O louvor a Deus é uma resposta à sua majestade e glória. À medida que enunciamos esses louvores somos levados a um plano mais alto de sentimento e pensamento.

B) Agradecimento [berahá]: Tem como objetivo tornar-nos conscientes das bênçãos que nos cercam e das quais recebemos benefícios diariamente. Só após louvar e agradecer, o judeu, nas suas orações, chega às preces nas quais exprime o seu pedido.
C) Suplicatórias: Suplicamos a Deus em favor daqueles que estão enfermos e encorajamos mesmo o agonizante a orar pela restauração da saúde para o serviço útil a Deus. As orações suplicatórias exigem que o adorador se concentre na vontade de Deus em vez da própria vontade. Nossa súplica (pedindo a bênção para a vida) deve ser motivada pelo desejo de usar essa bênção para a glória de Deus. As orações judaicas de súplica são feitas no plural em vez do singular a fim de aguçar a consciência a respeito dos outros. [principal oração suplicatória da liturgia judaica].
D) Penitenciais: O homem confessa seu erro e pede perdão. Essas preces recebem o nome de SELIHOT. O judeu pede ajuda a Deus a fim de que possa superar seus maus desejos. Apela por outra oportunidade tendo intenção de agir diferentemente e confia no misericordioso perdão de Deus.
À luz do Novoo Testamento, se estudarmos o Pai Nosso veremos como ele se conforma com o dito: Pai[adoração]. Santificado teu nome [berahá]. Venha teu reino e dá-nos o pão [suplicatórios]. Perdoa [penitencial].
2-ORAÇÕES INICIAIS E CÂNTICOS – Seção compostos por Salmos e poesias elaboradas durante os séculos.
a-BARECHU - É uma convocação à Adoração [convite formal para a Oração], que possivelmente remonta o tempo de Ezra (Esdras) (Vide Ne 9:5). A fórmula abreviada Barechu et Adonai (Bendizei ao Eterno) ocorre em Sl 134:1-2 e 135:19.
Segundo Rabi Akiva (110-135 E.C.), a fórmula que deveria ser dita é apenas a Barechu et Adonai (Bendizei ao Senhor), seguindo o padrão citado nos textos bíblicos.
Entretanto, Rabi Ishmael, seu contemporâneo, defendia a fórmula Barechu et Adonai HaMevorách Leolam Vaêd (Bendizei ao Eterno que é Bendito para todo o sempre), pois achava-a mais completa. A opinião deste foi seguida pelos amoraim (eruditos judeus, residentes em Israel e na Babilônia entre os séculos III e VI E.C., responsáveis pela Guemará, a conclusão da Mishná, ou “Lei oral”).
b-SHEMÁ (Proclamação da Unicidade de Deus) – O Shemá é composto pelo texto de Dt 6:4-9. No período do Segundo Templo foram acrescentados à sua recitação tradicional os textos de Dt 11:13-21 e Nm 15:37-41.A recitação do mesmo recebe o nome de Keriat Shemá [leitura do Shemá] pois, era semicantada, em voz alta.
AMIDÁ – (heb. De pé) é a grande oração judaica, [principal oração suplicatória da liturgia judaica]. conhecida pelos judeus ashkenazim como Shemonê-Ezrê (Dezoito) por causa das dezoito bênçãos que originalmente a compunham. Tradicionalmente é recitada por um adorador postado de pé, com os pés juntos e voltado para Jerusalém.
Hashaná eram normativamente entoadas pelas escolas dos Rabinos Hilel e Shamai (30 a.E.C. a 20 E.C.).
XV-As Vestes E Paramentos Para Oração.
Mesmo se considerarmos numa visão contemporânea, aos tempos de Jesus Cristo, estas vestes estavam inseridas num contexto de devido respeito e liturgia legal.
Talit - Manto Para As Orações. Com franjas - tsitsit;
T. Gadol, "talit grande", com o qual se envolve o corpo durante as preces da manhã. T. Katán, "pequeno talit", uma roupa retangular que se veste permanentemente debaixo da roupa.










Tefilin - Lit. “Filactérios”; dois quadrados pretos de couro, um para ser utilizado na cabeça e o outro colocado no braço; contêm pequenos rolos de pergaminho com passagens bíblicas da Torá; usado durante as rezas matinais.
1-Patriarcal -
2-Libertação
3-Nação –
4-Rogo pela Nação.
Daniel 9. 1-5. NO ano primeiro de Dario, filho de Assuero, da linhagem dos medos, o qual foi constituído rei sobre o reino dos caldeus, No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número dos anos, de que falara o Senhor ao profeta Jeremias, em que haviam de cumprir-se as desolações de Jerusalém, era de setenta anos. E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza. E orei ao Senhor meu Deus, e confessei, e disse: Ah! Senhor! Deus grande e tremendo, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos; Pecamos, e cometemos iniqüidades, e procedemos impiamente, e fomos rebeldes, apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos;
Shemá Israel A-do-nai Elokenu A-do-nai Ehad.
Ouve Israel, A-do-nai é nosso Deus, A-do-nai é Um. Ouve, atentamente, ó Israel, preste atenção, abre totalmente sua percepção, silenciando completamente a mente, medite sobre o que estiver pronunciando, interiorize e absorva a mensagem de tal forma que se torne parte de sua própria essência... D’us é Um e é Único, e Ele é nosso Deus.
Este versículo que inicia uma das mais antigas e importantes orações do judaísmo, o Shemá, é a Declaração de fé judaica.
Nela é proclamada a própria essência do judaísmo, o que sempre diferenciou os judeus de outros povos: a crença na Unidade e Unicidade de Deus e a lealdade eterna de Israel para com seu Deus.
Shemá Israel foi o que o patriarca Jacob ouviu dos filhos em seu leito de morte.
-Foram as palavras usadas por Moisés para se dirigir aos judeus em seu último discurso, no deserto.
-O versículo resume o primeiro e o segundo mandamento do Decálogo;
-é a primeira oração que a mãe ensina a seu filho; são as últimas palavras pronunciadas por um judeu antes da morte.
A Torá ordena que o Shemá seja recitado duas vezes por dia e a tradição adicionou mais duas – uma antes do Shacharit (reza matinal), a outra à noite, antes de dormir. [transliterado de Morasha].
Forma de Orar – olhos fechados ou olhos abertos.
1-- DE PÉ OU DE JOELHOS?
Estivemos no Muro das Lamentações e verificamos que os judeus oram de pé, e num contínuo movimento do corpo, em total concentração.
Mas, pesquisando sobre modos de oração e na própria Bíblia encontramos outras posições para diversidade de Orações.
Precisamos entender, que no contexto do Antigo Testamento, no qual podemos incluir até os dias de Jesus, pois esta eram as Escrituras, para cada ação humana, havia uma relação de liturgia pessoal a ser realizada, como oferecer uma efa de farinha por um tipo de pecado ou mesmo de benção, etc.
Assim ocorria também com as Orações.
Dt.6.6-9. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás por sinal na tua mão e te serão por frontais entre os teus olhos [filatérios e ; e as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas.5 - E quando orardes, não sejais como os hipócritas, porque eles gostam de fazer oração pondo-se em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. 2Cr 29.30. - Então o rei Ezequias e os príncipes disseram aos levitas que louvassem ao Senhor com as palavras de Davi [...] E o louvaram com alegria e se inclinaram e adoraram. Aqui vemos um movimento de inclinar o corpo, não necessariamente ajoelhar-se.
Se compararmos aos nossos cultos verifica-se, a necessidade de uma maior ordem na hora da Oração.
Muitos de nós, mesmo os pastores, deixamos de orar, e mesmo de joelhos ou de pé, conversamos uns com os outros, “aproveitando” este momento sublime, quando deveríamos estar compenetrados para sermos tomados por Deus como aconteceu com Paulo no Templo.
Atos 22.17. E aconteceu que, tornando eu para Jerusalém, quando orava no templo, fui arrebatado para fora de mim. Contexto do Antigo Testamento.
Para ajudar na concentração, ao recitar o primeiro versículo, cobrem-se os olhos com a mão, pois é a oração na qual existe a obrigatoriedade de kavaná – concentração, devoção interna.
O Primeiro Parágrafo (Deuteronômio: 6:4-9): Shemá Israel Adonai Elokenu Adonai Ehad. Ouve ó Israel, Adonai é nosso Deus, Adonai é Um. (Deut. 6:4)
Segundo Parágrafo – Deuteronômio (11:13-21).
No segundo parágrafo, Deus fala a Israel como um todo, por isto é escrito na segunda pessoa do plural. E Deus ordena: "obedecer Meus preceitos" e servi-Lo "com todo vosso coração e vossa alma".

Neste trecho está contida a promessa Divina de que se Israel O obedecer, não cometer idolatria e não se afastar da crença em um único Deus, será um povo feliz na terra que lhe fora prometida.
Terceiro Parágrafo – Números (15:37-41).
No Talmud, Rabi Shimon bar Yochai afirma que na oração do Shemá, o primeiro parágrafo estabelece a obrigação de estudar os mandamentos divinos, ensiná-los e cumpri-los; o segundo aponta a obrigação de ensinar e cumprir; e o terceiro se limita à obrigação de cumprir as mitzvot (Berachot 14b), para que o povo se torna-se "um povo santo".
4-Real - 1Cr 25:6 - Todos estes estavam sob a direção de seu pai, para a música da casa do Senhor, com saltérios, címbalos e harpas, para o ministério da casa de Deus; e Asafe, Jedutum, e Hemã, estavam sob as ordens do rei.
1Cr 25:2 - Dos filhos de Asafe: Zacur, José, Netanias, e Asarela, filhos de Asafe; a cargo de Asafe, que profetizava debaixo das ordens do rei Davi.
5-Arrependimento
Conclusão:
O Antigo Terstamento nos informa que Deus sempre quer que o busuqemos em oração.
Mas, deve ser uma oração com adoração, como um louvor, mesmo que seja suplicante.
Devemos deixar que o Espírito Santo faça brotar de nosso coração uma oração verdadeira.
Devemos orar com sistemática oração, 'orai sem cessar', sem que se torne apenas um ritual,mas uma forma de estarmos sempre buscando nos aproximar-nos do Senhor.
Muito embora, tenhamos aprndido com nossos pais, que orar ao acordar, orar ao se alimentar, orar ao dormir, orar ao chegar em seu destino, seja à sua casa, ou ao trabalho são momentos em que devemos orar, com agradecimento.
Em situações de aflição , orar com rogos.
Em oração de erros e pecados, sermos como Davi, orar com arrependimento - Deus não deixará de atentar para um coração contrito.
Fonte.
Verdadeira Intercessão - de Dennis Downing
Manual de Bênçãos. Editora Beit Chabad
Talmud Berakoth 30a; ver também o Midrash de Sal. 4, sec. 9, 23b.
Bibilografia: Norman Lamm, The Shema, Spirituality and Law in Judaism - Rabbi Elie Munk, The Call of the Torah - Nissan Mindel, Minha Prece - Benjamin Blech, Understanding Judaism
Chalcedon Report, Março de 1997.
Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto
Traduzido em 1º de janeiro de 2009.
Música no Novo Testamento - Reinaldo Siqueira - Professor de Escrituras Hebraicas


Bíblia Plenitude
Bíblia digital – cortesia Tio Sam
Comentário Exegético – XVII Domingo do Tempo Comum (Ano C) - Epístola (Cl 2, 12-14)
Glossário on-line
Outras fontes no corpo do texto.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical