quarta-feira, fevereiro 9

E a Bíblia mais uma vez, tinha razão.

E a Bíblia mais uma vez, tinha razão.
Esta é uma frase lapidar.
Os evolucionistas querem morrer ao ouvi-la, entretanto, eles próprios são os maiores difusores dela.
Seja pela curiosidade, natural [Gn.1.28.... enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra. - Mandato cultural dado ao homem por Deus], seja pela aparente maneira de conferir e aferir e contestar as Escrituras.
O assunto não é novo, mas as pesquisas aumentaram em capacidade de dados e saem novas notícias a cada época, esta é uma das últimas que atestam a existência de mebros, tais como fêmur e fíbula em esqueletos de cobras [snakes], publicado nesta data, com vídeo de melhor e maior definição atômica usando radiação ‘síncrotron -  laminography’ [radiação sincontron (tipo de intensa fonte de luz – ultravioleta, infravermelho e Raios X, que permite ver a estrutura dos materiais) laminografia ] computadorizada e imagem em 3D.
Mesmo assim, os cientistas preferem achar que se trata de uma evolução da espécie, a acreditar na idéia da Criação divina!
Leia o texto sagrado:
Gn.3.14. Então o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás tu dentre todos os animais domésticos, e dentre todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.
Leia a Matéria e a repercussão em jornais científicos.
Na realidade a maior novidade é o uso da luz síncrona, aliás já pesquisada no Brasil, em Campinas – SP.

Imagem de raio-x mostra ossos de perna em fóssil de cobra

Pesquisa quer ajudar a explicar como serpentes 'perderam' as patas.
Cobras descendem de lagartos, mas não se sabe se terrestres ou aquáticos.

Cientistas usaram uma nova tecnologia de imagem de raio-x para entender melhor como as cobras “perderam” as pernas ao longo da evolução. 
O objetivo é ajudar a resolver  o debate sobre a origem das serpentes - se elas evoluíram a partir de um lagarto terrestre ou de um que viveu nos oceanos.
As imagens detalhadas em três dimensões revelam que a arquitetura interna de ossos da perna de uma cobra fossilizada se assemelham aos dos modernos lagartos terrestres. O estudo foi publicado na atual edição da publicação “Journal of Vertebrate Paleontology”.
Para gerar a imagem, foi usado um equipamento similar ao de tomografia computadorizada encontrado em hospitais, mas com nível de detalhe muito maior. Foram feitas milhares de imagens planas do fóssil que, combinadas, permitiram montar o modelo tridimensional.
Existem somente três exemplares de serpentes fósseis com ossos de perna preservada. 
A Eupodophis descouensi, o fóssil estudado nesta pesquisa, foi descoberto há dez anos em rochas de 95 milhões de anos, no Líbano.

Tem cerca de 50 cm de comprimento total e apresenta uma perna pequena, de cerca de 2 cm de comprimento, ligada à pelve. Esse fóssil é chave para entender a evolução das cobras, pois representa uma etapa intermediária evolutiva quando as serpentes antigas ainda não tinha perdido completamente as pernas que herdaram dos lagartos.
Perna escondida
Embora o fóssil apresente apenas uma perna em sua superfície, a segunda, graças à tecnologia de raio-x, foi encontrada dentro da pedra. 
Ela é flexionada no joelho e tem quatro ossos do tornozelo, mas não ossos de pé, ou muito menos dedos.
A equipe de pesquisadores é liderada por Alexandra Houssaye, do Museu Nacional de História Natural (MNHN) de Paris, e inclui ainda cientistas do European Synchrotron Radiation Facility (ESRF), em Grenoble, e do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT), Alemanha.
Amanhã posto o vídeo com a imagem atualizada.
Repercussão:
Estudo esclarece evolução das cobras
Estadão
Antes de rastejar, as cobras tinham pernas. Isso pode lembrar outra história, mas para cientistas estudando a evolução desses répteis, uma nova tecnologia de raio X deve ajudar a esclarecer se eles evoluíram de lagartos terrestres ou marinhos (uma discussão antiga – e acalorada).
Novas imagens em 3D, publicadas na revista Journal of Vertebrate Paleontology, mostram que a arquitetura interna dos ossos das pernas das cobras antigas é muito parecida com a dos lagartos terrestres modernos, fornecendo evidências sobre a origem das serpentes.
Texto traduzido:
Tradução livre.
Só existem três exemplares de serpentes fósseis com ossos da perna preservada. Eupodophis descouensi , a antiga serpente estudadas neste experimento, foi descoberto há dez anos em milhões de anos, 95 fósseis petrificados no Líbano. 
Com cerca de 50 cm de comprimento total, ele apresenta uma perna de pequeno porte, cerca de 2 cm de comprimento, ligado a pelve do animal. Este fóssil é chave para entender a evolução das cobras, pois representa uma evolução estágio intermediário, quando as cobras antigos ainda não tinham perdido completamente as pernas que herdaram dos lagartos anterior. 
Embora o fóssil apresente apenas uma perna em sua superfície, uma segunda foi possível ser verificada, pelo novo método, escondida no fóssil, e de fato esta perna foi revelada em todos os detalhes, graças a raios-X síncrotron.
As imagens de alta resolução em 3-D, em especial o detalhe fino da pequena perna enterrada, sugerem que esta espécie perdeu as pernas, porque eles cresceram mais lentamente, ou por um curto período de tempo. 
Os dados também revelam que a perna oculta é flexionada no joelho e tem quatro ossos do tornozelo, mas não ossos do pé ou dedo do pé.
"A revelação da estrutura interna de Eupodophis patas traseiras nos permite investigar o processo de regressão dos membros, em evolução de serpentes”, diz Alexandra Houssaye
Science News - Synchrotron Radiation Facility Europeia (2011, 07 de fevereiro).
G1
BBC
ESRF / P.Tafforeau / A.Houssaye
E outras fontes

4 comentários:

Anônimo disse...

Olá agradável este espaço está bem organizado.........bom trabalho :)
Muito Bonito faz mais posts deste modo !

Flora disse...

sim, então as cobras perderam as patas durante a evolução. e daí? tem algum mandamento que diz pra galinha perder os dentes? porque isso aconteceu também.

e eu não entendi bem. por que você usou uma prova clara de processo evolutivo pra discutir a idiotisse que seria a evolução?

e porque uma única cobra causaria a punição de uma espécie inteira? esse fóssil então seria prova de que a perda das patas foi um processo lento de várias gerações? porque esse fóssil é claramente um intermediário com patas quase inúteis.

eu queria uma resposta séria, por favor, porque minha curiosidade é séria. eu realmente não entendo o pensamento criacionista, e eu gosto de ver vários lados.

abraços

osiel varela disse...

Cara Flora.
A questão colocada no texto é sobre a declaração de Deus sobre as serpentes passarem, a se movimentarem sobre seu ventre e numa alusão a isto: "e pó comerás" - Livro do[a] Gênesis Capítulo 3.14.Trata-se de um assunto sério para mim;este fato [as pernas 'introventre' das serpentes, ou vestígios delas, ou atrofiadas] não é para mim uma prova de noção evolutiva, mas uma prova, de que antes deste episódio, narrado nas Escrituras Sagradas, as serpentes possuiam uma forma de locomoção, que não o rastejar - Então o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás tu dentre todos os animais domésticos, e dentre todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. -
Trata-se também de uma questão de crença.
Eu creio nas Escrituras e creio no Criacionismo e não na Teoria darwiniana.
Aliás eu e mais alguns bilhões de pessoas,cristãos ou não, inclusive Cientistas renomados.
Porém eu tenho uma certeza: de que eu, não preciso provar o que a Bíblia diz.Mas, há inúmeras provas arqueológicas, como esta, simples das serpentes e sua formação, que a Ciência tem comprovado.
Se como você diz:"e porque uma única cobra causaria a punição de uma espécie inteira? esse fóssil então seria prova de que a perda das patas foi um processo lento de várias gerações? porque esse fóssil é claramente um intermediário com patas quase inúteis."
Ora, uma espécie é ou não uma espécie de animal, uma galinha, não tem bico de pato, e veio de uma galinha.A modificação genética foi declarada sobre a espécie e não sobre um único animal.
Se as patas são inúteis, se você acha se o proceso foi lento e há inutilidade destes membros atrofiados, é claro que o que Deus disse se cumpriu.Ou não?As 'legs' deixaram de exercer função e as cobras rastejam, ou não?
Além disto há questão do tempo destes fósseis, e a própria matéria cientifica e não eu, é que afirma:"Estudo esclarece evolução das cobras
Estadão..Antes de rastejar, as cobras tinham pernas...Novas imagens em 3D, publicadas na revista Journal of Vertebrate Paleontology, mostram que a arquitetura interna dos ossos das pernas das cobras antigas é muito parecida com a dos lagartos terrestres modernos, fornecendo evidências sobre a origem das serpentes."
Talvez vc queira chamar de evolução o que eu leio na Bíblia como ordenação divina, mitigada num exemplar criado por Deus, sem extinguir a espécie, como fazemos em nossos dias, matando e caçando baleias, rinocerontes,etc...
Grato pela leitura do texto e de nossa página, e um grande abraço.
Fraternalmente em Cristo.Osvarela

osiel varela disse...

Para vc que leu e achou este espaço agradável, meu muito obrigado.Volte sempre.
Fraternalmente em Cristo.
Osvarela

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical