sexta-feira, janeiro 13

Lição 03 CPAD – 2012 – 1º Trim - OS FRUTOS DA OBEDIENCIA NA VIDA DE ISRAEL.


Lição 03 CPAD – 2012 – 1º Trim
Subsídio: Osvarela
OS FRUTOS DA OBEDIÊNCIA NA VIDA DE ISRAEL.
Dt. 11.29. Deuteronômio 11:29.E será que, havendo-te [quando] o SENHOR teu Deus te introduzido [introduzir] na terra, a que vais para possuí-la, então pronunciarás a bênção sobre o monte Gerizim, e a maldição sobre o monte Ebal. Texto Áureo.
É necessário entender que a prosperidade não está nas mãos dos homens.
Jó 21:13  Na prosperidade gastam os seus dias, e num momento descem à sepultura.
14 E, todavia, dizem a Deus: Retira-te de nós; porque não desejamos ter conhecimento dos teus caminhos.
Ela só é perene e verdadeira [não entender prosperidade como acúmulo de riqueza- Ec.6.2; I Samuel 25:25.Meu senhor, agora não faça este homem vil, a saber, Nabal, impressão no seu coração, porque tal é ele qual é o seu nome. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele, e eu, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste. - Nabal], quando é advinda da Obediência a Lei de Deus.  

"Vede, porém, que a prosperidade não está nas mãos deles; esteja longe de mim o conselho dos ímpios!"  (Jó 21 : 16)
Deuteronômio 11:26-32
Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição;
A bênção, quando cumprirdes os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que hoje vos mando;
Porém a maldição, se não ouvirdes [cumprirdes] os mandamentos do SENHOR vosso Deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes.
E será que, havendo-te o SENHOR teu Deus te introduzido na terra [quando o SENHOR teu Deus te introduzir na terra], a que vais para possuí-la, então pronunciarás a bênção sobre o monte Gerizim, e a maldição sobre o monte Ebal.
Porventura não estão eles além [daquém] do Jordão, junto ao caminho do pôr do sol, na terra dos cananeus, que habitam na campina defronte de Gilgal, junto aos carvalhais de Moré?
Porque passareis o Jordão para entrardes a possuir a terra, que vos dá o SENHOR vosso Deus; e a possuireis, e nela habitareis.
Tende, pois, cuidado em cumprir todos os estatutos e os juízos, que eu hoje vos proponho. Leitura Bíblica em Classe.
Entendo o Ponto de Reflexão:
Prosperidade versus Obediência.
Início:
O povo de Deus não foi obrigado por Deus [saltando de Abraão ao povo liberto do Egito, conforme a afirmativa divina a Abrão].

Quando o povo saiu do Egito Deus confidenciou a Moisés o seu desejo de fazer o povo próspero.
Para isto necessitava de uma concordância do povo.
Devemos aprender que se aceitamos servis a Cristo, declaramos com nossos lábios a Confissão de fé no batismo, está garantido da parte de Deus seu compromisso em nos fazer próspero, é o que podemos aprender nesta fase da escolha e aliança dos Hebreus com Deus, agora não só com os Patriarcas, mas com toda massa formada na escravidão do Egito.
Prosperidade- aqui aprendo, é forjada na experiência e trabalho e muitas vezes, no maltrato em nossa vida.
A marca cronológica da Aliança sinaítica está em Êxodo 19.
Êxodo 19:1. AO terceiro mês da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai,
Não foi forçada, mas democrática.
Só que a liderança a ser exercida passou e deveria ser sempre, para prosperidade continuada, teocrática.
Deus ofereceu uma Prosperidade pleromática.
Isto é, como ‘Eu Sou Deus e todas as coisas são minhas...vocês terão  tudo o que é meu...’
Nasce deste ponto a prosperidade atada a obediência de uma Aliança. Êxodo 19:1-5.
AO terceiro mês da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai,
E subiu Moisés a Deus, e o SENHOR o chamou do monte, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel:
Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim;
Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha.
Foi quebrada muitas e muitas vezes, ao longo da história hebraica.
Foi reatada muitas e muitas vezes, pelo clamor e volta a Deus e por sua Misericórdia e Fidelidade, à sua Palavra.
No período do governo teocrático, manifesto na figura de um Libertador, quando a obediência sujeitava a  Justiça agir, como correção.
Entenda:
A Justiça Divina agia por sua fidelidade à Aliança; e pelo afastamento dos hebreus à Aliança.
Mas, em nome da aliança sinaítica a parte divina agia com misericórdia e mitigava o erro da parte humana, com a ação do Espírito Santo investindo na vida de um líder, e o revestindo, ou seja, o revestimento tornava o Libertador, tipo de Cristo;
Juízes 6:34. Então o Espírito do SENHOR revestiu a Gideão, o qual tocou a buzina, e os abiezritas se ajuntaram após ele.
Na imago Dei fortalecida pelo Espírito Eterno, de tal forma, que a figura do Eterno era sentida e vista aos olhos dos inimigos, pela ação do Libertador.
Exemplo os 300 de Gideão pode por em retirada “...midianitas e amalequitas, e todos os filhos do Oriente [que] jaziam no vale como gafanhotos em multidão;”(Jz.7.12)
Juízes 7:19-21.Chegou, pois, Gideão, e os cem homens que com ele iam, ao extremo do arraial, ao princípio da vigília da meia noite, havendo sido de pouco trocadas as guardas; então tocaram as buzinas, e quebraram os cântaros, que tinham nas mãos.
E conservou-se cada um no seu lugar ao redor do arraial; então todo o exército pôs-se a correr e, gritando, fugiu.  
Seja no período dos Reis – Monarquia.
I Samuel 16:1:13.ENTÃO disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche um chifre de azeite, e vem, enviar-te-ei a Jessé o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.
Então Samuel tomou o chifre do azeite, e ungiu-o no meio de seus irmãos; e desde aquele dia em diante o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi; então Samuel se levantou, e voltou a Ramá.
Desde este ponto geográfico, determinado por Deus para, ser o local, onde pelo texto se pode chegar ao entendimento, de como, inferir ao entendimento dos hebreus sobre a necessidade da obediência, para que seu povo tenha uma verdadeira e duradoura prosperidade.
Até chegarmos aos montes gêmeos de Ebal e Geresim, aos quais Deus determinou a Moisés o pronunciamento da Benção e Maldição, mostra um tempo para reflexão e alcance mental e pessoal pelo povo para recepção e entendimento desta necessidade, aos que buscam Prosperidade.
Assim, acontece conosco, Deus nos declara o que precisamos fazer para alcançarmos a benção da prosperidade, Ito é a Benção total, completa.
Ele continua a nos ensinar na caminhada, por promessas a nos ensinar até chegarmos ao ponto inflexível, no qual, ainda que a Palavra de Deus não caia, mas por causa do homem, haverá a determinação final pela qual nós seremos instados a aceitar nossas decisões sobre:
Queremos ser prósperos?
Queremos obedecer?
Ou queremos ser mais um, no meio de tantos?
Colhendo os frutos da Obediência.
Ou colhendo os frutos da desobediência.
Esta é uma perspectiva de vida a ser ensinada na aula deste domingo.
Obedecer para prosperar!
É o ponto de inflexão:
Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição;
Não dá para tagiversar.
A Prosperidade de Israel está na decisão:
Decisão deve ser sábia, para alcançá-la.
Nós temos a mente de Cristo. Como sabemos a sabedoria é aquela que dirige os passos do homem que quer alcançara a prosperidade.
Ao buscarmos a etimologia verificamos que a palavra pode ter exatamente este significado – Sabedoria = prosperidade.
"Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca."  (Provérbios 4 : 5)
"Quão melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! e quão mais excelente é adquirir a prudência do que a prata!"  (Provérbios 16 : 16)
"Tão boa é a sabedoria como a herança, e dela tiram proveito os que vêem o sol."  (Eclesiastes 7 : 11)
sakal: a sabedoria que traz prosperidade. 
Um outro termo no Antigo Testamento - śākal.
Significa "ser sábio", "agir sabiamente" e, por extensão, "ter sucesso".
Esta palavra está relacionada à vida prudente, ao agir cautelosa e sabiamente em todos os momentos e circunstâncias.
Deuteronômio 27:11-10.E Moisés deu ordem naquele dia ao povo, dizendo:Quando houverdes passado o Jordão, estes estarão sobre o monte Gerizim, para abençoarem o povo: Simeão, e Levi, e Judá, e Issacar, e José, e Benjamim;E estes estarão sobre o monte Ebal para amaldiçoar: Rúben, Gade, e Aser, e Zebulom, Dã e Naftali.Falou mais Moisés, juntamente com os sacerdotes levitas, a todo o Israel, dizendo: Guarda silêncio e ouve, ó Israel! Hoje vieste a ser povo do SENHOR teu Deus.Portanto obedecerás à voz do SENHOR teu Deus, e cumprirás os seus mandamentos e os seus estatutos que hoje te ordeno.
Ou seja, agindo com sabedoria, poderemos alcançar com a obediência, que também exige sabedoria, a Prosperidade.
Assim, a prosperidade só dá fruto pela sementeira da Obediência.
"E disse ao homem: Eis que o temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência."  (Jó 28 : 28)
Moisés ao reafirmar no capítulo 27, indicando os arautos de cada fruto da obediência ou desobediência, indica que só os que mantiverem-se obediente serão alcançados pela Prosperidade.
À luz da prosperidade genuinamente bíblica, é correto dizer-se que todos nasceram e nascem para crescer, ou para prosperar.
Por isso é normal sonhar e ter sonho normal.
Entenda sonho como projetos atuais e futuros.
Sonhar com a prosperidade.
Todavia, é necessário saber, com clareza, que a prosperidade bíblica é demonstrada pelo ensino vivido dos hebreus. 
Uma História Hebréia:
Mardoqueu um exemplo de que a obediência pôde alcançar todo o povo hebreu.
"Porque o judeu Mardoqueu foi o segundo depois do rei Assuero, e grande entre os judeus, e estimado pela multidão de seus irmãos, procurando o bem do seu povo, e proclamando a prosperidade de toda a sua descendência." (Ester 10 : 3)
Os hebreus puderam desfrutar da prosperidade em suas gerações porque Mardoqueu se interpôs a ser obediente, ao seu povo e ao Deus do seu Povo.
O seu apego a lei do Senhor identifica, no meio de um Reino que por instantes esteve pronto a extinguir a raça hebréia.(Ester 3.6-9)
Porém a sua sabedoria - sakal [grafia incompleta por uso de linguagem do programa] - pôde estender a prosperidade a todos os judeus no cativeiro e até aos nossos dias.
Conclusão:
Ao serem obedientes os hebreus nos legaram uma sabedoria, à respeito da Prosperidade.:
Quando estamos na obediência aos ensinamentos e mandamentos de Deus a prosperidade estará agindo em nossas vidas e em nossa terra.
Quando estamos fora da obediência estamos sujeitos apenas a misericórdia e mitigação da parte daquele, com quem temos uma aliança.
Mas, estamos com a prosperidade, mas não desfrutamos dela.
Só voltamos ver a terra dar seus frutos, se transformarmos, esta obediência em atos.
Será aí, nesse momento que voltamos a obter o prazer de desfrutar a prosperidade, pela misericórdia e mitigação de nossos erros.
A Mitigação, nos permite desfrutar, mas deixa marcas no meio do povo, como fome, desterro, perdas, batalhas perdidas.
Quando restauramos como Josias e/ou quando ‘salomanizamos’ nossas ações de escolha pela sabedoria -   - temos paz duradoura, e nossos frutos voltam a vicejar e podemos nos alimentar deles.
Parece-me que é como o fruto da árvore da Ciência do Bem e do Mal (Gn.2.9):
Gênesis 3:3-16.Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais.
E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.
No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.
E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.
Consciência pura, vivemos edenicamente.
Consciência impura; vivemos do suor dos nossos músculos e aterra é cheia de abrolhos; temos dores de parto.
Passamos a viver sob o nosso entendimento humano e não sob o entendimento da vontade de Deus.
Somos tal qual, sete (7) situações:
Em tempos, homens e situações:
1-Um Sansão rasga um leão com as suas mãos, no meio;
2-Um Sansão com olhos furados;
3-Um Samuel rejeitado;
4-Um Davi ungido;
5-Um Saul com reino rasgado;
6- Um Salomão sábio em pedir; sakal: a sabedoria que traz prosperidade. 
7-Um Salomão ‘concubinizado’.
Qual destas situações você escolhe para obter prosperidade e além disto viver?
Eis a questão!
Etimologia:
hupakoe - Obediência – hupo – sob; akouo – ouvir; ouvir com atenção, escutar com submissão; assentimento, ou aceitar orientação ou ordem;concordância condescendente.
Sentido teológico – obedecer aos Mandamentos de Deus;Obedecer aos Mandamentos de Cristo.
sakal: a sabedoria que traz prosperidade. 
O que significa a expressão “pleromática”? A expressão “pleromática” deriva-se do vocábulo grego pleroma que significa plenitude, inteireza. 
Fonte:
Bíblia Plenitude
Lição CPAD
Dados do autor deste subsídio
Hermes C. Fernandes - Introdução à Visão Pleromática
Sítio Teologia &Graça
Bíblia Hábil

Um comentário:

Abnaias disse...

Obrigado pelo seu comentário.
Já estou te seguindo. Siga-me também.
Parabéns pelo o seu lindo e útil blog!
Meu contato é:
abnartes@bol.com.br
Celular: (74) 9966-3839

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical