terça-feira, março 6

Feriado do Purim.Festeja a Salvação Do Povo Hebreu.


Uma Festa Judia.
Festeja a Salvação de Um Povo.
Feriado do Purim.
Pur - פור                                Purim - פורים
Festeja a vida de um Povo guiado por Deus.
Sem nenhuma vez se conseguir ler explicitamente o do Nome Eterno – D’us, a história do Purim celebra Deus, em toda Sua Majestade protetora.
Celebra o seu desejo de ter um povo seu.
Mostra como Ele age sem ser notado nas linhas da escritura, mas a sua soberania é absolutamente vista, nos atos e consequências finais desta saga judia.
Mardoqueu e Ester são os personagens desta história, para provar a forte presença de Deus, sem expressar o seu nome, mas fazendo a sua vontade.
Uma história de amor fraternal de um tio pela sua consanguínea sobrinha;
Uma história de humilhação, que prova que Deus exalta o humilhado e abate o exaltado diante de seu próprio povo e fora do aparente território inimigo, mas mostra que onde pisar o pé de um homem escolhido por Deus este território passa a servir de cenário para contar a história do Poder de D’us.
Hamã, o inimigo do povo hebreu é uma demonstração da tosca tentativa, que aparentemente está dando certo, em destruir que serve a D’us.
Porém, o seu final é o reservado aquilo que está escrito em Salmos 73.
Ilustre, como diz o seu próprio nome, enganador e bajulador do rei para lhe tirar vantagem pessoal, Mardoqueu se atreveu a impedir e menosprezar, não só o povo judeu, ou a Mardoqueu, bastou uma noite e uma leitura de parte da vida de Mardoqueu, para o cativeiro de Mardoqueu se iniciar e ele ser envergonhado.
O cativo deixou de ser humilhado, o conquistador passou a ser humilhado, porque D’us é Deus!
O Ilustre foi humilhado, o que estava no pó passou pelas ruas no mais imponente cavalo, o cavalo do Rei!
Filhos de trabalhadores estrangeiros usam máscaras para comemorar o Purim, em Tel Aviv, em Israel.
A primeira tentativa de um holocausto judeu.
Nesta época, ocorreu um diabólico plano para exterminação dos judeus.
Arquitetado por Hamã, agadita inimigo e despeitado, dos judeus, principalmente pelo tio da rainha Ester, o homem judeu, Mardoqueu, ele pretendia extirpar todos os judeus.
Era a primeira das muitas tentativas de extinção da raça.
Fato, que voltou a acontecer, há poucos anos atrás, pela Alemanha liderada por Hitler.
O feriado celebra a salvação dos judeus do plano de Hamã, para exterminá-los, no antigo Império Persa, como é no Livro de Ester, na Bíblia. Ariel Schalit/AP
Feriado do Purim.
Ester 9.22-32. Como os dias em que os judeus tiveram repouso dos seus inimigos, e o mês que se lhes mudou de tristeza em alegria, e de luto em dia de festa, para que os fizessem dias de banquetes e de alegria, e de mandarem presentes uns aos outros, e dádivas aos pobres. E os judeus encarregaram-se de fazer o que já tinham começado, como também o que Mardoqueu lhes tinha escrito.

Porque Hamã, filho de Hamedata, o agagita, inimigo de todos os judeus, tinha intentado destruir os judeus, e tinha lançado Pur, isto é, a sorte, para os assolar e destruir.Mas, vindo isto perante o rei, mandou ele por cartas que o mau intento que Hamã formara contra os judeus, se tornasse sobre a sua cabeça; pelo que penduraram a ele e a seus filhos numa forca. 

Haman, seu nome significa "Ilustre". Durante a celebração do Purim nas Sinagogas, o "Rolo" (Meguilah) de Ester é lido duas vezes, e durante a leitura, todas as vezes que este nome vai ser pronunciado, as crianças, giram as matracas freneticamente, para que este nome seja riscado da história do povo de Deus. 

Por isso aqueles dias chamam Purim, do nome Pur; assim também por causa de todas as palavras daquela carta, e do que viram sobre isso, e do que lhes tinha sucedido, confirmaram os judeus, e tomaram sobre si, e sobre a sua descendência, e sobre todos os que se achegassem a eles, que não se deixaria de guardar estes dois dias conforme ao que se escrevera deles, e segundo o seu tempo determinado, todos os anos.E que estes dias seriam lembrados e guardados em cada geração, família, província e cidade, e que esses dias de Purim não fossem revogados entre os judeus, e que a memória deles nunca teria fim entre os de sua descendência.
Então a rainha Ester, filha de Abiail, e Mardoqueu, o judeu, escreveram com toda autoridade uma segunda vez, para confirmar a carta a respeito de Purim.E mandaram cartas a todos os judeus, às cento e vinte e sete províncias do reino de Assuero, com palavras de paz e verdade.Para confirmarem estes dias de Purim nos seus tempos determinados, como Mardoqueu, o judeu, e a rainha Ester lhes tinham estabelecido, e como eles mesmos já o tinham estabelecido sobre si e sobre a sua descendência, acerca do jejum e do seu clamor.E o mandado de Ester estabeleceu os sucessos daquele Purim; e escreveu-se no livro.
חג פורים שמח
Feliz Festa de Purim!

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical