sexta-feira, julho 12

Esperança Em Meio À Adversidade - Lição 2 – CPAD - Texto Final

Esperança em Meio à Adversidade
Lição 2 – CPAD - 3º Trimestre                          Editor e escritor deste Subsídio: Pr. Osvarela
Filipenses 1:21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.
Fé é a possessão presente da Graça; a Esperança é a confiança na consumação da Graça futura!
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:
Filipenses 1:12-21
E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho;
De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares;
E muitos dos irmãos no SENHOR, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor.
Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade;
Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões.
Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho.
Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.
Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,
Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.
Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.
PEQUENO GLOSSÁRIO:
תקווה
Tikva – Esperança. Expectativa; algo desejado e previsto ansiosamente; alguma coisa pela qual alguém espera. 
Tiqva – vem do verbo qavah, que significa “esperar por” ou “olhar esperançosamente” numa direção particular. Seu significado original era “esticar como uma corda”. 
Tiqvah também é traduzida como “linha”, “cordão” – Js.2.18,21.Raabe foi orientada a amarrar uma tiqvah de escarlate (cordão ou corda) na janela do local onde morava com sua família, em Jericó. 
Em Oséias 2.15 Jeová é a esperança de Israel, mesmo adúltera e transformará o Vale da Dificuldade (ou problema, ou adversidade), em “porta de esperança”; do piedoso em Sl 71.5.
Elpisελπις; Esperança na expectativa otimista ou pensamento desejoso, sem qualquer fundamento, mas no sentido de expectativa confiante assentado sobre uma sólida certeza. A Esperança bíblica repousa nas promessas de Deus, majoritariamente a esperança da Iminência (Volta de Jesus, O Senhor); A esperança nunca é inferior à fé, mas sim uma extensão da fé. Fé é a possessão presente da Graça; a Esperança é a confiança na consumação da Graça futura!
Elpis (el-pís)
- De ελπω, elpo, que é uma palavra primária (antecipar, geralmente com prazer); expectativa (abstrata ou concretamente) ou confiança: – fé, esperança.
Petach Tikva – Porta da esperança -
Seber – com teor semântico de fio de esperança, uma esperança tênue. Aguardar, esperar. - Salmo 119. 166. Espero, Senhor, na Tua salvação, e cumpro os teus mandamentos.
Outras vertentes na língua hebraica para esperança:
Mabbat - esperança, expectativa (Zc 9.5; Is 20.5-6)
Kesel - confiança, esperança (Pr 3.26; Jó 8.14)
Hasah - buscar refúgio, confiar, esperar (Sl 118.8-9)
Batah - confiar (Sl 16.9; 33.21).
Minha esperança [tohelet] está em Ti! (Sl 39.7).
Hino   de Israel - Hatikva – A Esperança.
Adversário - m. Inimigo; o que se opõe. Adj. Que luta contra. (Lat. adversarius)
Adversidade - f. Contrariedade. Infelicidade; sorte adversa. (Lat. adversitas)
Adversidade - (Etm. do latim: adversitas.atis) s.f. Particularidade ou natureza do que é adverso; desvantajoso. Falta de sorte; infortúnio, desgraça: “...sempre esteve pronto para superar todas as adversidades”. Algo que incomoda; aborrecimento: “...todos os dias é confrontada com inúmeras adversidades”.
Gosto de um significado para adversidade oriundo do étimo Adversativo - adj.Oposto. Gram. Que indica diferença entre o que precede e o que segue: preposicão adversativa.
Adversia - f. Des. Inspiração diabólica. (De adverso); Ap 12:9 -   E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.
Adversidade - subst. f. 1. situação difícil ou hostil.
Intensa expectação- Gr. apokaradokia - ἀποκαραδοκία – termo de cunho da literatura cristã, pós-paulina.
Sugere um foco concentrado naquilo que está pela frente. Segue a linha de similaridade, da palavra mestra: Esperança.
O substantivo αποκαραδοκια (Strong # 603), e traduzido como "ardente expectativa" é uma palavra longa composta, encontrada apenas aqui Filipenses 1:20, e em Romanos 8.19 onde o inspirado apóstolo Paulo afirma: "A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus". É a expectativa escatológica de trazer de volta um estado anterior de conforto e bem-estar.
Composta de três raízes, απο , "a partir, de longe"; καρα , "a cabeça"; e δοκευω , "para esperar, esperar," portanto, literalmente, "a expectativa de espera com a cabeça erguida olhando para longe."
Parkhurst define αποκαραδοκια como: "expectativa Atenta ou séria, ou procurando, como com o pescoço esticado e a cabeça apontanda para a frente."
Assim, a ideia da palavra, é aquele que espera com a cabeça erguida e os olhos fixos no ponto a distância que o objeto esperado aparecerá.
Podemos ver isso na ilustração, do passageiro, que está na plataforma de uma estação, ansiosamente inclinado, para frente para ver o primeiro vislumbre da locomotiva que se aproxima, quando ela vai aparecer na curva. Após a curva, não se vê a locomotiva, mas olhamos para a curva na expectativa esperançosa, que a locomotiva vai surgir, a qualquer instante!
Bagster afirma: "para assistir com a cabeça esticada, para manter um ansioso olhar para longe, ou para fora."
Meyer diz que o termo significa corretamente: "... espera expectativa sob continua pressão até que o objetivo seja alcançado".
EXÓRDIO.
Adversidade é sinônimo de infortúnio ou revés.
Mas também costuma ser entendida como derrota, principalmente quando significa perda de controle de algo ou a não realização de desejos pessoais. É justamente por isso que não gostamos dela.
Ninguém deseja ou tem nenhuma simpatia com as adversidades, ao contrário quando ela vem, é algo contra o que, o cristão procura refúgio e respostas em Deus.
A compreensão do étimo desta palavra nos mostrará, ao longo deste Estudo, que se trata no cerne de algo proveniente da ação do Maligno, ou Adver-sário.
SOB O TEMA: “A Humildade de Cristo como Exemplo para a Igreja”, a lição deste terceiro trimestre se esmera em realizar uma exegese contemporânea para os alunos da Escola Bíblica Dominical.
Eis um tema que transpassa e exala desta Epístola paulina. Numa época em que muitos estavam, como em nossos dias, tripudiando sobre as suas prisões o Apóstolo Paulo observa de dentro do cárcere em Roma, e aponta a humildade como algo inerente a vida de alegria dos santos, sejam bispos ou diáconos.
Sejam “presbuteros”, ou seja, cristão sem nominação na Carta.
Todos são instados a ser como o Senhor Jesus: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo”.
Este traço é uma necessidade na vida do cristão, só assim nós podemos viver: em alegria e regozijo e como tema desta Lição segunda:
Em Esperança, em meio às adversidades.
Para alguém preso e sofrido Paulo é um exemplo para sua Igreja, a primeira do mundo ocidental, a Europa.
Assim, Paulo exorta o ânimo dos filipenses neste trecho em destaque nesta semana.
Tendo como base a humildade Paulo exorta a Esperança, como fundamental para passarmos quaisquer adversidades.
Como viver em alegria e manter esperança, em meio à adversidade é a proposta desta Lição.
Ao estudarmos a etimologia poderemos compreender melhor o sentido desta palavra e seu cunho e relação com a vida espiritual.
Eis que vamos aprender, porque esta palavra tem muito a ver com a nossa luta diária, a luta que o Apóstolo Paulo travava diariamente, a luta contra o Adversário.
1Pe 5:8 - Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;
Esperança a Garantia do Cristão:
Fé e Esperança gêmeas do ânimo do crente!
A esperança nunca é inferior à fé, mas sim uma extensão da fé.
Abraão: “...mas também à que é da fé que teve Abraão... O qual, em esperança, creu contra a esperança”
As Escrituras são o Livro que mais exalta e enuncia a esperança.
Gênesis 3:15 E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.
Desde o seu primeiro livro, Gênesis, Deus lança no momento mais agudo da sua Criação, uma palavra de esperança para a Humanidade, o mundo antropológico, voltará a ter garantia de regeneração na busca secular na esperança dada por Deus a todo o homem, nascido de mulher e por este, em especial Filho da Promessa, ser resgatada.
A esperança se traduz na “práxis” humana, no mesmo livro, mostrando que o protoevangelho foi crido por Eva, e ela canta a sua esperança de voltar a uma situação idêntica, a qual viveu com Adão, no Éden.
Eva canta a esperança ao ter um filho varão: Gênesis 4:1 E CONHECEU Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem.
Quando em situação de adversidade dentro de seu lar, após a promessa e chamada para peregrinar, por terras, onde jamais pensara ou tinha conhecimento, mas creu na Promessa.
Ele, que não tinha filhos e sofria a desventura de não deixar herdeiro de suas riquezas,  e mais: de seu nome; foi um dos campeões da Esperança: Abraão!
Romanos 4:16-21 Portanto, é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós, (Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem. O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E não enfraquecendo na fé, não atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara. E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus, E estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer.
Crer contra a Esperança é crer, contra o que se Espera nascer, mesmo com a impossibilidade [quando há indicações do contrário], como esperança é crer e aguardar algo desejado, então crer contra a esperança é crer contra aquilo que se espera [mesmo havendo indícios que pode ser impossível], crendo que ele vai acontecer, mesmo que a nossa esperança seja altamente volátil em esperar por algo improvável, quando não há mais motivo para a esperança, é crê no Milagre do Milagre.
Adversidade na vida.
Como viver em alegria e manter esperança, em meio à adversidade é a proposta desta Lição.
Da mesma forma a questão da adversidade deve ser vista no plano espiritual pela própria etimologia da palavra e seus derivativos, que significam algo proveniente da ação diabólica (q.v. – glossário).
Paulo conhecedor da atividade do reino maligno e de Satanás contra a Igreja anima aos filipenses sobre a continuarem demonstrando de forma prática coma a ele fizeram, sua alegria em meio a todas as adversidades.
Paulo mostra nesta Carta afável e diferenciada, conhecendo o contexto geopolítico e social que a Igreja de Filipos estava envolvida (veja Estudo da Carta, neste site), qual era a sua alegria e gozo em vê-los tão amáveis e especialmente abertos em servir ao Senhor e desta forma, também servi-lo, que mesmo em situação similar Paulo lhes escreve da prisão, sua mais recente adversidade, entre tantas que já enfrentara, para expressar-se, como alguém, que mesmo em meio a adversidade, se mostra esperançoso, no Senhor.
Paulo compartilha este momento difícil com alegria, com esperança genuína, ou seja,
Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte”.    
At 13:10 - Disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor?
ADVERSIDADE INTERNA.
Adversidade Com Proveito.
Aproveite as adversidades para crescer!
Dentro deste plano de humildade, neste trimestre, entendemos que a lição desta semana, nos levará a apreender que certas atitudes devem ser evitadas entre nós, os cristãos.
De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares;
E muitos dos irmãos no SENHOR, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor.
Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade;
Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões.
Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho.
Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.
Mas, quando elas ocorrem não nos farão mal maior, pois a nossa posição em meio a estas adversidades, nascidas na Igreja, só farão para o verdadeiro crente “filipense”, bem e não mal, pois temos a noção exata da esperança futura e que toda adversidade se fará benéfica ao crente.
Basta absorvermos as mesmas sob a noção, que Paulo compartilha na sua Epístola.
Alguns da igreja se aproveitam a ocasião das prisões de Paulo para tomar atitudes:
Uns de maneira benéfica ao Evangelho – Paulo sabia perfeitamente identificar o que suas prisões produziam entre os da Fé, na Igreja e sua obrigação de Evangelizar o mundo de então, lhes aumentando o ânimo por vê-lo tão esperançoso, em meio a prisões que se lhe acometem durante seu Ministério, de tal forma se lançam sem reservas e maiores cuidados, na Obra de levar o Evangelho aos cativos e necessitados. Este é um dos motivos que devemos buscar compreender, quando as adversidades batem sobre a Igreja, elas poderão servir de forma, a despertar outros a envolverem-se nesta luta contra o Mal, aliás assim tem sido com a Igreja por séculos.
: “E muitos dos irmãos no SENHOR, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor”.
Deixem-me inserir um texto, algo que demonstra o quanto a adversidade pode ser permitida, mas fará com que a Esperança não morra na fogueira da maldade contra a Igreja.
O Caso Huss:
No cárcere, sentenciado pelo Papa a ser queimado vivo, João Huss disse: “Podem matar um ganso (na sua língua, 'huss' é ganso ), mas daqui a cem anos, Deus suscitará um cisne que não poderão queimar” .
Enquanto caía a neve, e o vento frio uivava como fera em redor da casa nasceu esse “cisne”, em Eisbelen, Alemanha. No dia seguinte, o recém-nascido era batizado na Igreja de São Pedro e São Paulo. Sendo dia de São Martinho, recebeu o nome de Martinho Lutero.
Cento e dois anos depois de João Huss expirar na fogueira, o “cisne” afixou, na porta da Igreja em Wittenberg, as suas noventa e cinco teses contra as indulgências, ato que gerou a Grande Reforma.
Para dar o valor devido à obra de Martinho Lutero, é necessário notar algo das trevas e confusão dos tempos em que nasceu. Calcula-se que, pelo menos, um milhão de albigenses foram mortos na França, a fim de cumprir a ordem do Papa, para que esses “hereges” fossem cruelmente exterminados. Wiclif, “a Estrela da Alva da Reforma”, traduzira a Bíblia para a língua inglesa. João Huss, discípulo de Wiclif, morrera na fogueira, na Boêmia, cantando hinos, nas chamas, até o último suspiro. Orlando Boyer.
Adversidade sem proveito.
Parece ser contraditório, mas esta é uma das formas que Paulo visualiza ao escrever aos filipenses.
Outros de maneira contrária, e até mesmo zombeteira quanto a situação do Apóstolo dos Gentios –
Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade; Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda”.
O texto em si mesmo aponta os defeitos que devemos rejeitar. E muitos se têm feito assim, aproveitando a oportunidade da adversidade de alguém, para se mostrarem como bem sucedido.
Fp. 3. 17-19 Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.
Agem de maneira contenciosa, contra seu irmão, são os que não têm humildade, em si mesmos, mas se fazem adversários da Cruz de Cristo.
Da mesma maneira, que o texto de Orlando Boyer, devemos entender o momento sobre o texto escrito por Paulo, que embasa esta Lição. Só assim, a Lição será absorvida em nossos corações, em sua plenitude!
Diz Boyer: Para dar o valor devido à obra de Martinho Lutero, é necessário notar algo das trevas e confusão dos tempos em que nasceu.
CONCLUSÃO.
“Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo, Segundo a minha intensa expectação e esperança...”
A situação, que a Igreja está passando nestes últimos dias, perseguições, prisões de lideres, nos diversos países.
Alguns até querem e tiram proveito próprio desta situação. Capitalizam atenções de crentes submissos e arrastadas por paixões seculares, mas se esquecem de que a Obra de todos será provada pelo fogo.
Aqui mesmo no Brasil, se não há perseguição aparente, há a perseguição ideológica e moral, contra os valores carismáticos da Igreja, os quais nos devem levar animosamente servir, e trabalhar com total Esperança em meio as Adversidades, ainda muito mais, pela Obra de Cristo.
Esperança suficiente Ele nos infunde, pela Sua Palavra, pela Esperança da Iminência, da Salvação em Si mesmo e na Vida Futura.
Fp 3: 13, 14 - Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
O segredo para nós, os crentes em Cristo, em meio a qualquer ameaça nos dias presentes à nossa saúde espiritual é olhar no soberano alvo de nossa salvação, no presente e no futuro, a qual tem assegurada, qual âncora por Jesus Cristo e em Jesus Cristo!
Em todas as adversidades haverá socorro para o crente, segundo a intensa expectativa e esperança, pelo Espírito de Jesus Cristo!
Fonte:
Heróis da Fé, Editora CPAD.
Dicionário Strong
Bíblia Plenitude
Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento- Lawrence O. Richards – CPAD
José Diney - Educador, consultor de empresas, conferencista e especialista em gestão de pessoas e gestão de carreiras.
Bíblia Hábil
Bíblia On-Line – Chamada
Study Light
Apontamentos e textos do autor- vide site:
Confira no link Pesquisa, os termos inseridos nesta Lição.
Lição 3º - Trimestre – Mestre – CPAD.
Dicionário Strong. 

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical