sábado, julho 12

O PROPOSITO DA TENTAÇÃO - 2ª Parte - LIÇÃO 02 – CPAD – 3º TRIMESTRE

O PROPOSITO DA TENTAÇÃO
Destaques e pontos sobre Tiago e o Propósito da Tentação.
2ª Parte
Autor e editor do subsídio: Osvarela
LIÇÃO 02 – CPAD – 3º TRIMESTRE
 “Minhas tentações têm sido minhas mestras de teologia.” Martinho Lutero
TEXTO AUREO:
TIAGO, servo de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que andam dispersas, saúde. Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. Tiago 1.1-3
Leitura Bíblica
Tiago 1.2 Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações;
3 Sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência.
4 Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.
Tiago 1. 12 Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.
13 Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.
14 Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.
15 Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.
Completo os cometários sobre a 2ª Lição CPAD, do 3º Trimestre com esta Edição.
Motivos - Da Tentação
O propósito da Tentação deve ser entendido sob a ótica da perfeição. A Perfeição é algo que será alcançada, apenas na vida sobrenatural com Deus.
A narrativa bíblica é tomada pela questão da regeneração do homem, sob a égide do messiânico propósito divino. Para que sejamos igualmente atingidos pela vida sobrenatural, alcançada pelo sacrifício de Jesus Cristo, que é uma proposta bíblica: “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro”. 1 Jo 3:2-3
É sob a ótica da Salvação que devemos entender esta proposta bíblica. É a visão do futuro de Glória, proposta a todo homem. Não é uma simples motivação de vida, mas uma proposta de vida que pode, em Cristo, nos garantir, aqui: uma vida em comunhão e de maturidade cristã e perseverança. E na vida futura, uma vida de plenitude real com Cristo.
Eis o objetivo nas palavras divinas, do texto: “Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma”.
Qual é o homem, seja rico, ou pobre, que pode ter tudo quanto deseja?
A completude, só se dará nos termos das Escrituras, através da provação e tentação suportada e vencida, que nos projeta para a Vida Eterna, em Cristo, sem nenhum dano, perda ou falta alguma, como regenerados, seja na Iminência, ou na ressurreição dos mortos ao toque da trombeta.
Para isto, devemos meditar no texto que transcrevo em suma:
Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Co 15:51-57
Completude - sf. 1. Estado; condição ou qualidade do que é completo, daquilo a que não falta nada [Antôn.: incompletude.]; F.: completo + -tude.
Contexto do que é tentado, seja pobre ou rico.
Mas glorie-se o irmão abatido, na sua exaltação [ou sua alta posição], E o rico em seu abatimento[ou sua insignificação]; porque ele passará como a flor da erva”. Tg 1:9-10
A posição do crente é um dos destaques do texto inicial do crente. Basta  atentarmos para a visão de Tiago sobre o pobre e o rico. Na otica de Tiago, a Epístola tem forte lado, que distingue o necessitado o rico, com a necessária fé em ação – Obras.
E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Ef 2:6-7
Assim, devemos ter o foco, não na condição da vida natural, mas na condição da alta posição que alcançamos como perseverante ao obtermos a salvação. Assim, não somos, mas medidos diante dos Céus como pobres ou necessitados, mas como obtentores de uma alta posição “nas regiões celestiais” é a visão que nos dá o escritor da Epístola de Tiago.
Necessitados de bens materiais, mas em alta posição conquistada pela Fé e perseverança.
O escritor coloca então, a posição do rico – natural– como homem, como insignificante no plano da salvação, com toda a sua fortuna.
E que não lhe serve de nada, na questão da vida eterna, e ele só pode se alegrar por estar assentado entre os citados no Capítulo 2.1-6ss de sua Carta, texto que se coaduna e dá sentido a este contexto mediato.
Suportar - Galardão.
Tg 1. 12 Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.
Perseverar é suportar.
- várias tentações;
- em nada duvidando;
- coração dobre;
- inconstante;
- prova da vossa fé;
- perfeita;
- para que sejais perfeitos;
- completos.
Tiago eleva o tom sobre a questão da dúvida, desde os primeiros versos. Tiago versa sobre o homem dobre, sobre aquele que pede sem fé, sobre o que duvida, e é comparado à ação da natureza, usando a forma metafórica, com o mar e suas ondas e a ação do vento.
Quando o homem não tem certeza da ação divina, ou está desprovido de fé e cheio de dúvida, no sentido de crer na ação divina, ele se assemelha as ondas do mar, que são sopradas pelo vento (que, como nós lemos no texto bíblico: não sabemos de onde vem, nem para onde vai...), tem um limite proposto e não podem avançar.
O homem que não tem fé é assemelhado a elas, no entanto, o que tem Fé pode quebrar estes limites, naturais e avançar além, pois quebra as amarras dos limites impostos pelo pecado sobre sua vida, através de Jesus Cristo!
“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa. O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos”. Tg 1:5-8
Quem suporta, recebe galardão.
“...porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido...”
A ação divina pelo amor infinito do Pai, nos garante após a tentação, que for suportada, ainda que sem sentido presente, mas com fidelidade produz o efeito da promessa divina: - receberá a coroa da vida!
A Coroa da Vida.
“Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta”.
...não lança em rosto...
...o Senhor tem prometido...
Por esta afirmativa, a concessão de uma coroa da vida, é que se pode entender com certeza translúcida, a questão de que Deus, jamais, pode tentar ninguém, mas somos engodados e tentados por situações que nos confrontam para sermos aperfeiçoados.
Se Deus nos convida a sermos constantes, Ele também nos garante que seremos contemplados e galardoados, e por isto Ele nos alerta que sendo contrários e vencidos pelo engodo de nossas PRÓPRIAS (grifo do autor) concupiscências, seremos alvo fácil para o maior aguilhão do pecado: a Morte.
Pressuposto que encorpa a definição categórica de Tiago que Deus não tenta ninguém e de ninguém pode ser tentado, pois é o Autor da Vida.
Tendo aqui, a palavra Vida toda a expressão da plenitude da realidade que Deus pressupõe em si mesmo em Jesus Cristo:
Eu Sou o Caminho, e a Verdade e a Vida!
Fonte
Bíblia Chamada
Bíblia do Ministro
Bíblia Plenitude

Apontamentos do autor

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical