sábado, novembro 8

A Queda do Império Babilônico. Lição 06 – CPAD – 4º Trimestre

A Queda do Império Babilônico.
Lição 06 – CPAD – 4º Trimestre
Autor e Editor do Subsídio: Osvarela 
E te levantaste contra o Senhor do céu, pois foram trazidos à tua presença os vasos da casa dele, e tu, os teus senhores, as tuas mulheres e as tuas concubinas, bebestes vinho neles; além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não vêem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida, e de quem são todos os teus caminhos, a ele não glorificaste”. Daniel 5:23
Leitura Bíblica
Daniel 5:1-2 O rei Belsazar deu um grande banquete a mil dos seus senhores, e bebeu vinho na presença dos mil.
Havendo Belsazar provado o vinho, mandou trazer os vasos de ouro e de prata, que Nabucodonosor, seu pai, tinha tirado do templo que estava em Jerusalém, para que bebessem neles o rei, os seus príncipes, as suas mulheres e concubinas.
Daniel 5:22-30 E tu, Belsazar, que és seu filho, não humilhaste o teu coração, ainda que soubeste tudo isto.
E te levantaste contra o Senhor do céu, pois foram trazidos à tua presença os vasos da casa dele, e tu, os teus senhores, as tuas mulheres e as tuas concubinas, bebestes vinho neles; além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não vêem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida, e de quem são todos os teus caminhos, a ele não glorificaste.
Então dele foi enviada aquela parte da mão, que escreveu este escrito.
Este, pois, é o escrito que se escreveu: MENE, MENE, TEQUEL, UFARSIM.
Esta é a interpretação daquilo:
MENE: Contou Deus o teu reino, e o acabou.
TEQUEL: Pesado foste na balança, e foste achado em falta.
PERES: Dividido foi o teu reino, e dado aos medos e aos persas.
Então mandou Belsazar que vestissem a Daniel de púrpura, e que lhe pusessem uma cadeia de ouro ao pescoço, e proclamassem a respeito dele que havia de ser o terceiro no governo do seu reino.
Naquela noite foi morto Belsazar, rei dos caldeus.
INTRODUÇÃO
Estudar esta queda do rei do Segundo Grande Império Mundial não deve ser apenas um fato histórico, mas um estudo do que Deus promove sobre as Civilizações dirigidas pela sua soberania e controle total das ações de governo desta Terra:
- sob o ponto de vista do desprezo e aviltamento de alguém contra as coisas de Deus, que não se deixa escarnecer, não como o homem comum, mas pela falta de reconhecimento da Glória imanente do Altíssimo em todos os bens e coisas utilizadas para seu Culto.
- Sob o ponto de vista do Plano de ação messiânico;
- Sob o ponto de vista da Plenitude dos Tempos;
- Sob a ótica Escatológica e ação do final dos Tempos.
Etimologia
Belsazar - Bel’shatstsar - QUE O DEUS BAAL PROTEJA O REI. לשאצר Belsha’tstsar ou בלאשצר
Queda - sf (lat vulg *cadita) - Ação ou efeito de cair; movimento de um corpo que cai; desabamento; ruína; perda de influência ou de poder; tendência, inclinação para alguma coisa. Passar da prosperidade para a desventura.
- dachah ou דחח dachach (Jr 23.12) – v. empurrar, impelir, perseguir, inundar, balançar, afugentar, ser proscrito, ser derrubado; ser atirado para baixo, ser derrubado
Interessante notar o contexto etimológico d palavra no Aramaico (sugerindo o conteúdo do evento da Queda de Neltsazar)
- דחוא dachavah (aramaico); n f col. diversões, instrumentos musicais?, dançarinas, concubinas, música;
- דחי d ̂echiy; n m. um tropeço, queda.
Acabar - לה - kalah; v.  realizar, cessar, consumir, determinar, acabar, falhar, terminar estar completo, estar realizado, estar terminado, estar no fim, ser encerrado, ser gasto.
- estar no fim, estar terminado; chegar ao fim, desaparecer, perecer, ser destruído
- completar (um período de tempo);
- destruir, exterminar;
- estar encerrado, estar terminado, estar completo;
- לם - sh ̂elam (aramaico); v. estar completo, estar terminado; terminado (particípio); terminar, acabar, chegar ao fim, completar;
- מת - tsamath; v. acabar com, eliminar, destruir, exterminar, extirpar.
Este é o fundamento da toda queda:
                        “Desprezar e considerar Deus como alguém sem nenhum valor e ainda zombar daquilo que lhe é santificado!
Toda a Queda tem no contexto bíblico um erro principal.
Neste conteúdo bíblico a Queda se dá por parte, do que cai, por: desprezar a Divindade, por orgulho, por desejo de Onipotência, por desconsiderar a Soberania Divina. A Queda se dá em qualquer ambiente, seja nos Céus, seja no Universo (Terra), quando a Criatura se exalça acima, (pensa, ela) do Deus Criador.
Temos neste contexto, o exemplo máximo de duas Quedas fundamentais.
A Queda interna aos Exércitos angelicais, com a proeminência de Lúcifer sobre 1/3 dos seres angelicais.
Estiveste no Éden, jardim de Deus; ... no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas...Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.Ez 28:13-17
A Queda antropológica, isto é, do Homem no Éden (universal).
Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo ... E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? ...Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Gn 3:1-6
Ambas as Quedas, nos mostram como e porque se deixar levar pela própria qualidade aparentemente, sob domínio próprio, levam aos que caíram a uma posição de desobediência, ao fundamento da própria constituição e mantença, de todo o Universo (Céus, Céus dos Céus, Terra, Estrelas e Planetas):
Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.Cl 1:16-17
Deve-se estudar este conteúdo de Daniel sob esta ótica, para que seja lembrado a cada leitor que o caminho da ruína passa pela arrogância humana, ou de qualquer ser criado em nãodevotar respeito ou adoração e honra a que lhes são devidos: À Deus!
Duas fases da culpa e Erro de Belsazar.
O escritor bíblico, ao narrar ao rei a interpretação da condenação exarada nas paredes do palácio, descreve os motivos, tal qual, um promotor divinamente inspirado sobre as acusações que pesaram contra o monarca babilônico:
E te levantaste contra o Senhor do céu, pois foram trazidos à tua presença os vasos da casa dele, e tu, os teus senhores, as tuas mulheres e as tuas concubinas, bebestes vinho neles; além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não vêem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida, e de quem são todos os teus caminhos, a ele não glorificaste”. Daniel 5:23
a-     E te levantaste contra o Senhor do céu, pois foram trazidos à tua presença os vasos da casa dele; Nesta primeira parte da acusação, o rei se defronta com a seriedade daquilo que é consagrado ao Senhor. As coisas que Deus determinou, o seu uso, para o culto haviam sido separadas para seu exclusivo culto. Foram descritas, até mesmo, o seu formato, peça por peça, material por material, para seu fabrico, pelo próprio Senhor. Não eram obra da mente humana. Eram totalmente santas, e anatemisadas.
b-     e tu, os teus senhores, as tuas mulheres e as tuas concubinas, bebestes vinho neles; a festividade que o rei chamara para seu prazer, contava com a presença e a sensualidade de seus convidados e para esta ação de prazer carnal ele se embriagava com vinho.
O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio”. Pv 20:1
A maneira dos reis orientais, Belsazar mostrou sua magnificência desta maneira. Enquanto tomava o vinho, e sob a influência do vinho Belsazar havia cometido um sacrilégio. O beber do vinho nos utensílios santos como demonstração de que o Deus de Israel, agora também era um cativo, como os seus súditos trazidos de Judá. Isto mostra-se como um desprezo ao próprio Deus de Israel, muito embora pelos livros das crônicas, da corte, ele deveria saber tudo quanto houvera acontecido a Nabucodonosor, seu parente, de quem seu pai Nabonido houvera sido sucessor no Trono.
Os vasos do templo foram contaminados, não só por ser postos à profano uso, mas também por ser usados para homenagear os deuses falsos da Babilônia.
Não contamine o teu vaso, ele pertence ao Deus de Israel.
Daniel 5:1-4O rei Belsazar deu um grande banquete a mil dos seus senhores, e bebeu vinho na presença dos mil. Havendo Belsazar provado o vinho, mandou trazer os vasos de ouro e de prata, que Nabucodonosor, seu pai, tinha tirado do templo que estava em Jerusalém, para que bebessem neles o rei, os seus príncipes, as suas mulheres e concubinas. Então trouxeram os vasos de ouro, que foram tirados do templo da casa de Deus, que estava em Jerusalém, e beberam neles o rei, os seus príncipes, as suas mulheres e concubinas. Beberam o vinho, e deram louvores aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira, e de pedra.”
Louvores aos deuses.
c-      além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não vêem, não ouvem, nem sabem;
d-     mas a Deus, em cuja mão está a tua vida, e de quem são todos os teus caminhos, a ele não glorificaste”.
Pelo seu relacionamento na Coorte de seu pai, e conhecedor da história pessoal e religiosa de Nabucodonosor, ele sabia e bem, qual era a relação deste, com o Deus de Israel, através de Daniel e toda a experiência vivida, por Nabucodonosor!
O Efeito da escritura na caiadura da parede do palácio da grande Babilônia foi avassalador e fez com que a grande festa termina-se antes do tempo previsto e em meio a gritaria do próprio monarca. O estupor é narrado de forma significativa no Livro De Daniel.
-Semblante mudado;
-Pensamento se confundiu;
-Seu corpo se fragilizou: juntas de seus lombos (musculatura) se relaxou;
-Espasmos, que lhe trouxeram tremor por seu corpo, que lhe levou a tremer os joelhos de tal forma, que estes batiam uns nos outros.
Não adianta tremer pela sentença, mas devemos ter o Temor ao Deus de Israel, porque quando sofremos de medo por algo que Deus manda como sinal de julgamento já está lavrada a decisão divina. Só nos resta a Misericórdia!
Não perca o seu reino – a família, a vida, a autoridade, a liberdade e não sofra as consequências da decisão.
Uma mão mística e divinal foi vista pelo rei, mesmo tendo provado vinho, ele fica aterrado pela manifestação sobrenatural que lhe aterroriza, trazendo pavor, ao maior rei (ainda que sob pressão do rei medo – Dario - , prestes a lhe tomar o reino) que aos gritos de terror e espanto chama os seus astrólogos (sábios e cientistas, assim chamados na Babilônia), conforme o relato das escrituras: “Na mesma hora apareceram uns dedos de mão de homem, e escreviam, defronte do castiçal, na caiadura da parede do palácio real; e o rei via a parte da mão que estava escrevendo. Mudou-se então o semblante do rei, e os seus pensamentos o turbaram; as juntas dos seus lombos se relaxaram, e os seus joelhos batiam um no outro”. Dn 5:5-6
Isto é lembrado durante a revelação da sentença divina: “E gritou o rei com força, que se introduzissem os astrólogos, os caldeus e os adivinhadores; e falou o rei, dizendo aos sábios de babilônia: Qualquer que ler este escrito, e me declarar a sua interpretação, será vestido de púrpura, e trará uma cadeia de ouro ao pescoço e, no reino, será o terceiro governante.Dn 5:7
EM EDIÇÃO – 1ª PARTE
A definição da Escrita.
5:26 A palavra aramaica poderia ser um verbo que significa "numerada", ou um substantivo que significa "Mina", uma unidade de dinheiro. Daniel lê-lo como o verbo para significar que a duração do reinado de Belsazar tinha sido determinado por Deus e estava prestes a terminar (Jeremias 50:18).
26. terás conhecido; c. uma promessa de graça espiritual com ele, fazendo com que o julgamento de humilde, não endurecer, o seu coração.
Céus dominam. O plural é usado, como destinatária a Nabucodonosor, a cabeça de um reino terreno organizado, com diversos principados sob o líder supremo.
26. MENE - MENE MENE, é numerada, que é numerado, as palavras são expressas de forma duplicada para a maior confirmação. Diz respeito ao número dos anos setenta, a queda do império babilônico.
5:27 T EKEL. Essa palavra é também seja um verbo ou um substantivo. Daniel lê-lo como um verbo que significa "pesado", significando que Belsazar não atingiu os padrões da justiça de Deus.
27. romper como um jugo irritante (Gênesis 27:40); o pecado é uma carga pesada (Mt 11:28).
5.28. PERES - Separado, dividido, quebrado. Phars significa duas coisas, quebrados, e persa, observando que, em primeiro lugar, o reino foi dividido a partir de Belsazar. Em segundo lugar, que era dada aos persas. 
Historiando.
Era Pós- Nabucodonosor
Nabucodonosor morreu no ano de 562 a.C., quando Daniel tinha cerca de 60 anos de idade; ou seja, sete anos após o rei ter tido o sonho do capítulo 4 (viveu poucos meses após ser restabelecido no trono), e 23 anos antes da festa de Belsazar relatada no capítulo 5.
No capítulo 5, Nabucodonosor já havia morrido, tendo sido sucedido por um filho chamado Evil-Merodaque (mencionado em Jeremias 52:31) que o sucedeu no trono por apenas dois anos, pois foi assassinado pelo próprio cunhado. O cunhado assassino morreu quatro anos mais tarde, deixando um filho menor como o sucessor ao trono de Babilônia. Porém, este menino-rei foi igualmente assassinado por conspiradores, que indicaram um de seus cúmplices, Nabonidus, como o sucessor real. É bem provável que Nabonidus tenha sido da descendência de Nabucodonosor, pois seu filho Belsazar é chamado de filho (descendente) do rei Nabucodonosor.
Seis anos após sua posse, o rei Nabonidus se transfere para Temã na Arábia, deixando seu filho Belsazar governando como co-regente em Babilônia. Este é o motivo de Belsazar ter oferecido como prêmio pela decifração da escrita na parede, o terceiro lugar no reino (O primeiro estava ocupado por seu pai, e o segundo por ele próprio).
Convém citar que quando a Bíblia chama Belsazar de “filho” de Nabucodonosor, estamos tratando de um conceito de Linhagem, muito usado na Bíblia, certamente advindo da noção mesopotâmica, origem dos semitas através do próprio Pai dos hebreus, o patriarca Abraão ele mesmo oriundo da Região Mesopotâmica, através do qual se nota, seja pelos rituais pactuais, ou costumes religiosos, este uso.
O que significa ser terceiro governante, o prêmio dado por Belsazar a quem revelasse a escritura da parede.
A partir de fontes babilônico sabemos que Belsazar foi colocado no comando dos negócios, na Babilônia, enquanto seu pai, Nabonido, o último rei da Babilônia, passou longos períodos de tempo em Tema, na Arábia.
Os acontecimentos deste capítulo tiveram lugar em 539 B. C., Ano da queda de Babilônia para os persas, quarenta e dois anos após a morte de Nabucodonosor em 563 B. C.

Pai, ou não, ou apenas um antecessor familiar.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical