sábado, novembro 1

DEUS ABOMINA A SOBERBA Lição CPAD – Lição 05 –4º TRIMESTRE/2014 - EM EDIÇÃO ATUALIZADA

DEUS ABOMINA A SOBERBA
Lição CPAD – Lição 05 –4º TRIMESTRE/2014
Editor deste subsídio Pr Osvarela
Texto áureo
Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalço e glorifico ao Rei do céu; porque todas as suas obras são verdade, e os seus caminhos juízo, e pode humilhar aos que andam na soberba. Daniel 4:37
Leitura Bíblica
Daniel 4:10-18
Eis, pois, as visões da minha cabeça, estando eu na minha cama: Eu estava assim olhando, e vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande;
Crescia esta árvore, e se fazia forte, de maneira que a sua altura chegava até ao céu; e era vista até aos confins da terra.
A sua folhagem era formosa, e o seu fruto abundante, e havia nela sustento para todos; debaixo dela os animais do campo achavam sombra, e as aves do céu faziam morada nos seus ramos, e toda a carne se mantinha dela.
Estava vendo isso nas visões da minha cabeça, estando eu na minha cama; e eis que um vigia, um santo, descia do céu,
Clamando fortemente, e dizendo assim: Derrubai a árvore, e cortai-lhe os ramos, sacudi as suas folhas, espalhai o seu fruto; afugentem-se os animais de debaixo dela, e as aves dos seus ramos.
Mas deixai na terra o tronco com as suas raízes, atada com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo; e seja molhado do orvalho do céu, e seja a sua porção com os animais na erva da terra;
Seja mudado o seu coração, para que não seja mais coração de homem, e lhe seja dado coração de animal; e passem sobre ele sete tempos.
Esta sentença é por decreto dos vigias, e esta ordem por mandado dos santos, a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer, e até ao mais humilde dos homens constitui sobre ele.
Este sonho eu, rei Nabucodonosor vi. Tu, pois, Beltessazar, dize a interpretação, porque todos os sábios do meu reino não puderam fazer-me saber a sua interpretação, mas tu podes; pois há em ti o espírito dos deuses santos.
A árvore do sonho de Nabucodonosor que se erguia aos céus era a demonstração inconsciente do domínio da soberba sobre seu coração. Toda árvore se ergue aos céus, mas ela sabe que só pode crescer até onde o que Domina lhe permite!”
Exórdio
Este capítulo base neste trecho do Livro de Daniel é um notável depoimento de um dos maiores reis da Terra, com quase domínio absolutos em seus dias de governante mundial.
Veja como ele próprio, narra o que lhe aconteceu.
Portanto, se quisermos conhecer o que a soberba pode fazer contra um homem, por mis pode que ele pense ter devemos penetrar nestas linhas bíblicas, sob a narrativa de um homem que se julgou capaz de dominar os deuses e servir a mais de um deus e que entendeu, em determinado momento que ele poderia incluir entre seus domínios de divindades, do panteão mesopotâmico o Deus de Daniel. Ao qual ao final...bem é melhor ler e estudar o texto.
Daniel 4:1-4
 “Nabucodonosor rei, a todos os povos, nações e línguas, que moram em toda a terra: Paz vos seja multiplicada.Pareceu-me bem fazer conhecidos os sinais e maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo.Quão grandes são os seus sinais, e quão poderosas as suas maravilhas! O seu reino é um reino sempiterno, e o seu domínio de geração em geração.Eu, Nabucodonosor, estava sossegado em minha casa, e próspero no meu palácio”.
King James Atualizada
1-5“Depoimento do rei Nabucodonosor, aos homens de todas as nações, povos, línguas e culturas, que vivem em todas as partes do mundo. Shêlam! Paz e Prosperidade! Pareceu-me bem e necessário divulgar os sinais e maravilhas que Elah, Deus, o Altíssimo, tem realizado em meu favor.Quão magníficos são os seus sinais, e quão poderosas as suas maravilhas! O seu reino é um reino soberano que dura para sempre, e o seu domínio permanece de geração em geração. Eu, Nabucodonosor, estava satisfeito e próspero em minha casa, no meu palácio. E eis que tive um sonho que me abalou profundamente e me deixou alarmado. Estando eu repousando em minha cama, os pensamentos e visões que passaram pela minha mente preocuparam-me sobremaneira e me apavoraram”.
Introdução.
Daniel ao saber a interpretação do sonho, se mostra atônito, de como Deus se revelara ao rei internacional Nabucodonosor, lhe mostrando como seria a sua queda. Daniel sabe que as suas palavras cairiam, como uma bomba no coração do rei, e isto se faria  de maneira apressurada, é uma das interpretações possíveis por Daniel se turbar.
Diferente de ser uma demonstração da êxtase para obter a interpretação, as linhas deste versículo mostram um profeta com discernimento do sonho, do qual o Altíssimo lhe dá a interpretação, e ele, Daniel, sabendo das consequências advindas desta fraqueza real se mostra confuso com o fato e seus desdobramentos.
Isto pode ser inferido pelas próprias palavras iniciais de Daniel ao rei: “Beltessazar, não te espante o sonho, nem a sua interpretação.”
A resposta do rei é ainda, mais intrigante: “ Senhor meu, seja o sonho contra os que te têm ódio, e a sua interpretação aos teus inimigos”.
Ao colocar os céus como testemunha da interpretação de seu sonho, fica claro que ele parecia ter entendido que “os céus reinamE quanto ao que foi falado, que deixassem o tronco com as raízes da árvore, o teu reino voltará para ti, depois que tiveres conhecido que o céu reina. Dn.4.26”, ele esperava uma interpretação que o mantivesse no trono e com domínio sobre seus inimigos.
Muitos de nós pensamos que estamos agradando ao Senhor e que Ele nos porá sobre nossos inimigos, mas estamos em nossos corações buscando uma maneira de nos exaltarmos sobre estes, sem que o lugar de honra e exaltação seja do Senhor!
Foi o que aconteceu com Nabucodonosor, basta ver quer Daniel o chama pelo nome que lhe fora dado em homenagem a Bel -, e não pelo seu nome como era conhecido como o grande rei mundial.
Nesta seção encontramos a dicotomia no uso e significado dos nomes dos personagens envolvidos nestes eventos:
Daniel e Beltessazar.
Beltessazar – Bel proteja a tua vida; Bel era o principal deus do “panteão” de deuses da Babilônia. Parece que Nabucodonosor colocara “O Deus de Daniel”, como mais um dos deuses a ser adorado, como diz na expressão do versículo “Mas por fim entrou na minha presença Daniel, cujo nome é Beltessazar, segundo o nome do meu deus”. 4:8
Daniel – Deus é meu juiz.
“Beltessazar, mestre dos magos, pois eu sei que há em ti o espírito dos deuses santos, e nenhum mistério te é difícil, dize-me as visões do meu sonho que tive e a sua interpretação”. Daniel 4:9
O FATO DO REI CHAMAR Daniel de “mestre dos magos” era esta realmente a posição de Daniel, ele fora colocado como Líder de todos os sábios, do reino da Babilônia. Mas, isto também infere o desconhecimento de Nabucodonosor, para o conhecimento abaixo descrito sobre a Divindade, a qual Daniel servia – O Deus de Daniel era o Eu Sou! Não era mais um “deus”, mas o Deus Único e verdadeiro!
Há uma clara informação: muitos se relacionam conosco, pedem que oremos em Nome de Jesus, até vêm as nossos reuniões pedir oração, mas têm outros ídolos.
Querem dar gloria a Deus, como dão a outros de seus ídolos, mas se esquecem que Deus é Juiz e chegará o momento, no qual Ele cobrará a fatura da Soberba e da adoração a outros “deuses”!
Como diz certo escritor: “O rei Nabucodonosor sofria de uma mania: megalomania ou, em linguagem popular, "mania de grandeza". Um dos seus triunfos foi conquistar e trazer cativo para a Babilônia o povo de Deus - o reino de Judá, pois o de Israel já havia sido dissolvido pelos assírios, antes de serem vencidos por Nabucodonozor.
É uma clara demonstração do escritor bíblico, para demonstrar o quanto Nabucodonosor, mesmo falando em nome do Senhor, considerava o seu sucesso, como obra pessoal, ou considerava que Bel lhe fora benéfico em suas conquista, incluindo entre elas, o povo hebreu o povo de Daniel, o povo do Senhor.
É um ponto importante nesta passagem lembrarmos que até ao Exílio e Cativeiro babilônico, até mesmo o povo de Israel considerava o seu Deus, como mais um Deus particular, e que os outros povos também tinham seus deuses.
Considere isto sob o conhecimento da religiosidade babilônica, como segue o pequeno introito, abaixo:
Nabucodonosor, em algum momento pensara teogonicamente da mesma forma, entendendo que O Senhor, poderia ser um dos deuses a ser adorado, sem prejuízo da cultura religiosa e adoração a Bel, tanto ele quanto seu povo, continuar dando credito a Bel, pelas conquistas, beleza, inteligência e força!
“Anunciai entre as nações; e fazei ouvir, e arvorai um estandarte, fazei ouvir, não encubrais; dizei: Tomada está babilônia, confundido está Bel, espatifado está Merodaque, confundidos estão os seus ídolos, e quebradas estão as suas imagens.” Jr 50:2
Considerando-se que a Bíblia cita outros deuses no panteão das “divindades” da Babilônia:
-entre eles Merodaque – era considerado, após 2000 aC “Deus Supremo da Babilônia e dos Quatro Cantos da Terra” ( Jeremias 50:2), os babilônicos ainda tinham Dumuzi (que seria o bíblico Tamuz), Aku e outros tantos.
“E, como um espantalho postado em uma plantação de pepinos, os ídolos ficam calados e imóveis; eles são incapazes de falar e têm que ser transportados, porquanto não conseguem dar um passo sozinhos. Sendo assim, não tenhais medo deles, pois não podem fazer qualquer mal ou bem a quem quer que seja.” Jr 10:5
Bel, Marduque, que significa “senhor” na língua dos caldeus, se inclina.
Nabu, Nebo, deus do saber, lança-se por terra; os seus ídolos não passam de animais de carga e gado desde o seu nascimento. As imagens que são transportadas de um lado para o outro são pesadas, um fardo pesado para seus adoradores.
E levou-me à entrada da porta da casa do Senhor, que está do lado norte, e eis que estavam ali mulheres assentadas chorando a Tamuz.” Ez 8:14
Nota: Também conhecia-se o seu deus como: O deus Beltes (carece de maiores informações), incluído no nome Beltessazar que ele havia dado a Daniel.
Era chegada a hora da verdade para Babilônia e seu rei!
Em Deus está a minha salvação e a minha glória; a rocha da minha fortaleza, e o meu refúgio estão em Deus. Salmos 62:7
“Minha honra a outro não darei” Isaías 48.11
O primeiro mandamento: “não terás outros deuses!” Ex. 20.3
Ou a proclamação de I Reis 18 no Monte de Elias “Só o Senhor é Deus!”
e esta ordem por mandado dos santos, a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer, e até ao mais humilde dos homens constitui sobre ele.
 “Então Daniel, cujo nome era Beltessazar, esteve atônito por uma hora, e os seus pensamentos o turbavam; falou, pois, o rei, dizendo: Beltessazar, não te espante o sonho, nem a sua interpretação. Respondeu Beltessazar, dizendo: Senhor meu, seja o sonho contra os que te têm ódio, e a sua interpretação aos teus inimigos”. Daniel 4:19
A declaração de Daniel sobre a interpretação do sonho, já traz uma declaração recorrente neste capitulo 4 – Deus reina absoluto e soberanamente, nos céus e na Terra. O Domínio e Poder é D’Ele.
“Esta sentença é por decreto dos vigias, e esta ordem por mandado dos santos, a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens...”
Quem são estes vigias, ou vigiadores (em Versão Atualizada)?
Em outra vertente de versão: “uma sentinela, um kaddish (kadosh), santo anjo,”
Estava vendo isso nas visões da minha cabeça, estando eu na minha cama; e eis que um vigia, um santo, descia do céu, Daniel 4:13
No estudo da Angelologia há diversas categorias angelicais, entre estas categorias de anjos que administram o Seu universo, os "vigias" administram os negócios do mundo em que vivemos. Eles vêm, ouvem e relatam o que presenciam.
Claus Westermann citando as categorias e atividades angelicais e suas instrumentalidades dadas por Deus: “O anjo vigia, com espada, o setor de Deus, onde se pode ter contato com Deus sem morrer”. Claro que estou fazendo uma alusão sobre a atividade dos santos que vigiam, quanto aos confins nos quais não se pode encontrar-se com Deus, assim como Moisés desejava.
Mas, como diz, Pr Rev.  Clus: quem usa a espada só serve a Deus, enquanto está servindo apenas a Ele, pois o reconhece como único Deus. (compilado e editado pelo autor deste estudo)
Deus é um Deus de Oportunidades
Notemos que a soberba estava inchando o coração do rei Nabucodonosor, mas um ano antes Deus dá a revelação a Daniel para que avisadamente, ele, o rei, possa arrepender-se de sua posição de soberba e entender, com está escrito e acima citado o trecho dentro deste contexto do capítulo 4:28-33: “Todas estas coisas vieram sobre o rei Nabucodonosor. Ao fim de doze meses, quando passeava no palácio real de babilônia,Falou o rei, dizendo: Não é esta a grande babilônia que eu edifiquei para a casa real, com a força do meu poder, e para glória da minha magnificência?Ainda estava a palavra na boca do rei, quando caiu uma voz do céu: A ti se diz, ó rei Nabucodonosor: Passou de ti o reino... e passar-se-ão sete tempos sobre ti, até que conheças que o Altíssimo domina sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer. Na mesma hora se cumpriu a palavra sobre Nabucodonosor.”
Daniel 4.16 “A mente humana lhe será extirpada, e esse tronco será como um animal, até que se passem sete iddâns, tempos ou anos”.
Começamos a perceber a ideia bíblica escatológica das 7 semanas de Daniel. As semanas de anos ou tempos.
Reconhecer a Deus é necessário:
Daniel 4:37 Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalço e glorifico ao Rei do céu; porque todas as suas obras são verdade, e os seus caminhos juízo, e pode humilhar aos que andam na soberba.
Fonte:
R David Jones - Nabucodonosor aprende que seu poder vem de Deus.
Sha’ul Bentsion
Bíblia Plenitude

O anjo de Deus não precisa de asas: o que a Bíblia diz sobre os anjos - Claus Westermann - foi um estudioso alemão protestante do Antigo Testamento. Ele ensinou na Universidade de Heidelberg 1958-1978.
Apontamentos e compilações do autor do presente

CONTINUA- EM EDIÇÃO

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical