quarta-feira, maio 18

ISRAEL NO PLANO DA REDENÇÃO Lição 8- CPAD-1ª Parte - Continuação

Israel no Plano da Redenção
Lição 8- CPAD
Estudo e subsídio Pr Osvarela
22 de Maio de 2016
TEXTO ÁUREO
"Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!" Romanos 11.36
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Romanos 9.1-5; 10.1-8; 11.1-5
Romanos 9.1 - Em Cristo digo a verdade, não minto (dando-me testemunho a minha consciência no Espírito Santo): 
2 - tenho grande tristeza e contínua dor no meu coração. 
3 - Porque eu mesmo poderia desejar ser separado de Cristo, por amor de meus irmãos, que são meus parentes segundo a carne; 
4 - que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e os concertos, e a lei, e o culto, e as promessas; 
5 - dos quais são os pais, e dos quais é Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém!
Romanos 10.1 - Irmãos, o bom desejo do meu coração e a oração a Deus por Israel é para sua salvação. 
2 - Porque lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas não com entendimento. 
3 - Porquanto,não conhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus. 
4 - Porque o fim da lei  é  Cristo para justiça de todo aquele que crê.
5 - Ora, Moisés descreve a justiça que é pela lei, dizendo: O homem que fizer estas coisas viverá por elas.
6 - Mas a justiça que é pela fé diz assim: Não digas em teu coração: Quem subirá ao céu (isto é, a trazer do alto a Cristo)? 
7 - Ou: Quem descerá ao abismo (isto é, a tornar a trazer dentre os mortos a Cristo)? 
8 - Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos, 
Romanos 11.1 - Digo, pois: porventura, rejeitou Deus o seu povo? De modo nenhum! Porque também eu sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim.
2 - Deus não rejeitou o seu povo, que antes conheceu. Ou não sabeis o que a Escritura diz de Elias, como fala a Deus contra Israel, dizendo: 
3 - Senhor, mataram os teus profetas e derribaram os teus altares; e só eu fiquei, e buscam a minha alma? 
4 - Mas que lhe diz a resposta divina? Reservei para mim sete mil varões, que não dobraram os joelhos diante de Baal. 
5 - Assim, pois, também agora neste tempo ficou um resto, segundo a eleição da graça.
Redenção - s.f. Ato ou efeito de redimir. / Teologia Resgate da humanidade pela morte de Jesus Cristo: o mistério da Redenção (com letra maiúscula).
Λυτρωσις - lutrosis; n f. resgate, redenção; livramento, esp. da penalidade do pecado.
αντιλυτρον - antilutron; n n. o que é dado em troca por alguma coisa como preço de sua redenção, resgate.
απολυτρωσις - apolutrosis; n f. uma libertação efetuada pelo pagamento de resgate; redenção, libertação; liberação obtida pelo pagamento de um resgate.
λυτρον - lutron; n n. o preço da redenção, resgate; pago pelos escravos, cativos; para o resgate da vida; libertação de muitos da miséria e da penalidade de seus pecados.
גאלה - gêullah; n f. parentesco, redenção, direito de redenção, preço de redenção
I - Seqüenciando a História E Israel no Plano de Redenção Até a Plenitude
Deus escolhe um povo: Deus chamou Abraão para ser uma bênção para toda a Terra. Dele nasceria o povo de Israel. Pela promessa, Deus tiraria força da sua fraqueza e abençoaria toda a humanidade caída.
(Gn 12.1-3)
Moisés é encarregado da libertação do povo do Egito e da condução pelo deserto.
Êxodo 2.25;3.7ss
Israel, depois de instalado em Canaã, fecha-se no orgulho e auto-suficiência, e deixa de ser uma bênção.
Josué 17.13; Juízes 1.27,28;2.1 ss
Depois do exílio punidor, na Babilônia, um remanescente fiel espera a libertação de Deus, através do Messias.
II Reis 15.36;17; e outros
Deste povo fraco, Deus levanta o Messias para cumprir suas promessas.
Isaías 61.1,2; Lc 7.21,22
Quadro montado, à partir do texto do Estudo;
A Igreja no Plano Redentivo de Deus;
Rev. José Alves da Silva
Quando Deus chama a Abraão era sob a visão de fazer deste uma árvore que pudesse abrigar a todas as Nações. Genesis 12.2Farei de ti uma grande Nação,... e tu será uma benção” que se estendia sobre as nações na promessa de Genesis 12.3Em ti serão benditas todas as nações da Terra”.
Esta promessa aparentemente e na forma de condução ao longo das eras se consolidando, na época de Jesus se tornou motivo de excluir “as nações”, por Israel, demonstrando que não fora entendida.
Eles deveriam se a fonte da benção e não um poço de exclusividade
II - Introdução
O papel de Israel deve ser visto com a visão do Plano de Deus para a Salvação e resgate do Homem. A unificação do Plano de Salvação é vista ao longo de toda a Bíblia e mostra que Deus, sempre, teve um Plano de resgate de todos os homens, sem distinção de origem de nascimento.
“Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo, e em todos.” Colossenses 3.11
Era um Mistério a ser revelado, ainda que os Oráculos Divinos tenham sido dados aos Judeus, entretanto não foi-lhes dado no período da ação da lei, por não ter chegado a Plenitude.
Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra;” Efésios 1:9,10
Plenitude
Plenitude significa: completo, pleno ou cheio. É o estado daquilo que foi feito na totalidade, que atingiu a avaliação ou medida máxima.
Plenitude de Deus
No sentido espiritual e religioso, fala-se em Plenitude de Deus, que consiste na aceitação dos preceitos divinos para haver a redenção da alma humana. Através de Jesus Cristo, que possui a plenitude divina, o homem também consegue atingir o estado de plenitude e contínua satisfação. Na oração do apóstolo Paulo a favor dos efésios, ele deseja que eles possam
"...conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus." Efésios 3:19
A palavra – Plenitude - usada, por Paulo, para desvendar, no tempo, quanto ao momento exato da consumação do Plano Divino da Redenção da Humanidade é a chave do entendimento da atividade, uso e Importância de Israel por Deus, no mistério da Redenção da Humanidade, incluindo “os que estavam debaixo da lei”, ou seja o próprio Povo de Israel.
“Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.” Gal. 4:4–5
III - Israel e a Revelação
Qual é logo a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas. Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus? Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei. É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente” Romanos 3:1-3; Romanos 3:27-29
Jactância – subs. fem - atitude de alguém que se manifesta com arrogância e tem alta opinião de si mesmo; vaidade, orgulho, arrogância; pretensão de bravura ou altos méritos e conquistas; atitude de quem conta bravatas; fanfarrice. ETIM lat. 'ação de gabar';
- jactância no hebraico - רַברְבָנוּת
É importante reafirmar a posição e importancia de ser judeu, da Nação Israel, no Plano Redentivo. Mas, precisamos posicionar esta importância, sem a jactância, do que seria, quase um “direito”.
Assim, ainda que haja uma vantagem inexorável em ser judeu, ou de Israel é importante, como Paulo vai declarar que saibamos que há um mistério na ação do Plano da Redenção que por isto mesmo, Israel, não entendeu, embora tenha cumprido, pelo bem, ou pelo mal, o seu, importante papel, neste Plano de Redenção. Não há que ter jactância, mas sem dúvida alguma, há um papel verdadeiro e real lhe dado por Deus, dentro do Plano Redentivo.
“Por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo,  O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas; A saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho; ...A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios... E demonstrar a todos qual seja a comunhão do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo; Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, Segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor” Efésios 3:4-11
A Bíblia apresenta a ação de Israel dentro do plano da Redenção demonstra que Deus tem um plano unificado para a história.  Neste Israel tem o seu devido trabalho e importância, reforço, aqui, este papel.
Deus dentro de seus atributos, usando a Sua Onisciência, sempre teve Seu Plano de Redenção, desde o princípio, em seu Conselho ETERNO – Pai, Filho e Espírito Santo, e neste plano já incluía Israel e com a determinação no “Aeon” e no kairós, para a chegada da Plenitude:
“Lembrai-vos das coisas antigas; Eu Sou Deus e não há outro, que declaro o fim desde o começo, desde os tempos antigos. ―Meu conselho subsistirá.” Isaías 46:9–10.
 “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.” Gálatas 4:4–5
Kairós [termo grego, inserido na Septuaginta, para tradução, em destaque em Ec.3] seria o período ideal para a realização de uma coisa específica, que pode ser um objeto, processo ou contexto. "Kairós" é um momento oportuno único, que pode estar presente dentro do espaço de um tempo físico, determinado pelo Cronos [o conceito está relacionado com a ideia de tempo cronológico e físico, como as horas, os minutos, os dias e etc.].
Kairós quando, assim entendido pelos gregos, simbolizava a ideia de tempo momentâneo, uma oportunidade ou um período específico para a realização de determinada atividade, por exemplo. Kairós não era entendido como um tempo cronológico, mas sim como um momento no presente ideal para algo.
Entendendo que no Cristianismo, os termos kairós e cronos podem ser considerados são antagônicos, no sentido de um significar o "tempo de Deus" (kairós) e o outro o "tempo dos humanos" (cronos).
Def.: Kairós (καιρός)– “Tempo”, especialmente um “ponto no tempo”, “momento”, “tempo oportuno”, “oportunidade favorável”, “ponto justo”, “medida certa”, “lugar apropriado”, “aquilo que é conveniente apropriado ou decisivo”.
Utilizado no contexto bíblico como o chamado "Kairós de Deus, que não pode ser medido, pois, de acordo com uma das passagens da Bíblia Cristã: "(...) um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia" 2 Pedro 3:8.
Chronos – “Tempo”, “período de tempo”, “espaço de tempo, longo ou breve”.
Chronos serve inicialmente para a designação formal de um espaço de tempo, ou ponto de tempo, refere-se ao tempo cronológico ou sequencial que pode ser medido. Ele controlava o tempo desde o nascimento até a morte, um pensamento Grego era que Chrono representava o tempo que faltava para a morte, uma vez que era impossível fugir do mesmo, todos seriam mais cedo ou mais tarde vencidos (devorados).
 “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hebreus 9:27,28
Em síntese pode-se dizer que o tempo humano (medido) é descrito em horas e suas divisões e anos em suas divisões. Enquanto que o termo Kairós que descreve “o tempo de Deus” não pode ser medido e sim vivido.
IV - Israel é Parte do Plano de Redenção.
Como entender esta participação é a proposta deste Estudo. Seria uma primeira versão do que Deus pretendia fazer através da Igreja? Ou uma necessária forma de entender o Plano de maneira coexistente, com a Nova Aliança?
Segundo alguns teólogos o dualismo pode ser aplicado a relação entre Israel e a Igreja. no sentido de : “Dualismo é um conceito religioso e filosófico que admite a coexistência de dois princípios necessários”.
Poythress diz, sugerindo uma pressuposição teológica provável, que chama de “raison d’etre” uma forma de Hermenêutica, a chamada Hermenêutica literalista:
“O dualismo de Israel e a Igreja e, de fato, o dualismo mais profundo determinado quando e onde o dualismo hermenêutico do “literal é aplicado”.
Embora, eu ache melhor o uso de dicotomia entre Israel e a Igreja, ao pressuposto dualismo. Quando colocamos dicotomia como sendo, um todo, com duas partes e dois elementos essenciais, como é definido, em alguns dicionários. Nenhum teólogo pode deixar de fora a essencialidade de Israel no Plano de Redenção. No sentido de que Deus não erra e é Senhor do Plano de Redenção.
Fonte:
Kairós e Chronos, um entendimento sobre o tempo de Deus.
A História da Salvação no Antigo Testamento - Vern Sheridan Poythress
Citações no corpo do texto
A Formação do Novo Israel – Hermes C.Fernandes

1ª Parte - Continuação

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical