sábado, julho 2

Lição 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO 3º Trimestre 2016

Lição 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
3º Trimestre 2016
Estudo e subsídio de Pr. Osvarela
Texto Áureo
“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” Mateus 28:19,20
Leitura Bíblica Em Classe:
Marcos 16:9-20
E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.
E, partindo ela, anunciou-o àqueles que tinham estado com ele, os quais estavam tristes, e chorando.
E, ouvindo eles que vivia, e que tinha sido visto por ela, não o creram.
E depois manifestou-se de outra forma a dois deles, que iam de caminho para o campo.
E, indo estes, anunciaram-no aos outros, mas nem ainda estes creram.
Finalmente apareceu aos onze, estando eles assentados juntamente, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já ressuscitado.
E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;
Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.
Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus.
E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém.
Exórdio:
Iniciamos mais um Trimestre da EBD no ano de 2o16. E desta feita, com um Tema necessário e absolutamente Eclesial, ou seja, interno e da Igreja do Senhor Jesus Cristo. Só Ela é convocada para esta Anunciação. Se a Vinda de Cristo foi anunciada por Profetas e Anunciada por Anjos, nesta Dispensação da Igreja, esta é convocada para a Obra da Evangelização.
Há uma motivação para a Evangelização, que é anunciar O Poder de Deus e a Obra realizada por Seu Filho Jesus Cristo na cruz do calvário, tudo para Glória de Deus. Se alguém não usar esta base está furtando a Glória de Deus e de Seu Filho ministrada em nossas vidas pelo Poder revelador do Espírito Santo. 
Os Falsificadores do Evangelho
São falsos mensageiros, os que querem usar este Dom divino para proveito próprio e honra própria, mas Deus não dá a sua Glória a “outrem”.
A outra motivação é a base moral do Evangelho, o Amor ao próximo:
Isto deve ser a nossa predisposição, como crentes em Jesus e gratos pela salvação, após nós mesmos sermos alcançados pelo Evangelho:
Isto deve nos predispor a uma evangelização assídua: o amor ao nosso próximo e o desejo de ver os outros seres humanos salvos. O desejo de ganhar os perdidos para Cristo deve ser, e de fato é, a natural e espontânea decorrência do amor que está no coração de todos aqueles que já nasceram de novo.” Citação compilada de “Qual o Motivo para a Evangelização?”J. I. Packer
Cuidado!
Há os que Não creram, ou não entenderam, a proposta e a verdade no Plano de Salvação, mas estão como muitos em Redes Sociais se auto elogiando, sem Glorificar a Deus.
“Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?” João 5:44
Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça.” João 7:18
“A apologética pode certamente, e frequentemente, levar ao Evangelismo. Mas a menos que Jesus seja apresentado como a única provisão de Deus para o pecado do homem e o arrependimento e a fé sejam apresentados como o único caminho de obter o perdão diante de Deus, o exercício permanece meramente acadêmico e cognitivo.” Um Entendimento Bíblico do Evangelismo, Mark Dever
A base divina para a Evangelização é uma Ordem do próprio Cristo:
Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.
A própria notícia de sua Ressurreição, a base de um Evangelho de Sinais e maravilhas e que vence a Morte foi dada por humanos, seus discípulos, pela boca das santas mulheres, que cuidadosamente foram até ao sepulcro, prestar serviço de consagração ao “morto” e foram surpreendidas pelo próprio “morto” redivivo que lhe anunciou que fossem anunciar que estava Vivo e vivo para sempre.
“E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios. E, partindo ela, anunciou-o àqueles que tinham estado com ele, os quais estavam tristes, e chorando.”
No texto, em tela, podemos notar alguns importantes dados no texto:
- sinais existentes de quem teve encontro com Jesus: “apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.”
- A ordem de anunciar: “E, partindo ela, anunciou-o àqueles que tinham estado com ele, os quais estavam tristes, e chorando.”
- A notícia era para os que estavam: “tristes, e chorando.”
Esta é a nova do Evangelho, anunciar Boas Novas [euaggelion] aos tristes, pobres e que choram, sem esperança!
I - Etimologicamente
Primeiro: O termo Gospel significa Evangelho, em português. Gospel é o diminutivo de “God Spell”, ou seja, Palavras de Deus, que pode significar também Boas Notícias, Boas Novas, e etc.
Segundo: Gospel é considerada uma supressão das palavras "God" e "Spell", ou seja, "Deus" e "palavra", em português. A partir da mistura das palavras, surgiu o termo "Gospel", que significa, ao pé da letra, "palavra de Deus". O termo surgiu nos Estados Unidos, com os cultos que eram realizados.
Desde a Ressurreição do Senhor se tornou algo que levaria Novas a todos, pois a sua Vinda a este Mundo está ligada a esta Sua realização junto aos Povos necessitados:
“E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou ...na sinagoga, e levantou-se para ler. E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, ... em que estava escrito: O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor...Então dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos.” Lucas 4:16-21
Assim, a Igreja tem um conteúdo neste Trimestre a Oportunidade para entender a sua Obrigação, Dever e vitória em Glorificar a Deus anunciando O que ele Planejou, com o Plano Redentivo para a Humanidade!
II - Étimos
Não há Igreja sem Evangelismo.
O Evangelho precisa ser ouvido por todos, como um direito divino de escapar da condenação através desta Boa Nova Celeste, disponibilizada por Deus, a toda a Humanidade, num chamamento á reconciliação de todos, em Jesus Cristo.
ευαγγελιον - euaggelion; O Evangelho. n. n. recompensa por boas notícias; boas novas; as boas novas do reino de Deus que acontecerão em breve, e, subseqüentemente, também de Jesus, o Messias, o fundador deste reino. Depois da morte de Cristo, o termo inclui também a pregação de (sobre) Jesus Cristo que, tendo sofrido a morte na cruz para obter a salvação eterna para os homens no reino de Deus, mas que restaurado à vida e exaltado à direita de Deus no céu, dali voltará em majestade para consumar o reino de Deus
- as boas novas da Salvação através de Cristo
- a proclamação da graça de Deus manifesta e garantida em Cristo
- quando a posição messiânica de Jesus ficou demonstrada pelas suas palavras, obras, e morte, a narrativa da pregação, obras, e morte de Jesus Cristo passou a ser chamada de evangelho ou boas novas.
ακοη - akoe; n. f. o sentido de ouvir; o ouvido; aquilo que é ouvido; instrução (oral); pregação do evangelho; relatório, notícia, rumor
ακολουθεω - akoloutheo; v. seguir a alguém que precede, juntar-se a ele como seu assistente, acompanhá-lo; juntar-se a alguém como um discípulo, tornar-se ou ser seu discípulo.
μαθητευω - matheteuo; v. ser discípulo de alguém; seguir seus preceitos e instruções; tornar discípulo; ensinar, instruir.
Μαθητης - mathetes; n .m. aprendiz, pupilo, aluno, discípulo
μαθητρια - mathetria; n. f. discípula
ευαγγελιστης - euaggelistes; n. m. aquele que traz boas novas; Evangelista; nome dado no NT aos mensageiros da salvação através de Cristo que não eram apóstolos.
ιερουργεω - hierourgeo; v. servir como um sacerdote, ministrar no serviço sacerdotal; da pregação do evangelho
Gospel vem do Ing. antigo GOD, aqui significando “bom”, mais SPELL, “fala, mensagem”. É uma tradução do Grego EVANGELION, “a boa nova”.
III – Obrigação ou Serviço ao Próximo?
É obrigação de todo crente e de forma natural sentir o desejo de alcançar outros pela palavra da salvação. Nós exercemos o Ministério da Reconciliação, ou seja, temos este ministério, como servos de Deus a palavra que pode regenerar a ligação do homem com Deus, e a alma, do que a acolhe para uma nova vida, com Cristo.
“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdòcio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;” 1 Pedro 2:9
Esta forma de ação é a ministração, sob o sentido etimológico, de servirmos à Deus como ministros, ou sacerdotes de Deus na pregação do Evangelho.
É a Igreja quem possui o Ministério apologético do Ide! Osvarela
Não há outra forma de ser desvendado o Mistério de Cristo, Salvador da Humanidade a não ser pela palavra ou a quem Deus quiser revelar [falo, aqui da Soberania salvadora de Deus, através de Cristo].
Nós possuímos este Ministério que vai ao encontro dos homens, onde quer que eles estejam na face da Terra, aqui, ou no mais distante ponto do Universo, a Igreja tem Autoridade e obrigação de investir na Obra do Ide, junto ao Mundo.
“E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus.2 Coríntios 5:18,19,20
“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” Marcos 16:15
IV- A Igreja é na atual Dispensação:
Geração eleita, para anunciar o Evangelho;
Sacerdócio do tempo Neotestamentário, para anunciar as virtudes salvíficas de Cristo;
A nova Nação que proclama o “Ide”;
O novo povo adquirido para Anunciação das virtudes da salvação em Jesus Cristo;
É a única que tem o Ministério da Reconciliação;
Tem na atual Dispensação “a Palavra da Reconciliação”, para todos que necessitam desta, para com Deus;
Somos embaixadores da parte de Cristo, portanto, autorizados a promover a entrada na Graça e na reconciliação com Deus.
Estas autorizações e obrigações formam o conjunto autorizativo e do “Ide”.
“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”
É necessário, que a Igreja entenda a sua função como despenseiros, de algo que não pode ser descoberto, sem a anunciação ou Evangelização, por ela mesma. Como Paulo disse: são “mistérios de Deus”.
“Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus.1 Coríntios 4:1
V - Um Processo de Escolha:
εκλεγομαι - eklegomai; v. selecionar, escolher, selecionar ou escolher para si mesmo; escolher entre muitos, como Jesus que escolheu seus discípulos.
Imaginemos que não houvesse outros para nos anunciar a salvação. Quem seríamos, hoje, distante da Salvação em Cristo?
Então, nós temos, através de nossa própria experiência em Cristo, buscar fazer Discípulos em todas as Nações. Esta é a ordem de Jesus Cristo e a forma da proclamação do Evangelho.
Este processo não trata exclusivamente de anunciar e proclamar o Evangelho e suas novas aos homens, e depois o que anunciou o Evangelho partir sem dar maiores informações sobre o que foi anunciado.
A própria Escritura Neotestamentária nos auxilia no entendimento de como o Ide se dá, e a posterior forma de discipular.
“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado...” Mateus 28:19,20
Evangelizar não é só proclamar!
“E, descendo Filipe à cidade de Samaria lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia; Pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados.” Atos 8:5-7
Evangelizar é discipular, no sentindo stricto da palavra exarada por Jesus Cristo sobre:
- fazer discípulos; no sentido do evangelho ser anunciado, não tem o principio de fazer discípulo, para si mesmo, mas para Jesus Cristo. Quem o assim o faz, está furtando discípulo de Cristo, usando o Seu Evangelho!
- Batizando-os;
- ensinando – instruir;
- o que guardar;
- todas as coisas mandadas por Jesus;
- demonstração de sinais;
- a ação do Espírito;
Ou seja, cumprir o Ide inclui uma série de atos e atividades para ser completo. Ninguém que cumpre o Ide pode dar como completo o cumprimento da sua Missão, se não exercer, a atividade de:
Ensinar, discipulando o neófito crente ao batismo, com a consciência e livre arbítrio de que deseja ser batizado, como no texto abaixo, na atividade de Felipe, junto ao mordomo de Candace.
O Ide implica em sinais de libertação e regeneração do homem, como um todo, que pode incluir a cura espiritual, a cura física a libertação de oprimidos de malignidades e libertação de vícios e danos espirituais.
“E o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te, e vai para o lado do sul... e foi; e eis que um homem etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, ... lia o profeta Isaías. E disse o Espírito a Filipe: Chega-te, e ajunta-te a esse carro. ... disse: Entendes tu o que lês? ... Como poderei entender, se alguém não me ensinar? E rogou a Filipe que subisse e com ele se assentasse. ... Então Filipe, abrindo a sua boca, e começando nesta Escritura, lhe anunciou a Jesus. ... disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? ... disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus... o batizou. Atos 8:26-38
VI- As Formas de Trabalho da Evangelização:
Princípios:
O primeiro motivo é primário e fundamental.
A principal finalidade do homem é Glorificar a Deus. O grande princípio de vida da Bíblia é: “fazei tudo para a glória de Deus”. Os homens devem glorificar a Deus obedecendo a sua palavra e cumprindo a sua vontade revelada.
“Eu não busco a minha glória; há quem a busque, e julgue.” João 8:50
Alguns pensam que Evangelizar não tem método e regras. Mas, o texto bíblico nos ensina que a Evangelização tem destinos, planificação, palavras a serem ditas, atos metodológicos a serem cumpridos pelos que se lançam [na realidade, todos devem exercer, esta tarefa] à Obra de Evangelização.
Diz Mark Dever no seu livro “O Evangelho e a Evangelização” (Editora Fiel, 2011), Mark é pastor na Capitol Hill Baptist Churchem e em cada capítulo ele tenta responder perguntas específicas como:
   A.     Por que não evangelizamos?
   B.     O que é o evangelho?
   C.     Quem deve evangelizar?
   D.    Como devemos evangelizar?
   E.     O que não é evangelização? 
   F.     Depois de evangelizar, o que devemos fazer?
   G.    Por que devemos evangelizar?
Ele procura ensinar, como diz um artigo sobre seu livro:
“Ele adverte contra certas estratégias evangelísticas que parecem mais com discursos de vendas para um novo produto. E, todavia, ele é igualmente insistente que devemos demonstrar urgência quando instando que as pessoas confiem na misericórdia de Cristo. Dever crê ser importante apoiar a nossa proclamação do evangelho com um viver santo, mas ele não crê que devemos substituir a proclamação evangelística por um “evangelismo de estilo de vida”.
A proclamação verbal é a chave. Dever insta para que proclamemos o evangelho, não meramente nossos testemunhos pessoais, os argumentos apologéticos em favor do cristianismo ou os resultados da fé cristã. Compilado de “O Evangelho e Evangelização” de artigo de Trevin Wax
Em Marcos 16 encontramos estes rudimentos [bases]:
      a)    pregai
      b)    o evangelho
      c)    a toda criatura.
      d)   fazei discípulos
      e)     de todas as nações,
      f)      batizando-os
      g)    em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
      h)   Ensinando-os
     i)      a guardar
     j)      todas as coisas que eu vos tenho mandado
     k)     Quem crer
     l)       for batizado será salvo
     m)  E sinais seguirão aos que crerem:
     n)    Em meu nome expulsarão os demônios;
     o)     falarão novas línguas;
     p)     Corroborado por Mateus, capítulo 20
     q)     Ensinando-os
     r)      a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado...
VII – Comunicar é Evangelizar
Evangelizar está intimamente ligado a questão verbal. A comunicação das Novas de Deus a todos pela palavra dita e seguida de sinais.
Anunciar – verbo: promover o conhecimento ou a divulgação de (algo) [para alguém]; comunicar, participar.
Em outros tempos verbais - dar publicidade de; noticiar, divulgar.
- demonstrar (-se) claramente por gesto, sinal etc.: indicar(-se), prenunciar(-se).
- p.ext. propiciar (conhecimento do que virá) a (alguém); profetizar, prognosticar, vaticinar.
- prevenir da presença ou da chegada de.
Portanto somos comunicadores da Boa Nova, assim como Maria de Magdala. Somos profetas, damos publicidade, noticiamos, promovemos o conhecimento da verdade de Deus e sua Salvação, proporcionada pela Morte e ressurreição de Jesus.
Além disto, demonstramos claramente por sinais esta Obra.
Não é simplesmente pregar, mas pregar o Evangelho, novas de Deus ao Mundo para regeneração do homem.
Não é pregar a um grupo, mas a todas as criaturas de Deus e a todas as nações
Com um objetivo único: fazer discípulos em todas as Nações
Após o Anúncio devem professar o entendimento da Nova do Evangelho, com a confissão de que creram, e sendo ensinados, portanto crendo devem ser batizados, sob o nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, confirmando a Trindade nas suas vidas, como crença e proteção e sendo assim partícipes da Aliança na Igreja, além de entender, com consciência os “mistérios de Deus”.
Devem ser ensinados para guardar todas as coisas que Jesus mandou, como “amar ao próximo, como a si mesmo”. Assim, o que evangeliza deve ter autoridade divina para apresentar Sinais aos que evangeliza e ao Mundo.
A Evangelização vai além, ela deve evangelizar e desvenda certos mistérios, pela palavra, que há uma autoridade concedida aos que crêem lhes dá novas e valiosas revelações e poder, que se manifestarão sob a forma de sinais, como expulsar demônios e o poder de falar em novas línguas.
E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram.”
Quando anuncia-se, o Evangelho, uma das regras é não fazer acepção de pessoas, raças, tribos, línguas e nações. 
Este exemplo foi uma das grandes barreiras a serem quebradas entre os primeiros cristãos, em sua maioria formada de judeus. Evangelização é fundamento de salvação a Todas as nações, é por isto, que Jesus Cristo incluiu na sua Ordem “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.”, internacionalizando a pregação do Evangelho, pois antes o mistério como sombra na lei, estava anunciado aos judeus, como Paulo descreve assim:
“Qual é logo a vantagem do judeu? ... Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas.” Romanos 3:1,2
É importante evangelizar que o Ide transforma e tira barreiras étnicas e geográficas, esta foi a grande novidade do Evangelho:
A saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho;” Efésios 3:6
Os sinais só são concedidos aos que tem esta autoridade genuína, para gloria de Deus e não para própria exaltação ou ganho monetário com a Evangelização e Sinais.
Continua...
Fonte:
Qual o Motivo para a Evangelização? J. I. Packer
InfoEscola, Gospel, Alaine Silva
Origem da palavra -  Santo Peres Rubio, Caieiras, SP
Bíblia online

Apontamentos do autor

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical