domingo, agosto 7

A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS DESAFIADORES Lição 6 - Agosto de 2016

A Evangelização dos Grupos Desafiadores
Lição 6
7 de Agosto  de 2016
ESTUDO SUBSÍDIO Pr. Osvarela
TEXTO ÁUREO
"[...] e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. João 6.37
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Lucas 7.36-50
36 - E rogou-lhe um dos fariseus que comesse com ele; e, entrando em casa do fariseu, assentou-se à mesa.
37 - E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com unguento.
38 - E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os cabelos da sua cabeça e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com o unguento.
39 - Quando isso viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora.
40 - E, respondendo, Jesus disse-lhe: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. E ele disse: Dize-a, Mestre.
41 - Um certo credor tinha dois devedores; um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro, cinquenta.
42 - E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Dize, pois: qual deles o amará mais?
43 - E Simão, respondendo, disse: Tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem.
44 - E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas e mos enxugou com os seus cabelos.
45 - Não me deste ósculo, mas esta, desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés.
46 - Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com unguento.
47 - Por isso, te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama.
48 - E disse a ela: Os teus pecados te são perdoados.
49 - E os que estavam à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este, que até perdoa pecados?
50 - E disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.
Introdução
Grupos desafiadores, eu acredito em grupos discriminados. Ou seja, o desafio é não discriminar qualquer tipo ou grupo de pessoas, mas os ver como um grupo de almas a serem alcançados pela Evangelização do Evangelho de Jesus Cristo.
O próprio Jesus teve imensa dificuldade por ver estes grupos como almas necessitadas da ação da regeneração provocada pelas Suas Palavras.
36 - E rogou-lhe um dos fariseus que comesse com ele; e, entrando em casa do fariseu, assentou-se à mesa.
37 - E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com unguento.
Maria Madalena [de Magdala], que teve expulsos demônios que lhe atormentavam foi o exemplo dos diversos personagens que povoavam as Cidades da Judéia, ao tempo do Ministério de Jesus.
E ele lhes disse: Qualquer que deixar a sua mulher e casar com outra, adultera contra ela. E, se a mulher deixar a seu marido, e casar com outro, adultera.” Marcos 10:11,12
Eram pessoas que terminavam por viver a margem da sociedade daqueles tempos, pois se fossem possuídos de demônios, os exorcistas ambulantes, que viviam as custas destas ações não podiam expulsar os demônios, isto os colocavam entre os excluídos da sociedade vivendo uma vida miserável, pelas suas opressões.
Quando citamos os oprimidos de Satanás, estamos pontuando, apenas um dos grupos que sabemos dentre tantos, que viviam excluídos e foram objetos de discriminação e apenas o Evangelho de Jesus Cristo pode alcançar estes grupos e incluí-los no Corpo, a Igreja:
“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé.” Romanos 1:16,17
Divorciados – partindo do pressuposto nomista do repúdio
Adúlter(a)os
Cegos
Mancos
Ressequidos
Surdos
Mudos
Corruptos
Uma Classe detestada: Os Publicanos – cobradores de Impostos romanos
Estrangeiros [os gerim; de ger ou tôsâb] – sem a proteção da Lei
O Refugiado – o djâr -
Pobres – injustiçados e oprimidos
Indigentes
Embora quase todos estes tipos de gente fossem objeto da cobertura da Lei Mosaica, nos idos de Jesus estavam sofrendo pelo distanciamento dos ditames nomista.
Escravos
Devedores – que sofriam perdas irreparáveis, pois a sociedade religiosa se esquecia do Jubileu, época de restituição.
O evangelho é o Jubileu de Deus, que permite a inclusão dos devedores no grupo de salvos e limpa os seus nomes do Cadastro Negativo do Pecado.
Olhando a exegese bíblica da condenação e justificação, como termo legal para absolvição de todos os condenados – os Homens – diante de Deus.
“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo”. Efésios 2:8-12
Seguindo o entendimento do presente estudo devemos buscar compreender a questão da não acepção, o que, aliás, fez a diferença do Ministério de Jesus no meio da Sociedade e Cidades em Israel não olhando a aparência externa de nenhum de seus auxiliados.
“E perguntaram-lhe, dizendo: Mestre, nós sabemos que falas e ensinas bem e retamente, e que não consideras a aparência da pessoa, mas ensinas com verdade o caminho de Deus.” Lucas 20:21
Duas ordens:
Não fazer acepção –
“Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redargüidos pela lei como transgressores.” Tiago 2:9
Quem faz juízo é Deus. Nós temos obrigação de salvá-los pelo Poder do Evangelho.
“Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele. Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne.” Judas 1:15-23
Devem à Sociedade, a Pátria e á Família, mas são regenerados e se tornam produtivos pelo Poder do Evangelho.
Os Impuros – “Também a mulher, quando tiver o fluxo do seu sangue, por muitos dias fora do tempo da sua separação, ou quando tiver fluxo de sangue por mais tempo do que a sua separação, todos os dias do fluxo da sua imundícia será imunda, como nos dias da sua separação.” Levítico 15:25
“E uma mulher, que tinha um fluxo de sangue, havia doze anos, e gastara com os médicos todos os seus haveres, e por nenhum pudera ser curada, Chegando por detrás dele, tocou na orla do seu vestido, e logo estancou o fluxo do seu sangue. E disse Jesus: Quem é que me tocou?”
Lucas 8:43-45
Esta lista, sem ser final e exaustiva pode ser comparada em nossos dias com as pessoas discriminadas e excluídas do seio da Sociedade, seja aqui ou em outros países.
“Pois o SENHOR vosso Deus é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas; Que faz justiça ao órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e roupa. Por isso amareis o estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito”.
Deuteronômio 10:17-19
Portadores do vírus HVIV – Com SIDA [AIDS]. Os quais podemo-los comparar aos leprosos que andavam nas cercanias de Jerusalém.
“E ele, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, sê limpo. E logo a lepra desapareceu dele.”
Lucas 5:13
Este texto de Lucas nos mostra duas coisas:
A questão ritualística da Impureza;
O poder da Palavra de Jesus e o seu toque, que mostra a aceitação daquele homem, que ainda estava leproso e não podia ser tocado por ninguém, o que faria com que aquele que os tocassem seria considerado Impuro.
O toque de Jesus o faz se tornar limpo e aceitável no seio da Sociedade é a Inclusão do Evangelho, que tipologicamente reincluiu na Sociedade e na presença de Deus todos os “leprosos” pelo Pecado.
Teríamos nós, a mesma percepção de que o Evangelho tem este Poder e Obrigação, e faríamos igual ao Mestre?
Pobres
Mendigos
Viciados de toda a substância, ou de hábitos
Cegos
Deficientes
Autistas
Negros
Asiáticos
Exclusão cultural
Analfabetos
Sem formação profissional
Estrangeiros imigrantes de regiões do planeta:
Fruto da grande migração, jamais vista na Terra devido a Perseguições políticas, Guerras e perseguição religiosa, incluindo os povos cristãos, não evangélicos e desterrados pela extrema pobreza em que vivem em seus países e incluindo a migração interna em nosso Brasil
Haitianos
Angolanos
Sérvios
Árabes
Muçulmanos
Apátridas – curdos, ciganos e outras etnias
Lembramos que o Evangelho maximizado e absoluto manifestou-se em sua plenitude em um dia que Jerusalém recebia gente de todas e inumeráveis nações, raças, tribos e estrangeiros [na figura dos prosélitos].
Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Asia, E Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos, Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus. E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?” Atos 2:9-12
O Poder Evangelho é para todos.
No momento atual, a Igreja tem sofrido extrema perseguição psicológica, incluindo, quando digo Igreja cada crente, que se firma na palavra para viver sua vida moralmente pelas Escrituras, e que não aceitam algumas formas de vida e comportamentos, condenada nos santos escritos. Somos atacados nas redes de TV’s e Internet, pelos que defendem grupos e segmentos sociais que querem viver uma vida de promiscuidade, homossexualidade, seja masculina ou feminina.
Além disto, alguns países e legisladores querem implantar categoria de trabalhadores sexuais, fazendo a prostituição fonte de renda. Bem sabemos que a prostituição, como a homossexualidade é secular, mas nem todo costume secular, mas este fato não pode ser confundido como aceitável diante das escrituras. O que queremos é que o Evangelho possa alcançar estes grupos e pelo poder da Palavra criar um modo de regeneração de vida.
Geneticamente só há dois grupos de pessoas nascidas embaixo dos céus, dois sexos.
Cientificamente comprovado, pela medicina
Ou nascemos homem ou nascemos mulher.
É disto que a Bíblia trata, sem deixar de incluir a todos debaixo da grande Cobertura da Graça.
O Evangelho que salva a todo que crer em Jesus.
Dentre estes temos a questão da família, dos embriões, do aborto.
Escrevi, há tempos sobre a questão da liberalidade na Justiça brasileira, sobre a família:
“Como eu já comentei várias vezes, em meu sítio na Internet, há muitos anos atrás, sobre a questão da tentativa de modificação da composição da família, contra a forma que Deus nos orienta sobre a mesma, com Pai e Mãe, em seu papel como macho e fêmea; mais uma vez, sem que não se possa impedir, de forma Legislativa, como seria natural para imposição de Normas, Leis, num Regime Democrático Republicano, a Justiça, desta feita, em Santa Catarina se adianta e normatiza, legislando, deixando de lado seu papel de Julgar, e toma o papel do Poder legislativo que é o local “Respublicano” onde se fazem as Leis.
No caso, a Justiça do Estado Catarinense autoriza a formação multiparental, aos Cartórios de Registro de Nascimentos que registrem nas Certidões de Nascimento até, acreditem, o Nome de 2 (duas) mães e 6 (seis) avós, e do Pai.
Leia mais: Bebê de SC poderá ter pai, duas mães e seis avós na certidão. Liminar da Justiça de Florianópolis permite registro dos nomes na certidão. A Decisão leva em consideração novas formas de composição da família atual. Um bebê que está para nascer em Santa Catarina terá direito ao registro na certidão de nascimento do nome do pai, de duas mães e dos seis avós. Trata-se do resultado de uma liminar da Justiça de Florianópolis que, de acordo com o poder judiciário catarinense leva em consideração "as novas formas de composição da família na sociedade atual". Segundo a sentença, duas mulheres casadas buscaram um parceiro para ser o pai da criança que desejavam. Consensualmente estabeleceu-se relação que, progressivamente, envolveu a todos. Então houve o pedido judicial para que essa formação multiparental seja reconhecida.”
“Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;” Romanos 1:25-28
A Homossexualidade e a Família. Modernidade ou prática do erro?
Da mesma forma já se insere no contexto familiar mundial e no Brasil, grupos que tentam se chamar de família, formado por “casais” homo e até com triplicidade de relação masculino/feminina.
“o aparecimento de outras conformações e terminologias familiares, tais como: entidade familiar, união estável, uniões homoafetivas, família monoparental, família anaparental, reprodução assistida, concepção homóloga, heteróloga, filiação socioafetiva e outras.”
A liberalidade da interpretação da Constituição tem levado a magistrados inserir em suas súmulas e sentenças tais tipo de uniões, ao arrepio da Constituição, sob a alegação que se a lei não modula eles podem interpretar liberalmente, esquecendo-se de qualquer traço da cultura, e costumes, e querendo impingir estes modelos na Sociedade e o pior, negando e atacando quem se opõe, como nós das Igrejas Cristãs {ICAR incluída], e tirando o direito da livre opinião, constitucionalmente permitida.
A Inclusão passa pela própria Igreja.
Além dos de fora que serão evangelizados, os que se agregam, também, necessitam de um trabalho discipular para terem a consciência de que a moralidade da Igreja é inerente a determinada pelas Santas Escrituras que são a nossa Regra de Fé.
“Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos irmãos. Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus.” 1 Coríntios 6:8-11
Paulo ao criticar e doutrinar, por escrito, de maneira epistolar a Igreja de Corinto infere em sua escrita, àquela igreja, a existência de alguns ainda não libertos dos vícios/hábitos, seja por costume e prática, ou por falta de doutrinação.
“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” 1 Tessalonicenses 5:23
A Igreja em Corinto [e nem só em Corinto, como em Tessalônica] tinha muitos crentes advindos de cultos pagãos, onde havia a prática cultual seja de prostituição, feminina ou masculina, chamadas de prostituição cultual, ou seja, inerente ao culto que exerciam, e que pela aculturação grega distinguiam como possível desconectar o uso do corpo das atividades espirituais, e vice-versa.
Estratégias:
A Evangelização dos excluídos ou desconectados da moralidade usualmente determinada pelas Escrituras, deve ser conduzida por grupos ou pessoas preparadas para esta atividade.
Capelanias
Exercer a Capelania prisional ou penitenciária é preciso escolher pessoas sabidamente crentes, com a fé consolidada e não apenas o desejo e mesmo com o Dom, mas sem preparo.
Que passa em fortalecimento mental pela oração.
Conhecimento de forma de abordagem no ambiente penitenciário que exige critérios determinados pela legislação da unidade prisional, e até mesmo códigos internos entre os presos, como olhar, tocar ou não as pessoas. O tipo de palavras a ser utilizado, roupas, cores de roupas, etc...além de que tipo de coisas pessoais se pode levar ou até mesmo o enfrentamento de rebeliões, ou de passar por revistas pessoais, que podem até ser revistas íntimas para as mulheres.
Sabendo que há Unidades prisionais para mulheres e homens.
Num ambiente de viciados necessita o que vai evangelizar até mesmo o visual externo, ou seja, as roupas adequadas, não muitas vezes não pode, ser usado um terno pelos homens, e certo tipo de vestimentas para as mulheres.
Escolha do tipo de literatura.
Roupas
Forma de falar
Como realizar um culto, ou até mesmo a não permissão de levar algum recado escrito para familiares de presos, ou mesmo verbal.
Fundamental: não repetir a mesma equipe por muito tempo.
Para Moradores De Rua:
Se os evangelizar significa conduzi-los para um templo, deverá ter algum tipo de instalação anterior que possa cortar cabelos, prepara um banho, alimentação.
Equipe deve ser instruída no que vai falar a estas pessoas.
Evangelização de Homossexuais:
“E a graça de nosso Senhor superabundou com a fé e amor que há em Jesus Cristo.” 1 Timóteo 1:14
A equipe deverá ter no mínimo três pessoas que saibam o que falar e evitar ataques condenatórios, sem que isto não impeça falar a verdade da Palavra de Deus.
Mas, utilizando o conceito:
“"[...] e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” João 6.37
E deixando a fala do fariseu, mas usando o conceito da graça que superabundou onde estava o pecado:
39 - Quando isso viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora.
41 - Um certo credor tinha dois devedores; um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro, cinquenta.
42 - E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Dize, pois: qual deles o amará mais?
43 - E Simão, respondendo, disse: Tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem.”
 O ato da mulher em usar um caro perfume, mostra que ela deveria ter bens e talvez, por isto, conhecida por alguma atividade, ou fruto de alguma atividade ilícita fosse possuidora de bens, mas isto não impediu de Jesus receber sua adoração. Assim devemos não dispensar aqueles que vêem e se lançam aos pés de Jesus com aquilo que, possa ser fruto de alguma modo incorreto de vida. Sabendo que Deus não leva em consideração o tempo da ignorância.
O simples relato de toda a conduta de Cristo ao tornar-se homem, e passar pelo que foi escrito sobre ele, é resumido em: Ele amou pecadores. João 3.16
Após se esforçarem no estudo da filosofia da redenção, teólogos eruditos voltaram-se para  mais satisfatória explicação que pode ser dada. Jesus amou tanto os pecadores a ponto de oferecer sua vida por eles; e ainda, podemos quase dizer, ele os amou tanto que precisou vir e morrer por eles.
A Humildade
A mulher reconheceu quem ela era.
A ação da Graça libera os nossos orgulhos e formalidades.
...só podemos reconhecer quão Santo e quão grande Deus é, se reconhecermos quão sujos, pecadores, nós somos.” Antthoni Hoekeman - em Salvos pela Graça
No ato da mulher vamos encontrar a humilhação.
Jesus um dia cingiu-se de uma toalha e lavou os pés dos seus discípulos e foi, até mesmo contestado por um deles.
Era um sinal patente de humilhação.
Enxugando os pés de Jesus com seus cabelos ela cometia um gesto que para o fariseu e todos naquela casa, foi motivo de indignação.
Ela se humilhou aos pés de Jesus, chorando regava seus pés com lágrimas e com seus cabelos enxugava.
É importante saber que a posição, e forma de comer, reclinado, permitiu que a mulher chegasse até Jesus e alcançasse seus pés, sem que ele a visse. Os seus pés estavam virados para fora da mesa e seu corpo  reclinado em direção aos pratos.
O que a mulher fez era usual quando se queria pedir, algo, ou um pedido importante usualmente feito por suplicantes e era um ato de sujeição e súplica.
Ela desamarrou os cabelos, coisa que naquela cultura era uma humilhação, a mulher estava diante de Jesus, sem máscaras, sem hipocrisia, na sua visão de receber o perdão era ela e Jesus.
A mulher já estava arrependida, ao ir ao encontro de Jesus, o texto está em um tempo verbal que indica isto:
47 - Por isso, te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama.
48 - E disse a ela: Os teus pecados te são perdoados.
No verso 47 Jesus diz que seus pecados estão perdoados.
Ela já havia sido perdoada antes de acontecer o jantar, pois Deus conhece o coração e sabia do seu arrependimento bem antes de ir a casa de Simão.
Deus vendo o seu sincero arrependimento age perdoando o pecador. Desde que, como a mulher procure a salvação em Jesus.
Temos de saber a diferença entre a graça de Deus e a religião. A graça traz arrependimento, a religião traz culpa.A graça gera amor e a religião gera crítica. A religiosidade de Simão o fez agir do ponto de vista da Religião e da lei.
A religião condena, mas a Graça Perdoa e busca quem mais tem pecado para agir na sua Plenitude salvífica.
Fonte:
A Unção em Betânia: terceira lição sobre a doutrina da cruz, A. B. Bruce

A Pecadora Que Ungiu Os Pés De Jesus – Tetelestai - Marcelo Augusto

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical