sábado, setembro 22

As Orações dos Santos no Altar de Ouro Lição 13 – CPAD Continuação - Parte 2

Continuação - Parte 2
As Orações dos Santos no Altar de Ouro
Lição 13 – CPAD
Estudo subsídio Pastor Prof Osvarela
Resultado de imagem para oração e altar
TEXTO ÁUREO
“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, afim de sermos ajudados em tempo oportuno.” Hb 4.16
Leitura Bíblica Em Classe
Levítico 16.12,13; Apocalipse 5.6-10
Lv 16.12 – Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do SENHOR, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído e o meterá dentro do véu.
13 – E porá o incenso sobre o fogo, perante o SENHOR, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o Testemunho, para que não morra.
Ap 5.6 – E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete pontas e sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados a toda a terra.
7 – E veio e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono.
8 – E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas, e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.
9 – E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação;
Apocalipse 5:10 – e para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.
Texto Apoio – Altar de Ouro
“E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono.
E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus.

E o anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra; e houve depois vozes, e trovões, e relâmpagos e terremotos.” Apocalipse 8:3-5
Discurso
Por Jesus Cristo nos apresentamos com nossas orações.
Vemos que muitos crentes se esquecem de colocar os seus pedidos diante do Deus pai, a quem oramos, o nome sacrossanto do Filho de Deus – Jesus Cristo.
É uma falha demonstrada quando estudamos a Oração No Altar De Ouro.
“Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra. E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto.” Tiago 5:16-18
Este é um padrão claro de oração diretamente dirigida a Deus Pai por intermédio do Filho
“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome” Mateus 6:9
“E naquele dia nada me perguntareis. Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar.” João 16:23
“Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo” Efésios 5:20
O que é orar em nome de Jesus?
“Orar em nome de Jesus é orar a vontade dele, e orar a oração dele é orar junto com Ele.”
Trata-se de uma referência a ser apresentada ao pai do sacrifício pascoal do Filho, no altar da cruz.
“A verdadeira oração é, portanto, a palavra do Filho de Deus, que vive conosco, dirigida a Deus o Pai na eternidade.” Bonhoeffer
Jesus faria a oração que estou fazendo?
Será que estou orando em seu nome, ou em meu próprio nome?
As minhas orações são antropocêntricas ou Teocêntricas?
Estou desejoso de que o nome de Deus seja santificado na terra?
Elas passaram pelo Altar de Ouro?
É lógico que sempre que oramos estamos orando em nome de Jesus e à Jesus, mas no entendimento sacrificial a oração no Nome é uma ferramenta que mostr ao pai que nós aceitamos o sacrifício de Seu Filho e isto, alegra o coração de Deus.
“O fato de que Jesus é “sumo sacerdote misericordioso e fiel” (Hebreus 2:17) que é capaz de “compadecer-se das nossas fraquezas” (Hebreus 4:15) é encorajamento para virmos ousadamente perante o “trono da graça” em oração “a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Hebreus 4:16).
Embora, de maneira escriturística, nos idos da Escritura Neotestamentária haja evidencia de oração diretamente ao Filho. Mas, este conteúdo de estudo, deixaremos de tratar. Mas esse não é o padrão do NT e não deveria tornar-se a ênfase dominante em nossa vida de oração.
Até porque O Pai é Deus, O Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus.
[Confissão de Fé de Westminster diz: “O culto religioso deve ser prestado a Deus Pai, o Filho e o Espírito Santo –– e só a Ele; não deve ser prestado nem aos anjos, nem aos santos, nem a qualquer outro criatura” (XXI.2)]
Fiquemos com a orientação do Filho a respeito de orarmos ao Pai.
Importante lembrar, que a oração é uma relação de ouvir a Deus, mais do que pedir a Deus, de falar a Deus.
É entender a soberana vontade do Pai ao orarmos à Ele, e compreender que odesejo do Pai foi se revelar no Filho.
E sua vontade era em nos resgatar ali, no Filho.
A “Oração do Pai Nosso”, Mt. 6:9-13. Nela vemos delineados os princípios da oração e podemos dizer que todas as orações verdadeiras sem dúvida terão os princípios revelados nela, pois é uma oração teocêntrica, onde o tema principal é o Reino de Deus estabelecido na terra, através do seu nome santificado e a sua vontade feita na terra como é feita nos céus.
Ec 5:2: “Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu, na terra; portanto, sejam poucas as tuas palavras.”
Tipologicamente, o Pai nos mostra que a oração do altar de ouro é uma demonstração de sua vontade.
Jesus em seus dias estava pregando a uma população culturalmente envolvida com o sacrifício. Jesus, naqueles dias, ensinou os seus discípulos a respeito do plano eterno e soberano de Deus, e eles passaram estas verdades aos primeiros cristãos. É o que podemos ver em Atos 4:23-31, quando a igreja primitiva está em oração. Eles começaram proclamando a soberania de Deus como criador e senhor de tudo.
“E, ouvindo eles isto, unânimes levantaram a voz a Deus, e disseram: Senhor, tu és o Deus que fizeste o céu, e a terra, e o mar e tudo o que neles há; Que disseste pela boca de Davi, teu servo: Por que bramaram os gentios, e os povos pensaram coisas vãs? Levantaram-se os reis da terra, E os príncipes se ajuntaram à uma, Contra o Senhor e contra o seu Ungido. Porque verdadeiramente contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel; Para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho tinham anteriormente determinado que se havia de fazer. Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra” Atos 4:24-29
Quando estudamos esta temática, impressiona-nos o fato que a oração é para subir de algum lugar. E o lugar das Orações dos Santos no Altar de Ouro.
Qual é o sentido disto?
É necessário olharmos para esta menção, a qual nos orienta, sobre as orações, que devam ter, e têm, objetivos, pelos quais são elevadas diante de Deus, com base em alguns princípios primários:
- Em adoração
- Agradecimento
- E finalmente em pedidos
Lv 16.12 – Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do SENHOR, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído e o meterá dentro do véu.
13 – E porá o incenso sobre o fogo, perante o SENHOR, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o Testemunho, para que não morra.
A oração é uma forma de apresentar-se diante de Deus com ofertas e “com punhos cheios”, que significam trazer alguma coisa para Deus.
Além disto, há a perspectiva de que se alguém traz algo impuro diante de Deus ou se apresenta diante D’Ele impuro pode ser atingido de maneira fatal.
Entrar na presença de Deus [e o meterá dentro do véu], é saber colocar o incenso – Oração – sobre o fogo, e fogo fala do poder de Deus em queimar os pecados humanos e isto, foi realizado pelo Seu Filho.
Esta maneira é notória, quando pensamos que podemos orar com o coração, mas o coração do homem é enganoso, porém, por Jesus [à partir, da Plenitude – Gl 4.4], com a ajuda do Espírito Santo, podemos orar com segurança de resposta e audição divina.
Dizer que o coração é capaz de orar por natureza, é no entanto um equívoco perigoso, se bem que amplamente difundido na cristandade de hoje. Neste caso nós confundimos desejar, esperar suspirar, lamentar ou jubilar (de tudo isto nosso coração é capaz) com orar. Confundimos a terra com o céu, o ser humano com Deus. Orar não significa simplesmente derramar o coração, mas significa encontrar-se com o coração saturado ou vazio, o caminho para junto de Deus, e falar com Ele. Disto porém homem algum é capaz, para poder fazê-lo necessitamos de Jesus Cristo.” Bonhoeffer
Ao examinamos nos Evangelhos a vida de Jesus, percebemos que sempre foi o seu desejo, a santificação do nome do seu pai, a manifestação do Reino de Deus na terra, e chegou mesmo a afirmar que a sua comida e a sua bebida era fazer a vontade de Deus.
“Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;” Mateus 6:9,10
E o altar de ouro nos mostra que o desejo do Pai, cumprido em Jesus nos ensina, agora como Igreja oferecermos adoração para aceitação da oração.
9 – E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação;
10 – e para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.
Estes versículos ligados a oração incensada nos Céus nos mostram:
Sacrifício - porque foste morto
Sangue espargido - com o teu sangue
Redenção - compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação;
8 – E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas, e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.
Este versículo mostra que o Cordeiro sacrificial, pascoal, tem agora, um grupo de homens [a Igreja] que, oram e é reconhecido nos Céus pelos 24 anciãos que diante D’ele se prostram reconhecendo como o sacrifício do Altar de Ouro esperado pelos Céus e Terra.
Com isto, nossas orações são aceitas e chegam como cheiro do Bom Sacrifício, às narinas do Pai que, as responderás com alegria!
Bibliografia:
Bíblia online
Ensina-nos a Orar; Paulo Cesar Bornelli
Bonhoeffer
Apontamentos do autor
Lições bíblicas CPAD = 3º trimestre 2018

Nenhum comentário:

Seguidores

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical