sexta-feira, dezembro 21

A PROMESSA DE NOSSA ENTRADA NO CÉU

Autor do comentário: Osvarela

Lição 12- CPAD – 23/12/2007 - texto com correções em 22/12/2007

Texto áureo: “Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.” Fp. 3.20.

Verbetes:

Céus – Ouranos – uma palavra, normalmente de uso plural, para denotar o céu e as regiões acima da terra; residência de Deus (Mt.5.34); de Cristo (At.5.21); dos anjos (Mc. 12.25); e dos santos ressuscitados. Por metonímia (veja no blog: http://nucleosetadvilacurucasandresp.globolog.com.br/), a palavra refere-se a Deus e aos habitantes do céu.

Anjos – angelos – de angello – “enviar uma mensagem”, portanto mensageiro; personagem divino, espiritual, que serve a Deus e que funciona como mensageiro enviado à Terra para cumprir seus objetivos, são invisíveis.São de diferentes ordens em função e poder.

Teontologia numa rápida e própria definição, não conclusiva: estudo das características próprias e únicas de Deus.Teontologia - doutrina de Deus acesse: http://www.revsimonton.or/artigos/artigo37.html

‘Elohim – deuses ou anjos – tem também significado de deuses, pois é uma palavra com sufixo im, que no hebraico pluraliza as palavras. A Septuaginta preferiu traduzir por anjos, (no Salmo 8) assim como o autor do livro de Hebreus; eu me permito a entender também, desta forma, nestas passgens; pode haver controvérsias.

INTRODUÇÃO:

A Igreja aguarda ansiosa a sua entrada nos céus.

A Igreja anela por participar do grande evento, que será único, exclusivo, primo em todas as eras eternais.

Atrevo-me a pensar, pelas frestas de luz da palavra de Deus, como isto poderá acontecer.

Primeiro: creio que a mesma expectativa vivida pela Igreja, de todos os tempos, que leva as nossas almas perguntarem aos Céus: Será Glorioso, será com as sensações que o Espírito Santo, nos faz antever este peso de Glória? Como será?

Segundo: permita-me viajar nas asas do espírito, se a Igreja vive esta expectativa, porque os seres celestiais, também não podem viver um sentimento parecido com o da Igreja, logicamente com sua capacidade, um pouco superior (anjos) que a humana (Sl.8.5; Hb.2.7), também podem estar perguntando, como nós, como será?

Terceiro: todos os seres celestiais (Mt.24.36: Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu...), assim como a Igreja, que faz parte da raça humana, não têm a peculiar capacidade da Onisciência, Onipresença e Onipotência, só o Deus Trino possui, ou seja, o Pai, Filho e o Espírito Santo, capacidades estas que a Teontologia busca encontrar explicações para dar um leve entendimento da grandeza de Deus.Desta forma é que veremos um quadro singular, a Igreja conhecendo a sua Casa eterna e Os Céus conhecendo a Igreja em todo o seu esplendor.Você pode me perguntar, mas os céus não conhecem a Igreja, os anjos não são espíritos ministradores para os que servem a Deus (Hb.1.14: Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor dos que hão de herdar a salvação?), não são mensageiros de nossas orações?

Sim, aí reside o entendimento: a Igreja é conhecida nos Céus como tendo vivido, e vivendo no presente século a Plenitude da Graça, neste corpo humano, mas naquele dia será conhecida como a Noiva ataviada, possuidora de um Corpo Glorioso.

A Igreja é conhecida da esfera espiritual, pelo séquito (Is. 6.1-3) que Isaías viu, ou seja no plano místico em que vivem os anjos e seres celestiais, mas naquele dia será conhecida corporalmente com o Esplendor da Glória do Filho, à Ela concedido pelo Espírito Santo! Aleluia.

Entendemos então que se tratará de um evento em que os Céus, com suas miríades de seres, que antevêem na mesma esperança, na mesma expectativa, no mesmo ansioso aguardo, todos eles, mais a Igreja, estarão se confraternizando, extasiados com tudo que ocorrerá no momento da entrada da Igreja no Céu.

Todas estas coisas, concorrem para que o evento da Entrada da Igreja no Céu, se transforme num espetacular acontecimento, que será visto em todo o seu esplendor, pelas legiões celestiais, e vivido por nós seres criados por Deus, caídos, resgatados e transformados em seres incorruptíveis, pelo Sangue do Cordeiro, para sermos Eternamente do Senhor.

SÓ HÁ UMA MANEIRA DE ENTRAR PELAS PORTAS DO CÉU:

Quando no patíbulo da cruz, Cristo foi ferido por uma lança, de seu lado, saiu Sangue. Jo.19.34: contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. Ali estava literal e simbolicamente, representada toda a efetiva consumação do processo da regeneração da humanidade e de todo aquele que crê em Jesus, ser lavado e libertado pelo Seu Sangue.

Ninguém poderá acessar as portas do Céu sem passar pelo processo da lavagem de sua vestes pelo mais poderoso alvejante espiritual, que nenhum químico, jamais ousou descobrir, leia:

Ap.22.14: Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.

Ap.1.5-6:...Jesus Cristo...a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o Príncipe dos reis da terra. Àquele que nos ama, e pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados, e nos fez reino, sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele seja glória e domínio pelos séculos dos séculos. Amém.

A JERUSALÉM CELESTIAL:

Há um texto do apóstolo Paulo em sua Epístola aos Gálatas, que é maravilhoso pelo seu conteúdo, podendo ser utilizado com variadas maneiras em sua interpretação, logicamente com a sensibilidade e cuidado e com a inspiração do Espírito Santo; tanto que o próprio Paulo, diz que se trata de uma alegoria, por isto vou utiliza-lo, numa ótica talvez única, no sentido de nossa Entrada nos Céus, este lugar que Jesus nos prometeu.

Gl.4.22-31: Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava, e outro da livre...o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas, o que era da livre, por promessa. O que se entende por alegoria... Ora, esta Agar...e corresponde à Jerusalém atual, pois é escrava com seus filhos...Mas a Jerusalém que é de cima é livre....irmãos, sois filhos da promessa...

Neste texto Paulo escreve aos Gálatas, e discursa sobre a libertação da Lei e da sua servidão, e a liberdade pelo Novo Nascimento em Cristo, porém eu, sem perder de vista o seu conteúdo sobre a superioridade do Evangelho em relação a Lei, gostaria de usá-lo com a visão do que nos espera e porque esperamos um lugar especial para a Igreja.

Sem dúvida encontramos no texto de Gl.4 alguns pontos que nos permitem utiliza-lo sobre o triunfo da Igreja e sua libertação deste mundo, para alcançarmos e se cumprir a Promessa de Cristo, de um lugar especial para nós: Os céus.

Se continuarmos a leitura do contexto próximo seguinte, veremos que Paulo declara com todas as letras, que entre outros assuntos estava falando sobre a questão de herdarmos o Reino de Deus. Gl.5.21:...como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus.O que nos permite fazer uma ilação do texto para: portanto os que não praticarem tais coisas herdarão o Reino de Deus!

A libertação de Cristo mostra que aqueles que adoram a Cristo na fé também triunfarão e herdarão a Jerusalém Celestial; obviamente é necessária uma compreensão, do que isto, representa alegoricamente neste pensamento, para não confundirmos com outros assuntos do tema Jerusalém Celestial. Aqui alegoricamente estamos a colocando como parte do Local Celestial que entraremos como Igreja.

Podemos também aplicar a visão de João na Ilha de Patmos, narrada em Apocalipse 21.2: E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo. Ou ainda : vs.3-4: E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Imagine um lugar como descreve João, A Santa Cidade, a Nova Jerusalém, é descrita como o lugar onde Deus removerá toda a tristeza. Por toda a eternidade não haverá mais pranto, tristeza ou dor, e isto é só uma pequena amostra do que Deus preparou para a Igreja.

A ESPERANÇA DEVE SER MANTIDA:

O Apóstolo Paulo, descreve em sua Segunda Carta aos Coríntios, no capítulo 5.1-7: Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus (ouranos – lar dos santos ressuscitados – vide verbetes). Pois neste tabernáculo nós gememos, desejando muito ser revestidos da nossa habitação que é do céu, se é que, estando vestidos, não formos achados nus. Porque, na verdade, nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos oprimidos, porque não queremos ser ...revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida. Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu como penhor o Espírito. Tenhamos portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos presentes no corpo, estamos ausentes do Senhor (porque andamos por fé, e não por vista);

Paulo nos para estarmos sempre animados, manter o ânimo, pois estamos ausentes do senhor, pois o que nos faz caminhar é a Fé na promessa de uma entrada nos Céus.

Esperamos portanto a incorruptibilidade, mesmo gemendo nesta casa terrestre (nosso corpo), mas sabendo que quando, possuirmos a Incorruptibilidade, ou ela nos possuir pela Glória do Espírito Santo, estaremos em um átimo de tempo, prestes a entrar nas Mansões Celestiais como moradores e herdeiros dos Céus.Para aqueles que não conheço ou não os vou conhecer nesta vida humana, aguarde pois nos encontraremos nas Entradas celestiais!Tu porém vai até ao fim!

Fonte:

Bíblia Plenitude - SBB;Bíblia de Estudo de aplicação pessoal - CPAD;Buckland;Bíblia ARC – SBB; Apontamentos do editor.
Autor:
Osiel VarelaMinistro das Assembléias de Deus – Missão.Consagrado no Belém em 26/09/1996. Membro em Santo André V. Curuçá. SP. Pr. Nivaldo Rodrigues. Ligado ao Belém. Professor de Teologia; Pós – graduado em Bíblia.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical