sexta-feira, setembro 30

Resumindo Neemias - Restauração Em Tempo de Crise

Resumindo Neemias.
Neemias significa “Jeová consola”.
A história intrínseca de Esdras e Neemias é continuada neste livro sob a ótica da restauração.
Consideraremos neste rápido esboço, como Neemias foi predecessor de Esdras nesta tarefa de restauração.
Veja o quadro
IMPERADORES PERSAS
RESTURAÇÃO JUDAICA
CIRO, o Grande – 539-530 a.C
Volta a Judá
Cambises – 530-522ª.C

Dario I – 485-465 a.C
Reconstrução do Templo
Xerxes – Rei Assuero – 485-465 a.c.

Artaxerxes - 465-425 a.C
Missão de Neemias – reconstrução das muralhas de Jerusalém e reformas.
Dario II – 425-405 a.C.

Artaxerxes II – 405-439 a.C.
?;Missão de Esdras e Reforma ;Promulgação da Lei.
 Qual seria o ‘mitte’ do Livro de Neemias?
Jr.29.4-7. Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel, a todos os do cativeiro, os quais fiz transportar de Jerusalém para Babilônia: Edificai casas e habitai-as; e plantai jardins, e comei o seu fruto. Tomai mulheres e gerai filhos e filhas, e tomai mulheres para vossos filhos, e dai vossas filhas a maridos, para que tenham filhos e filhas; e multiplicai-vos ali, e não vos diminuais. E procurai a paz da cidade, para onde vos fiz transportar em cativeiro, e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz.
Considerando-se a situação, a geografia, a geopolítica da época e os personagens do Livro, temos um quadro agudo da situação.
Judá dominada;

Susã, onde Neemias recebeu a notícia era a antiga capital de inverno dos reis da Pérsia, localizada na região Sudoeste do Irã atual.
É uma forma de destacar a situação em que Neemias estava em comparação com a cidade de seus pais a nobre Jerusalém, espoliada e sem portas e muros.
Enquanto ele – Neemias vivia na segurança da bela e fortificada Susã [remonte esta leitura com a do texto anterior e veja: o rei precisava resguardar-se em segurança, e entre os que podiam desfrutar desta segurança estava Neemias].
O flagelo instalado na região palestina o pavor, a fome, a destruição.
E disseram-me: Os restantes, que ficaram do cativeiro, lá na província estão em grande miséria e desprezo;
Uma situação de cativeiro e desprezo aos que lá ficaram, velhos, sem forças e outros desprezados pelo povo dominador.
Um reino paralelo em Samaria, governado por um inimigo dos judeus – Sambalate;
Uma cidade geopoliticamente fundamental, para a conservação do domínio na Região, o que a colocava sempre, diante dos olhos do Rei da Babilônia, para que nunca se soerguesse;
Uma região – Palestina – ponto de passagem de tropa dos Exércitos e de Comércio;
Todas estas condições estão em evidencia e se sobrepunham a qualquer interesse em resgate de Jerusalém;
Daniel entendeu que esse período de cativeiro seria de setenta anos (Daniel 9:2)
Quem era Neemias?
Serviu a Artaxexes [sucessor de Xerxes, o Rei Assuero na tradução do nome na versão latina do hebraico] no período do ano 445-425 a.C. Sec V –
Papiros da comunidade judaica em Elefantina no Egito – África nos dão conta que Sambalat foi governador naquela região e seus dois filhos também o foram.
Era um funcionário graduado da Corte do rei.
Copeiro do rei.
O copeiro do rei servia também de seu confidente dentro da fortaleza de Susã, lhe informando o que estava ocorrendo nos amplos espaços palacianos, de tal forma que até a Rainha se incomoda e é chamada para aconselhar na conversa do problema de Neemias.
Foi enviado pelo Rei no ano de 445 a.C.
Retornou a Babilônia em 433 a.C.
O compendio de Ezra [Esdras e Neemias é um só no Canon judaico] contam a história pós-davídica até aos anos 400 a.C.
Ne.1.1,11.AS palavras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu no mês de Quislev, no ano vigésimo, estando eu em Susã, a fortaleza... Ah! Senhor, estejam, pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu servo, e à oração dos teus servos que desejam temer o teu nome; e faze prosperar hoje o teu servo, e dá-lhe graça perante este homem. Então era eu copeiro do rei.
Quislev – quisleu é o nono mês.
Os nomes dos meses, de origem babilônica, poderão ser apreciados no quadro a seguir:

ORDEM    NOMES   BABILÔNIOS MESES JUDAICOS  APÓS CATIVEIRO MESES JUDAICOS EM PORTUGUÊS

ORDEM
NOMES
BABILÔNIOS
MESES JUDAICOS
APÓS
CATIVEIRO
MESES JUDAICOS
EM
PORTUGUÊS
Primeiro mês
NISÃ
NISÃ
NISSAN
Segundo mês
ZIVE
IYAR
IYAR
Terceiro mês
SIVÃ
SIVÃ
SIVAN
Quarto mês
TAMUZ
TAMUZ
TAMUZ
Quinto mês
ABE
ABE
AV
Sexto mês
ELUL
ELUL
ELUL
Sétimo mês
ETANIM
TISRI
TISHREI
Oitavo mês
BUL
MARHESHWAN
CHESHVAN
Nono mês
QUISLEU
QUISLEU
KISLEV
Décimo mês
TEBETE
TEBETE
TEVET
Décimo primeiro mês
SEBATE
SEBATE
SHEVAT
Décimo segundo mês
ADAR
ADAR
ADAR I
ADAR II
Os meses de Cheshvan, Kislev e Adar, flexionam-se em 29 ou 30 dias e os meses abaixo, permanecem fixos.
Parece-me que Neemias quer dar uma inferência de que ele estava na casa Real.
Ali, onde galgara vários postos, e neste momento ele estava então como copeiro do Rei, cargo de grande importância, diria vital, para a vida do Rei, em função das normais investidas sobre a vida dos que governavam, pelo envenenamento de alimentos e até para acessar aos aposentos reais.
Um homem judeu nascido no exílio;
Talvez um contemporâneo do líder profético no exílio, o profeta Zacarias;
Um homem que se mantém ligado à tudo o que acontece em sua pátria materna.
Arriscou o seu status e sua própria vida pelo estado da cidade de Jerusalém: “E o rei me disse: Por que está triste o teu rosto, pois não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração; então temi sobremaneira.”
Atender ao Rei sem estar com rosto alegre poderia parecer, ao Rei que ele estava sendo ingrato, pois muitos gostariam estar no seu lugar, até pelo fato de ser um hebreu.
E estar atendendo ao Rei do maior Império, ainda que em decadência inicial, mas ainda poderoso.
Um homem que no exílio trabalha na Casa Real do Poder dominante, o que prenuncia as suas qualidades pessoais, principalmente ao lermos toda questão do dominador e da escolha, dentre os exilados e suas família que cresceram no exílio, sabemos que esta escolha era proveniente de certas peculiaridades:
Família nobre;
Inteligência;
Parentesco com a Casa de Judá;
E outras demais condições.
O Mitte será, sob minha ótica é:
Sabedoria e Coragem de um Líder Restaurador: Neemias.
Jr.22.8. E muitas nações passarão por esta cidade, e dirá cada um ao seu próximo: Por que procedeu o Senhor assim com esta grande cidade?
Um homem alegre.
Um homem especial
Um homem conhecedor das promessas
Um homem que guardou a memória dos seus antepassados
Um homem conhecedor da glória de Jerusalém
Um preservador
Um homem preocupado com a Cidade do Templo
Um Restaurador:
Da unidade do povo;
Do valor espiritual de Jerusalém
Do animo do povo; Nesta missão ele serve de restaurador do estado de desanimo do povo e seus príncipes espirituais – sacerdotes - Deus havia prometido através de Jeremias (25.12) que o cativeiro babilônico teria duração limitada. No momento apropriado, cumpriu fielmente a sua promessa e induziu o espírito do rei Ciro da Pérsia a publicar um édito para o retorno dos exilados (1.1-4).
Da Fé do povo em seu Deus;
Um fechador de rotura
Um homem sábio
Um corregedor justo e forte.
Ne.13.25. E contendi com eles, e os amaldiçoei e espanquei alguns deles, e lhes arranquei os cabelos, e os fiz jurar por Deus, dizendo: Não dareis mais vossas filhas a seus filhos, e não tomareis mais suas filhas, nem para vossos filhos nem para vós mesmos.
Um homem que soube trabalhar no silêncio e sozinho;
Um homem de oração                                                                         
Um homem conhecedor dos benefícios do jejum
Um homem conhecedor do Deus verdadeiro: O Deus dos Céus, no meio de uma cultura com outros deuses.
Ne.1.4-5. E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus. E disse: Ah! Senhor Deus dos céus, Deus grande e terrível! Que guarda a aliança e a benignidade para com aqueles que o amam e guardam os seus mandamentos;

É importante explicar que este período na Babilônia consagrou no meio dos judeus a teogonia prática da existência de um Deus Único e verdadeiro, na cultura monoteísta do povo de Israel, basta vermos, como alguns reis de Judá e Israel se curvaram a deuses e rainhas dos céus.
A Crise Instalada:
Jamais queira ver a face da crise, mas quando ela chegar seja um Neemias! Osvarela
Tomando ciência da Crise.
Ne.1.2,3. Que veio Hanani, um de meus irmãos, ele e alguns de Judá; e perguntei-lhes pelos judeus que escaparam, e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém. E disseram-me: Os restantes, que ficaram do cativeiro, lá na província estão em grande miséria e desprezo; e o muro de Jerusalém fendido e as suas portas queimadas a fogo.
 A leitura do livro nos leva a constatação, que alguns judeus transitavam pelo magnífico reino semi-mundial a realizando viagens entre Jerusalém e a Babilônia.
Neemias teve seu semblante mudado pela preocupação;
Arquitetou um Plano para poder ajudar a reconstruir a cidade de seus pais
Um Homem Com Um Plano.
Trabalhava em segredo.... E de noite me levantei, eu e poucos homens comigo, e não declarei a ninguém o que o meu Deus me pôs no coração para fazer em Jerusalém;
Nunca inicie uma obra sem ter um plano e conhecer a situação, da mesma
Ne.2.11-16. E cheguei a Jerusalém, e estive ali três dias.E de noite me levantei, eu e poucos homens comigo, e não declarei a ninguém o que o meu Deus me pôs no coração para fazer em Jerusalém; e não havia comigo animal algum, senão aquele em que estava montado.E de noite saí pela porta do vale, e para o lado da fonte do dragão, e para a porta do monturo, e contemplei os muros de Jerusalém, que estavam fendidos, e as suas portas, que tinham sido consumidas pelo fogo.E passei à porta da fonte, e ao tanque do rei; e não havia lugar por onde pudesse passar o animal em que estava montado.Ainda, de noite subi pelo ribeiro e contemplei o muro; e, virando entrei pela porta do vale; assim voltei.E não souberam os magistrados aonde eu fora nem o que eu fazia;
Um homem que pensava grande, mas via os detalhes do que realizaria.
Primeiro orou a Deus.
Temos o primeiro exemplo no início da expedição:
Ne.1.4-9.E o rei me disse: Que me pedes agora? Então orei ao Deus dos céus,E disse ao rei: Se é do agrado do rei, e se o teu servo é aceito em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique.Então o rei me disse, estando a rainha assentada junto a ele: Quanto durará a tua viagem, e quando voltarás? E aprouve ao rei enviar-me, apontando-lhe eu um certo tempo.Disse mais ao rei: Se ao rei parece bem,
a- dêem-se-me cartas para os governadores dalém do rio, para que me permitam passar até que chegue a Judá.
b- Como também uma carta para Asafe, guarda da floresta do rei, para que me dê madeira para cobrir as portas do paço da casa, para o muro da cidade e para a casa em que eu houver de entrar. E o rei mas deu, segundo a boa mão de Deus sobre mim.
c- Então fui aos governadores dalém do rio, e dei-lhes as cartas do rei; e o rei tinha enviado comigo capitães do exército e cavaleiros.
O segundo exemplo na execução:
Uma vistoria precisa.
Verificando as necessidades, aqui há ensino.
Projetando a execução.
Convocando á restauração física: Ne.2.18. Então lhes declarei como a mão do meu Deus me fora favorável, como também as palavras do rei, que ele me tinha dito; então disseram: Levantemo-nos, e edifiquemos. E esforçaram as suas mãos para o bem.
Embora fosse física, mas ela representava a restauração espiritual, que indica que há de se começar por onde foi queimado.
Ne.2.17.  Bem vedes vós a miséria em que estamos, que Jerusalém está assolada, e que as suas portas têm sido queimadas a fogo; vinde, pois, e reedifiquemos o muro de Jerusalém, e não sejamos mais um opróbrio.
A intimidade com o rei era grande:
Enfrentando os Inimigos da Obra de Deus:
Levantemo-nos, e edifiquemos. E fortaleceram as mãos para a boa obra.
Ne.2.19,20. O que ouvindo Sambalate, o horonita, e Tobias, o servo amonita, e Gesem, o arábio, zombaram de nós, desprezaram-nos e disseram: O que é isso que fazeis? Quereis rebelar-vos contra o rei? Então lhes respondi: O Deus do céu é que nos fará prosperar; e nós, seus servos, nos levantaremos e edificaremos: mas vós não tendes parte, nem direito, nem memorial em Jerusalém.
Convivência com o Rei.
De um sorriso para Deus.
Ele era conhecido pelo rei como o homem do semblante com sorriso.
Teologia:
O reconhecimento de Um Deus único e Regente de todo o Universo:
Ne.13.31. ...lembra-te de mim, Deus meu, para bem.
Um homem conhecedor do Deus verdadeiro: O Deus dos Céus, no meio de uma cultura com outros deuses.
Ne.1.4. E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.
É importante explicar que este período na Babilônia consagrou no meio dos judeus a teogonia prática da existência de um Deus Único e verdadeiro, na cultura monoteísta do povo de Israel, basta vermos, como alguns reis de Judá e Israel se curvaram a deuses e rainhas dos céus.
A Queda e Exílio foram um ato da vontade e juízo deste Deus – Yhaweh
Purificação do povo no Exílio;
Tanto que abrimos o estudo com as palavras de Jeremias exortando ao Povo a não deixar de crescer, mas buscar casar e exercitar a paz na cidade onde estivesse, pois a prosperidade daquele lugar os faria prosperar, mesmo no exílio;
No momento apropriado, cumpriu fielmente a sua promessa e induziu o espírito do rei Ciro da Pérsia a publicar um édito para o retorno dos exilados (Ed.1.1-4).
A boa mão dos imperadores persas é apontada no conjunto, outrora único [Ezra], dos livros de Esdras e deste, que estudamos, como a mão de Deus no coração destes Imperadores;
Mas, sempre contando com a ajuda de Deus.
Podemos encontrar isto, condensado, em um único versículo:
Ne.2.4. E o rei me disse: Que me pedes agora? Então orei ao Deus dos céus...
Compreendendo a ação do Único e Poderoso Deus.
Ne.9.32. Agora, pois, nosso Deus, o grande, poderoso e terrível Deus, que guardas a aliança e a beneficência, não tenhas em pouca conta toda a aflição que nos alcançou a nós, aos nossos reis, aos nossos príncipes, aos nossos sacerdotes, aos nossos profetas, aos nossos pais e a todo o teu povo, desde os dias dos reis da Assíria até ao dia de hoje.

Compaixão é o ponto de partida de obediência à Deus.
Culto e Templo:
Há um foco teológico importante, o reacender da fé no local destinado ao Culto a Jeová.
Cita a situação dos sacerdotes;
A situação de homens como Hananias, o amonita [NE 1.19]e a mistura no culto.
Ne.13.1.NAQUELE dia leu-se no livro de Moisés, aos ouvidos do povo; e achou-se escrito nele que os amonitas e os moabitas não entrassem jamais na congregação de Deus,
Procura proteger a cidade, por isto inicia a construção dos muros para fechar as roturas e deixar de ser uma cidade devassada.
Aqui há teologia. Deus procura fechar as brechas.
A restauração da leitura do Livro de Deus.
O povo exilado falava o aramaico e Neemias sendo Governador, realiza com Esdras o escriba, a leitura do Livro da Lei:
Ne.8.9-12,13 - E Neemias, que era o governador, e o sacerdote Esdras, o escriba, e os levitas que ensinavam ao povo, disseram a todo o povo: Este dia é consagrado ao Senhor vosso Deus, então não vos lamenteis, nem choreis. Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da lei. Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força. E os levitas fizeram calar a todo o povo, dizendo: Calai-vos; porque este dia é santo; por isso não vos entristeçais. Então todo o povo se foi a comer, a beber, a enviar porções e a fazer grande regozijo; porque entenderam as palavras que lhes fizeram saber. E no dia seguinte ajuntaram-se os chefes dos pais de todo o povo, os sacerdotes e os levitas, a Esdras, o escriba; e isto para atentarem nas palavras da lei.
Conhecendo a Cidade e Suas Portas:
No livro de Neemias podemos ver três textos que nos informam a geogafia e urbanização da cidade de Jerusalém e seus termos.
Primeiro:
Ne.3.1-32. 1 Então se levantou Eliasibe, o sumo sacerdote, juntamente com os seus irmãos, os sacerdotes, e edificaram a porta das ovelhas, a qual consagraram, e lhe assentaram os batentes. Consagraram-na até a torre dos cem, até a torre de Henanel. 31 Depois dele reparou Malquias, um dos ourives, uma parte até a casa dos netinins e dos mercadores, defronte da porta da guarda, e até a câmara superior da esquina.
32 E entre a câmara da esquina e a porta das ovelhas repararam os ourives e os mercadores.
Segundo:
2.3-15. 3 e disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como não há de estar triste o meu rosto, estando na cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, e tendo sido consumidas as suas portas pelo fogo?
[...]11 Cheguei, pois, a Jerusalém, e estive ali três dias.[...]13 Assim saí de noite pela porta do vale, até a fonte do dragão, e até a porta do monturo, e contemplei os muros de Jerusalém, que estavam demolidos, e as suas portas, que tinham sido consumidas pelo fogo.14 E passei adiante até a porta da fonte, e à piscina do rei; porém não havia lugar por onde pudesse passar o animal que eu montava.15 Ainda de noite subi pelo ribeiro, e contemplei o muro; e virando, entrei pela porta do vale, e assim voltei.
Terceiro:
Ele nos da direção – norte, sul, leste e peste.
Deus nos da direção e domínio em toda as direções, quando o adoramos, na nossa caminhada.
12.31-39 - Então fiz subir os príncipes de Judá sobre o muro, [...]em procissão, uma das quais foi para a direita sobre o muro, em direção à porta do monturo; e após ela seguiam Hosaías, e a metade dos príncipes de Judá, e Azarias, Esdras, Mesulão, Judá, Benjamim, Semaías, e Jeremias; [...] entrada da porta da fonte subiram diretamente as escadas da cidade de Davi onde começa a subida do muro, acima da casa de Davi, até a porta das águas a leste. A outra companhia dos que davam graças foi para a esquerda, seguindo-os eu com a metade do povo, sobre o muro, passando pela torre dos fornos até a muralha larga, e seguindo por cima da porta de Efraim, e da porta velha, e da porta dos peixes, e pela torre de Hananel, e a torre dos Cem até a porta das ovelhas; e pararam à porta da guarda.
Continua ...

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical