sábado, outubro 26

LIDANDO DE FORMA CORRETA COM O DINHEIRO Lição 4 – CPAD - 4º trimestre 2013

LIDANDO DE FORMA CORRETA COM O DINHEIRO
Lição 4 – CPAD                                                    Editor - Pr Osiel Varela
"Ganhe tudo o que puder.
Economize tudo o que puder.
Assim, você terá tudo o que puder".

"O que acumulo, perco.
O que tento guardar será deixado e disputado por outros.
O que dou continuará a voltar...sempre!" O Manual Pastor Pentecostal: teologia e Práticas Pastorais.1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999, p.149
TEXTO ÁUREO
Pv 23.23  Compra a verdade, e não a vendas; sim, a sabedoria, e a disciplina e a prudência.
(23 Compra a verdade, e não a vendas; e também a sabedoria, a instrução e o entendimento).
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Advertência contra o servir de fiador, contra a preguiça e contra a maldade.
Pv 6. 1-5
FILHO meu, se ficaste por fiador do teu companheiro, se deste a tua mão ao estranho,
E enredaste-te com as palavras da tua boca, prendeste-te com as palavras da tua boca;
Faze, pois, isto agora, filho meu, e livra-te, já que caíste nas mãos do teu companheiro: vai, humilha-te, e importuna o teu companheiro.
Não dês sono aos teus olhos, nem deixes adormecer as tuas pálpebras.
Livra-te, como a gazela da mão do caçador, e como a ave da mão do passarinheiro.
Disseram-me: “As pessoas de sua igreja têm integridade. Pagam as contas em dia e, se têm algum problema, nos procuram”. Apreciável este elogio, aos ouvidos do pastor. Os membros da igreja não estavam apenas crendo no Evangelho que lhes fora pregado, mas também vivendo de acordo com ele. O Manual Pastor Pentecostal: teologia e Práticas Pastorais.1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999, p.146
Etimologia:
Fiador – - s.m. Abonador; pessoa que afiança ou assegura o cumprimento de deveres e obrigações de outro para com um terceiro, embora a dívida não seja sua.
- sm. Aquele que fia ou abona alguém, que responde por ele; Aquele que se obriga a pagar dívida ou a cumprir obrigação de outra pessoa, caso esta não as cumpra no tempo e sob as condições dispostas em contrato;
- gr. - εγγπνο egguos; guion (membro); adj 1) fiador, patrocinador
Fiador – “tonto” que, sendo dono de seus próprios bens, se torna responsável pelos bens que outro confia a um terceiro. Texto esdrúxulo que coloca as coisas evidentes, sob um ponto de vista de criticidade ácida.
Verdade - αιεζεηα  - aletheia de 227; Verdade como excelência pessoal.
- n. f. objetivamente; que é verdade em qualquer assunto em consideração; verdadeiramente, em verdade, de acordo com a verdade; de uma verdade, em realidade, de fato, certamente; que é verdade em coisas relativas a Deus e aos deveres do ser humano, verdade moral e religiosa;
Veritas – latim - verdade, sinceridade, realidade;
 A palavra nos ensina a sermos compradores, ou adquirentes da verdade,
- verdade em coisas relativas a Deus e aos deveres do ser humano, verdade moral e religiosa -,
; para não sermos ser alvo da obrigação de alguém, com um terceiro que muitas vezes, sequer temos conhecimento de tal pessoal, ou do relacionamento comercial da mesma. Só que passamos a ser devedores “eligendo”, ou parceiro de negócios alheios.
Pv 11:15 "Decerto sofrerá severamente aquele que fica por fiador do estranho, mas o que evita a fiança estará seguro." 
Exórdio
O tema da lição passada nos falava sobre a prosperidade.
Prosperidade é coisa de Deus - Sl 35:27 - Cantem e alegrem-se os que amam a minha justiça, e digam continuamente: O Senhor seja engrandecido, o qual ama a prosperidade do seu servo.
Mas, com vista na lição deste domingo podemos ampliar o conteúdo-conceito de Prosperidade com a forma de desfrutá-la com sabedoria, entendimento e á luz das sábias palavras bíblicas.
A Prosperidade que obtemos traz consigo verdadeiros conteúdos de sabedoria ou de estultice ou até mesmo de loucura.
Por isto, a Bíblia fala sobre como ajuntar as riquezas: Pv 13:11 - A riqueza de procedência vã diminuirá, mas quem a ajunta com o próprio trabalho a aumentará.
A origem das riquezas é um assunto seríssimo, destarte em nossos dias a moralidade esteja vesga, rota e a honestidade em segundo plano.
Qual deve ser a nossa posição ao desfrutarmos a Prosperidade?
Aprendamos que devemos atentar para qual deva ser a nossa posição diante da Prosperidade
Dissipar?
Ajuntar mais e mais?
Dividir?
Segundo as Escrituras somos ensinados a ajuntar para os filhos. É uma regra áurea da vida domestica;
Pv 13:22 - O homem de bem deixa uma herança aos filhos de seus filhos, mas a riqueza do pecador é depositada para o justo.
Aquele que é fiel e serve a Deus em justiça é prospero em tudo - Sl 112. 1-3 LOUVAI ao Senhor. Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, que em seus mandamentos tem grande prazer. A sua semente será poderosa na terra; a geração dos retos será abençoada. Prosperidade e riquezas haverá na sua casa, e a sua justiça permanece para sempre.
O segredo da Prosperidade é saber, como viver dentro desta fase de vida.
1 Tm 6.17-19 Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos. Que façam bem enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente, e sejam comunicáveis; Que entesourem para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam se apoderar da vida eterna.
A Vida Nos Dias Da  E Após A Prosperidade.
Como se comportar sob a vigência destes dias.
Como saber o que virá, após estes dias?
A máxima bíblica de viver o dia a dia é fundamental para viver a prosperidade: Ec 7:14 - No dia da prosperidade goza do bem, mas no dia da adversidade considera; porque também Deus fez a este em oposição àquele, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele.
As Escrituras Neotestamentárias nos ensinam a vivenciar esta questão, não nos prendendo a este “jugo” da riqueza e sermos insensatos em só pensar e colocar nossas energias e fundar a nossa vida sobre as riquezas, sobre a sofreguidão de ajuntar tesouros.
É um alerta a como nos ensina o texto áureo.
LIDANDO DE FORMA CORRETA COM O DINHEIRO
Lc 12. 15-23 E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui. E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância; [...] E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! Esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus. E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida... Mais é a vida do que o sustento, e o corpo mais do que as vestes.
A riqueza é como um cobertor, uma defesa, assim deve ser vista como aquilo que em tendo pode-se usar, mas em tendo não devemos usar de maneira indevida.
Ofertando na Prosperidade, colheremos na adversidade:
A Lei da Proporcionalidade:
Dar a Deus tudo o que puder.
Que cada um, dê, segundo a sua prosperidade, não só os ricos, também aquele que tem pouco, de bom grado deve dar do pouco. De acordo como ele prosperou.
- Aumentar a sua oferta como Deus aumenta a sua fazenda.
De acordo, com esta regra da Prosperidade, e da visão cristã, se um homem quando ele tem ou ganha um quilo dá o dízimo a Deus, quando ele tem ou ganha cem quilos, ele também dará o décimo deste quilo.
Ofertar
1Co 16:2 - No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.
É necessário, inserir, neste pensamento sobre o dinheiro, a devida posição do homem com o dinheiro – o seu uso – a sociedade – a moralidade – e Deus.
Há uma condição para o uso do dinheiro na vida do homem:
Qual a posição de Deus em nossa maneira de usarmos o dinheiro.
Primeiro, pense e responda a s perguntas:
-Para que o homem quer o dinheiro?
-Para quem ele ajunta o seu dinheiro?
-Para que ele ajunta seu dinheiro?
-Qual o valor do dinheiro?
-Qual a relação do dinheiro, sob a sua visão, e Deus?
Ec 4:8 - Há um que é só, e não tem ninguém, nem tampouco filho nem irmão; e contudo não cessa do seu trabalho, e também seus olhos não se satisfazem com riqueza; nem diz: Para quem trabalho eu, privando a minha alma do bem? Também isto é vaidade e enfadonha ocupação.
Dizimar – Pense. Qual é o teu conceito para esta ordenança.
Ec 4:8 - Há um que é só, e não tem ninguém, nem tampouco filho nem irmão; e contudo não cessa do seu trabalho, e também seus olhos não se satisfazem com riqueza; nem diz: Para quem trabalho eu, privando a minha alma do bem? Também isto é vaidade e enfadonha ocupação.
A manutenção da riqueza, como um bem divino deve ser assentada sobre o entendimento, de que o uso do fruto da prosperidade, se dará, com a devida atenção na nossa relação com Deus. Deus nos dá algo que é seu, para quem quer! Mas, também tem o poder de fazer com que o que tem muito, nem possa comer daquilo que dispõe:
Se tudo é do Senhor já é tempo de dedicarmos no aprendizado de devolvermos a Ele o que lhe é de direito.
Jó ensina-nos a tendência dos que se iludem com a riqueza e não sabem lidar com os bens, com o dinheiro e outras prosperidades:
Jó 21. 7;13-16 Por que razão vivem os ímpios, envelhecem, e ainda se robustecem em poder? Na prosperidade gastam os seus dias, e num momento descem à sepultura. E, todavia, dizem a Deus: Retira-te de nós; porque não desejamos ter conhecimento dos teus caminhos. Quem é o Todo-Poderoso, para que nós o sirvamos? E que nos aproveitará que lhe façamos orações? Vede, porém, que a prosperidade não está nas mãos deles;
Torna-se importante, que o justo, o aluno da escola Dominical neste dia, aprenda sobre a importância de servir a Deus e saber lidar com a riqueza, em todos os momentos da vida, colocando Deus em todo o nosso propósito de vida.
Esta, talvez seja uma das maiores propostas do mundo espiritual a ser desfrutada no mundo físico, a benção do Senhor advinda da relação agradável do homem sábio em comunhão com o Senhor:
Ml 3. 8-12 Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos. E todas as nações vos chamarão bem-aventurados;
“Do Senhor é a Terra e a sua Plenitude”.
Se negligenciarmos a nossa relação com Deus no dia da prosperidade seremos cobrados em nosso ocaso, ou mesmo durante a nossa vida, pois sob a bandeira bíblica, acima somos instados a entender, que apenas somos mordomos e gerentes daquilo que é divinamente de direito do Criador.
Jer 22:21 - Falei contigo na tua prosperidade, mas tu disseste: Não ouvirei. Este tem sido o teu caminho, desde a tua mocidade, pois nunca deste ouvidos à minha voz.
II – Lidar Com Dinheiro
Uma dificuldade para muitos.
O mundo moderno é extremamente influente na forma de vida pessoal, familiar de todos.
Os crentes como parte da sociedade estão enfrentando uma forma de vida que os coloca, muitas vezes, em posição de difícil discernimento sobre como deve se comportar, em vista a forma atual da relação com o dinheiro.
A crescente onda consumista é notória na forma de viver da população, seja no Brasil ou até mesmo nos países asiáticos.
Como conviver com esta onda consumista?
Gastar demais pode ser sinal de doença
A oniomania é uma doença - um distúrbio bastante controvertido do ponto de vista psiquiátrico e psicológico; comprar indiscriminadamente. Doença que leva as pessoas a comprar de maneira compulsiva. Precisando ou não.
Quais são os sinais que indicam o desenvolvimento dessa doença?
- Comprar o que não precisa. Mentir a si mesmo dizendo que esta compra foi muito necessária normalmente com argumentos muito furados, mas aos olhos da compradora parece ser muito racional. Algo do tipo “não posso mesmo repetir a roupa, pois há pessoas na festa que podem já ter me visto com as roupas que tenho, e por isso preciso comprar novas roupas”. Psicóloga Rosana Gabriel para a jornalista Débora Oliveira do portal Bolsa de Mulher.
Muitos são os motivos que levam uma pessoa a comprar: a necessidade, a diversão, os modismos, a importância, o status e o apelo mercadológico do comércio.
O uso de crédito liberado até mesmo sem ser solicitado é uma tentação a cada um dos cidadãos.
A própria essência da formação familiar pode ser afetada com o uso discriminado de recursos disponíveis em uma conta bancária, o famoso cheque especial, que é utilizado pela família para cobrir o rombo do orçamento doméstico.
As Dívidas
Como devemos nos comportar diante de dívidas assumidas?
O Texto Áureo Pv 23.23 “Compra a verdade, e não a vendas”, nos ensina qual a verdade a ser adquirir para saber ter três cuidados:
- a Sabedoria;
- e a Disciplina;
- e a Prudência.
Sabedoria – conhecimento –
Ser justo no uso do dinheiro - Sl 37:16 Melhor é o pouco do justo do que a riqueza de muitos ímpios;
Saber que o dinheiro advindo de Deus é algo que nos faz adorar ao Senhor, reconhecendo isto:
Dt 8:18 Mas, lembrem-se do Senhor, o seu Deus, pois é ele que dá a vocês a capacidade de produzir riqueza, confirmando a aliança que jurou aos seus antepassados, conforme hoje se vê.
Prudência:
Ne 5. 2-4 Alguns diziam: "Nós, nossos filhos e nossas filhas somos numerosos; precisamos de trigo para comer e continuar vivos". Outros diziam: "Tivemos que penhorar nossas terras, nossas vinhas e nossas casas para conseguir trigo para matar a fome". E havia ainda outros que diziam: "Tivemos que tomar dinheiro emprestado para pagar o imposto cobrado sobre as nossas terras e as nossas vinhas”.
Quando temos uma família que demanda muitos recursos e gastos com alimentação; quando temos que despender dinheiro com tributos (impostos); quando temos gastos diários para cobrir somos muitas vezes impelidos a perder a prudência.
É a hora em que precisamos fazer uma avaliação diária de nossas despesas e de nossos ganhos.
No entanto, necessitamos de um governo que se disponha a ser justo e apoiar os necessitados,
Como um Neemias no meio do povo:
Juros que matam e escravizam.
A Bíblia serve para nos ensinar, esta lição é um ensino prático do modo de viver uma vida vitoriosa.
Ne 5. 6-13 Quando ouvi a reclamação ... Fiz uma avaliação de tudo e então repreendi os nobres e os oficiais...: "Vocês estão cobrando juros dos seus compatriotas!" Por isso convoquei uma grande reunião contra eles e disse: ... vocês estão até vendendo os seus irmãos! Assim eles terão que ser vendidos a nós de novo! [...] vamos acabar com a cobrança de juros! Devolvam-lhes imediatamente suas terras, ... suas casas, e também os juros que cobraram deles, a centésima parte do dinheiro, do trigo, do vinho e do azeite. E eles responderam: "Nós devolvere­mos tudo o que você citou, e não exigiremos mais nada deles. Vamos fazer o que você está pedindo". ... Também sacudi a dobra do meu manto e disse: Deus assim sacuda de sua casa e de seus bens todo aquele que não mantiver a sua promessa. Tal homem seja sacudido e esvaziado! Bíbliaon
A lição traz uma proposta:
Saber lidar com dinheiro, como auxilio e não para trazer dano ao que o dispõe do dinheiro, como necessário em sua vida.
Como lidamos com relação às necessidades monetárias e financeiras?
Como cuidamos de nossas finanças?
“Ao contrário do que pensamos, as Escrituras nos dão diretrizes muito claras no que diz respeito a ganhar, gastar, economizar, investir, dar, ficar livre de dívidas e planejar o futuro”. Benne Den - O Código Bíblico do Dinheiro - Howard Dayton, fundador do Crown Financial Ministries
A posição do dinheiro entre os crentes é vista com muitas ressalvas, algumas hipócritas, tal como:
“Dinheiro? Coisa do inimigo!”
“Dinheiro faz mal!”
Muitos criticam alguns irmãos, que ganham dinheiro que compram carros caros, viajam para lugares famosos.
É lógico, não somos favoráveis à ostentação, ao luxo desmedido diante de uma congregação, ou mesmo diante de uma sociedade com diversas dificuldades (é preciso ter bom senso), mas cada um saiba usar os seu dinheiro com sobriedade.
Porém não nos cabe julgar a ninguém.
Lc 14. 28-30 Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele, Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.
O problema é que alguns, às vezes, enfraquecem e querem alcançar o status de outros, sem ter as mesmas condições e criam uma situação financeira que o desnudará diante de todos, por não ter recursos para possuir e manter o que quer. É fato que Deus prometeu prosperidade espiritual e financeira aos israelitas no Antigo Testamento, mas ambas eram condicionadas à obediência a Ele.
Gn 28. 20 E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir; E eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor me será por Deus; E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.
Um adendo – nesta fala de Jacó eu encontro a mesma visão paulina, sobre o que necessitamos e como Deus nos faz prosperar quando somente pedimos o necessário, é a sabedoria salomônica, a qual agrada a Deus. O apóstolo Paulo também falou os bens materiais em 1 Tm 5;9;17: "...cuidando que a piedade seja causa de ganho; ...Porque nada trouxemos para este mundo, e ... nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína... Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos.".
Usam de versículos destacados das Escrituras sobre o uso do dinheiro, mas se esquecem de que Deus prosperou a Jacó por ele ser fiel em seu voto:
Mas, leia corretamente um dos textos, um dos mais citados:
1 Tm 6:10 "Porque O AMOR ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores."
O que devemos aprender com esta Lição:
APRENDER A GASTAR
APRENDER A ECONOMIZAR
APRENDER A ORDENAR GASTOS
APRENDER A PRIORIZAR  – FAMÍLIA, IGREJA E SOCIEDADE.
-Ordenar a nossa vida financeira de tal modo que possamos cumprir os 4 propósitos de Deus para o dinheiro:
a.    Atendermos nossas Necessidades Pessoais e Familiares
b.    Realizarmos Investimentos Sábios
c.    Suprirmos as Necessidades da Igreja
d.    Ajudarmos o Próximo
Ordenarmos a nossa vida financeira de tal modo que tenhamos sempre reservas para os imprevistos da vida, incluindo as crises de âmbito internacional.
Isto implica em duas coisas básicas:
1)    "Aprender a Ganhar dinheiro continua sendo uma tarefa difícil, mas a fórmula para conservar e multiplicar o dinheiro ao longo dos anos começa com a sabedoria nos gastos”.
2)   “Saber como gastar o dinheiro, ser capaz de escolher o que é melhor agora, levando em conta o que é importante.”
Dinheiro e dívidas.
Prioritário: Ser honesto: não só na vida pessoal, mas na vida espiritual – ofertas e dízimos devem fazer parte da vida do crente, como ato inerente a fé - Sl 37.21, Pv 21.6; Ml 3.8-12.
Dízimos e Ofertas: Contribuir regularmente para o sustento da causa de Cristo: 2 Co 8.3-5, Fp 4.18
Dívidas: Não entrar em dívidas e procurar sair delas: Pv 22.7, Rm 13.8, 1 Co 7.21-23.  
Emprestar sem juros: Dt 23.19-20.
Orçamento compatível:
Planejar os gastos: Pv 16.9 use um orçamento, e pare com os gastos por impulso, ou seja, desnecessários!
Deus em sua vida financeira: Coloque seus propósitos diante do Senhor: Sl 37.4
Economize: Pv 18.9 e 21.20.
Poupar: Guardar para quando precisar (emergências: doenças, quebras de carros; danos imprevistos; viagens imprevistas): Pv 27.18.
Caridade: Ser sensível em relação ás necessidades dos outros: Lc 3.11, Rm 12.13. Mas, não se esqueça do que Paulo nos ensina: não se deve  alimentar o preguiçoso: 2 Ts 3.6-16; Pv 19.19.
Ser caridoso, sem ser envolvido por outrem é um dos principais focos de alerta ao aluno.
O relacionamento entre os cristãos, os crentes muitas vezes se deteriora por que uma das partes se arvora sobre outra, na parte financeira.
Assim, devido à proximidade e confiança entre nós, muitos se envolvem financeiramente, sem ter noção de que pode causar danos espirituais ao irmão.
O maior dano deste relacionamento sempre se dá com a perda da amizade, da perda da comunhão, a no maior prejuízo possível, que é a perda de um irmão, amargurado por ser espoliado, por outro.
Não vai aqui, nenhum desestímulo à Caridade, ajuda e apoio de um irmão ou outro, mas que tenhamos cuidado nisto.
É, aliás, a vertente aguda do texto escolhido pelo comentarista da CPAD, Pr. Josué Gonçalves.
Pv 6. 1-5 FILHO meu, se ficaste por fiador do teu companheiro, se deste a tua mão ao estranho, E enredaste-te com as palavras da tua boca, prendeste-te com as palavras da tua boca;
Faze, pois, isto agora, filho meu, e livra-te, já que caíste nas mãos do teu companheiro: vai, humilha-te, e importuna o teu companheiro.
Não dês sono aos teus olhos, nem deixes adormecer as tuas pálpebras.
Livra-te, como a gazela da mão do caçador, e como a ave da mão do passarinheiro.
Um Tesouro Permanente.
Poupar nesta vida é uma orientação, que podemos até olvidar, mas o conselho de Jesus sobre o poupar e guardar para a vida eterna é uma necessidade imperativa, a todos os homens:
Em Mateus 6:19-21 o Senhor Jesus disse a seguintes palavras, sobre os tesouros terreais: "Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração."
Onde está o nosso coração?
Onde está o meu coração?
Uma pergunta, que me devo fazer todos os dias!
Que sejamos aprendizes em lidar com dinheiro de forma bíblica, a forma correta.

Referências
FINANÇAS PESSOAIS - Júlio César Zanluc - Curitiba - PR
O Código Bíblico do Dinheiro -
Apud Burkett, Larry – Negócios à Luz da Bíblia – udf.org.brDayton, Howard - Crown Financial Ministries – udf.org.br
O Código Bíblico do Dinheiro – Benne Den - 55
O Cristão e a Riqueza - É errado o cristão ser rico? E viver atolado em dívidas - "The Cutting Edge".
A Verdadeira Riqueza - Carl Ballard
Bíblia Chamada – Bíblia on line

Aulete Uol

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical