quinta-feira, julho 24

GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE. LIÇÃO 04 - CPAD - 3º TRIMESTRE 2014 1ª Atualização 22:33 hs


GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
A TUA PALAVRA É A VERDADE”.
LIÇÃO 04 - CPAD - 3º TRIMESTRE 2014 
EDITOR E ESTUDO: Osvarela
Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. 1 Pe 1:23
Leitura Bíblica
1ª Parte 
Tiago 1:9-11
Mas glorie-se o irmão abatido na sua exaltação,
E o rico em seu abatimento; porque ele passará como a flor da erva.
Porque sai o sol com ardor, e a erva seca, e a sua flor cai, e a formosa aparência do seu aspecto perece; assim se murchará também o rico em seus caminhos.
Não erreis, meus amados irmãos.
2ª Parte 
Tiago 1:16-18
Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.
Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas.
Exórdio
A Doutrina da Regeneração - Falar de regeneração através das Escrituras de Tiago é um exercício difícil. Uma escritura para hebreus dispersos e da "nova" Igreja, fala de algo novo na teogonia na qual foram criados e ensinados desde a tenra infância. Falar de Criação seria natural para este público. A Regeneração é uma Doutrina inerente a Igreja, ou seja, uma Doutrina neotestamentária.
A citação dela por Jesus criou espanto e expectativa, mesmo para um fariseu – Nicodemos.
Jesus informa em primeira mão a Nicodemos que ele deveria passar um processo de nova vida, aqui mesmo em vida.
Este processo passava pela própria restauração, em carne, do Filho de Deus, retornando a vida, após a morte, antes de ascender, para que todos nós pudéssemos passar pelo mesmo processo espiritual da regeneração da Vida plena sobre o pecado, com a Vitória da Cruz.
Ou seja, a Humanidade tem a possibilidade de “restituição” de uma vida nova, ainda hoje, aqui e agora, através do “processo” da Cruz.
E pela Igreja, agora a ‘restituição’ é pleromática pela força da santificação, que nos permite habitar no Corpo (Igreja) de Cristo ressuscitado, o qual estava presente na Criação, agora se manifesta pelo Espírito Santo, que mantinha a Terra, (Gn 1.1; em sua função mantenedora), permite a Criação ser renovada pneumaticamente, ou seja, espiritualmente.
Que não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” Jo 1:13.
Isto permite aos filhos sanguíneos de Abraão, incluindo nós, pela Fé, sermos Filhos de Deus. 1 Jo 1.12.ss; Ef 2
Para sermos restaurados, neste presente século “imago Dei”, pós época da Criação adâmica, agora na ordem da Salvação. “Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.”2 Co 3:18
Nós os regenerados por Deus, somos a imagem e o texto paulino, que diz: “assim como Ele é o seremos...” nos fala da Ressurreição dos mortos, ou da transformação corpórea que passarão os crentes salvos, por ocasião do "toque da trombeta"  na Iminência. 1 Ts 4.113-17
A Regeneração do homem, neste estudo se dá no presente tempo, na vida espiritual que nos faz poder assentar nas regiões celestiais com Cristo e sermos Nova Criatura: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.2 Co 5:17
Nicodemos e o Novo Nascimento
"Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus." Jo 3:3
Começava assim, um dos mais conhecidos diálogos bíblicos.
"Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?" Jo 3:4
Nicodemos recebe as primeiras instruções, que o deixam sem resposta ou sem compreensão espiritual teológica e sem poder ser refutada: A necessidade do novo nascimento da água (do grego hudor) e do espírito (do grego pneuma).
Jesus o inquire e lhe traz ao pensamento, como forma de iluminar sua mente teologicamente adestrada, o simbolismo do batismo de João ( não aceito pelos de sua ordem religiosa, os fariseus, eles  não haviam crido no batismo de João, o Batismo do Arrependimento), e da renovação pelo Espírito Santo. O batismo em água não era algo desconhecido em Israel inclusive era uma prática desde os tempos do Cativeiro babilônico.
Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. Fiel é a palavra...Tt 3:5-8
“Os seus discípulos, ouvindo isto, admiraram-se muito, dizendo: Quem poderá pois salvar-se?E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível....E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel.E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna.Porém, muitos primeiros serão os derradeiros, e muitos derradeiros serão os primeiros.” Mt 19:25-30
παλιγγ- ενεσια – paliggenesia - n.f. novo nascimento, reprodução, renovação, recreação, regeneração; por isso renovação, regeneração, produção de uma nova vida consagrada a Deus, mudança radical de mente para melhor. A palavra é frequentemente usado para denotar a restauração de algo ao seu estado primitivo, sua renovação, como a renovação ourestauração da vida depois da morte;
- a renovação da terra após o dilúvio;
- renovação do mundo que terá lugar após sua destruição pelo fogo, como os estóicos ensinavam;
- o sinal e gloriosa mudança de todas as coisas (no céu e na terra) para melhor, aquela restauração da condição primitiva e perfeita das coisas que existiam antes da queda denossos primeiros pais, que os judeus esperavam em conecção ao advento do Messias, e que os cristãos esperavam em conexão com a volta visível de Jesus do céu.
1- Outros Usos
A palavra grega (palingenesia) é utilizada por escritores clássicos, com referência às mudanças produzidas pelo retorno da primavera.
- da restauração da nação judaica após o exílio
A Palingenesia, ou regeneração é uma doutrina de longos dos séculos, incluindo a cultura hebraica e religiosa, ou a teogonia dos hebreus.
Dentre os hebreus esta era uma discussão continua entre as várias seitas, existentes e aceitas como divisões na religiosidade de Israel.
Seitas, aqui, não tem o sentido usual adicionado no ocidental, ou fora da ambiência da religião hebraica.
E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel”. Mt 19:28
Neste texto Jesus usa a palavra em um dos sentidos, neste caso escatológico.
Na sociedade religiosa judaica onde Jesus insere o conteúdo da regeneração, isto era algo difícil de ser entendido. Havia diversidade de entendimento, ou crença na ressurreição.
Para nós, cristãos neotestamentários, se faz necessário o entendimento sobre qual é a regeneração que estamos falando.
Podemos entender nas próprias Escrituras.
Em João 10 Maria e Marta exprimem a crença na ressurreição.
A expressão de Maria sobre a ressurreição do último Dia é algo que podemos cotejar e inserir neste estudo sobre a regeneração. “Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar. Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último dia. Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?”João 11:23-26
Era muito difícil para um judeu, principalmente para os fariseus, entender o sentido espiritual das palavras de Jesus, afinal Jesus falava em parábolas, devido a ação profética de sua vinda.
Por serem filhos do patriarca Abraão, eles julgavam-se já aperfeiçoados. Por apresentarem um aparente zelo pela lei de Moisés, acreditavam em uma pureza espiritual intrínseca da sua raça.
Seitas Em Israel Durante o tempo de Cristo
E Paulo, sabendo que uma parte era de saduceus e outra de fariseus, clamou no conselho: Homens irmãos, eu sou fariseu, filho de fariseu; no tocante à esperança e ressurreição dos mortos sou julgado”. Atos 23:6
Os Saduceus - os saduceus eram aristocratas. Normalmente ricos e com cargos poderosos, incluindo o cargo de primeiro sacerdote e de sumo sacerdote.
Eram maioria no conselho regente, o Sinédrio [70 lugares].
Seguiam as decisões de Roma (Israel nesta época estava sob o controle romano), mostravam-se mais preocupados com a política do que com a religião. Comumente eles não se relacionavam bem com o homem comum, e por isto, mesmo, o homem comum os enxergava com estima.
Devido a esta alta rejeição entre o povo, diferentemente dos fariseus, eles acabavam concordando com as ideias deste grupo, na hora de decidir algumas questões do povo.
Mesmo assim, os saduceus eram mais conservadores na área de doutrina do que os fariseus.
Os saduceus consideravam apenas a Palavra Escrita como sendo de Deus.
Os saduceus trabalhavam arduamente para preservar a autoridade da Palavra escrita de Deus, especialmente os livros de Moisés (Gênesis até Deuteronômio).
Mas, não foram perfeitos, nem felizes em suas opiniões doutrinárias.
Doutrinas dos saduceus que não encontravam respaldo nas Escritura:
- Eles eram extremamente autossuficientes, ao ponto de negar o envolvimento de Deus na vida quotidiana.
- Eles negaram qualquer ressurreição dos mortos - Mt 22:23; Mc 12:18-27; At 23:8. At 4.1,2 E, estando eles falando ao povo, sobrevieram os sacerdotes, e o capitão do templo, e os saduceus, Doendo-se muito de que ensinassem o povo, e anunciassem em Jesus a ressurreição dentre os mortos.
- Eles negaram qualquer vida depois da morte, defendendo a crença de que a alma perecia com a morte; eles acreditavam que não há qualquer penalidade ou recompensa depois da vida terrena.
- Eles negaram a existência de um mundo espiritual, ou seja, anjos e demônios - At 23:8.
Outras passagens bíblicas, que mencionam os saduceus: At 4:1;5:17, e os saduceus foram implicados na morte de Tiago pelo historiador Flávio Josefo (At 12:1-2).
Os saduceus deixaram de existir em 70 D.C. A extrema ação de sua política em relação a Roma, os destruiu juntamente com a destruição de Jerusalém e o Templo em 70 D.C.
Os fariseus - os fariseus eram em sua maioria empresários de classe média (comércio, etc...), por isto, tinham contato diário com o homem comum, significando quetinham o apoio do povo.
Erammais estimados pelo homem comum do que os saduceus. Apesar de serem uma minoria no Sinédrio, eles pareciam controlar o processo decisório do Sinédrio muito mais do que os saduceus, já que.
Sobre as Escrituras.
Para eles, a Palavra Escrita era inspirada por Deus. Eram legalistas, da ‘nomia’, já que também enxergavam a tradição oral com a mesma autoridade, defendendo as tradições. As quais tinham evoluído ao longo dos séculos, e haviam acrescentado coisas de uso tradicional (“...rejeita as fábulas profanas e de velhas, ...” 1 Tm 4:7 ) à Palavra de Deus. Assim, procuravam obedecer rigorosamente a estas tradições juntamente com o Antigo Testamento. Jesus teve vários encontros, com os fariseus, em que estes o acusavam de não obedecer a tradição - Mt 9:14, 15:1-9, 23:5, 23:16, 23; Mc 7:1-23; Lc 11:42. Eles permaneceram fiéis à Palavra de Deus com referência a algumas outras doutrinas importantes.
Doutrinas dos Fariseus:
Eles acreditavam, em:
- Eles acreditavam que Deus controlava todas as coisas mas que decisões tomadas por indivíduos também contribuíam para o que acontecia no curso da vida de uma pessoa.
-  Eles acreditavam na ressurreição dos mortos. At 23:6
- Eles acreditavam em uma vida depois da morte, com a devida recompensa e punição individual.
-  Eles acreditavam na existência de anjos e demônios. At 23:8
Tiago e os leitores de sua Epístola.
Como o público alvo de Tiago é: “às doze tribos que andam dispersas.” Tg 1:1, esta inserção das doutrinas das seitas em Israel, à época do nascimento da Igreja serve para entendermos o ambiente, no qual Tiago escreve sobre a regeneração.
Sem dúvida, havia a necessidade de doutrinar a estes irmãos sobre a regeneração.
O termo grego palingenesia, que é traduzido por regeneração, surge apenas duas vezes no Novo Testamento.
A palavra Regeneração só é encontrada em Mt 19:28 e Tt 3:5. Este termo significa literalmente um "novo nascimento".
O uso mais restrito no sentido da regeneração do homem, está no texto, acima, da Epístola a Tito.
Em Mateus (sentido equivale a - "restituição de todas as coisas") não reflete o propósito espiritual regenerativo antropológico, mas, ressalta o caráter escatológico “novos céus e nova terra”, mais próximo do pensamento dos judeus sobre as esperanças do Dia do Senhor, ou das esperanças dos hebreus sobre a ideia da uma renovação tanto da terra de Israel como de todo o mundo (Rienecker& Rogers, p. 43).
O aparecimento, nesta ideia dos judeus, o Messias viria para fazer de Israel uma poderosa nação na terra, Is 2:2-4, e liderará a regeneração da ordem política planetária.
Tal pensamento não destoa, em síntese, do pensamento cristão para a segunda vinda do Senhor Jesus [segundo o nosso pensamento pré-tribulacionista]. O verso de Mt 19:28, acima citado, mais o texto de At 3:21 falam da regeneração, assim como falaram os profetas. Is 35:5,6; Ez 47:8-12.
A rebeldia de Israel não alterou a Promessa, Deus tem sob controle a História do seu Povo. -Sl 89:3,4 e 27-37, portanto, a regeneração da Nação de Israel se cumprirá.
O texto de Mateus, portanto, trata da regeneração de toda a Criação, incluindo a humana,conforme o texto bíblico na inicial.
Mas, estamos falando da Regeneração espiritual do homem, no sentido de que a regeneração é a realconcessão da vida de Cristo ao novo convertido.
ATENÇÃO: Como também não podemos ser enganados por teses que se utilizam, também, do termo etimológico, palingenesia. Teses que não se coadunam com a visão bíblica e cristológica, da regeneração espiritual do homem, em especial a adotada pelos que professam o espiritismo, ou do pensamento estoico [Entre os estoicos, a palavra tem o sentido (para eles), do retorno periódico e incessante dos mesmos fenômenos; eterno retorno.].
A palavra Regeneração só é encontrada em Mt19:28 e Tt 3:5.Este termo significa literalmente um "novo nascimento".
“De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida”.Rm 6:4
Em Tito 3:5 “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo...”tem o sentido e ideia de ir de um para, outro lugar, e nos fala, da passagem da morte para a vida. 1 Jo 3:14;
- Ou se tornar uma nova criatura em Cristo Jesus. 2 Co. 5:17;
- Do nascer de novo. Jo 3:5;
- De uma renovação da mente. Rm 12:2);
- Da ressurreição dos mortos em Cristo. Ef. 2:6;
- Um novo ser,transformado (2:1, 5).
Esta mudança de é atribuída ao Espírito Santo.
Ela nãoprovém do próprio homem, mas de Deus - Jo 1:12, 13; 1 Jo 2:29, 5:1, 4, que gera nova criatura no velho homem: pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, ... por Jesus Cristo nosso Salvador.
Quanto à natureza da mudança, ela consiste na implantação de um novo princípio na alma ou alienação; é a comunicação da unção (impartation) da vida espiritual a todos aqueles que estão por natureza "mortos em ofensas e pecados."- "E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados.Ef 2:1; Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou,Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus;"Ef 2:4-6
Nós estávamos como os que perderam a sensibilidade, anestesiados e insensíveis, como estão os mortos, mas agora recebemos a graça de sermos novamente sensíveis, e termos de volta nossos sentidos, agora avivados do sono, para uma nova vida, Em Jesus Cristo. 
EDIÇÃO...
O AUTOR ATUALIZARÁ O ATUAL ESTUDO

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical