quinta-feira, junho 25

A Ressurreição de Jesus Lição 13 CPAD 2º Trimestre

A Ressurreição de Jesus
Lição 13 CPAD
Estudo Subsídio Pr Osvarela
2º TRIMESTRE/2015
Texto Áureo:
Lucas 24.5 E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos?
Leitura Bíblica Em Classe
Lucas 24:1-8 E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas.
E acharam a pedra revolvida do sepulcro.
E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus.
E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes.
E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos?
Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia,
Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite.
E lembraram-se das suas palavras.
Verbetes:
Ressurreição: - anastasis- levantar-se de novo; reintegração à vida;
Composição da palavra:
- Ana – de novo;
- histemi – levantar.
Outro emprego de anastasis – “é a recuperação moral da verdade espiritual”.
Revisitando este tema, após ter escrito sobre ele no Estudo, sob o link, abaixo:
“TÚMULO VAZIO!”Domingo –23/03/2008.
Entendo que este assunto é de vital importância ao Cristianismo, em qualquer forma ou qualquer lugar e até mesmo no universo eterno.
Todo o Universo estava aguardando este momento.
A ressurreição de Jesus era um mistério, que se tornou realidade para um grupo de discípulos, incluindo o concílio apostolar, quando ocorreu.
Esta é a realidade que as Neo-Escrituras nos revelam:
“E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus. E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes. E, estando elas muito atemorizadas, ... eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, ... Convém que o Filho do homem ... seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite. E lembraram-se das suas palavras.” Lucas 24:1-8
“Porque ainda não sabiam a Escritura, que era necessário que ressuscitasse dentre os mortos.” João 20.9
Alguns sistemas, que se interligam entre os Céus e a Terra, no meio de toda a Criação foram atingidos, entre eles, citamos alguns.
Vejamos aqui, alguns deles, sob análise da ação da Ressurreição de Jesus:
A Terra (Mundo Biológico em todas as áreas: Fauna, Flora, Solo, Mundo Líquido – mares, rios, fontes e nuvens d’água - etc...) – que pode manter sua esperança de restauração, pela qual ainda clama. Ela que produzira e fora o material da construção pelas mãos divinas da coroa da Criação, O Homem:
“E a Adão disse: Porquanto ... comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: ... maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.” Gênesis 3:1-19
E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e apareceram a muitos.” Mateus 27:51-53
“E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona.” Marcos 15.33
O Corpo angelical – aguardando a restauração plena do seu principado celeste, contra um Inimigo que esteve entre eles e agora esperava a reestruturação dos seus poderes. Reino Angelical, [conscurpado em sua obediência, pelo seu antigo Príncipe, Lúcifer], divino obediente a voz de Deus e incorrompido, se manteve fiel a Vida e pela Ressurreição aguardavam esta oportunidade, após se envolverem na atividade antropológica, servindo como ministros celestes.
Acrescente-se que esta atividade está ligada a Salvação, o que em si mesmo, estava incluído no Plano Eternal da Redenção humana:
“E a qual dos anjos disse jamais: ... Não são porventura todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?” Hebreus 1: 13,14
“Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será por Filho? E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem. E, quanto aos anjos, diz: Faz dos seus anjos espíritos, E de seus ministros labareda de fogo.’ Hebreus 1:5-7
“E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.” Gênesis 3:24
Mundo Cósmico – Estrelas, Constelações, que obedecem a Voz de Deus e aguardam a Redenção, só possível pelo Mistério da Ressurreição do Filho de Deus:
“Conta o número das estrelas, chama-as a todas pelos seus nomes.” Salmos 147:4
“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona, escurecendo-se o sol; E rasgou-se ao meio o véu do templo. E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou.” Lucas 23:43-46
O Mundo cósmico fora atingido e se comoveu com a cena da Morte do Filho de Deus, Jesus, no Calvário, que assistindo esta Morte se negou a dar a luz de suas estrelas ao triste espetáculo, liderados pela principal estrela da galáxia onde Deus instalou a Terra. Osvarela
E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona, escurecendo-se o solLucas 23.44
Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.Romanos 8:19-23
O Mundo Antropológico – que aguardava uma forma de vencer a condenação da Morte, que fora lhes inserida como condenação genética, e espiritual no Éden:
“Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” Gn. 2.17
E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará. E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás. Gênesis 3:16-19
Todos estes reinos, principalmente o antropológico, aguardavam (e ansiavam, como aguardam a redenção final, junto ao completar-se a redenção humana, responsável pela sua profunda alteração) a redenção da Morte.
Uma figura que se intrometeu na Criação para destruição da Vida.
Qual Seria O Aspecto Posterior A Ressurreição De Jesus?
A Bíblia narra alguns pontos curiosos e interessantes, sobre o reconhecimento de Jesus, por alguns membros de seu círculo discipular, em suas aparições pós ressuscitado.
Seria algo, não notado se ao longo destas aparições, Jesus não fosse reconhecido, por apenas um dos seus discípulos, mas a neo-Escritura narra que em diversos momentos houve questionamentos, que levaram a Jesus ter que dar afirmações a este respeito, em várias situações.
Nós pretendemos continuar sobre o assunto na 2ª parte deste Estudo.
Insofismável Sinônimos: verdadeiro; verossímil; evidente; conseqüente; inconteste;  transparecente.
"Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos." 1 Coríntios 15:3-7
Mas, neste momento, faremos apenas algumas considerações sobre este importante questionamento.
Sem contudo, deixarmos de ter certeza, de que Ele ressuscitou, e se apresentou em corpo aos discípulos.
 “E eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, descendo do céu, chegou, removendo a pedra da porta, e sentou-se sobre ela. E o seu aspecto era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como neve. E os guardas, com medo dele, ficaram muito assombrados, e como mortos. Mateus 28:2-4
“E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles. Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem.” Lucas 24:15,16
As Neo-Escrituras mostram que há como inferir que o aspecto físico, de Jesus, posterior a ressurreição dificultou seu reconhecimento por seus discípulos.
É um assunto a ser entendido na questão da sua ressurreição dentre os mortos.
Podemos analisar tal questão sob alguns aspectos, entre eles:
- O seu flagelo físico durante seu julgamento, atingido pelos seus algozes deixaram marcas externas em sua aparência?
- A Ação do Poder de Deus - a ação da ressurreição dentre os mortos com poder e gloria o deixou com aspecto divinamente transparecente em seu rosto, tal como, mal comparando, quando Moisés esteve com Deus no Sinai.
- A Ação glorificadora que o fez ressugir dentre os mortos – a ação divina da ressurreição foi tão poderosa que os discípulos necessitavam de uma ação posterior do mesmo poder, através da voz de Jesus que abrisse os seus olhos.
- A Incredulidade dos discípulos - podemos inferir que o temor e a incredulidade, dos discípulos os impedia de aceitar ou ver que Jesus estava vivo. Necessitavam de um choque de Jesus que lhes abrisse os olhos.
- A alegria em pensar que de novo Jesus caminharia com eles pelas ruas da Galiléia: “E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados...”, foi outro impedimento para reconhecerem Jesus ressurreto.
“E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles. E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o, e lho deu. Abriram-se-lhes então os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes. E disseram um para o outro: Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras?” Lucas 24:29-32
- A Crendice os impedia de ver Jesus ressurreto – os discípulos neste e em outros momentos apresentam sua crendice popular que lhe fora transmitida senso comum, na comunidade onde viviam. Isto foi um impedimento, que nos também precisamos entender, que muitas vezes ocorre entre nós sob a visão humana e cultural que nos foi transmitida, seja pelos pais ou mesmo pela cultura nacional, onde temos muitos pensamentos inconscientes que se transformam em palavras e ações,mesmo no campo espiritual. Como simpatias, crenças incomuns ao cristianismo, palavras como “vixe”, “nossa”, ou mesmo, colocar “uma vassoura trás da porta”, etc.
- A Sua Voz - em meio a estes fatos e atos de não reconhecimento de Jesus, vemos que um aspecto físico de Jesus ficou inalterado. Quando Pedro estava no meio do mar pescando com seus discípulo, nu e despreparado em meio as tarefas de navegação difícil, e Jesus se aproximou andando sobre as águas, os discípulos pensaram que Ele era um fantasma, o que os fez acreditar que era o próprio Mestre, o que os acalmou foi a voz do mestre. Assim, podemos afirmar que a sua voz era conhecida dos discípulos, da mesma forma após sua ressurreição ela se transformou num elemento identificador do Jesus Ressurreto.
“E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário; Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, andando por cima do mar. E os discípulos, vendo-o andando sobre o mar, assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram com medo. Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais. E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? E, quando subiram para o barco, acalmou o vento. Então aproximaram-se os que estavam no barco, e adoraram-no, dizendo: És verdadeiramente o Filho de Deus.” Mateus 14:24-33
Caminho de Emaús
A dificuldade foi de tal monta, que ainda assim após o encontro no caminho de Emaús os discípulos sofriam em identificar Jesus ressurreto, como diz o texto seqüencial sobre estes caminhantes, logo após retornarem a Jerusalém para informar aos apóstolos que acabaram de ter um encontro com Jesus:
“E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco. E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; O que ele tomou, e comeu diante deles. Lucas 24:36-43
Jesus teve que comer (algo mais humano, comer, foi uma demonstração de vida), mostrando que estava em sua forma física natural como um homem que voltara a viver dentre os mortos, como acontecera com seu amigo e conhecido de todos, Lázaro.
O importante deste destaque sobre a aparência de Jesus serve para nos lembrar e entender, que Jesus realmente ressuscitou, e voltara viver em sua forma física, nos ajuda a entender que assim como Ele é seremos, ao entrar na glória. E que Jesus realmente ressuscitou!
Proclamemos a ressurreição com ato divino para nos levar a Salvação.
Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras. E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortosLucas 24:45,46

1ª PARTE

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical