quinta-feira, novembro 12

A Expansão do Reino Davídico Lição 7 – CPAD-com correção.

A Expansão do Reino Davídico

Lição 7 – CPAD Autor: Osvarela.

Texto áureo:

II Sm.5.10. Davi ia cada vez mais aumentando e crescendo, porque o Senhor, Deus dos Exércitos, era com ele.

Leitura Bíblica em Classe:

II Sm.5.6-10. Depois partiu o rei com os seus homens para Jerusalém, contra os jebuseus, que habitavam naquela terra, e que falaram a Davi: Não entrarás aqui; a menos que lances fora os cegos e os coxos [os cegos e os coxos te repelirão]; querendo dizer: Davi de maneira alguma entrará aqui.Porém Davi tomou a fortaleza de Sião; esta é a Cidade de Davi. Porque, Davi disse naquele dia: Qualquer que ferir os jebuseus, e chegar ao canal e aos coxos , e aos cegos,[suba ao canal, e fira a esses coxos e cegos], que a alma de Davi aborrece, será cabeça e capitão. Por isso se diz: Nem cego nem, coxo entrara na casa. Assim habitou Davi na fortaleza, e lhe chamou a Cidade de Davi; e Davi foi edificando [levantando] edifícios em redor, desde Milo até [para] dentro. E Davi ia cada vez mais aumentando e crescendo, porque o Senhor, Deus dos Exércitos, era com ele.

Texto devocional reflexivo:

I Co.3.1.ss. E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo. Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis; porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; não sois apenas homens? Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um? Eu plantei; Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. De modo que, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.

Geografia e glossário:

*Pleroma - plenitude;completa;[correção-13/11/2009]

Naiote - Heb. Nayôth e Nawyoth, de significado desconhecido.A primeira leitura é preferida pelos massoretas, enquanto que a segunda é apoiada por certos manuscritos da LXX. Um local “em Ramá”, onde Samuel e os “filhos dos profetas” moravam e onde David esteve durante algum tempo escondido de Saúl (1Sm 19:18, 19, 22, 23; 1Sm 20:1). Alguns sugerem que o termo hebraico significa “habitação”, no sentido de “dormitório” e no qual os profetas viveriam.A localização e o significado de Naiote são obscuros. Julgou-se que era um distrito de Ramá, ou algum lugar nas redondezas, onde os profetas associados a Samuel tinham sua residência (1 Sm 19.20,22). O nome pode ser derivado de um termo que significa “moradia”.

Definição adotada pelo autor deste texto: – rancho dos profetas.

Ramá (chamado Ramataim-Zofim, literalmente, "as alturas do Zuphite", mais um nome para a cidade) foi o berço, e lar de Samuel, o último juiz (1 Samuel 1).

Um pouco de História:

As obras dos muros de Jerusalém, começaram em 1537 e foram concluídas em 1541 (portanto, pouco tempo depois do descobrimento do Brasil). Quem visita Israel pode, ainda hoje, ver esses imponentes muros e seus majestosos portais circundando a velha Jerusalém.

Uma parte da cidade, porém, ficou do lado de fora dos muros!

Talvez tenha sido por erro dos arquitetos ou, talvez, por ganância, pois, fazendo um muro menor, sobraria algum dinheiro para eles. E, sabe o que os engenheiros do sultão deixaram do lado de fora dos muros?

Justamente a área onde o rei Davi construíra seu palácio!

A Bíblia diz que “habitou Davi na fortaleza e lhe chamou a Cidade de Davi; foi edificando em redor, desde Milo e para dentro.... Hirão, rei de Tiro, enviou mensageiros a Davi, e madeira de cedro, e carpinteiros, e pedreiros, que edificaram uma casa a Davi” (II Samuel 5:9 e 11). Jorge Fabbro

Sião, Cidade de Davi, Fortaleza de DaviII Cr.5.2. Então Salomão congregou em Jerusalém os anciãos de Israel, e todos os cabeças das tribos, os chefes das casas paternas dos filhos de Israel, para fazerem subir da cidade de Davi, que é Sião, a arca do pacto do Senhor.

Sião era uma fortaleza sobre uma das cinco elevações sobre as quais Jerusalém foi edificada;

Acra;

Bezeta;

Moriá;

Ofel;

Sião, -colina no extremo sul-numa das extremidades da muralha de Jerusalém.

Elevando-se a leste de Jerusalém, o Monte das Oliveiras. Hoje mais conhecida como cenário do martírio e ascensão de Cristo e da traição de Judas no Jardim do Getsemani, a colina sempre foi sagrada para os habitantes da cidade.

Suas encostas têm sido usadas como campo de sepultamento desde o terceiro milênio a.C.

Os jebuseus cavaram tumbas por volta de 2.400 a.C.

Entre as muralhas e a colina fica o com várias tumbas dos séculos 1º e 2º a.C.

Na extremidade sul do Vale de Josafá fica o local do assentamento de 3.000 anos que se transformou em Jerusalém (a Cidade de Davi).

O canal citado na passagem da leitura bíblica em classe era o Canal de Giom [no Vale do Cedrom, entre Muros da Cidade atual e o Monte das Oliveiras] superior ou manancial de água, que ia em direção à cidade, para supri-la de águas potáveis.

Milo – não é mesma Milo de Juízes 9.6,20. Era um grande aterro para expansão e edificação da cidade.

O desafio de conquistar Jerusalém:

Por que Davi tomou Jerusalém?

Logicamente, ele tinha motivos para conquistá-la.

Mas quais?

Herbert Donner nos aponta motivos.

O primeiro deles poderia ser definido como político e o segundo como estratégico.

Davi já era rei tanto das tribos do norte (Israel) como das tribos do sul (Judá.).

Porém, sua capital era Hebrom.

Uma capital tão ao sul, poderia fortalecer a já conhecida rivalidade entre as tribos. Jerusalém é mais central e poderia incentivar a unidade do reino.

“A tomada de Jerusalém e a instalação da residência do rei aí foi uma solução genial e ideal dos problemas políticos com os quais Davi se via confrontado. Jerusalém era uma grandeza independente entre Israel e Judá; como príncipe da cidade-estado de Jerusalém, Davi estava por assim dizer, entronizado acima do dualismo entre o Norte e o Sul.”

Para reforçar este projeto, Davi procurou dar um caráter religioso a Jerusalém, trazendo a Arca da Aliança para lá.

O outro motivo, ao qual Donner parece não dar tanta atenção é o estratégico. Antes da conquista, Jerusalém fazia parte de um cinturão de cidades cananéias que ainda resistiam no território.

O objetivo então, seria dominar estas cidades e fortalecer o domínio hebreu na Palestina.

Davidiano e davídico:Tenho escrito e pensado nos dois termos.

Esqueça que você já conhece de polêmica sobre o termo davidiano.

Estou escrevendo, sobre o termo davidiano, como um autor escreveria, sobre um personagem de nome Davi, seja ele quem for, o Davi bíblico ou um escritor, pensador, literato; quando se usa um termo , ou costume utilizado pelo tal Davi, diz-se do mesmo: davidiano .

Parece-me que, davidiano, é mais ligado a Davi, como tipo de Jesus, isto é ao Filho do homem, Davi, com suas imperfeições, como tipo, mas mesmo assim conquistador e expansionista.

Davídico, na minha ótica é mais intensamente ligado a Jesus Cristo, o seu Reino Messiânico, eterno e para sempre, profetizado nas palavras do próprio Deus, através dos seus proclamadores atalaias da sua vontade.Vide texto supra.

Assim, quando Jacó exclama:

Gn. 49. 9-11. Judá é um leãozinho. Subiste da presa, meu filho. Ele se encurva e se deita como um leão, e como uma leoa; quem o despertará? O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de autoridade dentre seus pés, até que venha aquele a quem pertence; e a ele obedecerão os povos. Atando ele o seu jumentinho à vide, e o filho da sua jumenta à videira seleta, lava as suas roupas em vinho e a sua vestidura em sangue de uvas.

Ou, o utilizado pelo próprio Deus:

Rute 4. 17,22. E as vizinhas deram-lhe nome, dizendo: A Noemi nasceu um filho, E chamaram ao menino Obede. Este é o pai de Jessé, pai de Davi. Obede gerou a Jessé, e Jessé gerou a Davi.

Qual a importância do destaque no livro de Rute.

A importância é sobretudo messiânica e real, mas, de um Reinado profeticamente a ser instaurado, pela casa de Judá, ou de Davi, o qual inevitavelmente chegará ao “pleroma” na Vinda do Filho de Davi e a Expansão do Seu Reino Eterno-Divinal, “post mortem”.

O prestígio de Davi na história cronista se deve à significação messiânica dada então a essa figura.

Portanto, o título “Filho de Deus” aplicado a Jesus tem uma conotação política e coletiva, muito mais do que metafísica individual.

“Filho de Deus” remete a uma dimensão pública da compreensão de Jesus Cristo, e “Messias” remete, portanto, à redenção davídica do povo de Israel, título que Jesus mesmo não rejeitou (cf. Mc 14, 61), pois seus seguidores continuaram a reconhecê-lo como “Messias e Filho de Davi”’ (Mc 9, 47).site missão e adoração.

A posição de Davi e a mesma do escritor da Epístola, Tiago ou de Paulo:

Desafiado por deboche do Inimigo:

Você não pode.

Você é um perdedor.

Você não consegue.

Você é pequeno.

Tua força é pequena.

Estes são os desafios que atingem a mente de muitos, ou de todos, querendo nos fazer desanimar e admitir que não temos forças, contra o nosso Inimigo.

Tg. 4.7. Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós.

II Co.12. 10. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco, então é que sou forte.

-“A menos que lances fora os cegos e os coxos [os cegos e os coxos te repelirão]” – era um dito, ou provérbio escarnecedor, para dizer sobre a fragilidade do inimigo ou de alguém.Assim poderia ser interpretado, como: “podemos colocar, até os coxos e cegos para lutarem contra ti” ou tu és tão fraco - em resposta - que podemos até colocar: cegos e coxos para lutar contra ti.

Nunca despreze os teus inimigos.

Por isso se diz: Nem cego nem, coxo entrara na casa. Em lembrança a este dito, ou seja, em relação a inimigos ou aos “jebuseus” que andavam entre Israel.

I Cr. 11.4. Então Davi, com todo o Israel, partiu para Jerusalém, que é Jebus; e estavam ali os jebuseus, habitantes da terra.[...] Davi tomou a fortaleza de Sião, que é a cidade de Davi. E edificou a cidade ao redor, desde Milo em diante; e Joabe reparou o resto da cidade. Davi tornava-se cada vez mais forte; porque o Senhor dos exércitos era com ele.

A visão de expansão do reino que Davi executou, teve a visão de Jesus Cristo para a expansão do seu reino.

Ou seja, qualquer que seja, a expansão que se executa no Reino de Deus, é toda ela proporcionada pelo pensamento da Edificação de um Reino espiritual, que é o Reino de Deus aqui na Terra.

Mateus 6.9,10. Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome;venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;

A Visão Expansionista de Davi-

A visão expansionista de Davi, não era uma visão própria, mas era a visão do cumprimento, das Promessas de Deus ao Seu Povo – Israel.

Para Davi, assim como Jesus Cristo, se faz necessário a expansão do Reino de Deus, sob a égide de Deus, para realização e exaltação das Palavras proclamadas ao longo dos séculos pelo próprio Deus!

As profecias exaradas ao longo de séculos, ainda ecoavam no coração de Davi, sendo o moto, que o levava a querer atingir, como instrumento, tipo de Jesus Cristo, em primeiro lugar: “O Crescimento do Reino de Deus”.

Cabeça e capitão, significam aqueles que ajudam no crescimento do Reino de Deus, avançando sobre as colunas inimigas, assim como os Apóstolos e a Igreja primitiva, receberam ordens diretas de Jesus Cristo para realizarem a Obra de Deus com ousadia, dando sobre os inimigos de Deus, não mais com a espada material, mas com a espada do espírito e a espada da Palavra de Deus., e assim se fizeram capitães e cabeças, reis e sacerdotes do reino de Deus em expansão aqui na Terra, até chegarmos a Sião celestial.

A expansão do reino davidiano, era uma demonstração de que Deus confirmou sua coroação diante das nações.

Deus trabalhou através do rei Davi para expandir seu reinado a toda terra. As forças pagãs se submeteram a ele, honraram-lhe e se juntaram a ele. Isto prefigura as muitas maneiras pelas quais, o reinado de Cristo triunfou mundialmente nos grande avivamentos do passado, especialmente através de empreendimentos missionários e através de reformas sociais. Deus não tem menos em mente para nossa geração – de fato, muitos sentem que esta ênfase missionária pode ser o avanço final.

O futuro da Nação:

Expansão é conquistada com União e Unidade:

Israel como povo estava com os olhos voltados a tudo que Davi fazia. O Rei Davi era o foco e alvo da Confederação, assim como estamos olhando para Jesus como nossa esperança.

Hb.12. 2. ...fitando os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé.

Davi era visto como o único homem em Israel que poderia consumar a consolidação da Nação.

Os anciãos vieram e coroaram a Davi como seu Rei com a esperança de conduzi-los a uma situação definitiva, dentro de um cenário circunvizinho de Nações belicosas, sobre as quais Davi havia demonstrado sua Unção e força.

A vinda dos anciãos, até Davi em Hebrom, foi, antes de tudo, um gesto de esperança, que queria dizer:

“Dê-nos uma direção. Você é o único com condições de nos fazer uma Nação!”

Buscaram a única esperança que tinham, e o fizeram em unidade. Eles sabiam que o avivamento, ou a consolidação nacional, que Davi lhes poderia proporcionar somente viria, assim que ele assumisse a liderança de todas as tribos – de todo o povo de Deus. Fosse o que fosse que o futuro trouxesse sobre toda a nação, seria sobre todos eles juntos. Nenhuma tribo sobreviveria por muito tempo, sozinha"DaviBryant.

Davi através, até mesmo da ação predatória de Saul, em querer matá-lo, em ciladas ou arroubos de sandice espiritual, ficou marcado pelos êxitos em suas conquistas, no dizer do texto bíblico: “em entrar e sair diante do povo”.

II Sm.8.1-11. ...Davi derrotou os filisteus, e os sujeitou; e Davi tomou a Metegue-Ama das mãos dos filisteus.Também derrotou os moabitas[...] Davi também derrotou a Hadadézer, filho de Reobe, rei de Zobá, quando este ia estabelecer o seu domínio sobre o rio Eufrates.[...]Os sírios de Damasco vieram socorrer a Hadadézer, rei de Zobá, mas Davi matou deles vinte e dois mil homens.Então Davi pôs guarnições em Síria de Damasco[...]E o Senhor lhe dava a vitória por onde quer que ia. E Davi tomou os escudos de ouro que os servos de Hadadézer [...]e os trouxe para Jerusalém.De Betá e de Berotai, cidades de Hadadézer, o rei Davi tomou grande quantidade de bronze. ...Toí, rei de Hamate, ouviu que Davi ferira todo o exército de Hadadézer, mandou-lhe seu filho Jorão para saudá-lo, e para felicitá-lo por haver pelejado contra Hadadézer e o haver derrotado[...] Jorão trouxe consigo vasos de prata de ouro e de bronze,os quais o rei Davi consagrou ao Senhor, como já havia consagrado a prata e o ouro de todas as nações que sujeitara.

Tudo que conquistamos na Obra do Senhor não é nosso é consagrado ao Senhor, muitos tem se esquecido disto e depois não entendem quando perdem batalhas como os hebreus contra Aí.

A Expansão continuada:

Com menos de uma década após a morte do seu ferrenho perseguidor e antecessor, todo Israel acudiu a Davi, que começara a reinar sobre a pequena parcela hebréia, do reino de Judá.

Com seus êxitos militares e alianças amistosas, logo Davi controlava a extensão desde o rio do Egito e o golfo de Acaba, até a costa fenícia e a terra de Hamate.

A conquista do Edom, permitiu a Davi alcançar condições de desenvolvimento econômico para Israel.

Assim, além da questão estratégica, lhe deu uma fonte de recursos naturais, por ser uma região rica em ferro [material monopolizado pelos filisteus; lembra-se?], e o cobre outro material nobre, que possibilita ligas quimicamente importantes, na arte da guerra e na vida do povo.

Muitas vezes, embates com nosso Inimigo, são permitidos por Deus, para que nós conheçamos suas estratégias, armas e ferramentas e possamos adquirir conhecimento destas armas, para derrotá-lo.

Assim aconteceu nos embates [dois grandes]de Davi após ser empossado como rei de Israel.

Não usemos a expansão apenas como conquista, mas aprendamos como conter nossas forças, o momento de avançar esperando a ordem de Deus e seremos bem-sucedidos em nossas guerras!

O deserto árabe, se estende para o sul do Mar Morto [hoje a região oriental está a Jordânia, com suas grandes industrias químicas, como Israel do outro lado] e vai até ao Golfo de Acaba.
Assim, II Sm demonstra as fortificações protetoras da expansão davidiana, mesmo em situações aparentemente só expansionistas, mas sob a direção do Senhor. 8.14. 6. Então Davi pôs guarnições em Síria de Damasco, e os sírios ficaram por servos de Davi, pagando-lhe tributos. E o Senhor lhe dava a vitória por onde quer que ia..

Ao sul, Davi conquista Damasco, ligada a Hadade-ezer [veja I Cr.19 e I Cr.20], que citado no nosso comentário da Lição 06, tornou-se tributário de Davi,o qual de posse de riquezas, demonstra, o seu perfil de generosidade e lealdade a alianças, mesmo após a morte do aliançado: Jônatas, usando de misericórdia com Mefibosebete, filho de seu considerado amigo.Ao qual deu uma pensão vitalícia e assento à sua mesa.Quando nós somos abençoados por Deus e ele concede expansão de nossas estacas, não nos esqueçamos dos amigos do início da jornada, que nos foram úteis e nos livraram a vida, a despeito de serem atingidos duramente por nós.

A expansão, às vezes, pode ser iniciada por nosso antecessor. Foi assim, com a região nordeste de Israel desde o tempo de Saul, as tribos amonitas e aramaicas inimigas de Israel, tiveram o mesmo destino de outros inimigos de Israel e a sua conquista foi consolidada por Davi.I Sm.14. 47,48. Tendo Saul tomado o reino sobre Israel, pelejou contra todos os seus inimigos em redor: contra Moabe, contra os filhos de Amom, contra Edom, contra os reis de Zobá e contra os filisteus; e, para onde quer que se voltava, saía vitorioso. Houve-se valorosamente, derrotando os amalequitas, e libertando Israel da mão dos que o saqueavam.

A Unidade que criou condições para Expansão: II Sm.2. 3. Davi também derrotou a Hadadézer, filho de Reobe, rei de Zobá, quando este ia estabelecer o seu domínio sobre o rio Eufrates.

I Cr.13.1,5. Convocou, pois, Davi todo o Israel desde Sior, o ribeiro do Egito, até a entrada de Hamate, para trazer de Quiriate-Jearim a arca de Deus.

O Êxito de Davi foi consubstanciado, por uma aproximação ao Deus dos patriarcas, O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus dos Exércitos de Israel, como já dito em nosso comentário da semana anterior [Yahweh Tsabaoth, Elohim Tsabaot Elohey Yisrael”.]

Davi foi sobretudo um homem preocupado com as vontades de Deus, representadas em minudência em cada ação ou execução do seu plano salvífico, que perspassa pelo Governo davídico execido, no homem Davi.

Por entender cada detalhe do Plano de Deus, Davi, depois de um início turbulento, com a casa de Saul, consolidou seu reino, entre as nações vizinhas, com grande respeito e não foi desafiado por poderes estrangeiros, o que demonstra a posição de grandeza da sua expansão, impondo temor e respeito entre os povos.

Mesmo algumas ações como a tomada da região dos jebuseus, se mostraram necessárias no contexto davídico-messiânico, como prova de que a terra que Deus nos promete é nossa e ele nos dará, ainda que tenhamos que lutar.

Algumas posições, são necessárias, próprias e propícias para a Expansão do Reino de Davi, e também do Reino de Deus.

Em primeiro lugar, é necessário:

União de pensamento,

União de propósito,

A presença de Deus no seio da Congregação,

O coração do Rei firmado em Deus,

At.2.44. Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum.[...] E, perseverando unânimes todos os dias no templo [...]E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.

É necessário entender, que esta expansão promovida no reinado do rei Davi, só foi bem-sucedida, pelo que havia dentro do homem escolhido, amado por Deus e pelo povo:

Características pessoais, e fatos advindos deste traço de sua personalidade, que garantiram o pensamento expansionista de Davi.

Os textos bíblicos abaixo, demonstram claramente, que Davi caiu nas linhas agradáveis, do povo e suas lideranças.

Assim, todos em Judá e Israel puderam unir-se em redor de alguém que comunicava Unidade, sem acepções.

Era amado e sabia conduzir-se no meio do povo:

I Sm.18.16. Mas todo o Israel e Judá amavam a Davi, porquanto saía e entrava diante deles.

Pelo segredo do seu coração e pelo seu amor para com o Senhor Deus dos Exércitos de Israel:

-Bem sucedido;

-Deus era com ele;

I Sm.18.14. E Davi era bem sucedido em todos os seus caminhos; e o Senhor era com ele.

I Sm.18.28. Mas quando Saul viu e compreendeu que o Senhor era com Davi e que todo o Israel o amava,

A lâmpada de Israel foi guardada pelo profeta:

Procurou o homem de Deus para aconselhar-se, não foi a outro para contar o seu problema:

I Sm.19.18. Assim Davi fugiu e escapou; e indo ter com Samuel, em Ramá, contou-lhe tudo quanto Saul lhe fizera; foram, pois, ele e Samuel, e ficaram em Naiote.

Um Local de Refúgio de Davi durante a espera do Tempo de Deus:

Na escola profética de Samuel.

O primeiro pensamento de Davi foi o de encontrar Samuel, ele foi ao encontro do profeta em Ramá, e lhe participou tudo quanto Saul lhe fizera (1 Sm 19. 18).

O Segredo da Expansão e Crescimento vem dos Céus.

I Cr.11.9. Davi tornava-se cada vez mais forte; porque o Senhor dos exércitos era com ele.

A Estratégia faz parte do Plano de expansão:

Davi foi bem sucedido por dar continuidade no Plano divino para dação de uma extensão de terra, prometida, aos patriarcas, ou seja, A Terra Prometida.

A Estratégia de Deus foi comunicada ao coração de Davi, assim como a expansão da Igreja local é comunicada, ao coração do Líder local ungido por Deus.

Deus exercera a sua soberania de escolha, ao firmar um pacto com um homem de Ur, da Mesopotâmia, ao qual escolhera, para instalar naquela parte do Mundo, um povo que adorasse o seu nome e fosse o portador e receptor dos seus oráculos divinos – As Escrituras Sagradas, e por elas expandisse o seu Nome e proclamasse o seu poder e unicidade divina. Rm.3.1.ss. Que vantagem, pois, tem o judeu?[...] Muita, em todo sentido; primeiramente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus... 29.ss. É porventura Deus somente dos judeus? Não é também dos gentios? Também dos gentios, certamente, se é que Deus é um só... arrazoa O Apóstolo São Paulo.

Assim a Expansão da Igreja atual também só será bem-sucedida, se for executada sobre a égide da verdade da Palavra de Deus, através de Cristo. Vide texto abaixo, de Atos dos Apóstolos.

O Novo testamento é rápido e simples em destacar o Plano estratégico para alcançar a expansão do Cristianismo.

Jesus declara aos seus discípulos como deveriam realizá-lo e por onde começa-lo.

Atos 1. 8. Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.

Atos 2. 29.ss. Irmãos, seja-me permitido dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi, que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura. Sendo, pois, ele profeta, e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que faria sentar sobre o seu trono um dos seus descendentes, prevendo isto, Davi falou da ressurreição de Cristo, que a sua alma não foi deixada no inferno, nem a sua carne viu a corrupção.

A Unidade que criou condições para Expansão:

É necessário entender, que esta expansão só foi bem-sucedida, pelo que havia dentro do homem escolhido e amado por Deus e pelo povo:

Características pessoais, e fatos advindos deste traço de sua personalidade, que garantiram o pensamento expansionista de Davi.

Os textos bíblicos abaixo, demonstram claramente, que Davi caiu nas linhas agradáveis, do povo e suas lideranças.

Assim, todos em Judá e Israel puderam unir-se em redor de alguém que comunicava Unidade, sem acepções.

I Sm.18.16. Mas todo o Israel e Judá amavam a Davi, porquanto saía e entrava diante deles.

I Sm.18.14. E Davi era bem sucedido em todos os seus caminhos; e o Senhor era com ele.

I Sm.18.28. Mas quando Saul viu e compreendeu que o Senhor era com Davi e que todo o Israel o amava,

A lâmpada de Israel foi guardada pelo profeta:

I Sm.19.18. Assim Davi fugiu e escapou; e indo ter com Samuel, em Ramá, contou-lhe tudo quanto Saul lhe fizera; foram, pois, ele e Samuel, e ficaram em Naiote.

É preciso que entendamos alguns princípios que regem o reino de Deus e que por extensão regem aos que são chamados para liderar, seja sobre uma Nação – Davi;

Seja sobre uma Igreja;

Seja sobre uma família.

Três segmentos, que Deus quer que se expanda.

Gn.10.21.ss. Esses são os filhos de Sem segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, segundo as suas nações. Essas são as famílias dos filhos de Noé segundo as suas gerações, em suas nações; e delas foram disseminadas as nações na terra depois do dilúvio.

Nação- Gn.12. 2. Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu, sê uma bênção. II Cr.7. 14. E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.

Gn.13. 14.ss. disse o Senhor a Abrão [...]olha desde...onde estás, para o norte, para o sul, para o oriente e para o oriente;toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre...farei a tua descendência como o pó da terra;[...]se puder ser contado o pó da terra, então também poderá ser contada a tua descendência. Levanta-te, percorre esta terra, no seu comprimento e na sua largura; porque a darei a ti...

Mt. 28. 18,19. E, aproximando-se Jesus[...]dizendo: Foi-me dada toda a autoridade[...] Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

Não fique parado, mas procure ver e ouvir o que Deus tem para você, não apenas as questões materiais, mas, as primícias espirituais para expansão do teu ministério, que será a expansão doreino de Deus através de voc~e e eu como o pequeno Davi.

Igreja- Ef.4. 16. ... do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor.

At. 1. 8. Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra.

Família- Gn.1. 28.Então, Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a;

O Mandato Social:

A Expansão é projeto de Deus para todos os, que seguem sua Palavra, isto é a Sua Igreja.

Este mandato é uma declaração principial de Deus, desde a criação adâmica, passando por Noé, através da raiz hebraica semita, em seu filho Sem, e pelo Patriarca Abraão.

Gn.9.26,27. Disse mais: Bendito seja o Senhor, o Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. Alargue Deus a Jafé, e habite Jafé nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.

Gn.10.21.ss. A Sem, que foi o pai de todos os filhos de Eber [...] Esses são os filhos de Sem segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, segundo as suas nações. Essas são as famílias dos filhos de Noé segundo as suas gerações, em suas nações; e delas foram disseminadas as nações na terra depois do dilúvio.

Quadro Bíblico:

Prosperidade e Supremacia:

II Sm I Cr.

Lista das nações conquistadas – 8.1-13 18.1-13

Davi – bênçãos compartilhadas- 8.15-9.13 18.14-17

A Fome- 21.1-14

Derrotas dos amonitas, sírio e filisteus- 10.1-18

21.15-22 19.1-20.8

Canção de Libertação- [ Sl.18] 22.1-51

Conclusão:

O reconhecimento de Davi, que era o Senhor que lhe proporcionara tais vitórias expansionistas está expresso em Sl.18 e II Sm. 22.1-51.

Sejamos agradecidos a Deus é ele que dispara as suas flechas contra os nossos inimigos, vôo nas asas de seus querubins para nos socorrer.Aleluia!

Fonte:

De "The Hope at Hand" (A Esperança às Portas) de David Bryant.

Arauto da Sua Vinda, ano 18, nº 1

Flávio Afonso Pedro

Projeto de Pesquisa Arqueologia do Antigo Oriente

Universidade Metodista de São Paulo

Israel - Memória da cidade de Davi

Daniel Augusto Schmidt

IEM de Atibaia.

Jorge Fabbro – Arqueólogo, coordenador do Curso de Pós-Graduação em Arqueologia do Oriente Médio Antigo na Universidade de Santo Amaro (Unisa) e presidente da Associação de Amparo à Criança e ao Adolescente (Educriança).

Site Missão e Adoração.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical