sábado, novembro 12

José, Fé Em Meio Às Injustiças Lição 07 – CPAD Novembro 2016

José, Fé Em Meio Às Injustiças
Lição 07 – CPAD - 13 de Novembro de 2016
Estudo Subsídio Pr Osvarela
Leitura Áurea
“E o SENHOR estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio. ” Genesis 39.2
Leitura Bíblica
Gênesis 37:1-11
E Jacó habitou na terra das peregrinações de seu pai, na terra de Canaã.
Estas são as gerações de Jacó. Sendo José de dezessete anos, apascentava as ovelhas com seus irmãos; sendo ainda jovem, andava com os filhos de Bila, e com os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e José trazia más notícias deles a seu pai.
E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores.
Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente.
Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais.
E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado:
Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho.
Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras.
E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim.
E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra?
Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém guardava este negócio no seu coração.
Etimologia
יוסף – Yowceph;grego, Ιωσηφ; José = “Javé adicionou”; o filho mais velho de Jacó com Raquel.
עול ‘ evel ou עול àvel e (fem.)  לה ‘ avlah ou עולה - owlah ou עלה ‘ olah; n. m/f. injustiça, perversidade, maldade; atos violentos de injustiça; injustiça (referindo-se à fala); injustiça (em geral)
Introdução
Se alguém, neste universo humano foi provado em meio de injustiças, de toda ordem, além de Jesus Cristo, este alguém, foi José, aliás, um tipo de Jesus. De preferido de seu pai, a escravo na casa de Potifar e na cadeia! De nada lhe valeu sua túnica colorida, que fazia a diferença dentro do seu lar, colocando a ira de seus irmãos contra ele “...Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente...” Ela foi instrumento da afirmação e mentira sobre a sua “morte”, usada injustamente diante de seu pai, que chorou sobre ela.
E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores.”
Sendo José de dezessete anos sofreu as maiores e impiedosas injustiças, sendo a principal dela, a familiar, engodado e vendido por seus próprios irmãos, foi vendido aos egípcios, jovenzinho, só e lançado em meio a escravos de todas as etnias, indefeso, pois houvera sido criado, até então, como o mais amado de seu Pai Jacó, filho da mulher mais amada de Jacó. Sofreu prisão por conta de um assédio sexual da esposa de Potifar, seu comprador e foi parar na cadeia. Mesmo na cadeia, não se esqueceu em nenhum momento da Fé verdadeira que tinha e o acompanhar desde a casa paterna, de onde fora arrancado, por uma injusta vingança de seus mais próximos.
“E Jacó habitou na terra das peregrinações de seu pai, na terra de Canaã. Sendo José de dezessete anos, apascentava as ovelhas com seus irmãos; sendo ainda jovem, andava com os filhos de Bila, e com os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e José trazia más notícias deles a seu pai. E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores. ” Gênesis 37.1,3
José foi filho de Jacó, com Raquel, e nasceu em Canaã. Sua história de vida, Fé e Prosperidade, está narrada abundantemente no Gênesis do Capítulo 37, até, ao Capítulo 50, sendo seu nascimento, ou seja, sua geração encontra-se narrada no capítulo 30, o que vai remontar em 20 capítulo do Livro da Criação, falando de José.
“E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém guardava este negócio no seu coração.”
Quando foi vendido por seus irmãos José era órfão de Raquel, Jacó cita sua mãe, ao repreende-lo, mas se referia a Léia, sua outra mulher, o que era legalmente correto, pois a segunda mulher se tornava a mãe de todos em casa.
“E lembrou-se Deus de Raquel; e Deus a ouviu, e abriu a sua madre. E ela concebeu, e deu à luz um filho, e disse: Tirou-me Deus a minha vergonha. E chamou-lhe José, dizendo: O Senhor me acrescente outro filho. E aconteceu que, como Raquel deu à luz a José, disse Jacó a Labão: Deixa-me ir, que me vá ao meu lugar, e à minha terra. ” Gênesis 30:22-25
O seu nascimento representou um momento de libertação, de seu Pai Jacó da servidão e pagamento de uso das terras de seu avô materno Labão, que explorou por anos a Jacó, por conta, da liberação de casamento de sua mãe Raquel e a de sua irmã Léia, ambas filhas de labão, que acabariam, tendo seus filhos sendo agentes da apuração, na prova, de seus próprios meios-irmãos. José foi sobretudo o filho da ação da Fé de sua mãe e da libertação de seu pai dos serviços do gado de seu sogro Labão.
Ele foi o filho “que acrescenta”, nome dado pela sua mãe, que profeticamente declarava, sobre o menino José, aquilo que ele seria: o que acrescentaria tudo que chegasse em suas mãos”; num momento em que ela se considerava injustiçada, e envergonhada, diante de sua irmã Léia e de toda a família jacobina. Achava-se esquecida de Deus!
“Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu.” Gênesis 41.40
Na cadeia, a sua Fé foi usada para fazer aflorar o seu serviço de Profeta, a servos importantes do faraó. Foi esta característica pessoal que o levaria, sendo alvo de todas as injustiças a ser levantado pelo Faraó, até chegar a ser o segundo no Egito, acima dele, apenas o Faraó. Em todo o seu modo de agir, ele demonstrou sabedoria, espiritual, moral e econômico financeira, como hábil administrador, sabendo que tudo isto, provia de Deus, através da Fé.
Em tudo isto ele provou uma Fé genuína e única. Que experiência, este jovem havia tido com Deus?
Ele havia provado e alicerçado a sua Fé ao ser visitado por Deus em sonhos e isto lhe formatara o caráter da Fé indubitável em Deus, seu provedor, onde ele fosse seu Deus garantiria sua prosperidade e provisão.
“... Tivemos um sonho, e ninguém há que o interprete. E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações? Gênesis 40:8
Texto Apoio
E o SENHOR estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio. Vendo, pois, o seu senhor que o SENHOR estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava em sua mão... O Senhor, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor...E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali. E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava:Gênesis 39:2,3;21-23
A Inveja e a Injustiça
“A inveja é a mãe da injustiça” Osvarela
“Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém guardava este negócio no seu coração.”
A Fé de José determina uma Doutrina: A Doutrina da Providência Divina, naquele que tem Fé, a provisão em toda a situação.
“Pela muito sábia providencia, segundo a Infalível presciência de Deus e seu próprio e imutável conselho, Deus para louvor de sua Glória e de Sua sabedoria, poder, justiça, bondade e misericórdia, sustenta, dirige, dispõe e governa todas as criaturas, todas as suas ações, todas as suas coisas, desde a maior até a menor” Da Providência, Seção 1, Capítulo 1 – Westminter
A Inveja de seus irmãos é daquelas coisas que agem sob a permissão de Deus, para seu bom propósito. No caso, para os próprios invejosos sobreviverem, a partir, da Fé do invejado, José.
Não promova a inveja, com tua insensatez e sendo neófito. Não abra caminho, mesmo que você seja o preferido, com tua fala.
Você poderá ser considerado, com desdém, pela tua benção, ou dom de Deus. Use isto com sabedoria, a injustiça com José é uma lição. Ainda que dela também extaríamos a lição da vitória da Fé sobre a Inveja!
A Ida ao Egito
A Fé que Foi Deus quem o Enviara.
Não importa o meio que Deus vai te levar e usar, mas se ele permitiu, ele tem um propósito, de acordo, com a tua Fé.
“Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento. Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito.” Gênesis 45:7,8
A Fé o exalçou de escravo e solitário, a Vice-Rei do Egito.
Uma situação da presciência de Deus sobre a provisão da fome que havia de assolar a Terra e usou José, o único entre seus irmãos, que tinha demonstrado sua qualidade de relacionamento e conhecimento de Deus, para ser o provedor futuro de toda a família de Israel. Ele havia demonstrado a Fé na ação de Deus, mesmo injustiçado por seus irmãos, na forma como foi afastado de maneira dolorosa de seu pai e sua mãe.
Deus sabia que, o único da família de Jacó, José era o único que suportaria, esta “chamada” para ser o instrumento por meio da Injustiça e provações tremendas, que o colocariam no centro da atenção do Faraó. Ele seria o instrumento da formatação da promessa dada a seu bisavô, e a seu avô e a seu Pai, Gênesis 12.2;26.3;23.13-15
José aprendeu numa Escola- a Escola da Adversidade e injustiça
“...estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor” Gênesis 39:21, não obstante, no cárcere do Faraó José estava na escola da adversidade.
Aprendeu a confiar somente em Deus. No episódio de discernimento e interpretação dos sonhos do padeiro-mor e copeiro-mor do Faraó, lançados, um injustamente e outro com razão na cadeia - “pecaram contra o seu senhor, o rei do Egito” -, Deus vai ensinar a José que ele não deveria confiar no homem e sim aguardar a providência divina. Não adianta contar aquela Injustiça a quem não terá poder para te tirar da COVA da prisão
“E veio José a eles pela manhã... e estavam perturbados... perguntou aos oficiais de Faraó, que com ele estavam no cárcere ... Por que estão hoje tristes os vossos semblantes? Tivemos um sonho, e ninguém há que o interprete. ... o copo de Faraó estava na minha mão... disse-lhe José: Os três sarmentos são três dias; Dentro ainda de três dias Faraó levantará a tua cabeça, e te restaurará ao teu estado, e darás o copo de Faraó na sua mão ... Porém lembra-te de mim, quando te for bem; e rogo-te que uses comigo de compaixão, e que faças menção de mim a Faraó, e faze-me sair desta casa; Porque, de fato, fui roubado da terra dos hebreus; e tampouco aqui nada tenho feito para que me pusessem nesta cova. Vendo então o padeiro-mor que tinha interpretado bem, disse a José: Eu também sonhei, ... E aconteceu ao terceiro dia, o dia do nascimento de Faraó, ... e levantou a cabeça do copeiro-mor... E fez tornar o copeiro-mor ao seu ofício de copeiro, e este deu o copo na mão de Faraó... O copeiro-mor, porém, não se lembrou de José, antes se esqueceu dele.Gênesis 40:6-23
Entendemos que Deus dava uma oportunidade a José ver como ele exaltava o injustiçado e punia o culpado, e assim foi com ambos os casos, um foi restaurado a casa de Faraó e outro enforcado. Aprenda: só confie em Deus na hora que a Injustiça vier sobre ti e continue usando os dons que recebeu, sem usá-los para tentar ser restaurado, quem abate e exalta é só o Senhor!
José ainda teve que esperar anos para ser tirado da cadeia, mas pelo dom que tinha e não pela intervenção do copeiro que esqueceu José durante “dois anos inteiros” Gênesis 41:1. Só quando houve uma situação ciada por Deus na corte – sonhos do Faraó - quando ninguém pôde interpretar os sonhos do Faraó. Gênesis 40:8.
Na Escola da Adversidade somos afligidos a ponto de querer sair com a ajuda de quem pecou. Certamente José aprendeu a sujeitar-se à vontade de Deus. Eis, uma lição difícil de aprender na vida cristã, como vimos acontecer a José, buscando a nossa solução para uma saída. “...os meus pensamentos, não são os meus pensamentos...”
O conceito a ser aproveitado na escola da Adversidade é o conceito da vontade de Deus, e entendermos qual é o propósito e a Sua vontade é “boa, agradável e perfeita” Romanos 12:2.
A Fé Perdoa!
Este é apenas um quadro simplificado de seu mundo pessoal de vida, sob o legado da injustiça, iniciado ainda em tenra idade. Eis aí, um homem que manteve a Fé e por ela foi elevado a uma posição impensável para um servo, no Egito, principalmente como hebreu e trouxe livramento a toda a sua família. E ainda, por esta Fé ele proveu lugar e livrou sua parentela e ainda deu o maior exemplo crístico: perdoou a todos os seus irmãos.
No futuro você vai entender, mais claro, o que Deus traçou para sua vida. Ainda que seja no final dela:
A Fé promove a Vida, por meios desconhecidos:
José entendeu, a resposta de Deus, a sua Fé, e que respondeu as suas e nossas respostas, ao longo da vida.
Os Porquês?
Procure responder, a estas perguntas, para fortalecer a tua Fé, quando em provações e em meio a Injustiças. Deus tem seus meios para o futuro, melhor, onde não sabemos, quando seremos úteis, para nossa família e Igreja e os que nos cercam!
Hoje você consegue ver algum benefício dessa dificuldade [injustiça] para sua fé ou para o reino de Deus?
Você aprendeu alguma coisa, quando injustiçado, que talvez possa ensinar a outros?
Por que só depois que passa a dificuldade, ou injustiça, e só depois que, a gente entende por que Deus permitiu aquilo a gente aceita?
Imagine um jovem hebreu, longe de sua terra, depois de ter sido, o mais querido e mimado em seu lar numa prisão egípcia:
Quantas perguntas, em meio a injustiça. A injustiça nos faz questionar. Embora não esteja na narrativa bíblica, é possível vislumbrar algumas tantas perguntas que, eplo menos, eu faria, numa situação de injustiça.
Coloque-se no lugar de José. Como ele deve ter se sentido ao chegar no calabouço?
Como deveria ser uma prisão no Egito a quase 4000 anos atrás?
Daria para ver o sol?
Como seria a comida?
Era impossível ter açoites?
Havia travesseiros e camas confortáveis?
E a higiene?
Creio que ele teria pensado: Por que Senhor? Eu não tenho sido fiel a Ti?
Já não bastava ser escravo, agora sou prisioneiro?
Será que vou ficar aqui para sempre e nunca mais ver minha família querida?
“Depois vieram também seus irmãos, e prostraram-se diante dele, e disseram: Eis-nos aqui por teus servos. E José lhes disse: Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus? Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar muita gente com vida. Agora, pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos. Assim os consolou, e falou segundo o coração deles. ” Gênesis 50:18-21
Mas, tudo isto, pode ser entendido, de forma clara, como no texto supra e pelo agir de Deus, em meio a injustiça. O desenrolar do capítulo mostra que José continuava temente a Deus e cumpria suas responsabilidades, apesar de estar em circunstâncias adversas. Do versículo 21 ao 23 do capítulo 39, podemos ver como Deus era com José e recompensava seu trabalho.
A Fé manteve José prosperando, ainda que injustiçado na cadeia de Faraó.
Em Gênesis capítulo 40 José vai interpretar os sonhos do copeiro e padeiro de Faraó, mas vai continuar esquecido na prisão por alguns anos... isso mesmo José ficou na masmorra por anos.
Como José conseguiu permanecer temente a Deus, sem desistir durante todas essas provas?
“O copeiro-mor, porém, não se lembrou de José, antes se esqueceu dele.” Gênesis 40.23
A Fé de José tinha a mesma qualidade da Fé de Abraão Hebreus 11.22.
A narrativa da injustiça de José foi descrita em Salmos 105:15-24, na qual ele é colocado, como dissemos, acima, na qualidade de profeta, sofrendo a síndrome dos profetas: Ser Injustiçado:
Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas.
Chamou a fome sobre a terra, quebrantou todo o sustento do pão.
Mandou perante eles um homem, José, que foi vendido por escravo;
Cujos pés apertaram com grilhões; foi posto em ferros;
Até ao tempo em que chegou a sua palavra; a palavra do Senhor o provou.
Mandou o rei, e o fez soltar; o governador dos povos, e o soltou.
Fê-lo senhor da sua casa, e governador de toda a sua fazenda;
Para sujeitar os seus príncipes a seu gosto, e instruir os seus anciãos.
Então Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão.
E aumentou o seu povo em grande maneira, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos.
A sabedoria de Jose´.
Quando sofremos injustiça, a tendência é ter nossa capacidade de julgamento e de ação embotada. Mas, vemos que José não deixou a injustiça impedir o que lhe entregavam, para fazer.
Foi assim na casa de Potifar
Foi assim na cadeia
Foi assim ao assumir o segundo lugar no Egito
Em tudo ele era dedicado. Embora, inicialmente José fosse legalista, como ele fazia com seus irmãos, ao notificar qualquer erro entre eles, e isto serviu de desculpas para a inicial justiça de sua venda a uma caravana no deserto. José foi um exemplo da forma pela qual devemos nos conduzir quando somos colocado á prova e a hora de ser:
Sábio
Trabalhar como nada tivesse ocorrido. Afinal, os que contam com nossos serviços não tem culpa da injustiça inicial.
Comedido
Continuar acreditando na ação de Deus, a nosso favor
Chorar por ódio dos que provocaram a situação
Perdoar
Amar
Não ficar apenas nos lamentando. Isto, só fará aumentar o ódio pela injustiça que sofremos e não vai resolver a situação
Não vemos, na Bíblia José remoendo a situação e reclamando, rebelando-se, ou até mesmo, tentando fugir da casa de Potifar. Ele reconhece que Deus o colocou ali, como escravo, e mesmo como escravo continuou a ser fiel a Deus. E deus o fez prosperar pela sua atitude.
Embora, sofrimento seja sofrimento, mas pecar na injustiça só aumenta a consequência do que nos ocorreu e é pecado. Ainda que, Deus use, como com José, a situação, para o nosso bem, necessitamos passar por esta dificuldade com a mente racional e sóbria, o quanto possível. Assim, José agiu e Deus lhe prosperou! O Senhor, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor... porquanto o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava
Aprendendo a ser humilde, na Injustiça.
Quando Deus tem um proposito conosco, ainda que sejamos errados em algum momento ele vai nos corrigir e vai nos honrar, não por nós, mas pela sua Promessa.
“Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte”1 Pedro 5:6
“A tua mão se exaltará sobre os teus adversários; e todos os teus inimigos serão exterminados.” Miquéias 5:9
Todos sabem que o principal motivo, humano, da injustiçada vida de José foram seus irmãos. É muito comum, entre os da Igreja serem injustiçados pelos próprios irmãos. Seja no Ministério, nas atividades diárias e mesmo no seio da família.
Mas, o que despertou e foi objeto da injustiça de Jose´[aos olhos, humanos, sem a visão da soberania de Deus]
José havia aprendido a lição da humildade, após os erros de sua juventude, que culminaram em sua venda, ainda que injusta, como escravo aos comerciantes em caravanas no deserto.
“Sendo José de dezessete anos, apascentava as ovelhas com seus irmãos; sendo ainda jovem, andava com os filhos de Bila, e com os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e José trazia más notícias deles a seu pai. E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores.
Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente. Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais.
E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado: Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho.
Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras. ”
Ele tinha todos os mimos dentro de casa. E era um jovem que inconscientemente se achava melhor do que seus irmãos e não sabia conter a sua língua.
Um filho especial para sua mãe Raquel, tanto quanto para seu pai Jacó, o que serviu de motivo da ira de seus irmãos.
“...porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.” Lucas 18:14
Quando somos Injustiçados?
O Mal se transforma em Bem!
A exaltação de José não foi apenas ser o segundo no Egito, ele foi exaltado por Deus.
Suportar é a lição: “o quanto podemos suportar e esperar, crendo nas promessas de Deus seremos capazes de estar de pé até vermos o mal se tornar em bem!
A Exaltação da Fé
A Fé vence o Ódio
A Fé faz frutificar o ramo, de um saem Dois abençoados.
José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus ramos correm sobre o muro. Os flecheiros lhe deram amargura, e o flecharam e odiaram. O seu arco, porém, susteve-se no forte, e os braços de suas mãos foram fortalecidos pelas mãos do Valente de Jacó (de onde é o pastor e a pedra de Israel). Gênesis 49: Pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos dos altos céus, com bênçãos do abismo que está embaixo, com bênçãos dos seios e da madre. As bênçãos de teu pai excederão as bênçãos de meus pais, até à extremidade dos outeiros eternos; elas estarão sobre a cabeça de José, e sobre o alto da cabeça do que foi separado de seus irmãos. ” Gênesis 49:25,26
Ele foi abençoado com duas tribos sendo abençoadas pelas mãos de seu pai: Quando Jacó foi proferir a benção para José, citou o nome de Deus mais vezes do que qualquer dos outros irmãos. José confiava em Deus. Gn 49: 22-26
A injustiça na vida de José só foi possível de ser suportada, pela sua crença firma, na mesma Fé, como já narramos, acima, de seu bisavô Abraão, o pai de todos quanto têm Fé.
Ele sabia que o Egito era uma providencia temporária para sua família[Nação] e isto é possível de entender á luz das Escrituras, pois pouco antes de morrer ele deu ordem a sus filhos que não deixassem seus osso sno Egito. Não que ele não fosse grato ao Egito, mas porque ele esperava uma cidade eterna e que mesmo na sepultura seus ossos pudessem estar no solo da provisória, para serem depois trasladados apara Jerusalém eterna.
Afinal de contas, quais eram as promessas de Deus que José cria?
E disse José a seus irmãos: Eu morro; mas Deus certamente vos visitará, e vos fará subir desta terra à terra que jurou a Abraão, a Isaque e a Jacó. E José fez jurar os filhos de Israel, dizendo: Certamente vos visitará Deus, e fareis transportar os meus ossos daqui.Gênesis 50:24,25
Será que na Injustiça você consegue crer como José?
José cria na promessa que Deus fez a Abraão de que abençoaria a descendência deste e através dela abençoaria todo o mundo. José agia como peregrino e buscava uma pátria superior.
“Passados os dias de seu choro, falou José à casa de Faraó ...Meu pai me fez jurar, dizendo: Eis que eu morro; em meu sepulcro, que cavei para mim na terra de Canaã, ali me sepultarás...E Faraó disse: Sobe, e sepulta a teu pai como ele te fez jurar. E José subiu para sepultar a seu pai; ...somente deixaram na terra de Gósen os seus meninos, e as suas ovelhas ... e fez a seu pai uma grande lamentação por sete dias...  os seus filhos o levaram à terra de Canaã, e o sepultaram na cova do campo de Macpela, que Abraão tinha comprado com o campo, por herança de sepultura de Efrom, o heteu, em frente de Manre. “ Gênesis 50:4-13
José buscava uma pátria superior, viram-na de longe e ele esteve nela ainda em vida, no sepultamento de Jacó, em Macpela . E nós somos privilegiados pois recebemos a concretização da promessa.
Fonte:
A Providência de Deus na vida de José; Igreja Reformada em Campinas Soli Deo Gloria, Nicolas Felix
O Grande quadro, David Kingdon
Dicionário Strong
Bíblia Dake
Bíblia Plenitude

Caminhos Misteriosos, cap. 3, Editora PES, 2005. Na Escola da Adversidade, David Kingdon

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical