sábado, dezembro 10

O Socorro de Deus para livrar o Seu povo Lição 11 – CPAD – Dez 2016

O Socorro de Deus para livrar o Seu povo
Lição 11 – CPAD – Dez 2016
Estudo subsídio: Pr Osvarela
Texto Áureo
Salmo 34. 17 “Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias.”
Texto Bíblico
Ester 5.1-6
1 - Sucedeu, pois, que, ao terceiro dia, Ester se vestiu de suas vestes reais e se pôs no pátio interior da casa do rei, defronte do aposento do rei; e o rei estava assentado sobre o seu trono real, na casa real, defronte da porta do aposento.
2 - E sucedeu que, vendo o rei a rainha Ester, que estava no pátio, ela alcançou graça aos seus olhos; e o rei apontou para Ester com o cetro de ouro, que tinha na sua mão, e Ester chegou e tocou a ponta do cetro.
3 - Então, o rei lhe disse: Que é o que tens, rainha Ester, ou qual é a tua petição? Até metade do reino se te dará.
4 - E disse Ester: Se bem parecer ao rei, venha o rei e Hamã hoje ao banquete que tenho preparado para o rei.
5 - Então, disse o rei: Fazei apressar a Hamã, que cumpra o mandado de Ester. Vindo,
pois, o rei e Hamã ao banquete, que Ester tinha preparado,
6 - Disse o rei a Ester, no banquete do vinho: Qual é a tua petição? E se te dará. E qual é o teu requerimento? E se fará, ainda até metade do reino.
A Salvação Vem dos Judeus

“Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. João 4:21,22
Introdução:
A história de Ester é uma brilhante narrativa do povo de Deus que exilado, cativo sofre a continuada tentativa de Satanás, destruir o povo judeu, eleito por Deus, por sua escolha e que mesmo em tempos de erro, é cuidado por Ele para não ser destruído.
O antissemitismo é uma característica satânica que ao longo dos séculos acompanha o povo hebreu.
Na história de Ester é a primeira vez, que a perseguição ao povo judeu é mostrada com o viés de extinção dos judeu como povo.
Esta narrativa é celebrada pelos judeus até os dias atuais na Festa do Purim, pois YHWEH socorreu o seu povo e houve festa no reino da babilônia.
“A Festa de Purim é celebrada todo ano em 14 de Adar. Comemora a salvação do povo judeu na antiga Pérsia da trama de Haman “para destruir, matar e aniquilar todos os judeus, jovens e velhos, crianças e mulheres, num único dia.”
Destaco que se deva usar o nome JUDEU, pois este era o termo usual neste período histórico, para todo que nascido israelita, não somente nos termos de Judá, mas para todos judeus de todas as tribos e também utilizado para os prosélitos [gentios convertidos a crença hebreia, ao Deus Único YAWEH]
Nomes de Deus de maneira indireta inserido de maneira acrostica no livro de Ester:
Seja como:
JHVH – JeHoVa
EHYEH – Eu sou o que sou
Estas formas podem ser encontradas quando se leem manuscritos do texto no hebraico, pois as letras estão em letras maiores com destaque nos rolos, onde foram transcritas, por escribas.
Havia então um homem judeu na fortaleza de Susã, cujo nome era Mardoqueu, filho de Jair, filho de Simei, filho de Quis, homem benjamita, Que fora transportado de Jerusalém, com os cativos que foram levados com Jeconias, rei de Judá, o qual transportara Nabucodonosor, rei de babilônia. Este criara a Hadassa (que é Ester, filha de seu tio), porque não tinha pai nem mãe; e era jovem bela de presença e formosa; e, morrendo seu pai e sua mãe, Mardoqueu a tomara por sua filha.”
Ester 2:5-7
Personagens:
Mardoqueu ou Mordecai – um cativo, da tribo de Benjamim, dos idos do rei Jeoaquim, rei de Judá, levado por Nabucodonosor, onze (11) anos antes do cativeiro [2 Reis] final de Judá e da destruição de Jerusalém [2 Rs 1-25-25.30;25.1] leia-se ainda Jeremias 25.1;Daniel 9:11.
Ester ou Hadassa – a prima de Mardoqueu considerada, por alguns, como mãe de Ciro, o comandante dos exércitos da Pérsia que tomou a babilônia, no fim dos 70 anos de servidão dos judeus, naquele Império. Filha de Abiail, [pai da Rainha Ester] e descendente de Benjamim. Era o tio do primo de Ester, Mordecai. (Est 2:5, 15; 9:29) Ester 2:7 indica que ele e sua esposa faleceram quando sua filha Ester ainda era bastante jovem, e assim algum tempo antes do casamento dela com o Rei Assuero
É nesta hora que Deus que, tudo sabe mostra que havia um socorro aparentemente incomum a ser utilizado: a vida de uma jovem órfã prima, criada pelo seu primo o mordomo Mardoqueu.
Hamã - primeiro-ministro, o que fazia de Hamã seu principal conselheiro e o segundo homem mais poderoso no império. O rei até mesmo decretou que quem visse esse alto funcionário deveria se curvar perante ele. (Ester 3:1-4)
Para Mordecai, essa lei era um dilema. Ele sabia que devia obedecer ao rei, mas só quando isso não envolvesse desobedecer a Deus. O problema é que Hamã era “agagita”. Pelo visto, isso significava que ele era descendente de Agague, o rei amalequita executado pelo profeta Samuel. (1 Samuel 15:33)
Os amalequitas eram tão maus que se declararam inimigos de Jeová e de Israel. Como povo, eram condenados por Deus. (Deuteronômio 25:19) Como é que um judeu fiel poderia se curvar diante de um amalequita da realeza? Mordecai nunca faria isso.
Local Dos Eventos:
Susã, cenário dos eventos registrados no livro de Ester, foi escavada por arqueólogos franceses entre 1880 e 1890. (Est 1:2) localizava-se próximo ao rio Shapur, a leste do golfo Persa. A Pérsia é sempre citada antes da Média, com exceção do texto de Et 10.2.
O palácio real de Xerxes, abrangendo cerca de 1 ha, foi descoberto, revelando o esplendor e a magnificência dos reis persas.
Os achados confirmaram a exatidão de pormenores registrados pelo escritor de Ester, conforme relacionados com a administração do reino persa e com a construção do palácio.
O livro The Monuments and the Old Testament (Os Monumentos e o Velho Testamento), de I. M. Price (1946, p. 408), comenta: “Não existe nenhum evento descrito no Velho Testamento cujo ambiente estrutural possa ser tão vívida e exatamente restaurado por meio das próprias escavações como ‘Susã, o Palácio’.”
O terceiro ano do reinado de Astíages, provavelmente se deu 32 anos após o decreto de Ciro para a restauração de Jerusalém e o Templo.
O rei Assuero mostra seu poder e celebra uma festa 1.1-8
A rainha Vasti e deposta 1.9-22
Ester é escolhida para ser rainha 2.1-18
Deus troca reis e rainhas:
Um cativo, Daniel disse sobre isto:
E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos.” Daniel 2:21
Esta é a noção que devemos ter em mente. Deus muda situações e se necessário muda pessoas importantes do lugar para preventivamente, ou de maneira inusual prover um socorro para seu povo.
A indisposição da Rainha Vasti e seu enfrentamento a Assuero foi providencia divina para que ao cabo de uma seleção de nova rainha, Ester ascendesse ao trono.
A sequência encontrada nos comentários da Bíblia Plenitude nos mostra como isto se deu.
Mas, o que a lição vai ressaltar é a chegada e envolvimento de Ester como rainha e assumindo sua posição de uma hebreia com coragem.
A vida do rei é salva 2.19-23
O rei Assuero - Assuero, Aasvero ou Ahasuerus (em hebraico: אֲחַשְׁוֵרוֹשׁ, transl. Ahashverôsh. O poderoso ou venerável.
Astíages citado em Daniel como Dario, o medo, pois ali sempre é citado o termo do nome do Império, como Medo.
O fato é que a Pérsia ser mais forte no duplo reino – Medo-Persa – à época.
Identificado com Xerxes I da Pérsia, ainda que outras hipóteses alternativas tenham sido propostas pelos investigadores. Acredita-se que o Assuero do livro de Ester seja Xerxes I, filho do rei persa Dario, o Grande. Algumas traduções (BLH, PIB) até mesmo colocam “Xerxes” em vez de “Assuero” no texto.
Flávio Josefo relata que era este o nome por que era conhecido pelos Gregos.
O reino era dividido em 7(sete) governos de chamados príncipes da Pérsia – “Então perguntou o rei aos sábios que entendiam dos tempos (porque assim se tratavam os negócios do rei na presença de todos os que sabiam a lei e o direito; E os mais chegados a ele eram: Carsena, Setar, Admata, Társis, Meres, Marsena, e Memucã, os sete príncipes dos persas e dos medos, que viam a face do rei, e se assentavam como principais no reino) ” Ester 1:13,14
Citado por Platão, também chamado de Astíages em sua obra Legilus III
“...o Assuero que reinou desde a India até a Etiópia, sobre cento e vinte e sete províncias, Que, naqueles dias, assentando-se o rei Assuero no trono do seu reino, que estava na fortaleza de Susã, No terceiro ano do seu reinado ...” Ester 1:1-3
Relato Histórico
– Assuero derrotado pelos gregos
De acordo com a história secular, Xerxes foi derrotado pelos gregos em Salamina no seu 5º ano de governo, em 29 de Setembro de 480 AC.
Como estamos seguindo o deslocamento de datas de acordo com a Bíblia, e desde a ascensão de Nabucodonosor temos uma defasagem de cerca de 6 a 8 anos com relação às datas históricas, situamos aqui este evento em 488 AC, não no sentido de desafiar a história, mas sim, de seguir com fidelidade a contagem bíblica.
Daniel profetizou sobre este evento no primeiro ano de Dario, o medo (Dn 11:1), descrevendo a investida de Assuero contra a Grécia da seguinte maneira: “Eu (Gabriel), pois, no primeiro ano de Dario, o medo, levantei-me para animá-lo e fortalecê-lo. E agora te declararei a verdade: Eis que ainda três reis estarão na Pérsia, e o quarto acumulará grandes riquezas, mais do que todos; e, tornando-se forte, por suas riquezas, suscitará a todos contra o reino da Grécia”.
Este quarto rei se refere a Xerxes, “que confiante em sua riqueza excessiva agitou-se até a Europa, tentando invadi-la, em sua ânsia de derrotar a Grécia, não só para vingar seu antecessor Hispastes (Dario, o Grande), mas sobretudo para reprimir as manifestações iniciais do agigantamento grego. Suas operações bélicas, embora calcadas em concentrada riqueza, redundaram em fracasso ao ser derrotado pelos gregos nas Termópilas e em Salamina.” (Ex-padre, Pastor Aníbal Pereira dos Reis, Edições Caminho de Damasco, 1981 – As Visões de Daniel – Pág. 68)
487 AC – (Anno Mundi 3409) – Ester levada à presença de Assuero
De acordo com Et 2:16, apenas no sétimo ano de Assuero a rainha Vasti veio a ser substituída. Como se sabe, promoveu-se no reino a procura uma nova rainha que veio a ser Ester.
É bastante sugestiva a ordem destes acontecimentos. Note-se que no 3º ano de Assuero ocorreu o incidente que culminou no afastamento da rainha Vasti, mas apenas no 7º ano é que esta é finalmente substituída.
Entendendo que Assuero esteve entre o 4º e 5º anos de seu governo envolvido com a conquista da Grécia, ocasião em que foi derrotado, só no 7º ano o assunto da reposição de Vasti volta às preocupações do rei, o que é bastante coerente.
482 AC – (Anno Mundi 3414) – Hamã pede o extermínio dos judeus
De acordo com Et 3:7-9, no 12º ano de Assuero, Hamã pediu a morte de todos os judeus da Pérsia. No mesmo ano Assuero emitiu o decreto autorizando a petição: “E enviaram-se as cartas por intermédio dos correios a todas as províncias do rei, para que destruíssem, matassem, e fizessem perecer a todos os judeus, desde o jovem até ao velho, crianças e mulheres, em um mesmo dia, a treze do duodécimo mês (que é o mês de Adar), e que saqueassem os seus bens. ” (Et 3:13)
482 AC – (Anno Mundi 3414) – Hamã e os inimigos dos judeus enforcados
Numa reviravolta dos acontecimentos, Hamã acaba por ser executado na própria forca que preparara para Mardoqueu (Et 7:10), provavelmente no mês de Sivan (Et 8:9), equivalente aos meses de Maio ou Junho, e a sentença de morte que pairava sobre todos os judeus da Pérsia tornou-se contra os seus inimigos.
Este é o motivo da festa judaica do Purim (sorte), que é festejado até hoje no dia 14 de Adar (12º mês do calendário judaico) que equivale aos meses de Fevereiro ou Março em nosso calendário. Afora o mês, os dias também não coincidem. 14 de Adar em 2010, por exemplo, equivaleu a 28 de Fevereiro de 2010.
No dia 13 de Adar (Fevereiro ou Março) foram executados os inimigos dos judeus, incluindo os dez filhos de Hamã (Et 9:7-10) que se encontravam na cidade de Susã, os quais tiveram no dia seguinte, 14 de Adar, mesmo já estando mortos, os corpos dependurados em forca para a vista de toda a cidade (Et 9:14). Cronologia da Bíblia - wordpress.com/2011/05/23/
Mardoqueu descobre uma conspiração 2.19-21
Ester informa o rei 2.22-23
É feito um plano contra os judeus 3.1-4.17
Hamã planeja destruir os judeus 3.1-15
Mardoqueu persuade Ester a intervir 4.1-14
Ester solicita a ajuda de Mardoqueu 4.15-17
 A sequência de atos e fatos é encontrada em:
Mardoqueu é exaltado 5.1-6.14
Éster – estrela
Hadassa – murta
Mardoqueu – um cativo que diferentemente de Daniel foi levado para a fortaleza de Susã.
Ester prepara um banquete 5.1-8
Hamã planeja destruir Mardoqueu 5.9-14
Como será que estamos entendendo nossa posição de cristãos?
Atentamos que podemos fazer parte do socorro de Deus?
Nos posicionamos como parte do povo cristão?
“E fizeram saber a Mardoqueu as palavras de Ester. Então Mardoqueu mandou que respondessem a Ester: Não imagines no teu íntimo que, por estares na casa do rei, escaparás só tu entre todos os judeus. Porque, se de todo te calares neste tempo, socorro e livramento de outra parte sairá para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino? ” Ester 4:12-14
Ou precisamos de um alerta do nosso “tio Mardoqueu”?
            “Não imagines no teu íntimo que, por estares na casa do rei, escaparás só tu entre todos os judeus.”
Como buscar o socorro de Deus:
Nesta narrativa Ester nos ensina algumas lições.
Ser parte do povo, como liderança em posição especial.
Saber o tempo de Deus. Mardoqueu se mostra um profeta, ao mandar o recado a Ester a última esperança dos judeus, antes da forca ou serem todos destruídos, conforme o abjeto plano de Hamã.: “e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino? ”
Aliar-se as dores do povo, mesmo com risco de morte.
Salmo 34. 17 “Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias. ”
Usemos da imputação dada pela Crus de Cristo para clamarmos a Deus quando estamos em aflição e seu Povo em situação de criticidade total.
Clamar a Deus por um jejum geral para ter palavras nos lábios, perante as autoridades e mesmo assim se não der certo, ter por menor a sua vida desde que se disponha lutar: “...irei ter com o rei, ainda que não seja segundo a lei; e se perecer, pereci.”
Uma mulher determinada e fiel ao seu povo e compreendendo que haveria ainda um tempo de libertação, mesmo que ela fosse uma rainha dos medos, seria preferível morrer a capitular negando sua fé.
E esta fé foi compartilhada, movendo Deus que atingiu o coração do Rei e lhe deu um plano libertador e final.
“Então disse Ester que tornassem a dizer a Mardoqueu: Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas servas também assim jejuaremos. E assim irei ter com o rei, ainda que não seja segundo a lei; e se perecer, pereci. Então Mardoqueu foi, e fez conforme a tudo quanto Ester lhe ordenou.” Ester 4:15-17
Ester era o próprio socorro de Deus: “O socorro de Deus para livrar o Seu povo”
Uma Reunião Que Decidiu
2 - E sucedeu que, vendo o rei a rainha Ester, que estava no pátio, ela alcançou graça aos seus olhos; e o rei apontou para Ester com o cetro de ouro, que tinha na sua mão, e Ester chegou e tocou a ponta do cetro.
3 - Então, o rei lhe disse: Que é o que tens, rainha Ester, ou qual é a tua petição? Até metade do reino se te dará.
4 - E disse Ester: Se bem parecer ao rei, venha o rei e Hamã hoje ao banquete que tenho preparado para o rei.
5 - Então, disse o rei: Fazei apressar a Hamã, que cumpra o mandado de Ester. Vindo, pois, o rei e Hamã ao banquete, que Ester tinha preparado
Aquela que para Hamã seria a última reunião para Hamã mantar matar o povo judeu se tornou a sua primeira fase de desgraça, porquanto Ester agiu com sabedoria e o induziu a pensar que ela nada faria pelo seu povo, mas ela era o próprio socorro de Deus, desde o seu nascimento, mesmo sendo uma órfã ela se entregou ao jejum e oração e assim pode ter sabedoria e habilidade para forjar passo a passo o Plano que impediria a morte dos Judeus, dentro de Susã e no reino de Assuero.
O que queremos?
Ser parte do plano de redenção?
Ou ser omisso, salvando a própria pele?
Em uma ou outra decisão saberemos que Deus tem redenção e solução e um socorro para seu povo.
Pois, Deus já tocou no coração do rei para libertar o seu povo.
6 - Disse o rei a Ester, no banquete do vinho: Qual é a tua petição? E se te dará. E qual é o teu requerimento? E se fará, ainda até metade do reino.
Deus mantém a sua Promessa com Israel
Purim – a nossa “sorte” está nas mãos de Deus e não de qualquer Hamã que se levante contra o Povo da Cruz!
“No primeiro mês (que é o mês de Nisã), no ano duodécimo do rei Assuero, se lançou Pur, isto é, a sorte, perante Hamã, para cada dia, e para cada mês, até ao duodécimo mês, que é o mês de Adar. E Hamã disse ao rei Assuero: Existe espalhado e dividido entre os povos em todas as províncias do teu reino um povo, cujas leis são diferentes das leis de todos os povos, e que não cumpre as leis do rei; por isso não convém ao rei deixá-lo ficar. Se bem parecer ao rei, decrete-se que os matem; e eu porei nas mãos dos que fizerem a obra dez mil talentos de prata, para que entrem nos tesouros do rei. Então tirou o rei o anel da sua mão, e o deu a Hamã, filho de Hamedata, agagita, adversário dos judeus. E disse o rei a Hamã: Essa prata te é dada como também esse povo, para fazeres dele o que bem parecer aos teus olhos.” Ester 3:7-11
Hamã entendeu, por causa dos modos de Mordecai, em não se curvar diante dele que deveria destruir toda a nação de Mardoqueu, ou seja, os judeus.
Devemos nos ater que o socorro de Deus a ser enviado através de Ester se deu, por causa da Promessa de Deus a seu Povo. Era uma luta no plano físico, mas ia além, era uma luta espiritual, contra o próprio YHWEH.
E Hamã era alguém poderoso no grande reino, sendo o segundo no comando, estendendo da Índia até Etiópia (Ester 1:1).
Ele sabia que após o rei assinar o Mandato nenhum Judeu sobreviveria ou poderia impedir que cumprisse suas ameaças.
Só não contava com um socorro inesperado de Deus: a rainha Ester, uma mulher aparentemente frágil.
Ora! Se acontecesse esta matança e destruição dos Judeus, a questão é como Cristo nasceria?
Deus houvera prometido à Abraão (Gênesis 17:7 e Gálatas 3:16) e mais tarde a Davi que de seu povo sairia o Cristo.
E as promessas profetizadas por Isaias:
“Que confirmo a palavra do seu servo, e cumpro o conselho dos seus mensageiros; que digo a Jerusalém: Tu serás habitada, e às cidades de Judá: Sereis edificadas, e eu levantarei as suas ruínas; Que digo à profundeza: Seca-te, e eu secarei os teus rios. Que digo de Ciro: É meu pastor, e cumprirá tudo o que me apraz, dizendo também a Jerusalém: Tu serás edificada; e ao templo: Tu serás fundado.” Isaías 44:26-28
Satanás usava Hamã contra a mantença da linhagem crística. A promessa sobre Jesus Cristo poderia não se cumprir e todo o plano de Salvação de Deus falharia.
Todos os planos de Hamã não eram apenas xenófobos ou discriminatórios, eram diabólicos.
Satanás usava Hamã tentando cancelar as promessas, de salvação, matando todos os judeus.
A posição de Ester respondeu a questão: quem Deus encontraria, com capacidade de defender suas promessas?
Se houver um momento destes que surja um Mordecai para nos avisar:
“Não imagines no teu íntimo que por estares na casa do rei, escaparás só tu entre todos os judeus. Porque, se de todo te calares neste tempo, socorro e livramento de outra parte sairá para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino?" Ester 4:13-14
Que eu me veja sendo resposta de Deus para ajudar sua Igreja, mesmo sendo o menor!
Fonte
Chabad
Verdades bíblicas
Bíblia Dake
Bíblia Plenitude

Apontamentos

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical