quinta-feira, janeiro 31

O BATISMO DE JESUS -LIÇÃO 05-2008 -CPAD

LIÇÃO 05-2008
Autor deste comentário: Osvarela
Batismo – baptisma - do verbo baptizo: mergulhar, imergir.
Baptisma enfatiza o resultado do ato em vez do ato em si.
No batismo cristão, a ênfase está na identidade da pessoa batizada com Cristo na sua morte, sepultamento e ressurreição.
A palavra descreve a experiência de uma conversão da aceitação inicial por Cristo para a iniciação à comunidade cristã.
A imersão de todo corpo, em água corrente, sendo possível, era um meio de limpar toda a cerimonial impureza. Is.1.16 Lavai-vos, purificai-vos;
Além das cerimônias de lavagens do corpo, havia, entre os judeus, o hábito de batizar os convertidos ao Judaísmo, os prosélitos.
Os judeus não ficaram surpreendidos ao virem João batizar, mas com o fato dele batizar, e concita-los ao arrependimento: “Então , porque batizas, se não és o Cristo...?” – Jo. 1.25
O batismo dos prosélitos era visto com naturalidade, pois eram considerados impuros e imundos.
O batismo era realizado em água corrente, como em outras cerimônias de purificação – água viva.
No batismo cristão, a lavagem tornou-se o sinal da purificação da alma, sinal da purificação moral, ao passo de que o batismo de João era intermediário entre o cerimonial dos judeus e o emblemático e espiritual dos Apóstolos.
O batismo de João achava-se mais ligado às lavagens do cerimonial mosaico do que o do rito cristão.
O batismo cristão acha-se dum modo especial em conexão com o dom do Espírito Santo.
Enom – gr. – Fontes – localizada no lado ocidental do Rio Jordão.
Margem do rio – definida pelo sentido das águas; pela águas que correm em direção ao mar ou a correnteza abaixo, chama-se margem direita e vice e versa.A margem direita do rio Jordão é aquela que desce em direção ao Mar morto, do norte para o Sul de Israel, a margem esquerda é aquela que está no lado da Jordânia, ou na cabeceira ao lado da região de Decápolis.
INTRODUÇÃO:
Esta é uma daquelas Lições que deverá trazer muitas perguntas, aos professores.
Trata-se nada menos de procurarmos entender dentro da Cristologia qual era a necessidade de Jesus, como aprendemos até aqui, humano e divino, passar pelo processo do batismo de João, sendo que o batismo de João era para o Arrependimento.
O próprio batizador – João – O Baptista – se admira e se recusa a batizar, o batizando mais importante de sua curta carreira de batizador em Israel, o seu primo Jesus de Nazaré, por quem o seu espírito exultava, mesmo antes de nascer, dentro do ventre de sua mãe, aos seis meses de idade; demonstrando humildade e compreendendo a responsabilidade do que lhe foi revelado pelo próprio Deus, “Eu não o conhecia; mas o que me enviou a batizar em água, esse me disse: Aquele sobre quem vires descer o Espírito, e sobre ele permanecer, esse é o que batiza no Espírito Santo.”
Observação em Destaque:
Estes trechos são interessantes pois nos mostram, primeiro que uma criança, tem sentimentos independentes aos de sua mãe, ou seja, é um ser total.
Segundo há uma comunicação espiritual entre os nossos espíritos, quando somos de Deus, demonstrando que a criança já conhece o que é de Deus, como podemos entender no Salmo 139 e Mateus 21.16: “Da boca de pequeninos e de criancinhas de peito suscitastes ou tirastes perfeito louvor?”
Continuação da Introdução:
Voltando ao pensamento principal, João sabia que não poderia, usar para aquele especial candidato, as mesmas palavras que ele, pronunciava ao povo, e em especial aos fariseus e saduceus, que lhe procurava, no Rio Jordão oriental (margem direita- onde hoje se realizam batismo de caravanas, dos que vão a Israel), e no lugar conhecido como Enom (margem esquerda), como mostram os dois textos abaixo:
JOÃO 1.28: Estas coisas aconteceram em Betânia, além do Jordão, onde João estava batizando.
JOÃO 3.25-26: Surgiu então uma contenda entre os discípulos de João e um judeu acerca da purificação. E foram ter com João e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tens dado testemunho, eis que está batizando, e todos vão ter com ele.Desta forma, procuraremos com base na Bíblia, levar o leitor ao entendimento da necessidade ou não de que Jesus, precisava passar pelo batismo.
A REVELAÇÃO DE JESUS COMO O CRISTO DE DEUS NO BATISMO:
Notemos que estamos seguindo, seqüencialmente, acompanhando a vida de Jesus Cristo, pela narrativa do Evangelho de Lucas, após a sua infância, tema da lição anterior.
João O Baptista é nesta quadra histórica e espiritual de Israel, o grande líder e destaque espiritual.
João foi, até mesmo, questionado se ele era O Cristo: “Ora, estando o povo em expectativa e arrazoando todos em seus corações a respeito de João, se porventura seria ele o Cristo”, tal a importância do seu Ministério naquele momento na vida de Israel.
O povo afluía para aonde João estava.
Toda sociedade de Israel, do menor ao maior, ia ter com ele, não só para serem batizados, mas porque ele estava resgatando em Israel o temor ao Senhor Jeová, dando nova vivacidade ao povo em relação a esperança salvífica ou redentiva da Glória de Israel, e como Jesus ainda não manifestara o seu Ministério, e ele João estava preparando o caminho: [“como está escrito no livro das palavras do profeta Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai as suas veredas”.], o povo turbou-se sem entender estes últimos e ardentes acontecimento, mas, ficou ao mesmo tempo alegre e confuso, com tudo que acontecia.
Vemos pelas Escrituras, que as multidões, os soldados, até mesmo as meretrizes e as mais altas classes: os publicanos, fariseus e saduceus, ou seja, toda classe de gente, vinham até ele, para serem batizados e perguntarem à respeito de como procederem após o batismo de Arrependimento, pensando em seus corações, ser ele o Cristo.Lc.3.10.15:Ao que lhe perguntavam as multidões: Que faremos, pois? Respondia-lhes então: Aquele que tem duas túnicas, reparta com o que não tem nenhuma, e aquele que tem alimentos, faça o mesmo. Chegaram também uns publicanos para serem batizados, e perguntaram-lhe: Mestre, que havemos nós de fazer? Respondeu-lhes ele: Não cobreis além daquilo que vos foi prescrito. Interrogaram-no também uns soldados: E nós, que faremos? Disse-lhes: A ninguém queirais extorquir coisa alguma; nem deis denúncia falsa; e contentai-vos com o vosso soldo.
Mateus3.6.7: e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. Mas, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus que vinham ao seu batismo, disse-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira vindoura?
O batismo de Jesus é uma ponte entre o Jesus desconhecido como Cristo e o Cristo Revelado, senão vejamos.
Quando Jesus É BATIZADO, João alcança imediatamente a Plenitude da Revelação de quem era Jesus, até agora mesmo, para ele seu primo, como demonstrado pela Palavra de Deus, acima.
Leia a declaração da Revelação de João, ao ver Jesus saindo das águas após o seu batismo:
E João deu testemunho, dizendo: Vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele. Eu não o conhecia; mas o que me enviou a batizar em água, esse me disse: Aquele sobre quem vires descer o Espírito, e sobre ele permanecer, esse é o que batiza no Espírito Santo. Eu mesmo vi e já vos dei testemunho de que este é o Filho de Deus.No dia seguinte João estava outra vez ali, com dois dos seus discípulos e, olhando para Jesus, que passava, disse: Eis o Cordeiro de Deus!
Note nestas passagens bíblicas, que João foi avisado por Deus, de que maneira ele poderia identificar o Filho de Deus e Cordeiro de Deus, a Salvação de Israel, e ele, com toda ênfase, afirma: Eu mesmo vi! Nós podemos dizer o mesmo?
Glória a Deus, que continua pelo Espírito Santo, nos revelando esta verdade.
A DIFERENÇA NO BATISMO DE JESUS E DOS DEMAIS BATIZADOS POR JOÃO - O BAPTISTA:
Quando há candidatos ao batismo em nossas Igrejas, somos obrigados a lhes ensinar o que é o batismo ou o ato pelo que vão passar.
Ensinamos preliminarmente ou de maneira básica, que se trata de um ato, no qual estamos declarando ao Mundo espiritual ou físico, que nos arrependemos de nossos pecados, como faziam os judeus ao serem batizados por João.
Na hora do ato, nós os Ministros fazemos perguntas aos batizandos, os quais devem declarar que estão de acordo, (podem variar um pouco na liturgia evangélica), da mesma forma os batizandos de João, vinham e confessavam os seus pecados publicamente, nós não temos a fraseologia do ato, mas por interpretação do texto, podemos inferir que eles se declaravam arrependidos de seus pecados e os confessavam:
MATEUS 3.1.6ss:Naqueles dias apareceu João, o Batista, pregando no deserto da Judéia, dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus...Então iam ter com ele os de Jerusalém, de toda a Judéia, e de toda a circunvizinhança do Jordão, e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.
No momento e durante o Batismo de Jesus reside grande diferença entre tantos que foram batizados por João -“multidões que saíam para ser batizadas por ele” - : Jesus batizado por João foi o único batizando de João que não tinha pecados a confessar, nem antes, nem durante, a sua vida como homem.
Lucas 23.14: e disse-lhes: Apresentastes-me este homem como pervertedor do povo; e eis que, interrogando-o diante de vós, não achei nele nenhuma culpa, das de que o acusais;
II Co.5.21: Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós;
PORQUE JESUS NECESSITOU PASSAR PELO RITO DO BATISMO:
Podemos entender que para ser Remidor da Humanidade, pelo processo Federativo, de cabeça da Federação dos Homens, a Humanidade, Jesus o Último Adão (I Co. 15. 45-49: ...O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante...O primeiro homem, sendo da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Pois como em Adão todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados.... Hebreus 8.7: Pois, se aquele primeiro fora sem defeito, nunca se teria buscado lugar para o segundo.) não poderia ter pecados, como o primeiro Adão edênico, até então o Capitão da Federação da Humanidade Pecadora, sem condição de resgate; pois os homens são em essência pecadores: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”
Como os israelitas foram batizados em Moisés, assim nós somos salvos em Cristo, pois como Segundo e último Adão, Cristo é a Cabeça da Federação dos Justos, é a Cabeça da Igreja (Efésios 5.21 ss: também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo...como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, a fim de a santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela palavra...), tendo autoridade para tal, tendo em vista, ter cumprido toda a Justiça de Deus no ato do Seu Batismo.
O processo que o homem Jesus, devia passar está exarado na declaração D’Ele próprio a João – O Batista - : Mt. 3.13: Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João o impedia, dizendo: Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? Jesus, porém, lhe respondeu: Consente agora; porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele consentiu.
Este processo como lemos no texto bíblico, incluía o processo do Batismo, como homem.
È difícil de entender ou mesmo aceitar? É.

Porém, mesmo que Jesus “se declarasse pecador”, Ele não estaria confessando nenhum pecado SEU, neste ato declaratório, Ele estaria com base nos textos acima, assumindo a minha e a tua culpa e de todos quanto ainda virão a crer em Seu Nome, pois Ele não era como o Salmista, que se descobriu pecador desde o nascimento: “Eis que eu nasci em iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe.” Esta declaração do salmista, infere: declarar-se filho completo de Adão, com as duas sementes de pecadores, [Adão e Eva], o que não ocorreu com Jesus, como diz, o texto citado.
Ou seja, o Homem Jesus de Nazaré, filho de Maria, O carpinteiro, não cometeu pecado algum, e não foi concebido ou gerado em pecado tal como o Salmista, tal como Isaías, tal como eu e você, mas de uma forma milagrosa e impossível, leia o texto: “Maria perguntou ao anjo: Como... uma vez que não conheço varão? Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus.”
Nascido Filho de Deus, reconhecido por Revelação a João, como Cordeiro de Deus, concebido sem pecado, gerado por Obra e Graça do Espírito Santo.
No entanto, para o pleno cumprimento do Plano de Deus, necessitou passar pelo Juízo de Deus, “deixa por agora, consente, pois.. me é necessário cumprir toda a justiça”, ou seja, colocar-se sob o juízo de Deus integralmente, representado pela sentença que soa desde o Gênesis, desde o Éden, desde aquele fatídico momento pós-pecado adoevênico, “porque o salário do pecado é a morte” ;tudo para que nada frustrasse o Plano de Deus: A Salvação de toda Humanidade.
Este ato de Jesus, imergindo nas águas do Jordão, pelas mãos de João, representa, a humildade da kenosis de Filipenses 4, a verdade da Encarnação de João 1, o Amor do Pai em não poupar seu Unigênito de João 3.16, e descrito em Romanos 8.32 [“Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas?”] é uma declaração de que como homem, Ele não falhou como o Primeiro Adão, e assim, permitiu-nos que por Ele nós tivéssemos o direito à Vida Eterna, não se importando, em se humilhar, mesmo sem pecado algum, passando pelo Rito do Batismo de João como todos os seus contemporâneos, nos dando o exemplo.
Hebreus 4.15:Tendo, portanto, um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou os céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.
No significado do ato batismal, relatado no trecho de Romanos, temos a compreensão clara do significado que o Batismo de Jesus, tem para Igreja. II Co.5.21: Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós.
ROMANOS 6.1ss:
Que diremos, pois? ...Nós, que já morremos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte.
Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.
Batizados em Cristo, como?
Batizados no ato da mortificação que representa o batismo, “não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como o de trigo, ou o de outra qualquer semente.”, já nos falava do seu ato principal que havia de se cumprir com sua morte e ressurreição, pois infere-se também no batismo em águas o sepultamento da carne, para nascimento do espiritual, desta forma somos primícias com Jesus, no Batismo.
Era necessário por tudo isto, que Ele passasse pelo Batismo de João.
SIGNIFICADO PARA NÓS:

I CORINTIOS 10: 1- 4: Pois não quero, irmãos, que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar; e, na nuvem e no mar, todos foram batizados em Moisés, e todos comeram do mesmo alimento espiritual; e beberam todos da mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os acompanhava; e a pedra era Cristo.
Ao lermos este texto e os anteriores e os abaixo, nós temos, através dos mesmos, uma visão, pela qual, Cristo se insere no contexto do rito do Batismo, como homem.
O Apóstolo Paulo, obtém e nos deixa uma profunda Revelação, talvez única, à respeito do que significou o batismo de Jesus e também o batismo de todos nós. (I Co. 12. 13: Pois...fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livre...)
O BATISMO DE JESUS FOI:
Agora podemos entender porque Jesus O Cristo disse: "Ide ...batizando-os em o nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ou Ide.. quem crer e for batizado será salvo...", pois o batismo de Jesus, foi:
Cumprimento do Plano de Deus;
Cumprimento da Justiça de Deus em todos os Homens;
Identificação de Deus com os homens, por seu Filho;
Submissão exemplar de Jesus, para nós;
Marca da posterior União da Igreja com Cristo.

Fonte:
Dicionário Bíblico universal – Buckland
Bíblia digital – cortesia Tio Sam
Bíblia ARC = IBB – RJ
Enciclopédia O S Boyer
Apontamentos do autor deste comentário

7 comentários:

Daladier Lima disse...

Excelente comentário. Já imprimi e vou utilizar na EBD.

Abraços,

http://daladier.blogspot.com - Reflexões Sobre Quase Tudo!

Osiel Varela disse...

Grato pela seu comentário.
Vindo do Irmão é gratificante, pois indica que estamos alcançando o alvo:divulgar as verdades bíblicas, com a ajuda do Espírito Santo; nosso alvo é ajudar ao povo de Deus crescer na Graça e no Conhecimento, à Ele toda a Honra, Louvor e Glória, pois a Palavra é D'Ele.

thomp disse...

Bom dia Pastor, li seu estudo e fiquei curioso sobre a questão do ultimo versículo exposto:

"Ide ...batizando-os em o nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ou Ide.. quem crer e for batizado será salvo...", pois o batismo de Jesus, foi:

Pastor, o Senhor pode me ajudar como posso interpretar este versículo no que se refere - CRER E FOR BATISADO SERA SALVO -

Seria para sermos salvos temos que ser batizados?
Ou podemos ser salvo só em anunciar que cremos e aceitamos a Jesus?
Como podemos entender essa situação?

Perdão se estou usando seu tempo, é que este assunto me incomoda.

Aguardando sua resposta...
Um cordial abraço...

Thompson Bahiense


thompsonbc@hotmail.com

Anônimo disse...

Obrigado por Blog intiresny

Luxus Bijuterias disse...

Se Jesus foi foi batizado por nós e nós fomos incluidos no seu batismo, então nao precisaríamos nos batizar. Pois, se Ele morreu para que não precisássemos morrer.

Carlinhos Candido disse...

Muito boa à materia . Parabéns me foi muito últil. Shalom!

Carlinhos Candido disse...

Muito boa à materia . Parabéns me foi muito últil. Shalom!

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical