sexta-feira, junho 26

AMOR, A VIRTUDE SUPREMA - LIÇÃO 13 - CPAD - 2º TRIMESTRE 2009

AMOR, A VIRTUDE SUPREMA.
Lição 13 – CPAD Autor: Osvarela
Texto Áureo: Rm. 5.5 - E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
Leitura Bíblica em Classe: I Co. 13.1-8,13.
Trecho complementar, em conteúdo:

I Co. 13.9. Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Pensamento Devocional:
O evangelho de Cristo exala o Espírito de amor santo, ou seja: O amor é o cumprimento de todos os preceitos dos evangelhos. O amor é a garantia de todas as alegrias do evangelho. O amor é a evidência do poder do evangelho. O amor é o fruto maduro do Espírito (Gálatas 5.22-23)”. Ernest Reisinger
1- Pequeno glossário:
Etimologia da palavra: “Leviano” tem a mesma origem etimológica de “leve”. Encontramos o mesmo sentido no uso da expressão inglesa “to take it lightly” ou da francesa “prendre à la légère”, ambas literalmente “tomar com leveza”. Sau`loz: delicado, leviano, vacilante. cf. ISIDRO,
INVEJA: s.fm.- Desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outrem; desejo violento de possuir o bem alheio. (AURÉLIO).
O verbo lisonjear, empregado no texto, pode também significar: elogio para obter estima ou prestígio; louvor a si mesmo com interesse.
Pleroma - número completo, complemento total; medida completa;abundância, plenitude, o que foi completado;enfatiza a plenitude / perfeição.
Pleroma tõn kairõn – plenitude dos tempos. Ef. 1,10.Cumprimento das intervenções histórico-redentivas de deus anteriores, no decorrer do tempo do mundo.
Negligência: falta não intencional daquele que se omite no cumprimento de um ato que lhe foi determinado.
Concupiscência dos olhos: ambição; desejo de possuir; atração pelas belezas do mundo — do original kosmos (grego), ou ordem, ornamento (cosmético);
Cioso – adj. Ciumento; zeloso, cuidadoso.
Ciúme – sm. Angústia provocada por sentimento exarcebado de posse.
Zelos – ciúme. Desvelo, por alguém, ou por alguma coisa.
Suspeitoso – adj. Que tem suspeita ou receio.
Soberba, do grego superbios, ou superephanos ou superestimar a si mesmo; altivez; o contrário da humildade;
I – Introdução:
I Tm. 1.5.Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro.
Esta lição final deste trimestre é a Excelência da Vida Cristã: AMOR.
Ela elabora questionamentos em nossa mente, para que, possamos verificar se tudo que praticamos está amparado pelo conteúdo-extrato da vida cristã, conforme o texto acima.
Se conseguirmos viver amparados por Jesus e seu espírito Santo, de tal maneira, que possamos encontrar em nosso viver indicadores de que a nossa qualidade de vida espiritual espelha o que o Capítulo 13 de I Epístola aos Coríntios nos ensina, então poderemos agradecer a deus que através do Seu Santo Espírito nos permitiu com sua Graça _ Jesus, nos fazer cristãos na acepção da Palavra.
Este é o cotejo, que esta lição vai trazer a cada mente e coração, será o sinete comparativo, a balança de nossas ações prescutando o homem interior, atento, dentro de cada um de nós, chamados de cristãos.
Mas, se não passarmos neste crivo, ainda há esperança, pois o Evangelho de Jesus o Evangelho do qual Paulo diz “o meu Evangelho, ou o nosso Evangelho” é um Evangelho do Perdão através do arrependimento em vida de todas s ações que não forem encontradas em nós ao estudarmos esta lição, que só se alcança com a Virtude Suprema – Amor.
Se você não chegou a ser aprovado num primeiro momento, não fique triste que ainda há esperança para nós, ainda não é o teu fim, na é este o fim que Deus deseja para você: Jr.29.11. Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança...
II - O Amor pelas vidas:
Gn. 18:26 – 32. Então disse o Senhor: Se eu em Sodoma achar cinqüenta justos dentro da cidade, pouparei a todo o lugar por amor deles. E continuou ainda a falar-lhe, e disse: Se porventura se acharem ali quarenta? E disse: Não o farei por amor dos quarenta. - E disse: Eis que agora me atrevi a falar ao Senhor: Se porventura se acharem ali vinte? E disse: Não a destruirei por amor dos vinte. - Disse mais: Ora, não se ire o Senhor, que ainda só mais esta vez falo: Se porventura se acharem ali dez? E disse: Não a destruirei por amor dos dez.
O amor na Igreja pode ser demonstrado pelo amor que temos pela salvação daqueles que não têm a Cristo, como Salvador.
Hb. 13:1 - PERMANEÇA o amor fraternal.
O escritor aos Hebreus, em consonância com o contexto deste Trimestre, nos orienta a construir uma ponte no meio da Igreja de Cristo, baseada na ação do Amor Fraternal, ou seja, o amor entre os irmãos, sem a qual, seremos tal qual, como a Igreja de Corinto uma Igreja esfacelada pelas disputas sem fim e sem direção, tal qual crianças birrentas ou como maniqueístas, ou egoístas querendo sempre, ver o lado do meu ego.
Crentes egocentrados não podem usufruir deste benefício do amor fraternal!
Hb. 13.18. ... Orai por nós, porque estamos persuadidos de que temos boa consciência, sendo desejosos de, em tudo, portar-nos corretamente.
1Jo 4:7 - Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
1Jo 4:8 - Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.

III - O que é o Amor definido pela Bíblia Sagrada e Revelado por Paulo em I Co. 1?
Parâmetro da vida cristã.
Parâmetro da divina ação.
Parâmetro da riqueza eterna
Parâmetro das riquezas temporais.
Parâmetro do relacionamento humano
Parâmetro da Graça de Deus.

Parâmetro revelador do Caminho mais excelente, na vida com Deus.
IV - Volto a publicar o quadro sobre o que é o Amor:
Ele, nos fala sobre o Caminho mais Excelente do Amor e suas peculiaridades próprias, em se ter Amor e em não se ter Amor:
Como finaliza o quadro:Amor é um dos termos mais dinâmicos que Paulo emprega Para referir-se à vida santa habilitada pela plenitude do Espírito. Inclui motivação e ação. O amor é característica do cristão maduro.
V – Dar tudo e não ter nada:
Muitos vivem uma vida de pretensa caridade, com doações aos pobres, aliás um ato orientado pelas escrituras, mas o em busca de acalmar o coração pelo sentimento da necessidade de encontrar um caminho para salvação de suas almas.
A famosa dicotomia de Tiago:2.18. Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras”.
Mas, Paulo neste texto revela o mistério do verdadeiro amor, não bastam as obras, elas são finitas e perecíveis, sem amor nada seria, seria como o sino que tine, mas seu som se espalha e desaparece nas ondas do ar.
Mas, o Amor é duradouro e produzirá Obras maiores que, serão demonstradas pela ação deste Amor verdadeiro em Obras.
I Co.13.3. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
Mt.19.21. Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me.
Parecem contrastante os dois versículos acima, mas são na realidade consensuais entre si, pois tratam do desprezo, que só o verdadeiro amor, e em especial Amor a Deus pode trazer, ao homem, pelas coisas materiais, pois as espirituais passam a ser mais valiosas do que qualquer bem terreno, quando comparadas com as bênçãos da Salvação, sob a ótica do Amor, como a Virtude Suprema, que nos traz todo o bem, não só nesta vida, mas em especial na vida eterna em Cristo, “charis to teo” ao homem sem esperança.
VII - O QUE NÃO É AMOR:
A- Inveja:

"Ciúme é querer manter o que se tem; cobiça é querer o que não se tem; inveja é não querer que o outro tenha. E que prestem atenção: a inveja é um vírus que se caracteriza pela ausência de sintomas aparentes. O ódio espuma. A preguiça se derrama. A gula engorda. A avareza acumula. A luxúria se oferece. O orgulho brilha. Só a inveja se esconde”. Do texto Inveja- Zuenir Ventura.
4 . o amor não é invejoso;
De todas as características que são vulgares na natureza humana, a inveja é a mais desgraçada. O invejoso não só deseja provocar o infortúnio e o provoca sempre que o pode fazer impunemente, como também se torna infeliz por causa da sua inveja. Em vez de sentir prazer com o que possui, sofre com o que os outros têm”. A Conquista da Felicidade: Bertrand Russel
Prov. 14:30. O ânimo sereno é a vida do corpo, mas a inveja é a podridão dos ossos.
A palavra inveja, em hebraico quinah, significa literalmente ambição.
A inveja é algo tão pernicioso, tão totalmente contrário ao Amor que ela atinge até aos ossos como uma doença destruidora e letal.
Ou é tão amarga que é capaz de incitar a fúria à crueldade, com ímpeto danoso na relação dos santos.
Paulo ao escrever aos Coríntios ministrava, através deste capítulo, algo como um Bálsamo de Gileade, para servir de um antídoto contra o veneno da falta da caridade que dividira a Igreja local e deixara marcas profundas naquela Comunidade cristã.
Eles como muitos de nós, precisamos, incluindo-me, de que a verdadeira caridade penetre nas juntas ossos e medula de nossas vidas para que sejamos crentes de fato e não crentes de forma legal, mas crentes inscritos no Livro da vida e não no rol de membros de nossa Igreja local, mas no rol da membresia da Igreja que será arrebatada e tem seus nomes escritos nos Livros celestiais.
Dn.7.10. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros.
Ap. 20:12 - E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.
Lc. 10.20.
Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.
“Cruel é o furor e impetuosa a ira, mas quem pode parar na presença da inveja?” (Pv 27:4)
- Inveja é o desejo por atributos, posses, status, habilidades de outra pessoa. Não é necessariamente associada à um objeto: sua característica mais típica é a comparação desfavorável do status de uma pessoa em relação à outra.
1 -A Inveja tem cor e produz dor!
É comumente associada à cor verde, como na expressão "verde de inveja".
A frase "monstro de olhos esverdeados" (green-eyed monster, em inglês) se refere a um indivíduo que é motivado pela inveja.
A expressão é retirada de uma frase de Otelo de Shakespeare. Nesta famosa peça de teatro OTELO de Shakespeare, a inveja aparece associada ao ciúme.
Outra expressão muito comumente usada no dito popular, para designar a inveja é a dor de cotovelo.
A inveja é um verme que corrói o mérito e a glória”. Francis Bacon, filósofo inglês.
Como a inveja entra no coração:
Sl 36:2b “... e diz que a sua iniqüidade não há de ser descoberta nem detestada”.
A inveja penetra no indivíduo através dos olhos [Concupiscência dos olhos], eleva o ego e traz a glória para si; depois o invejoso julga, diz a Palavra de Deus.
Mt.6. 22,23. A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas!
B - Leviano:
4. O amor não trata com leviandade,
- “Leviano”:

Em português, essa palavra é sempre malvista: isto é, leviana é a pessoa que não pesa devidamente ou não sabe dar o peso devido aos problemas ou situações enfrentadas.
- Leviano [do espanhol leviano] – 1. Leve; que tem pouco peso; que exige pouco esforço. ...
Muitos de nós deixamos nos levar pelas questões da vida e negligenciamos a caridade como um mandamento, tal qual, Paulo nos exorta a ter para com os da Igreja ou nossos próximos.
- Negligência: falta não intencional daquele que se omite no cumprimento de um ato que lhe foi determinado.
C - Soberba:
"Soberba é o sentimento negativo caracterizado pela pretensão de superioridade sobre os demais”.
Segundo São Tomás de Aquino, a soberba era um pecado tão grandioso que, deveria ser tratado em separado do resto e merecendo uma atenção especial.
Aquino tratava em separado a questão da vaidade, como sendo também um pecado, mas a Igreja decidiu unir a vaidade à soberba, acreditando que neles havia um mesmo componente de vanglória, devendo ser então estudados e tratados conjuntamente.
D - Não se ensoberbece.
Salmos 73.6-8.
Por isso a soberba os cerca como um colar; vestem-se de violência como de adorno.Os olhos deles estão inchados de gordura; eles têm mais do que o coração podia desejar.São corrompidos e tratam maliciosamente de opressão; falam arrogantemente
I Co.4.18,20. Mas alguns andam ensoberbecidos, como se eu não houvesse de ir ter convosco. Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei. Não as palavras dos que andam ensoberbecidos, mas o poder. Porque o reino de Deus não consiste em palavras [que demonstram soberba.], mas em poder [autoridade sobre a soberba].
Soberba da vida: Deus resiste o soberbo, mas concede graça aos humildes (Tg 4.6. Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. 1 Pe 5.5... e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.).
A Lição que Paulo nos quer dar na Revelação sobre a Caridade é que, devemos exercer a caridade como um ato de sujeição uns para com os outros, sem esta posição de humildade, jamais teremos vitória sobre a soberba e nunca exerceremos a verdadeira Caridade.
E - Indecência:
5 Não se porta com indecência,
Paulo ao falar sobre a indecência quer:

Estava apontando quanto à forma como os Coríntios se conduziam como Igreja, falava que lhes faltava o porte de cristão, ou seja, alguém que tem a vida pautada por posições e comportamento que o identifique como um seguidor de Cristo, ou que “ande como Ele andou”.
Isto é ter porte de cristão, é ter um porte decente em todas as atitudes da vida, mormente na Caridade.
- Indecência no porte da vida pautada pela concupiscência;
- Indecência demonstrada pelo desprezo aos outros menos favorecidos;
- Indecência em relação a vida espiritual;
- Indecência suscitada pela falta da caridade;
- Estudando a etimologia da palavra veremos que o prefixo in é uma forma de dizer que tal palavra é o contrário da palavra adiante da qual foi colocado o prefixo in.
- Sendo assim In-decente significa tudo quilo que não é decente, ou seja, aquilo que não se pode propagar de forma aberta, pois fere os padrões normais de comportamento de que preza a verdade.
- Portanto, a vida cristã não pode carecer da falta da caridade e não se pode apregoar contra ela, pois seremos indecentes no nosso modo de agir.
- Sede santo, como Eu o Senhor sou Santo.
A Santidade de Deus é estabelecida sobre parâmetros únicos, sendo o principal deles o Amor.
F - Interesseiro:
5 . Não busca os seus interesses...
A antítese do interesse pessoal.
Rm. 12.10.
Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.
“A transgressão fala ao ímpio no íntimo do seu coração; não há temor de Deus perante os seus olhos. Pois em seus próprios olhos se lisonjeia, e diz que a sua iniqüidade não há de ser descoberta nem detestada.” (Sl 36:1-2)
O verbo lisonjear, empregado no versículo acima, pode também significar: elogio para obter estima ou prestígio; louvor a si mesmo com interesse.
G - Irritadiço ou irritante:
5 .Não se irrita...
H - Malicioso:
Salmos 34. 21 .
A malícia matará o ímpio, e os que odeiam o justo serão punidos.
Inseguro ou doente de ciúmes
Não suspeita mal:
I Co. 14. 20. Irmãos, não sejais meninos no entendimento; na malícia, contudo, sede criancinhas, mas adultos no entendimento.
Rm. 1. 29. Estando cheios de toda a injustiça, malícia, cobiça, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, dolo, malignidade;
Salmos 73.6-8. Por isso...Os olhos deles estão inchados de gordura; eles têm mais do que o coração podia desejar.São corrompidos e tratam maliciosamente...
J - Suspeitoso:
5. não suspeita mal... [o amor não é invejoso...]
Como a inveja ou atitudes de ciúmes que, são a causa de mortes, em muitos casos, mas o zelo sendo uma qualidade boa, quando se torna em ciúmes é perniciosa, desta forma precisamos entender que, há formas zelosas e formas zelosas, sim!
Há zelo que se torna em ciúmes e leva a tragédias, até para o povo de Deus. O zelo pode ser negativo ou positivo, porém a inveja é sempre negativa.
Zelo Negativo: A ação do Rei Saul contra os Gibeonitas favoreceu a ira de Deus sobre Israel.
“Houve nos dias de Davi uma fome de três anos consecutivos. Consultou Davi o Eterno, e o Eterno lhe disse: É por causa de Saul e da sua casa sanguinária; porque matou os Gibeonitas. Chamaram o rei os Gibeonitas, e lhes falou (ora, os Gibeonitas não eram dos filhos de Israel, mas do restante dos Amorreus; os filhos de Israel lhes tinham jurado poupá-los, porém Saul procurou destruí-los no seu zelo pelos filhos de Israel e de Judá).” (2 Samuel 21:1-2)
O Apóstolo Paulo, na carta aos Romanos, testemunha que Israel tinha zelo de Deus, mas sem entendimento.
“Irmãos, o desejo do meu coração e a oração a Deus por Israel é para que se salvem. Pois lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas que não com entendimento. Visto que não conheceram a justiça de Deus, e procuraram estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à que vem de Deus. O fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê”. (Rm. 10:1-4)
Zelo Positivo: Podemos tomar como exemplo o Salmo 69: “... pois o zelo da Tua casa me consome, e as injúrias dos que Te afrontam caem sobre mim”. (
Sl. 69:9)
A Bíblia Sagrada fala do Zelo Positivo em: 2 Co 7:7...e não somente com a sua vinda, mas também pela consolação com que foi consolado de vós, contando-nos as vossas saudades, o vosso choro, o vosso zelo por mim, de maneira que muito me regozijei.”
Seja zeloso, mas não seja ciumento, ou invejoso, ou que suspeite mal, de alguma atitude de seus irmãos ou pares do Ministério, no sentido pelo qual, a palavra se torna um trauma para seu modo de viver, quem sofre de ciúmes transformado em inveja, sofre danos espirituais, ou se torna, um crente inseguro.
K - Injusto:
6 Não folga com a injustiça;
Um exemplo do uso da “justiça” interesseira ou a falsa justiça:
2Sa 15:4 - Dizia mais Absalão: Ah, quem me dera ser juiz na terra, para que viesse a mim todo o homem que tivesse demanda ou questão, para que lhe fizesse justiça!
A verdadeira justiça, ou aquela que deve nos inspirar:
2Sa 8:15 - Reinou, pois, Davi sobre todo o Israel; e Davi fazia direito e justiça
a todo o seu povo.
Dt 33:21 - E se proveu da melhor parte, porquanto ali estava escondida a porção do legislador; por isso veio com os chefes do povo, executou a justiça do Senhor e os seus juízos para com Israel.
No Brasil ecoa o clamor dos injustiçados a procura da Justiça, os legisladores precisam aprender com a Bíblia Sagrada sobre a execução da verdadeira justiça a: Justiça do Senhor!
2Sa 22:21 - Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça; conforme a pureza de minhas mãos me retribuiu.
O exercício da justiça produz um fruto aquele que a exerce, conforme a pureza que a exerceu.
Se você tem algo em suas mãos que pode ser utilizado em benefício de outros e você retira o direito do necessitado, seja, em teu próprio benefício ou para atribuí-lo a alguém por interesse você está sendo um falto de Caridade.
L - Falho ou descumpridor dos contratos:
8 O amor nunca falha;
A maior demonstração de amor foi o de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Ele deixou a sua Glória divina, no contexto de tê-la como Deus se humilhou e se tornou servo para cumprir o Compromisso do Pai, em resgatar o homem do pecado e da morte.
A confirmação da sua Caridade divina e verdadeira está dita no texto, que só Ele poderia exclamar: “Está Consumado”, ou seja, foi cumprido o que o Pai me ordenou.
a- Finito:
8. Mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão;
Por que Paulo ensina isto?
Porque estes dons foram dados para a edificação da Igreja como utilitários espirituais aqui na Terra.
Sendo assim, não serão mais necessários na vida futura, pois a Igreja ao ser arrebatada terá atingido a Pleroma previsto por Deus, o Pai, na Obra de Seu Filho e na Ação do Espírito Santo, na condução da Igreja aqui na Terra.
VIII - A finalidade do Amor:
A principal questão da ação do Amor, não é a finalidade terrena.
Como não?
A ação do Amor é conseqüência da ação divina eternalizadora que, alcançou o homem, desde a sua Criação.
Quando o homem foi criado havia uma expectativa divina de ter um adorador permanente e um dialogador eterno, mesmo sendo criado sob a qualidade material finita, distante da imaterial ou mística.
O norte de Deus era fazer do homem uma criatura que, andando, com Ele pudesse ser transportada para a vida Eterna pelo relacionamento calcado no Amor de Deus e pelo atributo deste Amor poder ser comunicável através desta relação.
- O exemplo de Enoque:
Veja o caso de Enoque.
Andou com Deus e Deus para si o tomou.
Enoque andando com Deus foi impregnado deste Amor, de tal maneira, que se tornou tão próximo de Deus, que a presença de Deus pelo seu Amor o envolveu e o levou para estar com ele.
Você levaria alguém que você não tivesse afinidade alguma para morar em sua casa para sempre?
Deus dá-nos este exemplo nos permitindo entender que a transcendência do Seu Amor foi tal que Enoque pode habitar com Deus eternamente.
Ele foi:
Justo e justificado pelo Amor.
Enoque foi benigno.
Foi absolutamente cumpridor da Aliança com Deus, por isto ele transcendeu, em seu tempo, e nós também seremos transformados, a finitude da vida física humana será retirada, de nossas vidas.
A inveja apodrece os ossos:
“O coração tranqüilo é a vida da carne, mas a inveja é a podridão dos ossos”. (Pv 14:30)
A melhor maneira de evitar o invejoso é fugir dele:
A inveja é destruidora:
“Cruel é o furor e impetuosa a ira, mas quem pode parar na presença da inveja?” (Pv 27:4)
IX - MENINOS NÃO PODEM AMAR:
I Co. 13.11. Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Ao estudar a Lição 13 deste trimestre deparei-me com o trecho dos versículos de 9 a12, que não faz parte do texto principal escolhido pelo autor deste Trimestre, Mestre Dr. em Teologia Pr. Antonio Gilberto.
Ouvi soar algo em meu coração sobre: meninos não podem amar.
O título da Lição é de um significado excelente:
Amor, A Virtude Suprema – um significado de idoneidade e crescimento maduro e adulto na vida de cada crente que esteve assentado nos bancos das nossas classes da EBD neste trimestre.
Ora, para alcançarmos a maturidade do Amor que a lição, ou melhor, Paulo cita em seu contexto deste capítulo, o que devemos ter?
Sem dúvida nenhuma, Paulo estava dizendo aos de Coríntios, que a situação deles era uma situação tal, que necessitavam de um crescimento, para atingirem a Plenitude necessária àqueles que querem entender, dominar, realizar sonhar, e ter discernimento, das coisas espirituais relacionadas com a “koinonia” cristã, a quais são impossíveis de serem entendidas, por meninos espirituais.
Meninos espirituais, não os nascidos hoje para a Igreja, pela conversão, mas Paulo os colocava como aquela fábula do Peter Pan, os de Corinto queriam continuar meninos a vida toda e não assumirem as suas responsabilidades entre si, no seio da Igreja e perante Cristo.
Isto determinava em suas vidas, um desprezo pela obra Salvadora de Cristo na cruz, pois sem responsabilidade, eles se achavam sempre meninos e meninos não fazem coisas de adulto, ou seja, não tem responsabilidades pelo que fazem, vivem em constantes brigas dentro da família.
I CORINTIOS 3.1. E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a
criancinhas em Cristo.
Vocês já viram como um grupo de crianças vê algum brinquedo e todos o querem para si ou brigam por dá cá uma palha ou desatam a rir sem parar, se o pai de família ou a mãe os tenta corrigir, aí é que eles não param mesmo?
Era assim que Paulo via a Igreja de Corinto, um grupo de infantes nas coisas de Deus.
Eles precisavam ter conhecimento próprio de suas dificuldades.
Eles agiam como meninos agem em relação ao colega ou irmão, procurando ser como os irmãos de José.
Ou como aqueles pintinhos que brigam todos por uma mesma minhoca.
É preciso passar a ter pensamento adulto, para poder AMAR, entendendo, o que seja, AMAR como Virtude Suprema, disponibilizada pelo Pai das Luzes, “no qual não há sombra de variação”, ou seja, temos que ter pensamento firmado, estabelecido, maduro para entender, o que seja esta Virtude Comunicável de Deus em nossas vidas.
No dia em que todos os cristãos amadurecerem, não apenas conjugaremos o verbo Amar ou pronunciaremos a palavra AMAR, mas desfrutaremos dela plenamente através de Jesus Cristo, a maior prova do Amor Supremo de Deus! Aleluia!
Aí entenderemos o texto do Apóstolo Paulo:
RM.12.10. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros;
Nada mais poderá impedir que nossos relacionamentos eclesiais, ministeriais, familiares ou com o nosso próximo, seja, descaracterizado por pequenas coisas que, se interpõem para nos impedir continuar amando nossos familiares, amigos, irmãos, companheiros de Ministério, desconhecidos, mendigos de rua, gente que passa por nós e nunca mais as veremos.
Somos enfim maduros, crentes adultos, nada poderá nos separar do Amor que há em Cristo Jesus nosso Senhor!
X - Alicerce para o Amor:
Rm.8.35.ss. quem nos separará do amor de Cristo?
a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.
Porque estamos alicerçados N’Ele!
Adultos, maduros, mas sobre que base nos ESTAMOS EDIFICADOS.

A Bíblia diz que: “aquele que edifica, veja como edifica”.
I Co.3.9.ss. Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei eu como sábio construtor, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.
Mt.7. 24,25. Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha. E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.
Devemos ser como edifícios espirituais, bem edificados, edifícios que não sofram abalos ou sejam, solapados em sua fundação pelas torrentes das tempestades desta vida.
Conclusão:
Encerrando este estudo, deparo-me com uma questão:
Por que Paulo escreve sobre a Caridade?
Não podemos isolar este lindo hino ao Amor, do contexto Paulino na Primeira Epístola aos Coríntios.
Paulo, no contexto imediato anterior e no contexto seguinte imediato, está falando sobre os dons espirituais.
Portanto, ao ensinarmos esta Lição não desprezemos este conteúdo disciplinador.
Paulo o começa o discurso falando sobre o dom de línguas e diz claramente que nada vale ter estes dons se não tivermos Amor e encerra o texto, mas não o discurso principal, que fala sobre os dons espirituais, com a revelação de que além da fé, esperança a caridade é a maior de todas as coisas permanentes.
Para que entendamos o que estamos descrevendo veja, que o discurso contextual continua no Capítulo 14, e começa exatamente sob a marca da Caridade, assim Paulo quer nos mostrar que, os dons sem a caridade nada valem, e que os coríntios já tiveram como refletir, e a nós também, sobre o tema, sendo possível, continuar explicando, aos mesmos e anos o uso dos Dons Espirituais, sob a ótica da Caridade.
É como um círculo, este contexto, se você voltar ao versículo 1 do
Capítulo 13.
Veja quadro acima.
O Amor só pode ser sólido quando está edificado ou arraigado em nossos corações pela verdadeira convicção em Jesus Cristo Nosso Salvador.
Portanto, não sejamos negligentes em dar atenção neste tempo presente a verdadeira virtude que é o AMOR.
Agradecimentos:
Agradeço A Deus que pelo Senhor Jesus nos iluminou por mais um trimetre na ação divina, do Espírito Santo em nos revelar um pouco da sua Palavra.
Agradeço a todos os leitores, tanto os de nossa página, os nossos seguidores, os editores dos sites dos quais somos colaboradores, “mercê” de Deus.
Agradeço a CPAD - Diterores, editores, revisores, funcionários em geral, pelos ensinos desta Lição.
Agradeço a Deus pela vida do Pastor Antonio Gilberto, pela sua liberalidade em nos ensinar a Palavra genuína de Deus.
Fonte:
Bíblia Plenitude
Bíblia cortesia Tio Sam
José Geraldes - jornalista português
Liceu
A inveja, conforme Sebastián de Covarrubias, gravura do século 16.
Pr. Kenneth Wieske
P.S.J. Dicionário grego-português e português-grego.
4ª. Ed. Porto: Livraria Apostolado da Imprensa, 1969.
DICIONÁRIO Aurélio
Apontamentos do autor
I Coríntios – estudo do autor -
UPM – Andrew Jumper – ENEP
Outros citados no texto ou desconhecidos de origem.
Imagens - blog cultura religiosa.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical