domingo, setembro 12

O DOM MINISTERIAL DE PROFETA E O DOM DE PROFECIA. LIÇÃO 11-CPAD-3º TRIMESTRE 2010

O DOM MINISTERIAL DE PROFETA E O DOM DE PROFECIA.
LIÇÃO 11-CPAD-3º TRIMESTRE 2010                                                    Autor- Osvarela
1 Co.12.28. E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores [mestres], depois [operadores de] milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.
- A dação de charisma

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE.
Ef.4.11-14. E ele mesmo deu uns para [como] apóstolos, e outros para [como] profetas, e outros para[como]  evangelistas, e outros para [como]  pastores e doutores [mestres],
12 querendo [tendo em vista] o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;

13 até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito [ao estado de homem feito], à medida da estatura completa [da plenitude] de Cristo;
14 para que não mais sejamos meninos, inconstantes, levados em roda [ao redor] por todo vento de doutrina, pelo engano [pela fraudulência] dos homens que, com [pela] astúcia enganam fraudulentamente [tendente à maquinação do erro];
1 Co.14.3. Mas o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação.
Textos Auxiliares.
1 Tm.4. 14. Não negligencies o dom {του χαρισματος [tou charismatos]} que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbítero.
16 Tem cuidado de ti mesmo e do teu ensino; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.
Glossário extensivo.
Apóstolos- αποστολη [apostolê] (Substantivo feminino). Apostolado. A função de um apóstolo.
κλητος [klêtos] (Adjetivo). Chamado, convocado, convidado.
[Romanos 1: 1.Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus. - κλητος [klêtos] Nom. sing. masc.]
Apóstolos – tenho uma posição sobre a questão de apóstolos, sob a ótica da etimologia da palavra é até concebível aceitar a utilização deste título.
Mas, sob a ótica desta dotação, vocação e do próprio Conselho Apostolar, o título só deveria ser usado, por quem tinha as prerrogativas dadas pelos 11. Atos 1.25.ss
De onde os 11 tiraram esta interpretação aceita pela Igreja primitiva, a ponto de questionarem, sempre o Apostolado de Paulo?
É a pergunta ser feita.
Por nós e por aqueles que usam este título, em nossos dias.
Confirmo, pelo uso do verbo nada contra, mas fica a pergunta sobre o questionamento adotado pelos Apóstolos, após a ascensão de Jesus.[definidas pelo Apóstolo Pedro em Atos 1.15.ss...]

Doutor
Nome masculino
1.   Aquele que ensina
2.   Indivíduo diplomado com o mais alto grau universitário; aquele que se doutorou
3.   médico
4.   Popular homem com pretensões a esperto ou com presunções de sábio
5.   tratamento que, nas relações sociais, se dá a um bacharel ou licenciado
6.   RELIGIÃO indivíduo que recebeu o estatuto mais elevado pela sua obra teológica
7.   Doutor da Igreja designação dada a certos teólogos cujos escritos são reputados como repositório da verdadeira doutrina cristã;
Doutor de lareira pessoa inculta, mas opiniosa;
Doutor Honoris Causa - personalidade a quem, a título honorífico, foi concedido o grau de doutor por uma universidade do próprio país ou de país estrangeiro
Do lat. doctóre- mestre; aquele que ensina.
Somente Doutores poderiam ser lentes (Professores do Latim Legente em linguagem obsoleta).
Profeta – ver informações nesta página,nas lições anteriores.
Dons de curar
Domem lições anteriores destaquei a questão de dom e diferença entre este e talento e vocação [no sentido de manifestação natural de habilidades natural], nesta lição aprenderemos a relação entre Dom, porém ligado a questão profética assunto deste trimestre.
Assim inserimos alguns poucos aspectos desde a dação inicial de Jesus Cristo ao corpo da Igreja primitiva.
É importante esta informação, pois os demais discípulos presentes no Cenáculo no Dia de Pentecostes do calendário hebreu, foram também revestidos de poder e autoridade pelo Espírito Santo.
Ex. At. 8. 5-7. E descendo Filipe à cidade de Samaria, pregava-lhes a Cristo. As multidões escutavam, unânimes, as coisas que Filipe dizia, ouvindo-o e vendo os sinais que operava; pois saíam de muitos possessos os espíritos imundos, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados;
Mas houve logo em seguida uma distinção entre eles, incluindo-se aí as ‘Marias’ presentes, também batizadas com Espírito Santo e com fogo, em relação aos Apóstolos, escolhidos por Jesus e aquele apóstolo que foi incluído ao grupo em determinação a uma profecia descrita em alta voz no primeiro discurso de Pedro, após o batismo de fogo.
Este deve ser o foco da lição.
O dom ministerial de profeta é a dotação de profetizar, ao receber a imposição de mãos para Ministro do Evangelho.
E conforme o texto da lição tem um objetivo prático na vida mística da Igreja. [para edificação do corpo de Cristo;]
Outro objetivo é o aperfeiçoamento para a Obra Ministerial, por isto Paulo insiste com Timóteo. Veja abaixo.
12 querendo [tendo em vista] o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;
A qualificação inerente a ter o poder de profetizar na vida do Ministro.
Daí em diante, este charisma está presente em toda atividade ministerial, com conseqüentes resultados sobre o rebanho do Senhor – sua Igreja.
O Dom de profecia pode atuar simultaneamente na vida de alguém, desde que tenha a autoridade ministerial; e entre os membros e crentes sem esta posição – Ministerial- todos podem tê-lo como doação charismática do Espírito Santo, a diferença é que todo ministro é dotado na sua consagração com o poder profético.
1- Dom Ministerial de Profeta – no colégio apostólico.
A autoridade do Colégio Apostólico era inerente a alguns fatores.
Jesus ensinou a formar a casa sobre a rocha.
A Igreja foi construída sobre Ele – A Rocha Eterna – o fundamento eterno, sobre as colunas – ver Gl.2, que formaram o Colégio Apostólico.
Não se pode modificar as colunas postas, a não ser que uma vá a ruína, mas antes disto Jesus, Jesus não permitiu que aquela que seria uma coluna podre fosse desmascarada, com um beijo de traição, e permitiu o estabelecimento de outra coluna antes do derramamento do Espírito Santo.
Confirmando com autoridade profética.
-Profeta revela.
-Profeta tem vidência. [aqui comparando com o período e forma do AT].Compare Eliseu [2 Rs.5.25.ss]e Pedro [Atos 5.1.ss].
Profetiza o juízo futuro. – morte ou condenação.
At.5. 3-10. Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço do terreno? [...] Como, pois, formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E grande temor veio sobre todos os que souberam disto.7 Depois de um intervalo de cerca de três horas, entrou também sua mulher, não sabendo o que havia acontecido.9 Então Pedro lhe disse: Por que é que combinastes entre vós provar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e te levarão também a ti. Imediatamente ela caiu aos pés dele e expirou.
2- Autoridade. [poder concedido por Jesus]. At.1.8. Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra.
- Dação de autoridade com base na chamada do próprio Cristo – isto lhes conferiu uma autoridade diferenciada, no sentido mais amplo da palavra apóstolo.
Assim a Igreja primitiva crescia, problemas se avolumavam, até haver uma tomada de decisão do conselho apostólico, com instituição dos diáconos [diakonia- serviço- servo].
O Colégio Apostólico encerra em si mesmo a primeira parte do texto bíblico da lição. 1 Co.12.28. E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas...
Não encontramos na História eclesial uma continuidade apostolar, como sugere alguns líderes religiosos, intitulando-se sucessores apostólicos de Pedro, porque não de Paulo, Mateus, João,Tiago...?
É importante este trecho, na lição são indicados os textos de Efésios 3.5 e Ap. 21.14...
Demonstra que esta qualificação se esgota no Colégio Apostólico escolhido por Jesus Cristo.
Usar a etimologia da palavra apóstolo para caracterizar ministerialmente uma posição no momento atual é até possível, mas sem as características do Colégio Apostólico, que foram muito bem, definidas pelo Apóstolo Pedro em Atos 1.15.ss...
Os apóstolos continuaram, suas funções ministerial e profética.
3- Confirmando os trabalhos e a expansão do Caminho.
At.8. 14-17. Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, tendo ouvido que os da Samária haviam recebido a palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João; os quais, tendo descido, oraram por eles, para que recebessem o Espírito Santo. Porque sobre nenhum deles havia ele descido ainda; mas somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus. Então lhes impuseram as mãos, e eles receberam o Espírito Santo.
É interessante ressaltar esta etapa.
Devido a perseguição todos os crentes fugiram ou foram expulsos da cidade de Jerusalém, menos os Apóstolos!
É uma confirmação da autoridade e distinção de Deus para com eles, era necessário o cumprimento profético do estabelecer continuado da Igreja, tendo como sede a Igreja de Jerusalém.
At.8.1. Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e da Samária.
a- Dom de profecia na igreja primitiva.
Necessitamos entender o texto e contexto da sociedade eclesial do momento, em que os escritores bíblicos escrevem sobre este fato.
Ex. Ágabo, filhas de Felipe
3- sua extensão e atualidade, até aos nossos dias.
DOM, do grego dorea, significa algo dado, dádiva, presente. O Espírito Santo é o grande doador.
Grego: charisma: “Dom da graça, dom envolvendo a graça por parte de Deus como Doador; é usado acerca de
(a) Suas dotações gratuitas aos pecadores (Rm 5.15. 16; 6.23; 11.29);
(b) as Suas dotações aos crentes mediante a operação do Espírito Santo nas igrejas (Rm 12.6; 1 Co 1.7; 12.4,9, 28, 30,31; 1 Tm 4.14; 2 Tm 1.6; 1 Pe 4.10); continuação no anexo abaixo... 
4- Demais dons citados na Lição.
Os dons a seguir são distintos entre outros, não são antecedidos do questionamento “são todos?”, ou seja são dons que numa interpretação preliminar a ser obtidos por todos, ou seja, há uma necessidade múltipla deles estarem entre todos da Igreja.
-Socorros - A palavra socorros é a tradução do vocábulo grego "antilambanomai", que significa “segurar com as mãos” e aparece uma única vez em todo o Novo Testamento.
Paulo é ensinado em sua visita a Jerusalém, pelas colunas a fazer uso desta atividade em seu ministério.Gl.2.10.
Exemplos.
O apóstolo Paulo em suas epístolas, nos lembra de alguns que foram usados neste dom:
-Febe, Priscila e Áquila, Urbano, a mãe de Rufo, Timóteo, Tércio (Romanos 16.1-22), Epafrodito (Filipenses 2.30);
2 Tm.4. 11. Só Lucas está comigo. Toma a Marcos e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério.
Pedro fala do mesmo Marcos, parece que Marcos, além do que sabemos como discipulado por Pedro, era dotado deste dom.
1 Pe.5.13. A vossa co-eleita em Babilônia vos saúda, como também meu filho Marcos.
Diáconos e socorros.
A implantação dos diáconos foi a primeira instituição do Espírito Santo para atender esta área na Igreja.
-Governos – O termo talassocracia (do grego Θάλασσα, thálassa, "mar" e κρατία, kratía, primeiramente "força", "poder", depois ganhando o significado de "governo", resultando no latim "-cratǐa" e, por conseguinte, no português "-cracia") refere-se a um estado cujo reino, governo ou poder
A direção da Igreja é uma instituição que desde a primitiva tem sido preocupação dos Apóstolos.
Governar passou a ser uma instituição necessária, mas no sentido de ter poder, autoridade em comandar.
Podemos ver isto em Atos dos Apóstolos, com o primeiro Concílio apostólico.
Tiago é o exemplo do governo entre os seus pares.
-Variedades de línguas. γλωσσα [glôssa] (Substantivo feminino). Língua.de onde vem o termo glossolalia – dom de falar em línguas estranhas.
Paulo diz que falava mais línguas que todos, mas não as usava como demonstração de ser melhor ou mais santo do que nenhum outro crente.
5- Destaques no texto auxiliar.
1 Tm.4. 14. Não negligencies o dom {του χαρισματος [tou charismatos] }que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbítero.
16 Tem cuidado de ti mesmo e do teu ensino; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.
A-o qual te foi dado por profecia,
B- com a imposição das mãos do presbítero.
Esta questão deve permear o ensino dominical, sob a relevância condicionante, não de capacidade, mas de unção e vocação, por parecer bem ao Espírito Santo, conceder, a Igreja de Jesus Cristo homens vocacionados, mas que necessitam receber autoridade, da mesma maneira que a Igreja se comportou ao inserir no corpo ministerial apostólico desta maneira os escolhidos.
A imposição de mãos é mais uma característica dativa de dom e ministério, incluindo-o entre pares que também receberam a sua inserção no corpo profeticamente.
6- Ordenamento.
Há ordem de início e uso destas charis.
Se observarmos sob um aspecto neotestamentário, a colocação do Apóstolo Paulo, se baseia no Ministério formalizado por Jesus Cristo, durante sua estada entre os homens, na sua missão salfívica.
Lc.11.49. Por isso diz também a sabedoria de Deus: Profetas e apóstolos lhes mandarei; e eles matarão uns, e perseguirão outros;
Assim teremos, indicado pelo próprio Cristo, a primeira ordem do seu Ministério que inclui Ministério e Profetas.
Senão leiamos.
Lc.6.13. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos:
Mt.10.20. Ora, os nomes dos doze apóstolos são estes: O primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão;
At.1.2. Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera;
At.4.33. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.
- História da Igreja primitiva.
Quando estudamos a história da Igreja primitiva sobre as peculiaridades de ordem, vemos que esta igreja teve sobre o fundamento - Cristo – o assentamento de homens com qualidades concedidas pelo Espírito Santo derramado por Jesus Cristo no cenáculo.
Após este derramar, os Apóstolos se consolidaram como líderes vocacionados e dotados do poder do Espírito Santo e se tornam dotados do Espírito profético, tanto como Dom Ministerial, como Dom de Profetas.
Inicialmente receberam uma porção de poder autoritativa - João 20:22 - E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Leia mais do texto.
7- O início do chamado Ministério.
Os apóstolos foram os primeiros ministros para a igreja no sentido de Dom Ministerial e de profeta.
At.6.1.ORA, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano.
2 E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. [..] 4 Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra.
6 E os apresentaram ante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos.
Destaco a questão da imposição das mãos, pois é muito importante para instituição dentro do corpo ministerial, sobre cada vocacionado.
Precisamos destacar, que é o nosso intento, a posição única e absolutamente prima dos Apóstolos vivenciadores do Ministério terreno de Jesus.
Esta particularidade é apontada como fundamental para:
-Aprovação
-Respeitosamente, aceitação
-Ensino
-Conhecimento, como sabedoria transmitida
-Posição patriarcal na Igreja. Não confundir com Pais da Igreja, geração posterior, a dos Apóstolos, geralmente seus discípulos ou liderados, que numa demonstração do que dissemos neste texto, não receberam o título apostólico.
Tanto que a aceitação do substituto, de Judas no Colégio Apostólico foi determinada por estes fatores vivencias, do colégio apostólico.
At.1.13-26. E, entrando, subiram ao cenáculo, onde permaneciam Pedro e João, Tiago e André, Felipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão o Zelote, e Judas, filho de Tiago.
20.Tome outro o seu ministério.
8- Reafirmando uma Condição: É necessário, pois, que dos varões que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor Jesus andou entre nós, começando desde o batismo de João até o dia em que dentre nós foi levado para cima, um deles se torne testemunha conosco da sua ressurreição. E apresentaram dois: José, chamado Barsabás, que tinha por sobrenome o Justo, e Matias. E orando, disseram: Tu, Senhor, que conheces os corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhido
Para tomar o lugar neste ministério e apostolado, do qual Judas se desviou para ir ao seu próprio lugar.
Então deitaram sortes a respeito deles e caiu a sorte sobre Matias, e por voto comum foi ele contado com os onze apóstolos.
Isto se manteve por séculos, com a continuidade, naqueles dias posteriores aos Apóstolos, dos chamados Pais da Igreja.
Quem eram?
Papias, aprendiz de João é um bom exemplo, eram discípulos dos Apóstolos, que aprendiam com os mesmos.
Gl.2.7. Antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me estava confiado, como a Pedro o da circuncisão
(Porque aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão, esse operou também em mim com eficácia para com os gentios),
9 E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;
1 Tm.2.7. Para o que (digo a verdade em Cristo, não minto) fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios na fé e na verdade.
Toda a ação da igreja primitiva estava sob a observação e confirmação dos apóstolos.
Seja no sentido de expansão do evangelho, como a confirmação do ministério e até mesmo os dons espirituais.
Paulo fala de como o dom ministerial é um ato carismático pela imposição das mãos, eu pessoalmente tenho como espiritual este ato capacitador pela imposição do que Paulo chama de ‘imposição das mãos do presbitério’; na Contemporaneidade, da época apostólica, o uso do termo presbitério refere-se aos ministros titulares das igrejas.
1 Tm. 4.13-14.   Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.      Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério.
Assim, os dons proféticos e ministeriais estão sobre a vida daquele que recebe esta imposição.
Desta forma, os apóstolos referendavam todos os atos ministeriais da igreja e sob a mesma unção e poder aumentavam o raio de seu ministério com os novos ministros do novo pacto.
2 Tm.1.6. Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos.
9- O Apóstolo Paulo e o Dom Ministerial de Profeta.
Paulo a si mesmo entende ter alguns dos dons ministeriais, que depois ele elenca conforme texto desta lição.
2 Tm.1.11.Para o que fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios...
Alguns homens da igreja primitiva já eram considerados, com estes dons e qualidades.
A igreja antioquena era uma igreja, que vivia em quase clara independência da igreja de Jerusalém, com um quadro ministerial dotado dos dons elencados por Paulo.
Atos 13.1. E NA igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo.
Paulo demonstra sua humildade e submissão, em sua epístola aos Gálatas, e com sabedoria, valoriza e entende da necessidade de obter anuência espiritual dos antigos apóstolos de Jesus em especial daqueles que faziam parte do círculo íntimo do ministério cristão, à época do ministério terreno de Jesus.
Paulo reconhece a qualificação dos Apóstolos nomeados, por Jesus Cristo.
Gl.2.1-10DEPOIS, passados catorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo Tito.
2 E subi por uma revelação, e lhes expus o evangelho, que prego entre os gentios, e particularmente aos que estavam em estima; para que de maneira alguma não corresse ou não tivesse corrido em vão.
3 Mas nem ainda Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se;
4 E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão;
5 Aos quais nem ainda por uma hora cedemos com sujeição, para que a verdade do evangelho permanecesse entre vós.
(Porque aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão, esse operou também em mim com eficácia para com os gentios),
E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;
E aprende uma lição com as Colunas- Pedro, Tiago e João.
10 Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência.
10- Ministros mas não donos da Igreja.
O estabelecimento de alguns destes dons é questionado, por Paulo, como forma de instruir a Igreja a recebê-los entre si, sabendo que nem todos têm capacitação divina para exercer alguns dons.
Assim.
Evangelista – ver lição
Pastores – ver lição
A atuação destes ministérios, a nós concedidos nos permite atender as sagradas Escrituras neotestamentárias, para levar o povo de Deus e os não crentes a se encontrarem com Deus, por Jesus Cristo, na atuação do Espírito Santo sobre nossos ministérios e sobre a Amada do Cordeiro, Sua Igreja.
1 Co.3.5. Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um?
2 Co.5. 18 Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação;
19 pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação.
Fonte.
R David Jones
Pr. Airton Evangelista da Costa
Dicionário bíblico – on line
Bíblia digital cortesia tio Sam
Léxico grego
Bíblia Chamada
Fatos bíblicos
Apontamentos do autor.
ANEXO.
Trata-se de texto de outro autor indicado no corpo do estudo.
COMPILAÇÃO.
CONT....
Dom.χαρισμα [charisma] (Substantivo neutro). Uma graça, um favor; um presente, um dom da graça de Deus.
(1)Romanos 1:11. Porque muito desejo ver-vos, a fim de repartir convosco algum dom espiritual, para que sejais confirmados, - χαρισμα [charisma] Acus. sing.
Romanos 11:29. .porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis. - τα χαρισματα [ta charismata] Nom. pl.
(1) Romanos 1: 11. Porque muito desejo ver-vos, a fim de repartir convosco algum dom espiritual, para que sejais confirmados, - χαρισμα[charisma] Acus. sing.
(2) Romanos 5: 15Todavia, não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um só, morrerammuitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos. - το χαρισμα [to charisma] Nom. sing
(3) Romanos 5: 16. O dom, entretanto, não é como no caso em que somente um pecou; porque o julgamento derivou de uma só ofensa, para a condenação; mas a graça transcorre de muitas ofensas, para a justificação. - το χαρισμα [to charisma] Nom. sing
(4) Romanos 6: 23.porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. - το χαρισμα [to charisma] Nom. sing.
(5)Romanos 11:29. porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis.
– τα χαρισματα [tacharismata] Nom. pl.
(6) Romanos 12: 6.tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; -χαρισματα [charismata] Acus. pl.
(7) 1 Coríntios 1: 7.de maneira que não vos falte nenhum dom, aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo, - χαρισματι[charismati] Dat. sing.
(8) 1 Coríntios 7: 7.Quero que todos os homens sejam tais como também eu sou; no entanto, cada um tem de Deus o seu próprio dom; um, na verdade, de um modo; outro, de outro χαρισμα [charisma] Acus. sing.
(9) 1 Coríntios 12: 4.Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo.
- χαρισματων [charismatôn] Gen. pl.
(10) 1 Coríntios 12: 9.a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar; - χαρισματα [charismata] Nom. pl.
(11) 1 Coríntios 12: 28.A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. - χαρισματα[charismata] Acus. pl.
(12) 1 Coríntios 12: 30. Têm todos dons de curar? Falam todos em outras línguas? Interpretam-nas todos? - χαρισματα [charismata] Acus. pl.

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical