sexta-feira, dezembro 31

Atos dos Apóstolos - Uma Visão Lucana da Igreja Primitiva - 1ª parte

No ano de 2011, o primeiro trimestre das Lições da EBD – CPAD traz o tema:
Atos dos Apóstolos – Até aos confins da terra.
Sentei para escrever, e em um fôlego só escrevi as linhas abaixo, sob a direção do Espírito Santo.
O escritor é o renomado Pastor e gerente de publicações da CPAD, Pr. Claudionor de Andrade –
Consultor Doutrinário e Teológico, o não menos renomado e nosso ‘pai’ da  moderna Teologia assembleiana brasileira, Pr. Antonio Gilberto.
Atos dos Apóstolos.
Uma saga da Igreja nascedoura.
Lucas um narrador especialmente dirigido pelo Espírito Santo.
Lucas foi um empreendedor de buscas históricas da História recente [para aqueles dias] dos acontecimentos ocorridos na vida religiosa, mística e cristã em Israel.
Quando Lucas se dispõe a escrever, ele busca mostrar detalhes, para os quais outros escritores, inspirados, é claro, não receberam a Revelação.
Pois, mesmo empreendendo busca, entrevistas, conhecer os locais dos fatos Lucas tem a revelação do Eterno espírito, para realizar tal empreitada literária divinamente inspirada.
Tudo nos escritos lucanos é detalhado, desde a embarcação soçobrando, ao crepitar de uma fogueira, os gravetos colhidos por Paulo [At.28], o lenço de linho [dado material] dobrado na cabeceira do sepulcro, que hospedou o corpo de Jesus Cristo.
Ao ler Atos dos Apóstolos o leitor vivencia, a batida de Pedro na porta da casa de Maria, mãe de João Marcos, a escadaria que dava acesso a Porta Formosa, parece ver o coxo saltando, sente as chamas sobre a cabeça dos discípulos no Cenáculo, como estivesse presente, e chora ao ver Estevão apedrejado [Lucas ao narrar o discurso fatal de Estevão, acrescenta fatos e ricos dados históricos, para conhecermos pontos da história de Israel, até Jesus Cristo – Atos 7 – uma lição da História, aos incrédulos e seus algozes], mas perdoando.
O leitor sente asco, e o temor vem, ao ler o acontecido com os infelizes, Ananias e Safira, como também, assiste a subida de Jesus Cristo aos Céus [uranos], como pode vibrar com as palavras do Mestre “...ficai em Jerusalém, até que do alto sejais revestido de Poder...
Podemos entender, que na visão da Teologia Doutrinaria da Pneumatologia, ser cheio do Espírito Santo, é ser como Estevão, é falar em novas línguas, é ser dotado do Dom da Glossolalia.
Atos 2. 4. E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem.
Lucas é um escritor especial.
Lucas e Estevão e Saulo.
Ao escrever a morte de Estevão, com cores fortes, ele já prepara o leitor, para se encontrar com um personagem essencial em Atos dos Apóstolos, que assistia impassível e nos mostra a sua autoridade, como condutor autorizado, pelo Sinédrio, daquele ato: Saulo!
Alguém que poderia, é o que Lucas quer informar, intervir naquela cena de terror e sem justiça.[E Saulo consentia na sua morte.]
Apresentado apenas como Saulo:
At.7. 58-60. ...e, lançando-o fora da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas vestes aos pés de um mancebo chamado Saulo. Apedrejavam, pois, a Estêvão que orando, dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito.E pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. Tendo dito isto, adormeceu. E Saulo consentia na sua morte.
Ao escrever Lucas vivencia tudo, inclusive se apresenta como co-autor dos Atos e dos acontecimentos narrados, ao incluir-se, como testemunha da história em andamento, através de fatos e acontecimentos vividos pelos expoentes deste livro santo, como andar e navegar junto do Apóstolo Paulo, estar com o Apóstolo Pedro,
Lucas narra com vivacidade, com ritmo os acontecimentos de seus dias, e que dias!
Jesus assunto aos Céus, a Igreja no Cenáculo, a desistência de quase 400 irmãos na busca pelo batismo e revestimento do alto pelo Espírito Santo, agora, não mais em forma corpórea de pomba, mas como línguas de fogo.
O leitor assiste esta descida do Eterno Espírito, para cumprir a sua parte, no Plano divino, até hoje Ele está conosco, nos direcionando e dirigindo a Igreja .
Lucas como o escritor narra a Sua atuação no seio e decisões da Igreja.
- “... pareceu bem , a nós, e ao Espírito Santo...”
Atos dos Apóstolos mostra a vida diária da Igreja como um Corpo único.
At.2.42.ss ... e tinham tudo em comum, na doutrina, na comunhão, no partir do pão, nas orações, na alegria e singeleza do coração...
Uma coisa podemos notar, ao ler o livro dos Atos dos Apóstolos [o certo é pronunciar: “livro dos Atos e não livro de Atos”], Lucas sente e descortina para seus leitores, com um leitor especial, o Teófilo, a quem escreve, qual agente divino está na direção, neste novo momento da vida dos Apóstolos, e dos discípulos:
O Espírito Santo!
Atos é um livro da Igreja primitiva, dos cristãos, assim chamados pela primeira vez em Antioquia, mais um dado histórico de Lucas.
Mas, sobre tudo é por excelência, o Livro  do Espírito Santo, confirmando as palavras de Jesus Cristo, agora glorificado, nos Evangelhos.
João 14. 16,17. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre, a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber;
Lucas mostra a ação neotestamentária do Eterno Espírito, na ‘neo eklesia’ de Cristo.
Sinais, maravilhas...
Salvação – “...e acrescentava o Senhor à Igreja aqueles que haviam de se salvar...”
Discorre em seu texto, sobre a ação do Espírito Santo em cada passo da Igreja, seja na dação de dons, na confirmação dos diáconos.
Na manifestação do Ministério da Igreja através dos Doze, agora acrescentados de Matias [condicionado pelo que Lucas escreve e nós narramos no parágrafo abaixo – viver com Jesus em seu Ministério terreno e na escolha por sorte].
Viajamos com Estevão para Samaria, e corremos com ele ao encontro do eunuco da Rainha de Candace, para lhe explicar as letras do Profeta Isaías.
Vivenciamos a ocorrência das profecias veterotestamentarias na ocorrência de Joel, na boca do Apóstolo Pedro, na ação de Estevão, na confirmação das Profecias, agora plenas de autenticidade dada pela Igreja através da morte, ressurreição e ascensão de Jesus.
A nuance escrita, destas ações, é vigorosa para o leitor, que se sente no local dos fatos e atos.
Assim, quando o lençol atado nas quatro pontas desce para o assustado e dúbio Apóstolo Pedro, o leitor pode assistir o diálogo, [outro destaque dado pelo escrito lucano, os diálogos são detalhados e claros ao entendimento.] entre o Apóstolo Pedro e o Senhor.
Parece vermos os animais proibidos de comer pela Lei, o que nos leva a meditar na Lei, em especial em Levíticos.
Quando Saulo começa a sua guerra teológica e ‘santa’, como nos nossos dias acontece nas mesmas paisagens, podemos saber, que ele era um agente autorizado, um verdadeiro terrorista [seria o termo atual], um guerreiro da ‘guerra santa’, um agente da interpol localizada nos office’s do Sinédrio.
Cavalgamos com ele pela poeira do Caminho de Damasco e assistimos a sua queda ao chão e podemos ouvir “A Voz”, que lhe fala: “Saulo!Saulo!”
Estamos no Cenáculo no primeiro Concílio Apostólico.
Ouvimos a prédica inicial do Apóstolo Pedro, a réplica do Apóstolo Paulo.
Assistimos a conquista dos votantes, para cada lado, com base nos argumentos de cada um, mas como canônico que é Atos dos Apóstolos, assistimos a ação decisória ser conduzida pelo Espírito Santo.
“...pareceu-nos a nós e ao Espírito Santo...” Atos 15.28.
Sim o Espírito Santo estava presente no Concílio de Jerusalém, tinha vez e voz e era ouvido nas decisões, como o mais importante Personagem daquela reunião.
Será Ele o condutor dos escritos lucanos e estará direcionando o Apóstolo Paulo em suas grandes Viagens Missionárias –
1ª Atos 13-14;
2ª Atos 15
3ª Atos 18
Assim é o escrito de Lucas.
Veremos ainda:
As primeiras perseguições
O esplendor ministerial de Pedro e seu ocaso
A entrada em cena de Paulo, que vai ser o maior expoente deste Livro, ofuscando os demais personagens humanos, mas mostrando a Glória do Nome de Jesus e a ação lídima, poderosa e favorecedora e condutora do Espírito Santo.
Autor:Osvarela
Continua...
FELIZ 2011
Um ano novo Feliz é um ano novo com amor de Cristo, graça de Deus Pai e a ação do Espírito Santo.

Compaixão pelos pobres, amor a Igreja, amor ao próximo, e Ensino da Palavra aos que necessitam deste conhecimento.
Agradeço a todos Seguidores, aos leitores, aos editores de outras páginas que nos replicam, por misericórdia deles e de Deus.
A minha esposa Maria Alice, a minha filha Ana Paula, a minha família que está no Rio de Janeiro e se ressente da minha ausência, ao meu Pastor-Presidente Pr. José Wellington Bezerra da Costa, ao meu Pastor setorial Pr. Edson Silva de Melo.
Fonte:
Apontamentos do autor
Pequena Enciclopédia Bíblica – O.S Boyer - Editora Vida

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical